SlideShare uma empresa Scribd logo

Sida

1 de 11
Baixar para ler offline
SIDA



Escola Eugénio de Castro, Maio 2012

                  Alexandre Palaio, nº 2

                  Francisco Carvalho, nº 7

                  João Craveiro, nº 11
Índice




Introdução                 3



Desenvolvimento            4



Conclusão                  10



Bibliografia               11




                                2
Introdução




No âmbito da disciplina de Ciências da Natureza, vamos fazer um trabalho relacionado
com a SIDA, a pedido da nossa professora, Helena Alves.

No nosso trabalho vamos falar destes pontos:

   • O que é a SIDA?
   • Qual a sua relação com o nosso sistema de defesa?
   • Como se transmite o vírus da SIDA?
   • Como se transmite a SIDA durante a gravidez?
   • Qual a relação da SIDA com a toxicodependência?
   • Quais são os sintomas da SIDA?
   • Que cuidados se deve ter para não contrair esta doença?




                                                                                       3
O que é a SIDA e qual a sua relação com o nosso sistema de
defesa?


A SIDA/AIDS (síndroma da imunodeficiência adquirida) é uma doença contagiosa,
grave, quase sempre fatal para a qual não existe cura ou vacina. É causada pelo VIH
(vírus da imunodeficiência humana), que ataca o sistema de defesa imunitário do corpo
humano.

Esta condição reduz progressivamente a eficácia do sistema imunológico e deixa as
pessoas aptas a infecções oportunistas e tumores.

O Vírus de Imunodeficiência Humano (VIH) é um vírus bastante poderoso que, quando
entra no organismo, se dirige ao sistema sanguíneo, onde começa de imediato a
replicar-se, atacando o sistema imunológico, destruindo as células defensoras do
organismo e deixando a pessoa infetada, mais debilitada e sensível a outras doenças, as
chamadas infecções oportunistas que são provocadas por micróbios e que não afectam
as pessoas cujo sistema imunológico funciona convenientemente. Também podem surgir
alguns tipos de tumores (cancros).

Contrair a infeção por VIH não significa ter SIDA. Ser portador do VIH, indica que o
indivíduo está contaminado com o vírus e por isso pode transmitir esta infeção, caso
não tenha os devidos cuidados. Ter SIDA por sua vez significa, para além de estar
infetado com o VIH, apresenta já uma depressão grave do sistema imunitário e um
conjunto de sintomas compatíveis com infeção por microrganismos oportunistas.




                                                                                          4
Como se transmite o vírus da SIDA?


O vírus VIH transmite-se de pessoa para pessoa através de três vias principais:

   • Sexual: O contacto com o esperma e secreção vaginal (líquidos que estão
      presentes no corpo do homem e da mulher no momento do ato sexual)
      contaminados, em práticas sexuais com penetração sem o uso de preservativo;
   • Parentérica: contacto com sangue contaminado, seja através de transfusões,
      seja através da partilha de agulhas e seringas, principalmente entre utilizadores
      de drogas injectáveis (IVDU). Também materiais de acupuntura, tatuagens e
      outros objetos perfurantes e cortantes podem apresentar perigo.
   • Vertical: da mãe para o filho durante a gestação, parto e aleitamento, se a mãe
      estiver contaminada.




E na gravidez?


Se a mãe estiver infetada pode transmitir a infecção ao bebé durante a gravidez,
através do seu próprio sangue ou durante o parto, através do sangue ou secreções
vaginais. Há ainda o risco de contágio durante o período de aleitamento. Sempre que
haja alternativas à amamentação, esta deve ser evitada.

Da saúde da futura mãe dependerá a saúde da criança. Assim, é muito importante que,
antes e durante a gravidez, a mulher seja acompanhada regularmente pelo seu médico
assistente. Quando a mãe é seropositiva, as terapêuticas anti retrovíricas, ministradas
durante a gravidez, permitem a redução do risco do seu bebé nascer infetado.




Qual a relação da sida com a toxicodependência?


A toxicodependência é a situação de maior peso na transmissão do VIH em Portugal.
Esta e a SIDA são uma combinação explosiva, não só pela inoculação do VIH por
equipamento infectado, mas também pelo aumento dos comportamentos sexuais de


                                                                                          5
risco nos toxicodependentes. É um facto que os utilizadores de drogas intravenosas
têm relações sexuais não protegidas com vários parceiros/as, têm baixa aderência aos
tratamentos e que as mulheres infectadas por via sexual ou intravenosa, transmitem o
VIH horizontal e verticalmente.

As alterações de comportamento associadas ao alcoolismo e à utilização de substâncias
ilícitas facilitam comportamentos de risco, entre eles relações sexuais não protegidas
com preservativo, relações com múltiplos parceiras/os, bem como a troca de seringas e
agulhas e demais material usado pelos utilizadores de drogas intravenosas.


É bem conhecido também, que o consumo de muitas das drogas ilícitas resulta na
diminuição das defesas imunitárias e das regras de higiene, aumentando o risco de
comportamentos marginais, criminalidade e prisão.




                                                                                         6

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

4 hiv sida
4 hiv sida4 hiv sida
4 hiv sida
 
Sida
SidaSida
Sida
 
Sida
SidaSida
Sida
 
Slides aids
Slides aidsSlides aids
Slides aids
 
A Sida
A SidaA Sida
A Sida
 
A sida
A sidaA sida
A sida
 
Apresentação sida
Apresentação sida  Apresentação sida
Apresentação sida
 
Hiv,sida
Hiv,sidaHiv,sida
Hiv,sida
 
Sida pp
Sida ppSida pp
Sida pp
 
aids
 aids aids
aids
 
Impacto da discriminaçao e preconceito no tratamento e recuperaçao dos portad...
Impacto da discriminaçao e preconceito no tratamento e recuperaçao dos portad...Impacto da discriminaçao e preconceito no tratamento e recuperaçao dos portad...
Impacto da discriminaçao e preconceito no tratamento e recuperaçao dos portad...
 
Aids e a bioética
Aids e a bioéticaAids e a bioética
Aids e a bioética
 
AIDS
AIDSAIDS
AIDS
 
Projeto AIDS - João Victor
Projeto AIDS - João VictorProjeto AIDS - João Victor
Projeto AIDS - João Victor
 
VIH sida
VIH sidaVIH sida
VIH sida
 
SIDA
SIDASIDA
SIDA
 
Herpes vírus e vírus hiv
Herpes vírus e vírus hivHerpes vírus e vírus hiv
Herpes vírus e vírus hiv
 
Hiv sida
Hiv sidaHiv sida
Hiv sida
 
HIV"Sida"
HIV"Sida"HIV"Sida"
HIV"Sida"
 
HIV vs. AIDS
HIV vs. AIDSHIV vs. AIDS
HIV vs. AIDS
 

Semelhante a Sida (20)

Power Point Sobre A Sida 1
Power Point Sobre A Sida 1Power Point Sobre A Sida 1
Power Point Sobre A Sida 1
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Sida nascimento
Sida nascimentoSida nascimento
Sida nascimento
 
HISTÓRIA DA MEDICINA HIV PORTUGUES ret.pdf
HISTÓRIA DA MEDICINA HIV PORTUGUES ret.pdfHISTÓRIA DA MEDICINA HIV PORTUGUES ret.pdf
HISTÓRIA DA MEDICINA HIV PORTUGUES ret.pdf
 
sida
sidasida
sida
 
Texto de imuno iii
Texto de imuno iiiTexto de imuno iii
Texto de imuno iii
 
Gravidez e VIH / SIDA
Gravidez e  VIH / SIDAGravidez e  VIH / SIDA
Gravidez e VIH / SIDA
 
Eduarda
EduardaEduarda
Eduarda
 
Dia mundial da luta contra a sida
Dia mundial da luta contra a sidaDia mundial da luta contra a sida
Dia mundial da luta contra a sida
 
A SIDA
A SIDAA SIDA
A SIDA
 
Dia mundial da luta contra a sida
Dia mundial da luta contra a sidaDia mundial da luta contra a sida
Dia mundial da luta contra a sida
 
Dia mundial da luta contra a sida
Dia mundial da luta contra a sidaDia mundial da luta contra a sida
Dia mundial da luta contra a sida
 
Sida - Trabalho Ciências
Sida - Trabalho CiênciasSida - Trabalho Ciências
Sida - Trabalho Ciências
 
A Sexualidade G4
A Sexualidade   G4A Sexualidade   G4
A Sexualidade G4
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Ist's e aids
Ist's e aidsIst's e aids
Ist's e aids
 
Aids 1 E
Aids 1 EAids 1 E
Aids 1 E
 
Aids ane (2)
Aids ane (2)Aids ane (2)
Aids ane (2)
 
Sida final
Sida finalSida final
Sida final
 
www.medicinauninter.blogspot.com
www.medicinauninter.blogspot.comwww.medicinauninter.blogspot.com
www.medicinauninter.blogspot.com
 

Mais de 5feugeniocastro (18)

Reprodução humana e crescimento ppt
Reprodução humana e crescimento pptReprodução humana e crescimento ppt
Reprodução humana e crescimento ppt
 
O sistema reprodutor
O sistema reprodutorO sistema reprodutor
O sistema reprodutor
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Alcoolismo a bea
Alcoolismo a beaAlcoolismo a bea
Alcoolismo a bea
 
A saúde da grávida
A saúde da grávidaA saúde da grávida
A saúde da grávida
 
Trabalho drogas
Trabalho drogasTrabalho drogas
Trabalho drogas
 
Gráficos sobre o alcoolismo
Gráficos sobre o alcoolismoGráficos sobre o alcoolismo
Gráficos sobre o alcoolismo
 
Obesidade final
Obesidade finalObesidade final
Obesidade final
 
Filipa
FilipaFilipa
Filipa
 
Desenvolvimento da sexualidade
Desenvolvimento da sexualidadeDesenvolvimento da sexualidade
Desenvolvimento da sexualidade
 
Ciencias da natureza
Ciencias da naturezaCiencias da natureza
Ciencias da natureza
 
Beatriz
BeatrizBeatriz
Beatriz
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Alcoolismo trabalho 2
Alcoolismo trabalho 2Alcoolismo trabalho 2
Alcoolismo trabalho 2
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
Louis pasteur
Louis pasteurLouis pasteur
Louis pasteur
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
A matemática 5º f miguel g. (1)
A matemática 5º f miguel g. (1)A matemática 5º f miguel g. (1)
A matemática 5º f miguel g. (1)
 

Sida

  • 1. SIDA Escola Eugénio de Castro, Maio 2012 Alexandre Palaio, nº 2 Francisco Carvalho, nº 7 João Craveiro, nº 11
  • 2. Índice Introdução 3 Desenvolvimento 4 Conclusão 10 Bibliografia 11 2
  • 3. Introdução No âmbito da disciplina de Ciências da Natureza, vamos fazer um trabalho relacionado com a SIDA, a pedido da nossa professora, Helena Alves. No nosso trabalho vamos falar destes pontos: • O que é a SIDA? • Qual a sua relação com o nosso sistema de defesa? • Como se transmite o vírus da SIDA? • Como se transmite a SIDA durante a gravidez? • Qual a relação da SIDA com a toxicodependência? • Quais são os sintomas da SIDA? • Que cuidados se deve ter para não contrair esta doença? 3
  • 4. O que é a SIDA e qual a sua relação com o nosso sistema de defesa? A SIDA/AIDS (síndroma da imunodeficiência adquirida) é uma doença contagiosa, grave, quase sempre fatal para a qual não existe cura ou vacina. É causada pelo VIH (vírus da imunodeficiência humana), que ataca o sistema de defesa imunitário do corpo humano. Esta condição reduz progressivamente a eficácia do sistema imunológico e deixa as pessoas aptas a infecções oportunistas e tumores. O Vírus de Imunodeficiência Humano (VIH) é um vírus bastante poderoso que, quando entra no organismo, se dirige ao sistema sanguíneo, onde começa de imediato a replicar-se, atacando o sistema imunológico, destruindo as células defensoras do organismo e deixando a pessoa infetada, mais debilitada e sensível a outras doenças, as chamadas infecções oportunistas que são provocadas por micróbios e que não afectam as pessoas cujo sistema imunológico funciona convenientemente. Também podem surgir alguns tipos de tumores (cancros). Contrair a infeção por VIH não significa ter SIDA. Ser portador do VIH, indica que o indivíduo está contaminado com o vírus e por isso pode transmitir esta infeção, caso não tenha os devidos cuidados. Ter SIDA por sua vez significa, para além de estar infetado com o VIH, apresenta já uma depressão grave do sistema imunitário e um conjunto de sintomas compatíveis com infeção por microrganismos oportunistas. 4
  • 5. Como se transmite o vírus da SIDA? O vírus VIH transmite-se de pessoa para pessoa através de três vias principais: • Sexual: O contacto com o esperma e secreção vaginal (líquidos que estão presentes no corpo do homem e da mulher no momento do ato sexual) contaminados, em práticas sexuais com penetração sem o uso de preservativo; • Parentérica: contacto com sangue contaminado, seja através de transfusões, seja através da partilha de agulhas e seringas, principalmente entre utilizadores de drogas injectáveis (IVDU). Também materiais de acupuntura, tatuagens e outros objetos perfurantes e cortantes podem apresentar perigo. • Vertical: da mãe para o filho durante a gestação, parto e aleitamento, se a mãe estiver contaminada. E na gravidez? Se a mãe estiver infetada pode transmitir a infecção ao bebé durante a gravidez, através do seu próprio sangue ou durante o parto, através do sangue ou secreções vaginais. Há ainda o risco de contágio durante o período de aleitamento. Sempre que haja alternativas à amamentação, esta deve ser evitada. Da saúde da futura mãe dependerá a saúde da criança. Assim, é muito importante que, antes e durante a gravidez, a mulher seja acompanhada regularmente pelo seu médico assistente. Quando a mãe é seropositiva, as terapêuticas anti retrovíricas, ministradas durante a gravidez, permitem a redução do risco do seu bebé nascer infetado. Qual a relação da sida com a toxicodependência? A toxicodependência é a situação de maior peso na transmissão do VIH em Portugal. Esta e a SIDA são uma combinação explosiva, não só pela inoculação do VIH por equipamento infectado, mas também pelo aumento dos comportamentos sexuais de 5
  • 6. risco nos toxicodependentes. É um facto que os utilizadores de drogas intravenosas têm relações sexuais não protegidas com vários parceiros/as, têm baixa aderência aos tratamentos e que as mulheres infectadas por via sexual ou intravenosa, transmitem o VIH horizontal e verticalmente. As alterações de comportamento associadas ao alcoolismo e à utilização de substâncias ilícitas facilitam comportamentos de risco, entre eles relações sexuais não protegidas com preservativo, relações com múltiplos parceiras/os, bem como a troca de seringas e agulhas e demais material usado pelos utilizadores de drogas intravenosas. É bem conhecido também, que o consumo de muitas das drogas ilícitas resulta na diminuição das defesas imunitárias e das regras de higiene, aumentando o risco de comportamentos marginais, criminalidade e prisão. 6
  • 7. Quais são os sintomas da SIDA? Na fase aguda da infecção com VIH (uma a quatro semanas após o momento do contágio), algumas pessoas apresentam sintomas semelhantes aos de uma gripe como febre, suores, dor de cabeça, dor de estômago, dor de garganta, dores musculares, dores articulares, fadiga, aumento de volume dos gânglios linfáticos, um leve prurido (comichão), constipações repetidas, herpes e manchas na pele. Nos casos mais graves ocorrem pneumonias atípicas e um cancro de pele denominado Sarcoma de Kaposi. Os seropositivos vivem, depois da fase aguda, um período em que não apresentam sintomas, embora o vírus esteja a multiplicar-se no seu organismo o que pode prolongar-se por diversos anos. É neste período que se encontram, actualmente, cerca de 70 a 80% dos infectados em todo o mundo. Na fase sintomática da infecção (mas ainda sem critérios de SIDA), o doente começa a ter sintomas e sinais de doença, indicativos da existência de uma depressão do sistema imunológico. O doente pode referir cansaço não habitual, perda de peso, suores nocturnos, falta de apetite, diarreia, queda de cabelo, pele seca e descamativa, entre outros sintomas. A fase seguinte na evolução da doença designa-se por SIDA e caracteriza-se por uma imunodeficiência grave. A evolução da infecção descrita acima, pode, actualmente, ser modificada pelo tratamento com os fármacos anti-retrovíricos, podendo os seropositivos nunca chegar a uma fase sintomática da doença. 7
  • 8. O tempo entre a infecção com o vírus do VIH e o aparecimento da SIDA é diferente de pessoa para pessoa, mas pode variar entre 1 e 14 anos. Como pode ser evitada a transmissão pelo VIH? Até hoje muitas pessoas acreditam que a SIDA é uma doença limitada aos chamados grupos de risco, como as pessoas que se prostituem ou os homossexuais. Mas a epidemia da SIDA mostrou que todos têm de se prevenir: homens e mulheres, casados ou solteiros, jovens e idosos, todos, independentemente da cor, raça, situação económica ou orientação sexual. O combate à SIDA passa pela adopção e manutenção de comportamentos seguros. • No caso de prática sexual com penetração, seja anal, vaginal ou oral, use sempre o preservativo de forma correta. • Sabendo usar o preservativo você diminui claramente a possibilidade de rompimento do mesmo; • Pratique sempre sexo mais seguro, que são formas de praticar o ato sexual através das quais, não entra em contacto com esperma, secreção vaginal ou sangue; • Exija sangue previamente testado nas transfusões, seja em hospitais públicos ou privados; • Dê preferência a agulhas e seringas descartáveis; 8
  • 9. Para evitar que a SIDA se transmita de mãe para filho, todas as grávidas devem consultar o seu médico o mais cedo possível e fazer o teste da SIDA. O sucesso final destas medidas depende também da vontade de os indivíduos assumirem e/ou manterem comportamentos de saúde adequados. 9
  • 10. Conclusão Com este trabalho aprendemos a verdadeira realidade da SIDA e os seus sintomas. Fizemos este trabalho consultando a internet e livros e esclarecendo dúvidas com os nossos pais. Gostámos muito de fazer este trabalho. 10 10
  • 11. Bibliografia SHARP, M. ,Manual Merck. Oceano, Porto WHALEY, L. ,Enfermagem Pediátrica. Guanabara, USA Wikipédia Infopédia 11 11