O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Curso Grátis Concurso Correios (Português)

1.087 visualizações

Publicada em

Passar em concursos públicos envolve quatro grandes disciplinas:
Organização;
Planejamento;
Técnicas de Estudos;
Ter uma boa Aprovação nos Exames.
A otimização dos seus estudos nessa jornada ao sucesso em concursos é simplesmente você vestir sua auto estima, calçar sua determinação e entrar para jogo. Otimizar é você descobrir Técnicas de como Aprender de Fato o que Interessa para poder passar nos concursos.

Sabemos que existem muito que aprender, por esse motivo precisamos de todas as armas possíveis para desenvolver um acelerador de aprendizado. A ideia é com o aumento do desempenho nos estudos seu tempo livre deve então ficar mais livre.

O objetivo desse blog é passar para você técnicas de aprendizado de forma prática e rápida. Sabemos que existem muitas informações fragmentas pela rede, e, aprender fazendo pesquisas será uma tarefa muito desafiadora. Quero poder passar para você tudo sobre concursos aqui neste blog.

Querer. Passar em concurso envolve muita coragem, garra, força, persistência, etc... Quem faz as coisas por fazer sem vontade, sem foco, sem determinação sempre alcançará os mesmos resultados, Zero! É preciso desejar o objetivo como se fosse o seu combustível para sobre viver.

Para que haja mudanças em nossas vidas é preciso querer, e manifestar a vontade adormecida dentro de nós sobre os principais pontos chaves dos desejos, ou seja, se eu tenho sede de água não descansarei enquanto não saciar minha sede. Precisamos unir o sedento por água com o fator acordar de manhã com um sonho, sair em busca dele, e voltar realizado.


Cada um de nós pode trabalhar para mudar um pequena parte dos acontecimentos, a história é feita de inúmeros atos de coragem e crença. (John kennedy)

O mais importante na vida não é a situação onde estamos, mas a direção para qual nos movemos. (Homes)

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Curso Grátis Concurso Correios (Português)

  1. 1. Aula 1 Emprego das classes e palavras (Nome, pronome, verbo, preposição, conjunções) A morfologia está agrupada em dez classes, denominadas classes de palavras ou classes gramaticais . São elas: Substantivo, Artigo, Adjetivo, Numeral, Pronome, Verbo, Advérbio, Preposição, Conjunção e Interjeição . Masssssssssss para este concurso serão necessários apenas estas: substantivo (nome), pronome, verbo, preposição e conjunção . Substantivo (nome) Tudo o que existe é ser e cada ser tem um nome . Substantivo é a classe gramatical de palavras variáveis, as quais denominam os seres . Além de objetos, pessoas e fenômenos, os substantivos também nomeiam: • Lugares: Brasil, Rio de Janeiro . • Sentimentos: amor, ciúmes . • Estados: alegria, fome . • Qualidades: agilidade, sinceridade . • Ações: corrida, leitura . Destaque zambeliano Concretos: Os que indicam elementos reais ou imaginários com existência própria, independentes dois sentimentos ou julgamentos do ser humano . Exemplo: Deus, fada, espírito, mesa, pedra . 9www.acasadoconcurseiro.com.br
  2. 2. Abstratos: Os que nomeiam entes que só existem na consciência humana, indicam atos, qualidades e sentimentos . Vida (estado), beleza (qualidade), felicidade (sentimento), esforço (ação) . Dor, saudade, beijo, pontapé, chute, resolução, resposta Sobrecomuns Quando um só gênero se refere a homem ou mulher . a criança (tanto menino quanto menina) Comuns de dois gêneros Quando uma só forma existe para se referir a indivíduos dos dois sexos . o artista, a artista, o dentista, a dentista . Artigo Artigo é a palavra que, vindo antes de um substantivo, indica se ele está sendo empregado de maneira definida ou indefinida . Além disso, o artigo indica, ao mesmo tempo, o gênero e o número dos substantivos . Detalhe zambeliano 1 Substantivação! • • Os milhões foram desviados dos cofres públicos . Os dedicados sempre vencem . Detalhe zambeliano 2 Artigo facultativo diante de nomes próprios . • • Cláudia não veio . A Cláudia não veio . Detalhe zambeliano 3 Artigo facultativo diante dos pronomes possessivos . • • Nossa banca é fácil . A Nossa banca é fácil . 10 www.acasadoconcurseiro.com.br
  3. 3. Correios – Português – Prof. Carlos Zambeli Adjetivo Adjetivo é a palavra que expressa uma qualidade ou característica do ser e se "encaixa" diretamente ao lado de um substantivo . Exemplo: O querido médico nunca chega no horário! O aluno concurseiro estuda com o melhor curso . Morfossintaxe do Adjetivo: O adjetivo exerce sempre funções sintáticas relativas aos substantivos, atuando como adjunto adnominal ou como predicativo (do sujeito ou do objeto) . Locução adjetiva • Carne de porco (suína) • Curso de tarde (vespertino) • Energia do vento (eólica) • Arsenal de guerra (bélico) Detalhe zambeliano! • Os concurseiros dedicados estudam comigo . • Os concurseiros são dedicados . Pronome Pessoais A 1ª pessoa: aquele que fala (eu, nós), o locutor; A 2ª pessoa: aquele com quem se fala (tu, vós) o locutário; A 3ª pessoa: aquele de quem se fala (ele, ela, eles, elas), o assunto ou referente . As palavras EU, TU, ELE, NÓS, VÓS, ELES são pronomes pessoais . São denominados desta forma por terem a característica de substituírem os nomes, ou seja, os substantivos . 11www.acasadoconcurseiro.com.br
  4. 4. Note esse exemplo: • Vou imprimir uma apostila da Casa do concurseiro para dar no dia da inscrição da Ana . • Vou imprimir uma apostila da Casa do concurseiro para dar no dia da inscrição dela . Os pronomes pessoais classificam-se em retos e oblíquos, de acordo com a função que desempenham na oração . RETOS: Assumem na oração as funções de sujeito ou predicativo do sujeito . OBLÍQUOS: Assumem as funções de complementos, como o objeto direto, o objeto indireto, o agente da passiva, o complemento nominal . “Não sei, apenas cativou-me . Então, tu tornas-te eternamente responsável por aquilo que cativa . Tu pode ser igual a todos outros no mundo, mas para mim serás único .” Antoine de Saint-Exupéry (1900-1944) – O pequeno príncipe Indefinidos • Algum material pode me ajudar. (afirmativo) • Material algum pode me ajudar. (negativo) Outros pronomes indefinidos: Tudo, todo (toda, todos, todas), algo, alguém, algum (alguma, alguns, algumas), nada, ninguém, nenhum (nenhuma, nenhuns, nenhumas), certo (certa, certos, certas), qualquer (quaisquer), o mesmo (a mesma, os mesmos, as mesmas), outrem, outro (outra, outros, outras), cada, vários (várias) . Demonstrativos Este, esta, isto – perto do falante . ESPAÇO � Esse, essa, isso – perto do ouvinte . Aquele, aquela, aquilo – longe dos dois . Este, esta, isto – presente/futuro TEMPO � Esse, essa, isso – passado breve Aquele, aquela, aquilo – passado distante Este, esta, isto – vai ser dito Esse, essa, isso – já foi dito DISCURSO � RETOMADA Dudan e Zambeli são dois dos professores da Casa do Concurseiro . Este é ensina Português; aquele, Matemática . Possessivos• Aqui está a minha carteira . Cadê a sua? 12 www.acasadoconcurseiro.com.br
  5. 5. Correios – Português – Prof. Carlos Zambeli Verbos As formas nominais do verbo são o gerúndio, infinitivo e particípio . Não apresentam flexão de tempo e modo, perdendo desta maneira algumas das características principais dos verbos . Tempo e Modo As marcas de tempo verbal situam o evento do qual se fala com relação ao momento em que se fala . Em português, usamos três tempos verbais: presente, passado e futuro . Os modos verbais, relacionados aos tempos verbais, destinam-se a atribuir expressões de certeza, de possibilidade, de hipótese ou de ordem ao nosso discurso . Essas formas são indicativo, subjuntivo e imperativo . O modo indicativo possui seis tempos verbais: presente; pretérito perfeito, pretérito imperfeito e pretérito mais-que-perfeito; futuro do presente e futuro do pretérito . O modo subjuntivo divide-se em três tempos verbais: presente, pretérito imperfeito e futuro . O modo imperativo apresenta-se no presente e pode ser afirmativo ou negativo . Advérbio É a classe gramatical das palavras que modificam um verbo, um adjetivo ou um outro advérbio . É a palavra invariável que indica as circunstâncias em que ocorre a ação verbal . • Ela reflete muito sobre acordar cedo! • Ela nunca pensa muito pouco! • Ela é muito charmosa . O advérbio pode ser representado por duas ou mais palavras: locução adverbial (à direita, à esquerda, à frente, à vontade, em vão, por acaso, frente a frente, de maneira alguma, de manhã, de súbito, de propósito, de repente) . Lugar: longe, junto, acima, atrás . Tempo: breve, cedo, já, dentro, ainda . Modo: bem, mal, melhor, pior, devagar, (usa, muitas vezes, o sufixo-mente) . Negação: não, tampouco, absolutamente . Dúvida: quiçá, talvez, provavelmente, possivelmente . Intensidade: muito, pouco, bastante, mais, demais, tão . Afirmação: sim, certamente, realmente, efetivamente . 13www.acasadoconcurseiro.com.br
  6. 6. Preposição Preposição é uma palavra invariável que liga dois elementos da oração, subordinando o segundo ao primeiro, ou seja, o regente e o regido . Regência verbal: Entregamos aos alunos nossas apostilas no site . Regência nominal: Somos favoráveis ao debate . Zambeli, quais são as preposições? a – ante – até – após – com – contra – de – desde – em – entre – para – per – perante – por – sem – sob – sobre – trás . Lugar: Estivemos em Londres . Origem: Essas uvas vieram da Argentina . Causa: Ele morreu, por cair de um guindaste . Assunto: Conversamos muito sobre política . Meio: Fui de bicicleta ontem . Posse: O carro é de Edison . Matéria: Comprei pão de leite . Oposição: Corinthians contra Palmeiras . Conteúdo: Esse copo é de vinho . Fim ou finalidade: Ele veio para ficar . Instrumento: Você escreveu a lápis . Companhia: Sairemos com amigos . Modo: Nas próximas eleições votarei em branco .Conjunções Conjunção é a palavra invariável que liga duas orações ou dois termos semelhantes de uma mesma oração . As conjunções podem ser classificadas em coordenativas e subordinativas • Dudan tropeçou e torceu o pé . • Espero que você seja estudiosa . 14 www.acasadoconcurseiro.com.br
  7. 7. Correios – Português – Prof. Carlos Zambeli No primeiro caso temos duas orações independentes, já que separadamente elas têm sentido completo: período é composto por coordenação . No segundo caso, uma oração depende sintaticamente da outra . O verbo “espero” fica sem sentido se não há complemento . Coordenadas: aditivas, adversativas, alternativas, conclusivas, explicativas . Subordinadas: concessivas, conformativas, causais, consecutivas, comparativas, condicionais, temporais, finais, proporcionais . Curiosidade! Das conjunções adversativas, "mas" deve ser empregada sempre no início da oração: as outras (porém, todavia, contudo, etc .) podem vir no início ou no meio . • Ninguém respondeu a pergunta, mas os alunos sabiam a resposta . • Ninguém respondeu a pergunta; os alunos, porém, sabiam a resposta Exercício para fixar! Classifique a classe gramatical (substantivo, adjetivo, artigo, pronome, verbo, preposição, conjunção) das palavras numeradas no texto extraído do jornal Zero Hora . Ciência mostra que estar só pode trazer benefícios, mas tambémprejudicar a saúde física e mental As1 pessoas preferem sofrer a ficar sozinhas e desconectadas2 , mesmo que por poucos minutos . Virginia, nos Estados Unidos, e publicado este7 mês na revista científica8 "Science" . Colocados nada, longe de seus11 celulares e qualquer outro estímulo, imersos em seus pensamentos . Foi isso3 que mostrou um recente4 estudo realizado por pesquisadores5 da Universidade de6 sozinhos em uma sala9 , os voluntários do experimento deveriam passar 15 minutos sem fazer10 Mas12 , caso quisessem, bastava apertar um botão13 e tomariam um choque14 elétrico15 . O resultado foi surpreendente: 67% dos homens e 25% das mulheres, entediados, preferiram as descargas elétricas a que ficar sem estímulo nenhum, somente16 na companhia de seus estudo se mostraram surpresos com19 o resultado, que indicou como as pessoas encaram de pensamentos . Alguns17 deles, inclusive, optaram pelo "castigo" repetidas vezes . Os18 líderes do forma20 negativa a ideia de estarem em contato consigo . 1. 6. 11. 16. 2. 7. 12. 17. 3. 8. 13. 18. 4. 9. 14. 19. 5. 10. 15. 20. 15www.acasadoconcurseiro.com.br
  8. 8. Aula 2 Sintaxe da Oração Frase: É o enunciado com sentido completo, capaz de fazer uma comunicação . Na frase é facultativo o uso do verbo . Oração: É o enunciado com sentido que se estrutura com base em um verbo . Período: É a oração composta por um ou mais verbos . SUJEITO – é o ser da oração ou a quem o verbo se refere e sobre o qual se faz uma declaração . Que(m) é quê? • “Teus sinais me confundem da cabeça aos pés, mas por dentro eu te devoro .” (Djavan) • Existem aqui bons alunos, boas apostilas e exemplares professores . • Discutiu-se esse assunto na aula de Português da Casa do Concurseiro . Casos especiais Sujeito indeterminado– quando não se quer ou não se pode identificar claramente a quem o predicado da oração se refere . Observe que há uma referência imprecisa ao sujeito . Ocorre a) Com o verbo na 3ª pessoa do plural, desde que o sujeito não tenha sido identificado anteriormente . • Falaram sobre esse assunto no bar do curso . • “Um dia me disseram que as nuvens não eram de algodão .” (Engenheiros do Hawaii) b) com o verbo na 3ª pessoa do singular (VI, VTI, VL) + SE • Precisa-se de muita atenção durante a aula . • Dorme-se muito bem neste hotel . • “Fica-se muito louco quando apaixonado .” (Freud) 21www.acasadoconcurseiro.com.br
  9. 9. Inexistente (oração sem sujeito) – ocorre quando há verbos impessoais na oração . Fenômeno da natureza • Venta forte no litoral cearense! • Deve chover nesta madrugada . Haver – no sentido de existir, ocorrer, ou indicando tempo decorrido . • "Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses .” (Rubem Alves) • Havia muitas coisas estranhas naquele lugar . • Deve haver algum concurso neste mês . • Devem existir algum concurso neste mês . Fazer – indicando temperatura, fenômeno da natureza, tempo . • Faz 18ºC em Porto Alegre hoje . • Deve fazer 40ºC amanhã em Recife . • Fez calor ontem na cidade . • Faz 3 anos que eu trabalho na Casa do Concurseiro . • Está fazendo 10 meses que nós nos vimos aqui . Sujeito Oracional • Estudar para concursos é muito cansativo . • É necessário que vocês estudem em casa . • “Parecia que era minha aquela solidão .” (Engenheiros do Hawaii) 22 www.acasadoconcurseiro.com.br
  10. 10. Correios – Português – Prof. Carlos Zambeli Transitividade Verbal 1. Verbo Intransitivo (VI): Verbo que não exige complemento . • “A saudade não deseja ir para a frente . Ela deseja voltar .” (Rubem Alves) • “Meu coração já não bate nem apanha .” (Arnaldo Antunes) 2. Verbo Transitivo Direto (VTD): Verbo que precisa de complemento sem preposição . • “A Vida Anuncia que renuncia a Morte dentro de Nós ." (Teatro Mágico) • “Por onde andei enquanto você me procurava?” (Nando Reis) 3. Verbo Transitivo Indireto (VTI): Verbo que precisa de complemento com preposição . • “Cuida de mim, enquanto não me esqueço de você” . (Teatro Mágico) • “Acreditar por um instante em tudo que existe” (Legião) 4. Verbo Transitivo Direto e Indireto (VTDI): Precisa de 2 complementos . (OD e OI) • “A Mônica explicava ao Eduardo coisas sobre o céu, a terra, a água e o ar .” (Legião) • “Plantei uma flor no coração dela, e ela me deu um sorriso trazendo paz .” (Natiruts) 5. Verbo de Ligação (VL): Não indicam ação . Esses verbos fazem a ligação entre 2 termos: o sujeito e suas características . Estas características são chamadas de predicativo do sujeito . • “O sonho é a realização de um desejo .” (Freud) • Tu estás cansado agora? ser, viver, acha, encontrar, fazer, parecer, estar, continuar, ficar, permanecer, andar, tornar, virar 23www.acasadoconcurseiro.com.br
  11. 11. Adjunto Adverbial É o termo da oração que indica uma circunstância (dando ideia de tempo, instrumento, lugar, causa, dúvida, modo, intensidade, finalidade) . O adjunto adverbial é o termo que modifica o sentido de um verbo, de um adjetivo, de um advérbio . Advérbio X Adjunto Adverbial Hoje eu prometo a você uma taça de vinho na minha casa alegremente! Aposto X Vocativo Aposto é um termo acessório da oração que se liga a um substantivo, tal como o adjunto adnominal, mas que, no entanto sempre aparecerá com a função de explicá-lo, aparecendo de forma isolada por pontuação . Vocativo é o único termo isolado dentro da oração, pois não se liga ao verbo nem ao nome . Não faz parte do sujeito nem do predicado . A função do vocativo é chamar o receptor a que se está dirigindo . É marcado por sinal de pontuação . • Dudan, o professor de matemática, também sabe muito bem Português! • Sempre me disseram duas coisas: estude e divirta-se . • “Não chore, meu amor, tudo vai melhorar” (Natiruts) Adjunto Adnominal Adjunto adnominal é o termo que caracteriza e/ou define um substantivo . As classes de palavras que podem desempenhar a função de adjunto adnominal são adjetivos, artigos, pronomes, numerais, locuções adjetivas . Portanto se trata de um termo de valor adjetivo que modificara o nome ao qual se refere . Artigo: O preço do arroz subiu Adjetivos: A política empresarial deve ser o grande debate no seminário . Pronome: Algumas pessoas pediram essas dicas . Numeral: Dez alunos dedicados fizeram o nosso simulado . Locução adjetiva: A aula de Português sempre nos emociona muito! 24 www.acasadoconcurseiro.com.br
  12. 12. Aula 3 Concordância Verbal Regra geral O verbo concorda com o núcleo do sujeito em número e pessoa . • “A renúncia progressiva dos instintos parece ser um dos fundamentos do desenvolvimento da civilização humana .” (Freud) • A sala dos professores parece o pátio de uma escola . Regras especiais 1. SE a) Pronome apassivador: O verbo (VTD ou VTDI) concordará com o sujeito passivo . • Compraram-se alguns salgadinhos para a festa . • Estuda-se esse assunto na aula . • Exigem-se referências do candidato . • Emplacam-se os carros novos em três dias . • Entregou-se um brinde aos alunos durante o intervalo . b) Índice de indeterminação do sujeito: O verbo (VL, VI ou VTI) não terá sujeito claro! Terá um sujeito indeterminado . • Não se confia em pessoas que não estudam . • Necessita-se, no decorrer do curso, de uma boa revisão . • Assistiu-se a todas as cenas da novela no capítulo final . 29www.acasadoconcurseiro.com.br
  13. 13. 2. PRONOME DE TRATAMENTO O verbo fica sempre na 3ª pessoa (= ele/ eles) . • Vossa Excelência merece nossa estima . Sua obra é reconhecida por todos . 3. HAVER – FAZER “Haver” no sentido de “existir ou ocorrer” ou indicando “tempo” ficará na terceira pessoa do singular. É impessoal, ou seja, não possui sujeito . “Fazer” quando indica “tempo” ou “fenômenos da natureza”, também é impessoal e deverá ficar na terceira pessoa do singular. • Neste curso, há alguns alunos estudiosos . • Já houve muitos concursos neste ano . • Faz 3 dias que vi essa aula no site do curso . 4. Expressões partitivas ou fracionárias: Verbo no singular ou no plural . • A maioria das pessoas aceita/ aceitam os problemas sociais . • Um terço dos candidatos errou/ erraram aquela questão . Complete as frases: a) É preciso que se as questões de Português e se as dicas para não muitas dúvidas . (faça – façam/fixe – fixem/existir – existirem)b) c) d) Não gabaritos errados . (poderia haver – poderiam haver) de questões complicadas . (Trata-se – Tratam- se)Os alunos acreditam que outras formas de aprender a matéria, mas sabem que algumas exceções . (exista – existam / podem haver – pode haver)e) vários meses que não se simulados aqui; alguma coisa acontecendo . (faz – fazem/ realiza – realizam/deve haver – devem haver) Não emoções que uma aprovação . (existe – existem/ traduza – f) traduzam) problemas durante a prova . (aconteceu – aconteceram) g) h) Quando se de concursos públicos, em que se diplomas acadêmicos, não tantos inscritos . (trata – tratam/exige – exigem/ deve haver – devem haver) às 9h a prova, mas quase não candidatos . (Iniciou-se – i) Iniciaram-se/havia – haviam) No Facebook, fotos selfs e muitas informações erradas . (publica- j) se – publicam-se/ compartilha-se – compartilham-se) 30 www.acasadoconcurseiro.com.br
  14. 14. Correios – Português – Prof. Carlos Zambeli Concordância Nominal Regra geral Os artigos, os pronomes, os numerais e os adjetivos concordam com o substantivo a que eles se referem . Casos especiais 1. Adjetivo + substantivos de gênero diferente: Concordância com o termo mais próximo . • Aquele professor ensina complicadas regras e conteúdos . complicados conteúdos e regras . 2. Substantivos de gêneros diferentes + adjetivo: Concordância com o termo mais próximo ou uso do masculino plural . • A Casa do Concurseiro anunciou a professora e o funcionário homenageado . • A Casa do Concurseiro anunciou a professora e o funcionário homenageados . • A Casa do Concurseiro anunciou o funcionário e a professora homenageada . 3. Anexo Seguem anexos os valores do orçamento . As receitas anexas devem conter comprovante . 4. SÓ • “O impossível é só questão de opinião e disso os loucos sabem, só os loucos sabem .” (Chorão) • “Eu tava só, sozinho! Mais solitário que um paulistano, que um canastrão na hora que cai o pano .” • “Bateu de frente é só tiro, porrada e bomba .” (Valesca Popozuda) 31www.acasadoconcurseiro.com.br
  15. 15. Observação: A locução adverbial a sós é invariável . 5. OBRIGADO – adjetivo • “Muito obrigada”, disse a nova funcionária pública! 6. BASTANTE Adjetivo = vários, muitos Advérbio = muito, suficiente • Entregaram bastantes problemas nesta repartição . • Trabalhei bastante . • Tenho bastantes razões para estudar na Casa do Concurseiro! 7. TODO, TODA – qualquer TODO O, TODA A – inteiro • “Todo verbo é livre para ser direto ou indireto .” • Todo o investimento deve ser aplicado nesta empresa . 8. É BOM, É NECESSÁRIO, É PROIBIDO, É PERMITIDO Com determinante = variável Sem determinante = invariável • Vitamina C é bom para saúde . • É necessária aquela dica na véspera da prova . • Neste local, é proibido entrada de pessoas estranhas . • Neste local, é proibida a entrada de pessoas estranhas . 32 www.acasadoconcurseiro.com.br
  16. 16. Correios – Português – Prof. Carlos Zambeli 9. MEIO Adjetivo = metade Advérbio = mais ou menos • Comprei meio quilo de picanha . • Isso pesa meia tonelada . • O clima estava meio tenso . • Ana estava meio chateada . Exercícios: 1. Complete as lacunas com a opção mais adequada: a) É (proibido OU proibida) conversa durante o concurso . b) É (proibido OU proibida) a conversa durante o concurso . c) É (permitido OU permitida) a propaganda eleitoral agora . d) Estudar no intervalo não é (permitido OU permitida) . e) Bebida na aula não é (permitido OU permitida) . f) Crise financeira não é (bom OU boa) para os concurseiros . g) Respondeu tudo com (meio OU meias) palavras . h) Minha colega ficou (meio OU meia) angustiada . i) Ana estava (meio OU meia) estressada depois da prova . j) Eles comeram (bastante OU bastantes) salgadinhos . 33www.acasadoconcurseiro.com.br
  17. 17. Aula 4 Regência Verbal e Nominal A regência verbal estuda a relação que se estabelece entre os verbos e os termos que os complementam (objetos diretos e objetos indiretos) ou as circunstâncias (adjuntos adverbiais) . Um verbo pode assumir valor semântico diferente com a simples mudança ou retirada de uma preposição . Zambeli, o que eu preciso saber para compreender melhor este assunto? Pronome Relativo 1. QUE: Retoma pessoas ou coisas . • André Vieira, que me ensinou Constitucional, é uma grande professor! • Os arquivos das provas de que preciso estão no meu e-mail . • O colega em que confio é o Dudan . 2. QUEM: Só retoma pessoas . Um detalhe importante: sempre antecedido por preposição . • A professora em quem tu acreditas pode te ajudar . • O amigo de quem Pedro precisará não está em casa . • O colega a quem encontrei no concurso foi aprovado . 3. O QUAL: Existe flexão de gênero e de número: OS QUAIS, A QUAL, O QUAL, AS QUAIS . • • O chocolate de que gosto está em falta . O chocolate do qual gosto está em falta . • • A paixão por que lutarei . A paixão pela qual lutarei . • • A prova a que me refiro foi anulada . A prova à qual me refiro foi anulada . 39www.acasadoconcurseiro.com.br
  18. 18. 4. CUJO: Indica uma ideia de posse . Concorda sempre com o ser possuído . • A prova cujo assunto eu não sei será amanhã! • A professora com cuja crítica concordo estava me orientando . • A namorada a cujos pedidos obedeço sempre me abraça forte . 5. ONDE: Só retoma lugar. Sinônimo de EM QUE • O país aonde viajarei é perto daqui . • O problema em que estou metido pode ser resolvido ainda hoje . Principais verbos deste assunto: 1. Assistir VTD = ajudar, dar assistência: • • O policial não assistiu as vítimas durante a prova = O policial não as assistiu . O conselho tutelar assiste todas as crianças . VTI = ver, olhar, presenciar (prep . A obrigatória): • • Assistimos ao vídeo no youtube = Assistimos a ele . O filme a que eu assisti chama-se “ Intocáveis” . 2. Pagar e Perdoar VTD – OD – coisa: • Pagou a conta . VTI – OI – A alguém: • Pagou ao garçom . VTDI – alguma COISA A ALGUÉM: • • Pagou a dívida ao banco . Pagamos ao garçom as contas da mesa . 40 www.acasadoconcurseiro.com.br
  19. 19. Correios – Português – Prof. Carlos Zambeli 3. Querer VTD = desejar, almejar: • Eu quero esta vaga para mim . VTI = estimar, querer bem, gostar: • • Quero muito aos meus amigos . Quero a você, querida! 4. Implicar VTD = acarretar, ter consequência • • Passar no concurso implica sacrifícios . Essas medidas econômicas implicarão mudanças na minha vida . VTI – ter birra, implicância • Ela sempre implica com meus amigos! 5. Preferir VTDI = exige a prep . A= X a Y • Prefiro concursos federais a concursos estaduais . 6. Ir, Voltar, Chegar Usamos as preposições A ou DE ou PARA com esses verbos . • • Chegamos a casa . Foste ao curso . 7. Esquecer-se, Lembrar-se = VTI (DE) Esquecer, Lembrar = VTD • • • • Eu nunca me esqueci de você! Esqueça aquilo . O aluno cujo nome nunca lembro foi aprovado . O aluno de cujo nome nunca me lembro foi aprovado . 41www.acasadoconcurseiro.com.br
  20. 20. Regência Nominal É o nome da relação existente entre um substantivo, adjetivo ou advérbio transitivos e seu respectivo complemento nominal . Essa relação é sempre intermediada por uma preposição . Conhecer o regime de um verbo significa, nesses casos, conhecer o regime dos nomes cognatos . Por exemplo, obedecer e os nomes correspondentes: todos regem complementos introduzidos pela preposição a: obedecer a algo/a alguém; obediência a algo/a alguém; obediente a algo/a alguém; obedientemente a algo/a alguém . Distinção entre Adjunto Adnominal e Complemento Nominal a) Somente os substantivos podem ser acompanhados de adjuntos adnominais; já os complementos nominais podem ligar-se a substantivos, adjetivos e advérbios . Logo, o termo ligado por preposição a um adjetivo ou a um advérbio só pode ser complemento nominal . O complemento nominal equivale a um complemento verbal, ou seja, só se relaciona a substantivos cujos significados transitam . Portanto, seu valor é passivo, é sobre ele que recai a ação . O adjunto adnominal tem sempre valor ativo . b) • A vila aguarda a construção da escola . • A autor fez uma mudança de cenário . • Observamos o crescimento da economia . • Assaltaram a loja de brinquedos . 42 www.acasadoconcurseiro.com.br admiração a, por horror a atentado a, contra impaciência com aversão a, para, por medo a, de bacharel em, doutor em obediência a capacidade de, para ojeriza a, por devoção a, para com, por proeminência sobre dúvida acerca de, em, sobre respeito a, com, para com, por
  21. 21. Aula 5 Crase Ocorre Crase Eles foram à praia no fim de semana . (A prep . + A artigo) A aluna à qual me refiro é estudiosa . (A prep . + A do pronome relativo A Qual) A minha blusa é semelhante à de Maria . (A prep . + A pronome demonstrativo) Ele fez referência àquele aluno . (A prep . + A pronome demonstrativo Aquele) 1. Substitua a palavra feminina por outra masculina correlata; em surgindo a combinação AO, haverá crase . • Eles foram à praia = AO mar 2. Substitua os demonstrativos Aqueles(s), Aquela(s), Aquilo por A este(s), A esta(s), A isto; mantendo-se a lógica, haverá crase . • Ele fez referência àquele aluno = A este aluno . 3. Nas locuções prepositivas, conjuntivas e adverbiais . • à frente de; à espera de; à procura de; à noite; à tarde; à esquerda; à direita; às vezes; às pressas; à medida que; à proporção que; à toa; à vontade, etc . 4. Na indicação de horas determinadas: deve-se substituir a hora pela expressão “meio-dia”; se aparecer AO antes de “meio-dia”, devemos colocar o acento, indicativo de crase no A . • Ele saiu às duas horas e vinte minutos . (ao meio dia) • Ele está aqui desde as duas horas . (o meio-dia) . 47www.acasadoconcurseiro.com.br
  22. 22. 5. Antes de nome próprio de lugares, deve-se colocar o verbo VOLTAR; se dissermos VOLTO DA, haverá acento indicativo de crase; se dissermos VOLTO DE, não ocorrerá o acento . • Vou à Bahia . (volto da) . Vou a São Paulo (volto de) . Observação: Se o nome do lugar estiver acompanhado de uma característica adnominal), o acento será obrigatório . (adjunto • Vou a Portugal . Vou à Portugal das grandes navegações . Crase Opcional 1. Antes de nomes próprios femininos . • Entreguei o presente a Ana (ou à Ana) . 2. Antes de pronomes possessivos femininos adjetivos no singular . • Fiz alusão a minha amiga (ou à minha amiga) . Mas não fiz à sua . 3. Depois da preposição ATÉ . • Fui até a escola . (ou até à escola) . Não ocorre crase 1. Antes de palavras masculinas . • Ele saiu a pé . • Barco a vapor . 2. Antes de verbos . • Estou disposto a colaborar com ele . • Produtos a partir de R$ 1,99 . 3. Antes de artigo indefinido . • Fomos a uma lanchonete no centro . 48 www.acasadoconcurseiro.com.br
  23. 23. Correios – Português – Prof. Carlos Zambeli 4. Antes de alguns pronomes • Passamos os dados do projeto a ela . • Eles podem ir a qualquer restaurante . • Refiro-me a esta aluna . • A pessoa a quem me dirigi estava atrapalhada . • O restaurante a cuja dona me referi é ótimo . 5. Depois de preposição diferente de A • Eles foram para a praia . • Ficaram perante a torcida após o gol . 6. Quando o A estiver no singular e a palavra a que ele se refere estiver no plural . • Refiro-me a pessoas que são competentes . • Entregaram tudo a secretárias do curso . 7. Em locuções formadas pela mesma palavra . • Tomei o remédio gota a gota . • A vítima ficou cara a cara com o ladrão . 49www.acasadoconcurseiro.com.br
  24. 24. Aula 6 Sintaxe do período: coordenação e subordinação Coordenativas: Ligam orações independentes, ou seja, que possuem sentido completo . 1. Aditivas: Expressam ideia de adição, soma, acréscimo . São elas: e, nem,não só . . . mas também, mas ainda, etc . • “A alegria evita mil males e prolonga a vida .” (Shakespeare) • “De repente, a dor de esperar terminou, e o amor veio enfim .” (Tim Maia) • Não avisaram sobre o feriado, nem cancelaram as aulas . 2. Adversativas: Expressam ideia de oposição, contraste . São elas: mas, porém, todavia, contudo, no entanto, entretanto, não obstante, etc . • “Sejamos todas as capas de edição especial, mas, porém, contudo, entretanto, todavia, não obstante sejamos também a contracapa, porque ser a capa e ser contracapa é a beleza da contradição” (Teatro Mágico) • “Todos caem; apenas os fracos, porém, continuam no chão .” (Bob Marley) 3. Alternativas: Expressam ideia de alternância ou exclusão . São elas; ou, ou . . . ou, ora . . . ora, quer. . . quer, etc . • “Toda ação humana, quer se torne positiva, quer negativa, precisa depender de motivação .” (Dalai Lama) • Ora estuda com disposição, ora dorme em cima das apostilas . 55www.acasadoconcurseiro.com.br
  25. 25. 4. Conclusivas: Expressam ideia de conclusão ou uma ideia consequente do que se disse antes . São elas: logo, portanto, por isso, por conseguinte, assim, de modo que, em vista disso então, pois (depois do verbo) etc . • Apaixonou-se; deve, pois, sofrer em breve . • “Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito . Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver .” (Dalai Lama) 5. Explicativas: A segunda oração dá a explicação sobre a razão do que se afirmou na primeira oração . São elas: pois, porque, que . • “Não faças da tua vida um rascunho, pois poderás não ter tempo de passá-la a limpo .” (Mario Quintana) • “Prepara, que agora é a hora do show das poderosas .” (Chico Buarque #sqn) • Edgar devia estar nervoso, porque não parava de gritar na aula . Subordinativas: Ligam orações dependentes, de sentido incompleto, a uma oração principal que lhe completa o sentido . Podem ser adverbiais, substantivas e adjetivas; neste caso, estudaremos as conjunções que introduzem as orações subordinadas adverbiais . 1. Causais: Expressam ideia de causa, motivo ou a razão do fato expresso na oração principal . São elas: porque, porquanto, posto que, visto que, já que, uma vez que, como, etc . • “Já que você não me quer mais, vou espalhar meu amor por aí .” (seu cuca) • “Que eu possa me dizer do amor (que tive): que não seja imortal, posto que é chama .” • “Mas que seja infinito enquanto dure .” (Vinicius de Morais) 2. Comparativas: Estabelecem uma comparação com o elemento da oração principal . São elas: como, que (precedido de “mais”, de “menos”, de “tão”), etc . • “Como arroz e feijão, é feita de grão em grão nossa felicidade .” (Teatro Mágico) • “É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã .” (Legião) 56 www.acasadoconcurseiro.com.br
  26. 26. Correios – Português – Prof. Carlos Zambeli 3. Condicionais: Expressam ideia de condição ou hipótese para que o fato da oração principal aconteça . São elas: se, caso, exceto se, a menos que, salvo se, contanto que, desde que, etc . “Se tu me amas, ama-me baixinho Não o grites de cima dos telhados Deixa em paz os passarinhos Deixa em paz a mim! Se me queres, enfim, tem de ser bem devagarinho, Amada, que a vida é breve, e o amor mais breve ainda . . .” (Mario Quintana) • “Se as pessoas são boas só porque temem a punição, e esperam a recompensa, então nós somos mesmo uns pobres coitados .” (Albert Einstein) 4. Consecutivas: Expressam ideia de consequência ou efeito do fato expresso na oração principal . São elas: que (precedido de termo que indica intensidade: tão, tal, tanto, etc .), de modo que, de sorte que, de maneira que, etc . “O poeta é um fingidor. Finge tão completamente Que chega a fingir que é dor A dor que deveras sente .” (Fernando Pessoa) • A gente estuda tanto durante a semana que no sábado só quer revisar Português . 5. Conformativas: Expressam ideia de conformidade ou acordo em relação a um fato expresso na oração principal . São elas: conforme, segundo, consoante, como . • Segundo indicam as pesquisas, o candidato não tem chances . • Como tínhamos imaginado, a Casa do Concurseiro sempre é a melhor opção . 6. Concessivas: Expressam ideia de que algo que se esperava que acontecesse, contrariamente às expectativas, não acontece . São elas: embora, conquanto, ainda que, se bem que, mesmo que, apesar de que, etc . • “Mesmo que seja desacreditado e ignorado por todos, não posso desistir, pois para mim, vencer é nunca desistir .” (Albert Einstein) • “Ainda que o bem que persigo esteja distante, sei que existe .” (Confúcio) 57www.acasadoconcurseiro.com.br
  27. 27. 7. Finais: Expressam ideia de finalidade . São elas: a fim de que, para que, que, etc . “Para ser grande, sê inteiro; nada teu exagera ou exclui; Sê todo em cada coisa; põe quanto és No mínimo que fazes; Assim em cada lago, a lua toda Brilha porque alta vive .” (Fernando Pessoa) • As pessoas devem estudar para que seus sonhos se realizem . 8. Proporcionais: Expressam ideia de proporção, simultaneidade . São elas: à medida que, à proporção que, ao passo que, etc . • Ao passo que estudo esta matéria, mais vontade de largar tudo eu tenho! 9. Integrantes: Introduzem uma oração que integra ou completa o sentido do que foi expresso na oração principal . São elas: que, se . • “Mas o carcará foi dizer à rosa que a luz dos cristais vem da lua nova e do girassol .” (Natiruts) • “Preciso demonstrar pra ela que mereço seu tempo para dizer um pouco das ideias novas” (Natiruts) 10. Temporais: Expressam anterioridade, simultaneidade, posteridade relativas ao que vem expresso na oração principal . São elas: quando, enquanto, assim que, desde que, logo que, depois que, antes que, sempre que, etc . • “Quando o inverno chegar, eu quero estar junto a ti .” (Tim Maia) • “Só enquanto eu respirar, vou me lembrar de você .” (Teatro Mágico) 58 www.acasadoconcurseiro.com.br
  28. 28. Aula 7 Pontuação Emprego da Vírgula Na ordem direta da oração (sujeito + verbo + complemento(s) + adjunto adverbial), NÃO use vírgula entre os termos . Isso só ocorrerá ao deslocarem-se o predicativo ou o adjunto adverbial . • Meu professor do curso entregou as apostilas aos alunos nesta semana . • Meu professor do curso entregou aos alunos as apostilas nesta semana . Dica Zambeliana = Não se separam por vírgulas • predicado de sujeito = Bastam, algumas gotas do produto! • objeto de verbo = Entregamos, ao grupo, algumas questões . • adjunto adnominal de nome = A prova, de Informática, está comentada no site! Entre os termos da oração 1. Para separar itens de uma série . (Enumeração) • A nossa empresa está contratando engenheiros, economistas, professores . • Precisa-se de bons políticos, de ótimos professores e de excelentes médicos . 2. Para assinalar supressão de um verbo . • “Os tristes acham que o vento geme; os alegres, que ele canta .” (Veríssimo) 63www.acasadoconcurseiro.com.br
  29. 29. 3. Para separar o adjunto adverbial deslocado . • Lá no sertão, as noites são escutas e perigosas . • “Ontem à noite, eu conheci uma guria, que eu já conhecia” (Engenheiros do Hawaii) • Os alunos, muitas vezes, esquecem a matéria . Observação: Se o adjunto adverbial for pequeno, a utilização da vírgula não é necessária, a não ser que se queira enfatizar a informação nele contida . • “Hoje eu preciso te encontrar de qualquer jeito .” (Jota Quest) 4. Para separar o aposto . • Há duas questões certas na tua prova: crase e pontuação . • Dudan, ex-integrante do grupo, tornou-se um excelente professor . 5. Para separar o vocativo . • “Meu amor, não fale comigo, sou teu inimigo um dia .” (O quinto) 6. Para separar expressões explicativas, retificativas, continuativas, conclusivas ou enfáticas (aliás, além disso, com efeito, enfim, isto é, em suma, ou seja, ou melhor, por exemplo, etc .) . • Os alunos, por exemplo, reclamam quando é feriado! • Eu irei à aula amanhã, isto é, se não for feriado, claro! • Falar ao celular na aula é, em suma, manifestação de falta de respeito . Entre as orações 1. Para separar orações coordenadas assindéticas . • ”Não me falta cadeira, não me falta sofá, só falta você sentada na sala, só falta você estar .” (Arnaldo Antunes) • “Diga a verdade, doa a quem doer, doe sangue e me dê seu telefone .” (Engenheiros do Hawaii) 64 www.acasadoconcurseiro.com.br
  30. 30. Correios – Português – Prof. Carlos Zambeli 2. As orações coordenadas devem sempre ser separadas por vírgula . Orações coordenadas são as que indicam adição (e, nem, mas também), alternância (ou, ou . . . ou, ora . . . ora), adversidade (mas, porém, contudo . . .), conclusão (logo, portanto . . .) e explicação (porque, pois) .• Estudar para concursos é coisa sérias, entretanto as pessoas, muitas vezes, levam na brincadeira . • Sempre fui assim, portanto não vou mudar . 3. Para separar orações coordenadas sindéticas ligadas por “e”, desde que os sujeitos sejam diferentes . • Ela irá no primeiro avião, e seus filhos devem ir no próximo . • Os sentimentos podem mudar com o tempo e as pessoas não entendem isso! 4. Para separar orações adverbiais, especialmente quando forem longas . • Em determinado momento, todos se retiraram, apesar de não terem terminado a prova . • Saímos rapidamente, visto que estava armando um tremendo temporal . 5. Para separar orações adverbiais antepostas à principal ou intercaladas, tanto desenvolvidas quanto reduzidas . • Como queria deixar de ser solteira, estudava com afinco . • Começaremos, assim que que chegarem os funcionários, a trabalhar . 6. Orações Subordinadas Adjetivas Podem ser: a) Restritivas: Delimitam o sentido do substantivo antecedente (sem vírgula) . Encerram uma qualidade que não é inerente ao substantivo . • O verão que passou foi bom para todos . • As questões que envolvem gramática devem ser revisadas sempre . • Os homens que não buscam o diálogo possuem muitos conflitos em casa . 65www.acasadoconcurseiro.com.br
  31. 31. b) Explicativas: Explicações ou afirmações adicionais ao antecedente já definido plenamente (com vírgula) . Encerram uma qualidade inerente ao substantivo . • A telefonia móvel, que facilitou a vida do homem moderno, provocou também situações constrangedoras . • O verão, que é uma estação do ano, terminou . • As mulheres, que são sensíveis, sofrem pela falta de diálogo . Emprego do Ponto-e-Vírgula 1. Para separar orações que contenham várias enumerações já separadas por vírgula ou que encerrem comparações e contrastes . • Durante a aula do Edgar, estudou-se largamente as taxas de juros; na aula do Zambeli, os alunos aprenderam que essas taxas eram com “x” . • O Brasil tem imensas potencialidades; não sabe aproveitá-las . 2. Para separar orações em que as conjunções adversativas ou conclusivas estejam deslocadas . • A crítica dos outros merece atenção; não devemos, porém, dar a ela importância demasiada . • Vamos terminar este namoro; considere-se, portanto, livre deste compromisso . 3. Para alongar a pausa de conjunções adversativas (mas, porém, contudo, todavia, entretanto, etc .), substituindo, assim, a vírgula . • Gostaria de estudar hoje; todavia, só chegarei perto dos livros amanhã . Emprego dos Dois-Pontos 1. Para anunciar uma citação . • Já dizia Freud: “Poderíamos ser melhores, se não quiséssemos ser tão bons .” 2. Para anunciar uma enumeração, um aposto, uma explicação, uma consequência ou um esclarecimento . • Sempre tive três grandes amigos: Edgar, Pedro e Sérgio . • Os alunos vieram à aula e trouxeram algumas coisas: apostila, canetas e muita vontade . 66 www.acasadoconcurseiro.com.br
  32. 32. Aula 8 Acentuação Toda palavra tem uma sílaba que é pronunciada com mais intensidade que as outras . Essa sílaba é chamada de sílaba tônica . Pode ocupar diferentes posições e, de acordo com essa colocação, ser classificada como: oxítona, paroxítona, proparoxítona e monossílaba tônica . Regras de acentuação 1. Proparoxítonas: Todas são acentuadas . Simpática, proparoxítona, lúcida, cômodo . 2. Paroxítonas Quando terminadas em a) b) c) L, N, R, X, PS, I, US: amável, hífen, repórter, tórax, bíceps, tênis, vírus . UM, UNS, Ã, ÃS, ÃO, ÃOS, EI: álbum, ímã, órgão . Ditongo crescente (SV +V): cárie, polícia, história . 3. Oxítonas Quando terminadas em EM, ENS, A(S), E(S), O(S): a) b) c) d) e) A, AS: está, guaraná, comprá-la . E, ES: jacaré, você, fazê-los . O, OS: avó, paletós . EM: armazém, ninguém . ENS: parabéns, armazéns . 4. Monossílabos tônicos A, AS, E, ES, O, OS – mês, pó, já . 71www.acasadoconcurseiro.com.br
  33. 33. 5. Ditongo Aberto 6. Hiatos I e U 7. ÊE, ÔO 8 Verbos ter e vir Ele tem e vem Eles têm e vêm a) Ele contém, detém, provém, intervém (singular do presente do indicativo dos verbos derivados de TER e VIR: conter, deter, manter, obter, provir, intervir, convir); Eles contêm, detêm, provêm, intervêm (plural do presente do indicativo dos verbos derivados de TER e VIR) . b) 72 www.acasadoconcurseiro.com.br Antes da Reforma Depois da Reforma Hiatos em OO(s) e as formas verbais terminadas em EE (M) recebem acento circunflexo: • vôo, vôos, enjôos, abençôo, perdôo; • crêem, dêem, lêem, vêem, prevêem Sem acento: • voo, voos, enjoo, enjoos, abençoo, perdoo; creem, deem, leem, veem, releem, preveem . Antes da Reforma Depois da Reforma Í e Ú levam acento se estiverem sozinhos na sílaba ou com S (hiato): • saída, saúde, miúdo, aí, Araújo, Luís, Piauí Nas paroxítonas, I e U não serão mais acentuados se vierem depois de um ditongo: • baiuca, bocaiuva, cauila, feiura, Sauipe Antes da Reforma Depois da Reforma ÉU, ÉI, ÓI • idéia, colméia, bóia, céu, constrói Os ditongos ‘éi’, ‘ói’ e ‘éu’ só continuam a ser acentuados no final da palavra (oxítonas): • céu, dói, chapéu, anéis, lençóis desapareceram para palavras paroxítonas: • boia, paranoico, heroico
  34. 34. Correios – Português – Prof. Carlos Zambeli 9. Acentos diferencias Pôr (verbo) 10. Trema 73www.acasadoconcurseiro.com.br Antes da Reforma Depois da Reforma gue, gui, que, qui quando pronunciados bilíngüe pinguim cinqüenta O trema não é mais utilizado . Exceto para palavras estrangeiras ou nomes próprios: Müller e mülleriano . Antes da Reforma Depois da Reforma Ele pára Eu pélo O pêlo, os pêlos A pêra (= fruta) Pôde (pretérito) Pôr (verbo) Só existem ainda: Pôde (pretérito)
  35. 35. Correios – Português – Prof. Carlos Zambeli Estrutura e formação de palavras. Famílias de palavras. Os principais processos de formação são: FAMÍLIA DE PALAVRAS = Palavras que possuem o mesmo radical . (cognatas) RADICAL ou RAIZ = é o sentido básico de uma palavra . AFIXOS = são acrescentados a um radical . São subdivididos em prefixos e sufixos . Derivação = Processo de formar palavras no qual a nova palavra é derivada de outra, chamada de primitiva . Classificamos em 6 maneiras: 1. Derivação Prefixal Acréscimo de um prefixo à palavra já existente . • desfazer, impaciente, prever 2. Derivação Sufixal Acréscimo de um sufixo à palavra já existente . • realmente, folhagem, amoroso, marítimo, dedilhar 3. Derivação Prefixal e Sufixal A derivação prefixal e sufixal existe quando um prefixo e um sufixo são acrescentados à palavra primitiva de forma independente, ou seja, mesmo sem a presença de um dos afixos a palavra continua tendo significado . • deslealmente, descumprimento, infelizmente 4. Derivação Parassintética A derivação parassintética ocorre quando um prefixo e um sufixo são acrescentados à palavra primitiva de forma dependente, ou seja, os dois afixos não podem se separar, devendo ser usados ao mesmo tempo, pois sem um deles a palavra não se reveste de nenhum significado . • anoitecer, acorrentado, desalmado, engordar 77www.acasadoconcurseiro.com.br
  36. 36. 5. Derivação Regressiva / deverbal Perda de elemento de uma palavra já existente . Ocorre, geralmente, de um verbo para substantivo abstrato . Conversar – conversa Perder – perda Falar – fala 6. Derivação Imprópria A derivação imprópria, mudança de classe ou conversão ocorre quando a palavra, pertencente a uma classe, é usada como fazendo parte de outra . • Maria tereza queria uma camiseta rosa . Composição Outros processos 78 www.acasadoconcurseiro.com.br 1. Redução ou abreviação 2. Sigla Refrigerante – refri Cerveja – ceva Patrícia – Pati FAURGS OMS PT 3. Estrangeirismo ou empréstimo linguístico 4. Onomatopeia Marketing Shopping Smartphone • Toc, Toc – bater da porta • Hmm – pensamento • Ha Ha Ha! – riso • Atchim! – espirro Justaposição Aglutinação • Pode hífen • Não há perda fonética malmequer, beija-flor, segunda-feira, passatempo, maria-chuteira . • Não pode hífen • Há perda fonética Fidalgo(filhodealgo),aguardente(águaardente), pernalta (perna alta)
  37. 37. Interpretação de Texto Professora: Maria Tereza www.acasadoconcurseiro.com.br
  38. 38. Interpretação de Texto Último Edital: 1 Compreensão e interpretação de textos. 2 Ortografia oficial. 10 Significação das palavras. Leitura, análise e interpretação de texto. PROCEDIMENTOS 1. 2. Observação da fonte bibliográfica, do autor e do título; identificação do tipo de texto (artigo, editorial, notícia, crônica, textos literários, científicos, etc.); leitura do enunciado.3. EXEMPLIFICANDO AGENTE DOS CORREIOS – ATENDENTE COMERCIAL – 2011 Vida de Cachorro Cachorro mesmo é com criança: vive o agora, alegra-se com o simples prazer de uma caminhada, corre, pula, brinca, diariamente. Aliás, o que mais incomoda o homem no comportamento canino é a constante alegria do seu melhor amigo. Em geral, não estamos acostumados a viver 24 horas por dia de puro prazer, ainda mais quando levamos uma vida de cachorro. Sentimo-nos, talvez, desrespeitados pela impertinência de um contentamento desmesurado, principalmente quando algo ou alguém patrocinou-nos alguma desventura. ALMEIDA FILHO; Laudimiro. Vida de cachorro. In: Acontessências. Brasília: Positiva, 1999. p. 37 (com adaptações). 1. O TÍTULO pode constituir o menor resumo possível de um texto. Por meio dele, certas vezes, identifica-se a ideia central do texto, sendo possível, pois, descartar afirmações feitas em determinadas alternativas. No texto em questão, o título – Vida de Cachorro –, somado às repetições “Cachorro”, “canino”, “vida de cachorro” remete imediatamente o leitor ao assunto do texto que lerá. Trata-se de um ARTIGO, texto assinado, que visa à persuasão. No ENUNCIADO, observa-se a presença do artigo definido O (=TOTALIDADE) – De acordo com O texto, o comportamento dos cachorros –, o que norteia a estratégia de apreensão das ideias. Destaque das palavras-chave das alternativas/afirmativas (expressões substantivas e verbais). Identificação das palavras-chave no texto. Resposta correta = paráfrase mais completa do texto. 2. 3. 4. 5. 6. 83www.acasadoconcurseiro.com.br se parece
  39. 39. 1. De acordo com o texto, o comportamento dos cachorros a) b) c) d) e) evidencia que eles gostariam de ser crianças. deles pelas . -se ao das provoca medo nas as . 8. Identificação do “tópico frasal”: intenção textual percebida, geralmente, no 1º e 2º períodos do texto (IDEIA CENTRAL). EXEMPLIFICANDO AGENTE ADMINISTRATIVO – MEC – 2009 Brasil e África do Sul assinam acordo de cooperação O Ministério da Educação do Brasil e o da África do Sul assinaram no início de julho um acordo de cooperação internacional na área da educação superior. Além de apoiar o ensino universitário e prever a de eventos científicos e técnicos, o contempla o intercâmbio de materiais educacionais e de pesquisa e o incentivo à mobilidade entre instituições de ensino superior, institutos de pesquisa e escolas técnicas. Para incentivar a mobilidade, além de projetos conjuntos de pesquisa, os dois países devem promover a implantação de programas de intercâmbio acadêmico, com a concessão de bolsas, tanto a brasileiros na África do Sul quanto a sul-africanos no Brasil, para professores e alunos de doutorado e pós-doutorado. Ainda nessa área, a cooperação também prevê a criação de um programa de fomento a publicações científicas associadas entre representantes dos dois países. Segundo o ministro da Educação brasileiro, Fernando Haddad, as equipes de ambos os ministérios da Educação trabalham há tempos na construção de um acordo para incrementar a cooperação entre os dois países. “Brasil e África do Sul têm uma grande similaridade de pensamento, oportunidades e desafios. Esperávamos há tempos a formatação de um acordo sólido”. Disponível em: <portal.mec.gov.br> (com adaptações) Anotações: 84 www.acasadoconcurseiro.com.br acadêmica estudantil acordopromoção conjunta irrita crianças crianças. crianças. revela o carinho assemelha-se crianças
  40. 40. Correios – Interpretação de Texto – Profª Maria Tereza Julgue o item a seguir quanto à compreensão do texto. 2. A ideia central do texto está resumida no primeiro período do primeiro parágrafo. ( ) Certo ( ) Errado ERROS COMUNS EXTRAPOLAÇÃO Ocorre quando o leitor sai do contexto, acrescentando ideias que não estão no texto, normalmente porque já conhecia o assunto devido à sua bagagem cultural. REDUÇÃO É o oposto da extrapolação. Dá-se atenção apenas a um ou outro aspecto, esquecendo-se de que o texto é um conjunto de ideias. EXEMPLIFICANDO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO – CORREIOS – 2011 A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), maior empresa de logística do Brasil, completa 42 anos em 2011. Embora o serviço postal no país exista há mais de três 4 séculos, a fundação da ECT data de 20 de março de 1969 e trouxe, à época, um grande avanço na modernização da atividade. Com mais de 107 mil empregados e responsável pela distribuição diária de 35 milhões de objetos em todo o Brasil, a ECT tem muitos motivos para comemorar. Obteve lucro de R$ 826 milhões no ano passado, colocou em andamento um concurso público nacional com mais de 9 mil vagas e se prepara para dar um grande passo: a reforma de seu Estatuto, que permitirá, por exemplo, a abertura de agências dos Correios no exterior, a participação minoritária em empresas ou a criação de subsidiárias e a instituição de vaga para um representante eleito pelos trabalhadores no Conselho de Administração. Disponível em: <www.correios.com.br> (com adaptações). Acerca das informações veiculadas no texto acima e de suas estruturas linguísticas, julgue os itens que se seguem. 3. O serviço postal no Brasil teve início com a fundação da ECT, há quase três séculos. ( ) Certo ( ) Errado 4. O serviço de Correios entrega cerca de 35 milhões de objetos em todo o Brasil por mês. ( ) Certo ( ) Errado 3. Extrapolação (serviço postal = mais de 4 séculos) 4. Redução (distribuição diária de 35 milhões de objetos) 85www.acasadoconcurseiro.com.br
  41. 41. ESTRATÉGIAS LINGUÍSTICAS 1. PALAVRAS DESCONHECIDAS = PARÁFRASES e CAMPO SEMÂNTICO e ETIMOLOGIA. Paráfrase = versão de um texto, geralmente mais extensa e explicativa, cujo objetivo é torná- lo mais fácil ao entendimento. Campo Semântico = conjunto de palavrasque pertencema uma mesmaáreadeconhecimento. Exemplo: Medicina: estetoscópio, cirurgia, esterilização, medicação, etc. EXEMPLIFICANDO TÉCNICO BANCÁRIO – CEF – 2014 Tecnologia da informação [...] Para ilustrar, basta lembrar que, no Brasil, quando ainda era uma novidade completa a realização de operações nos caixas automáticos dos bancos, as pessoas ficavam surpresas e um tanto quanto embaraçadas com a possibilidade de interagir diretamente com uma máquina, sem precisar recorrer a um funcionário especializado do banco. [...] 5. Sem prejuízo do sentido original do texto, a forma verbal “interagir” poderia ser substituída por relacionar-se ou por comunicar-se. ( ) Certo ( ) Errado Anotações: 86 www.acasadoconcurseiro.com.br
  42. 42. Correios – Interpretação de Texto – Profª Maria Tereza TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO – CORREIOS – 2011 O imóvel do Centro Cultural Correios Rio de Janeiro foi inaugurado em 1922. As linhas arquitetônicas da fachada, em estilo eclético, caracterizam o prédio do início do século, construído para sediar uma escola do Lloyd Brasileiro, o que nunca ocorreu. O prédio foi, então, utilizado, por mais de cinquenta anos, para funcionamento de unidades administrativas e operacionais dos Correios. Na década de 80, o imóvel foi desativado para reformas, sendo reaberto em 2 de junho de 1992, parcialmente restaurado, para receber a Exposição Ecológica 92, evento integrante do calendário da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente – RIO 92. A inauguração oficial do Centro Cultural Correios aconteceu em agosto do ano seguinte, com a Exposição Mundial de Filatelia – Brasiliana 93. Desde então, o Centro Cultural Correios vem marcando a presença da instituição na cidade, com a promoção de eventos em áreas diversas, como teatro, vídeo, música, artes plásticas, cinema e demais atividades voltadas à integração da população carioca com formas variadas de expressão artística. Suas instalações, que são adequadas à realização de diversificada programação, ocupam integralmente os 3.480 m2 da área do prédio. O Centro Cultural Correios é dotado de três pavimentos interligados por um elevador, também do início do século, de onde se pode ter uma visão panorâmica de todo o ambiente interno. Disponível em: <www.correios.com.br> (com adaptações) 6. O emprego da palavra “eclético” indica que o estilo da fachada do Centro Cultural Correios concilia tendências estéticas diversas e de épocas diferentes. ( ) Certo ( ) Errado 2. PALAVRAS DE CUNHO CATEGÓRICO NAS ALTERNATIVAS: • • • • • advérbios; tempos verbais; expressões totalizantes; expressões restritivas; expressões enfáticas. EXEMPLIFICANDO AGENTE DE POLÍCIA FEDERAL – 2009 Advérbios Na verdade, o que hoje definimos como democracia só foi possível em sociedades de tipo capitalista, mas não necessariamente de mercado. De modo geral, a democratização das sociedades impõe limites ao mercado, assim como desigualdades sociais em geral não contribuem para a fixação de uma tradição democrática. 7. Seria mantida a coerência entre as ideias do texto caso o segundo período sintático fosse introduzido com a expressão Desse modo, em lugar de “De modo geral” (l. 2). ( ) Certo ( ) Errado 87www.acasadoconcurseiro.com.br
  43. 43. Tempos verbais CADE – 2014 Procurávamos criar relacionamentos que facilitassem o acesso a qualquer velharia escrita. Que poderia estar esperando por nós, por que não?, desde séculos, ou décadas. Conhecíamos armários, sótãos, porões e cofres de sacristias, bibliotecas, batistérios ou cenáculos, bem melhor do que seus proprietários ou curadores. 8. O emprego de formas verbais no pretérito imperfeito, como, por exemplo, “Procurávamos” e “Conhecíamos”, está associado à ideia de habitualidade, continuidade ou duração. ( ) Certo ( ) Errado Expressões totalizantes AGENTE DOS CORREIOS – ATENDENTE COMERCIAL – 2011 Até bem pouco tempo atrás, coisa de dez ou vinte anos, quando a Internet não era tão popular, se recebêssemos uma carta pelos Correios, nos sentíamos na obrigação, por cortesia e boa educação, de respondê-la, principalmente se viesse de alguém conhecido. Hoje, com a Internet, recebemos dezenas de mensagens por email, de conhecidos e desconhecidos, em um volume sobre-humano, muito além de nossa capacidade de conseguir ler, entender e responder. E se antes uma carta tinha endereço certo, hoje, as mensagens espalham-se em ondas, em cópias às claras ou ocultas, e a palavra privacidade parece ter perdido o significado. O mundo inteiro parece ter-se tornado uma espécie de reality show, em que a intimidade fica exposta para quem quiser espiar. Disponível em: <www.santacatarina24horas.com> (com adaptações). 9. Da leitura do texto depreende-se que a) b) os “e-mails” são os causadores da perda de privacidade observada, hoje, em todo o mundo. aumentou consideravelmente, nas duas últimas décadas, a quantidade de informações que circulam no mundo, fato que está relacionado à popularização da Internet. o envio de correspondência pelos Correios foi extinto em razão das facilidades oferecidas pela Internet. uma pessoa capaz de redigir muitos “e-mails” em um único dia mostra-se incapaz de redigir muitas cartas nesse mesmo período de tempo. a carta torna obrigatória a resposta do destinatário ao remetente, o que nunca ocorre ao se enviar mensagem por “e-mail”. c) d) e) Anotações: 88 www.acasadoconcurseiro.com.br
  44. 44. Correios – Interpretação de Texto – Profª Maria Tereza AGENTE DE POLÍCIA FEDERAL – 2009 Expressões restritivas Na verdade, o que hoje definimos como democracia só foi possível1. 2. em sociedades de tipo geral, assim fixação capitalista, mas não necessariamente de 3. mercado. 4. limites De modo a como de democratização desigualdades das sociais sociedades impõe não que ao mercado, em geral Penso5. contribuem para refletir a uma tradição democrática. 6. temos de um pouco a respeito regime do com que significa democracia. 7. Para mim, não se trata que, de apesar um características fixas, mas não8. de um processo de constituir formas institucionais, 9. se esgota nelas. [...] LESSA, Renato. Democracia em debate. In: Revista Cult, nº 137, a. 12, jul. 2009, p. 57 (com adaptações). 10. Depreende-se da argumentação do texto que o autor considera as instituições como as únicas “características fixas” (l. 7) aceitáveis de “democracia” (l. 1 e 6). ( ) Certo ( ) Errado Expressões enfáticas OPERADOR DE TRIAGEM – CORREIOS – 2011 Os dados chocam: metade dos jovens de 15 a 17 anos de idade estão fora do ensino médio, informa reportagem publicada na Folha, em março deste ano. Parte desse contingente estuda, com atraso, no ensino fundamental; outra parte, a face mais preocupante dessa estatística, deixou para trás os bancos escolares. “Os alunos encontram um ensino médio organizado em torno de um número muito grande de disciplinas, sobrecarregadas de conteúdos mais voltados para vestibulares, muitos deles sem significado para suas vidas”, diz o presidente da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação. O Conselho Nacional de Educação discute, atualmente, a atualização das diretrizes curriculares para o ensino médio. Um dos programas que tem servido de base para a discussão é o Ensino Médio Inovador, criado e financiado pelo Ministério da Educação e implementado em 357 escolas do país em 2010. De acordo com o programa, que se baseia em quatro eixos: trabalho, ciência, tecnologia e cultura, cada escola criaria seu plano de ação pedagógica, podendo eleger um desses eixos como principal ou misturá-los em atividades complementares, a serem desenvolvidas até fora da sala de aula. Outros focos são leitura, artes e atividades em laboratórios. Para isso, a carga horária passaria das 2.400 horas anuais obrigatórias para 3.000 e a dedicação dos professores passaria a ser integral. Disponível em: <www.folha.uol.com.br> (com adaptações). 89www.acasadoconcurseiro.com.br
  45. 45. 11. Com base nas informações do texto, é correto afirmar que a) a exigência de dedicação integral dos professores no ensino médio constitui garantia de qualidade das aulas ministradas. a maior parte dos jovens entre 15 e 17 anos de idade não frequenta a escola. a sobrecarga de conteúdos que não fazem sentido para o aluno é o fator primordial da evasão escolar no ensino médio. há necessidade de mudança no ensino médio para torná-lo mais atrativo e significativo para os jovens. as atividades complementares propostas pelas escolas devem ser realizadas fora da sala de aula. b) c) d) e) Geralmente, a alternativa correta (ou a mais viável) é construída por meio de palavras e de expressões “abertas”, isto é, que apontam para “possibilidades”, “hipóteses”: provavelmente, é possível, futuro do pretérito do indicativo, modo subjuntivo... EXEMPLIFICANDO OPERADOR DE TRIAGEM – CORREIOS – 2011 Normalmente as pessoas se mostram divididas em relação à percepção de acontecimentos bons ou ruins. Uma variação genética comum pode estar por trás dessas tendências para o otimismo ou pessimismo. Cientistas da Universidade de Essex, na Inglaterra, investigaram a serotonina, um neurotransmissor ligado ao humor, e estudaram a preferência de 97 voluntários relativamente a diferentes tipos de imagens. Pessoas em que se identificou apenas a versão longa do gene para a proteína transportadora de serotonina — que controla os níveis do neurotransmissor nas células do cérebro — tenderam a prestar atenção em figuras agradáveis (como imagens de chocolates) e evitaram as negativas (como fotografias de aranhas). As pessoas com a forma curta do gene apresentaram preferências opostas, embora não tão fortemente. Os resultados, que ajudam a explicar por que algumas pessoas são menos suscetíveis à ansiedade e depressão, podem inspirar terapeutas a ajudar outras a ver o lado bom das coisas. 12. Assinale a opção correta de acordo com as informações do texto. a) Infere-se do texto que pessoas otimistas são mais suscetíveis à depressão, porque se decepcionam mais. De acordo com pesquisa realizada em universidade inglesa, quanto maior o nível de serotonina no cérebro, maior a disposição da pessoa para ajudar o próximo. Segundo pesquisadores ingleses, pode haver uma explicação genética para a tendência humana ao otimismo e ao pessimismo. Estudo científico comprova que são geralmente otimistas os indivíduos que possuem a versão curta do gene para a proteína transportadora de serotonina. Conforme a pesquisa referida no texto, os pessimistas tendem a evitar imagens negativas e desagradáveis. b) c) d) e) Anotações: 90 www.acasadoconcurseiro.com.br
  46. 46. Correios – Interpretação de Texto – Profª Maria Tereza AS QUESTÕES PROPOSTAS Compreensão do texto: resposta correta = paráfrase textual. e Inferência Observe a seguinte frase: A água voltou. Já podemos lavar a roupa. Nela, o falante transmite duas informações de maneira explícita: a) que a água voltou; b) que a roupa pode ser lavada. Ao utilizar a forma verbal “voltou” e o advérbio “já”, comunica também, de modo implícito, que havia faltado água e que havia roupa suja. INFERÊNCIA = ideias implícitas, sugeridas, que podem ser depreendidas a partir da leitura do texto, de certas palavras ou expressões contidas na frase. Enunciados = “Infere-se”, Deduz-se”, “Depreende-se”, etc. EXEMPLIFICANDO DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL – PROGRAMADOR O brasileiro que quiser parar de fumar terá acesso a tratamento e remédios custeados pelo governo federal. No Dia Internacional de Combate ao Tabagismo, o Ministério da Saúde publicou uma portaria incluindo no Sistema Único de Saúde (SUS) o suporte completo para o dependente de cigarros abandonar o vício: adesivos e gomas de mascar de nicotina para substituir a dose mínima da substância em quadros de crise de abstinência e um antidepressivo que auxilia no abandono do fumo. Nos postos de saúde, também estará à disposição do fumante um programa de psicoterapia em grupo, coordenado por profissionais treinados pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), no Rio de Janeiro. O Globo, 01 jun. 2004, p. A3 (com adaptações). 13. Infere-se do texto que o tabagismo, além de criar dependência química, envolve aspectos emocionais e psicológicos, o que explica a decisão ministerial de oferecer programa de psicoterapia em grupo para atendimento àqueles que se dispuserem a abandonar o vício. ( ) Certo ( ) Errado 14. Pressupõe-se que, ao contrário do que ocorria no passado, atualmente se amplia a tendência de destacar os malefícios causados pelo tabaco à saúde humana. ( ) Certo ( ) Errado 91www.acasadoconcurseiro.com.br
  47. 47. EXTRATEXTUALIDADE A questão formulada por meio do texto encontra-se fora do universo textual, exigindo do aluno conhecimento mais amplo de mundo. EXEMPLIFICANDO AGENTE DOS CORREIOS – ATENDENTE COMERCIAL – 2011 Vida de Cachorro Cachorro se parece mesmo é com criança: vive o agora, alegra-se com o simples prazer de uma caminhada, corre, pula, brinca, diariamente. Aliás, o que mais incomoda o homem no comportamento canino é a constante alegria do seu melhor amigo. Em geral, não estamos acostumados a viver 24 horas por dia de puro prazer, ainda mais quando levamos uma vida de cachorro. Sentimo-nos, talvez, desrespeitados pela impertinência de um contentamento desmesurado, principalmente quando algo ou alguém patrocinou-nos alguma desventura. ALMEIDA FILHO, Laudimiro. Vida de cachorro. In: Acontessências. Brasília: Positiva, 1999, p. 37 (com adaptações). 15. A expressão “do seu melhor amigo” remete a um ditado popular. Assinale a opção correspondente a esse ditado. a) b) c) d) e) Cão que ladra não morde. Cão picado de cobra tem medo de linguiça. Cão feroz, dono atroz. Quem não tem cão caça com gato. O cão é o melhor amigo do homem. TIPOLOGIA TEXTUAL Narração: modalidade na qual se contam um ou mais fatos ─ fictício ou não ─ que ocorreram em determinado tempo e lugar, envolvendo certos personagens. Há uma relação de anterioridade e posterioridade. O tempo verbal predominante é o passado. Descrição: é a modalidade na qual se apontam as características que compõem determinado objeto, pessoa, ambiente ou paisagem. Usam-se adjetivos para tal. Argumentação: modalidade na qual se expõem ideias e opiniões gerais, seguidas da apresentação de argumentos que as defendam e comprovem. Exposição: apresenta informações sobre assuntos, expõe ideias, explica e avalia e reflete. Não faz defesa de uma ideia, pois tal procedimento é característico do texto dissertativo. O texto expositivo apenas revela ideias sobre um determinado assunto. Por meio da mescla entre texto expositivo e narrativo, obtém-se o que conhecemos por relato. Injunção: indica como realizar uma ação. Também é utilizado para predizer acontecimentos e comportamentos. Utiliza linguagem objetiva e simples. Os verbos são, na sua maioria, empregados no modo imperativo. 92 www.acasadoconcurseiro.com.br
  48. 48. Correios – Interpretação de Texto – Profª Maria Tereza EXEMPLIFICANDO TÉCNICO BANCÁRIO – CAIXA – 2014 Tecnologia da informação Com a popularização dos computadores e o desenvolvimento da microeletrônica, a palavra informação adquiriu um significado diferente. Até então, o seu sentido estava restrito à transmissão de dados acerca de alguém ou de algo, geralmente notícias de fatos que chegavam ao receptor com certa defasagem temporal. Na década de 50 do século passado, a comunicação entre duas pessoas, cada uma situada em um país ou estado diferente, só era possível por meio de telefone, telex ou correios; naquele tempo, ainda não existia a comunicação via satélite, nem Internet, telefone celular etc. Nos dias de hoje, informação tem um significado que está invariavelmente associado, mesmo que inconscientemente, à velocidade, à tecnologia, ao tempo e ao espaço. As noções de tempo e espaço se alteram radicalmente. Com o aperfeiçoamento das telecomunicações e com o advento das novas tecnologias da informação, o tempo agora é tempo real e o que era distante vai tornando-se paulatinamente mais próximo. Para ilustrar, basta lembrar que, no Brasil, quando ainda era uma novidade completa a realização de operações nos caixas automáticos dos bancos, as pessoas ficavam surpresas e um tanto quanto embaraçadas com a possibilidade de interagir diretamente com uma máquina, sem precisar recorrer a um funcionário especializado do banco. Atualmente, é algo inteiramente normal o cidadão comum sacar dinheiro com seu cartão magnético e fazer todas as suas transações bancárias em um mesmo lugar, em uma máquina que fornece automaticamente, em tempo real, toda e qualquer informação a respeito da sua movimentação financeira. Nisso repousa o grande fascínio da tecnologia da informação (TI), ou seja, tornar acessíveis produtos e serviços de elevado conteúdo tecnológico, assimilados com relativa facilidade pelo usuário, mas cuja concepção é extremamente complexa, fruto da aplicação intensiva do saber científico em coisas que tornam mais prática e prazerosa a existência humana. Em um ambiente tecnológico em permanente transformação, inundado por novos produtos, serviços e descobertas, ficar atualizado acerca de todos esses novos conhecimentos é praticamente impossível. Assim, existe uma intensa pressão sobre o indivíduo para que se mantenha em dia com o “ritmo geral”. A necessidade de atualização contínua é válida e indispensável, tanto no plano pessoal como no âmbito das organizações. Para estas, a TI fornece as possibilidades de permanente atualização e integração dos negócios, visto que potencializa o processo de difusão, disseminação e transferência de informações. VALE, Benjamin de Medeiros. Tecnologia da informação no contexto organizacional. In: Revista Ciência da Informação, v. 25, n. 1, 1996 (com adaptações). Considerando as informações veiculadas no texto acima, bem como a estrutura e aspectos gramaticais desse texto, julgue o item a seguir. 16. No texto, predominantemente descritivo, o autor se detém em apresentar características de pessoas e de objetos relacionados com a TI. ( ) Certo ( ) Errado 93www.acasadoconcurseiro.com.br
  49. 49. TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO – CORREIOS – 2011 O imóvel do Centro Cultural Correios Rio de Janeiro foi inaugurado em 1922. As linhas arquitetônicas da fachada, em estilo eclético, caracterizam o prédio do início do século, construído para sediar uma escola do Lloyd Brasileiro, o que nunca ocorreu. O prédio foi, então, utilizado, por mais de cinquenta anos, para funcionamento de unidades administrativas e operacionais dos Correios. Na década de 80, o imóvel foi desativado para reformas, sendo reaberto em 2 de junho de 1992, parcialmente restaurado, para receber a Exposição Ecológica 92, evento integrante do calendário da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente – RIO 92. A inauguração oficial do Centro Cultural Correios aconteceu em agosto do ano seguinte, com a Exposição Mundial de Filatelia – Brasiliana 93. Desde então, o Centro Cultural Correios vem marcando a presença da instituição na cidade, com a promoção de eventos em áreas diversas, como teatro, vídeo, música, artes plásticas, cinema e demais atividades voltadas à integração da população carioca com formas variadas de expressão artística. Suas instalações, que são adequadas à realização de diversificada programação, ocupam integralmente os 3.480 m2 da área do prédio. O Centro Cultural Correios é dotado de três pavimentos interligados por um elevador, também do início do século, de onde se pode ter uma visão panorâmica de todo o ambiente interno. Internet: <www.correios.com.br> (com adaptações) Em relação ao texto, julgue os itens de 17 e 18. 17. O texto é predominantemente narrativo, sendo o seu último período um trecho descritivo. ( ) Certo ( ) Errado 18. O emprego de diversos adjetivos e a apresentação de impressões pessoais conferem ao texto um caráter fortemente subjetivo. ( ) Certo ( ) Errado Anotações: 94 www.acasadoconcurseiro.com.br
  50. 50. Correios – Interpretação de Texto – Profª Maria Tereza GÊNEROS TEXTUAIS EDITORIAL: texto opinativo/argumentativo, não assinado, no qual o autor (ou autores) não expressa a sua opinião, mas revela o ponto de vista da instituição. Geralmente, aborda assuntos bastante atuais. Busca traduzir a opinião pública acerca de determinado tema, dirigindo-se (explícita ou implicitamente) às autoridades, a fim de cobrar-lhes soluções. ARTIGOS: são os mais comuns. São textos autorais – assinados –, cuja opinião é da inteira responsabilidade de quem o escreveu. Seu objetivo é o de persuadir o leitor. NOTÍCIAS: são autorais, apesar de nem sempre serem assinadas. Seu objetivo é tão somente o de informar, não o de convencer. CRÔNICA: fotografia do cotidiano, realizada por olhos particulares. Geralmente, o cronista apropria-se de um fato atual do cotidiano, para, posteriormente, tecer críticas ao status quo, baseadas quase exclusivamente em seu ponto de vista. A linguagem desse tipo de texto é predominantemente coloquial. BREVE ENSAIO: é autoral; trata-se de texto opinativo/argumentativo, assinado, no qual o autor expressa a sua opinião. Geralmente, aborda assuntos universais. PEÇA PUBLICITÁRIA: a propaganda é um modo específico de apresentar informação sobre produto, marca, empresa, ideia ou política, visando a influenciar a atitude de uma audiência em relação a uma causa, posição ou atuação. A propaganda comercial é chamada, também, de publicidade. Ao contrário da busca de imparcialidade na comunicação, a propaganda apresenta informações com o objetivo principal de influenciar uma audiência. Para tal, frequentemente, apresenta os fatos seletivamente (possibilitando a mentira por omissão) para encorajar determinadas conclusões, ou usa mensagens exageradas para produzir uma resposta emocional e não racional à informação apresentada. Costuma ser estruturado por meio de frases curtas e em ordem direta, utilizando elementos não verbais para reforçar a mensagem. CHARGE: é um estilo de ilustração que tem por finalidade satirizar algum acontecimento atual com uma ou mais personagens envolvidas. A palavra é de origem francesa e significa carga, ou seja, exagera traços do caráter de alguém ou de algo para torná-lo burlesco. Apesar de ser confundida com cartum, é considerada totalmente diferente: ao contrário da charge, que tece uma crítica contundente, o cartum retrata situações mais corriqueiras da sociedade. Mais do que um simples desenho, a charge é uma crítica político-social mediante a qual o artista expressa graficamente sua visão sobre determinadas situações cotidianas por meio do humor e da sátira. Anotações: 95www.acasadoconcurseiro.com.br
  51. 51. CHARGE CARTUM QUADRINHOS: hipergênero, que agrega diferentes peculiaridades. outros gêneros, cada um com suas EXEMPLIFICANDO TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS – MJ Na verdade, a integração da economia mundial — apontada pelas nações ricas e seus prepostos como alternativa única − vem produzindo, de um lado, a globalização da pobreza e, de outro, uma acumulação de capitais jamais vista na história, o que permite aos grandes grupos empresariais e financeiros atuar em escala mundial, maximizando 1. 2. 3. 4. 96 www.acasadoconcurseiro.com.br
  52. 52. Correios – Interpretação de Texto – Profª Maria Tereza oportunidades e lucros. O discurso pretende impor essa ideia como caminho único para o desenvolvimento das nações, sejam elas ricas ou pobres. Na prática — hoje mais do que ontem —, o mercado é uma via de mão única: livre para os países ricos e pleno de barreiras e restrições às nações emergentes. Os números comprovam isso. Segundo estimativas da Associação Brasileira de Comércio Exterior, as barreiras impostas aos produtos brasileiros reduziram nossas exportações em cerca 16 de US$ 20 bilhões nos últimos quatro anos. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. A farsa neoliberal: o Brasil perde duas décadas no pesadelo da globalização. InfoAndes, maio 2000 (com adaptações). Com base no texto acima, julgue os itens subsequentes. 19. A argumentação do texto mostra que podem não ser apenas as nações ricas que apontam a “integração da economia mundial” (l. 1) como alternativa única para o desenvolvimento de nações. ( ) Certo ( ) Errado 20. Duas maneiras de marcar a oposição de ideias no texto são expressas por “de um lado” (l. 2) e “de outro” (l. 3); e por “O discurso” (l. 6) e “Na prática” (l. 7). ( ) Certo ( ) Errado Anotações: 97www.acasadoconcurseiro.com.br
  53. 53. POLÍCIA FEDERAL – AGENTE ADMINISTRATIVO Já existe, felizmente, em nosso país, uma consciência nacional − em formação, é certo −, que vai introduzindo o elemento da dignidade humana em nossa legislação e para a qual a escravidão, apesar de hereditária, é uma verdadeira mancha de Caim que o Brasil traz na fronte. Essa consciência, que está temperando a nossa alma e, por fim, há de humanizá-la, resulta da mistura de duas correntes diversas: o arrependimento dos descendentes de senhores e a afinidade de sofrimento dos herdeiros de escravos. Não tenho, portanto, medo de não encontrar o acolhimento por parte de um número bastante considerável de compatriotas meus, a saber: os que sentem a dor do escravo como se fora própria, e ainda mais, como parte de uma dor maior − a do Brasil, ultrajado e humilhado; os que têm a altivez de pensar − e a coragem de aceitar as consequências desse pensamento − que a pátria, como a mãe, quando não existe para os filhos mais infelizes, não existe para os mais dignos; aqueles para quem a escravidão, degradação sistemática da natureza humana por interesses mercenários e egoístas, se não é infamante para o homem educado e feliz que a inflige, não pode sê-lo para o ente desfigurado e oprimido que a sofre; por fim, os que conhecem as influências sobre o nosso país daquela instituição no passado e, no presente, o seu custo ruinoso, e preveem os efeitos da sua continuação indefinida. Possa ser bem aceita por eles esta lembrança de um correligionário ausente, mandada do exterior, donde se ama ainda mais a pátria do que no próprio país. Quanto a mim, julgar- me-ei mais do que recompensado, se as sementes de liberdade, direito e justiça derem uma boa colheita no solo ainda virgem da nova geração. (Londres, 8 de 31 abril de 1883) NABUCO, Joaquim. O abolicionismo. In: Intérpretes do Brasil. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, v. I, 2000, p. 21 (com adaptações). 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. Em relação ao texto acima e ao tema nele abordado, julgue os itens a seguir. 21. A ideia principal do texto pode assim ser expressa: O amor à pátria é mais forte quando se está longe dela e a dor do escravo é sentida como se fosse própria. ( ) Certo ( ) Errado 22. O autor do texto sugere que não teme as divergências políticas, porque conta com a receptividade de número significativo dos compatriotas contrários à escravidão. ( ) Certo ( ) Errado AGENTE DOS CORREIOS – CARTEIRO – 2011 O primeiro selo do mundo, conhecido como Penny Black, surgiu na Inglaterra, em 06/05/1840, como parte do processo de reorganização promovido no serviço postal daquele país. Até essa data, o pagamento pela prestação do serviço de transporte e entrega de correspondências era feito pelo destinatário. A chegada do selo foi fundamental para o sucesso da reforma postal, que revolucionou os correios no mundo inteiro. Disponível em: <www.correios.com.br> (com adaptações). 98 www.acasadoconcurseiro.com.br
  54. 54. Correios – Interpretação de Texto – Profª Maria Tereza 23. Assinale a opção correta de acordo com as ideias do texto acima. a) Até o final do século XIX, o destinatário assumia total responsabilidade pelo transporte e pela entrega de correspondências. Na primeira década do século XIX, uma revolução inglesa provocou verdadeira reviravolta nos serviços postais do mundo. Antes da invenção do selo, o remetente não se responsabilizava pelas correspondências que encaminhava. A invenção do selo representou um avanço para os serviços prestados pelos correios no mundo todo. A prestação dos serviços de transporte e entrega de correspondências era bastante precária no século passado. b) c) d) e) POLÍCIA FEDERAL – DELEGADO Merecemos uma chance Até amanhã. Eram mais de 22 horas de uma segunda-feira quando me despedi de minha amiga e colega M. “Até amanhã”, respondeu M. E no amanhã M. não estava mais dando duro em sua cadeira, linda e jovial como a cada dia, cumprindo compromissos e agendando tarefas. No dia seguinte M. estava num hospital, com hematomas da cabeça aos pés, nariz quebrado, dentes amolecidos e hemorragia interna. Acontece que entre o até amanhã e o amanhã a juventude e a jovialidade de M deram de cara com três psicopatas em busca de diversão. Eles a levaram a Osasco, na Grande São Paulo, e bateram nela até se cansar. M. foi abandonada numa estrada seminua e ensanguentada, enquanto seus carrascos procuravam outra vítima, “mais nova do que essa”. Que tipo de pessoa é capaz de cometer uma brutalidade dessas? Não basta uma classificação psiquiátrica ou sociológica. Tente imaginar a alma de um sujeito assim, e o que se vê é um poço sem fim, o mal em estado puro. O horror, o horror. Certos tipos de crime são independentes da sociedade em que se inserem. Em países ricos ou pobres, em povos cultos ou ignorantes, materialistas ou religiosos, capitalistas ou social-democratas, entre suecos ou tanzanianos, sempre existirá gente que sai às ruas para brutalizar mulheres. Assim como existem torturadores compulsivos, assassinos seriais, estupradores etc. De alguma maneira, isso faz parte da natureza humana. Não se trata aqui de uma aposentada na miséria furtando remédios na farmácia (e provavelmente sendo presa). Estamos falando no crime como modo de vida. Existe gente que literalmente vive disso. Se quer dinheiro, rouba. Não para “matar a fome”, mas para comprar a melhor cocaína e o último Honda. Se gente assim quer se divertir, junta alguns amigos do mesmo caráter e escolhe mulheres ao acaso no trânsito. Na mesma delegacia onde M. prestou queixa, estavam arquivadas 10 outras ocorrências iguais. Para casos assim existe essa instituição chamada polícia. Polícia é um serviço público, pago com nossos impostos, e não a encarnação do mal, este papel simplista que intelectuais, jornalistas e artistas costumam Ihe reservar. Seu dever é proteger os não- criminosos dos criminosos. Mas a polícia não está cumprindo seu papel. Há uma guerra nas ruas. É um assalto dos marginais ao resto da sociedade. E as primeiras vítimas dessa guerra são os mais pobres, os marginalizados, a tão decantada classe trabalhadora. É na periferia das grandes cidades que esses degenerados fazem suas primeiras vítimas. 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24. 25. 26. 27. 28. 29. 30. 31. 32. 99www.acasadoconcurseiro.com.br
  55. 55. Assassinatos, crimes sexuais, roubo, tudo acontece primeiro e pior em bairros populares. Qual a solução? Educação? Sim, mas... Um marmanjo que escolhe suas vítimas ao acaso não precisa exatamente de educação. Aliás muitos criminosos têm educação esmerada, e até mesmo dinheiro. São violentos porque são. Policiamento? Óbvio. Mas no Brasil a segurança da população não é prioridade. O salário dos policiais foi enterrado no último prejuízo do Banco do Brasil. A verba das armas foi distribuída entre cabides de empregos de prefeituras falidas. Sem estrutura, paralisada pela burocracia, a polícia brasileira não protege a sociedade de seus criminosos. É o tipo de problema que parece não ter solução. Mas pode ter. Temos que buscar opções, e não apenas chorar o sangue derramado. O importante é que M. não seja mais atacada por psicopatas sem freios. Nem N., nem P., nem O. Nós, os não-criminosos, merecemos uma chance. MARQUEZI, Dagomir. Exame. 33. 34. 35. 36. 37. 38. 39. 40. 41. 42. 43. A compreensão de um texto decorre de vários fatores. Com referência à tipologia textual e ao nível de linguagem utilizado pelo autor, julgue os itens a seguir. 24. O texto é eminentemente dissertativo, apesar de conter trechos narrativos. ( ) Certo ( ) Errado 25. Há, no segundo e no terceiro parágrafos, passagens descritivas relativas à vítima e aos seus assaltantes. ( ) Certo ( ) Errado 26. A intensa pontuação, a repetição de vocábulos e de estruturas frasais semelhantes e o emprego de aspas são indicações de que, no texto, se mesclam as funções emotiva e referencial da linguagem. ( ) Certo ( ) Errado 27. No texto, predomina o registro coloquial culto. ( ) Certo ( ) Errado Anotações: 100 www.acasadoconcurseiro.com.br
  56. 56. Correios – Interpretação de Texto – Profª Maria Tereza POLÍCIA FEDERAL – DELEGADO Perguntamo-nos qual é o valor da vida humana. Alguns setores da sociedade acreditam que a vida do criminoso não tem o mesmo valor da vida das pessoas honestas. O problema é que o criminoso pensa do mesmo modo: se a vida dele não vale nada, por que a vida do dono da carteira deve ter algum valor? Se provavelmente estará morto antes dos trinta anos de idade (como várias pesquisas comprovam), por que se preocupar em não matar o proprietário do automóvel que ele vai roubar? 1. 2. 3. 4. 5. 6. BUORO, Andréa et al. Violência urbana – Dilemas e desafios. São Paulo: Atual, 1999, p. 26 (com adaptações). Em relação ao texto acima, julgue os itens que se seguem. 28. Há um consenso na sociedade de que o valor da vida não é hierárquico, é equivalente para todos os seres humanos. ( ) Certo ( ) Errado 29. Os criminosos acreditam que o valor da vida das pessoas que são por eles roubadas é superior ao valor de sua própria vida. ( ) Certo ( ) Errado 30. O uso da primeira pessoa do plural em “Perguntamo-nos” (l. 1) tem a função generalizadora de estender o questionamento a qualquer ser humano. ( ) Certo ( ) Errado AGENTE DOS CORREIOS – ATENDENTE COMERCIAL – 2011 101www.acasadoconcurseiro.com.br
  57. 57. 31. Considerando essa história em quadrinhos, assinale a opção correta. a) No último quadrinho, o personagem demonstra dúvida quanto ao procedimento que adotará para registrar as respostas de todos os entrevistados. Entende-se da história apresentada que o personagem agirá com indiferença em relação às respostas dos entrevistados. Não seriam contrariadas as normas gramaticais caso fosse inserida uma vírgula logo após a palavra “armazém”, na frase do primeiro quadrinho. Seria mantida a correção gramatical do texto caso, no segundo quadrinho, fosse suprimida a preposição “para”. As atitudes do personagem representadas nos dois últimos quadrinhos conferem humor à história. b) c) d) e) AGENTE DOS CORREIOS – ATENDENTE COMERCIAL – 2011 Um carteiro chega ao portão do hospício e grita: — Carta para o 9.326!!! Um louco pega o envelope, abre-o e vê que a carta está em branco, e um outro pergunta: — Quem te mandou essa carta? — Minha irmã. — Mas por que não está escrito nada? — Ah, porque nós brigamos e não estamos nos falando! Disponível em: <www.humortadela.com.br/piada> (com adaptações). 32. O efeito surpresa e de humor que se extrai do texto acima decorre a) b) c) d) e) da identificação numérica atribuída ao louco. da expressão utilizada pelo carteiro ao entregar a carta no hospício. do fato de outro louco querer saber quem enviou a carta. da explicação dada pelo louco para a carta em branco. do fato de a irmã do louco ter brigado com ele. Anotações: 102 www.acasadoconcurseiro.com.br
  58. 58. Correios – Interpretação de Texto – Profª Maria Tereza AGENTE DOS CORREIOS – ATENDENTE COMERCIAL – 2011 Rio de Janeiro, 2 de março de 1869. Minha Carola. Já a esta hora deves ter em mão a carta que te mandei hoje mesmo, em resposta às duas que ontem recebi. Nela foi explicada a razão de não teres carta no domingo; deves ter recebido duas na segunda-feira. Queres saber o que fiz no domingo? Trabalhei e estive em casa. Saudades de minha C., tive- as como podes imaginar, e mais ainda, estive aflito, como te contei, por não ter tido cartas tuas durante dois dias. Afirmo-te que foi um dos mais tristes que tenho passado. Contou-me hoje o Araújo que, encontrando-se, num dos carros que fazem viagem para Botafogo e Laranjeiras, com o Miguel, este lhe dissera que andava procurando casa por ter alugado a outra. Não sei se essa casa que ele procura é só para ele ou se para toda a família. Achei conveniente comunicar-te isto; não sei se já sabes alguma coisa a este respeito. No entanto, espero também a tua resposta ao que te mandei dizer na carta de ontem, relativamente à mudança. Dizes que, quando lês algum livro, ouves unicamente as minhas palavras, e que eu te apareço em tudo e em toda a parte? É então certo que eu ocupo o teu pensamento e a tua vida? Já mo disseste tanta vez, e eu sempre a perguntar-te a mesma cousa, tamanha me parece esta felicidade. Pois, olha; eu queria que lesses um livro que eu acabei de ler há dias; intitula se: A Família. Hei de comprar um exemplar para lermos em nossa casa como uma espécie de Bíblia sagrada. É um livro sério, elevado e profundo; a simples leitura dele dá vontade de casar. Faltam quatro dias; daqui a quatro dias terás lá a melhor carta que eu te poderei mandar, que é a minha própria pessoa, e ao mesmo tempo lerei o melhor... MACHADINHO MUSEU DA REPÚBLICA. Arquivo histórico. Versão digitada do manuscrito original. Disponível: <www.revistaepoca. globo.com> (com adaptações). 33. Acerca das ideias contidas na carta apresentada acima, assinale a opção correta. a) Como o remetente e sua companheira pretendiam mudar-se de casa, ele aguardava uma resposta dela a respeito desse assunto. Machadinho conta que comprou um livro que só pretendia ler com Carola quando estivessem morando juntos. Na carta, Machadinho menciona seu encontro com Araújo, que havia alugado uma casa para a família. Nas duas cartas que enviou a Carola em uma segunda-feira, Machadinho justifica por que não escreveu a ela no domingo. Nessa carta, o remetente relata à sua amada que estava melancólico e angustiado no domingo por não ter recebido correspondência dela nos últimos dias. b) c) d) e) Anotações: 103www.acasadoconcurseiro.com.br
  59. 59. SEMÂNTICA SINONÍMIA E ANTONÍMIA Sinônimos: palavras que possuem significados iguais ou semelhantes. Porém os sinônimos podem ser • perfeitos: significado absolutamente igual, o que não é muito frequente. Exemplo: morte = falecimento / idoso = ancião • imperfeitos: o significado das palavras é apenas semelhante. Exemplo: belo~formoso/ adorar~amar / fobia~receio Antônimos: palavras que possuem significados opostos, contrários. acréscimo de um prefixo de sentido oposto ou negativo. Exemplos: Pode originar-se do mal fraco subir possível simpático X X X X X bem forte descer impossível antipático EXEMPLIFICANDO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO – 2011 A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), maior empresa de logística do Brasil, completa 42 anos em 2011. Embora o serviço postal no país exista há mais de três séculos, a fundação da ECT data de 20 de março de 1969 e trouxe, à época, um grande avanço na modernização da atividade. Com mais de 107 mil empregados e responsável pela distribuição diária de 35 milhões de objetos em todo o Brasil, a ECT tem muitos motivos para comemorar. Obteve lucro de R$ 826 milhões no ano passado, colocou em andamento um concurso público nacional com mais de 9 mil vagas e se prepara para dar um grande passo: a reforma de seu Estatuto, que permitirá, por exemplo, a abertura de agências dos Correios no exterior, a participação minoritária em empresas ou a criação de subsidiárias e a instituição de vaga para um representante eleito pelos trabalhadores no Conselho de Administração. Disponível em: <www.correios.com.br> (com adaptações). Acerca das informações veiculadas no texto acima e de suas estruturas linguísticas, julgue o item que se segue. 34. A substituição de “à época” por naquela época manteria a correção gramatical do período. ( ) Certo ( ) Errado 104 www.acasadoconcurseiro.com.br
  60. 60. Correios – Interpretação de Texto – Profª Maria Tereza DENOTAÇÃO E CONOTAÇÃO Denotação: significação objetiva da palavra − valor referencial; é a palavra em “estado de dicionário”. Conotação: significação subjetiva da palavra; ocorre quando a palavra evoca outras realidades devido às associações que ela provoca. EXEMPLIFICANDO AGENTE DOS CORREIOS – ATENDENTE COMERCIAL – 2011 A epístola é um implacável recurso narrativo, pressupõe o diálogo com outrem, comove e se impõe pela interlocução direta e sincera. Mariana Alcoforado usou a correspondência para atenuar a saudade do conde de Chamilly e, não fosse o casal perfeito papel-tinta, o amor proibido da freira portuguesa pelo capitão de cavalaria francês, uma das histórias mais fascinantes de arrebatamento, nunca seria conhecido. Se as cartas de amor são ridículas, como preceituava Fernando Pessoa, mais ridículo é quem as despreza. É uma arma de insistência. Uma tática da devoção. Foi um bilhete posto furtivamente no casaco que baqueou o coração da escritora Martha Medeiros, autora do poema Cartas Extraviadas. “Sou da era pré-Internet, então já escrevi e recebi inúmeras cartas, e guardo a maioria delas. Hoje me rendo ao e-mail, que é um facilitador de contatos. Nada tenho contra a instantaneidade, mas reconheço que as emoções hoje andam tão efêmeras que mal rendem um parágrafo, quanto mais uma lauda toda manuscrita”, confessa a autora. CARPINEJAR, Fabrício. Cartas e literatura: Um amor por escrito. In: Revista da Cultura, ed. 12, jul. 2008, p. 12-4 (com adaptações). 35. Considerando que, no texto, o autor utiliza diferentes formas para se referir a correspondências, assinale a opção em que a palavra ou expressão do texto está em sentido figurado. a) b) c) d) e) “bilhete”. “e-mail”. “epístola”. “casal perfeito papel-tinta”. “cartas”. 36. No trecho “Se as cartas de amor são ridículas, como preceituava Fernando Pessoa, mais ridículo é quem as despreza. É uma arma de insistência. Uma tática da devoção”, o autor compara a carta de amor a “arma” e “tática”. Ao utilizar essas palavras, o autor constrói uma representação da ação de conquista do ser amado, comparando-a a a) b) c) d) e) uma aposta. um investimento. uma doença. uma batalha. uma provação. 105www.acasadoconcurseiro.com.br
  61. 61. ORTOGRAFIA PARÔNIMOS e HOMÔNIMOS Parônimos– palavras que são muito parecidas na escrita ou na pronúncia, porém apresentam significados diferentes. • • Ao encontro de (a favor) / De encontro a (contra) Ao invés de (oposto) / Em vez de (no lugar de) ALGUNS OUTROS EXEMPLOS no cais) 106 www.acasadoconcurseiro.com.br absolver (perdoar, inocentar) absorver (asprirar, sorver) apóstrofe (figura de linguagem) apóstrofo (sinal gráfico) aprender (tomar conhecimento) apreender (capturar, assimilar) arrear (pôr arreios) arriar (descer, cair) ascensão (subida) assunção (elevação a um cargo) bebedor (aquele que bebe) bebedouro (local onde se bebe) cavaleiro (que cavalga) cavalheiro (homem gentil) comprimento (extensão) cumprimento (saudação) deferir (atender) diferir (distinguir-se, divergir) delatar (denunciar) dilatar (alargar) descrição (ato de descrever) discrição (reserva, prudência) descriminar (tirar a culpa) discriminar (distinguir) despensa (local onde se guardam mantimentos) dispensa (ato de dispensar) docente (relativo a professores) discente (relativo a alunos) emigrar (deixar um país) imigrar (entrar num país) eminência (elevado) iminência (qualidade do que está iminente) eminente (elevado) iminente (prestes a ocorrer) esbaforido (ofegante, apressado) espavorido (apavorado) estada (permanência em um lugar) estadia (permanência de uma embarcação flagrante (evidente) fragrante (perfumado) fluir (transcorrer, decorrer) fruir (desfrutar) fusível (aquilo que funde) fuzil (arma de fogo) imergir (afundar) emergir (vir à tona) inflação (alta dos preços) infração (violação)
  62. 62. Correios – Interpretação de Texto – Profª Maria Tereza fundamento) Homônimos – palavras que são iguais na escrita e/ou na pronúncia, porém têm significados diferentes. Homônimos perfeitos são palavras diferentes no sentido, mas idênticas na escrita e na pronúncia. São Jorge / São várias as causas / Homem são Homônimos homógrafos têm a mesma escrita, porém diferente pronúncia na abertura da vogal tônica “o” / “e”. O molho / Eu molho A colher / Vou colher Homônimos homófonos têm a mesma pronúncia, mas escrita diferente. Apreçar = combinar o preço de / Apressar = tornar mais rápido Acender = pôr fogo / Ascender = subir Anotações: 107www.acasadoconcurseiro.com.br infligir (aplicar pena) infringir (violar, desrespeitar) mandado (ordem judicial) mandato (procuração) peão (aquele que anda a pé, domador de cavalos) pião (tipo de brinquedo) precedente (que vem antes) procedente (proveniente; que tem ratificar (confirmar) retificar (corrigir) recrear (divertir) recriar (criar novamente) soar (produzir som) suar (transpirar) sortir (abastecer, misturar) surtir (produzir efeito) sustar (suspender) suster (sustentar) tráfego (trânsito) tráfico (comércio ilegal) vadear (atravessar a vau) vadiar (andar ociosamente)

×