SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Baixar para ler offline
Plural 12
a	
  estrutura	
  	
  	
  
Mensagem	
  	
  
de	
  	
  
Fernando	
  
Pessoa	
  	
  
Pintura	
  de	
  Rinoceronte	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  	
  
“Desejo	
  ser	
  um	
  criador	
  de	
  
mitos,	
  que	
  é	
  o	
  mistério	
  mais	
  
alto	
  que	
  pode	
  obrar	
  alguém	
  da	
  
Humanidade.”	
  
	
  
Fernando	
  Pessoa,	
  	
  
Páginas	
  Ín-mas	
  e	
  de	
  Auto-­‐Interpretação	
  
	
  
“A	
  criação	
  de	
  um	
  Portugal	
  
míAco	
  foi	
  um	
  dos	
  trabalhos	
  da	
  
vida	
  de	
  Pessoa	
  ao	
  longo	
  de	
  
muitos	
  anos,	
  e	
  veio	
  a	
  
configurar-­‐se	
  no	
  único	
  livro	
  de	
  
poemas	
  em	
  português,	
  que	
  ele	
  
publicou:	
  Mensagem.”	
  
	
  
	
  Jorge	
  de	
  Sena,	
  in	
  “Persona”	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
q  Escrita	
  por	
  Fernando	
  
Pessoa,	
  entre	
  1913	
  e	
  1934,	
  
–	
  num	
  período	
  de	
  
crescente	
  crise	
  nacional.	
  
q  Publicada	
  no	
  dia	
  1	
  de	
  
dezembro	
  de	
  1934,	
  no	
  
aniversário	
  da	
  restauração	
  
da	
  independência.	
  
q  Única	
  obra	
  completa	
  em	
  
português,	
  publicada	
  em	
  
vida	
  do	
  poeta.	
  
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
1.ª	
  parte	
  
Brasão	
  
2.ª	
  parte	
  
Mar	
  Português	
  
3.ª	
  parte	
  
O	
  Encoberto	
  
Estrutura	
  de	
  Mensagem	
  
	
  
Obra	
  composta	
  por	
  44	
  poemas,	
  	
  
apresentados	
  numa	
  estrutura	
  triparDda.	
  
	
  
Mensagem	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
Nascimento	
  da	
  
pátria	
  
q Fundação	
  da	
  nacionalidade,	
  	
  
	
  	
  	
  	
  	
  construção	
  da	
  pátria	
  e	
  do	
  império.	
  
q Poemas	
  que	
  aludem	
  aos	
  fundadores	
  
e	
  construtores,	
  heróis	
  lendários	
  ou	
  
históricos,	
  converJdos	
  em	
  símbolos.	
  
1.ª	
  parte	
  –	
  “Brasão”	
  	
  
Significado	
  da	
  estrutura	
  de	
  Mensagem	
  
	
  
Brasão: a matriz, o símbolo, o emblema, o selo da pátria.
	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
BRASÃO	
  (6	
  letras)	
  
•  símbolo	
  emblemáJco,	
  nobre,	
  que	
  se	
  presta	
  a	
  dignificar	
  algo;	
  
•  nova	
  epígrafe:	
  Bellum	
  sine	
  Belllo	
  (Guerra	
  sem	
  guerrear),	
  a	
  potência	
  sem	
  o	
  ato;	
  
a	
  base,	
  a	
  fundação	
  para	
  a	
  construção	
  de	
  algo;	
  
•  cinco	
  subpartes	
  (as	
  do	
  Brasão),	
  cada	
  uma	
  com	
  poemas	
  associados	
  a	
  um	
  
conjunto	
  de	
  enJdades	
  /	
  símbolos	
  representaJvos	
  de	
  algo	
  dignificador	
  de	
  
Portugal:	
  símbolos	
  míJcos	
  ("Ulisses"),	
  pré-­‐históricos	
  ("Viriato"),	
  históricos	
  
("Conde	
  D.	
  Henrique").	
  
As	
  partes	
  do	
  Brasão	
  (cinco)	
  
•  Primeira	
  parte	
  do	
  BRASÃO,	
  com	
  dois	
  poemas:	
  
•  	
  “O	
  dos	
  Castelos”:	
  Geografia	
  /	
  Portugal	
  /	
  Pessimismo	
  /	
  Visão	
  
•  “O	
  das	
  Quinas”:	
  relaJvização	
  do	
  divino	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  
•  Tal	
  como	
  Camões	
  em	
  Os	
  Lusíadas,	
  aqui	
  também	
  se	
  começa	
  por	
  localizar	
  
Portugal	
  geograficamente;	
  segue-­‐se	
  o	
  traço	
  de	
  uma	
  divinização	
  limitada.	
  
	
  	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
•  Segunda	
  parte	
  do	
  BRASÃO	
  –	
  “Os	
  Castelos”:	
  símbolo	
  de	
  proteção;	
  as	
  conquistas	
  
dos	
  heróis;	
  desígnios	
  ocultos	
  que	
  têm	
  que	
  ser	
  desvendados.	
  
•  Fundamentos	
  da	
  idenJdade	
  nacional:	
  
	
   	
  >	
  míJcos	
  
	
   	
  >	
  pré-­‐nacionais	
  
	
   	
  >	
  nacionais	
  
•  Simbologia	
  de	
  cada	
  referência:	
  
•  ConsJtuição	
  de	
  oito	
  poemas:	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
   	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  >	
  simbologia	
  da	
  união,	
  do	
  casamento,	
  da	
  base	
  da	
  raça	
  da	
  Ínclita	
  
Geração	
  -­‐	
  a	
  Geração	
  de	
  Avis	
  que	
  sustentará	
  o	
  “Mar	
  Português”.	
  
	
  	
  
	
  	
  	
  	
  Terceira	
  parte	
  do	
  BRASÃO	
  -­‐	
  “As	
  Quinas”:	
  símbolos	
  históricos	
  e	
  emblemáJcos	
  
nacionais	
  associados	
  a	
  um	
  período	
  áureo;	
  dimensão	
  espiritual:	
  5	
  quinas,	
  5	
  chagas	
  
de	
  Cristo;	
  consciência	
  do	
  desJno	
  das	
  5	
  personagens	
  e	
  de	
  Portugal.	
  
•  Simbologia	
  de	
  cada	
  uma	
  das	
  referências:	
  
	
  >	
  I:	
  a	
  realeza	
  /	
  nobreza	
  -­‐	
  D.	
  Duarte;	
  
	
  >	
  II:	
  o	
  sacrilcio,	
  a	
  sanJdade	
  (caJvo	
  de	
  Fez)	
  -­‐	
  D.	
  Fernando;	
  
	
  >	
  III:	
  a	
  cultura	
  e	
  o	
  cosmopoliJsmo	
  (sabedoria	
  e	
  viagem)	
  -­‐	
  D.	
  Pedro;	
  
	
  >	
  IV:	
  a	
  menor	
  notabilização	
  (associada	
  ao	
  anonimato	
  do	
  povo	
  português)	
  -­‐	
  D.	
  João;	
  
	
  >V:	
  o	
  úlJmo	
  rei	
  da	
  dinasJa	
  de	
  Avis;	
  o	
  desejado	
  que	
  configurou	
  a	
  falha,	
  a	
  
perda,	
  mas	
  que	
  se	
  transformou	
  em	
  	
  símbolo	
  de	
  vontade,	
  de	
  ideal	
  -­‐	
  D.	
  SebasJão.	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
•  Quarta	
  parte	
  do	
  BRASÃO	
  –	
  “A	
  Coroa”:	
  a	
  realeza	
  feita	
  na	
  base	
  dos	
  que	
  para	
  ela	
  
contribuem	
  (um	
  poema):	
  
•  Figura	
  singular	
  na	
  consJtuição	
  da	
  dinasJa	
  régia	
  de	
  Avis	
  -­‐	
  Nun'Álvares	
  
Pereira	
  
	
  	
  
	
  
•  Quinta	
  parte	
  do	
  BRASÃO	
  –	
  “O	
  Timbre”:	
  um	
  grifo	
  (abutre	
  ou,	
  segundo	
  a	
  
mitologia,	
  misto	
  de	
  águia[remete	
  para	
  o	
  céu,	
  poder	
  de	
  ascensão]	
  e	
  leão[liga-­‐o	
  à	
  
terra]);	
  sinónimo	
  também	
  de	
  enigma,	
  com	
  a	
  cabeça	
  e	
  duas	
  asas;	
  marca	
  pessoal;	
  
símbolo	
  de	
  poder	
  legíJmo;	
  união	
  de	
  2	
  naturezas:	
  humana	
  e	
  divina;	
  construção	
  
de	
  uma	
  obra	
  de	
  caráter	
  divino	
  realizada	
  pelos	
  humanos.	
  
•  Cabeça	
  do	
  Grifo	
  (Infante	
  D.	
  Henrique);	
  
•  Asa	
  do	
  Grifo:	
  D.	
  João	
  II	
  	
  -­‐	
  rei	
  que	
  mais	
  se	
  notabilizou	
  nos	
  Descobrimentos;	
  
•  Outra	
  Asa	
  do	
  Grifo:	
  D:	
  Afonso	
  de	
  Albuquerque:	
  
	
   	
  >	
  maior	
  vice-­‐rei	
  em	
  terras	
  da	
  Índia	
  
	
   	
  >	
  o	
  sinal	
  do	
  império	
  terrestre	
  de	
  que	
  o	
  “Mar	
  Português”	
  será	
  
exemplo.	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
Estrutura	
  de	
  Mensagem	
  
	
  
	
  “Brasão”	
   Poemas	
  
Os	
  Campos	
   O	
  dos	
  Castelos	
  
O	
  das	
  Quinas	
  
Os	
  Castelos	
   Ulisses	
  
Viriato	
  
O	
  Conde	
  D.	
  Henrique	
  
D.	
  Tareja	
  
D.	
  Afonso	
  Henriques	
  
D.	
  Dinis	
  
D.	
  João	
  I	
  
D.	
  Filipa	
  de	
  Lencastre	
  
As	
  Quinas	
   D.	
  Duarte,	
  Rei	
  de	
  Portugal	
  
D.	
  Fernando,	
  Infante	
  de	
  Portugal	
  
D.	
  Pedro,	
  Regente	
  de	
  Portugal	
  
D.	
  João,	
  Infante	
  de	
  Portugal	
  
D.	
  SebasAão,	
  Rei	
  de	
  Portugal	
  
A	
  Coroa	
   Nun’Álvares	
  Pereira	
  
O	
  Timbre	
   A	
  cabeça	
  do	
  Grifo:	
  O	
  Infante	
  D.	
  Henrique	
  
Uma	
  asa	
  do	
  Grifo:	
  D.	
  João,	
  O	
  Segundo	
  
A	
  outra	
  asa	
  do	
  Grifo:	
  Afonso	
  de	
  Albuquerque	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
Versos	
  exemplares	
  de	
  poemas	
  da	
  1.ª	
  parte	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  -­‐	
  uma	
  visão	
  míDca	
  da	
  construção	
  da	
  pátria,	
  do	
  sonho	
  e	
  ânsia	
  do	
  império.	
  	
  
	
  
§ “O	
  mito	
  é	
  o	
  nada	
  que	
  é	
  tudo”	
  (“Ulisses”)	
  
§ 	
  “Assim	
  se	
  Portugal	
  formou”	
  (“O	
  Conde	
  D.	
  Henrique”)	
  
§ 	
  “A	
  voz	
  da	
  terra	
  ansiando	
  pelo	
  mar”	
  (“D.	
  Dinis”)	
  
§ 	
  “Humano	
  ventre	
  do	
  Império”	
  (“D.	
  Filipa	
  de	
  Lencastre”)	
  
§ 	
  “Sem	
  a	
  loucura	
  que	
  é	
  o	
  homem?”	
  (“D.	
  SebasJão,	
  Rei	
  de	
  Portugal”)	
  
§ 	
  “É	
  excalibur,	
  a	
  ungida	
  /	
  Que	
  o	
  Rei	
  Artur	
  te	
  deu”	
  (“Nun’	
  Álvares	
  Pereira”)	
  
§ 	
  “Tem	
  aos	
  pés	
  o	
  mar	
  novo”	
  (“O	
  Infante	
  D.	
  Henrique”)	
  
§ “Braços	
  cruzados,	
  fita	
  além	
  do	
  mar”	
  (“D.	
  João,	
  O	
  Segundo”)	
  
	
  
	
  1.ª	
  parte	
  –	
  “Brasão”	
  
	
  
Significado	
  da	
  estrutura	
  de	
  Mensagem	
  
	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
Realização	
  da	
  pátria	
  
q Apogeu	
  da	
  ação	
  portuguesa	
  dos	
  
Descobrimentos.	
  	
  
	
  
q Poemas	
  inspirados	
  na	
  ânsia	
  do	
  
Desconhecido	
  e	
  no	
  heroísmo	
  da	
  luta	
  
com	
  o	
  mar	
  e	
  seu	
  desvendamento.	
  	
  
2.ª	
  parte	
  –	
  “Mar	
  Português”	
  
Significado	
  da	
  estrutura	
  de	
  Mensagem	
  
	
  
Mar Português: sonhado e desvendado pelos heróis e nautas; português por direito.
	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  
	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  2	
  ª	
  parte	
  –	
  “Mar	
  Português”:	
  
	
  
•  Registo	
  dos	
  pontos	
  fulcrais	
  da	
  expansão,	
  dos	
  descobrimentos,	
  de	
  um	
  império	
  material,	
  
terrestre	
  que	
  se	
  desfez.	
  	
  
•  Maturidade,	
  vida	
  centrada	
  no	
  mar.	
  
•  Nova	
  epígrafe:	
  Possessio	
  Maris	
  (Posse	
  dos	
  Mares),	
  a	
  ação	
  conseguida,	
  o	
  exemplo	
  a	
  
considerar	
  para	
  o	
  futuro.	
  
•  O	
  domínio	
  do	
  mar	
  permiJu	
  estabelecer	
  ligações	
  entre	
  os	
  povos.	
  
•  Símbolo	
  de	
  vida	
  e	
  da	
  morte:	
  refúgio;	
  reflexo	
  do	
  céu.	
  
•  12	
  poemas	
  simbólicos	
  representaJvos	
  da	
  ação	
  (desde	
  “O	
  Infante”	
  a	
  “Prece”,	
  numa	
  simetria	
  
que	
  convoca	
  o	
  iniciador	
  	
  de	
  algo	
  que	
  falhou	
  e	
  conclui	
  com	
  o	
  pedido,	
  o	
  convite,	
  o	
  desejo	
  do	
  
retorno).	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  
	
  
	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  2ª	
  parte	
  –	
  “Mar	
  Português”:	
  
	
  
•  Posse	
  dos	
  mares	
  
	
  >	
  “O	
  Infante”	
  (o	
  início,	
  o	
  propulsor	
  de	
  um	
  império	
  que	
  se	
  desfaz)	
  em	
  	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  simetria	
  com	
  “Prece”	
  (o	
  desejo	
  do	
  retorno).	
  
	
  >	
  “Horizonte”	
  em	
  simetria	
  com	
  “A	
  ÚlJma	
  Nau”.	
  
	
  >	
  “Padrão”	
  em	
  simetria	
  com	
  “Mar	
  Português”.	
  
	
  >	
  “O	
  Mostrengo”	
  (dificuldade	
  e	
  superação)	
  em	
  simetria	
  com	
  “Ascensão	
  	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  de	
  Vasco	
  da	
  Gama”(heroicização,	
  divinização	
  do	
  herói).	
  
	
  >	
  “Epitáfio	
  de	
  Bartolomeu	
  Dias”	
  em	
  simetria	
  com	
  “Fernão	
  de	
  Magalhães”)	
  –	
  
exemplo	
  dos	
  que	
  encabeçam	
  expansão,	
  na	
  descoberta	
  inicial	
  do	
  caminho	
  maríJmo	
  para	
  a	
  
Índia	
  /	
  na	
  ligação	
  do	
  AtlânJco	
  com	
  o	
  Pacífico.	
  
	
  >	
  “Os	
  Colombos”	
  (a	
  descoberta	
  sem	
  magia)	
  e	
  a	
  expansão	
  para	
  o	
  	
  
	
  	
  	
  	
  	
  Ocidente.	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
Estrutura	
  de	
  Mensagem	
  
Poemas	
  
O	
  Infante	
  
Horizonte	
  
Padrão	
  
O	
  Mostrengo	
  
Epitáfio	
  de	
  Bartolomeu	
  Dias	
  
Os	
  Colombos	
  
Ocidente	
  
Fernão	
  de	
  Magalhães	
  
Ascensão	
  de	
  Vasco	
  da	
  Gama	
  
Mar	
  Português	
  
A	
  ÚlAma	
  Nau	
  
Prece	
  
“Mar	
  Português”	
  não	
  apresenta	
  divisões	
  temáJcas.	
  
Integra	
  12	
  poemas	
  cujos	
  ztulos	
  são	
  clarificadores.	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
Versos	
  exemplares	
  de	
  poemas	
  da	
  2.ª	
  parte	
  
-­‐	
  a	
  realização	
  transcendente	
  da	
  concreDzação	
  do	
  impossível	
  e	
  da	
  passagem	
  dos	
  
limites	
  do	
  Horizonte	
  que	
  fez	
  português	
  o	
  mar.	
  
§  “Deus	
  quer,	
  o	
  homem	
  sonha,	
  a	
  obra	
  nasce”	
  (“O	
  Infante”)	
  
§  	
  “Cumpriu-­‐se	
  o	
  Mar	
  (...)	
  /	
  Falta	
  cumprir-­‐se	
  Portugal”	
  (“O	
  Infante”)	
  
§  “O	
  sonho	
  é	
  ver	
  as	
  formas	
  invisíveis	
  /	
  Da	
  distância	
  imprecisa”	
  (“Horizonte”)	
  
§  “O	
  mar	
  sem	
  fim	
  é	
  português”	
  (“Padrão”)	
  
§  	
  “Aqui	
  ao	
  leme	
  sou	
  mais	
  do	
  que	
  eu:	
  /	
  Sou	
  um	
  Povo	
  que	
  quer	
  o	
  mar	
  que	
  é	
  
teu”	
  (“O	
  Mostrengo”)	
  
§  	
  “Tudo	
  vale	
  a	
  pena	
  /	
  Se	
  a	
  alma	
  não	
  é	
  pequena.”	
  (“Mar	
  Português”)	
  
§  	
  “E	
  outra	
  vez	
  conquistemos	
  a	
  Distância	
  /	
  Do	
  mar	
  ou	
  outra”	
  (“Prece”)	
  
	
  2.ª	
  parte	
  –	
  “Mar	
  Português”	
  	
  
Significado	
  da	
  estrutura	
  de	
  Mensagem	
  
	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
Morte	
  da	
  pátria	
  
q Morte	
  das	
  energias	
  de	
  Portugal.	
  	
  
q Poemas	
  de	
  afirmação	
  do	
  
sebasJanismo.	
  
q Apelo	
  ao	
  sonho	
  e	
  ânsia	
  messiânica	
  da	
  
construção	
  do	
  Quinto	
  Império.	
  	
  
3.ª	
  parte	
  –	
  “O	
  Encoberto”	
  
	
  
Significado	
  da	
  estrutura	
  de	
  Mensagem	
  
	
  
Renascimento	
  
O sonho encoberto, apagado no nevoeiro; a chama que é preciso reacender.
	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
•  	
  O	
  ENCOBERTO	
  -­‐	
  ztulo	
  enigmáJco	
  	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  -­‐	
  designação	
  para	
  um	
  mito:	
  não	
  a	
  figura	
  histórica,	
  mas	
  o	
  que	
  ela	
  representa;	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  -­‐	
  consJtuição	
  de	
  três	
  subpartes	
  (nova	
  totalidade,	
  nova	
  ação,	
  novo	
  ato);	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  -­‐	
  nova	
  epígrafe:	
  Paz	
  in	
  Excelsis	
  (Paz	
  nas	
  alturas)	
  >	
  domínio	
  espiritual;	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  -­‐	
  fecho	
  com	
  a	
  expressão	
  “Valete,	
  Fratres”	
  (Felicidade,	
  irmãos)	
  >	
  cf.	
  Sinal	
  da	
  
irmandade;	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  -­‐	
  morte	
  como	
  ressurreição/renascimento	
  através	
  do	
  regresso	
  de	
  D.	
  
SebasJão	
  e	
  a	
  concreJzação	
  do	
  V	
  Império.	
  
	
  	
  
•  ArJculação	
  desta	
  terceira	
  parte	
  com	
  o	
  final	
  da	
  segunda:	
  
	
  	
  	
   	
  “A	
  ÚlJma	
  Nau”	
  (a	
  que	
  levou	
  D.	
  SebasJão	
  para	
  uma	
  ilha	
  indescoberta	
  >	
  
metáfora	
  para	
  o	
  mito,	
  a	
  lenda),	
  
	
  	
   	
  “Prece”	
  (desejo	
  do	
  retorno	
  >	
  tempo	
  e	
  o	
  império	
  perdidos	
  que	
  se	
  querem	
  
ver	
  	
  reedificados).	
  
	
  
•  A	
  parte	
  da	
  construção	
  do	
  mito,	
  feito	
  de	
  símbolos,	
  de	
  avisos,	
  de	
  tempos	
  (leitura	
  	
  
	
  	
  	
  sebasJanista	
  da	
  obra,	
  da	
  recuperação	
  do	
  mito	
  messiânico).	
  
	
  
•  Aceitação	
  da	
  morte	
  ,	
  da	
  queda	
  do	
  passado	
  como	
  força	
  regeneradora,	
  como	
  mito	
  	
  	
  	
  
	
  	
  	
  fecundador	
  de	
  um	
  futuro.	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
•  “Os	
  Símbolos”:	
  
	
  “D.	
  SebasJão”:	
  não	
  como	
  rei,	
  mas	
  como	
  mito	
  fecundador	
  
	
  “Quinto	
  Império”:	
  	
  
•  	
  	
  referência	
  aos	
  quatro	
  anteriores:	
  
•  babilónico	
  
•  grego	
  
•  romano	
  
•  cristandade	
  
•  Traço	
  disJnJvo	
  deste	
  novo	
  império:	
  exclusivamente	
  espiritual,	
  
cultural.	
  
	
  “O	
  Desejado”:	
  instauração	
  do	
  mito	
  recuperado.	
  
	
  “As	
  Ilhas	
  Afortunadas”:	
  relação	
  com	
  as	
  ilhas	
  “indescobertas”	
  de	
  “A	
  
ÚlJma	
  Nau”.	
  
	
  “O	
  Encoberto”:	
  transformação	
  do	
  “Desejado”	
  numa	
  enJdade	
  
herméJca.	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
•  “Os	
  Avisos”:	
  
•  “Bandarra”:	
  profeta	
  messiânico	
  (séc.	
  XVI),	
  que	
  lançou	
  as	
  bases	
  do	
  mito	
  
sebasJanista.	
  
•  “António	
  Vieira”:	
  	
  
•  associa	
  o	
  sebasJanismo	
  à	
  legiJmação	
  do	
  rei	
  D.	
  João	
  IV	
  	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  (Restaurador)	
  da	
  Independência;	
  
•  A	
  História	
  do	
  Futuro,	
  do	
  Padre	
  António	
  Vieira	
  ,foi	
  uma	
  obra	
  	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  desJnada	
  a	
  explanar	
  como	
  Portugal	
  estaria	
  predesJnado	
  a	
  ser	
  a	
  	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  cabeça	
  do	
  Quinto	
  Império	
  –	
  Espiritual	
  (tendo	
  o	
  rei	
  português	
  
	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  como	
  chefe	
  e	
  o	
  Papa	
  como	
  líder	
  espiritual.	
  
•  “(Screvo	
  meu	
  livro	
  à	
  beira	
  –	
  mágoa)”:	
  
•  marca	
  do	
  “eu”	
  sujeito-­‐poéJco,	
  seguindo	
  a	
  lógica	
  dos	
  poemas	
  
anteriores	
  poder-­‐se-­‐ia	
  inJtular	
  “Pessoa	
  “.	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
•  “Os	
  Tempos”:	
  
	
  “Noite”:	
  sugestão	
  da	
  escuridão,	
  do	
  negaJvismo,	
  do	
  tenebroso;	
  
	
  “Tormenta”:	
  alusão	
  à	
  inquietação,	
  à	
  ansiedade,	
  à	
  agitação	
  própria	
  da	
  época;	
  
	
  “Calma”:	
  “Depois	
  da	
  tempestade	
  vem	
  a	
  bonança”;	
  
	
  “Antemanhã”:	
  algo,	
  indefinido,	
  prestes	
  a	
  chegar,	
  a	
  mudar	
  o	
  rumo;	
  
	
  “Nevoeiro”:	
  
•  impede	
  vislumbrar	
  o	
  rumo	
  ansiado;	
  
•  mostra	
  a	
  incerteza	
  que	
  o	
  país	
  atravessa;	
  
•  aguarda	
  pela	
  “Hora”	
  de	
  sol.	
  
•  Fecho	
  da	
  parte:	
  despedida	
  em	
  laJm	
  (Valete,	
  Fratres),	
  desejando	
  Felicidade	
  a	
  
uma	
  	
  irmandade	
  –	
  a	
  dos	
  eleitos	
  para	
  a	
  mensagem	
  a	
  transmiJr.	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
Estrutura	
  de	
  Mensagem	
  
“O	
  Encoberto”	
   Poemas	
  
Os	
  Símbolos	
   D.	
  SebasAão	
  
O	
  Quinto	
  Império	
  
O	
  Desejado	
  
As	
  Ilhas	
  Afortunadas	
  
O	
  Encoberto	
  
	
  
Os	
  Avisos	
   O	
  Bandarra	
  
António	
  Vieira	
  
Screvo	
  meu	
  livro	
  à	
  beira-­‐mágoa	
  
	
  
Os	
  Tempos	
   Noite	
  
Tormenta	
  
Calma	
  
Antemanhã	
  
Nevoeiro	
  
	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
Versos	
  exemplares	
  de	
  poemas	
  da	
  3.ª	
  parte	
  
-­‐	
  só	
  o	
  sonho,	
  a	
  loucura,	
  a	
  “febre	
  de	
  Além”	
  farão	
  Portugal	
  ressurgir	
  do	
  nevoeiro	
  e	
  procurar	
  a	
  
utopia	
  do	
  impossível,	
  do	
  Longe,	
  da	
  Distância,	
  do	
  Absoluto.	
  	
  
§  “Ser	
  descontente	
  é	
  ser	
  homem”	
  (“O	
  Quinto	
  Império”)	
  
§  “Quem	
  vem	
  viver	
  a	
  verdade	
  /	
  Que	
  morreu	
  D.	
  SebasAão?”	
  (“O	
  Quinto	
  Império”)	
  
§  “Que	
  voz	
  vem	
  no	
  som	
  das	
  ondas	
  /	
  Que	
  não	
  é	
  a	
  voz	
  do	
  mar?	
  (“As	
  Ilhas	
  Afortunadas”)	
  
§  “Quando	
  virás	
  ó	
  Encoberto,	
  /	
  Sonho	
  das	
  eras	
  português?”	
  (“Screvo	
  meu	
  livro...”)	
  
§  “É	
  a	
  busca	
  de	
  quem	
  somos,	
  na	
  distância	
  /	
  De	
  nós”	
  (“Noite”)	
  
§  “Que	
  jaz	
  no	
  abismo	
  sob	
  o	
  mar	
  que	
  se	
  ergue?	
  /Nós,	
  Portugal”	
  (“Tormenta”)	
  
§  “Chamar	
  Aquele	
  que	
  está	
  dormindo	
  /	
  E	
  foi	
  outrora	
  Senhor	
  do	
  
Mar.”	
  (“Antemanhã”)	
  
§  “Ó	
  Portugal,	
  hoje	
  és	
  nevoeiro...”	
  (“Nevoeiro”)	
  
§  “É	
  a	
  Hora!”	
  (“Nevoeiro”)	
  
	
  3.ª	
  parte	
  –	
  “O	
  Encoberto”	
  	
  
Significado	
  da	
  estrutura	
  de	
  Mensagem	
  
	
  
Plural 12
Mensagem	
  de	
  Fernando	
  Pessoa	
  
Em	
  síntese	
  
§  A	
  estrutura	
  da	
  Mensagem	
  representa	
  um	
  ciclo	
  de	
  nascimento,	
  vida	
  e	
  morte	
  da	
  pátria.	
  	
  
§  Mas	
  esta	
  morte	
  não	
  é	
  definiJva,	
  pois	
  pressupõe	
  um	
  renascimento	
  que	
  será	
  o	
  novo	
  império,	
  
futuro	
  e	
  espiritual	
  –	
  o	
  Quinto	
  Império.	
  	
  	
  
§  Esse	
  ciclo	
  é	
  visível	
  na	
  estrutura	
  triparJda	
  da	
  obra	
  –	
  Brasão,	
  Mar	
  Português,	
  O	
  Encoberto.	
  
Significado	
  da	
  estrutura	
  de	
  Mensagem	
  
	
  
1.	
  Brasão	
  
Nascimento	
  
Os	
  fundadores	
  e	
  
construtores	
  do	
  império	
  	
  
2.	
  Mar	
  Português	
  
Vida	
  	
  
Realização	
  do	
  império	
  
territorial	
  sonhado	
  
Renascimento	
  
do	
  império	
  
espiritual:	
  
Quinto	
  Império	
  
3.	
  O	
  Encoberto	
  
Morte	
  
Fim	
  das	
  energias	
  
do	
  império	
  
Plural 12
§ “E	
  a	
  nossa	
  grande	
  Raça	
  parArá	
  em	
  busca	
  
de	
   uma	
   Índia	
   nova,	
   que	
   não	
   existe	
   no	
  
espaço,	
   em	
   naus	
   que	
   são	
   construídas	
  
«daquilo	
   que	
   os	
   sonhos	
   são	
   feitos».	
   E	
   o	
  
seu	
  verdadeiro	
  e	
  supremo	
  desAno,	
  de	
  que	
  
a	
   obra	
   dos	
   navegadores	
   foi	
   o	
   obscuro	
   e	
  
carnal	
   anterremedo,	
   realizar-­‐se-­‐á	
  
divinamente”.	
  
Fernando	
  Pessoa,	
  in	
  “A	
  Águia”	
  	
  
Recurso	
  do	
  Manual	
  Plural	
  12:	
  Raiz	
  Editora	
  -­‐	
  adaptado	
  

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A mensagem de fernando pessoa
A mensagem de fernando pessoa A mensagem de fernando pessoa
A mensagem de fernando pessoa balolas
 
Mensagem - Antemanhã
Mensagem - AntemanhãMensagem - Antemanhã
Mensagem - AntemanhãSofia_Afonso
 
"Mensagem" de Fernando Pessoa: "O das Quinas"
"Mensagem" de Fernando Pessoa: "O das Quinas""Mensagem" de Fernando Pessoa: "O das Quinas"
"Mensagem" de Fernando Pessoa: "O das Quinas"CatarinaSilva1000
 
"Fernão de Magalhães", a Mensagem
"Fernão de Magalhães", a Mensagem"Fernão de Magalhães", a Mensagem
"Fernão de Magalhães", a MensagemIsabel Costa
 
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)Sara Guerra
 
"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - MensagemIga Almeida
 
Fernando Pessoa Prece
Fernando Pessoa PreceFernando Pessoa Prece
Fernando Pessoa PreceSamuel Neves
 
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando PessoaFilipaFonseca
 
Mensagem Fernando Pessoa
Mensagem   Fernando PessoaMensagem   Fernando Pessoa
Mensagem Fernando Pessoaguest0f0d8
 
Teste fernando pessoa
Teste fernando pessoaTeste fernando pessoa
Teste fernando pessoaAna Acciaioli
 
Poemas de eugénio de andrade
Poemas de eugénio de andradePoemas de eugénio de andrade
Poemas de eugénio de andradeAnaGomes40
 
ComemD. João I in Mensagem, de Fernando Pessoa
ComemD. João I in  Mensagem, de Fernando Pessoa ComemD. João I in  Mensagem, de Fernando Pessoa
ComemD. João I in Mensagem, de Fernando Pessoa Ana Cristina Matias
 
Mensagem: Análise "Escrevo meu livro à beira-mágoa"
Mensagem: Análise "Escrevo meu livro à beira-mágoa"Mensagem: Análise "Escrevo meu livro à beira-mágoa"
Mensagem: Análise "Escrevo meu livro à beira-mágoa"InsdeCastro7
 

Mais procurados (20)

A mensagem de fernando pessoa
A mensagem de fernando pessoa A mensagem de fernando pessoa
A mensagem de fernando pessoa
 
Mensagem - Antemanhã
Mensagem - AntemanhãMensagem - Antemanhã
Mensagem - Antemanhã
 
"Mensagem" de Fernando Pessoa: "O das Quinas"
"Mensagem" de Fernando Pessoa: "O das Quinas""Mensagem" de Fernando Pessoa: "O das Quinas"
"Mensagem" de Fernando Pessoa: "O das Quinas"
 
"Fernão de Magalhães", a Mensagem
"Fernão de Magalhães", a Mensagem"Fernão de Magalhães", a Mensagem
"Fernão de Magalhães", a Mensagem
 
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
D. Dinis - A Mensagem (Fernando Pessoa)
 
"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem
 
Fernando Pessoa Prece
Fernando Pessoa PreceFernando Pessoa Prece
Fernando Pessoa Prece
 
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
 
áLvaro de campos
áLvaro de camposáLvaro de campos
áLvaro de campos
 
Mensagem Fernando Pessoa
Mensagem   Fernando PessoaMensagem   Fernando Pessoa
Mensagem Fernando Pessoa
 
Nevoeiro
Nevoeiro   Nevoeiro
Nevoeiro
 
Ceifeira
CeifeiraCeifeira
Ceifeira
 
"As Ilhas Afortunadas" - análise
"As Ilhas Afortunadas" - análise"As Ilhas Afortunadas" - análise
"As Ilhas Afortunadas" - análise
 
Autopsicografia e Isto
Autopsicografia e IstoAutopsicografia e Isto
Autopsicografia e Isto
 
Teste fernando pessoa
Teste fernando pessoaTeste fernando pessoa
Teste fernando pessoa
 
Poemas de eugénio de andrade
Poemas de eugénio de andradePoemas de eugénio de andrade
Poemas de eugénio de andrade
 
Memorial do convento
Memorial do conventoMemorial do convento
Memorial do convento
 
ComemD. João I in Mensagem, de Fernando Pessoa
ComemD. João I in  Mensagem, de Fernando Pessoa ComemD. João I in  Mensagem, de Fernando Pessoa
ComemD. João I in Mensagem, de Fernando Pessoa
 
Mensagem: Análise "Escrevo meu livro à beira-mágoa"
Mensagem: Análise "Escrevo meu livro à beira-mágoa"Mensagem: Análise "Escrevo meu livro à beira-mágoa"
Mensagem: Análise "Escrevo meu livro à beira-mágoa"
 
Deíticos
DeíticosDeíticos
Deíticos
 

Semelhante a Mensagem de Fernando Pessoa e símbolos da identidade portuguesa

Mensagem de Fernando Pessoa: interpretações e símbolos
Mensagem de Fernando Pessoa: interpretações e símbolosMensagem de Fernando Pessoa: interpretações e símbolos
Mensagem de Fernando Pessoa: interpretações e símbolossin3stesia
 
A mensagem fernado pessoa
A mensagem fernado pessoa A mensagem fernado pessoa
A mensagem fernado pessoa Pedro Rodrigues
 
Intertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
Intertextualidade Mensagem e Os LusíadasIntertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
Intertextualidade Mensagem e Os LusíadasAntónio Teixeira
 
Os Lusíadas e Mensagem - Questões para desenvolver
Os Lusíadas e Mensagem - Questões para desenvolverOs Lusíadas e Mensagem - Questões para desenvolver
Os Lusíadas e Mensagem - Questões para desenvolvercomplementoindirecto
 
Portugues pessoa
Portugues pessoaPortugues pessoa
Portugues pessoabalolas
 
Apresentação para décimo segundo ano, aula 15
Apresentação para décimo segundo ano, aula 15Apresentação para décimo segundo ano, aula 15
Apresentação para décimo segundo ano, aula 15luisprista
 
Contextualização histórica e literária (Mensagem).ppt
Contextualização histórica e literária (Mensagem).pptContextualização histórica e literária (Mensagem).ppt
Contextualização histórica e literária (Mensagem).pptgabrielmoreiracastro
 
Portugues pessoa a mensagem
Portugues pessoa a mensagem Portugues pessoa a mensagem
Portugues pessoa a mensagem Tiago Filipe
 
Mensagem 100110090843-phpapp01
Mensagem 100110090843-phpapp01Mensagem 100110090843-phpapp01
Mensagem 100110090843-phpapp01Alcindo Correia
 
Mensagem Fernando Pessoa
Mensagem Fernando PessoaMensagem Fernando Pessoa
Mensagem Fernando PessoaEL Chenko
 
Quinhentismo - CILP
Quinhentismo - CILPQuinhentismo - CILP
Quinhentismo - CILPjasonrplima
 
Quinhentismo 140730131250-phpapp01 (1)
Quinhentismo 140730131250-phpapp01 (1)Quinhentismo 140730131250-phpapp01 (1)
Quinhentismo 140730131250-phpapp01 (1)PRISCILA LIMA
 

Semelhante a Mensagem de Fernando Pessoa e símbolos da identidade portuguesa (20)

Mensagem
MensagemMensagem
Mensagem
 
Mensagem
MensagemMensagem
Mensagem
 
mensagem (1).pptx
mensagem (1).pptxmensagem (1).pptx
mensagem (1).pptx
 
Mensagem de Fernando Pessoa: interpretações e símbolos
Mensagem de Fernando Pessoa: interpretações e símbolosMensagem de Fernando Pessoa: interpretações e símbolos
Mensagem de Fernando Pessoa: interpretações e símbolos
 
Mensagem-RaizEd
Mensagem-RaizEdMensagem-RaizEd
Mensagem-RaizEd
 
A mensagem fernado pessoa
A mensagem fernado pessoa A mensagem fernado pessoa
A mensagem fernado pessoa
 
MensagemFP
MensagemFP MensagemFP
MensagemFP
 
Intertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
Intertextualidade Mensagem e Os LusíadasIntertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
Intertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
 
Mensagem
MensagemMensagem
Mensagem
 
Reflexos de Camões em Pessoa
Reflexos de Camões em PessoaReflexos de Camões em Pessoa
Reflexos de Camões em Pessoa
 
Os Lusíadas e Mensagem - Questões para desenvolver
Os Lusíadas e Mensagem - Questões para desenvolverOs Lusíadas e Mensagem - Questões para desenvolver
Os Lusíadas e Mensagem - Questões para desenvolver
 
«A Mensagem» de Fernando Pessoa
«A Mensagem» de Fernando Pessoa«A Mensagem» de Fernando Pessoa
«A Mensagem» de Fernando Pessoa
 
Portugues pessoa
Portugues pessoaPortugues pessoa
Portugues pessoa
 
Apresentação para décimo segundo ano, aula 15
Apresentação para décimo segundo ano, aula 15Apresentação para décimo segundo ano, aula 15
Apresentação para décimo segundo ano, aula 15
 
Contextualização histórica e literária (Mensagem).ppt
Contextualização histórica e literária (Mensagem).pptContextualização histórica e literária (Mensagem).ppt
Contextualização histórica e literária (Mensagem).ppt
 
Portugues pessoa a mensagem
Portugues pessoa a mensagem Portugues pessoa a mensagem
Portugues pessoa a mensagem
 
Mensagem 100110090843-phpapp01
Mensagem 100110090843-phpapp01Mensagem 100110090843-phpapp01
Mensagem 100110090843-phpapp01
 
Mensagem Fernando Pessoa
Mensagem Fernando PessoaMensagem Fernando Pessoa
Mensagem Fernando Pessoa
 
Quinhentismo - CILP
Quinhentismo - CILPQuinhentismo - CILP
Quinhentismo - CILP
 
Quinhentismo 140730131250-phpapp01 (1)
Quinhentismo 140730131250-phpapp01 (1)Quinhentismo 140730131250-phpapp01 (1)
Quinhentismo 140730131250-phpapp01 (1)
 

Mais de 12_A

O pinto borrachudo
O pinto borrachudoO pinto borrachudo
O pinto borrachudo12_A
 
Os tres porquinhos - Jardim da Vermiosa
Os tres porquinhos - Jardim da VermiosaOs tres porquinhos - Jardim da Vermiosa
Os tres porquinhos - Jardim da Vermiosa12_A
 
Síntese
SínteseSíntese
Síntese12_A
 
O senhor do seu nariz
O senhor do seu narizO senhor do seu nariz
O senhor do seu nariz12_A
 
A flor vai ver o mar
A flor vai ver o marA flor vai ver o mar
A flor vai ver o mar12_A
 
O Elefante Cor-de-Rosa
O Elefante Cor-de-RosaO Elefante Cor-de-Rosa
O Elefante Cor-de-Rosa12_A
 
Estranhões e Bizarrocos
Estranhões e BizarrocosEstranhões e Bizarrocos
Estranhões e Bizarrocos12_A
 
A Ovelhinha Preta
A Ovelhinha PretaA Ovelhinha Preta
A Ovelhinha Preta12_A
 
25 de Abril 6.º C
25 de Abril 6.º C25 de Abril 6.º C
25 de Abril 6.º C12_A
 
O soldado e o capitão os cravos e o povão
O soldado e o capitão os cravos e o povãoO soldado e o capitão os cravos e o povão
O soldado e o capitão os cravos e o povão12_A
 
P.S. I Love You
P.S. I Love YouP.S. I Love You
P.S. I Love You12_A
 
Crystal natal john lennon - feliz natal
Crystal natal   john lennon - feliz natalCrystal natal   john lennon - feliz natal
Crystal natal john lennon - feliz natal12_A
 
A Cidade dos Deuses Selvagens
A Cidade dos Deuses SelvagensA Cidade dos Deuses Selvagens
A Cidade dos Deuses Selvagens12_A
 
Escândalo
EscândaloEscândalo
Escândalo12_A
 
Matemática
MatemáticaMatemática
Matemática12_A
 
Matrix port 9.º ano
Matrix port 9.º anoMatrix port 9.º ano
Matrix port 9.º ano12_A
 
Exame de Português 2011 - Matriz
Exame de Português 2011 - MatrizExame de Português 2011 - Matriz
Exame de Português 2011 - Matriz12_A
 
Of circular no 12 (1)
Of circular no 12 (1)Of circular no 12 (1)
Of circular no 12 (1)12_A
 
F cívica_versão homologada
 F cívica_versão homologada F cívica_versão homologada
F cívica_versão homologada12_A
 
Dia mundial da_bolota_2x
Dia mundial da_bolota_2xDia mundial da_bolota_2x
Dia mundial da_bolota_2x12_A
 

Mais de 12_A (20)

O pinto borrachudo
O pinto borrachudoO pinto borrachudo
O pinto borrachudo
 
Os tres porquinhos - Jardim da Vermiosa
Os tres porquinhos - Jardim da VermiosaOs tres porquinhos - Jardim da Vermiosa
Os tres porquinhos - Jardim da Vermiosa
 
Síntese
SínteseSíntese
Síntese
 
O senhor do seu nariz
O senhor do seu narizO senhor do seu nariz
O senhor do seu nariz
 
A flor vai ver o mar
A flor vai ver o marA flor vai ver o mar
A flor vai ver o mar
 
O Elefante Cor-de-Rosa
O Elefante Cor-de-RosaO Elefante Cor-de-Rosa
O Elefante Cor-de-Rosa
 
Estranhões e Bizarrocos
Estranhões e BizarrocosEstranhões e Bizarrocos
Estranhões e Bizarrocos
 
A Ovelhinha Preta
A Ovelhinha PretaA Ovelhinha Preta
A Ovelhinha Preta
 
25 de Abril 6.º C
25 de Abril 6.º C25 de Abril 6.º C
25 de Abril 6.º C
 
O soldado e o capitão os cravos e o povão
O soldado e o capitão os cravos e o povãoO soldado e o capitão os cravos e o povão
O soldado e o capitão os cravos e o povão
 
P.S. I Love You
P.S. I Love YouP.S. I Love You
P.S. I Love You
 
Crystal natal john lennon - feliz natal
Crystal natal   john lennon - feliz natalCrystal natal   john lennon - feliz natal
Crystal natal john lennon - feliz natal
 
A Cidade dos Deuses Selvagens
A Cidade dos Deuses SelvagensA Cidade dos Deuses Selvagens
A Cidade dos Deuses Selvagens
 
Escândalo
EscândaloEscândalo
Escândalo
 
Matemática
MatemáticaMatemática
Matemática
 
Matrix port 9.º ano
Matrix port 9.º anoMatrix port 9.º ano
Matrix port 9.º ano
 
Exame de Português 2011 - Matriz
Exame de Português 2011 - MatrizExame de Português 2011 - Matriz
Exame de Português 2011 - Matriz
 
Of circular no 12 (1)
Of circular no 12 (1)Of circular no 12 (1)
Of circular no 12 (1)
 
F cívica_versão homologada
 F cívica_versão homologada F cívica_versão homologada
F cívica_versão homologada
 
Dia mundial da_bolota_2x
Dia mundial da_bolota_2xDia mundial da_bolota_2x
Dia mundial da_bolota_2x
 

Último

AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxrenatacolbeich1
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024SamiraMiresVieiradeM
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 

Último (20)

AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 

Mensagem de Fernando Pessoa e símbolos da identidade portuguesa

  • 1. Plural 12 a  estrutura       Mensagem     de     Fernando   Pessoa     Pintura  de  Rinoceronte  
  • 2. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   Mensagem  de  Fernando  Pessoa     “Desejo  ser  um  criador  de   mitos,  que  é  o  mistério  mais   alto  que  pode  obrar  alguém  da   Humanidade.”     Fernando  Pessoa,     Páginas  Ín-mas  e  de  Auto-­‐Interpretação     “A  criação  de  um  Portugal   míAco  foi  um  dos  trabalhos  da   vida  de  Pessoa  ao  longo  de   muitos  anos,  e  veio  a   configurar-­‐se  no  único  livro  de   poemas  em  português,  que  ele   publicou:  Mensagem.”      Jorge  de  Sena,  in  “Persona”  
  • 3. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   q  Escrita  por  Fernando   Pessoa,  entre  1913  e  1934,   –  num  período  de   crescente  crise  nacional.   q  Publicada  no  dia  1  de   dezembro  de  1934,  no   aniversário  da  restauração   da  independência.   q  Única  obra  completa  em   português,  publicada  em   vida  do  poeta.   Mensagem  de  Fernando  Pessoa    
  • 4. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   1.ª  parte   Brasão   2.ª  parte   Mar  Português   3.ª  parte   O  Encoberto   Estrutura  de  Mensagem     Obra  composta  por  44  poemas,     apresentados  numa  estrutura  triparDda.     Mensagem  
  • 5. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   Nascimento  da   pátria   q Fundação  da  nacionalidade,              construção  da  pátria  e  do  império.   q Poemas  que  aludem  aos  fundadores   e  construtores,  heróis  lendários  ou   históricos,  converJdos  em  símbolos.   1.ª  parte  –  “Brasão”     Significado  da  estrutura  de  Mensagem     Brasão: a matriz, o símbolo, o emblema, o selo da pátria.  
  • 6. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   BRASÃO  (6  letras)   •  símbolo  emblemáJco,  nobre,  que  se  presta  a  dignificar  algo;   •  nova  epígrafe:  Bellum  sine  Belllo  (Guerra  sem  guerrear),  a  potência  sem  o  ato;   a  base,  a  fundação  para  a  construção  de  algo;   •  cinco  subpartes  (as  do  Brasão),  cada  uma  com  poemas  associados  a  um   conjunto  de  enJdades  /  símbolos  representaJvos  de  algo  dignificador  de   Portugal:  símbolos  míJcos  ("Ulisses"),  pré-­‐históricos  ("Viriato"),  históricos   ("Conde  D.  Henrique").   As  partes  do  Brasão  (cinco)   •  Primeira  parte  do  BRASÃO,  com  dois  poemas:   •   “O  dos  Castelos”:  Geografia  /  Portugal  /  Pessimismo  /  Visão   •  “O  das  Quinas”:  relaJvização  do  divino                       •  Tal  como  Camões  em  Os  Lusíadas,  aqui  também  se  começa  por  localizar   Portugal  geograficamente;  segue-­‐se  o  traço  de  uma  divinização  limitada.      
  • 7. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   •  Segunda  parte  do  BRASÃO  –  “Os  Castelos”:  símbolo  de  proteção;  as  conquistas   dos  heróis;  desígnios  ocultos  que  têm  que  ser  desvendados.   •  Fundamentos  da  idenJdade  nacional:      >  míJcos      >  pré-­‐nacionais      >  nacionais   •  Simbologia  de  cada  referência:   •  ConsJtuição  de  oito  poemas:                            >  simbologia  da  união,  do  casamento,  da  base  da  raça  da  Ínclita   Geração  -­‐  a  Geração  de  Avis  que  sustentará  o  “Mar  Português”.              Terceira  parte  do  BRASÃO  -­‐  “As  Quinas”:  símbolos  históricos  e  emblemáJcos   nacionais  associados  a  um  período  áureo;  dimensão  espiritual:  5  quinas,  5  chagas   de  Cristo;  consciência  do  desJno  das  5  personagens  e  de  Portugal.   •  Simbologia  de  cada  uma  das  referências:    >  I:  a  realeza  /  nobreza  -­‐  D.  Duarte;    >  II:  o  sacrilcio,  a  sanJdade  (caJvo  de  Fez)  -­‐  D.  Fernando;    >  III:  a  cultura  e  o  cosmopoliJsmo  (sabedoria  e  viagem)  -­‐  D.  Pedro;    >  IV:  a  menor  notabilização  (associada  ao  anonimato  do  povo  português)  -­‐  D.  João;    >V:  o  úlJmo  rei  da  dinasJa  de  Avis;  o  desejado  que  configurou  a  falha,  a   perda,  mas  que  se  transformou  em    símbolo  de  vontade,  de  ideal  -­‐  D.  SebasJão.  
  • 8. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   •  Quarta  parte  do  BRASÃO  –  “A  Coroa”:  a  realeza  feita  na  base  dos  que  para  ela   contribuem  (um  poema):   •  Figura  singular  na  consJtuição  da  dinasJa  régia  de  Avis  -­‐  Nun'Álvares   Pereira         •  Quinta  parte  do  BRASÃO  –  “O  Timbre”:  um  grifo  (abutre  ou,  segundo  a   mitologia,  misto  de  águia[remete  para  o  céu,  poder  de  ascensão]  e  leão[liga-­‐o  à   terra]);  sinónimo  também  de  enigma,  com  a  cabeça  e  duas  asas;  marca  pessoal;   símbolo  de  poder  legíJmo;  união  de  2  naturezas:  humana  e  divina;  construção   de  uma  obra  de  caráter  divino  realizada  pelos  humanos.   •  Cabeça  do  Grifo  (Infante  D.  Henrique);   •  Asa  do  Grifo:  D.  João  II    -­‐  rei  que  mais  se  notabilizou  nos  Descobrimentos;   •  Outra  Asa  do  Grifo:  D:  Afonso  de  Albuquerque:      >  maior  vice-­‐rei  em  terras  da  Índia      >  o  sinal  do  império  terrestre  de  que  o  “Mar  Português”  será   exemplo.  
  • 9. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   Estrutura  de  Mensagem      “Brasão”   Poemas   Os  Campos   O  dos  Castelos   O  das  Quinas   Os  Castelos   Ulisses   Viriato   O  Conde  D.  Henrique   D.  Tareja   D.  Afonso  Henriques   D.  Dinis   D.  João  I   D.  Filipa  de  Lencastre   As  Quinas   D.  Duarte,  Rei  de  Portugal   D.  Fernando,  Infante  de  Portugal   D.  Pedro,  Regente  de  Portugal   D.  João,  Infante  de  Portugal   D.  SebasAão,  Rei  de  Portugal   A  Coroa   Nun’Álvares  Pereira   O  Timbre   A  cabeça  do  Grifo:  O  Infante  D.  Henrique   Uma  asa  do  Grifo:  D.  João,  O  Segundo   A  outra  asa  do  Grifo:  Afonso  de  Albuquerque  
  • 10. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   Versos  exemplares  de  poemas  da  1.ª  parte              -­‐  uma  visão  míDca  da  construção  da  pátria,  do  sonho  e  ânsia  do  império.       § “O  mito  é  o  nada  que  é  tudo”  (“Ulisses”)   §   “Assim  se  Portugal  formou”  (“O  Conde  D.  Henrique”)   §   “A  voz  da  terra  ansiando  pelo  mar”  (“D.  Dinis”)   §   “Humano  ventre  do  Império”  (“D.  Filipa  de  Lencastre”)   §   “Sem  a  loucura  que  é  o  homem?”  (“D.  SebasJão,  Rei  de  Portugal”)   §   “É  excalibur,  a  ungida  /  Que  o  Rei  Artur  te  deu”  (“Nun’  Álvares  Pereira”)   §   “Tem  aos  pés  o  mar  novo”  (“O  Infante  D.  Henrique”)   § “Braços  cruzados,  fita  além  do  mar”  (“D.  João,  O  Segundo”)      1.ª  parte  –  “Brasão”     Significado  da  estrutura  de  Mensagem    
  • 11. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   Realização  da  pátria   q Apogeu  da  ação  portuguesa  dos   Descobrimentos.       q Poemas  inspirados  na  ânsia  do   Desconhecido  e  no  heroísmo  da  luta   com  o  mar  e  seu  desvendamento.     2.ª  parte  –  “Mar  Português”   Significado  da  estrutura  de  Mensagem     Mar Português: sonhado e desvendado pelos heróis e nautas; português por direito.  
  • 12. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa                            2  ª  parte  –  “Mar  Português”:     •  Registo  dos  pontos  fulcrais  da  expansão,  dos  descobrimentos,  de  um  império  material,   terrestre  que  se  desfez.     •  Maturidade,  vida  centrada  no  mar.   •  Nova  epígrafe:  Possessio  Maris  (Posse  dos  Mares),  a  ação  conseguida,  o  exemplo  a   considerar  para  o  futuro.   •  O  domínio  do  mar  permiJu  estabelecer  ligações  entre  os  povos.   •  Símbolo  de  vida  e  da  morte:  refúgio;  reflexo  do  céu.   •  12  poemas  simbólicos  representaJvos  da  ação  (desde  “O  Infante”  a  “Prece”,  numa  simetria   que  convoca  o  iniciador    de  algo  que  falhou  e  conclui  com  o  pedido,  o  convite,  o  desejo  do   retorno).  
  • 13. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa                              2ª  parte  –  “Mar  Português”:     •  Posse  dos  mares    >  “O  Infante”  (o  início,  o  propulsor  de  um  império  que  se  desfaz)  em                simetria  com  “Prece”  (o  desejo  do  retorno).    >  “Horizonte”  em  simetria  com  “A  ÚlJma  Nau”.    >  “Padrão”  em  simetria  com  “Mar  Português”.    >  “O  Mostrengo”  (dificuldade  e  superação)  em  simetria  com  “Ascensão                de  Vasco  da  Gama”(heroicização,  divinização  do  herói).    >  “Epitáfio  de  Bartolomeu  Dias”  em  simetria  com  “Fernão  de  Magalhães”)  –   exemplo  dos  que  encabeçam  expansão,  na  descoberta  inicial  do  caminho  maríJmo  para  a   Índia  /  na  ligação  do  AtlânJco  com  o  Pacífico.    >  “Os  Colombos”  (a  descoberta  sem  magia)  e  a  expansão  para  o              Ocidente.  
  • 14. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   Estrutura  de  Mensagem   Poemas   O  Infante   Horizonte   Padrão   O  Mostrengo   Epitáfio  de  Bartolomeu  Dias   Os  Colombos   Ocidente   Fernão  de  Magalhães   Ascensão  de  Vasco  da  Gama   Mar  Português   A  ÚlAma  Nau   Prece   “Mar  Português”  não  apresenta  divisões  temáJcas.   Integra  12  poemas  cujos  ztulos  são  clarificadores.  
  • 15. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   Versos  exemplares  de  poemas  da  2.ª  parte   -­‐  a  realização  transcendente  da  concreDzação  do  impossível  e  da  passagem  dos   limites  do  Horizonte  que  fez  português  o  mar.   §  “Deus  quer,  o  homem  sonha,  a  obra  nasce”  (“O  Infante”)   §   “Cumpriu-­‐se  o  Mar  (...)  /  Falta  cumprir-­‐se  Portugal”  (“O  Infante”)   §  “O  sonho  é  ver  as  formas  invisíveis  /  Da  distância  imprecisa”  (“Horizonte”)   §  “O  mar  sem  fim  é  português”  (“Padrão”)   §   “Aqui  ao  leme  sou  mais  do  que  eu:  /  Sou  um  Povo  que  quer  o  mar  que  é   teu”  (“O  Mostrengo”)   §   “Tudo  vale  a  pena  /  Se  a  alma  não  é  pequena.”  (“Mar  Português”)   §   “E  outra  vez  conquistemos  a  Distância  /  Do  mar  ou  outra”  (“Prece”)    2.ª  parte  –  “Mar  Português”     Significado  da  estrutura  de  Mensagem    
  • 16. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   Morte  da  pátria   q Morte  das  energias  de  Portugal.     q Poemas  de  afirmação  do   sebasJanismo.   q Apelo  ao  sonho  e  ânsia  messiânica  da   construção  do  Quinto  Império.     3.ª  parte  –  “O  Encoberto”     Significado  da  estrutura  de  Mensagem     Renascimento   O sonho encoberto, apagado no nevoeiro; a chama que é preciso reacender.  
  • 17. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   •   O  ENCOBERTO  -­‐  ztulo  enigmáJco                              -­‐  designação  para  um  mito:  não  a  figura  histórica,  mas  o  que  ela  representa;                            -­‐  consJtuição  de  três  subpartes  (nova  totalidade,  nova  ação,  novo  ato);                            -­‐  nova  epígrafe:  Paz  in  Excelsis  (Paz  nas  alturas)  >  domínio  espiritual;                            -­‐  fecho  com  a  expressão  “Valete,  Fratres”  (Felicidade,  irmãos)  >  cf.  Sinal  da   irmandade;                            -­‐  morte  como  ressurreição/renascimento  através  do  regresso  de  D.   SebasJão  e  a  concreJzação  do  V  Império.       •  ArJculação  desta  terceira  parte  com  o  final  da  segunda:          “A  ÚlJma  Nau”  (a  que  levou  D.  SebasJão  para  uma  ilha  indescoberta  >   metáfora  para  o  mito,  a  lenda),        “Prece”  (desejo  do  retorno  >  tempo  e  o  império  perdidos  que  se  querem   ver    reedificados).     •  A  parte  da  construção  do  mito,  feito  de  símbolos,  de  avisos,  de  tempos  (leitura          sebasJanista  da  obra,  da  recuperação  do  mito  messiânico).     •  Aceitação  da  morte  ,  da  queda  do  passado  como  força  regeneradora,  como  mito              fecundador  de  um  futuro.  
  • 18. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   •  “Os  Símbolos”:    “D.  SebasJão”:  não  como  rei,  mas  como  mito  fecundador    “Quinto  Império”:     •     referência  aos  quatro  anteriores:   •  babilónico   •  grego   •  romano   •  cristandade   •  Traço  disJnJvo  deste  novo  império:  exclusivamente  espiritual,   cultural.    “O  Desejado”:  instauração  do  mito  recuperado.    “As  Ilhas  Afortunadas”:  relação  com  as  ilhas  “indescobertas”  de  “A   ÚlJma  Nau”.    “O  Encoberto”:  transformação  do  “Desejado”  numa  enJdade   herméJca.  
  • 19. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   •  “Os  Avisos”:   •  “Bandarra”:  profeta  messiânico  (séc.  XVI),  que  lançou  as  bases  do  mito   sebasJanista.   •  “António  Vieira”:     •  associa  o  sebasJanismo  à  legiJmação  do  rei  D.  João  IV                                                  (Restaurador)  da  Independência;   •  A  História  do  Futuro,  do  Padre  António  Vieira  ,foi  uma  obra                                                desJnada  a  explanar  como  Portugal  estaria  predesJnado  a  ser  a                                                cabeça  do  Quinto  Império  –  Espiritual  (tendo  o  rei  português                                              como  chefe  e  o  Papa  como  líder  espiritual.   •  “(Screvo  meu  livro  à  beira  –  mágoa)”:   •  marca  do  “eu”  sujeito-­‐poéJco,  seguindo  a  lógica  dos  poemas   anteriores  poder-­‐se-­‐ia  inJtular  “Pessoa  “.  
  • 20. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   •  “Os  Tempos”:    “Noite”:  sugestão  da  escuridão,  do  negaJvismo,  do  tenebroso;    “Tormenta”:  alusão  à  inquietação,  à  ansiedade,  à  agitação  própria  da  época;    “Calma”:  “Depois  da  tempestade  vem  a  bonança”;    “Antemanhã”:  algo,  indefinido,  prestes  a  chegar,  a  mudar  o  rumo;    “Nevoeiro”:   •  impede  vislumbrar  o  rumo  ansiado;   •  mostra  a  incerteza  que  o  país  atravessa;   •  aguarda  pela  “Hora”  de  sol.   •  Fecho  da  parte:  despedida  em  laJm  (Valete,  Fratres),  desejando  Felicidade  a   uma    irmandade  –  a  dos  eleitos  para  a  mensagem  a  transmiJr.  
  • 21. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   Estrutura  de  Mensagem   “O  Encoberto”   Poemas   Os  Símbolos   D.  SebasAão   O  Quinto  Império   O  Desejado   As  Ilhas  Afortunadas   O  Encoberto     Os  Avisos   O  Bandarra   António  Vieira   Screvo  meu  livro  à  beira-­‐mágoa     Os  Tempos   Noite   Tormenta   Calma   Antemanhã   Nevoeiro    
  • 22. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   Versos  exemplares  de  poemas  da  3.ª  parte   -­‐  só  o  sonho,  a  loucura,  a  “febre  de  Além”  farão  Portugal  ressurgir  do  nevoeiro  e  procurar  a   utopia  do  impossível,  do  Longe,  da  Distância,  do  Absoluto.     §  “Ser  descontente  é  ser  homem”  (“O  Quinto  Império”)   §  “Quem  vem  viver  a  verdade  /  Que  morreu  D.  SebasAão?”  (“O  Quinto  Império”)   §  “Que  voz  vem  no  som  das  ondas  /  Que  não  é  a  voz  do  mar?  (“As  Ilhas  Afortunadas”)   §  “Quando  virás  ó  Encoberto,  /  Sonho  das  eras  português?”  (“Screvo  meu  livro...”)   §  “É  a  busca  de  quem  somos,  na  distância  /  De  nós”  (“Noite”)   §  “Que  jaz  no  abismo  sob  o  mar  que  se  ergue?  /Nós,  Portugal”  (“Tormenta”)   §  “Chamar  Aquele  que  está  dormindo  /  E  foi  outrora  Senhor  do   Mar.”  (“Antemanhã”)   §  “Ó  Portugal,  hoje  és  nevoeiro...”  (“Nevoeiro”)   §  “É  a  Hora!”  (“Nevoeiro”)    3.ª  parte  –  “O  Encoberto”     Significado  da  estrutura  de  Mensagem    
  • 23. Plural 12 Mensagem  de  Fernando  Pessoa   Em  síntese   §  A  estrutura  da  Mensagem  representa  um  ciclo  de  nascimento,  vida  e  morte  da  pátria.     §  Mas  esta  morte  não  é  definiJva,  pois  pressupõe  um  renascimento  que  será  o  novo  império,   futuro  e  espiritual  –  o  Quinto  Império.       §  Esse  ciclo  é  visível  na  estrutura  triparJda  da  obra  –  Brasão,  Mar  Português,  O  Encoberto.   Significado  da  estrutura  de  Mensagem     1.  Brasão   Nascimento   Os  fundadores  e   construtores  do  império     2.  Mar  Português   Vida     Realização  do  império   territorial  sonhado   Renascimento   do  império   espiritual:   Quinto  Império   3.  O  Encoberto   Morte   Fim  das  energias   do  império  
  • 24. Plural 12 § “E  a  nossa  grande  Raça  parArá  em  busca   de   uma   Índia   nova,   que   não   existe   no   espaço,   em   naus   que   são   construídas   «daquilo   que   os   sonhos   são   feitos».   E   o   seu  verdadeiro  e  supremo  desAno,  de  que   a   obra   dos   navegadores   foi   o   obscuro   e   carnal   anterremedo,   realizar-­‐se-­‐á   divinamente”.   Fernando  Pessoa,  in  “A  Águia”     Recurso  do  Manual  Plural  12:  Raiz  Editora  -­‐  adaptado