236
Análise da atuação do empreendedor público e
a evolução e resultados das políticas de
esportes no Governo de Minas Ger...
Introdução
A sólida formação superior em economia
pela University of Minnesota e pós-gra-
duação em gestão com ênfase em m...
Brasil, também sinalizava o desafio de
executar um projeto nesse setor que prio-
rizasse o planejamento e a avaliação da
s...
SEEJ. Apesar dos desafios enfrentados,
isso facilitou a atuação como empreende-
dor público, pois manteve sua imagem
relac...
Os projetos estruturadores apresentavam
como características essenciais a
capacidade de transformar a estratégia
do govern...
decisões estratégicas para as revisões do
PPAG3
.
Ainda para superar o descompasso das
prioridades, o empreendedor público...
essa espécie de painel de bordo, que é
atualizado semanalmente e repassado aos
coordenadores das ações do projeto.
Uma reu...
uma das 12 cidades-sedes do mundial de
futebol.
Outra proposta bem-sucedida foi a exe-
cução do Nova Geração, que benefici...
Processos formais de avaliação de resulta-
dos e de impacto estão sendo estudados
juntamente com a rede.
Outros resultados...
Escola de Tempo Integral (ETI). Os
resultados apresentam uma percepção na
melhoria da atuação do profissional de
educação ...
política estruturante de esporte que já foi
semeada. O desafio é avançar qualitativa-
mente no que já foi implementado, po...
acelerando o ainda moroso desenvolvi-
mento socioesportivo brasileiro e tomando
as decisões corajosas para superar as
mura...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

EPR_PARTEII_MASSURA

174 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
174
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

EPR_PARTEII_MASSURA

  1. 1. 236 Análise da atuação do empreendedor público e a evolução e resultados das políticas de esportes no Governo de Minas Gerais Alexandre Massura Neto Resumo: O presente artigo descreve a experiência do empreendedor público _ que já atuava em projetos esportivos entre 2005 e 2006 como superintendente de Esportes do Governo Mineiro _ na execução do projeto estruturador Minas Olímpica. Relata sua contribuição e resultados alcançados em face dos desafios para aprimorar a política de esporte, propondo um equilíbrio dos aspectos políticos e técnicos na implementação de uma diretriz pública de esporte estruturante em Minas Gerais. O artigo relaciona os resultados obtidos no projeto estruturador Minas Olímpica à compreensão institucional e ao perfil do empreendedor público para superar os obstáculos descritos. Destaca o alinhamento do projeto às diretrizes estratégicas do Governo de Minas Gerais, levando a uma reflexão sobre a expansão desse personagem na gestão pública. Por fim, o artigo situa o momento que o esporte vive no Brasil, de preparação para sediar a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, como oportunidade para tratar os resultados de uma política pública de esporte nos próximos planos de governo, sob a ótica do capital humano e do desenvolvimento econômico, e, nesse contexto, a atuação de empreendedores públicos. Palavras-chave: Estruturação do esporte; empreendedor público; desafios; equilíbrio técnico e político; resultados. EPR_2 8/19/10 1:23 PM Page 116
  2. 2. Introdução A sólida formação superior em economia pela University of Minnesota e pós-gra- duação em gestão com ênfase em marketing pela Fundação Dom Cabral atenderam plenamente à pré-qualificação demandada para o cargo de empreendedor público. Destaca-se, como diferencial, a expe- riência anterior como servidor público e os resultados alcançados como superin- tendente de Esportes na extinta Subsecretaria de Esporte, durante a 1ª Geração do Choque de Gestão _ 2003- 2007. Concluído o processo de pré-qualifi- cação, a nomeação para o cargo de empreendedor público veio atrelada à função de gerente do projeto estrutu- rador Minas Olímpica, vinculado à Secretaria de Estado de Esporte e da Juventude (SEEJ). Inicialmente, esse pro- jeto foi alocado na Área de Resultados Vida Saudável1 do Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado _ PMDI 2007-2023 _ e, a partir de 2008, realocado na Área de Resultados Protagonismo Juvenil. É importante destacar que o projeto Minas Olímpica tem representado, desde 2007, uma parcela significativa _ aproxi- madamente 80% _ de todo o orçamento anual do tesouro estadual destinado à SEEJ, podendo ser considerado, em relação a outros projetos estruturadores, um dos que possuem o maior número de ações correlacionadas: dez no total. No projeto, uma das atribuições do empreendedor público é gerenciar a equipe de colaboradores. O Quadro 1 indica as ações do Minas Olímpica e as áreas institucionais da SEEJ diretamente envolvidas em cada uma delas. O desenvolvimento de planos e progra- mas esportivos não estruturantes aliados à histórica influência político-institu- cional nas áreas esportivas nos governos, não só em Minas Gerais, mas em todo o 237Alexandre Massura Neto 1 Para mais detalhes das áreas de resultados, ver PMDI 2007-2023, p. 20-40. EPR_2 8/19/10 1:23 PM Page 117
  3. 3. Brasil, também sinalizava o desafio de executar um projeto nesse setor que prio- rizasse o planejamento e a avaliação da sua eficiência. A partir desse cenário, este trabalho se propõe a relatar a experiên- cia, os desafios enfrentados e os resulta- dos alcançados como empreendedor público, ex-servidor superintendente de Esportes e gerente do projeto estrutu- rador Minas Olímpica no Governo de Minas Gerais. Atuação do empreendedor público A atuação do empreendedor norteou-se por três perspectivas. A primeira foi ela- borar um plano de projeto sólido em que o esporte, ainda que de forma secundária, contribuísse para resultados intersetoriais. A segunda, sob a ótica do EpR, liderar a equipe para uma cultura de prioridade do plano de projeto e o cumprimento de marcos e metas. E, por fim, a perspectiva de inovar na execução das ações e processos frente aos obstácu- los enfrentados. Concomitantemente a essa conduta gerencial, o empreendedor público norteou-se pela compreensão do projeto político institucional da SEEJ no intuito de promover a sinergia entre as demandas técnica e política. Em relação à percepção dos colabo- radores da SEEJ sobre esse novo persona- gem, o papel do empreendedor público foi bem aceito. Um dos fatores que podem ter contribuído é a participação do empreendedor público no processo transitório da extinta Subsecretaria de Esporte para a nova SEEJ. Juntamente com o atual secretário-adjunto desta Secretaria, Rogério Romero, alocou uma parte da equipe técnica e dos colabo- radores em áreas-meio importantes para a orientação do fluxo de trabalho da nova 238 Análise da atuação do empreendedor público e a evolução e resultados das políticas de esportes no Governo de Minas Gerais. Quadro 1 Ações do Projeto Estruturador Minas Olímpica Ação Responsabilidade direta Modernização do Complexo Gerência do projeto (empreendedor público e gerente adjunto Mineirão Mineirinho do projeto estruturador) Implantação do Centro de Gerente do Projeto (empreendedor público) Treinamento Esportivo (CTE) Nova Geração Superintendência de Esporte Educacional (SEE) Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG) Superintendência de Esporte Educacional (SEE) Saúde na Praça Superintendência de Esporte Educacional (SEE) Jogos do Interior de Minas (JIMI) Superintendência de Esporte de Competição (SEC) Oficinas de Esporte Superintendência de Esporte de Competição (SEC) Qualificação de Gestores Esportivos Superintendência de Esporte Educacional (SEE) Implantação do Sistema Superintendência de Políticas Desportivas Regionais (SPDR) Gerencial de Esporte Ampliação de Reestruturação de Superintendência de Políticas Desportivas Regionais (SPDR) Espaços Esportivos Fonte: Secretaria de Estado de Esporte e da Juventude (SEEJ). EPR_2 8/19/10 1:23 PM Page 118
  4. 4. SEEJ. Apesar dos desafios enfrentados, isso facilitou a atuação como empreende- dor público, pois manteve sua imagem relacionada ao papel de coordenador das políticas de esportes. De fato, o que houve foi uma transposição da experiên- cia anterior como superintendente, porém com um número maior de ações para execução e maior comprometimento formal por resultados vinculados. Entre 2005 e 2006, como superinten- dente, apoiado por colaboradores na extinta Subsecretaria de Esportes, con- seguiu promover o alinhamento da exe- cução da política esportiva que buscava, além da eficiência, o estabelecimento de alguns critérios técnicos quanto à ade- quação às necessidades políticas da enti- dade. Essa convergência foi possível porque foi aberto um canal de comuni- cação que levou as áreas técnica e políti- ca a entendimentos mútuos. Atualmente, por meio do acordo de resul- tados da SEEJ, que vincula, entre outros, resultados do projeto estruturador, houve um compartilhamento de responsabili- dades para as decisões tático-opera- cionais entre a área técnica _ o empreendedor público e colaboradores vinculados às ações do projeto estrutu- rador _ e a área político-institucional do órgão. Nesse ambiente, houve intenso trabalho para quebrar o paradigma de que algumas decisões que deveriam obe- decer a critérios somente políticos passem a considerar a importância dos aspectos técnicos. Desde 2007, ao assumir o cargo de empreendedor público, várias tratativas foram provocadas para alinhar e ba- lancear a gestão do projeto na SEEJ. Seja pela própria atuação do empreendedor público e/ou de outros agentes vincula- dos ao projeto, essas tratativas têm alme- jado avanços para evitar gargalos em sua execução. Nesse contexto, os processos vinculados ao projeto em algumas situa- ções competem com os anseios político- -institucionais, fragilizando a prioridade, delineada pelas diretrizes do Governo, do foco na execução dos projetos estrutu- radores. 239Alexandre Massura Neto O desenvolvimento de planos e programas esportivos não estru- turantes aliados à histórica influência político-institucional nas áreas esportivas nos governos, não só em Minas Gerais, mas em todo o Brasil, também sinalizava o desafio de executar um pro- jeto nesse setor que priorizasse o planejamento e a avaliação da sua eficiência. EPR_2 8/19/10 1:23 PM Page 119
  5. 5. Os projetos estruturadores apresentavam como características essenciais a capacidade de transformar a estratégia do governo em ações concretas e sinalizar as mudanças desejadas para a sociedade. Para tanto, tais iniciativas constituíram foco prioritário quanto à alocação de recursos do Estado de Minas Gerais (TOSCANO, 2008, p. 3). Para superar esse desalinhamento, tem contribuído a determinação do empreendedor público e da equipe da SEEJ em alcançar os resultados. Atendo-se sempre às legislações e princípios da Administração Pública, ao modelo geren- cial que orienta o planejamento integrado, monitoramento sistêmico dos marcos e a avaliação das metas e seus resultados con- solidou-se, por exemplo, o modelo de contratualização por Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIPs)2 na execução de ações do pro- jeto Minas Olímpica. A gestão A necessidade do acompanhamento efi- ciente das etapas para alcance dos obje- tivos do projeto trouxe insegurança aos coordenadores das ações devido ao desconhecimento de ferramentas e méto- dos para definição de marcos, indi- cadores e metas. Para familiarizá-los com tais ferramentas, foi proposta a definição de produtos para as ações que não apre- sentavam valores iniciais, além de uma sistematização dos dados apurados na execução para formação de valores de referência de indicadores no futuro. A dimensão do projeto Minas Olímpica e o monitoramento sistêmico posto em prática pela Gestão Estratégica de Recursos e Ações do Estado (GERAES) levaram o empreendedor público a alo- car um colaborador para dar apoio ao acompanhamento das atividades dos coordenadores das dez ações planejadas, e à equipe da área-meio da SEEJ para a execução de processos do projeto. Os resultados da alocação desse colaborador têm sido positivos e têm possibilitado uma maior coordenação do fluxo das informações e a convergência de dados da execução das diversas ações. Além de facilitar a sistematização e análise dos resultados pelo empreendedor público, a disseminação desses resultados entre colaboradores e dirigentes influencia nas 240 Análise da atuação do empreendedor público e a evolução e resultados das políticas de esportes no Governo de Minas Gerais. 2 Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) é um título concedido a orga- nizações de direito privado, sem fins lucrativos, que atuem no desenvolvimento de projetos e programas sociais que representem o interesse público. Cf. Lei Estadual n. 14.870/2003. [...] houve intenso trabalho para quebrar o paradigma de que algumas decisões que deveriam obedecer a critérios somente políticos passem a considerar a importância dos aspectos técnicos. EPR_2 8/19/10 1:23 PM Page 120
  6. 6. decisões estratégicas para as revisões do PPAG3 . Ainda para superar o descompasso das prioridades, o empreendedor público tem buscado um alinhamento entre as áreas- meio responsáveis, por meio de reuniões nas quais se desenham os possíveis cenários para determinados processos. A dinâmica tem melhorado o fluxo de tra- balho dos principais processos. No entanto, tem encontrado barreiras para decisões arrojadas e necessárias, ora por conser- vadorismo, ora por interpretações jurídi- cas, muitas vezes, divergentes das que são até institucionalmente preconizadas pelo Governo. A eficiência nos processos para a exe- cução de projetos continuados, em muitos casos, pode ser alcançada por meio da publicação de editais seletivos que ajudam a testar o mínimo de com- prometimento dos proponentes. Uma das possíveis causas para o lento avanço desse modelo de seleção por edital para escolha dos potenciais beneficiários das ações e projetos é que esse procedimento ainda deve ser amadurecido politicamente. O retardamento dessas mudanças adminis- trativas, evidentemente, tem postergado avanços, bem como a obtenção de me- lhores resultados. No que tange ao monitoramento do cronograma, à execução do orçamento e às ações do Minas Olímpica com quali- dade, o empreendedor público tem con- duzido a equipe e colaboradores da SEEJ a uma reflexão sobre a necessidade de adoção de ferramentas de gestão, evitando negligências e aperfeiçoando o acompa- nhamento das tarefas. As ferramentas que têm ajudado a moni- torar, com mais detalhamento, o estágio de execução das ações do projeto são o plano de ação e o quadro de gestão à vista. O empreendedor público introduziu 241Alexandre Massura Neto 3 Plano Plurianual de Ação Governamental, ver detalhes em: <http://www.planejamento.mg.gov. br/governo/planejamento/ppag/ppag.asp>. [...] ao assumir o cargo de empreendedor público, várias tratativas foram provocadas para alinhar e balancear a gestão do projeto na SEEJ. Seja pela própria atuação do empreendedor público e/ou de outros agentes vinculados ao projeto, essas tratativas têm almejado avanços para evitar gargalos em sua execução. EPR_2 8/19/10 1:23 PM Page 121
  7. 7. essa espécie de painel de bordo, que é atualizado semanalmente e repassado aos coordenadores das ações do projeto. Uma reunião coordenada pela alta gerência da SEEJ é realizada semanal- mente. Nesses encontros, monitoram-se e atualizam-se as tarefas. Constam também desse instrumento marcos e metas de responsabilidade de cada coordenador e a sua situação conforme a cor dos faróis: verde, para marcos em dia; amarela, para os com até 60 dias de atraso; vermelha, para aqueles com atrasos superiores a 60 dias. Esta metodologia foi transposta do Geraes. Pode-se dizer que o papel do empreende- dor público tem fortalecido a adoção de ferramentas gerenciais e métodos de avaliação não só pelos colaboradores vin- culados ao projeto estruturador, mas por toda a área esportiva no órgão. O empreendedor público também tem enfatizado os parâmetros que a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (SEPLAG) preconiza, transpondo essa prática para a SEEJ e constatando uma evolução satisfatória. Tem-se buscado ainda promover a cultura da reciclagem profissional com o encami-nhamento de coordenadores de ações do projeto para cursos de qualificação, o que tem apre- sentado resultados positivos. Percebe-se como esses colaboradores voltam dos treinamentos dispostos e aptos a adotar as novas práticas e métodos, assimilando-os no seu dia a dia. Outra ação gerencial que tem demons- trado avanços é o incentivo a uma maior cooperação entre os colaboradores de diferentes áreas e órgãos. Esse amadure- cimento tem permitido, em certa medida, superar a ideia equivocada de que secre- tarias nos governos são “ilhas”. A equipe também tem buscado soluções em outros departamentos e órgãos de maneira mais autônoma. Resultados O ambiente favorável a essa permeabili- dade entre órgãos e o perfil de atuação do empreendedor público geraram em curto prazo resultados fundamentais para a consolidação da proposta de construir uma política de esporte estruturante em Minas Gerais. Uma das metas alcançadas de maior visi- bilidade foi a entrega do caderno de can- didatura de Belo Horizonte à Copa 2014, cuja elaboração foi coordenada pelo empreendedor público com agentes de vários órgãos afins. O trabalho culminou com a escolha da capital mineira como 242 Análise da atuação do empreendedor público e a evolução e resultados das políticas de esportes no Governo de Minas Gerais. [...] o papel do empreen- dedor público tem fortalecido a adoção de ferramentas gerenciais e métodos de avaliação [...] por toda a área esportiva no órgão. EPR_2 8/19/10 1:23 PM Page 122
  8. 8. uma das 12 cidades-sedes do mundial de futebol. Outra proposta bem-sucedida foi a exe- cução do Nova Geração, que beneficia 20 mil crianças e adolescentes no estado por meio de atividades artísticas, esportivas e educacionais complementares ao turno escolar. Para esta ação, o empreendedor público, após proposição da coordenado- ria afim, julgou como uma adequada estratégia técnica um atendimento via Instituições de Ensino Superior (IES) e comunidades locais, na proporção de 10% pelas IES e o resto diretamente com municípios e algumas entidades. Inicialmente, a parceria com as IES sofreu resistência. Porém, essa oposição foi superada porque a proporção de alunos atendidos pelas IES foi acordada como meta estruturante na respectiva área de resultados do projeto e seu desempenho pactuado no acordo de resultados da SEEJ. Esse alinhamento evidencia uma das interferências positivas da instrumentalização gerencial imple- mentada pelo Governo de Minas Gerais. Nesse arranjo com as IES no Nova Geração, as instituições universitárias têm propiciado resultados na ação como um todo, trazendo subsídios para melho- rar a eficiência, inclusive na avaliação dos impactos do projeto. Os primeiros resul- tados já foram vistos em 2009, por meio de ampla revisão por essas entidades do modelo de qualificação adotado anterior- mente. Foram alcançadas, por exemplo, maior aplicabilidade prática dos eixos do programa, economia de recursos e quali- dade percebida pelos participantes na qualificação inicial que aconteceu no segundo semestre de 2009. Toda a quali- ficação foi executada por uma IES, a Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), de Passos, que tem desenvolvido a ação com 400 adolescentes desde 2008. Para 2010, alguns estudos de caso serão apresentados, e o refinamento da tec- nologia social do programa será siste- matizado e expresso em cadernos pedagógicos, técnicos e experiências práticas, que serão publicados e compar- tilhados com toda a rede das IES. 243Alexandre Massura Neto [...] a proposta [...] para reduzir o universo de atendimento em prol de maior eficácia dos objetivos e alcance das metas surtiu resultados. A evasão global foi reduzida de mais de 30%, em 2008, para 12,2%, em 2009; e mais de 70% dos atletas das Oficinas de Esportes participaram de competições de alto nível, vinculadas às federações esportivas. EPR_2 8/19/10 1:23 PM Page 123
  9. 9. Processos formais de avaliação de resulta- dos e de impacto estão sendo estudados juntamente com a rede. Outros resultados são evidentes: os ter- mos de parcerias com Oscips _ propostos pelo empreendedor público para a exe- cução e o aprimoramento da gestão dos Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG) e dos Jogos do Interior de Minas _ melho- raram a percepção de qualidade da orga- nização pelos atletas, técnicos e diri- gentes, além de terem aumentado direta- mente o número de participantes. De acordo com os dados disponíveis no Sistema de Informação Gerencial do Esporte (SIGE) na SEEJ, a quantidade de municípios e escolas nos JEMG aumentou, entre 2007 e 2009, respecti- vamente de 434 para 604 e de 2.596 para 4.249. Faz-se necessário ressaltar que o período registrou também a evolução anual dos indicadores. Já na ação das oficinas de esportes, a pro- posta do empreendedor público e da equipe para reduzir o universo de atendi- mento em prol de maior eficácia dos objetivos e alcance das metas surtiu resul- tados. A evasão global foi reduzida de mais de 30%, em 2008, para 12,2%, em 2009; e mais de 70% dos atletas das Oficinas de Esportes participaram de competições de alto nível, vinculadas às federações esportivas. Além disso, alguns atletas estão sendo convidados a integrar equipes de grandes clubes nacionais e internacionais. Ademais, os atletas que se destacarem pelas oficinas de esporte, entre outros, serão convidados a treinar e aprimorar suas habilidades esportivas no moderno Centro de Treinamento Esportivo, em Belo Horizonte, já em construção como uma das ações previstas no projeto estruturador Minas Olímpica. Outra iniciativa do secretário-adjunto da SEEJ e do empreendedor público que se sobressai é a construção da parceria entre a pasta de Esporte e a Secretaria de Estado de Educação (SEE) para o apri- moramento do esporte escolar, cujo foco tem sido alternado entre essa ação do Minas Olímpica e o projeto estruturador 244 Análise da atuação do empreendedor público e a evolução e resultados das políticas de esportes no Governo de Minas Gerais. O exercício do cargo de empreendedor público, além de elevar o nível de competências e de maturidade profissional, tem propi- ciado maior confiança para colocar em prática projetos ousados e de alta complexidade orientados por resultados e para captar e ativar os pontos fortes das pessoas na equipe. EPR_2 8/19/10 1:23 PM Page 124
  10. 10. Escola de Tempo Integral (ETI). Os resultados apresentam uma percepção na melhoria da atuação do profissional de educação física do Estado após a qualifi- cação de 2 mil professores, em 2008 e 2009. De acordo com pesquisa da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep), entidade contratada para avaliar essa qualificação, após real- ização dos módulos I e II em 2008, 98% dos professores disseram que a capaci- tação ajudou a preparar e a executar as oficinas e aulas de educação física nas ETIs. No que diz respeito à ampliação do conteúdo, 34%, e a uma maior clareza do papel que desempenham 12%. Estes dados puderam ser confirmados quando a pesquisa apurou que 93,5% dos dirigentes escolares afirmaram que houve mudanças após a capacitação, de acordo com a distribuição a seguir. TABELA 1 Dados da pesquisa de avaliação da aplicabilidade da qualificação dos professores de educação física nas ETIs Descrição Avaliação (%) A aula melhorou 43,0 Verificaram-se novas atividades 32,6 Observou-se maior motivação 30,4 do professor Observou-se maior motivação 26,1 dos alunos Fonte:Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (FUNDEP) Por último, uma ação inovadora que se inicia em 2010 em parceria com a inicia- tiva privada, da qual se espera um resul- tado positivo e impactante, é o Minas Olímpica Saúde na Praça, um espaço público para a saúde da população. Na parceria, a SEEJ, entre outros investimen- tos, instalou equipamentos para a prática da atividade física ao ar livre nas cidades, e a iniciativa privada custeará os profis- sionais que orientarão os cidadãos sobre as atividades que contribuam para a me- lhoria da saúde e qualidade de vida. A ação prevê uma atuação intersetorial com a Secretaria de Estado da Saúde (SES). Inicialmente haverá a implantação em 25 municípios, onde será conduzida uma avaliação processual e de resultados efetivos de mudança dos hábitos de vida e saúde dos cidadãos. Uma empresa espe- cializada foi licitada para coordenar a execução das atividades nesses espaços. Oportunidades O desafio à frente é o de dar sequência à política de esporte estruturante, que prio- rize a participação do agente público com perfil técnico-gerencial, com habilidade de liderança e visão de futuro. A oportunidade dada ao Brasil de sediar os dois maiores eventos esportivos do mundo nos próximos seis anos coloca nas mãos dos governantes o ensejo de deixar o legado do esporte como uma política pública que contribua efetivamente para a formação do capital humano e para o desenvolvimento econômico, já visto em Barcelona, nos Jogos Olímpicos de 1992; na Alemanha, na Copa de 2006; e na Austrália, com as Olimpíadas de Sidney, em 2000. Para Minas Gerais, as oportunidades são ainda maiores pelas iniciativas de uma 245Alexandre Massura Neto EPR_2 8/19/10 1:23 PM Page 125
  11. 11. política estruturante de esporte que já foi semeada. O desafio é avançar qualitativa- mente no que já foi implementado, por meio do Minas Olímpica, priorizando a formação de equipe técnica hábil para lidar com conceitos de gestão e balancear as necessidades político-institucionais para que não se deteriore o potencial dos resultados técnicos alcançáveis. De fato, para isso acontecer como previsto, haverá necessidade de outras transformações, que vão ao encontro da atual agenda po- sitiva de transformação da gestão pública em Minas Gerais desde 2003. À luz dessas mudanças, fica a sugestão para aperfeiçoamento do atual modelo de gestão, com os empreendedores públi- cos do Governo de Minas, que contemple uma avaliação que se desdobre em áreas ou perspectivas da atuação gerencial do empreendedor para serem pactuadas de maneira customizada. Por exemplo, uma perspectiva pode ser a avaliação dos resultados da atuação intersetorial do empreendedor em prol de atingir metas. Considerações Finais Diante da evolução por que passa a Administração Pública em Minas Gerais e da responsabilidade do empreendedor público em “fazer acontecer”, este artigo procurou demonstrar as experiências cotidianas deste agente, bem como levan- tou reflexões sobre perfil e habilidades na superação de obstáculos. Para isso, desta- cou-se a autonomia de permeabilidade, o ímpeto de promover as mudanças necessárias e o perfil determinado dessa nova representação profissional. Importante registrar a oportunidade de crescimento profissional que esse pro- grama tem propiciado ao empreendedor público. O exercício do cargo de empreendedor público, além de elevar o nível de competências e de maturidade profissional, tem propiciado maior con- fiança para colocar em prática projetos ousados e de alta complexidade orienta- dos por resultados e para captar e ativar os pontos fortes das pessoas na equipe, na tentativa de compatibilizá-las com suas funções. A oficialização do Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 beneficiará profun- damente o esporte no Brasil ante os ga- nhos oriundos de profissionais que atuam no ambiente de tensões, envolvidos na realização desses projetos, os quais serão peças-chave no processo das mudanças estruturantes, especialmente nas políticas de esporte para os próximos anos. Para isso, os “empreendedores” precisarão atuar como agentes de mudança, 246 Análise da atuação do empreendedor público e a evolução e resultados das políticas de esportes no Governo de Minas Gerais. O desafio à frente é o de dar sequência à política de esporte estruturante, que prio- rize a participação do agente público com perfil técnico-geren- cial, com habilidade de liderança e visão de futuro. EPR_2 8/19/10 1:23 PM Page 126
  12. 12. acelerando o ainda moroso desenvolvi- mento socioesportivo brasileiro e tomando as decisões corajosas para superar as muralhas que se apresentarem no caminho, como tem sido a experiência bem-sucedida no Governo de Minas Gerais. Referências GUIMARÃES, Tadeu Barreto; CAM- POS, Eder Sá. Programa Estado para Resultados: balanço da implementação de escritório de apoio à gestão estratégica e gestão por resultados em Minas Gerais. A experiência dos escritórios de projetos. In: CONGRESSO CONSAD DE GESTÃO PÚBLICA, 2., 2009, Brasília. Anais... Brasília, 2009. Disponível em: < http://www.estadopararesultados.mg.gov. br/index.php/sala-conhecimento /doc_details/5-programa-estado-para- resultados-balanco-da-implementacao- de-um-escritorio-de-apoio-a-gestao>. Acesso em: 16 dez. 2009. MINAS GERAIS. Secretaria de Planejamento e Gestão. Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado 2007- 2023. Belo Horizonte, 2007. Disponível em: <http://www.planejamento.mg.gov. br/governo/publicacoes/arquivos/Prop osta_do_PMDI_2007-2023.pdf>. Acesso em: 16 dez. 2009. TOSCANO, Thiago Coelho; BAR- RENCE, André Victor dos Santos. A evolução da gestão de projetos em Minas Gerais: o Escritório Central de Projetos e o gerenciamento intensivo. In: CON- GRESO INTERNACIONAL DEL CLAD SOBRE LA REFORMA DEL ESTADO Y DE LA ADMINIS- TRACIÓN PÚBLICA, 13., 2008, Buenos Aires, Argentina. Anais... Buenos Aires, 2008. Disponível em: <http://www.planejamento.gov.br/ hotsites/seges/clad/documentos/toscathi. pdf>. Acesso em: 16 dez. 2009. 247Alexandre Massura Neto EPR_2 8/19/10 1:23 PM Page 127

×