Desenvolvimento da sexualidade

2.635 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Desenvolvimento da sexualidade

  1. 1. Trabalho realizado por:João Craveiro Henriques6ºF – Nº 11 – Escola EB23 Eugénio de Castro
  2. 2. ÍndiceIntrodução 3 1. Puberdade 4 2. Desenvolvimento sexual do rapaz 6 2.1. Aparelho genital masculino 6 2.2. As mudanças invisíveis 7 2.3. Ereções 9 3. Desenvolvimento sexual da rapariga 10 3.1. Aparelho genital feminino 10 3.2. As mudanças invisíveis 11 4. As hormonas 13Conclusão 15Bibliografia 16 2
  3. 3. IntroduçãoDos vários temas de trabalho propostos pela minha professora de Ciênciasda Natureza optei por falar sobre o desenvolvimento da sexualidade.Na minha idade começam-se a notar transformações no corpo e na maneirade ser. Chama-se a issopuberdade.A puberdade corresponde ao período de crescimento em que ocorre odesenvolvimento sexual. Acarreta uma série de mudanças físicas e mentais.O meu principal objetivo com a realização deste trabalho é aprofundar oconhecimento sobre esta fase da vida de forma a que melhor possa lidarcom as transformações corporais e emocionais que me aguardam. 3
  4. 4. 1. PuberdadeDurante este período, os órgãos genitais e todo o organismo setransformam. A criança torna-se adolescente e depois adulto com acapacidade de se reproduzir.As mudanças mentais e físicas da puberdade são progressivas, dão-se emmédia durante 3 a 4 anos e o seu inicio dá-se mais cedo nas meninas que nosmeninos.A idade em que ocorrem estas mudanças variam consideravelmente decriança para criança mas manifesta-se sempre num período de idadesdeterminado conforme o quadro na imagem abaixo. A média de idade na quala mudança começa é indicada por um círculo. 4
  5. 5. Conforme podemos ver no figura da página anterior, nas raparigas, aprimeira alteração da puberdade é o aumento do tamanho das mamas(começam a desenvolver-se), seguido do crescimento dos pelos púbicos eaxilares. Cerca de dois anos após o inicio do aumento das mamas têm aprimeira menstruação. A forma do corpo muda e aumenta a sua gorduracorporal.Nos rapazes o primeiro sinal pubertário é o aumento do volume dostestículos, o que acontece em média pelos 11-12 anos, seguido docrescimento do pénis, dos pelos púbicos e axilares. A alteração do timbre devoz acontece pelos 14 anos e só mais tarde se assiste ao crescimento dabarba. 5
  6. 6. 2. Desenvolvimento sexual dorapazNos ginásios ou nas casas de banho, é frequente os adolescentes darem umaolhadela ao tamanho do pénis dos amigos e colegas. Ao chegar à puberdade,com todas as mudanças que ela implica no aparelho genital masculino, estapreocupação torna-se para alguns rapazes prioritária. Uma das explicaçõespara esta obsessão é que a mesma é inata ao sexo masculino, isto é, nascecom a pessoa.Esta é uma questão que só preocupa os rapazes, pois, as raparigas têm emconta muitos outros fatores antes de considerarem um rapaz capaz ou nãoem função das dimensões dos seus genitais. 2.1. Aparelho genital masculinoO facto de aumentarem de tamanho e desempenharem novas funções vaifazer com que os órgãos genitais sofram transformações importantes. Ireiabordar algumas das principais transformações: 6
  7. 7.  O pénis sofre um aumento significativo de tamanho o que faz com que as duas partes que o formam, o corpo e a glande, sejam mais visíveis. O pénis não é formado por ossos nem músculos mas é formado por múltiplos vasos sanguíneos e nervos, permitindo estes que o pénis aumente de tamanho e endureça (ereção). Os testículos são os órgãos reprodutores masculinos, e encontram-se alojados e protegidos pelo escroto. O escroto está localizado por trás e por baixo do pénis. Para que os espermatozoides possam estar protegidos das mudanças de temperatura, os músculos do escroto encolhem-se quando são expostos a temperaturas frias, o que faz com que os testículos se aproximem mais do corpo. Com o calor o escroto descai e os testículos parecem maiores embora o seu tamanho não mude. Durante a puberdade o escroto adquire uma cor mais escura. 2.2. As mudanças invisíveisOs órgãos internos doaparelho reprodutor tambémestão sujeitos a um intensoprocesso de transformaçãoque afeta todo o corpo. Aquigera-se a capacidadereprodutora na qualintervêm alguns órgãos quenão se veem mas que 7
  8. 8. cumprem uma missão importante:  Os Canais deferentes são dois tubos ocos divididos por uma membrana, revestidos por tecido muscular. Podem medir até 40 centímetros de comprimento e é através deles que os espermatozoides maduros iniciam a subida até às vesículas seminais, daí entram na próstata para saírem pela uretra.  Os Epidídimos são formados por um novelo de pequenos canais e a sua função é armazenar os espermatozoides produzidos pelos testículos. Têm forma achatada e estão situados na parte de trás por cima dos testículos.  As Glândulas de Cowpersão dois pequenos órgãos que se encontram debaixo da próstata e a sua função é segregar um líquido que se verte na uretra sempre que ocorre excitação sexual. Esta secreção pode conter espermatozoides por isso, se houver penetração pode ocorrer uma gravidez mesmo que a ejaculação ocorra fora da vagina.  A Próstata: é uma glândula situada entre a bexiga, a uretra e o reto. A trajetória do sémen (fluido constituído por espermatozoides e líquido seminal) e a da urina correm de forma paralela pela uretra para o exterior da mesma, os dois líquidos nunca se juntam porque existem válvulas que abrem ou fecham a passagem de acordo com a situação.  A Uretra é o canal condutor da urina que parte da bexiga e termina no pénis. Permite também a passagem do esperma que a ela chega pelos canais ejaculadores.  As Vesículas seminais são duas pequenas estruturas ocas situadas por baixo da bexiga. Acolhem os espermatozoides maduros e 8
  9. 9. fabricam o líquido seminal necessário para proteger, alimentar e facilitar o movimento dos espermatozoides. 2.3. EreçõesAs ereções não aparecem de repente na puberdade, já estão presentes noorganismo masculino desde o início. Os bébes já sentem ereções.A partir da puberdade, as ereções acontecem com mais frequência e deforma espontânea e mais notória. Este fenómeno é provocado pelo aumentode sangue no pénis.Nem sempre é devido a um pensamento, a um desejo ou a uma sensação dotipo sexual, que o pénis fica ereto. Pode acontecer, por exemplo, pela manhãao levantar. Isso deve-se ao facto de se estar muitas horas sem urinar e aacumulação de urina produz ereções. Outra das causas, pode ser o facto deos níveis de testosterona ser mais elevado pela manhã.Da ereção que se produz durante o sono pode resultar uma ejaculação,chama-se a esta situação polução noturna. Também esta reação é fisiológicae não tem que necessariamente estar relacionada com um sonho erótico.À medida que a adolescência vai passando, estas ereções sem motivoaparente, começam a ser menos frequentes, visto haver mais controlo nosníveis das hormonas. 9
  10. 10. 3. Desenvolvimento sexual daraparigaAs raparigas passam a cuidar do seu aspeto tornando-se muito vaidosas.Cochicham sobre temas como o período, os tampões ou os comprimidos paraas dores de barriga. 3.1. Aparelho genital femininoO órgão genital externo do aparelho feminino humano é a vulva, que éconstituída por várias estruturas:  Os grandes lábios são duas pregas de tecido adiposo e conjuntivo revestidos pela pele, contendo na sua espessura glândulas sudoríparas sebáceas. São bastante volumosos, carnudos e 10
  11. 11. comparáveis ao escroto nos homens. Formam as partes laterais da fenda vulvar e unem-se na parte anterior para formar o monte de vénus. Depois da puberdade cobrem-se de pelos.  Os pequenos lábios são constituídos apenas por tecido conjuntivo e algumas glândulas sebáceas (glândulas produtoras de uma substância oleosa, lubrificadora da pele), unindo-se na parte anterior para formar o prepúcio do clitóris.  O clitóris é o órgão erétil correspondente ao pénis no homem.  As glândulas de Bartolini estão situadas junto ao orifício da vagina e quando são estimuladas segregam um fluído que humidifica a vagina durante o coito.  A vagina é rodeada por uma membrana. Habitualmente esta membrana rompe-se na primeira tentativa de manter uma relação sexual.  A uretra, que tranporta a urina da bexiga até ao exterior, tem o seu orifício de saída à frente da vagina. 3.2. As mudanças invisíveisTambém nas raparigas acontecem uma série de transformações que não sãovisíveis, das quais destaco:  O Canal Vaginal vai crescendo podendo atingir 9 a 12 centímetro na mulher adulta.  O útero é um órgão com forma de pera situado na superior da vagina. Divide-se em duas partes: o colo do útero e o corpo principal. O colo 11
  12. 12. do útero abre-se dentro da vagina, contem um canal que permite a entrada do esperma no útero e a saída da secreção menstrual para o exterior. O corpo tem musculatura abundante que aumenta para alojar o feto, o seu interior é revestido pelo endométrio. As trompas de Falópio podem atingir um comprimento de 6 a 9 centímetros, a extremidade de cada uma dilata-se e adota a forma de funil formando uma abertura com maior diâmetro o que facilita a queda do óvulo no seu interior, quando este é libertado pelo ovário. Os ovários têm uma forma alongada e são um pouco mais pequenos que um ovo. 12
  13. 13. 4. As hormonasNo inicio da puberdade aumenta a produção das hormonas sexuais.A hormona que comanda todas as mudançasno rapaz é a testosterona. Esta produz-senumas células que se encontram nostestículos. Esta hormona é a que fazaumentar o tamanho do pénis, além defavorecer a maior parte das mudanças quese vão produzir no organismo. São elas: oaumento da estatura, aparecimento dospelos no corpo e na púbis, crescimento dalaringe, mudança do tom de voz, alteraçõesna pele e desenvolvimento de produção das glândulas sebáceas.Embora a testosterona esteja intimamente associada ao sexo masculino,rapazes e raparigas partilham o mesmo jogo hormonal. A diferença está nosníveis dessas hormonas, sendo a sua concentração muito mais elevada nohomem. Estima-se que a sua produção diária no homem seja de 6 a 8miligramas enquanto nas mulheres não ultrapassa os 0,5 miligramas por dia.Já os estrogénios e a progesterona, produzidas essencialmente nos ovários,são mais elevados na mulher e estão sujeitos a flutuações ao longo do ciclomenstrual. O estrogénio regula o crescimento das mamas, provoca oaumento da vagina e o desenvolvimento dos lábios que a rodeiam, regulatambém o crescimento dos pelos pubianos e provoca a acumulação degordura essencialmente nos quadris e coxas, dando-lhes o arredondamento 13
  14. 14. típico do sexo. A progesteronaatua emtodo o corpo físico da mulher preparando-a para a gravidez, regula o ciclo menstruale a gravidez.Pode dizer-se que todas ascaracterísticas que distinguem a mulherdo homem são devido ao estrogénio. 14
  15. 15. ConclusãoA puberdade é o conjunto de fatores que tornam possível a reprodução. Aidade em que se inicia e a sua evolução varia de pessoa para pessoa.Fiz este trabalho consultando a internet e livros, esclarecendo dúvidas comos meus pais.Gostei muito de fazer este trabalho. Permitiu-me perceber o porquê dealgumas alterações físicas que iniciei e aprender que muito mais me esperaao longo destes anos que aí vêm. 15
  16. 16. BibliografiaBECKELMAN, L. , 2001. O Corpo Humano. Círculo de Leitores, LisboaSARABANDO, M. , 2011. Guia da sexualidade para rapazes. PortoEditora, PortoSHARP, M. ,Manual Merck. Oceano, Portohttp://www.google.com/search?q=aparelho+genital+masculino&oe=utf-8&rls=org.mozilla:pt-PT:official&client=firefox-a&um=1&ie=UTF-8&hl=pt-PT&tbm=isch&source=og&sa=N&tab=wi&ei=jCJmT46cDsmX8gOUjbWXCA&biw=1280&bih=671&sei=kiJmT8yPNYKW8gPLr7HuBwhttp://www.google.pt/imgres?q=aparelho+genital+feminino&um=1&hl=pt-PT&sa=N&rlz=1C1GGGE_enPT457PT457&biw=1280&bih=643&tbm=isch&tbnid=JMHx9y7coiNYyM:&imgrehttp://www.google.pt/search?hl=ptPT&q=desenvolvimento+da+sexualidade&bav=on.2,or.r_c.r_pw.r_cp.r_qf.,cf.osb&biw=1280&bih=663&um=1&ie=UTF8&tbm=isch&source=og&sa=N&tab=wi&ei=BQdmT_yVB4m98gPNqtyiChttp://www.infopedia.pt/$orgaos-genitais-externoshttp://www.infopedia.pt/$puberdade 16

×