Trabalho finalmauricio

215 visualizações

Publicada em

Trabalho final do módulo de indesign

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
215
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
36
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho finalmauricio

  1. 1. Summer Sale 2014
  2. 2. Esse guia foi criado com a intenção de ajudar os amantes da steam que não perdem uma steam sale. Veja se fez um bom negócio, e se por algum motivo não comprou, corra para alguma das várias giveaways ou sales em sites revendedores. Aproveitem.
  3. 3. -50% Já pensou se os nazistas tivessem vencido a segunda guerra mundial? Se na realidade é difícil de imaginar Hitler e seu exército no topo do mun- do, a MachineGames tratou de alimentar a sede de vingança daqueles que dariam tudo para derrotar o tirano com suas próprias mãos – ou melhor, as de BJ Blazkowicz. No game, após 14 anos em coma, o soldado americano desperta em um mundo dominado pelos nazistas, e busca forças nos poucos membros da resistência para derrubar o império espalhado por todo o mundo. O problema é que quase uma década e meia depois, os inimigos tiveram tempo de sobra para fortalecer o seu arsenal, que agora conta com robôs gigantes, soldados de ferro e até cães modificados com partes mecânicas. Roteiro Rodando, The New Order aposta em mecânicas mais atuais para contar a trajetória do personagem. Recursos comuns como botão de corrida, mira para as armas e golpes corporais foram incorporados ao estilo mais clássico do jogo, que por várias vezes lembra games da geração passada. Diferente do que possa parecer, isso não é problema. O resultado da mistura de referências é bastante agradável, com um jogo de controles rápidos e precisos, sem abrir mão de recursos mais modernos. Um dos principais charmes é a possibilidade de se usar duas armas ao mesmo tempo, uma em cada mão. Apesar de sacrificar um pouco da precisão, a opção duplica o poder de fogo, transformando Blazkowicz em uma máquina, especialmente a curtas distâncias. Gameplay Texto por Murilo Molina R$ 119,99 => R$59,99
  4. 4. -80% R$49,99 => R$9,99 Payday 2 é o novo game de uma das franquias mais polêmicas desta geração. O intuito do jogo é organizar e executar assaltos em grupo, abusando de estratégias cooperativa com outros jogadores através das redes online. No jogo, você entra na pele de um dos quatro assaltantes do time original, cada qual especializado em uma fase do roubo, desde entrar sem ser visto, até “segurar as pontas” na hora da fuga ou mesmo garantir a confiança dos reféns. Payday 2 é um jogo instigante se o que você procura é simples- mente um pouco de ação cooperativa. O game tem sacadas inte- ligentíssimas, uma boa tensão e incentivo o bastante para manter você e seus amigos na ativa assalto após assalto. Texto por Leonardo Avila -50% R$49,99 => R$24,99 Gráficos excepcionais e combates precisos são as principais armas de Raiden em “Metal Gear Rising: Revengeance”. O jogo do ninja cibernético é diver- tido, mas poderia ser mais polido em algumas mecânicas - como a câmera - para ser inesquecível. O que mais incomoda é que a narrativa e a apresenta- ção dos personagens secundários (uma das marcas registradas de outros ga- mes com o nome “Metal Gear”), foram deixadas de lado. “Metal Gear Rising” é bem divertido e quase chega a fincar um pé no hall dos grandes jogos de ação que marcaram esta geração, mas se você comparar “Rising” com outros games que estão nesse salão, é possível ver que existem muitas arestas que precisam ser acertadas. Talvez em uma suposta continua- ção, a Platinum Games consiga fazer um game mais profundo não só em sua história, mas também nas mecânicas de jogo. Texto por Rodrigo Guerra
  5. 5. -20% R$69,99 => R$55,99 Divinity – Original Sin é um belíssimo Jogo em 3d isométrico. Assim como DIABLO 3, o mundo é 3d mas com uma câmera “semi-fixa”. Você pode apro- ximá-la e girá-la um pouco. E essa aproximação permite que você veja os deta- lhes do mundo, que são fantásticos. A progressão do jogo segue o modelo clássico dos RPG’s, você ganha XP quan- do atinge pontos cruciais de uma determinada aventura, quando derrota ini- migos, e quando explora localizações. Quando você sobe de nível você ganha pontos em skills, e dependendo no ní- vel, em atributos e talentos. Para adquirir uma skill de nível 1 consome-se 1 ponto, de nível 2 são 2 pontos, e assim por diante. Isso significa que você vai acabar guardando pontos durante os níveis para poder investir nas suas skills mais caras mais à frente. Divinity: Original Sin é um título robusto, feito com carinho, merecedor de muitas glórias. É um RPG nos moldes tradicionais capaz de trazer a es- sência do gênero com inovações dignas de nova geração. Com mecânicas nunca antes reproduzidas em outros títulos parecidos, ele facilmente fica à frente até mesmo de títulos AAA que se propõem à formula, e afasta a ideia de vez de quem achava que o mercado desse tipo de jogo estava pou- co a pouco sumindo. Com uma história que, apesar de clichê em momentos, consegue motivar o jogador, e com um mundo grande a ser explorado com muitas coisas a oferecer, Divinity é um título quer será referido por muito tempo como o “crème de la crème” dos RPG’s táticos por turno. Se você tiver condições, e gosta do gênero, não perca tempo, Jogue! De preferência com um amigo. Texto por Sr.Musadriff
  6. 6. -66% R$ 36,99 => R$12,58 Metro: Last Light é a sequencia direta do Metro 2033 um dos jogos mais interessantes de 2010. A serie é baseada nos livros de Dmitri Glukhovsky. Os livros são uma distopia de um mundo pós-apocalíptico, povoado por seres monstruosos e humanos escondidos em tuneis e cidades subterrâneas. Last Light é uma grande obra do fim da geração! Um jogo com cenários bem elaborados e que criam uma atmosfera constante de medo e terror. Sem falar da sensação de desolação. Com uma engine poderosa e agora bem otimizada. E excelente jogabilidade. Last Light é uma pedida obrigatória para os fãs de um bom fps. Seu enredo é complexo e até certo ponto bem trabalho, mas deixa a desejar da metade para frente. Poderia ter sido mais explorado com cut-scenes e não somente longas e tediosas conversas. Last Light é notavelmente superior ao seu antecessor, mesclando uma boa historia, com tiroteios, ações furtivas e criaturas aterrorizantes de uma maneira coesa e notável. E através dessa dissonância caustica de um mundo tão dilacerado a 4 A games entrega um produto completo e com destaque, para seus fãs. Texto por Rodrigo Mucciolo -75% R$34,99 => R$8,75 Aflorando sua carreira de pesquisadora, Lara sai com um grupo de explorado- res em busca de aventura. Após um acidente em alto mar, seu navio naufraga e a jovem acaba caindo em uma ilha misteriosa. Nesse momento o pesadelo começa! Lara começa lutando contra seus próprios problemas. Enquanto precisa en- frentar a fome e o frio, há ainda a esperança de reencontrar o resto de sua tripulação, uma tarefa cada vez mais difícil. E se não bastasse tudo isso, feras selvagens e tribos de fanáticos religiosos surgem para atormentar a sua vida. O lado bom é que tudo surge de uma maneira gradativa, com uma linha de aprendizado bem executada. Você começa cercado de tutoriais e, ao longo do jogo, precisa quebrar a cabeça e lembrar exatamente de cada ensinamento e executar o vasto leque de perícias de Lara. É como se precisasse se recordar daquela matéria ensinada na escola, que você jamais achou que fosse precisar um dia. Texto por Okarinha
  7. 7. A história de Thief se passa em um local conhecido como The City. Trata-se de uma cidade ambientada na época medieval. Se trouxéssemos este cenário para nossa realidade, o jogo se passaria na época da Peste Negra, na Europa na Bai- xa Idade Média. A trama de Thief gira em torno de Garrett, o Ladrão Mestre. Após uma missão sem sucesso tentando roubar um artefato misterioso junta- mente com sua parceira, Erin, ele se vê em meio ao início de um conflito entre o Barão, que oprime seu povo com uma polícia corrupta e violenta, e a resis- tência busca armas e conhecimentos para derrubar o tirano. A história de Thief se passa em um local conhecido como The City. Trata-se de uma cidade ambientada na época medieval. Se trouxéssemos este cenário para nossa realidade, o jogo se passaria na época da Peste Negra, na Europa na Bai- xa Idade Média. A trama de Thief gira em torno de Garrett, o Ladrão Mestre. Após uma missão sem sucesso tentando roubar um artefato misterioso junta- mente com sua parceira, Erin, ele se vê em meio ao início de um conflito entre o Barão, que oprime seu povo com uma polícia corrupta e violenta, e a resis- tência busca armas e conhecimentos para derrubar o tirano. -50% R$59,99 => R$ 29,99R$59,99 => R$ 29,99 Escuro, mas bonito Embora grande parte da campanha de Thief ocorra a noite, isto não tira a beleza do jogo. Os cenários irão arrebatar o jogador para os tempos da Idade Média; as roupas e vestimentas dos personagens – inimigos ou aliados – de- monstrará seu nível de poder e riqueza. Sim, o jogo é escuro. Em alguns mo- mentos é provável que o jogador até necessite aumentar um pouco a Gama de seu monitor para visualizar melhor nas sombras. Escuro, mas bonito Embora grande parte da campanha de Thief ocorra a noite, isto não tira a beleza do jogo. Os cenários irão arrebatar o jogador para os tempos da Idade Média; as roupas e vestimentas dos personagens – inimigos ou aliados – de- monstrará seu nível de poder e riqueza. Sim, o jogo é escuro. Em alguns mo- mentos é provável que o jogador até necessite aumentar um pouco a Gama de seu monitor para visualizar melhor nas sombras. Qualquer um pode atirar com o arco A jogabilidade de Thief é outro fator positivo do game. Embora não seja o melhor que vemos no mercado, o jogador consegue aprender todas as face- tas dos comandos em apenas alguns rápidos tutoriais do jogo. Além de dar dicas e ensinar outros truques nas telas de carregando dos mapas, o jogo cria instruções inteligentes e coerentes no meio da campanha, por exemplo: você irá aprender quando deslizar de uma sombra pra outra quando este momen- to chegar; você irá aprender a usar o Focus somente quando precisar. É uma fórmula antiga e conhecida, mas bastante eficaz. Qualquer um pode atirar com o arco A jogabilidade de Thief é outro fator positivo do game. Embora não seja o melhor que vemos no mercado, o jogador consegue aprender todas as face- tas dos comandos em apenas alguns rápidos tutoriais do jogo. Além de dar dicas e ensinar outros truques nas telas de carregando dos mapas, o jogo cria instruções inteligentes e coerentes no meio da campanha, por exemplo: você irá aprender quando deslizar de uma sombra pra outra quando este momen- to chegar; você irá aprender a usar o Focus somente quando precisar. É uma fórmula antiga e conhecida, mas bastante eficaz. Diversão garantida Você poderá escolher a melhor forma de realizar uma missão: poderá seguir a conduta de Garrett em ser o mais furtivo possível e não matar guardas, ou pode esquecer toda essa honra e sair disparando flechas em todo mundo. Além da campanha principal, o jogador poderá realizar Jobs, trabalhos extras que lhe renderão algum dinheiro no jogo. Diversão garantida Você poderá escolher a melhor forma de realizar uma missão: poderá seguir a conduta de Garrett em ser o mais furtivo possível e não matar guardas, ou pode esquecer toda essa honra e sair disparando flechas em todo mundo. Além da campanha principal, o jogador poderá realizar Jobs, trabalhos extras que lhe renderão algum dinheiro no jogo. É possível também evoluir Garrett à sua vontade. Após seu acidente na Torre do Relógio, ele recebeu habilidades especiais, que são evoluídas com Focus Points. Ao utilizar tais pontos, o jogador poderá melhorar a capacidade de Stealth do Ladrão Mestre, diminuir o som de seus passos na água ou sob cacos de vidro, aumentar sua percepção em localizar mais facilmente passagens secretas e itens, dentre outras possibilidades. As missões são praticamente as mesmas: entrar em um lugar, resolver puzzles e roubar um item, todavia, este não chega a ser um ponto nega- tivo no jogo. A cada nova missão há uma mudança na trama que leva o jogador para um outro ambiente, onde para chegar até o item que neces- sita ser roubado é necessário percorrer diversos caminhos, desviar – ou matar – de inimigos, abrir passagens secretas, resolver puzzles, daí então, achar o item. É possível também evoluir Garrett à sua vontade. Após seu acidente na Torre do Relógio, ele recebeu habilidades especiais, que são evoluídas com Focus Points. Ao utilizar tais pontos, o jogador poderá melhorar a capacidade de Stealth do Ladrão Mestre, diminuir o som de seus passos na água ou sob cacos de vidro, aumentar sua percepção em localizar mais facilmente passagens secretas e itens, dentre outras possibilidades. As missões são praticamente as mesmas: entrar em um lugar, resolver puzzles e roubar um item, todavia, este não chega a ser um ponto nega- tivo no jogo. A cada nova missão há uma mudança na trama que leva o jogador para um outro ambiente, onde para chegar até o item que neces- sita ser roubado é necessário percorrer diversos caminhos, desviar – ou matar – de inimigos, abrir passagens secretas, resolver puzzles, daí então, achar o item. Thief traz dosagens certas de ação, RPG e puzzle fazendo com que o jogo não se torne cansativo e chato ao longo da campanha. A falta de suporte Multiplayer pode deixar muitos jogadores hesitados ao ad- quirir o jogo, entretanto, a construção e desenvolvimento da trama, aliado à sua ambientação e boa dublagem fazem de Thief mais do que um simples jogo de Stealth-Action, mas sim uma experiência a quem jogá-lo. Thief traz dosagens certas de ação, RPG e puzzle fazendo com que o jogo não se torne cansativo e chato ao longo da campanha. A falta de suporte Multiplayer pode deixar muitos jogadores hesitados ao ad- quirir o jogo, entretanto, a construção e desenvolvimento da trama, aliado à sua ambientação e boa dublagem fazem de Thief mais do que um simples jogo de Stealth-Action, mas sim uma experiência a quem jogá-lo. Texto por Paulo VasconcellosTexto por Paulo Vasconcellos
  8. 8. -75% R$55,99 =>13,99 Gotham: o início Arkham Origins começa na prisão Blackgate, quando uma rebelião toma o lugar e obriga Batman a sair das sombras. Nessa ocasião, algumas pessoas até mesmo duvidam de sua existência e é neste momento que o herói decide botar um pon- to final nas dúvidas e deixar claro aos criminosos quem é que manda no pedaço. Imponente, o herói chega na prisão e lida com alguns figurões, como o Croco- dilo. É aqui também que se desenrola o primeiro encontro com James Gordon, que nesta época ainda não era comissário, e sim tenente. O início do game é repleto de ação e vai direto ao ponto, sem deixar espaço para enrolações ou dú- vidas. Texto por Felipe Vinha -80% R$36,99 => R$7,39 The Witcher 2 Assasins of Kings: Enhanced Edition, é antes de tudo, um jogo grandioso. O RPG de ação trata ambiciosamente de temas comple- xos, é tecnicamente primoroso em sua execução e apresenta uma história repleta de momentos instigantes e memoráveis. O protagonista do jogo é Geralt de Rivia, o tal feiticeiro do título. No mundo do jogo, vive-se uma Idade Média povoada por criaturas fantás- ticas como elfos e anões, além de magia e monstros de variadas estirpes. Nesse ambiente, os feiticeiros são caçadores de monstros que desde a infância passam por um treinamento especial nas artes marciais e espiri- tuais, a fim de torná-los peritos assassinos. O grande diferencial de The Witcher 2 é o tom pesado com que a história é narrada. No mesmo embalo do seriado Game of Thrones (da HBO), todos esses contornos de fantasia, que poderiam propiciar uma experiên- cia colorida e escapista, são aqui manchados por sexo, sujeira e violência. Texto por Pedro Hick
  9. 9. Wolf Among Us” mostra toda a competência e experiência da Telltale em criar adventures com marcas famosas - ainda mais depois do estrondoso su- cesso da primeira temporada de “Walking Dead”. Mais colorido e cheio de criaturas fantásticas de contos de fada, este primeiro episódio de “Wolf Among Us”, chamado “Faith”, começa com um típico conto policial, com assassinatos e figuras misteriosas. Desafiantes cenas de ação pontuam a jornada de pouco mais de duas horas. Suas escolhas nos diálogos influenciam a maneira como eles te tratarão no futuro e momentos de grandes decisão definem rumos diferentes para a histó- ria. Contudo, diferente de “Walking Dead”, em que as motivações e consequências para as decisões eram até certo ponto possíveis de deduzir, “Wolf Among Us” apresenta escolhas ainda mais subjetivas. Por assim dizer, enquanto as escolhas em “Walking Dead” não eram exata- mente extremos opostos, opções do tipo ‘preto e branco’, “Wolf Among Us” revitaliza a fórmula com opções de ‘várias cores’. Depois de muito sucesso com marcas de renome como “Sam & Max”, “De Volta para o Futuro”, “Monkey Island” e, mais recentemente, “Walking Dead”, a produtora Telltale se lança a um novo desafio com “Wolf Among Us”. Baseado na HQ “Fables” (“Fábulas” aqui no Brasil), que começou a ser lançada nos EUA em 2002 e ainda continua, o jogo mostra um arco de histórias que acontece antes da própria revista em quadrinhos. Neste universo, vários personagens de contos de fadas foram obrigados a sair de sua terra natal para viver aqui, no mundo real, mais especifica- mente em Nova York. Por meio de um caro artifício mágico chamado Glamour alguns conseguem disfarçar sua aparência e viver entre hu- manos normais - enquanto outros não podem arcar com essa despesa e vivem isolados. O jogador encarna Bigby, ninguém menos que o Lobo Mau, que tenta ser agora uma ‘boa pessoa’ (ou lobo) e trabalha como xerife da turma de criaturas das fábulas. -66% R$45,99 => R$15,63
  10. 10. Universo intrigante A Telltale não joga para perder. Mais uma vez a escolha de franquia para virar jogo pelas mãos da produtora é acertadíssima. “Wolf Among Us” pega um universo famoso e recheado de clichês e subverte suas convenções, apresentando algo interessante logo de cara. Bigby é um per- sonagem um bocado clichê? Sim, mas não deixa de ser intrigante acompanhar a jornada do Lobo Mau, tentando virar um cara legal. Além disso, por se situar antes das HQs o game consegue chamar aten- ção também dos fãs das revistas, ex- plicando e fazendo referências a al- guns fatos e eventos. O belíssimo visual completa o paco- te, recriando até certo ponto o estilo colorido e saturado das revistas. Cenas de ação “Wolf Among Us” busca refinar as cenas de ação de “Walking Dead”. Em comba- tes, perseguições e situações do tipo que Bigby enfrenta, deve-se movimentar uma mira para o alvo na tela e apertar o botão certo. O esquema é mais agitado e quebra um pouco o ritmo de exploração, bate-papo e investigação da aventura, mas, fran- camente, combina com a personalidade de Bigby e a história em si. No começo chega a ser estranho, mas não é nenhum problema para se acostumar. Texto por Claudio Prandoni

×