Redes de Computadores 2 - Aula 2 - Protocolo TCP/IP

847 visualizações

Publicada em

Redes de Computadores 2 - Aula 2 - Protocolo TCP/IP

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
847
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
166
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
101
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Redes de Computadores 2 - Aula 2 - Protocolo TCP/IP

  1. 1. 1AULA  : Campus  Charqueadas Redes  de  Computadores  II   INF-3A
  2. 2. 2AULA  : Campus  Charqueadas PROTOCOLO  TCP/IP
  3. 3. 3AULA  : Campus  Charqueadas Visão  geral • Para que os computadores em uma rede possam conversar deve-­se utilizar uma linguagem (Protocolo) que os dois equipamentos entendam. • No protocolo estão definidas as regras necessárias para que os computadores se “entendam”.
  4. 4. 4AULA  : Campus  Charqueadas Visão  geral • Antes da popularização da internet existiam vários protocolos, que foram criados por empresas que disponibilizavam equipamentos para rede. Entre eles: – TCP/IP – NETBEUI – IPX/SPX – Apple Talk
  5. 5. 5AULA  : Campus  Charqueadas Visão  geral • Se tivermos 2 equipamentos um com TCP/IP e outro com NETBEUI, eles não serão capazes de compartilhar uma impressora por exemplo. • A medida que a internet começou a tornar-­se popular o TCP/IP passou a tornar-­se um protocolo padrão de redes.
  6. 6. 6AULA  : Campus  Charqueadas Visão  geral • Dos  principais  sistemas  operacionais  do   mercado: – UNIX  – sempre  utilizou  o  TCP/IP – Windows  – tornou-­se  padrão  a  partir  do   Windows  2000. • Se  o  protocolo  padrão  for  considerado   aquele  que  é  instalado  quando  uma  placa   de  rede  é  detectada: – Novell  – tornou-­se  padrão  a  partir  da  versão   5.0
  7. 7. 7AULA  : Campus  Charqueadas Visão  geral • O que temos hoje é  a  utilização  do  TCP/IP   na  maior  parte  das  redes  implementadas.
  8. 8. 8AULA  : Campus  Charqueadas PROTOCOLO  TCP/IP
  9. 9. 9AULA  : Campus  Charqueadas TCP/IP • Quando o TCP/IP é   utilizado   na   rede   alguns   parâmetros   devem   ser   configurados   em   todos   os   equipamentos   que  fazem  parte  da  rede  (Computadores,   Servidores,   Hubs,   Switchs,   Impressoras   de  rede,  etc).
  10. 10. 10AULA  : Campus  Charqueadas TCP/IP
  11. 11. 11AULA  : Campus  Charqueadas TCP/IP • Na imagem anterior temos uma rede de uma pequena empresa. Esta rede local não  está  conectada  a  internet.  Neste  caso   neste   caso   cada   computador   da   rede   precisa  de  dois  parâmetros  configurados:   – Endereço  IP   – Máscara  de  sub-­rede
  12. 12. 12AULA  : Campus  Charqueadas Endereço  IP • O endereço IP é  um  número  formado  da   seguinte  forma:   x.y.z.w   • São   quatro   números   separados   por   pontos.  Não  podem  existir  duas  máquinas   com   o   mesmo   endereço   IP   dentro   da   mesma  rede.
  13. 13. 13AULA  : Campus  Charqueadas Endereço  IP • Cada um dos quatro números   é   formado   por  um  valor  entre  0  e  255.   • Uma   parte   desse   endereço   é   a   identificação   da   rede   (1,2   ou   3   dos   4   números)   o   restante   é   a   identificação   do   host.   • O  que  define  quantos  dos  4  números  são   a   identificação   da   rede   é   a   máscara   de   sub-­rede  (subnet  mask).
  14. 14. 14AULA  : Campus  Charqueadas Máscara  de  sub-­rede • Vamos considerar o exemplo da rede mostrada anteriormente: Endereço  IP:   10.200.150.1 Máscara  de  sub-­rede:     255.255.255.0 • As três   primeiras   partes   da   máscara   de   sub-­rede   (subnet)   são   iguais   a   255,   isso   indica   que   os   três   primeiros   números   representam   a   identificação   da   rede   e   o   último  o  host.
  15. 15. 15AULA  : Campus  Charqueadas Máscara  de  sub-­rede • No exemplo temos o endereço da rede como 10.200.150, ou seja todos os nosso equipamentos começam com o número   10.200.150. • Neste exemplo que utilizamos os três   primeiros   dígitos   para   o   endereçamento   da   rede   podemos   ter   254   equipamentos   ligados  a  rede.
  16. 16. 16AULA  : Campus  Charqueadas Máscara  de  sub-­rede • Notem que temos somente 254 e não  256   equipamentos,   pois   o   primeiro   e   o   último   endereço  são  reservados.   • O endereço 10.200.150.0 é   o   próprio   endereço  da  rede.   • O  endereço  10.200.150.255 é  o  endereço   de  broadcast.
  17. 17. 17AULA  : Campus  Charqueadas TCP/IP
  18. 18. 18AULA  : Campus  Charqueadas TCP/IP • No exemplo da rede podemos contatar que o equipamento 10.200.150.7 possui uma subnet 255.255.0.0 o que é  diferente   das   demais   que   utilizam   a   subnet   255.255.255.0.   • Neste   caso   esse   equipamento   é   considerado  fora  da  rede  dos  demais.  Na   prática   esse   equipamento   não   poderá   se   comunicar  com  os  demais.
  19. 19. 19AULA  : Campus  Charqueadas TCP/IP • Exemplos de máscara  de  subnet: Máscara Número  de  equipamentos   possíveis 255.255.255.0 254 255.255.0.0 65.534 255.0.0.0 16.777.214
  20. 20. 20AULA  : Campus  Charqueadas Outros  parâmetros • Quando os equipamentos se comunicam com outros fora da rede eles precisam de mais alguns parâmetros para que essa comunicação  seja  possível.   – Gateway  padrão   – DNS  (Domain  Name  System)
  21. 21. 21AULA  : Campus  Charqueadas Gateway • O gateway server como uma porta de saída   da   nossa   rede   esse   endereço   normalmente  é  destinado  ao  equipamento   da  ponta  da  rede.
  22. 22. 22AULA  : Campus  Charqueadas DNS • O DNS é  o  serviço  que  converte  o  nome   do  host,  por  exemplo  www.google.com.br   em  um  endereço  de  IP  216.58.222.3.
  23. 23. 23AULA  : Campus  Charqueadas Como  a  máscara  de   sub-­rede  é  utilizada
  24. 24. 24AULA  : Campus  Charqueadas Como  a  máscara  de   sub-­rede  é  utilizada • Temos uma rede local conectada a internet através   de   um   roteador.   É   utilizada  uma  subnet  255.255.255.0  (uma   rede   classe   C).   A   rede   é   dada   pelo   endereço   10.200.150.0,   ou   seja   todos   os   equipamentos   que   compõem   essa   rede   começam   o   seu   endereço   com   10.200.150.
  25. 25. 25AULA  : Campus  Charqueadas Como  a  máscara  de   sub-­rede  é  utilizada • Lembre que existe uma relação   direta   entre  a  subnet  e  a  parte  que  deve  ser  fixa   do  endereço  IP.
  26. 26. 26AULA  : Campus  Charqueadas Como  o  TCP/IP   utiliza  a  subnet • Quando dois equipamentos tentam trocar informação   em   uma   rede,   o   TCP/IP   precisa   determinar   se   os   dois   estão   na   mesma   rede.   Assim   teremos   duas   cituações:  
  27. 27. 27AULA  : Campus  Charqueadas Como  o  TCP/IP   utiliza  a  subnet • Situação   1:   Os   dois   pertencem   a   mesma   rede   – Neste   caso   o   TCP/IP   envia   o   pacote   para   o   barramento  todos  os  computadores  recebem   e   o   destinatário   captura   e   passa   para   o   sistema  operacional.  
  28. 28. 28AULA  : Campus  Charqueadas Como  o  TCP/IP   utiliza  a  subnet • Situação   2:   Os   dois   não   pertencem   a   mesma  rede   – Neste   caso   o   TCP/IP   envia   o   pacote   para   o   Gateway   configurado   no   equipamento   de   origem.   O   Gateway   se   encarrega   de   encaminhar   o   pacote   adiante   até   que   o   mesmo  chegue  a  seu  destinatário.  
  29. 29. 29AULA  : Campus  Charqueadas TCP/IP • Como o TCP/IP sabe se os equipamentos estão  na  mesma  rede?   Com  base  na  figura  anterior,  suponha  que  o   equipamento   cujo   IP   é   10.200.150.5   (origem)   deseja   enviar   um   pacote   para   equipamento  10.200.150.8 (destino), ambos com subnet 255.255.255.0.  
  30. 30. 30AULA  : Campus  Charqueadas TCP/IP • O  primeiro  passo  é  converte  os  endereços   para  binário:  
  31. 31. 31AULA  : Campus  Charqueadas TCP/IP • Feitas as conversões   é   feita   a   operação   “E”,   bit   a   bit,   entre   o   endereço   IP   e   a   subnet  dos  dois  equipamentos.  
  32. 32. 32AULA  : Campus  Charqueadas TCP/IP • Em   seguida   são   comparados   os   dois   resultados,   se   forem   iguais   os   computadores   pertencem   a   mesma   rede   local.  
  33. 33. 33AULA  : Campus  Charqueadas Classes  de  IP • Como vimos as classes de IP são   determinadas   pela   máscara   de   sub-­rede   que   determina   qual   “parte”   do   endereço   representa  a  rede.
  34. 34. 34AULA  : Campus  Charqueadas Rede  Classe  A • Esta classe foi definida como tendo o primeiro bit do endereço IP como sendo igual a zero. • Com isso o primeiro endereço somente poderá  variar  de  1  até  127,  na  prática  até   126  pois  o  127  é  um  número  reservado.   • O   endereço   de   rede   127.0.0.1   é   conhecido  como  localhost.
  35. 35. 35AULA  : Campus  Charqueadas Rede  Classe  A
  36. 36. 36AULA  : Campus  Charqueadas Rede  Classe  A • Por padrão   a   classe   A   foi   definida   como   utilizando  a  máscara  255.0.0.0.   • Com   essa   máscara   observamos   que   temos  8  bits  para  endereçamento  da  rede   e  24  bits  para  os  equipamentos.   • Com   base   no   número   de   bits   em   cada   parte   podemos   determinar   quantas   redes   e   quantos   hosts   podemos   ter   na   rede   classe  A.
  37. 37. 37AULA  : Campus  Charqueadas Rede  Classe  A • Para esse cálculo utilizamos a fórmula: 2n-­2 • Onde “n” representa o número   de   bits   utilizado  para  a  rede  ou  hosts.
  38. 38. 38AULA  : Campus  Charqueadas Rede  Classe  A • Número  de  redes  Classe  A   – São   utilizados   8   bits   para   a   identificação   da   rede   porem   o   primeiro   bit   é   sempre   0,   por   isso   sobram   apenas   7   bits   para   forma   diferentes  rede.   27-­2  -­>  128  -­  2  -­>  126  redes  classe  A  
  39. 39. 39AULA  : Campus  Charqueadas Rede  Classe  A • Número  de  equipamentos  (hosts)  em  uma   rede  classe  A   – São  utilizados  24  bits  para  definir  endereços   de  classe  A   224  -­  2  -­>  16777216  -­  2  -­>  16777214  hosts   em  cada  rede.
  40. 40. 40AULA  : Campus  Charqueadas Rede  Classe  B • Esta classe foi definida como tendo os primeiros bits do endereço IP como sendo iguais a um e zero. • Com isso o primeiro endereço somente poderá  variar  de  128  até  191.
  41. 41. 41AULA  : Campus  Charqueadas Rede  Classe  B
  42. 42. 42AULA  : Campus  Charqueadas Rede  Classe  B • Por padrão   a   classe   B   foi   definida   como   utilizando  a  máscara  255.255.0.0.   • Com   essa   máscara   observamos   que   temos   16   bits   para   endereçamento   da   rede  e  16  bits  para  os  equipamentos.   • Com   base   no   número   de   bits   em   cada   parte   podemos   determinar   quantas   redes   e   quantos   hosts   podemos   ter   na   rede   classe  B.
  43. 43. 43AULA  : Campus  Charqueadas Rede  Classe  B • Número  de  redes  Classe  B   – São  utilizados  16  bits  para  a  identificação  da   rede  porem  os  primeiros  bits  são  sempre  10,   por   isso   sobram   apenas   14   bits   para   forma   diferentes  rede.   214-­2  -­>  16384  -­  2  -­>  16382  redes  classe  B  
  44. 44. 44AULA  : Campus  Charqueadas Rede  Classe  B • Número  de  equipamentos  (hosts)  em  uma   rede  classe  B   – São  utilizados  16  bits  para  definir  endereços   de  classe  B   216  -­  2  -­>  65536  -­  2  -­>  65534  hosts  em  cada   rede.
  45. 45. 45AULA  : Campus  Charqueadas Rede  Classe  C • Esta classe foi definida como tendo os primeiros bits do endereço IP como sendo iguais a um, um e zero. • Com isso o primeiro endereço somente poderá  variar  de  192  até  223.
  46. 46. 46AULA  : Campus  Charqueadas Rede  Classe  C
  47. 47. 47AULA  : Campus  Charqueadas Rede  Classe  C • Por padrão   a   classe   C   foi   definida   como   utilizando  a  máscara  255.255.255.0.   • Com   essa   máscara   observamos   que   temos   24   bits   para   endereçamento   da   rede  e  8  bits  para  os  equipamentos.   • Com   base   no   número   de   bits   em   cada   parte   podemos   determinar   quantas   redes   e   quantos   hosts   podemos   ter   na   rede   classe  C.
  48. 48. 48AULA  : Campus  Charqueadas Rede  Classe  C • Número  de  redes  Classe  C   – São  utilizados  24  bits  para  a  identificação  da   rede  porem  os  primeiros  bits  são  sempre  110,   por   isso   sobram   apenas   21   bits   para   forma   diferentes  rede.   221   -­2   -­>   2097152   -­   2   -­>   2097150   redes   classe  C  
  49. 49. 49AULA  : Campus  Charqueadas Rede  Classe  B • Número  de  equipamentos  (hosts)  em  uma   rede  classe  C   – São   utilizados   8   bits   para   definir   endereços   de  classe  C   28  -­  2  -­>  256  -­  2  -­>  254  hosts  em  cada  rede.
  50. 50. 50AULA  : Campus  Charqueadas Rede  classe  D • Os primeiros bits do endereço são   definidos  como  sendo  sempre  1110.   • A   classe   D   é   uma   rede   reservada   a   endereços  chamados  de  Multicast.
  51. 51. 51AULA  : Campus  Charqueadas Rede  classe  E • Os primeiros bits do endereço são   definidos  como  sendo  sempre  1111.   • A   classe   E   é   uma   rede   reservada   para   estudos.
  52. 52. 52AULA  : Campus  Charqueadas Resumo  das  classes
  53. 53. 53AULA  : Campus  Charqueadas Tarefa 1. Como defina se os equipamentos 192.168.3.244 e 192.168.3.32 ambos com máscara   de   sub-­rede   255.255.0.0  estão  na  mesma  rede.   2. Considerando  o  endereçamento  IPv4,  os  endereços   190.1.1.1  e  227.10.1.0  são,  respectivamente,  de  qual   classe. 3. Quando enviado um pacote para o host 255 em uma máquina  na  classe  C  significa  que  o  pacote  é  destinado   á.   4. De que classe é   um   equipamento   situado   entre   os   endereços  128.0.0.0  e  192.255.255.255.
  54. 54. 54AULA  : Campus  Charqueadas Tarefa 5. Como deve ser a subnet para uma rede classe C. 6. O endereço 127.0.0.x indica que equipamento na rede. 7. Em uma rede classe A quantos bits representam os hosts. 8. Se uma estação   tiver   o   endereço   10.100.1.1   com   subnet   255.255.255.0   e   enviar   um   pacote   para   o   endereço   10.100.2.1   como   se   dará   o   envio   desse   pacote.   9. Qual  o  endereço  de  Broadcast  da  rede  192.168.10.0.

×