Presença Africana   Alda Lara Presença Africana E apesar de tudo, ainda sou a mesma! Livre esguia, filha eterna de quanta ...
A dos coqueiros, de cabeleiras verdes e corpos arrojados sobre o azul... A do dendêm nascendo dos abraços das palmeiras......
Sim!,  ainda sou a mesma. A do amor transbordando pelos carregadores do cais suados e confusos, pelos bairros imundos e do...
Sem dores nem alegrias, de tronco nu e musculoso, a raça escreve a prumo, a força deste dia... E eu revendo ainda, e sempr...
Terra das acácias, dos dengos, dos colos banlaçando, mansamente... Terra! Ainda sou a mesma. Ainda sou a que num canto nov...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

PRESENCA AFRICANA

386 visualizações

Publicada em

PRESENCA AFRICANA

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
386
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

PRESENCA AFRICANA

  1. 1. Presença Africana Alda Lara Presença Africana E apesar de tudo, ainda sou a mesma! Livre esguia, filha eterna de quanta rebeldia me sagrou, Mãe-África! Mãe forte da floresta e do deserto, ainda sou, a Irmã-Mulher de tudo o que em ti vibra puro e incerto...
  2. 2. A dos coqueiros, de cabeleiras verdes e corpos arrojados sobre o azul... A do dendêm nascendo dos abraços das palmeiras... A do sol bom, mordendo chão das Ingombotas... A das acácias rubras, salpicando de sangue as avenidas, longas e floridas...
  3. 3. Sim!, ainda sou a mesma. A do amor transbordando pelos carregadores do cais suados e confusos, pelos bairros imundos e dormentes (Rua 11! ... Rua 11...) pelos meninos de barriga inchada e olhos fundos...
  4. 4. Sem dores nem alegrias, de tronco nu e musculoso, a raça escreve a prumo, a força deste dia... E eu revendo ainda, e sempre, nela, aquela longa história inconseqüente... Minha terra... Minha, eternamente ...
  5. 5. Terra das acácias, dos dengos, dos colos banlaçando, mansamente... Terra! Ainda sou a mesma. Ainda sou a que num canto novo pura e livre me levanto, ao aceno do teu povo! Música : Miriam Makeba - Harry Belafonte - Malaika (My Angel) Montagem [email_address] www.pranos.com.br

×