MITOS E LENDAS Sub tema: Mitos e Lendas de São Vicente e Porto Moniz Trabalho Realizado por: Andreia Carolina  nº1 7º6 Bea...
Tópicos a abordar: <ul><li>Introdução </li></ul><ul><li>Definição de Lendas e Mitos </li></ul><ul><li>São Vicente </li></u...
Introdução <ul><li>Ao início este trabalho foi um pouco complicado de fazer, pois não encontrava-mos mitos e lendas dos co...
Definição de Lenda e Mito: <ul><li>A Lenda é uma narrativa fantasiosa transmitida pela tradição oral através dos tempos. <...
São Vicente
São Vicente <ul><li>Um dos símbolos mais representativos desta freguesia é uma capela construída no interior de uma rocha ...
São Vicente <ul><li>Freguesias  – Boaventura, Ponta Delgada e São Vicente </li></ul><ul><li>Fundação  –  A meados do sécul...
São Vicente/Localização
A Lenda de São Vicente
A Lenda de São Vicente <ul><li>Reza a lenda que duas crianças, que tinham de levar uma vaca a pastar, guiavam a vaca para ...
A Lenda de São Vicente <ul><li>E assim, nestas ingénuas brincadeiras, o tempo corria e a noite já se adivinhava. Mas, nem ...
  A Lenda de São Vicente <ul><li>Os pais, julgando que era algo maligno, foram contar ao vigiante da freguesia, que se apr...
  A Lenda de São Vicente <ul><li>De seguida levaram em procissão a imagem para a igreja. Muitas vezes a trouxeram para o a...
A Lenda do Corvo
A Lenda do Corvo <ul><li>Segundo reza a lenda uma imagem do santo São Vicente foi avistada a boiar, para surpresa dos popu...
A Lenda do Corvo <ul><li>Ainda segundo a lenda, a imagem desaparecia continuamente do altar, indo aparecer junto à rocha o...
Porto Moniz
Porto Moniz <ul><li>As piscinas naturais de rochas vulcânicas, ligadas entre si por passeios  de cimento, são um dos ponto...
Porto Moniz <ul><li>Freguesias  – Porto Moniz, Seixal, Achada da Cruz e Ribeira da Janela </li></ul><ul><li>Fundação  – 31...
Porto Moniz/Localização
Origem do nome de Porto Moniz <ul><li>Francisco Moniz é dado como um dos seus mais antigos povoadores devendo entender-se ...
Um saltimbanco improvisado
Um saltimbanco improvisado <ul><li>Quem atravessa a serra do Porto Moniz ainda hoje pode ver um monte de pedras, que é ass...
Um saltimbanco improvisado <ul><li>Parece que não era muito mau, mas, talvez por ingenuidade e andando por ali sem destino...
Um saltimbanco improvisado <ul><li>Realizava muitas travessuras que ele levava á conta de engraçadas, mas que muitas vezes...
Um saltimbanco improvisado <ul><li>Entretanto, aconteceu passar por ali um grupo de homens, robustos camponeses de rostos ...
Um saltimbanco improvisado <ul><li>Provavelmente não fora intenção dar-lhe a morte, mas a verdade é que uma pedra lhe abri...
Conclusão <ul><li>Com este trabalho passamos a conhecer um pouco melhor a cultura de São Vicente e  Porto Moniz tal como o...
Bibliografia <ul><li>Corvo (Boletim Municipal de S.Vicente Nº 0 DE Ser. de 1993) </li></ul><ul><li>&oei=z11JTaXeA8GbOt-Wte...
 
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

José rúben, bea e andreia 7º6

568 visualizações

Publicada em

trabalho de grupo

Publicada em: Turismo, Diversão e humor
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
568
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Andreia
  • andreia
  • bea
  • Rúben
  • andreia
  • bea
  • ruben
  • andreia
  • andreia
  • andreia
  • andreia
  • Bea
  • Bea
  • ruben
  • andreia
  • bea
  • andreia
  • ruben
  • ruben
  • ruben
  • ruben
  • ruben
  • bea
  • José rúben, bea e andreia 7º6

    1. 1. MITOS E LENDAS Sub tema: Mitos e Lendas de São Vicente e Porto Moniz Trabalho Realizado por: Andreia Carolina nº1 7º6 Beatriz Gonçalves nº2 7º6 Rúben Freitas nº10 7º6
    2. 2. Tópicos a abordar: <ul><li>Introdução </li></ul><ul><li>Definição de Lendas e Mitos </li></ul><ul><li>São Vicente </li></ul><ul><li>Origem do nome de São Vicente </li></ul><ul><li>A lenda de São Vicente </li></ul><ul><li>A lenda do Corvo </li></ul><ul><li>Porto Moniz </li></ul><ul><li>Um saltimbanco improvisado </li></ul><ul><li>Conclusão </li></ul><ul><li>Bibliografia </li></ul><ul><li>Fim </li></ul>
    3. 3. Introdução <ul><li>Ao início este trabalho foi um pouco complicado de fazer, pois não encontrava-mos mitos e lendas dos concelhos em questão . </li></ul><ul><li>Antes de começarmos a apresentar o nosso trabalho queríamos fazer uma pequena introdução do que é uma Lenda e um Mito e alguma informação sobre São Vicente. </li></ul>
    4. 4. Definição de Lenda e Mito: <ul><li>A Lenda é uma narrativa fantasiosa transmitida pela tradição oral através dos tempos. </li></ul><ul><li>O Mito é uma narrativa de carácter simbólico, relacionada a uma dada cultura. O mito procura explicar a realidade, os principais acontecimentos da vida, os fenómenos naturais, as origens do Mundo e do Homem por meio de deuses, semi-deuses e heróis. </li></ul>
    5. 5. São Vicente
    6. 6. São Vicente <ul><li>Um dos símbolos mais representativos desta freguesia é uma capela construída no interior de uma rocha situada na foz da ribeira. </li></ul><ul><li>Foi um dos primeiros núcleos de povoamento do norte da Madeira. No entanto, a data de início do povoamento varia de historiador em historiador. </li></ul><ul><li>Mesmo assim, afirma-se que deve ter acontecido entre 1420 e 1425. No vale de São Vicente pode visitar as Grutas e o Centro de Vulcanismo. </li></ul>
    7. 7. São Vicente <ul><li>Freguesias – Boaventura, Ponta Delgada e São Vicente </li></ul><ul><li>Fundação – A meados do século XV </li></ul><ul><li>Descrição do brasão - O Santo domina o brasão de armas da vila de S. Vicente, comprovando a sua importância no dia-a-dia das populações do Norte. O motivo é representar o sofrimento do mesmo, por isso aparece segurando numa mão a palma e na outra uma grelha com berbequim, símbolo do sofrimento. </li></ul>
    8. 8. São Vicente/Localização
    9. 9. A Lenda de São Vicente
    10. 10. A Lenda de São Vicente <ul><li>Reza a lenda que duas crianças, que tinham de levar uma vaca a pastar, guiavam a vaca para os lugares húmidos, onde havia erva fresca, nas margens da ribeira. </li></ul><ul><li>A fúria das ondas impedia a água da ribeira de chegar ao mar, colocando-lhe à frente um grande monte de calhaus que a fixava numa enorme lagoa. </li></ul><ul><li>Para grande surpresa das crianças, dentro da lagoa apareceu, de repente, um barco que trazia um jovem, de olhos azuis e cabelos loiros, que convidando-os a entrar. </li></ul>
    11. 11. A Lenda de São Vicente <ul><li>E assim, nestas ingénuas brincadeiras, o tempo corria e a noite já se adivinhava. Mas, nem por isso sentiam fome, nem a vaca mugia por falta de comida. </li></ul><ul><li>A cena repetiu-se por várias semanas, até que um vizinho, que por hábito ali passava, informou os pais das crianças dos acontecimentos </li></ul>
    12. 12.   A Lenda de São Vicente <ul><li>Os pais, julgando que era algo maligno, foram contar ao vigiante da freguesia, que se apressou a fazer a maldição. </li></ul><ul><li>Assim que viu o belo menino, abriu o ritual e leu a oração e às primeiras gotas de água benta, o menino tornou-se numa estátua e o barco numa grelha brilhante na mão. </li></ul>
    13. 13.   A Lenda de São Vicente <ul><li>De seguida levaram em procissão a imagem para a igreja. Muitas vezes a trouxeram para o altar, mas no dia seguinte voltava, para junto do pequeno ilhéu que a lagoa rodeava. Mas, na última vez, umas canas se ergueram sobre o Santo. </li></ul><ul><li>O povo da freguesia compareceu e, com picaretas, deram pancadas que milagrosamente se abriu, apresentando uma enorme gruta onde colocaram o Santo para sempre. </li></ul><ul><li>Dali, vigia e protege o povo da fúria das ondas do mar, das águas torrenciais da ribeira e dos ventos devastadores. </li></ul>
    14. 14. A Lenda do Corvo
    15. 15. A Lenda do Corvo <ul><li>Segundo reza a lenda uma imagem do santo São Vicente foi avistada a boiar, para surpresa dos populares que ali se juntaram. Em cima da estatueta vinha pousada um corvo, e quando a estatueta deu a costa pôs-se a voar e desapareceu para nunca mais ser visto. </li></ul><ul><li>Os populares levaram a imagem para o povoado onde existia uma pequena capela onde a passaram a adorar. Daí aquela vila chamar-se São Vicente </li></ul>
    16. 16. A Lenda do Corvo <ul><li>Ainda segundo a lenda, a imagem desaparecia continuamente do altar, indo aparecer junto à rocha onde mais tarde foi construída a actual capelinha. </li></ul><ul><li>Ainda há mesmo quem diga que por vezes em noites de Inverno, ainda por aqui anda a ver o que se passa nesta terra de São Vicente. </li></ul><ul><li>O corvo é tido como um animal agoirento e sinal de maus presságios. </li></ul>
    17. 17. Porto Moniz
    18. 18. Porto Moniz <ul><li>As piscinas naturais de rochas vulcânicas, ligadas entre si por passeios  de cimento, são um dos pontos de maior atracção da freguesia. São um autêntico cartaz turístico. É também nesta freguesia que se realiza a Semana do Mar, no mês de Julho. De acordo com os Censos 2001 tem cerca de 1 700 residentes. </li></ul>
    19. 19. Porto Moniz <ul><li>Freguesias – Porto Moniz, Seixal, Achada da Cruz e Ribeira da Janela </li></ul><ul><li>Fundação – 31 de Outubro de 1835 </li></ul><ul><li>Descrição do Brasão – De negro, com uma torre prata, aberta e iluminada de vermelho saindo de um mar; duas canas de açúcar de ouro. Em chefe, um cacho de uvas folhado de ouro, comas quinas das armas de Portugal, com duas estrelas de ouro de oito raios. Coroa mural de prata de quatro torres, fita branco com Porto Moniz a negro. </li></ul>
    20. 20. Porto Moniz/Localização
    21. 21. Origem do nome de Porto Moniz <ul><li>Francisco Moniz é dado como um dos seus mais antigos povoadores devendo entender-se que foi ele um dos primeiros que ali teve terras de sesmaria. Francisco Moniz era de descendência nobre e natural do Algarve; casou na Madeira com uma neta de João Gonçalves Zarco. </li></ul>
    22. 22. Um saltimbanco improvisado
    23. 23. Um saltimbanco improvisado <ul><li>Quem atravessa a serra do Porto Moniz ainda hoje pode ver um monte de pedras, que é assinalado pela tradição portimonense com o nome de «Cova do Negro». </li></ul><ul><li>Em outros tempos, apareceu naquela freguesia um Negro que imitava ocasionalmente os camponeses, quando tinha oportunidade, desempenhando o papel de bobo. </li></ul>
    24. 24. Um saltimbanco improvisado <ul><li>Parece que não era muito mau, mas, talvez por ingenuidade e andando por ali sem destino, escolhera aquele entretenimento, pelo que o povo, muito se divertia. </li></ul><ul><li>Dizia-se que era um saltimbanco que espantava os espectadores com interessantes acrobacias. </li></ul><ul><li>Pulava como um macaco, arregalava os olhos e fazia tais caretas que na imaginação do povo até parecia Satanás. </li></ul>
    25. 25. Um saltimbanco improvisado <ul><li>Realizava muitas travessuras que ele levava á conta de engraçadas, mas que muitas vezes não tinha graça nenhuma, pois o povo de tudo se aborrecia e costuma dizer «Que uma coisa para ter graça, basta uma vez só». </li></ul><ul><li>O negro, que para os adultos fora primeiro um divertimento, passou depois a ser para as crianças um terror. </li></ul><ul><li>Com o decorrer do tempo, as piadas do negro foram para ele uma desgraça. </li></ul><ul><li>Tornou-se num vagabundo, desprezado e maltratado. </li></ul>
    26. 26. Um saltimbanco improvisado <ul><li>Entretanto, aconteceu passar por ali um grupo de homens, robustos camponeses de rostos queimados pelo sol e labores campestres, armados com bordões de forquilha, foices no cós das calças de seringueira. </li></ul><ul><li>Um deles teve a ideia infeliz de atirar uma pedra ao Negro a qual lhe foi surpresa. </li></ul><ul><li>Aqueles homens, levados por instintos brutais, esquecendo qualquer sentimento humano, não se incomodaram com a dor do negro e apedrejaram-no até ele cair, sem se poder levantar. </li></ul>
    27. 27. Um saltimbanco improvisado <ul><li>Provavelmente não fora intenção dar-lhe a morte, mas a verdade é que uma pedra lhe abrira o crânio. </li></ul><ul><li>Segundo a lenda ali mesmo foi enterrado. Acabara o terror das crianças… </li></ul><ul><li>Desde então, todas as pessoas que por ali passavam, atiravam uma pedra à sepultura. </li></ul><ul><li>A verdade é que o costume tradicional se manteve até aos nossos tempos e acreditamos que ainda hoje o viajante daquela serra poderá encontrar ali um monte de pedras que assinalam o local da tragédia. </li></ul>
    28. 28. Conclusão <ul><li>Com este trabalho passamos a conhecer um pouco melhor a cultura de São Vicente e Porto Moniz tal como os seus mitos e as suas lendas. </li></ul><ul><li>Tivemos também algumas dificuldades em encontrar informação das freguesias em questão, pois não encontramos informação na internet logo tivemos de procurar as lendas através de livros. </li></ul><ul><li>Espero que tenham gostado do nosso trabalho . </li></ul>
    29. 29. Bibliografia <ul><li>Corvo (Boletim Municipal de S.Vicente Nº 0 DE Ser. de 1993) </li></ul><ul><li>&oei=z11JTaXeA8GbOt-WteMP&esq=6&page=1&ndsp=15&ved=1t:429,r:2,s:0 </li></ul><ul><li>In Lendas Portuguesas. Fernanda Frazão, edição Multilar, Lisboa, 1998. Vol. Pp.107-109 </li></ul><ul><li>http://porto-moniz.blogspot.com/2007/05/municpio-do-porto-moniz.html </li></ul><ul><li>Http://cantinhodamadeira.net/index.php? </li></ul><ul><li>Option=com_content&view=article&id=157&Itemid=179 </li></ul><ul><li>Livro: Era uma vez..na Madeira. Autor:Alfredo Vieira De Freitas </li></ul><ul><li>  http://cantinhodamadeira.net/index.php?option=com_content&view=article&id=147&Itemid=173 </li></ul><ul><li>http://cantinhodamadeira.net/index.php?option=com_content&view=article&id=157&Itemid=179 </li></ul><ul><li>http://esoterismo-kiber.blogs.sapo.pt/164814.html </li></ul><ul><li>http://www.youtube.com/watch?v=yfHETg45vJo&feature=related </li></ul>

    ×