O BRINCAR COMO UM MODO DE SER E 
ESTAR NO MUNDO: 
Autora:Ângela Meyer 
Borba
ALGUMAS REFLEXÕES: 
 O preconceito ainda 
existente com o 
brincar, nas escolas; 
 O brincar envolve 
também a aquisição...
 No que tange a 
educação formal 
precisamos passar a 
considerar que brincar 
não é perda de 
tempo,mas sim ganho 
em fo...
 É preciso que as 
escolas tomem 
consciência de que é 
necessário dar 
continuidade as 
atividades lúdicas, até 
mesmo p...
INFÂNCIA, BRINCADEIRA ,DESENVOLVIMENTO E 
APRENDIZAGEM: 
 É preciso que se pense 
em tempos e espaços 
escolares que 
con...
 As atividades lúdicas 
não devem ser 
compreendidas apenas 
como recursos com a 
função de treinar e 
sistematizar 
conh...
BRINCADEIRA ,CULTURA E CONHECIMENTO:A 
FUNÇÃO HUMANIZADORA DA ESCOLA: 
 O brincar como 
patrimônio Cultural; 
 O brincar...
 O brincar como um direito; 
 “...na medida em que a 
infância vem sendo 
marcada pela diminuição dos 
espaços públicos ...
REPORTAGEM: 
http://redeglobo.globo.c 
om/como-sera/ 
noticia/2014/09/ter 
ritorio-do-brincar-documenta-brincadeiras- 
por...
 Disciplina: E.E.P.P.IV-Prof: 
Ivan Amaro 
 Universidade do 
Estado do Rio de 
Janeiro. 
 Grupo: 
 Angélica Bauer; 
 ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Proposta de atividade par 4ª aula

283 visualizações

Publicada em

Trabalho em grupo

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
283
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Proposta de atividade par 4ª aula

  1. 1. O BRINCAR COMO UM MODO DE SER E ESTAR NO MUNDO: Autora:Ângela Meyer Borba
  2. 2. ALGUMAS REFLEXÕES:  O preconceito ainda existente com o brincar, nas escolas;  O brincar envolve também a aquisição de conhecimento;  Ao estabelecermos subjetividades sobre as crianças,eliminamos a oportunidade dela se desenvolver;
  3. 3.  No que tange a educação formal precisamos passar a considerar que brincar não é perda de tempo,mas sim ganho em formação;  O brincar articula o que já foi visto e o novo, a memória e a imaginação, a realidade e a fantasia;
  4. 4.  É preciso que as escolas tomem consciência de que é necessário dar continuidade as atividades lúdicas, até mesmo para as séries finais do ensino fundamental e segundo a autora à”etapas subsequentes da nossa formação.”
  5. 5. INFÂNCIA, BRINCADEIRA ,DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM:  É preciso que se pense em tempos e espaços escolares que contemplem o brincar, como forma de aprendizagem;  “O brincar envolve múltiplas aprendizagens;”(p.36)  Vigotsky ( A brincadeira e a Z.D.P.);
  6. 6.  As atividades lúdicas não devem ser compreendidas apenas como recursos com a função de treinar e sistematizar conhecimentos;  É através das interações sociais que as crianças constroem culturas; essas interações ocorrem principalmente através da brincadeira;
  7. 7. BRINCADEIRA ,CULTURA E CONHECIMENTO:A FUNÇÃO HUMANIZADORA DA ESCOLA:  O brincar como patrimônio Cultural;  O brincar X o Jogo;  A brincadeira como suporte de sociabilidade;  A criação de regras de convivência social estabelecidas no brincar;
  8. 8.  O brincar como um direito;  “...na medida em que a infância vem sendo marcada pela diminuição dos espaços públicos de brincadeira , pela falta de tempo para o lazer, pelo isolamento, sendo a escola muitas vezes o principal universo de sociabilidade;”(p.42)  O brincar como experiência de cultura;
  9. 9. REPORTAGEM: http://redeglobo.globo.c om/como-sera/ noticia/2014/09/ter ritorio-do-brincar-documenta-brincadeiras- por-todo-o- brasil.html
  10. 10.  Disciplina: E.E.P.P.IV-Prof: Ivan Amaro  Universidade do Estado do Rio de Janeiro.  Grupo:  Angélica Bauer;  Shirley Gama;  Jennifer Silveira;  Beatriz Guirra;  Raquel Sant’ana;  Marcos Lord.  Natália Barbosa.

×