SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
Baixar para ler offline
NEM SÓ DE AÇÚCAR VIVIA A COLÔNIA
Marcos Kauã, Mateus Alves, Pedro Henrique, Vitório Werick
OUTRAS ATIVIDADES ECONÔMICAS
 A economia do açúcar foi responsável pela
consolidação da colonização portuguesa no
Brasil. Mas havia também outras atividades
que também contribuíram para a
colonização.
A CRIAÇÃO DE GADO
 Após a o sucesso da empresa açucareira,
havia a necessidade de consumo. Nesse
cenário (século XVII) entrou a pecuária, que
se tornou atividade complementar na era
colonial.
FUMO E ALGODÃO
O algodão e o fumo
constituíram-se em
importantes atividades
agrícolas da economia
colonial. Durante o século
XVIII, o fumo ocupou o
segundo lugar no comércio
de exportação, Produzido
principalmente na Bahia e
em Alagoas.
A PRODUÇÃO DE ALIMENTOS
 Mesmo com uma economia açucareira,
haviam pequenos lavradores que cultivavam
alguns produtos de origem indígena, com a
mandioca e o milho, e produtos de outros
continentes, como o arroz e a laranja.
AS DROGAS DO SERTÃO
 Ao longo da colonização, observamos que a
incursão pelo interior do nosso território abriu
caminho não apenas para o conhecimento
de novos espaços, mas também para a
existência de várias plantas, frutas e raízes
que compunham a nossa vegetação. As
chamadas DROGRAS DO SERTÃO, que
eram bastante apreciadas na época.
AS DROGRAS DO SERTÃO
 Essas supostas “drogas”, eram o amendoim,
a baunilha, o cravo, o cacau, a canela a
mostarda etc. também chamadas de
especiarias elas eram muito raras e
apreciadas nos séculos XVII e XVIII.
AS DROGAS DO SERTÃO
 A Mão de Obra Indígena na Amazônia.
Os índios foram muito usados como mão-de-
obra não só para a coleta de drogas do sertão,
mas também para a construção de fortalezas e
vilas. Deste modo, a exploração de mão de
obra indígena foi fundamental para a
colonização da Amazônia.
OBRIGADO PELA ATENÇÃO!!!
E não usem drogas....

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estudo do meio primeiros povos
Estudo do meio primeiros povosEstudo do meio primeiros povos
Estudo do meio primeiros povosLaura Dias
 
Fa em4-05 afc-fevereiro
Fa em4-05 afc-fevereiroFa em4-05 afc-fevereiro
Fa em4-05 afc-fevereiroLuis Veiga
 
A romanização em portugal helena 5_c (3)
A romanização em portugal helena 5_c (3)A romanização em portugal helena 5_c (3)
A romanização em portugal helena 5_c (3)Mariajosesantos57
 
Atividades económicas nos séculos XIII e XIV
Atividades económicas nos séculos XIII e XIVAtividades económicas nos séculos XIII e XIV
Atividades económicas nos séculos XIII e XIVCátia Botelho
 
Teste 6 descobrimentos correção
Teste 6 descobrimentos  correçãoTeste 6 descobrimentos  correção
Teste 6 descobrimentos correçãoAna Pereira
 
Teste 6 descobrimentos
Teste 6 descobrimentosTeste 6 descobrimentos
Teste 6 descobrimentosAna Pereira
 
Atividades alunos especiais fenicios e hebreus
Atividades alunos especiais fenicios e hebreusAtividades alunos especiais fenicios e hebreus
Atividades alunos especiais fenicios e hebreusDjmes Suguimoto
 
Portugal na segunda metade do século xix
Portugal na segunda metade do século xixPortugal na segunda metade do século xix
Portugal na segunda metade do século xixcruchinho
 
Atividades hebreus fenicios e persas
Atividades  hebreus fenicios e persasAtividades  hebreus fenicios e persas
Atividades hebreus fenicios e persasjhonwaysser
 
Visigodos Ricardo Raposo Turma E VersãO Ppt 2003
Visigodos   Ricardo Raposo   Turma E  VersãO Ppt 2003Visigodos   Ricardo Raposo   Turma E  VersãO Ppt 2003
Visigodos Ricardo Raposo Turma E VersãO Ppt 2003RaposoEFA
 
A revolução de 1383 85
A revolução de 1383 85A revolução de 1383 85
A revolução de 1383 85cruchinho
 
As grandes navegações
As grandes navegaçõesAs grandes navegações
As grandes navegaçõesJanayna Lira
 
Os Povos Bárbaros - Os Francos - Prof. Medeiros
Os Povos Bárbaros - Os Francos - Prof. MedeirosOs Povos Bárbaros - Os Francos - Prof. Medeiros
Os Povos Bárbaros - Os Francos - Prof. MedeirosJoão Medeiros
 

Mais procurados (20)

Africa antes-dos-europeus
Africa antes-dos-europeusAfrica antes-dos-europeus
Africa antes-dos-europeus
 
Civilização Hebraica
Civilização HebraicaCivilização Hebraica
Civilização Hebraica
 
Estudo do meio primeiros povos
Estudo do meio primeiros povosEstudo do meio primeiros povos
Estudo do meio primeiros povos
 
Fa em4-05 afc-fevereiro
Fa em4-05 afc-fevereiroFa em4-05 afc-fevereiro
Fa em4-05 afc-fevereiro
 
A romanização em portugal helena 5_c (3)
A romanização em portugal helena 5_c (3)A romanização em portugal helena 5_c (3)
A romanização em portugal helena 5_c (3)
 
Atividades económicas nos séculos XIII e XIV
Atividades económicas nos séculos XIII e XIVAtividades económicas nos séculos XIII e XIV
Atividades económicas nos séculos XIII e XIV
 
Teste 6 descobrimentos correção
Teste 6 descobrimentos  correçãoTeste 6 descobrimentos  correção
Teste 6 descobrimentos correção
 
Teste 6 descobrimentos
Teste 6 descobrimentosTeste 6 descobrimentos
Teste 6 descobrimentos
 
Atividades alunos especiais fenicios e hebreus
Atividades alunos especiais fenicios e hebreusAtividades alunos especiais fenicios e hebreus
Atividades alunos especiais fenicios e hebreus
 
Portugal na segunda metade do século xix
Portugal na segunda metade do século xixPortugal na segunda metade do século xix
Portugal na segunda metade do século xix
 
Os fenicios
Os feniciosOs fenicios
Os fenicios
 
Os Incas - Prof.Altair Aguilar
Os Incas - Prof.Altair AguilarOs Incas - Prof.Altair Aguilar
Os Incas - Prof.Altair Aguilar
 
A Colonizaçâo
A  ColonizaçâoA  Colonizaçâo
A Colonizaçâo
 
Atividades hebreus fenicios e persas
Atividades  hebreus fenicios e persasAtividades  hebreus fenicios e persas
Atividades hebreus fenicios e persas
 
1 península ibérica quadro natural
1   península ibérica quadro natural1   península ibérica quadro natural
1 península ibérica quadro natural
 
Visigodos Ricardo Raposo Turma E VersãO Ppt 2003
Visigodos   Ricardo Raposo   Turma E  VersãO Ppt 2003Visigodos   Ricardo Raposo   Turma E  VersãO Ppt 2003
Visigodos Ricardo Raposo Turma E VersãO Ppt 2003
 
A revolução de 1383 85
A revolução de 1383 85A revolução de 1383 85
A revolução de 1383 85
 
As grandes navegações
As grandes navegaçõesAs grandes navegações
As grandes navegações
 
Os iberos
Os iberosOs iberos
Os iberos
 
Os Povos Bárbaros - Os Francos - Prof. Medeiros
Os Povos Bárbaros - Os Francos - Prof. MedeirosOs Povos Bárbaros - Os Francos - Prof. Medeiros
Os Povos Bárbaros - Os Francos - Prof. Medeiros
 

Destaque

Imperio asteca
Imperio astecaImperio asteca
Imperio astecaClara Lyz
 
Øresund o Buidar el mar amb un poal.
Øresund o Buidar el mar amb un poal.Øresund o Buidar el mar amb un poal.
Øresund o Buidar el mar amb un poal.Jesús Frare Garcia
 
Artes 02 gênesis 1º ano pré-história e mesopotâmia
Artes 02 gênesis 1º ano    pré-história e mesopotâmiaArtes 02 gênesis 1º ano    pré-história e mesopotâmia
Artes 02 gênesis 1º ano pré-história e mesopotâmiahbilinha
 
Civilizações pré colombianas
Civilizações pré colombianasCivilizações pré colombianas
Civilizações pré colombianasElton Zanoni
 
Astecas,Incas e Maias
Astecas,Incas e MaiasAstecas,Incas e Maias
Astecas,Incas e MaiasWesley Santos
 

Destaque (10)

Imperio asteca
Imperio astecaImperio asteca
Imperio asteca
 
Astecas
AstecasAstecas
Astecas
 
Øresund o Buidar el mar amb un poal.
Øresund o Buidar el mar amb un poal.Øresund o Buidar el mar amb un poal.
Øresund o Buidar el mar amb un poal.
 
Artes 02 gênesis 1º ano pré-história e mesopotâmia
Artes 02 gênesis 1º ano    pré-história e mesopotâmiaArtes 02 gênesis 1º ano    pré-história e mesopotâmia
Artes 02 gênesis 1º ano pré-história e mesopotâmia
 
Civilizações pré colombianas
Civilizações pré colombianasCivilizações pré colombianas
Civilizações pré colombianas
 
América Précolombiana
América PrécolombianaAmérica Précolombiana
América Précolombiana
 
As Grandes Civilizações da América
As Grandes Civilizações da AméricaAs Grandes Civilizações da América
As Grandes Civilizações da América
 
Administração portuguesa na América
Administração portuguesa na AméricaAdministração portuguesa na América
Administração portuguesa na América
 
Povos pré-colombianos.ppt
Povos pré-colombianos.pptPovos pré-colombianos.ppt
Povos pré-colombianos.ppt
 
Astecas,Incas e Maias
Astecas,Incas e MaiasAstecas,Incas e Maias
Astecas,Incas e Maias
 

Semelhante a Economia colonial brasileira além do açúcar

Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)Gabriel Resende
 
O império português do oriente parte 5
O império português do oriente  parte 5O império português do oriente  parte 5
O império português do oriente parte 5anabelasilvasobral
 
aula_11_de_historia_-_7º_ano_8º_quinzena_-_conquista_e_colonizacao_da_america...
aula_11_de_historia_-_7º_ano_8º_quinzena_-_conquista_e_colonizacao_da_america...aula_11_de_historia_-_7º_ano_8º_quinzena_-_conquista_e_colonizacao_da_america...
aula_11_de_historia_-_7º_ano_8º_quinzena_-_conquista_e_colonizacao_da_america...Elizeu filho
 
O sistema colonial português na américa
O sistema colonial português na américaO sistema colonial português na américa
O sistema colonial português na américaDaniel IX
 
A exploração das minas de ouro trouxe uma série de impactos na sociedade e na...
A exploração das minas de ouro trouxe uma série de impactos na sociedade e na...A exploração das minas de ouro trouxe uma série de impactos na sociedade e na...
A exploração das minas de ouro trouxe uma série de impactos na sociedade e na...VeronicaSilveira2
 
Book oficial carnaval 2011 coloninha
Book oficial carnaval 2011  coloninhaBook oficial carnaval 2011  coloninha
Book oficial carnaval 2011 coloninhaMari Barboza
 
A economia açucareira no brasil
A economia açucareira no brasilA economia açucareira no brasil
A economia açucareira no brasilRogerio Alves
 
Ciclos economicos brasil
Ciclos economicos brasilCiclos economicos brasil
Ciclos economicos brasilThiago Tavares
 
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez Oliveira
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez OliveiraCiclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez Oliveira
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez OliveiraErnandez Oliveira
 
Ciclo do açúcar no brasil
Ciclo do açúcar no brasilCiclo do açúcar no brasil
Ciclo do açúcar no brasilMarta Medeiros
 
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2017)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2017)A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2017)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2017)Nefer19
 
Historia e geografia de portugal
Historia e geografia de portugalHistoria e geografia de portugal
Historia e geografia de portugaltixinhatsilva
 
Historia e geografia de portugal Resumos
Historia e geografia de portugal ResumosHistoria e geografia de portugal Resumos
Historia e geografia de portugal Resumostixinhatsilva
 
COMANDO DA MADRUGADA 2 HISTÓRIA DO BRASIL.pptx
COMANDO DA MADRUGADA 2 HISTÓRIA DO BRASIL.pptxCOMANDO DA MADRUGADA 2 HISTÓRIA DO BRASIL.pptx
COMANDO DA MADRUGADA 2 HISTÓRIA DO BRASIL.pptxCamilaAmorim64
 
Brasil do Café Parte I e II.
Brasil do Café Parte I e II.Brasil do Café Parte I e II.
Brasil do Café Parte I e II.Alexson G. Mendes
 
4.evolucao economia brasilera
4.evolucao economia brasilera4.evolucao economia brasilera
4.evolucao economia brasileraPuc Campinas
 
História dos negros
História dos negrosHistória dos negros
História dos negrosjoaobundao
 

Semelhante a Economia colonial brasileira além do açúcar (20)

trabalhonalavouracanavieira.ppt
trabalhonalavouracanavieira.ppttrabalhonalavouracanavieira.ppt
trabalhonalavouracanavieira.ppt
 
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
 
O império português do oriente parte 5
O império português do oriente  parte 5O império português do oriente  parte 5
O império português do oriente parte 5
 
aula_11_de_historia_-_7º_ano_8º_quinzena_-_conquista_e_colonizacao_da_america...
aula_11_de_historia_-_7º_ano_8º_quinzena_-_conquista_e_colonizacao_da_america...aula_11_de_historia_-_7º_ano_8º_quinzena_-_conquista_e_colonizacao_da_america...
aula_11_de_historia_-_7º_ano_8º_quinzena_-_conquista_e_colonizacao_da_america...
 
O sistema colonial português na américa
O sistema colonial português na américaO sistema colonial português na américa
O sistema colonial português na américa
 
A exploração das minas de ouro trouxe uma série de impactos na sociedade e na...
A exploração das minas de ouro trouxe uma série de impactos na sociedade e na...A exploração das minas de ouro trouxe uma série de impactos na sociedade e na...
A exploração das minas de ouro trouxe uma série de impactos na sociedade e na...
 
Book oficial carnaval 2011 coloninha
Book oficial carnaval 2011  coloninhaBook oficial carnaval 2011  coloninha
Book oficial carnaval 2011 coloninha
 
A economia açucareira no brasil
A economia açucareira no brasilA economia açucareira no brasil
A economia açucareira no brasil
 
Ciclos economicos brasil
Ciclos economicos brasilCiclos economicos brasil
Ciclos economicos brasil
 
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez Oliveira
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez OliveiraCiclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez Oliveira
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez Oliveira
 
Ciclo do açúcar no brasil
Ciclo do açúcar no brasilCiclo do açúcar no brasil
Ciclo do açúcar no brasil
 
História – brasil conquista do sertão 01 2014
História – brasil conquista do sertão 01   2014História – brasil conquista do sertão 01   2014
História – brasil conquista do sertão 01 2014
 
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2017)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2017)A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2017)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2017)
 
Historia e geografia de portugal
Historia e geografia de portugalHistoria e geografia de portugal
Historia e geografia de portugal
 
Historia e geografia de portugal Resumos
Historia e geografia de portugal ResumosHistoria e geografia de portugal Resumos
Historia e geografia de portugal Resumos
 
Ciclos econômicos
Ciclos econômicosCiclos econômicos
Ciclos econômicos
 
COMANDO DA MADRUGADA 2 HISTÓRIA DO BRASIL.pptx
COMANDO DA MADRUGADA 2 HISTÓRIA DO BRASIL.pptxCOMANDO DA MADRUGADA 2 HISTÓRIA DO BRASIL.pptx
COMANDO DA MADRUGADA 2 HISTÓRIA DO BRASIL.pptx
 
Brasil do Café Parte I e II.
Brasil do Café Parte I e II.Brasil do Café Parte I e II.
Brasil do Café Parte I e II.
 
4.evolucao economia brasilera
4.evolucao economia brasilera4.evolucao economia brasilera
4.evolucao economia brasilera
 
História dos negros
História dos negrosHistória dos negros
História dos negros
 

Mais de Ana Selma Sena Santos (20)

Cliima
CliimaCliima
Cliima
 
Continentes
ContinentesContinentes
Continentes
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
 
Capitalismo x socialismo
Capitalismo x socialismoCapitalismo x socialismo
Capitalismo x socialismo
 
Acredite metáfora dos sapos
Acredite metáfora dos saposAcredite metáfora dos sapos
Acredite metáfora dos sapos
 
(Som)professor educador
(Som)professor educador(Som)professor educador
(Som)professor educador
 
México
MéxicoMéxico
México
 
Argentina
ArgentinaArgentina
Argentina
 
Região sul slide
Região sul  slideRegião sul  slide
Região sul slide
 
Região sul slide
Região sul  slideRegião sul  slide
Região sul slide
 
Cuba
CubaCuba
Cuba
 
Câncer
CâncerCâncer
Câncer
 
Região sudeste
Região sudesteRegião sudeste
Região sudeste
 
Região sudeste slide
Região sudeste   slideRegião sudeste   slide
Região sudeste slide
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Outras regionalizações do espaço mundial
Outras regionalizações do espaço mundialOutras regionalizações do espaço mundial
Outras regionalizações do espaço mundial
 
Região nordeste slide
Região nordeste slideRegião nordeste slide
Região nordeste slide
 
Geografia
GeografiaGeografia
Geografia
 
Diferentes modos de ver o mundo
Diferentes modos de ver o mundoDiferentes modos de ver o mundo
Diferentes modos de ver o mundo
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
 

Último

Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 

Último (20)

“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 

Economia colonial brasileira além do açúcar

  • 1. NEM SÓ DE AÇÚCAR VIVIA A COLÔNIA Marcos Kauã, Mateus Alves, Pedro Henrique, Vitório Werick
  • 2. OUTRAS ATIVIDADES ECONÔMICAS  A economia do açúcar foi responsável pela consolidação da colonização portuguesa no Brasil. Mas havia também outras atividades que também contribuíram para a colonização.
  • 3. A CRIAÇÃO DE GADO  Após a o sucesso da empresa açucareira, havia a necessidade de consumo. Nesse cenário (século XVII) entrou a pecuária, que se tornou atividade complementar na era colonial.
  • 4. FUMO E ALGODÃO O algodão e o fumo constituíram-se em importantes atividades agrícolas da economia colonial. Durante o século XVIII, o fumo ocupou o segundo lugar no comércio de exportação, Produzido principalmente na Bahia e em Alagoas.
  • 5. A PRODUÇÃO DE ALIMENTOS  Mesmo com uma economia açucareira, haviam pequenos lavradores que cultivavam alguns produtos de origem indígena, com a mandioca e o milho, e produtos de outros continentes, como o arroz e a laranja.
  • 6. AS DROGAS DO SERTÃO  Ao longo da colonização, observamos que a incursão pelo interior do nosso território abriu caminho não apenas para o conhecimento de novos espaços, mas também para a existência de várias plantas, frutas e raízes que compunham a nossa vegetação. As chamadas DROGRAS DO SERTÃO, que eram bastante apreciadas na época.
  • 7. AS DROGRAS DO SERTÃO  Essas supostas “drogas”, eram o amendoim, a baunilha, o cravo, o cacau, a canela a mostarda etc. também chamadas de especiarias elas eram muito raras e apreciadas nos séculos XVII e XVIII.
  • 8. AS DROGAS DO SERTÃO  A Mão de Obra Indígena na Amazônia. Os índios foram muito usados como mão-de- obra não só para a coleta de drogas do sertão, mas também para a construção de fortalezas e vilas. Deste modo, a exploração de mão de obra indígena foi fundamental para a colonização da Amazônia.
  • 9. OBRIGADO PELA ATENÇÃO!!! E não usem drogas....