A literatura infantil na escola

8.798 visualizações

Publicada em

O conceito de literatura infantil, sua importancia em meio a educação infantil, historia e e origem.

Publicada em: Educação
1 comentário
7 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.798
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
275
Comentários
1
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A literatura infantil na escola

  1. 1. A LITERATURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
  2. 2. PROBLEMATIZAÇÃO  Como a história literária infantil, “Reinações de Narizinho”, de Monteiro Lobato, pode beneficiar no processo de aprendizagem da criança e ser um componente motivador para o bom aproveitamento e valorização da infância?
  3. 3. OBJETIVO GERAL  Investigar a história infantil “Reinações de Narizinho”, de Monteiro Lobato em sala de aula, a fim de desenvolver o hábito da leitura, incentivar a criatividade, aguçar a inteligência, propor desafios onde à criança possa solucioná-los, melhorar a relação entre sua família e amigos, aumentar a realidade imaginária de cada criança, a fim de motivar o aproveitamento dessa fase espetacular que é a infância com as obras literárias infantis, para que seja a primeira janela para o seu crescimento intelectual e mental, sem perder a magia de ser criança.
  4. 4. OBJETIVOS ESPECÍFICOS  Estudar a importância da literatura infantil no processo de aprendizagem da criança no começo de sua vida escolar;  Analisar a obra literária “Reinações de Narizinho”, de Monteiro Lobato;  Investigar como a teoria lobatiana influencia na aprendizagem do aluno e no aproveitamento e valorização da infância;
  5. 5. JUSTIFICATIVA  Pretendo através desse trabalho proporcionar ao educador um embasamento sobre a importância de se trabalhar a literatura na educação infantil, como forma de incentivo para os educadores, sobre o uso de histórias infantis em sala de aula, em especial a obra literária “Reinações de Narizinho”, de Monteiro Lobato. Essa valorização da literatura infantil no processo educacional é uma das formas de enriquecer e complementar no desenvolvimento intelectual de nossas crianças, desde o começo de sua vida escolar, só de forma divertida e prazerosa, treinando sua leitura visual, dando espaço para a criança imaginar e principalmente valorizando cada vez mais sua infância.
  6. 6. RELEVÂNCIA  O método a ser utilizado será a pesquisa bibliográfica. Utilizando como base a obra Reinações de Narizinho, escrita por Monteiro Lobato, os seguintes estudiosos da Literatura Infantil, como Regina Zilberman, Marisa Lajolo, Nelly Novaes Coelho, Maria Helena Zancan Frantz, Fanny Abramovich, Maria Antonieta Antunes Cunha e a autora especialista na obra Reinações de Narizinho, Lígia Cademartori.
  7. 7. REFERENCIAL TEÓRICO • Um breve histórico da Literatura Infantil; • A Importância da Literatura no processo de ensino aprendizagem dos alunos da Educação Infantil; • Análise da obra Reinações de Narizinho • A teoria Lobatiana segundo Lígia Cademartori.
  8. 8. UM BREVE HISTÓRICO DA LITERATURA INFANTIL A literatura nos primores de sua criação não era voltada especificamente ao público infantil... (...) As primeiras obras publicadas visando ao público infantil apareceram no mercado livreiro na primeira metade do século XVIII. Antes disto, apenas durante o classicismo francês, no século XVII, foram escritas histórias que vieram a serem englobadas como literatura. (...) (LAJOLO e ZILBERMAN, 2006, p: 15). Como podemos observar na citação acima, as primeiras “obras” consideradas literatura infantil eram pequenas histórias inventadas pelos nossos avós de alguma pessoa que eles conheciam ou que seus pais conheciam. Essas pequenas e simples histórias eram contadas quando a mãe colocava o seu filho para dormir ou apenas para passar um tempo com eles.
  9. 9. A relação que a criança tem com a sua família, amigos e comunidade em que vive é de extrema importância para o seu desenvolvimento em geral, pois essas pessoas, que não precisam ser professores, são partes essenciais para elevar a imaginação de nossas crianças, contribuindo com pequenas histórias, de ocorrências de suas próprias infâncias. Como diz Abramovich (1993), “Escutá-las é o início da aprendizagem para um ser leitor” (ABRAMOVICH, 1993, p. 16). A maior parte das pessoas não valorizava a criança como um ser “inteligente”, ou seja, não dava muito crédito para o seu desenvolvimento mental, achando que ela não tinha muita capacidade de expressão crítica, mas o que muitos não sabem e que mesmo sem perceber, a literatura infantil está em torno da criança, seja na escola ou no meio em que vive permitindo a mesma compreender o mundo e ser capaz de descobrir o que a de novo e interessante para ela. A IMPORTÂNCIA DA LITERATURA NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL.
  10. 10. Na era da modernidade, a literatura infantil é quase inexistente. Nas escolas consideradas de primeiro mundo ou tecnologicamente desenvolvidas, os alunos leem cada vez menos livros, principalmente os literários infantis, isso porque na modernidade de hoje cada aluno precisa ter um notebook ou um tablete para fazer algum tipo de pesquisa, que antes era feita diretamente nos livros e agora é feita pela internet... (...) O pós-modernismo invadiu o cotidiano com a tecnologia eletrônica de massa ou individual, visando a sua saturação com informações, diversões e serviços. Na era da informática, que é o tratamento computadorizado do conhecimento e da informação, lidamos mais com signos do que com coisas (...). (COELHO, 2000, p: 14 apud SANTOS, 1986).
  11. 11. As crianças, com a era digital, acabam perdendo o interesse e a curiosidade de buscar e descobrir algo novo, porque para ela descobrir o que aconteceria de interessante em uma história, ela teria que lê-lo até o fim e com a internet é só procurar o resumo e pronto, já fica sabendo do que irá acontecer de inesperado na história, perdendo assim o interesse pela leitura, e o mais importante, perderia aos poucos sua curiosidade e assim sua independência, por que iria ficar dependente da tecnologia. A relação entre escola/criança/literatura ocorre a partir do momento que o professor utiliza o livro de história como base para seu desenvolvimento perceptivo, oral, imaginativo e emocional. Perceptivo porque a criança ao ver e ter um livro em suas mãos verá, de alguma forma, que ele será um divertimento para ela. Oral porque ao ouvir a professora ler a história, sua forma de ver o livro mudará, pois ele não será, mas um simples ouvinte, mas sim um dos personagens da história.
  12. 12. Já no imaginativo ela, nos seus pensamentos ira se tornar um herói, príncipe ou uma princesa. E emocional porque ao ter, ouvir e imaginar o livro de história ela vai sentir-se feliz em compartilhar com seus colegas em sala de aula. “[...] a sala de aula é um espaço privilegiado para o desenvolvimento do gosto pela leitura, assim como um importante setor para o intercâmbio da cultura literária, não podendo ser ignorado, muito menos desmentida a sua utilidade”. (ZILBERMAN, 1998, p: 14). A escola é de suma importância para o desenvolvimento da criança com sujeito ativo, onde traz consigo um rico conjunto de relações e vivencias onde a criança, a partir de novas experiências, consiga aprimorar sua mente e construir seu próprio conhecimento. Diante a análise da obra Reinações de Narizinho, compreendo que, a mesma, contribui de forma criativa nas relações que a criança tem com o meio social e familiar, buscando entender suas próprias descobertas, deixando de ser um sujeito passivo e transformando-se em ser ativo capaz de construir um pensamento critico.
  13. 13. Diante a análise da obra Reinações de Narizinho, compreendo que, a mesma, contribui de forma criativa nas relações que a criança tem com o meio social e familiar, buscando entender suas próprias descobertas, deixando de ser um sujeito passivo e transformando-se em ser ativo capaz de construir um pensamento critico. A história em seu enredo, busca na criança uma curiosidade inestimável, capaz de ultrapassar o imaginário. Onde a cada ilustre aventura e seres basicamente estranhos, proporciona a criança uma descoberta nova, capaz de envolvê-la de certa forma em um mundo diferente, que para elas parece ser familiar. O envolvimento com a natureza, as brincadeiras, os sons, são de certa forma uma experiência aparte, pois muitas das nossas crianças não vivenciam esse tipo de experiência, onde ai entra o papel da escola, de proporcionar a criança uma nova vivência. Esse é o papel da educação, de forma geral, de favorecer uma aprendizagem mais significativa e construtiva, onde a criança passa encontrar em meio o seu aprendizado diferentes obras literárias, pois além de incentivar a leitura, a interação e o respeito ao próximo, seja ele de culturas diferentes ou não, introduzindo no ensino as crianças uma forma mais dinâmica e criativa de aprendizagem. ANÁLISE DA OBRA REINAÇÕES DE NARIZINHO
  14. 14. A teoria lobatiana relaciona o modo de ensinar a partir de suas obras infantis, acabando com a mesmice da sala de aula,  (...) seus livros infantis criam um mundo que não se constitui num reflexo do rural, mas na antecipação de uma realidade que supera os conceitos e os preconceitos da situação histórica em que é produzida. (CADEMARTORI, 1994, p: 48). Lobato cria histórias a partir do seu passado, de experiências vividas, fazendo com que o indivíduo desenvolva um pensamento crítico, sobre o seu mundo, sua realidade, para assim ter um olhar mais amplo de um futuro surpreendente. A literatura em meio à educação proporciona a criança novos 18 caminhos para um entendimento maior de sua realidade vivida, onde sua mente busca formas de entender o mundo que a cerca. Passando assim a formar uma forte ligação entre a realidade e a imaginação. A TEORIA LOBATIANA SEGUNDO LÍGIA CADEMARTORI.
  15. 15. (...) a leitura dos textos literários de Lobato possibilita uma nova experiência da realidade em que, ao mesmo tempo em que são conservadas as vivências já adquiridas, antecipam-se possibilidades a serem experimentadas. (CADEMARTORI, 1994, p: 50 e 51). Isso proporciona o envolvimento da criança como ser ativo em seu processo de ensino aprendizagem, trazendo para o seu ensino sua própria realidade, transformando-as em experiências que serviram de base para o seu desenvolvimento futuro. Onde sabemos que todo indivíduo traz consigo uma realidade diferente, cabendo ao professor, juntamente com a família, enriquecê-la, mostrando possibilidades para o ser desenvolvimento intelectual e mental. A literatura traz em seu meio uma possível magia, onde ao ser trabalhado em sala de aula, desperta na criança uma curiosidade inexplicável, trazendo junto ao seu enredo um questionamento, fazendo com que a criança tenha o interesse de buscar respostas, construindo assim sua autonomia.
  16. 16. METODOLOGIA A pesquisa foi fundamentada em teorias bibliográfica, sendo estas precisas para entender o que se refere o problema pesquisado, utilizando livros, artigos, teses e dissertações que enfocam o tema. O trabalho procura mostrar como a literatura infantil pode ser uma das bases para o desenvolvimento intelectual e mental da criança, a fim de proporcioná-la ensino e fantasia nos primeiros anos de sua vida escolar, sem perder a alegria de ser criança. Onde proporcionei uma das infinitas obras literárias de um dos grandes nomes da literatura infantil. As Reinações de Narizinho, de Monteiro Lobato foi à obra que analisei no decorrer desse trabalho, estudando o seu papel na educação e como a teoria lobatiana pode beneficiar a aprendizagem e valorização da infância. Dessa forma, a realização desta pesquisa proporcionou perceber que cada autor aponta seu ponto de vista em relação ao tema pesquisado, mas vale ressaltar que, a literatura infantil é de suma importância para o desenvolvimento das crianças nos primeiros anos da vida escolar.
  17. 17. TIPO DA PESQUISA  Pesquisa Bibliográfica;
  18. 18. CRONOGRAMA Períodos/ etapas 2013 Dez 2014 Mar 2014 Abr 2014 Mai 2014 Jun 2015 Set 2015 Out 2015 Nov Reformulação do Projeto X Coleta de Dados X X Pesquisa Bibliográfica X X Aquisição da bibliografia X X Leitura e fichamento de textos Confecção e Defesa do TCC X X X X
  19. 19. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ABRAMOVICH, Fanny. Literatura Infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, 1993. BRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Volume um, Brasília, DF: MEC/SEF, 1998. BRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Volume três, Brasília, DF: MEC/SEF, 1998. CADEMARTORI, Lígia. O que é literatura infantil. São Paulo, Editora Brasileira, 1994. CADEMARTORI, Lígia. O que é literatura infantil. São Paulo: Brasiliense, 1986. Coleção Primeiros Passos. COELHO, Nelly Novaes. Literatura Infantil: teoria, análise, didática - São Paulo, 1° edição. Moderna, 2000. Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.
  20. 20. CUNHA, Maria Antonieta Antunes. Literatura Infantil teoria e prática – São Paulo. Editora Ática, 2006. Dicionário do Aurélio Online. Dicionário da Língua Portuguesa. FRANTZ, Maria Helena Zancan. O ensino da literatura nas séries iniciais. 3° ed. Ijuí: UNIJUÍ, 2001. Coleção Educação. http://catracalivre.com.br/wpcontent/uploads/2010/08/reinac oesdenarizinho.pdf Acessado em 27/01/2014, às 18h44min. JOSÉ, Elias. Literatura infantil: ler, contar e encantar crianças. Porto Alegre: Mediação, 2007. 22
  21. 21. KHEDE, Sônia Salomão, org. Literatura infanto-juvenil. Um gênero polêmico. Petrópolis, Vozes, 1983. LAJOLO, Marisa. ZILBERMAN, Regina. Literatura Infantil Brasileira: História e Histórias – Editora Ática (série fundamentos): 6° edição, 2006. LAKATOS, Eva Maria; MARCON, Marina de Andrade. Fundamentos Metodológicos Científicos. São Paulo: Atlas, 1985. REGO, L. L. B. Literatura infantil: uma nova perspectiva da alfabetização na pré-escola. São Paulo, FTD, 1990. SOUZA, Ana A. Arguelho de. Literatura infantil na escola: a leitura em sala de aula. Campinas, SP: Autores Associados, 2010. SILVA, Nívea Priscilla Olinto da. A Leitura da Literatura na Escola: por uma educação emocional de crianças na educação infantil. Natal/RN. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2010.
  22. 22. ZILBERMAN, Regina. Literatura Infantil na Escola. 10ª edição. São Paulo: Editora Global, 1998. ZILBERMAN, Regina. A Literatura Infantil na Escola, 11° edição. Revisada, atual e ampla – São Paulo: Global, 2003. ZILBERMAN, Regina. A Literatura Infantil na Escola. 4° edição. São Paulo: Global, 1985. ZILBERMAN, Regina. Como e porque ler a Literatura Infantil Brasileira – Rio de Janeiro: Objetiva, 2005. ZILBERMAN, Regina. LAJOLO, Marisa. Um Brasil para crianças: para conhecer a literatura infantil brasileira: histórias, autores e textos. São Paulo: Global, 1986.

×