Cruzamento e heterose

39.721 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia, Negócios
1 comentário
7 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
39.721
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
684
Comentários
1
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cruzamento e heterose

  1. 1. Heterose e Cruzamentos Erik Amazonas de AlmeidaTuesday, June 21, 2011 1
  2. 2. Heterose e Cruzamento Definições Cruzamento é o acasalamento de dois indivíduos de linhagens, raças distintas - Geralmente os pais são animais puros da raça. Acasalamento -- Cruzamento -- Hibridação ➛ Mestiços Mestiço X Mestiço (mestiçagem) ➛ Bimestiço Ex: Linhagem A x Linhagem B; Raça A x Raça B; Espécie A x Espécie B (Cavalo [Eqqus caballus] x Jumento [Eqqus asinus] ➛ Mula) Para que serve? I. Reunir características desejáveis de duas raças/linhagens Rusticidade + Produtividade II. Explorar a heteroseTuesday, June 21, 2011 2
  3. 3. Heterose e Cruzamento Definições Heterose é a superioridade média dos filhos em relação aos pais, independente da causa. (VIGOR HÍBRIDO) Heterose se aplica ao fenômeno no qual a descendência de acasalamentos entre linhagens consanguineas (puras) apresenta desempenho superior à média das duas populações, excedendo a melhor delas. O nível de heterose é inversamente proporcional à herdabilidade da característica: Característica: Herdabilidade Heterose Ganho Peso pós desmama ⇡ ⇣ Taxa de conversão alimentar ⇡ ⇣ Comp. carcaça ⇡ ⇣ Fertilidade ⇡ ⇣ Sobrevivência ⇡ ⇣Tuesday, June 21, 2011 3
  4. 4. Tipos de heterose Heterose Individual: aumento de performance em um animal individualemente em relação a média dos pais, que não têm relação com efeitos maternos, paternos ou ligados ao sexo. Heterose materna: heterose na população atribuível a utilização de fêmeas cruzadas ao invés de puras. Heterose paterna: qualquer vantagem utilizando reprodutores cruzados ao invés de puros sobre a performance da progênie.Tuesday, June 21, 2011 4
  5. 5. Fatores que afetam a heterose O grau de heterose obtido nos cruzamentos depende: 1. Dos níveis de Heterozigoses materna e individual; 2. Da distância genética entre as raças envolvidas (parentais) 3. Das frequências gênicas nas populações; 4. Da característica de interesse e sua ineração com o ambiente.Tuesday, June 21, 2011 5
  6. 6. Bases genéticas da heterose Teorias… Teoria da dominância: Leva como pressuposto que a maioria dos efeitos desfavoráveis são causados por genes recessivos (a), especialmente para as caraterísticas mais afetadas pela heterose: viabilidade, sobrevivência, fertilidade, etc. Assume, então, que os genes dominantes (A) são os determinantes dos efeitos favoráveis. Muitos genes afetam o vigor, então, é muito improvável que um animal seja portador de todos os genes dominantes em homozigose. Acasalando animais puros não relacionados, há um aumento na manifestação das características dominantes (animais Aa). Exemplo pag. 261-263 JCC PereiraTuesday, June 21, 2011 6
  7. 7. Bases genéticas da heterose Teorias… Teoria da dominância: De acordo com essa teoria, cada raça paterna (P1 e P2) é susposta ser dominante para um locus diferente. Possibilidade de retenção da heterose na F2. Grupo Genético Genótipo Valor genotípico P1 AAbb 1.0 P2 aaBB 1.0 F1 AaBb 2.0 F2 (Loco A) ¼ AA + ½ Aa + ¼ aa 0.75 F2 (Loco B) ¼ BB + ½ Bb + ¼ bb 0.75 F2 (Locos A e B) - 1.5Tuesday, June 21, 2011 7
  8. 8. Bases genéticas da heterose Teorias… Teoria da dominância: Para cruzamentos envolvendo 3 raças o pensamento é o mesmo: a terceira raça será dominante para um terceiro locus! Grupo Genético Genótipo Valor genotípico P1 AAbbcc 1.0 P2 aaBBcc 1.0 F1 AaBb 2.0 P3 aabbCC 1.0 P3 x F1 (Loco A) ½ Aa + ½ aa 0.5 P3 x F1 (Loco B) ½ Bb + ½ bb 0.5 P3 x F1 (Loco C) Cc 1.0 P3 x F1 (Locos A B C) - 2.0Tuesday, June 21, 2011 8
  9. 9. Bases genéticas da heterose Teorias… Teoria da dominância: Cruzamentos rotacionados: fêmeas mestiças são acasaladas com touros de uma segunda raça ou uma terceira raça. Após algumas gerações de cruzamentos entre 2 raças, se tem 2 grupos de fêmeas: ‘I’ ➛ ⅔ P1 + ⅓ P2 e ‘II’ ➛ ⅓ P1 + ⅔ P2 Fêmeas ‘I’ acasalam com Touros P2 Fêmeas ’II’ acasalam com Touros P1 Genótipo Valor genotípico Grupo Genético Femeas Touros I ⅔ P1 + ⅓ P2 P2 ⅔ = 0.67 II ⅓ P1 + ⅔ P2 P1 ⅔ = 0.67Tuesday, June 21, 2011 9
  10. 10. Bases genéticas da heterose Teorias… Teoria da dominância: Para que a heterose ocorra, são necessários que: a) os genes favoráveis sejam dominantes na maioria dos loci. b) que as raças usadas no cruzamento sejam geneticamente diferentes A manutenção da Heterose no cruzamento de mestiços é esperada desde que: a) Seja evita a endogamia; b) o modelo de dominância do vigor híbrido seja adequado.Tuesday, June 21, 2011 10
  11. 11. Bases genéticas da heterose Teorias… Teoria da Sobredominância: Sugere que o Heterozigoto (Aa) é superior aos homozigotos (AA ou aa). Ambos os alelos podem ‘competir’ para a determinação do fenótipo. Em muitos casos, o dominante ganha. Outra tese é a de que heterozigotos tem maior adaptabiliade e produtividade por ter maior versatilidade bioquímica (mais alelos para enfrentar diferentes condições). Ambas as teorias (Dominância e Sobredominância) tem as mesmas expectativas teóricas que resultam em queda do vigor híbrido com a endogamia e ganho com cruzamentos.Tuesday, June 21, 2011 11
  12. 12. Bases genéticas da heterose Teorias… Teoria da Epistasia: Interação entre genes não-homólogos (não alelos -- genes diferentes). Diferentes genes interagindo nos cruzamentos e sendo passados através deles, de forma análoga ao da dominância.Tuesday, June 21, 2011 12
  13. 13. Estimativa da heterose Cálculo, Cálculo…!! H% = [Média da geração F1 - Média dos pais) ÷ Média dos pais] X 100Tuesday, June 21, 2011 13
  14. 14. CRUZAMENTOS!!!Tuesday, June 21, 2011 14
  15. 15. CRUZAMENTOS!!!Tuesday, June 21, 2011 14
  16. 16. CRUZAMENTOS!!!Tuesday, June 21, 2011 15
  17. 17. CRUZAMENTOS!!! 1. Contínuo, ou ABSORVENTE; 2. Simples, ou INDUSTRIAL (TERMINAL); 3. Alternada, ou ROTATIVA.Tuesday, June 21, 2011 16
  18. 18. CRUZAMENTOS!!! 1. Contínuo, ou ABSORVENTE; 2. Simples, ou INDUSTRIAL (TERMINAL); 3. Alternado, ou ROTATIVA.Tuesday, June 21, 2011 17
  19. 19. 1. Contínuo, ou ABSORVENTE • Tem como objetivo a substituição de raças. • Forma de se obter animais puros por cruza (PC) • Envolve apenas 2 raças: a que se quer substituir e a melhoradora.Tuesday, June 21, 2011 18
  20. 20. 2. Simples, ou INDUSTRIAL (Terminal) • A população de interesse (produtiva) é a F1 • Exploração comercial da heterose • ⇡ heterose ➛ acasalamento entre linhagens bem diferentes. • Mantém-se os reprodutores puros (endogamicos). A X A Machos e A X B AB fêmeas abatidos B X BTuesday, June 21, 2011 19
  21. 21. 3. Alternado, ou ROTATIVO • 3 ou mais raças/linhagens • Mantém a heterose e a complementariedade ao se alternar a raça dos machos. • Machos de raça pura x Fêmeas mestiças • Vantagens: - Aproveita Habilidade Materna das mães mestiças (heterose materna) - Flexibilidade: grau de sangue pode variar de acordo com mercado! • Desvantagens: - Desuniformidade - Manejo mais complicado OBS: a desuniformidade é boa e ruim: BOM: características do plantel oscila conforme mercado… RUIM: dificulta manejo,Tuesday, June 21, 2011 20
  22. 22. 3. Alternado, ou ROTATIVO A B F1 C F2 A F3 B F4 C F5 …Tuesday, June 21, 2011 21
  23. 23. Qual usar????? • Raça Pura (absorvente): qdo o cruzamento não traz vantagem. • Industrial: quando a heterose direta é importante. • 3 raças: quando a heterose materna também é importante, • 4 raças: Heterose direta + heterose materna + heterose paterna, • Rotacional: aquisição ou produção de fêmeas for muito cara!Tuesday, June 21, 2011 22
  24. 24. Exemplos: ⅜ Brahman + ⅝ Hereford ➛ BrafordTuesday, June 21, 2011 23
  25. 25. Exemplos: ⅜ Brahman + ⅝ Angus ➛ BrangusTuesday, June 21, 2011 24
  26. 26. Exemplos: ⅜ Brahman + ⅝ Angus ➛ BrangusTuesday, June 21, 2011 25
  27. 27. CRUZAMENTOS!!!Tuesday, June 21, 2011 26

×