12

1.202 visualizações

Publicada em

12 items

Publicada em: Espiritual, Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.202
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
23
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

12

  1. 1. Queridos “Amigos”! Como já é de conhecimento de todos, faço trabalho voluntário baseado na filosofia e estudos sobre o Espiritismo. Nascido em família espírita foi natural proseguir nesta formação religiosa.
  2. 2. Aproveitando os ensinamentos, procurei na terceira das “Obras Básicas de Kardec”, no caso “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, doze itens para nosso crescimento moral e espiritual.
  3. 3. E o que me levou a isto? Foram as constantes observações de, primeiramente, minhas atitudes e, posteriormente, dos “Amigos” que estão dentro e fora de uma Sociedade Espírita.
  4. 4. Questionamos, orientamos e somos questionados e orientados sobre estes ítens. Se você não se enquadra em nenhum, em alguns ou, se está em todos não é motivo para alegria ou tristeza. A razão disto é apenas para uma simples reflexão e avaliação de nossos atos e atitudes.
  5. 5. A ordem dos mesmos não se encontra na mesma razão apresentada pela Obra. A autoria de tudo ficará, para aqueles que querem um nome como: “ Autor: Um Amigo ”. Pois, neste momento, o que mais me interessa não é meu nome e sim os ensinamentos adquiridos que compartilho com todos. Quando se trabalha por AMOR não importa o autor.
  6. 6. DOZE ÍTENS PARA REAVALIARMOS NOSSOS ATOS E ATITUDES.
  7. 7. INDULGÊNCIA! A INDULGÊNCIA não vê os defeitos alheios, se os vê, evita comentá-los e divulgá-los. Oculta-os, pelo contrário, evitando que se propaguem, e se a malevolência os descobre, tem sempre uma desculpa à mão para os disfaçar, mas uma desculpa plausível, séria, e não daquelas que, fingindo atenuar a falta, a fazem ressaltar com pérfida astúcia.!
  8. 8. NÃO JULGUEIS PARA NÃO SERDES JULGADOS. AQUELE QUE ESTIVER SEM PECADO ATIRE A PRIMEIRA PEDRA. Esta máxima, faz da indulgência um dever, pois não há quem dela não necessite para si mesmo. Ensina que não devemos julgar os outros mais severamente do que nos julgamos nós mesmos, nem condenar nos outros o que nos desculpamos em nós. Antes de reprovar uma falta de alguém, consideremos se a mesma reprovação não nos pode ser aplicada.
  9. 9. O DEVER! O Dever começa precisamente no ponto em que ameaçais a felicidade ou a tranqüilidade do vosso próximo, e termina no limite que não desejareis ver transposto em relação a vós mesmos.
  10. 10. EGOÍSMO! Com o egoísmo e o orgulho, que andam de mão dadas, essa vida será sempre um corrida favorável ao mais esperto, uma luta de interesses, em que as mais santas afeições são calcadas aos pés, em que nem mesmo os sagrados laços de família são respeitados.
  11. 11. VINGANÇA! A vingança é um sentimento tanto mais funesto, quanto a falsidade e a vileza são suas companheiras assíduas. Com efeito, aquele que se entrega a essa paixão cega e fatal quase nunca se vinga às claras. Quando é o mais forte, precipita-se como uma fera sobre o que considera seu inimigo, pois basta vê-lo para que se inflamem a sua paixão, a sua cólera e o seu ódio. No mais das vezes, porém, assume uma atitude hipócrita, dissimulando no mais profundo do seu coração os maus sentimentos que o animam.
  12. 12. CÓLERA! O orgulho vos leva julgardes mais do que sois, a não aceitar uma comparação que vos possa rebaixar, e a vos considerardes, ao contrário, de tal maneira acima de vossos irmãos, seja na finura de espírito, seja no tocante à posição social, seja ainda em relação às vantagens pessoais, que o menor paralelo vos irrita e vos fere. E o que acontece, então? Entregai-vos à colera.
  13. 13. ORGULHO E A HUMULDADE Despertai, meus irmãos, meus amigos! Que a voz dos Espíritos vos toque o coração. Sede generosos e caridosos, sem ostentação. Quer dizer: fazei o bem com humildade. Que cada um vá demolindo aos poucos os altares elevados ao orgulho. Numa palavra: sede verdadeiros cristãos, e atingireis o reino da verdade.
  14. 14. VIRTUDE! A virtude, no seu grau mais elevado, abrange o conjunto de todas as qualidades essenciais que cons tituem o homem de bem. Ser bom, carid oso , t rabalhador, sóbrio, modesto, são as qu alidades do homem virtuoso. Infeli smen te, são quase sempre acompanhadas de pequ enas falhas morais, que as deslus tram e enfraquecem.
  15. 15. PACIÊNCIA! Sede pacientes, pois a paciê ncia é também caridade, e d eveis praticar a lei de caridade, ensinada p elo Cristo, enviado de Deus. A caridade q ue consiste em dar esmolas aos pobres é a mais fácil de todas. Mas há uma bem mais penosa, e conseqüentemente bem mais meritória, que é a de perdoar os que Deus colocou em nosso caminho, para serem os instrumentos de nosso sofrimentos e submeterem à prova a nossa paciência.
  16. 16. RESIGNAÇÃO! A doutrina de Jesus ensina sempre a obediência e a resignação, duas virtudes companheiras da doçura, muito ativas, embora os homens as confundam erroneamente com a negação do sentimento e da vontade. A obediência é o consentimento da razão; a resignação é o consentimento do coração. Ambas são forças ativas, porque levam o fardo das provas que a revolta insensata deixa cair.
  17. 17. FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO! Com essa orientação, o homem jamais se transviará. Aplicai-vos, portanto, meus amigos, a compreender-lhe o sentido profundo e as conseqüencias de sua aplicação, e a procurar por vós mesmos todas as maneiras de aplicá-la. Submetei todas as vossas ações ao controle da caridade, e a vossa consciência vos responderá: não somente ela evitará que façais o mal, mas ainda vos levará a fazer mo bem.
  18. 18. PERDÃO DAS OFENSAS Perdoar aos inimigos é pedir perdão para si mesmo; perdoar aos amigos é dar prova de amizade; perdoar as ofensas é mostrar que se melhora. Perdoai, pois, meus amigos, para que Deus vos perdoe. Porque, se fordes duros, exigentes, inflexíveis, se guardardes até mesmo uma ligeira ofensa, como quereis que Deus esqueça que todos os dias tendes grande necessidade de indulgência?
  19. 19. TODOS OS PARÁGRAFOS FORAM TRANSCRITOS NA SUA ÍNTEGRA TENHA UMA SEMANA DE MUITA LUZ E PAZ
  20. 20. Como os e-mails recebidos no ano passado não puderam ser retribuídos em razão do número elevado recebido, este ano tomo a liberdade de me antecipar como forma de agradecimento por tudo o que li e recebi de todos. Um 2004 cheio de realizações, muita energia positiva, deixando para tráz, para que se perca no tempo, tudo o que de ruim aconteceu. Que de agora em diante prevaleça somente alegrias, conquistas, vitórias com muita LUZ e PAZ a todos.

×