A MINHA PAZ O sol morre no horizonte, envolto em chamas multicolores. É a hora de refazer a paz com a minha consciência. P...
Dei minha mão a uma senhora corcovada pelos anos, que atravessava, titubeante, a passadeira, numa rua com trânsito aflitiv...
Senti alegria porque a minha cidade abrira várias portas, em várias ruas, para mitigar a fome do corpo e da alma de centen...
Então chegou a hora, Senhor, de te agradecer o irmão Sol que me deste para me alumiar.  A irmã velhinha que fez lembrar mi...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

MINHA PAZ

462 visualizações

Publicada em

MINHA PAZ

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
462
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

MINHA PAZ

  1. 1. A MINHA PAZ O sol morre no horizonte, envolto em chamas multicolores. É a hora de refazer a paz com a minha consciência. Pergunto-me então: valeu a pena mais este dia de sol? Minha alma responde que sim, que valeu muito a pena. Soube ouvir os outros. Soube sentir os outros. Soube ajudar os outros.
  2. 2. Dei minha mão a uma senhora corcovada pelos anos, que atravessava, titubeante, a passadeira, numa rua com trânsito aflitivo. Foi como se tivesse pegado numa flor que os anos ainda não fizeram murchar. Não accionei o som estridente da buzina do meu carro, nem praguejei com os atropelos de condutores que rasgavam o código a cada manobra.
  3. 3. Senti alegria porque a minha cidade abrira várias portas, em várias ruas, para mitigar a fome do corpo e da alma de centenas de homens e mulheres, nossos irmãos, sem-abrigo. O côncavo das minhas mãos encheu-se com as sensações de risos de crianças, no parque em frente a minha casa.
  4. 4. Então chegou a hora, Senhor, de te agradecer o irmão Sol que me deste para me alumiar. A irmã velhinha que fez lembrar minha avó. Os irmãos condutores irresponsáveis para me indicarem o contra caminho. Os irmãos sem-abrigo que me mostraram o Teu rosto multifacetado. As irmãs crianças que me relembraram a tua pureza. E fiz o propósito de amanhã ser ainda melhor do que hoje. Mas, se tropeçar, pega em mim ao colo, cura-me as feridas dos joelhos e dá-me, de novo, a tua paz, Senhor. J. Marques da Cruz Música : Classical - Mozart - Midnight Sonata Montagem [email_address] www.pranos.com.br

×