SOMA DE MUITOS POUCOS

337 visualizações

Publicada em

SOMA DE MUITOS POUCOS

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
337
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

SOMA DE MUITOS POUCOS

  1. 1. A soma de muitos poucos Sueli Caramello Uliano No início da madrugada ela despertou com o barulho do vento. Zoava pelo apartamento uma corrente de ar frio, arrepiou-se ligeiramente. O marido continuava dormindo, impassível. Levantou para fechar a porta da área de serviço e conferir as janelas, ajeitar cortinas e persianas. Surpresas próprias das noites de outono essas variações de temperatura.
  2. 2. Passou pelo quarto da filha. A menina encolhera-se de pijama leve sob um lençol fino. Ela apanhou uma mantinha e abriu-a, ajeitou-a até os ombros da jovem, fez a dobra para que a lã não lhe roçasse o rosto. A menina espichou-se, refestelou-se, relaxou sob o calor do agasalho. O rosto suavizou a expressão apreensiva que a defendia do desconforto anterior.
  3. 3. Ela voltou a deitar-se. Perdera o sono, apesar do cansaço, mas sentia-se recompensada. Descobrira que o seu termômetro natural continuava ativo, não no que se refere à temperatura ambiente apenas, mas àquele tato de perceber que alguém na casa poderia estar com frio. Mulher, confirmava-se mãe.
  4. 4. O relato, feito em tom de brincadeira, fez-me lembrar do ladrão da Fontana di Trevi. Recentemente os jornais noticiaram a boa fortuna desse senhor que se apropriava há anos das moedas lançadas pelos turistas que assim formalizam o seu desejo de voltar à Cidade Eterna.
  5. 5. Essa tentativa lúdica de garantir o retorno a Roma garantia com sobras o sustento do desempregado e seus cúmplices, apesar de que não se pode imaginar que alguém lançasse ali grandes valores... Muito pelo contrário! Desejos parcamente representados estes que, no entanto, somando-se no murmúrio do chafariz resultam em uma pequena fortuna. Lançam os turistas pequenas moedas na Fontana di Trevi como lança minha amiga o seu olhar, numa noite fria, ao redor de si.
  6. 6. Se as mulheres voltassem a lançar o seu olhar feminino sobre as dores da humanidade! E se a cada olhar correspondesse um gesto de mulher que se descobre mãe e se inclina para o outro... Somados no burburinho da vida... Quanto calor! Quanta paz!
  7. 7. Ainda que pela manhã, em face de uma nova surpresa de outono, a menina se tenha levantado contrariada... Mãe! Por que você me cobriu com manta, hein? Acordei morrendo de calor!!! (Ora, que mãe se importa com isso?) Música: carmen cavallaro - Stairway To The Stars Montagem: [email_address] www.pranos.com.br

×