Aula Émile Durkheim

933 visualizações

Publicada em

Aula sobre o nascimento da Sociologia e sobre Émile Durkheim

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
933
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
51
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula Émile Durkheim

  1. 1. O nascimento da Sociologia Émile Durkheim
  2. 2. Positivismo  Aplicação dos princípios e métodos das ciências naturais à filosofia e ciências humanas. Admite, como fonte única de conhecimento e critério de verdade, a experiência, os fatos e dados sensíveis.  Augusto Comte - “Pai” da Sociologia e grande divulgador do método positivo.  Pretensão de conhecer as leis gerais dos processos sociais através da observação e da experiência (Sociedade - Estados Teológico, Metafísico e Positivo).  “Ciência, daí previdência, previdência, daí ação.”
  3. 3. Émile Durkheim  Com Durkheim a Sociologia começa se consolidar como ciência e a inspirar rigorosos procedimentos de pesquisa.  A concepção de sociedade organicista é ampliada: “o todo é mais que a soma de todas as partes”.  Sociedade – forma de ser superior e autônomo
  4. 4. Émile Durkheim “A sociedade é o mais poderoso feixe de forças físicas e morais cujo resultado a natureza nos oferece. Em nenhuma parte encontra-se tal riqueza de materiais diversos levado a tal grau de concentração. Não é surpreendente, pois, que uma vida mais alta se desprenda dela e que, reagindo sobre os elementos dos quais resulta, eleva-os a uma forma superior de existência e os transforme”. (Durkheim)
  5. 5. Émile Durkheim  O que é a Sociologia? Trata-se de uma ciência da sociedade que a analisa como um organismo autônomo  O objeto de estudo da Sociologia são os fatos sociaisfatos sociais
  6. 6. Émile Durkheim  “É um fato social toda a maneira de fazer, fixada ou não, suscetível de exercer sobre o indivíduo uma coação exterior.”; ou ainda, “que é geral no conjunto de uma dada sociedade tendo, ao mesmo tempo, uma existência própria, independente das suas manifestações individuais.” Ou ainda: “Todas as maneiras de ser, fazer, pensar, agir e sentir desde que compartilhadas coletivamente. Variam de cultura para cultura e tem como base a moral social, estabelecendo um conjunto de regras e determinando o que é certo ou errado, permitido ou proibido.” (Durkheim)
  7. 7. Émile Durkheim  Os fatos sociais são: 1 - Coercitivos (exercem uma força sobre o indivíduo) 2 - Exteriores (os padrões culturais e sociais são exteriores aos indivíduos) 3 - Gerais (os fatos sociais existem não para um indivíduo específico, mas para a coletividade).
  8. 8. Émile Durkheim Podemos reconhecer muitos fatos sociaisfatos sociais em nossa vida cotidiana. A maneira como agimos nos diferentes ambientes (em casa, na rua ou na escola), o modo como falamos (idioma, sotaque, gírias e formalidades), a forma como nos vestimos (calças, bermuda, combinações de cores e acessórios), a intimidade com que nos relacionamos com as outras pessoas, por exemplo, podem ser descritos independentemente dos indivíduos por intermédio dos quais esses modos de agir se manifestam. Estes comportamentos gerais, ainda que pareçam escolhas individuais, são estabelecidos socialmente.
  9. 9. Émile Durkheim  "Na nossa cultura, o uso de vestimentas é algo que vem sendo transmitido de gerações para gerações, fazendo com que o indivíduo tenha essa prática naturalmente. Aquele que por alguma razão não o fizer, estará sujeito a ser excluído ou discriminado dentro do seu grupo, por não enquadrar-se aos padrões que a própria sociedade determinou.” (Durkheim)
  10. 10. Émile Durkheim  "O devoto, ao nascer, encontra pronta as crenças e as práticas da vida religiosa; existindo antes dele, é porque existem fora dele. O sistema de sinais de que me sirvo para exprimir pensamentos, o sistema de moedas que emprego para pagar as dívidas, os instrumentos de crédito que utilizo nas minhas relações comerciais, as práticas seguidas na profissão e etc funcionam independentemente do uso que delas faço.” (Durkheim)
  11. 11. Émile Durkheim  Os fatos sociais devem ser investigados e analisados como “coisas”, com extrema objetividade e neutralidade.  A sociedade é um ser superior que constrange e domina cada um de nós. Os fenômenos que constituem a sociedade têm sua origem na coletividade.  A educação é o processo através do qual são internalizadas as normas sociais – Socialização – Não a vemos como coercitivas, mas como naturais. É através da educação que internalizamos as representações sociais.
  12. 12. Émile Durkheim  Representações sociais – são também fatos externos e superiores acerca de determinadas experiências internalizadas a partir do processo de socialização = categorias de entendimento, valores sociais, conceitos... As representações sociais estão presentes na consciência coletiva dos indivíduos.  Consciência Coletiva – Corresponde a este “conjunto de crenças e sentimentos comuns à média dos membros de uma mesma sociedade" que "formam um sistema determinado com vida própria".  Consciência Individual – representada por nossos estados mentais e por nossas necessidades mais íntimas.  Quanto mais extensa a consciência coletiva, maior a uniformidade e conformidade com relação às regras e normas sociais. Os indivíduos se diferenciam menos e a individualidade também é menor.
  13. 13. Émile Durkheim Segundo Durkheim, a sociedade é explicada pelos laços que unem os indivíduos à coletividade (solidariedade social). Esses laços podem ser construídos por meio das semelhanças entre as consciências individuais, gerando a solidariedadesolidariedade mecânicamecânica; ou pela interdependência entre os indivíduos, que gera a solidariedade orgânicasolidariedade orgânica. Esta seria atributo das sociedades industriais.
  14. 14. Émile Durkheim  Divisão do trabalho e Solidariedade social – Componente fundamental que possibilita as pessoas viverem em sociedade • Solidariedade Mecânica – O indivíduo não se pertence, ele depende da consciência coletiva (típica das sociedades menos desenvolvidas – indivíduos se diferenciam menos). • Solidariedade Orgânica – Característica das sociedades capitalistas, onde, através da divisão do trabalho social, os indivíduos tornam-se interdependentes, garantindo, assim, a união social. Os indivíduos não se assemelham, são diferentes e necessários, como os órgãos de um ser vivo. Assim, o efeito mais importante da divisão do trabalho não é o aumento da produtividade, mas a solidariedade que gera entre os homens.
  15. 15. Émile Durkheim  Divisão do trabalho e tipo de direito – O papel do direito nas sociedades é regular as disfunções da sociedade. • Direito Repressivo – Típico das sociedades menos desenvolvidas, pretende infligir ao culpado uma dor, diminuição ou privação. Ferir a consciência comum nas sociedades menores provoca, consequentemente, uma reação mais forte no seio social. É importante para restabelecimento da ordem e coesão social. • Direito Restitutivo – Permitir que as coisas e relações perturbadas sejam restabelecidas à sua situação anterior (Direito Civil, Comercial, Administrativo, Processual e Constitucional). Típico das sociedades modernas.
  16. 16. Émile Durkheim  O Suicídio – Fato social – As causas do suicídio são exteriores ao indivíduo. A maior coesão e vitalidade das instituições às quais a pessoa está ligada contribuem para preservá-lo de cometer tal ato. • Suicídio Egoísta – Provocado pela desintegração social, pela ausência ou fraqueza da religião, da política e da família como coesão social. • Suicídio Altruísta – Seria mais típico das sociedades inferiores, em que o ego individual estaria totalmente dissolvido e envolvido na coletividade • Suicídio Anômico – Se deve a uma situação de desregramento social devido ao qual as normas estão ausentes ou perderam o respeito. Típico das sociedades modernas.
  17. 17. Atividade Escolham e analisem dois fatos sociais presentes em nossa sociedade contemporânea.

×