SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
1
Universidade Estadual da Paraíba- UEPB

Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência- PIBID

Subprojeto Letras- Língua Portuguesa

Escola de Atuação: E.E.E.F.M. Monte Carmelo

Coordenadora de Área: Magliana Rodrigues da Silva

Supervisora: Zuila Kelly da Costa Couto Fernandes de Araújo

Alunas bolsistas: Alanne de Paula

                 Luciana Vieira Alves

                 Marciana da Silva Milânez

                 Renally Arruda




                                    Projeto:




              Nas Trilhas da Língua Portuguesa:
                             O texto em foco




                                                                 2
Apenas Argumente

Em dupla produzam um diálogo com situações em que vocês desenvolvam a
argumentação, como:

       Entrevista de Emprego;
       Pedir para o patrão um aumento de salário;
       Convencer os pais a deixar sair para algum lugar;
       Convencer alguém a namorar você;
       Convencer os eleitores a votarem em você;
       Pedir ao professor que adiante uma aula;
       Convencer o professor a prolongar o prazo de entrega de um trabalho.




                                   Angústia grátis
                                                                  Mayra Dias Gomes

       Uma garota precisa ser incrivelmente magra para caber naquele vestido da nova
coleção da Triton. Precisa ser incrivelmente magra para estar aos pés das celebridades

                                                                                    3
bem-sucedidas do momento. Mesmo que sejam celebridades famosas justamente por
não fazerem nada.

       Celebridades que representam a imagem da mulher e do homem glamourosos do
século 21. Aqueles que estão por dentro das tendências que mudam de forma e de cor
segundo as estações.

       O boom da tecnologia no final dos anos 1990 não fez somente com que a
informação pertencesse a todos, mas também com que houvesse informações demais,
rápido demais. As pessoas se acostumaram com as soluções instantâneas e se tornaram
mais imediatistas e incapazes de lidar com as frustrações.

       Passaram a se sentir mais insatisfeitas. Seja com os relacionamentos amorosos,
seja com a autoestima, seja com as peças no armário. Isso certamente as tornou mais
receptivas ao sistema ditatorial imposto pelas indústrias de moda e de estética. Sistema
que promove suprimentos de angústia que não realizam suas promessas. Para as
insatisfações físicas, há sempre a cirurgia plástica.

       Para ter os seios da Scarlett Johansson, a barriga da Gisele Bündchen ou o nariz
e a boca da Angelina Jolie. Mesmo possuindo belos corpos, muitos se submetem à faca
para se igualarem a padrões estabelecidos em revistas ou na TV. Preferem reclamar ou
se mutilar a se exercitar, pois sabem que o resultado virá com mais rapidez. Não há
como lidar com o longo prazo.

       Dia após dia, convivemos com a ideia de que certas compras são verdadeiros
investimentos e, ao realizá-las, tornaremo-nos seres humanos mais completos.
Deixamos nos enganar pelas abordagens inteligentes que mexem com nossas
inseguranças. Caímos de boca no anzol e nos sentimos cada vez menos felizes.

       Por não termos aquela quantidade de dinheiro, aquele corpo invejável, aquela
fama toda. Não que isso seja necessário para o ser humano. É somente imposto pela
sociedade moderna.

       Segundo o filósofo alemão Schopenhauer, o prazer nada mais é do que o
momento fugaz de ausência de dor. Não há satisfação durável. É desse princípio



                                                                                      4
pessimista que se alimenta a indústria do consumo. O que importa não é encher uma
casa de bens, mas jogá-los fora quando deixarem de trazer emoções novinhas em folha.

       A mesma ideia pode ser ilustrada com um Shopping Center, criado para
proporcionar sensações excitantes que existem somente durante a estadia do comprador
no estabelecimento.

       Mesmo quando o consumidor adquire um celular que servirá para conectá-lo em
movimento, está fazendo uma compra datada. O aparelho logo sairá de linha e será
trocado por outro com a mesma utilidade e algumas funcionalidades banais a mais. Só o
visual será diferente.

       É a obsolescência planejada, ou, em outras palavras, tática de marketing. É
preciso fazer com que os renegados da sociedade de consumo sintam-se como
fracassados. Só assim permanecerão sensíveis o suficiente para acreditar em tantas
falsas promessas.




                         Sociedade de consumo - vantagens e desvantagens

                                                          Jonathas Nunes dos Santos

       A sociedade humana tem se caracterizado pelo consumismo. É interessante
como os meios de comunicação de massa conseguem manipular as pessoas, numa forma
de lavagem cerebral, fazendo com que um produto chame atenção do consumidor mais
sem deixá-lo pensar nem ter muitas informações adicionais, pois, caso contrário, o


                                                                                       5
consumidor acaba desistindo de comprar. É por isso que somos influenciados a comprar
e consumir tudo o que é proposto pela mídia, para que deste modo sejamos aceitos pela
sociedade.

       Não queremos dizer com isso que o ato de consumir e comprar seja de todo
ruim. Pelo contrário. Tanto é verdade que nos beneficiamos muito do avanço
tecnológico que cada vez é mais presente e marcante em nosso mundo globalizado.

VANTAGENS

       Dentre os muitos benefícios, destacamos a facilidade de efetuarmos uma compra
online, computadores que usamos para fazer inúmeros trabalhos, meios de transporte
cada vez mais seguros e eficientes que conseguem transportar milhares de pessoas,
rapidez nas informações, bate papo online, celulares que nos possibilitam acessar sites,
verificar e-mail, conversar com outras pessoas via MSN, e em caso de calamidade,
podem ser usados para localizar pessoas e fazer chamada de emergência.

DESVANTAGENS

       Geralmente as desvantagens passam despercebidas pela maioria das pessoas. Por
exemplo: uma pessoa talvez compre um celular com a nítida intenção de que este
aparelho satisfaça a sua necessidade básica ( talvez usando-o apenas para se comunicar
com alguém, jogar, ouvir uma música ), mas os meios de comunicação de massa
conseguem induzir essa pessoa a se desfazer de seu celular novinho e comprar outro
aparelho de última geração, com inúmeros recursos tecnológicos, mesmo que não haja
uma necessidade absoluta.

       Outra desvantagem é que os produtos de última geração, por serem novidade no
mercado, são cada vez mais caros, e muitos consumidores, na ânsia desenfreada de
obtê-los, acabam se endividando e sofrendo amargas consequências.

       Portanto, pensando nas vantagens e desvantagens de consumirmos os produtos
que são ventilados pelos meios de comunicação de massa, é sempre bom usarmos de
bom senso e nunca nos deixarmos levar pela sedução dos olhos, o que impedirá que
compremos o que está além do nosso poder aquisitivo comprar. Isso com certeza evitará
que tenhamos muita dor de cabeça no futuro.



                                                                                      6
Desafio da argumentação!



    Desenvolvendo a argumentação: Dividir a turma em três equipes e distribuir um
objeto (Palito de fósforo queimado, Saquinho de leite vazio, Um dente de leite
encontrado no jardim de Elvis Presley) para cada grupo com a finalidade de que cada
um produza uma propaganda utilizando argumentos que convençam seus colegas a
comprarem determinado produto. Após a produção das propagandas cada grupo deverá
apresentar em sala.

   Use a criatividade!

   Bons Argumentos!!!




                         Encantos e ilusões do namoro virtual

                                                                        JAIRO BOUER

       Esqueça o olho no olho ou as paixões à primeira vista. O futuro do sexo e do
amor pode estar na frente da tela de um computador ou de um celular. Hoje, boa parcela
dos jovens (não apenas eles) busca seu par pelos meios virtuais. E não são apenas os
tímidos. Os mais exibidos também usam a internet, muitas vezes de forma arriscada,
para iniciar contatos. As redes sociais são o ponto de encontro preferencial.

       Vasculhando o perfil de amigos e conhecidos, é possível localizar alguém que
desperte o interesse e, melhor, com algum tipo de referência (mesmo que mínima).
Galanteios virtuais e mensagens cifradas podem iniciar a paquera. Com aplicativos de


                                                                                    7
celulares, que usam ferramentas de localização e mapeiam quem está por perto, é
possível enxergar os alvos em potencial e iniciar a corte.

       O encontro pode ser às cegas. As salas de bate-papo dos principais provedores
de acesso e sites especializados estão lotadas. Ali o risco é maior, pela falta de
referências. É claro que, do total desconhecimento ao encontro real, pode haver algumas
etapas. Uma espiada numa rede social, a troca de fotos, o contato por câmera e uma
conversa por voz podem dar algumas pistas. Mas o efeito surpresa persiste.

       Um fator que alimenta as relações virtuais é a economia de tempo (cada vez
mais escasso na vida urbana). Tem gente que passa muito mais tempo na rede do que no
mundo real, um sintoma revelador de certa dificuldade de se relacionar com o outro. À
distância, pela internet, as pessoas parecem mais desinibidas para expressar emoções e
desejos que demorariam mais para aparecer em outras circunstâncias. Num mundo em
que a evasão da privacidade virou quase uma regra, exibir sentimentos e imagens pode
parecer uma conduta apropriada.

       Mas os namoros virtuais levantam várias questões. A primeira envolve a
fidelidade. Da mesma forma que as duas almas se encontraram no vasto espaço virtual,
será que amanhã não vão facilmente teclar em busca de outros contatos? Os
relacionamentos têm acabado quando um dos envolvidos encontra provas cabais de
atividades “extraoficiais” em e-mails, mensagens instantâneas ou recados em redes
sociais. Além disso, como avaliar as intenções da pessoa? São frequentes os relatos de
problemas (inclusive violência) nos encontros nascidos de contatos virtuais. E onde vão
parar fotos e vídeos que, no calor do momento, revelam muito mais do que seria
adequado? Como apagar da internet as memórias que podem atrapalhar e comprometer
o futuro afetivo e até profissional? Se a internet facilita tanto os encontros, também é
importante repensar esse grande espaço por onde hoje podemos levar nosso coração
para passear.




                                                                                      8
A Tecnologia e as Relações Humanas

                                                                      Nilva Michelon



       Nas últimas oito décadas, é possível perceber a aceleração avançada das
inúmeras tecnologias. Há algum tempo atrás, as pessoas utilizavam-se dos meios mais
íntimos de relacionar-se com familiares, pois tendo apenas o rádio e o correio como
meio de comunicação, davam-se ao prazer de visitar seus parentes mesmo em terras
mais distantes, proporcionando-se o prazer e a alegria do convívio familiar.

       Havia inúmeras pessoas que participavam das reuniões que duravam até uma
semana. Nesta época era costume usar como meio de diversão o encontro entre famílias,
vizinhos ou amigos distantes.

        Com o passar dos anos começam a surgir ínfimos meios de comunicação e com
eles tecnologias avançadas, que vieram proporcionar conforto e distanciamento entre as
pessoas. Muitas máquinas frias surgiram para substituir as relações humanas. Vejamos
por exemplo o carro: que instrumento espetacular, inventado a quatro rodas e que em
menos de 24 horas podemos estar em inúmeros lugares diferentes. Veja bem que este é
apenas um exemplo. Façamos uma análise de algumas destas tecnologias.

      A TV, diferentes tamanhos, formas, cores e na maneira preguiçosa de se divertir
o homem passa a substituir as festas, pelo programa fútil e sem cultura.

        O telefone e em seguida os milhares e cada vez mais sofisticados aparelhos
celulares, permitiram que as conversas pessoais do "olho no olho" fossem substituída
pelo sentido escutar, às vezes superficialmente, quando ao mesmo tempo em que se fala,
se ouve e se faz uma terceira atividade.

      A internet, que ferramenta fantástica, onde em tempo real podemos conversar
com pessoas do mundo todo, viajar por diferentes mares, porém nem sempre chegar a
um porto seguro. A carta que demorava meses para chegar foi substituída pelo email,
que enviado em segundos chega ao destino desejado. A pesquisa cyber é feita em
poucos minutos e os livros passaram a ser esquecidos nas prateleiras da biblioteca.

                                                                                    9
Se falássemos dos prós e contras da internet o tema jamais se esgotaria, pois ao
mesmo tempo que é uma ferramenta fantástica também é altamente prejudicial ao ser
humano. É através dela que os pedófilos invadem o lar de milhares de crianças e é
também através dela que a vida particular das pessoas fica exposta. É preciso, pois
cuidado redobrado, com crianças e adolescente, e não só, adultos também estão se
deixando levar pelas armadilhas tecnológicas.

       A crescente aceleração tecnológica contribui para o afastamento das relações
humanas. É a tv, o celular e a internet que substituem gradativamente o encontro entre
as pessoas. As relações esfriaram e há famílias que no próprio ambiente do lar, se
comunicam através do bate-papo ou do celular. Cada membro cria seu ciberespaço e
nele projeta um mundo irreal, onde a comunicação entre familiares, vizinhos e amigos
torna-se fria e distante.

       É preciso rever conceitos e resgatar valores, abrir a janela da alma e voltar a
apreciar as coisas belas que a vida oferece, como um passeio pelo parque, uma conversa
entre amigos, uma visita a um familiar distante. É preciso estar atento aos bons
momentos que perdemos ao fechar a porta do nosso quarto e conviver com a máquina.

     Convido você a buscar uma relação de afeto e de proximidade com o ser
humano. Nada substitui, e nada é tão importante e tão saudável como o toque, o calor
humano e o abraço.




                           Cá entre nós, dê a sua opinião:

1) Você usa ativamente as redes sociais?

2) Você coloca seus dados pessoais na internet, entre os quais: onde mora; trabalha ou
estuda?

3) Publica fotos e vídeos pessoais?

                                                                                    10
4) Você já respondeu, fez amizade ou conversou com estranhos pela internet?

5) O que você mais faz nas horas vagas?

6) Você já namorou pela internet? Acha isso seguro?

7) O que você mais faz na internet?

8) Você já deixou de conversar ou sair com amigos para estar na internet?

9) Na sua opinião é possível construir amizades ou relacionamentos verdadeiros pela
internet? Justifique.

10) Na sua opinião quais os pontos positivos e negativos do universo virtual?



                                Filme: A Rede Social




       Sinopse:

       O filme “A rede social” mostra a criação de um dos sites de relacionamento mais
populares da internet: o facebook. Foi uma ideia inovadora que surgiu na cabeça de um
jovem estudante da Universidade de Harvard, nos EUA, que não tinha noção do
fenômeno mundial que se tornaria seu feito.

       Em uma noite de outono em 2003, Marck Zuckerberg (Jesse Eisenberg), analista
de sistemas graduado em Harvard, se senta em frente a seu computador e começa a
trabalhar em uma nova ideia. Apenas 6 anos e 500 milhões de amigos mais tarde,
Zuckerberg se torna o mais jovem bilionário da história com o sucesso da rede social
facebook. O sucesso, no entanto, o leva a complicações em sua vida social e
profissional.

                                                                                   11
A Argumentação
        A argumentação é um recurso que tem como propósito convencer alguém, para
que esse tenha a opinião ou o comportamento alterado. Sempre que argumentamos,
temos o intuito de convencer alguém a pensar como nós.
       No momento da construção textual, os argumentos são essenciais, esses serão as
provas que apresentaremos, com o propósito de defender nossa ideia e convencer o
leitor de que essa é a correta.
       Há diferentes tipos de argumentos e a escolha certa consolida o texto.




                                  Argumentação por citação

       Sempre que queremos defender uma ideia, procuramos pessoas „consagradas‟,
que pensam como nós acerca do tema em evidência. Apresentamos no corpo de nosso
texto a menção de uma informação extraída de outra fonte.
       A citação pode ser apresentada assim:
       Assim parece ser porque, para Piaget, “toda moral consiste num sistema de
regras e a essência de toda moralidade deve ser procurada no respeito que o indivíduo
adquire por essas regras” (Piaget, 1994, p.11). A essência da moral é o respeito às
regras. A capacidade intelectual de compreender que a regra expressa uma racionalidade
em si mesma equilibrada.
       O trecho citado deve estar de acordo com as ideias do texto, assim, tal estratégia
poderá funcionar bem.


                                                                                      12
Argumentação por comprovação

       A sustentação da argumentação se dará a partir das informações apresentadas
(dados, estatísticas, percentuais) que a acompanham.
       Esse recurso é explorado quando o objetivo é contestar um ponto de vista
equivocado.
       Veja:
       O ministro da Educação, Cristovam Buarque, lança hoje o Mapa da Exclusão
Educacional. O estudo do Inep, feito a partir de dados do IBGE e do Censo Educacional
do Ministério da Educação, mostra o número de crianças de sete a catorze anos que
estão fora das escolas em cada estado. Segundo o mapa, no Brasil, 1,4 milhão de
crianças, ou 5,5 % da população nessa faixa etária (sete a catorze anos), para a qual o
ensino é obrigatório, não frequentam as salas de aula.
       O pior índice é do Amazonas: 16,8% das crianças do estado, ou 92,8 mil, estão
fora da escola. O melhor, o Distrito Federal, com apenas 2,3% (7 200) de crianças
excluídas, seguido por Rio Grande do Sul, com 2,7% (39 mil) e São Paulo, com 3,2%
(168,7 mil).

(Mônica Bergamo. Folha de S. Paulo, 3.12.2003)

      Nesse tipo de citação o autor precisa de dados que demonstrem sua tese.

                         Argumentação por raciocínio lógico

       A criação de relações de causa e efeito é um recurso utilizado para demonstrar
que uma conclusão (afirmada no texto) é necessária, e não fruto de uma interpretação
pessoal que pode ser contestada.
       Veja:
       “O fumo é o mais grave problema de saúde pública no Brasil. Assim como não
admitimos que os comerciantes de maconha, crack ou heroína façam propaganda para
os nossos filhos na TV, todas as formas de publicidade do cigarro deveriam ser
proibidas terminantemente. Para os desobedientes, cadeia.”

VARELLA, Drauzio. In: Folha de S. Paulo, 20 de maio de 2000.

                                                                                    13
Para a construção de um bom texto argumentativo faz-se necessário o
conhecimento sobre a questão proposta, fundamentação para que seja realizado com
sucesso.

                                       Esquema:

                                Tipos de Argumento

- Autoridade (quando o autor convoca alguém qualificado no assunto para falar em seu
texto);
-Baseado    no   consenso    (quando    o      autor   usa   algo   sabido   por   todos);
- Baseado em provas concretas (quando apresenta números, dados, depoimentos,
documentos para provar o exposto);
- Baseado em raciocínio lógico (o autor coloca, de forma intrincada, causa e
consequência no seu texto. Usa de dialética)
- Baseado na competência linguística (usa da etimologia para conceituar as palavras.
Isso dá autoridade para o autor e acaba com possíveis ambiguidades).




                             Estratégia Argumentativa

- Baseada no EMISSOR (uso comum em discursos eleitorais, suplicatórios e
didáticos. No geral usa-se o argumento de autoridade);
- Baseado no RECEPTOR (em discursos publicitários e de autoajuda. No geral usa-se
o argumento baseado em raciocínio lógico);
- Baseado no REFERENTE (exige um conhecimento de mundo prévio. No geral vem
com argumento baseado em consenso);
- Baseado na MENSAGEM (Convence pelo texto em si. Ex.: É proibido fumar);
- Baseado no CÓDIGO (Explora o jogo linguístico. Argumento baseado na
competência linguística);
- Baseado no CANAL (Usa o veículo de circulação da mensagem para convencer. Ex.:
Falou na TV. Argumento de autoridade).


                                                                                       14
“O importante da educação não é apenas formar um mercado de trabalho, mas
formar uma nação, com gente capaz de pensar”.

(José Arthur Giannotti)



“O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa
dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do
peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões
políticas.
O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia
a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o
menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista,
pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais”.

                                                                                  15
(Bertolt Brecht)




                              Referências:
HTTP/WWW. Portal do professor.com

HTTP://WWW.brasilescola.com/redacao/a-argumentacao.htm




                                                         16

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manual Twitter 6 Mb by @jasper
Manual Twitter 6 Mb by @jasperManual Twitter 6 Mb by @jasper
Manual Twitter 6 Mb by @jasperRenata Frota
 
o poder destrutivo das midias na familia cristã
o poder destrutivo das midias na familia cristão poder destrutivo das midias na familia cristã
o poder destrutivo das midias na familia cristãhenrique dressler
 
Artigo Científico - O uso da ferramenta de storytelling como estratégia de ma...
Artigo Científico - O uso da ferramenta de storytelling como estratégia de ma...Artigo Científico - O uso da ferramenta de storytelling como estratégia de ma...
Artigo Científico - O uso da ferramenta de storytelling como estratégia de ma...Pricilla Abrantes
 
10 coisas que aprendi sobre Redes Sociais - EDTED Brasília
10 coisas que aprendi sobre Redes Sociais - EDTED Brasília10 coisas que aprendi sobre Redes Sociais - EDTED Brasília
10 coisas que aprendi sobre Redes Sociais - EDTED BrasíliaRoberto Cassano
 
Oficina MetaSorocaba 23.10.2007
Oficina MetaSorocaba 23.10.2007Oficina MetaSorocaba 23.10.2007
Oficina MetaSorocaba 23.10.2007Hudson Augusto
 
E-Book Manual de Sobrevivência no Mundo Digital
E-Book Manual de Sobrevivência no Mundo DigitalE-Book Manual de Sobrevivência no Mundo Digital
E-Book Manual de Sobrevivência no Mundo DigitalInstituto Desenvolve T.I
 
Resumo sxsw 2014
Resumo sxsw 2014Resumo sxsw 2014
Resumo sxsw 2014iris_router
 
Storytelling - Como boas histórias podem falar pelas marcas
Storytelling - Como boas histórias podem falar pelas marcasStorytelling - Como boas histórias podem falar pelas marcas
Storytelling - Como boas histórias podem falar pelas marcasThamiris Pinzon
 
47 Mandamentos
47 Mandamentos47 Mandamentos
47 MandamentosGringo
 
AULA 02 - IdezMarketing - Segmentação e comportamento
AULA 02 - IdezMarketing - Segmentação e comportamento AULA 02 - IdezMarketing - Segmentação e comportamento
AULA 02 - IdezMarketing - Segmentação e comportamento Alexandre Bessa
 
Consumismo infantil
Consumismo infantilConsumismo infantil
Consumismo infantillealtran
 
Plataformas de Comunicação - Uma Visão Tecnológica
Plataformas de Comunicação - Uma Visão TecnológicaPlataformas de Comunicação - Uma Visão Tecnológica
Plataformas de Comunicação - Uma Visão TecnológicaOlival Paulino
 

Mais procurados (19)

Manual Twitter 6 Mb by @jasper
Manual Twitter 6 Mb by @jasperManual Twitter 6 Mb by @jasper
Manual Twitter 6 Mb by @jasper
 
o poder destrutivo das midias na familia cristã
o poder destrutivo das midias na familia cristão poder destrutivo das midias na familia cristã
o poder destrutivo das midias na familia cristã
 
Artigo Científico - O uso da ferramenta de storytelling como estratégia de ma...
Artigo Científico - O uso da ferramenta de storytelling como estratégia de ma...Artigo Científico - O uso da ferramenta de storytelling como estratégia de ma...
Artigo Científico - O uso da ferramenta de storytelling como estratégia de ma...
 
10 coisas que aprendi sobre Redes Sociais - EDTED Brasília
10 coisas que aprendi sobre Redes Sociais - EDTED Brasília10 coisas que aprendi sobre Redes Sociais - EDTED Brasília
10 coisas que aprendi sobre Redes Sociais - EDTED Brasília
 
Playbook o manual da conquista barney stinson
Playbook  o manual da conquista   barney stinsonPlaybook  o manual da conquista   barney stinson
Playbook o manual da conquista barney stinson
 
O excesso de informacao
O excesso de informacaoO excesso de informacao
O excesso de informacao
 
Oficina MetaSorocaba 23.10.2007
Oficina MetaSorocaba 23.10.2007Oficina MetaSorocaba 23.10.2007
Oficina MetaSorocaba 23.10.2007
 
Cartilha 2011
Cartilha 2011Cartilha 2011
Cartilha 2011
 
Manifesto Peopling
Manifesto PeoplingManifesto Peopling
Manifesto Peopling
 
E-Book Manual de Sobrevivência no Mundo Digital
E-Book Manual de Sobrevivência no Mundo DigitalE-Book Manual de Sobrevivência no Mundo Digital
E-Book Manual de Sobrevivência no Mundo Digital
 
Resumo sxsw 2014
Resumo sxsw 2014Resumo sxsw 2014
Resumo sxsw 2014
 
Storytelling - Como boas histórias podem falar pelas marcas
Storytelling - Como boas histórias podem falar pelas marcasStorytelling - Como boas histórias podem falar pelas marcas
Storytelling - Como boas histórias podem falar pelas marcas
 
47 Mandamentos
47 Mandamentos47 Mandamentos
47 Mandamentos
 
AULA 02 - IdezMarketing - Segmentação e comportamento
AULA 02 - IdezMarketing - Segmentação e comportamento AULA 02 - IdezMarketing - Segmentação e comportamento
AULA 02 - IdezMarketing - Segmentação e comportamento
 
Consumismo infantil
Consumismo infantilConsumismo infantil
Consumismo infantil
 
Consumismo inf
Consumismo infConsumismo inf
Consumismo inf
 
Plataformas de Comunicação - Uma Visão Tecnológica
Plataformas de Comunicação - Uma Visão TecnológicaPlataformas de Comunicação - Uma Visão Tecnológica
Plataformas de Comunicação - Uma Visão Tecnológica
 
Livro além do encantamento
Livro além do encantamentoLivro além do encantamento
Livro além do encantamento
 
Pega visão livro
Pega visão  livroPega visão  livro
Pega visão livro
 

Destaque

Destaque (20)

Portada1
Portada1Portada1
Portada1
 
As pontes do lerez
As pontes do lerezAs pontes do lerez
As pontes do lerez
 
Rubistart
RubistartRubistart
Rubistart
 
Apresentação fibromialgia
Apresentação fibromialgiaApresentação fibromialgia
Apresentação fibromialgia
 
Análisis de campaña
Análisis de campañaAnálisis de campaña
Análisis de campaña
 
el boston
el bostonel boston
el boston
 
Julio cesar ceron santillan
Julio cesar ceron santillanJulio cesar ceron santillan
Julio cesar ceron santillan
 
Trabajo practico n°3 quimica
Trabajo practico n°3 quimicaTrabajo practico n°3 quimica
Trabajo practico n°3 quimica
 
Iphone6 ab
Iphone6 abIphone6 ab
Iphone6 ab
 
Presentación rocas
Presentación rocasPresentación rocas
Presentación rocas
 
Plataformas de publicación noveno
Plataformas de publicación noveno Plataformas de publicación noveno
Plataformas de publicación noveno
 
la evolucion de los medios de comunicacion
la evolucion de los medios de comunicacionla evolucion de los medios de comunicacion
la evolucion de los medios de comunicacion
 
Entrevista unexpo
Entrevista unexpoEntrevista unexpo
Entrevista unexpo
 
1
11
1
 
美在山水間
美在山水間美在山水間
美在山水間
 
Practical procedures nr.30
Practical procedures nr.30Practical procedures nr.30
Practical procedures nr.30
 
Introduccion estado. actividad
Introduccion estado. actividadIntroduccion estado. actividad
Introduccion estado. actividad
 
UTILIZA PREZI (Pequeño Manual)
UTILIZA PREZI (Pequeño Manual)UTILIZA PREZI (Pequeño Manual)
UTILIZA PREZI (Pequeño Manual)
 
Presentation
PresentationPresentation
Presentation
 
Exercicio do gimp andre silvestre 2
Exercicio do gimp   andre silvestre 2Exercicio do gimp   andre silvestre 2
Exercicio do gimp andre silvestre 2
 

Semelhante a Nas Trilhas da Argumentação

Módulo a arte de argumentar (1)
Módulo a arte de argumentar (1)Módulo a arte de argumentar (1)
Módulo a arte de argumentar (1)Renally Arruda
 
Viraliza saparadaê! Caminhos para criar uma estratégia divulgação através das...
Viraliza saparadaê! Caminhos para criar uma estratégia divulgação através das...Viraliza saparadaê! Caminhos para criar uma estratégia divulgação através das...
Viraliza saparadaê! Caminhos para criar uma estratégia divulgação através das...Patrícia Moura
 
Palestra - Marketing Digital para Microempresas e Autônomos
Palestra - Marketing Digital para Microempresas e AutônomosPalestra - Marketing Digital para Microempresas e Autônomos
Palestra - Marketing Digital para Microempresas e AutônomosDiana Pádua
 
Os perigos das Redes Sociais na Vida do Jovem Cristão
Os perigos das Redes Sociais na Vida do Jovem CristãoOs perigos das Redes Sociais na Vida do Jovem Cristão
Os perigos das Redes Sociais na Vida do Jovem CristãoSamir Isac Dantas
 
Midiassociais samirpalestra-140505080105-phpapp01
Midiassociais samirpalestra-140505080105-phpapp01Midiassociais samirpalestra-140505080105-phpapp01
Midiassociais samirpalestra-140505080105-phpapp01Endrigo Mattos
 
Marketing para Instituições de Ensino
Marketing para Instituições de EnsinoMarketing para Instituições de Ensino
Marketing para Instituições de EnsinoNovos Conceitos
 
[Viver de blog] infográfico marketing viral
[Viver de blog] infográfico marketing viral[Viver de blog] infográfico marketing viral
[Viver de blog] infográfico marketing viralHenrique Carvalho
 
Midias Sociais - UNESP
Midias Sociais - UNESPMidias Sociais - UNESP
Midias Sociais - UNESPRafael Rez
 
Internet e Cidadania Digital
Internet e Cidadania DigitalInternet e Cidadania Digital
Internet e Cidadania DigitalPaula Peres
 
Identidade Digital
Identidade DigitalIdentidade Digital
Identidade DigitalPaula Peres
 
10 Mandamentos do Engajamento 2009 (PDF)
10 Mandamentos do Engajamento 2009 (PDF)10 Mandamentos do Engajamento 2009 (PDF)
10 Mandamentos do Engajamento 2009 (PDF)Fabiano Coura
 
Congresso GPRS | O que as marcas movem?
Congresso GPRS | O que as marcas movem?Congresso GPRS | O que as marcas movem?
Congresso GPRS | O que as marcas movem?Fernanda Snel
 
A importância do Design e da Comunicação em nosso dia-a-dia
A importância do Design e da Comunicação em nosso dia-a-diaA importância do Design e da Comunicação em nosso dia-a-dia
A importância do Design e da Comunicação em nosso dia-a-diabekasales
 

Semelhante a Nas Trilhas da Argumentação (20)

Módulo a arte de argumentar (1)
Módulo a arte de argumentar (1)Módulo a arte de argumentar (1)
Módulo a arte de argumentar (1)
 
Viraliza saparadaê! Caminhos para criar uma estratégia divulgação através das...
Viraliza saparadaê! Caminhos para criar uma estratégia divulgação através das...Viraliza saparadaê! Caminhos para criar uma estratégia divulgação através das...
Viraliza saparadaê! Caminhos para criar uma estratégia divulgação através das...
 
Palestra - Marketing Digital para Microempresas e Autônomos
Palestra - Marketing Digital para Microempresas e AutônomosPalestra - Marketing Digital para Microempresas e Autônomos
Palestra - Marketing Digital para Microempresas e Autônomos
 
Os perigos das Redes Sociais na Vida do Jovem Cristão
Os perigos das Redes Sociais na Vida do Jovem CristãoOs perigos das Redes Sociais na Vida do Jovem Cristão
Os perigos das Redes Sociais na Vida do Jovem Cristão
 
Midiassociais samirpalestra-140505080105-phpapp01
Midiassociais samirpalestra-140505080105-phpapp01Midiassociais samirpalestra-140505080105-phpapp01
Midiassociais samirpalestra-140505080105-phpapp01
 
Curso de Marketing de Guerrilha - Gustavo Hollatz
Curso de Marketing de Guerrilha - Gustavo HollatzCurso de Marketing de Guerrilha - Gustavo Hollatz
Curso de Marketing de Guerrilha - Gustavo Hollatz
 
Sociedade de consumo
Sociedade de consumoSociedade de consumo
Sociedade de consumo
 
Marketing para Instituições de Ensino
Marketing para Instituições de EnsinoMarketing para Instituições de Ensino
Marketing para Instituições de Ensino
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
[Viver de blog] infográfico marketing viral
[Viver de blog] infográfico marketing viral[Viver de blog] infográfico marketing viral
[Viver de blog] infográfico marketing viral
 
Midias Sociais - UNESP
Midias Sociais - UNESPMidias Sociais - UNESP
Midias Sociais - UNESP
 
Internet e Cidadania Digital
Internet e Cidadania DigitalInternet e Cidadania Digital
Internet e Cidadania Digital
 
Redes sociais
Redes sociaisRedes sociais
Redes sociais
 
Thinkfolio1
Thinkfolio1Thinkfolio1
Thinkfolio1
 
Palestra de Roberto Cassano no III Seminário de Empreendedorismo
Palestra de Roberto Cassano no III Seminário de EmpreendedorismoPalestra de Roberto Cassano no III Seminário de Empreendedorismo
Palestra de Roberto Cassano no III Seminário de Empreendedorismo
 
Identidade Digital
Identidade DigitalIdentidade Digital
Identidade Digital
 
10 Mandamentos do Engajamento 2009 (PDF)
10 Mandamentos do Engajamento 2009 (PDF)10 Mandamentos do Engajamento 2009 (PDF)
10 Mandamentos do Engajamento 2009 (PDF)
 
Congresso GPRS | O que as marcas movem?
Congresso GPRS | O que as marcas movem?Congresso GPRS | O que as marcas movem?
Congresso GPRS | O que as marcas movem?
 
A importância do Design e da Comunicação em nosso dia-a-dia
A importância do Design e da Comunicação em nosso dia-a-diaA importância do Design e da Comunicação em nosso dia-a-dia
A importância do Design e da Comunicação em nosso dia-a-dia
 
Storytelling
StorytellingStorytelling
Storytelling
 

Mais de Renally Arruda

Sequencia pibid 2015.2
Sequencia pibid 2015.2 Sequencia pibid 2015.2
Sequencia pibid 2015.2 Renally Arruda
 
Peça teatral representação da paraíba
Peça teatral representação da paraíbaPeça teatral representação da paraíba
Peça teatral representação da paraíbaRenally Arruda
 
Entrevistas a membros da comunidade quilombola grilo
Entrevistas a membros da comunidade quilombola griloEntrevistas a membros da comunidade quilombola grilo
Entrevistas a membros da comunidade quilombola griloRenally Arruda
 
Esquema para realização da entrevista
Esquema para realização da entrevistaEsquema para realização da entrevista
Esquema para realização da entrevistaRenally Arruda
 
Caderno de atividades.2015.2
Caderno de atividades.2015.2Caderno de atividades.2015.2
Caderno de atividades.2015.2Renally Arruda
 
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIAS
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIASQUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIAS
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIASRenally Arruda
 
Gênero memórias literárias
Gênero memórias literáriasGênero memórias literárias
Gênero memórias literáriasRenally Arruda
 
Análise das-perguntas versão final
Análise das-perguntas versão finalAnálise das-perguntas versão final
Análise das-perguntas versão finalRenally Arruda
 
O gênero textual entrevista
O gênero textual   entrevistaO gênero textual   entrevista
O gênero textual entrevistaRenally Arruda
 
Artigo de opinião dos alunos versão final
Artigo de opinião dos alunos versão finalArtigo de opinião dos alunos versão final
Artigo de opinião dos alunos versão finalRenally Arruda
 
Revisao produção pibid
Revisao produção pibidRevisao produção pibid
Revisao produção pibidRenally Arruda
 
Slide sobre coerencia pibid
Slide sobre coerencia pibidSlide sobre coerencia pibid
Slide sobre coerencia pibidRenally Arruda
 
Slide sobre coerência pibid
Slide sobre coerência pibidSlide sobre coerência pibid
Slide sobre coerência pibidRenally Arruda
 

Mais de Renally Arruda (20)

Módulo 2015.2
Módulo 2015.2 Módulo 2015.2
Módulo 2015.2
 
Sequencia pibid 2015.2
Sequencia pibid 2015.2 Sequencia pibid 2015.2
Sequencia pibid 2015.2
 
Memórias literárias
Memórias literáriasMemórias literárias
Memórias literárias
 
Peça teatral representação da paraíba
Peça teatral representação da paraíbaPeça teatral representação da paraíba
Peça teatral representação da paraíba
 
Entrevistas a membros da comunidade quilombola grilo
Entrevistas a membros da comunidade quilombola griloEntrevistas a membros da comunidade quilombola grilo
Entrevistas a membros da comunidade quilombola grilo
 
Esquema para realização da entrevista
Esquema para realização da entrevistaEsquema para realização da entrevista
Esquema para realização da entrevista
 
Caderno de atividades.2015.2
Caderno de atividades.2015.2Caderno de atividades.2015.2
Caderno de atividades.2015.2
 
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIAS
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIASQUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIAS
QUIZ MEMÓRIAS LITERÁRIAS
 
Vamos ler
Vamos lerVamos ler
Vamos ler
 
Textualização
TextualizaçãoTextualização
Textualização
 
Slides maquetes
Slides maquetesSlides maquetes
Slides maquetes
 
Gênero memórias literárias
Gênero memórias literáriasGênero memórias literárias
Gênero memórias literárias
 
Análise das-perguntas versão final
Análise das-perguntas versão finalAnálise das-perguntas versão final
Análise das-perguntas versão final
 
O gênero textual entrevista
O gênero textual   entrevistaO gênero textual   entrevista
O gênero textual entrevista
 
Artigo de opinião dos alunos versão final
Artigo de opinião dos alunos versão finalArtigo de opinião dos alunos versão final
Artigo de opinião dos alunos versão final
 
Revisao produção pibid
Revisao produção pibidRevisao produção pibid
Revisao produção pibid
 
Slide sobre coerencia pibid
Slide sobre coerencia pibidSlide sobre coerencia pibid
Slide sobre coerencia pibid
 
O jogo da vida
O jogo da vidaO jogo da vida
O jogo da vida
 
Quem sabe mais
Quem sabe maisQuem sabe mais
Quem sabe mais
 
Slide sobre coerência pibid
Slide sobre coerência pibidSlide sobre coerência pibid
Slide sobre coerência pibid
 

Nas Trilhas da Argumentação

  • 1. 1
  • 2. Universidade Estadual da Paraíba- UEPB Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência- PIBID Subprojeto Letras- Língua Portuguesa Escola de Atuação: E.E.E.F.M. Monte Carmelo Coordenadora de Área: Magliana Rodrigues da Silva Supervisora: Zuila Kelly da Costa Couto Fernandes de Araújo Alunas bolsistas: Alanne de Paula Luciana Vieira Alves Marciana da Silva Milânez Renally Arruda Projeto: Nas Trilhas da Língua Portuguesa: O texto em foco 2
  • 3. Apenas Argumente Em dupla produzam um diálogo com situações em que vocês desenvolvam a argumentação, como: Entrevista de Emprego; Pedir para o patrão um aumento de salário; Convencer os pais a deixar sair para algum lugar; Convencer alguém a namorar você; Convencer os eleitores a votarem em você; Pedir ao professor que adiante uma aula; Convencer o professor a prolongar o prazo de entrega de um trabalho. Angústia grátis Mayra Dias Gomes Uma garota precisa ser incrivelmente magra para caber naquele vestido da nova coleção da Triton. Precisa ser incrivelmente magra para estar aos pés das celebridades 3
  • 4. bem-sucedidas do momento. Mesmo que sejam celebridades famosas justamente por não fazerem nada. Celebridades que representam a imagem da mulher e do homem glamourosos do século 21. Aqueles que estão por dentro das tendências que mudam de forma e de cor segundo as estações. O boom da tecnologia no final dos anos 1990 não fez somente com que a informação pertencesse a todos, mas também com que houvesse informações demais, rápido demais. As pessoas se acostumaram com as soluções instantâneas e se tornaram mais imediatistas e incapazes de lidar com as frustrações. Passaram a se sentir mais insatisfeitas. Seja com os relacionamentos amorosos, seja com a autoestima, seja com as peças no armário. Isso certamente as tornou mais receptivas ao sistema ditatorial imposto pelas indústrias de moda e de estética. Sistema que promove suprimentos de angústia que não realizam suas promessas. Para as insatisfações físicas, há sempre a cirurgia plástica. Para ter os seios da Scarlett Johansson, a barriga da Gisele Bündchen ou o nariz e a boca da Angelina Jolie. Mesmo possuindo belos corpos, muitos se submetem à faca para se igualarem a padrões estabelecidos em revistas ou na TV. Preferem reclamar ou se mutilar a se exercitar, pois sabem que o resultado virá com mais rapidez. Não há como lidar com o longo prazo. Dia após dia, convivemos com a ideia de que certas compras são verdadeiros investimentos e, ao realizá-las, tornaremo-nos seres humanos mais completos. Deixamos nos enganar pelas abordagens inteligentes que mexem com nossas inseguranças. Caímos de boca no anzol e nos sentimos cada vez menos felizes. Por não termos aquela quantidade de dinheiro, aquele corpo invejável, aquela fama toda. Não que isso seja necessário para o ser humano. É somente imposto pela sociedade moderna. Segundo o filósofo alemão Schopenhauer, o prazer nada mais é do que o momento fugaz de ausência de dor. Não há satisfação durável. É desse princípio 4
  • 5. pessimista que se alimenta a indústria do consumo. O que importa não é encher uma casa de bens, mas jogá-los fora quando deixarem de trazer emoções novinhas em folha. A mesma ideia pode ser ilustrada com um Shopping Center, criado para proporcionar sensações excitantes que existem somente durante a estadia do comprador no estabelecimento. Mesmo quando o consumidor adquire um celular que servirá para conectá-lo em movimento, está fazendo uma compra datada. O aparelho logo sairá de linha e será trocado por outro com a mesma utilidade e algumas funcionalidades banais a mais. Só o visual será diferente. É a obsolescência planejada, ou, em outras palavras, tática de marketing. É preciso fazer com que os renegados da sociedade de consumo sintam-se como fracassados. Só assim permanecerão sensíveis o suficiente para acreditar em tantas falsas promessas. Sociedade de consumo - vantagens e desvantagens Jonathas Nunes dos Santos A sociedade humana tem se caracterizado pelo consumismo. É interessante como os meios de comunicação de massa conseguem manipular as pessoas, numa forma de lavagem cerebral, fazendo com que um produto chame atenção do consumidor mais sem deixá-lo pensar nem ter muitas informações adicionais, pois, caso contrário, o 5
  • 6. consumidor acaba desistindo de comprar. É por isso que somos influenciados a comprar e consumir tudo o que é proposto pela mídia, para que deste modo sejamos aceitos pela sociedade. Não queremos dizer com isso que o ato de consumir e comprar seja de todo ruim. Pelo contrário. Tanto é verdade que nos beneficiamos muito do avanço tecnológico que cada vez é mais presente e marcante em nosso mundo globalizado. VANTAGENS Dentre os muitos benefícios, destacamos a facilidade de efetuarmos uma compra online, computadores que usamos para fazer inúmeros trabalhos, meios de transporte cada vez mais seguros e eficientes que conseguem transportar milhares de pessoas, rapidez nas informações, bate papo online, celulares que nos possibilitam acessar sites, verificar e-mail, conversar com outras pessoas via MSN, e em caso de calamidade, podem ser usados para localizar pessoas e fazer chamada de emergência. DESVANTAGENS Geralmente as desvantagens passam despercebidas pela maioria das pessoas. Por exemplo: uma pessoa talvez compre um celular com a nítida intenção de que este aparelho satisfaça a sua necessidade básica ( talvez usando-o apenas para se comunicar com alguém, jogar, ouvir uma música ), mas os meios de comunicação de massa conseguem induzir essa pessoa a se desfazer de seu celular novinho e comprar outro aparelho de última geração, com inúmeros recursos tecnológicos, mesmo que não haja uma necessidade absoluta. Outra desvantagem é que os produtos de última geração, por serem novidade no mercado, são cada vez mais caros, e muitos consumidores, na ânsia desenfreada de obtê-los, acabam se endividando e sofrendo amargas consequências. Portanto, pensando nas vantagens e desvantagens de consumirmos os produtos que são ventilados pelos meios de comunicação de massa, é sempre bom usarmos de bom senso e nunca nos deixarmos levar pela sedução dos olhos, o que impedirá que compremos o que está além do nosso poder aquisitivo comprar. Isso com certeza evitará que tenhamos muita dor de cabeça no futuro. 6
  • 7. Desafio da argumentação! Desenvolvendo a argumentação: Dividir a turma em três equipes e distribuir um objeto (Palito de fósforo queimado, Saquinho de leite vazio, Um dente de leite encontrado no jardim de Elvis Presley) para cada grupo com a finalidade de que cada um produza uma propaganda utilizando argumentos que convençam seus colegas a comprarem determinado produto. Após a produção das propagandas cada grupo deverá apresentar em sala. Use a criatividade! Bons Argumentos!!! Encantos e ilusões do namoro virtual JAIRO BOUER Esqueça o olho no olho ou as paixões à primeira vista. O futuro do sexo e do amor pode estar na frente da tela de um computador ou de um celular. Hoje, boa parcela dos jovens (não apenas eles) busca seu par pelos meios virtuais. E não são apenas os tímidos. Os mais exibidos também usam a internet, muitas vezes de forma arriscada, para iniciar contatos. As redes sociais são o ponto de encontro preferencial. Vasculhando o perfil de amigos e conhecidos, é possível localizar alguém que desperte o interesse e, melhor, com algum tipo de referência (mesmo que mínima). Galanteios virtuais e mensagens cifradas podem iniciar a paquera. Com aplicativos de 7
  • 8. celulares, que usam ferramentas de localização e mapeiam quem está por perto, é possível enxergar os alvos em potencial e iniciar a corte. O encontro pode ser às cegas. As salas de bate-papo dos principais provedores de acesso e sites especializados estão lotadas. Ali o risco é maior, pela falta de referências. É claro que, do total desconhecimento ao encontro real, pode haver algumas etapas. Uma espiada numa rede social, a troca de fotos, o contato por câmera e uma conversa por voz podem dar algumas pistas. Mas o efeito surpresa persiste. Um fator que alimenta as relações virtuais é a economia de tempo (cada vez mais escasso na vida urbana). Tem gente que passa muito mais tempo na rede do que no mundo real, um sintoma revelador de certa dificuldade de se relacionar com o outro. À distância, pela internet, as pessoas parecem mais desinibidas para expressar emoções e desejos que demorariam mais para aparecer em outras circunstâncias. Num mundo em que a evasão da privacidade virou quase uma regra, exibir sentimentos e imagens pode parecer uma conduta apropriada. Mas os namoros virtuais levantam várias questões. A primeira envolve a fidelidade. Da mesma forma que as duas almas se encontraram no vasto espaço virtual, será que amanhã não vão facilmente teclar em busca de outros contatos? Os relacionamentos têm acabado quando um dos envolvidos encontra provas cabais de atividades “extraoficiais” em e-mails, mensagens instantâneas ou recados em redes sociais. Além disso, como avaliar as intenções da pessoa? São frequentes os relatos de problemas (inclusive violência) nos encontros nascidos de contatos virtuais. E onde vão parar fotos e vídeos que, no calor do momento, revelam muito mais do que seria adequado? Como apagar da internet as memórias que podem atrapalhar e comprometer o futuro afetivo e até profissional? Se a internet facilita tanto os encontros, também é importante repensar esse grande espaço por onde hoje podemos levar nosso coração para passear. 8
  • 9. A Tecnologia e as Relações Humanas Nilva Michelon Nas últimas oito décadas, é possível perceber a aceleração avançada das inúmeras tecnologias. Há algum tempo atrás, as pessoas utilizavam-se dos meios mais íntimos de relacionar-se com familiares, pois tendo apenas o rádio e o correio como meio de comunicação, davam-se ao prazer de visitar seus parentes mesmo em terras mais distantes, proporcionando-se o prazer e a alegria do convívio familiar. Havia inúmeras pessoas que participavam das reuniões que duravam até uma semana. Nesta época era costume usar como meio de diversão o encontro entre famílias, vizinhos ou amigos distantes. Com o passar dos anos começam a surgir ínfimos meios de comunicação e com eles tecnologias avançadas, que vieram proporcionar conforto e distanciamento entre as pessoas. Muitas máquinas frias surgiram para substituir as relações humanas. Vejamos por exemplo o carro: que instrumento espetacular, inventado a quatro rodas e que em menos de 24 horas podemos estar em inúmeros lugares diferentes. Veja bem que este é apenas um exemplo. Façamos uma análise de algumas destas tecnologias. A TV, diferentes tamanhos, formas, cores e na maneira preguiçosa de se divertir o homem passa a substituir as festas, pelo programa fútil e sem cultura. O telefone e em seguida os milhares e cada vez mais sofisticados aparelhos celulares, permitiram que as conversas pessoais do "olho no olho" fossem substituída pelo sentido escutar, às vezes superficialmente, quando ao mesmo tempo em que se fala, se ouve e se faz uma terceira atividade. A internet, que ferramenta fantástica, onde em tempo real podemos conversar com pessoas do mundo todo, viajar por diferentes mares, porém nem sempre chegar a um porto seguro. A carta que demorava meses para chegar foi substituída pelo email, que enviado em segundos chega ao destino desejado. A pesquisa cyber é feita em poucos minutos e os livros passaram a ser esquecidos nas prateleiras da biblioteca. 9
  • 10. Se falássemos dos prós e contras da internet o tema jamais se esgotaria, pois ao mesmo tempo que é uma ferramenta fantástica também é altamente prejudicial ao ser humano. É através dela que os pedófilos invadem o lar de milhares de crianças e é também através dela que a vida particular das pessoas fica exposta. É preciso, pois cuidado redobrado, com crianças e adolescente, e não só, adultos também estão se deixando levar pelas armadilhas tecnológicas. A crescente aceleração tecnológica contribui para o afastamento das relações humanas. É a tv, o celular e a internet que substituem gradativamente o encontro entre as pessoas. As relações esfriaram e há famílias que no próprio ambiente do lar, se comunicam através do bate-papo ou do celular. Cada membro cria seu ciberespaço e nele projeta um mundo irreal, onde a comunicação entre familiares, vizinhos e amigos torna-se fria e distante. É preciso rever conceitos e resgatar valores, abrir a janela da alma e voltar a apreciar as coisas belas que a vida oferece, como um passeio pelo parque, uma conversa entre amigos, uma visita a um familiar distante. É preciso estar atento aos bons momentos que perdemos ao fechar a porta do nosso quarto e conviver com a máquina. Convido você a buscar uma relação de afeto e de proximidade com o ser humano. Nada substitui, e nada é tão importante e tão saudável como o toque, o calor humano e o abraço. Cá entre nós, dê a sua opinião: 1) Você usa ativamente as redes sociais? 2) Você coloca seus dados pessoais na internet, entre os quais: onde mora; trabalha ou estuda? 3) Publica fotos e vídeos pessoais? 10
  • 11. 4) Você já respondeu, fez amizade ou conversou com estranhos pela internet? 5) O que você mais faz nas horas vagas? 6) Você já namorou pela internet? Acha isso seguro? 7) O que você mais faz na internet? 8) Você já deixou de conversar ou sair com amigos para estar na internet? 9) Na sua opinião é possível construir amizades ou relacionamentos verdadeiros pela internet? Justifique. 10) Na sua opinião quais os pontos positivos e negativos do universo virtual? Filme: A Rede Social Sinopse: O filme “A rede social” mostra a criação de um dos sites de relacionamento mais populares da internet: o facebook. Foi uma ideia inovadora que surgiu na cabeça de um jovem estudante da Universidade de Harvard, nos EUA, que não tinha noção do fenômeno mundial que se tornaria seu feito. Em uma noite de outono em 2003, Marck Zuckerberg (Jesse Eisenberg), analista de sistemas graduado em Harvard, se senta em frente a seu computador e começa a trabalhar em uma nova ideia. Apenas 6 anos e 500 milhões de amigos mais tarde, Zuckerberg se torna o mais jovem bilionário da história com o sucesso da rede social facebook. O sucesso, no entanto, o leva a complicações em sua vida social e profissional. 11
  • 12. A Argumentação A argumentação é um recurso que tem como propósito convencer alguém, para que esse tenha a opinião ou o comportamento alterado. Sempre que argumentamos, temos o intuito de convencer alguém a pensar como nós. No momento da construção textual, os argumentos são essenciais, esses serão as provas que apresentaremos, com o propósito de defender nossa ideia e convencer o leitor de que essa é a correta. Há diferentes tipos de argumentos e a escolha certa consolida o texto. Argumentação por citação Sempre que queremos defender uma ideia, procuramos pessoas „consagradas‟, que pensam como nós acerca do tema em evidência. Apresentamos no corpo de nosso texto a menção de uma informação extraída de outra fonte. A citação pode ser apresentada assim: Assim parece ser porque, para Piaget, “toda moral consiste num sistema de regras e a essência de toda moralidade deve ser procurada no respeito que o indivíduo adquire por essas regras” (Piaget, 1994, p.11). A essência da moral é o respeito às regras. A capacidade intelectual de compreender que a regra expressa uma racionalidade em si mesma equilibrada. O trecho citado deve estar de acordo com as ideias do texto, assim, tal estratégia poderá funcionar bem. 12
  • 13. Argumentação por comprovação A sustentação da argumentação se dará a partir das informações apresentadas (dados, estatísticas, percentuais) que a acompanham. Esse recurso é explorado quando o objetivo é contestar um ponto de vista equivocado. Veja: O ministro da Educação, Cristovam Buarque, lança hoje o Mapa da Exclusão Educacional. O estudo do Inep, feito a partir de dados do IBGE e do Censo Educacional do Ministério da Educação, mostra o número de crianças de sete a catorze anos que estão fora das escolas em cada estado. Segundo o mapa, no Brasil, 1,4 milhão de crianças, ou 5,5 % da população nessa faixa etária (sete a catorze anos), para a qual o ensino é obrigatório, não frequentam as salas de aula. O pior índice é do Amazonas: 16,8% das crianças do estado, ou 92,8 mil, estão fora da escola. O melhor, o Distrito Federal, com apenas 2,3% (7 200) de crianças excluídas, seguido por Rio Grande do Sul, com 2,7% (39 mil) e São Paulo, com 3,2% (168,7 mil). (Mônica Bergamo. Folha de S. Paulo, 3.12.2003) Nesse tipo de citação o autor precisa de dados que demonstrem sua tese. Argumentação por raciocínio lógico A criação de relações de causa e efeito é um recurso utilizado para demonstrar que uma conclusão (afirmada no texto) é necessária, e não fruto de uma interpretação pessoal que pode ser contestada. Veja: “O fumo é o mais grave problema de saúde pública no Brasil. Assim como não admitimos que os comerciantes de maconha, crack ou heroína façam propaganda para os nossos filhos na TV, todas as formas de publicidade do cigarro deveriam ser proibidas terminantemente. Para os desobedientes, cadeia.” VARELLA, Drauzio. In: Folha de S. Paulo, 20 de maio de 2000. 13
  • 14. Para a construção de um bom texto argumentativo faz-se necessário o conhecimento sobre a questão proposta, fundamentação para que seja realizado com sucesso. Esquema: Tipos de Argumento - Autoridade (quando o autor convoca alguém qualificado no assunto para falar em seu texto); -Baseado no consenso (quando o autor usa algo sabido por todos); - Baseado em provas concretas (quando apresenta números, dados, depoimentos, documentos para provar o exposto); - Baseado em raciocínio lógico (o autor coloca, de forma intrincada, causa e consequência no seu texto. Usa de dialética) - Baseado na competência linguística (usa da etimologia para conceituar as palavras. Isso dá autoridade para o autor e acaba com possíveis ambiguidades). Estratégia Argumentativa - Baseada no EMISSOR (uso comum em discursos eleitorais, suplicatórios e didáticos. No geral usa-se o argumento de autoridade); - Baseado no RECEPTOR (em discursos publicitários e de autoajuda. No geral usa-se o argumento baseado em raciocínio lógico); - Baseado no REFERENTE (exige um conhecimento de mundo prévio. No geral vem com argumento baseado em consenso); - Baseado na MENSAGEM (Convence pelo texto em si. Ex.: É proibido fumar); - Baseado no CÓDIGO (Explora o jogo linguístico. Argumento baseado na competência linguística); - Baseado no CANAL (Usa o veículo de circulação da mensagem para convencer. Ex.: Falou na TV. Argumento de autoridade). 14
  • 15. “O importante da educação não é apenas formar um mercado de trabalho, mas formar uma nação, com gente capaz de pensar”. (José Arthur Giannotti) “O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais”. 15
  • 16. (Bertolt Brecht) Referências: HTTP/WWW. Portal do professor.com HTTP://WWW.brasilescola.com/redacao/a-argumentacao.htm 16