1254920712 manual tic

141 visualizações

Publicada em

TIC-manual

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
141
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1254920712 manual tic

  1. 1. Outubro de 2009 Tecnologias de informação e comunicação Núcleo Gerador: Cultura, Comunicação e Media Formadora: Carla Carvalho
  2. 2. 2 Índice O que são as Tecnologias de Informação ecomunicação?..............................................................3 Principais características. ..............................................................................................................3 A Internet e a Cultura.O museu virtual e a memória colectiva. .......................................................4 Redefinição da arte através da Internet..........................................................................................5 As TIC aFormação e o Trabalho.....................................................................................................6 A evoluçãoda utilização das TIC ....................................................................................................6 A evolução da utilização dasTIC nas Empresas ................................................................................8 Vantagens das TICno colectivoprofissional.....................................................................................9 As NovasTecnologiasde Informaçãoe Comunicaçãoaoserviçodaergonomiadotrabalho .............11
  3. 3. 3 O que são as Tecnologias deInformaçãoe Comunicação? Chamam-se de Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (NTICs) às tecnologias e métodos para comunicar surgidas no contexto da Revolução Informacional, "Revolução Telemática" ou Terceira Revolução Industrial, desenvolvidas gradativamente desde a segunda metade da década de 1970 e, principalmente, nos anos 1990. A imensa maioria delas caracteriza-se por agilizar, horizontalizar e tornar menos palpável (fisicamente manipulável) o conteúdo da comunicação, por meio da digitalização e da comunicação em redes (mediada ou não por computadores) para a captação, transmissão e distribuição das informações (texto, imagem, estática,vídeo e som). (in Wikipédia) Principaiscaracterísticas. As TIC resultam da aproximação de três domínio distintos: a informática, que favoreceu a interactividade, o audiovisual, em que o som e a imagem estão disponíveis para uso doméstico e profissional (multimédia), e as telecomunicações que permitem o estabelecimento do contacto e da comunicação dos homens entre si, assim como a circulação de dados, de informações e das linguagens, superando o espaço. A junção destes três domínios fazem das TIC um meio de aquisição, produção, armazenamento, tratamento, comunicação, registo e apresentação de informações de forma rápida e em grande quantidade, em forma de voz, imagens, dedados contidosem sinais de natureza acústica, ópticaou electromagnética. Informática (robótica, basesde dados, hipertexto) Audiovisual (video) Telecomunicações (telemóvel, satélite) Multimédia (realidade virtual, videojogos, DVD) Mass Media (TV, jornais on-line) Telemática (Internet, GPS)
  4. 4. 4 Estas tecnologiastêm características distintivas:  Instantaneidade – rompe barreiras espaço/temporais do mundo real facilitando a rapidezde conexões, deacesso, de consultas e deintercâmbio deinformação.  Digitalização – sob a codificação numérica de toda a informação analógica permite a produção, armazenamento, mistura e transmissão de todo o tipo de informação pelos mesmos canais, assim como a reformulação de conteúdos, possibilitando a reinterpretação da realidade.(altadefinição e realidadevirtual)  Imaterialidade – os textos aparecem em formato digital (hipertexto), abdicando do suporte materialda informação (porexemplo o papel)  Interactividade – relação entre o Homem e a máquina, assim como o indivíduo e os outros membros da sociedade. As TIC vêm gerando novas formas de interactividade donde resultam novos grupos, novas ligações sociais e nomeadamente novas comunidades virtuais.  Papelactivo do utilizadorno que respeitaa sua busca de informação. Para além de detentoras de todas estas características distintivas, as TIC estão a contribuir de uma forma fundamental para a transformação da organização espacial e temporal da vida social carregando um potencial para o impacto socioeconómico para que possa aludir a uma revolução comunicacional assim como parauma revolução cultural. A Internet e a Cultura. O museuvirtuale a memóriacolectiva. Outro elemento característico das TIC é permitir que a sociedade se torne mais justa, na medida em que permite um acesso comunitário e igualitário a qualquer tipo de informação. Neste campo podemosincluir o contacto com a cultura. As TIC revelaram-se um meio eficaz de permitir que a colecção de arte de um determinado museu que está a quilómetros de distância nos deslumbre com um simples clique, ultrapassando todas as barreiras espacio/temporais. Ao navegarmos no ciberespaço somos invadidos por uma quantidade infinita de sites de museus que utilizam a internet para poderem expor as suas colecções permitindo o acesso mais igualitário a bens culturais. Este tipo de divulgação da Arte e da memória colectiva, ou seja, do património de um povo ou de uma sociedade adquiriu a designação de Museu Virtual. O Património tem um papel preponderante na comunidade local onde se insere. Esta pode ser um elo de fortalecimento da identidade dessa comunidade e um factor de desenvolvimento local, económico, social, turístico e cultural. Sendo assim, torna-se necessário protegere divulgaro património.
  5. 5. 5 As instituições que gerem o património cultural em geral estão a apostar nas TIC (nomeadamente a Internet) como um meio seguro, fácil e económico e de grande impacto para a difusão das suas colecções e das suas iniciativas. hh Redefinição daarte através da Internet. A inserção das TICem todasas dimensões da vida social trouxemodificações também nocampoda ARTE:  Novas formasde criaçãoe percepçãoda Arte;  Redefinição da noção de autor, observador, objecto de arte e originalidade, isto é, a possibilidade de constantes melhoramentos de uma determinada obra de arte por vários participantes, fazendocomque este se torne de domínio público.  A troca de saberes em rede promove um “faça você mesmo” que reforça uma inteligência colectiva.  Inversão de direitos autorais pelo Copyleft (≠ de Copyright ©) - É uma forma de usar a legislação de protecção dos direitos de autor com o objectivo de retirar barreiras à utilização, difusão e modificação de uma obra criativa devido à aplicação das normas de propriedade intelectual, sendo assim do domínio público. Uma das razões mais fortes para os autores e criadores aplicarem o copyleft aos seus trabalhos é criarem condições para que as pessoas se sintam livres para contribuir com melhoramentos e alterações a essa obra num processocontinuado.(in Wikipédia)  A aliança da Arte com as novas tecnologias de informação e comunicação tem como objectivo principal a construção de uma sociedade mais justa e igualitária. É uma premissa fundamental para a prática democrática, incluindo um direito cultural que preserva o acesso Museus + Internet  Potencial informativo;  Democratizao acessoà informaçãoe a determinadostiposde bensculturais;  Facilitaa comunicaçãoentre aspessoase as instituições;  Universalizaasoportunidades,eliminadobarreirasespaciais,geográficase temporais;  Massiva,rápida,imediata,económica;  Facilidade de actualizaçãodainformação;  Potencial interactivoque facilitaumarelaçãoactivaentre outilizador e a instituição;  O espectadordeixade serpassivoe converte-se numsujeitoactivo,sendooprotagonista do seuprocessode aprendizagem.
  6. 6. 6 aos bens e também promove a potencialização da sua capacidade inventiva que pressupõe uma liberdade criativa. As TIC aFormação eo Trabalho Visto que a transversalidade é algo característico das TIC, e visto que estamos numa sociedade da informação e do conhecimento, elas trouxeram uma necessidade urgente de constante actualização de conhecimentos, quer a nível pessoal mas também a nível profissional. Tal como refere Roberto Carneiro no editorial da revista electrónica “e-Learningpapers”: “A transformação recorrente tanto da actividade como dos postos de trabalho faz com que sejam necessárias novas competências, mudanças organizacionais nas empresas e reciclagem de conhecimentos.” Desta forma, é necessário, para podermos atingir esse fim, que a formação ganhe um papel importante nesta área. Sendo assim a educação e formação passam a desempenhar um papel determinante enquanto factoresde integração social. A evolução dautilização dasTIC nosagregadosdomésticos AsTIC têm evoluído muito ao longodos anos tendohavido um grande avançodesde os anos90, querao nível do nºde utilizadores, querao nível da fachaetária e sexo. Aquiestão algunsdados do INE quenos permitem perceber mais aprofundadamente a importância das TICna nossasociedade querno querespeita o usodoméstico quer nousoempresarial. 1 1 Dados do Instituto Nacional de Estatística (Abril de 2009) Computador Internet Banda Larga TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO AGREGADO DOMÉSTICO (%) 1
  7. 7. 7 No primeiro trimestre de 2008 aproximadamente metade dos agregados domésticos tinham acesso a computador e 46% dispunha de ligação à internet em casa. Em relação a 2004 observa-se um aumento médio anual de 35,2% no que se refere à ligação por banda larga, de 16,4% na ligação à internet e de 5,9%no acessoa computadora partir de casa. Visto que a evolução da utilização das TIC pelo agregado doméstico de está a tornar cada vez maior, será necessário focar as vantagens das TIC na gestão do recursos domésticos. Sendo assim, e tendo comobase as TIC, estas possibilitam actividades nosseguintes níveis: Correio electrónico(e-mail) – encomendarpela internet:  Comida / artigos para a casa  Filmes, música, livros, revistas, jornais, materiais de e-learning  Roupas/equipamentos desportivos  Hardwareinformático  Software informático  Equipamentos electrónicos  Aquisiçãode acçõesda bolsa  Viagens e alojamento  Bilhetes de espectáculos/eventos  Lotarias e apostas Utilização das redes de multibanco  Carregamentos de telemóvel  Pagamentos efectuadosatravés de internet  Pagamento de encomendas  Pagamento de serviços  Transferências  Comprade bilhetes de espectáculo Actividades de comunicação e de partilha e obtenção de conteúdo audiovisual na internet e actividades realizadas no telemóvel  Telefonar  Fazerchamadas de vídeo  Colocarmensagens em chats  Comunicaratravés de mensagens escritas em tempo real (ex: Messenger)  Ler blogs  Ouvirrádio ou televisão  Fazerdownload eouvirmúsicas  Utilizar programas de partilha de ficheiros para trocar filmes, música ou ficheiros de vídeo  Utilizar oserviço de podcast  Jogarem rede comoutras pessoas  Colocarconteúdonumwebsite partilhado Actividades realizadas no telemóvel  Enviar fotosou ficheirosde vídeo
  8. 8. 8  Transferir fotografias  Navegar na internet  Fazerdownload ouvertelevisão ouvídeo  Pesquisarlocais ou moradas Comprae vendade bense serviços  Efectuarserviços bancáriosatravés da internet (Homebanking)  Pagamento de serviços Ligaçãoa organismose serviços públicos  Obter informaçõesatravés de sitesdos organismosda Administração Pública  Fazerdownload deimpressos ouformulários fiscais  Preenchere enviar formulários on-line Educaçãoe formação  Desenvolver actividades de educaçãoformal  Realizar cursosdeeducaçãopós-formal A evolução dautilização dasTIC nasEmpresas 2 2 Dados do Instituto Nacional de Estatística (2004) Computador Internet Website TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NAS EMPRESAS SEGUNDO O Nº DE FUNCIONÁRIOS (%) - 2004 2
  9. 9. 9 3 A análise dos gráficos representados permite-nos tirar uma conclusão muito clara: as TIC ganharam grande importância no funcionamento das empresas, visto que a quase totalidade as utiliza como parte vital para o funcionamento das mesmas. O correio electrónico provou ser uma meio fácil, rápido e económico de comunicação e até mesmo de realização de negócios, pois é através desta forma de comunicar que se fazem trocas de documentação de grande importância para a realização destes. Vantagenstrazidaspelaevolução das TIC no colectivo profissional “No contextode mundialização das actividades económicas,a inovaçãotem um papel determinante na eficiência económica.Asnovas ideias em termos de produtos,organizaçãode processose formas de comercialização, a pardos recursostécnicos,são factoresqueinduzem ao desenvolvimento (...). A capacidade de aprender determina o sucessoeconómiconãoapenas das empresas e actividades mas também das regiões e países. A aprendizagem é um processointeractivo socialmente enraizado a sua eficiência depende da configuraçãoinstitucionaldo sistema de inovaçãosocial (...). As TIC, ao permitirem reduzir o atrito a distância para os contactos entre pessoas e organizações e instituições (...) e ao diminuir o factor de complexidade do tratamento e troca de informação desempenha um papel fundamental para a ocorrência de interacções e apoiar os processos de inovação(...). 3 Dados do Instituto Nacional de Estatística (2008) computador internet website uitliza e-mail TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NAS EMPRESAS SEGUNDO O Nº DE FUNCIONÁRIOS (%) - 2008 3
  10. 10. 10 O desenvolvimento impõe igualmente condições de igualdade e oportunidade, quer em termos individuais, quer no que respeita às organizações e instituições. As TIC, aopermitirem estar em rede, com benefícios de interacção e de acesso à informação que daí advém, possuem um potencial de melhoria dos padrões de competitividade económica. As TIC devem estar disponíveis a todos os indivíduos e organizações comuma qualidade mínima (...). As reduzidas oportunidades para trocar e usar informação estão igualmente associadas (...) aos rendimentos, à capacidade de criar redes sociais e económicas(...) e às preferências culturaisdos indivíduos.”4 No que respeita os vários tipos de Empresas em Portugal torna-se necessário intervir em várias áreas para que estas (maioritariamente PMEs) possam competir em pé de igualdade com as empresas estrangeiras: Desenvolvimento de novas redes de cooperação Utilização intensivo das TIC no“upgrade”tecnológicode produtose serviços Reforçara competitividade, ligação aos mercadose consumidores Promoçãode produtose empresas Criar postosde trabalho de elevada qualificação Para além dasmudanças necessárias, as TICtrazem muitas vantagens: Acesso a novas oportunidades tal como maior exposição do produto (através do uso de sites) Cartão-de-visita dasempresas Aumento da rapidez da comunicação quer a nível exterior como interior (intranet) dotando- a de rapidez e eficácia dentro a própria empresa. Facilita a administração em geral Permite o armazenamento de toda a informação relativa à empresa (tornando os arquivos mais fáceise sempre disponíveis para consulta).  Armazenamento de dados: Toda empresa cria uma grande quantidade de dados cruciais que precisam ser armazenados em backup. Isso significa que são guardados num local de fácil acesso e podem ser recuperados. Nos negócios, nunca se sabe o que poderá ocorrer. Todos estão sujeitos a cortes de energia, incêndios, roubos, inundações e danos acidentais. Se houver não tiver backup de dados vitais, os efeitos poderão ser desastrosos. A recuperação poderá ser muito cara. Torna-se necessário fazer um backup regular das informações, em disco (CD). Outra solução é o armazenamento em rede. Este automatiza muitas tarefas de backup regular e facilita sua execução. Ele oferece uma enorme capacidade de armazenamento, recursos de pesquisa instantâneos e imediatos e grande flexibilidade para adicionar dispositivos que podem entrar nos seus arquivos em qualquerlocal.  Recuperação de dados: visto que as empresas procedem ao constante armazenamento de toda a informação respeitante à sua actividade, correm o risco de perderem essa mesma informação. Para isso existem programas e técnicos 4 In, As TIC para um país competente (2005)
  11. 11. 11 especializados em recuperação de dados. Esta pode ser efectuada a partir de qualquersuporte de armazenamento: discorígido, CD, pendrive,DVD, etc. As Novas TecnologiasdeInformação eComunicaçãoao serviço daergonomia do trabalho A introduçãodas Novas TecnologiasInformatizadas (NTI) nasunidadesprodutivas,permite:  reduzir o tempo de trabalho, com a incorporação das novas tecnologias informatizadas, em cada unidadede produção;  racionalizar e optimizar osprocessosde trabalho;  reduziros custosde produção;  integrar as distintas áreas funcionaisda empresa;  flexibilizar a produção, de modo a permitir uma adequação rápida e constante às exigências do mercado;  incrementar a produtividade no trabalho;  controlaros processosde trabalho. Estes são exemplos habituais do que as Novas Tecnologias Informatizadas proporcionam no mundo do trabalho actual. Por tudo isto, as diversas modalidades de automatização disponíveis na micro- informática, constituemhoje, umaferramenta insubstituívelna modernizaçãodo mundolaboral. Há que levar em consideração que a implementação das NTI no mundo do trabalho vai implicar inquestionavelmente outras inovações de carácter organizacional, tanto ao nível do próprio posto de trabalho, como ao nível da organização de todo o processo produtivo e da gestão de recursos humanos. O "símbolo" das NTI é, sem dúvida, o computador. Este é uma máquina electrónica programada para processarinformaçãodigital. Pode-se dizer, que o computador prolonga o cérebro humano, no que se refere ao raciocínio lógico, e que o completa, pela sua grande velocidade de tratamento da informação, traduzindo-se pela possibilidade de poder realizar milhões de operações por segundo, e pela extraordinária capacidade da sua potente memória, poder armazenar e restituir informação de uma forma rápida e eficaz. Vive-se numa sociedade informatizada e em constante evolução tecnológica, com reflexos nos hábitos das pessoas, na suaforma de viver, de trabalhar e de relacionamento com osoutros. É a era da Informática que exige um contínuo esforço de adaptação à nova realidade. Há que aproveitar as vantagens da informática nas mais variadas esferas da actividade económica e social (no lar, na empresa, na escola, na administração pública, etc.), e utilizá-la no progresso da sociedade e nasatisfaçãodasnecessidadesdapopulação. A informática é, então, a ciência do tratamento racional, nomeadamente, através de máquinas automáticas e da informação considerada como suporte de conhecimento e de comunicação, nos domínios técnico,económicoe social. Resumidamente, define-se informática como sendo um conjunto de técnicas e métodos mediante osquais se trataainformação,comaajudados meiosautomáticos. InteracçõesdoHomemcomas Novas Tecnologias Não só em situações de lazer, mas principalmente em situação de trabalho, o homem interage com as novas tecnologias. São muitas as situações, nas quais o computador, é um meio privilegiado para desenvolver um determinado tipo de trabalho, mas também são inúmeros os riscos, a que o trabalhador está sujeito, por utilizarumcomputadordurantelongos períodos de tempo. Por este motivo, faz todo o sentido que a Ergonomia tenha criado um campo de intervenção, na área dasNTI e quese tenha servido delas para intervir em outrasáreas.
  12. 12. 12 Assim, distinguem-se três fases de evolução até à mais recente aplicação da Ergonomia ao software: Fase 1) na sua origem,esta disciplina preocupava-se com:  a posturado utilizador e o melhoria do equipamento (écrans, teclados,rato, etc.);  a antropometria dos postos de trabalho informatizado (implantação, dimensões do posto, cadeiras, etc.);  o envolvimento (iluminação, disposição,cor,etc.);  a organizaçãodo trabalho (tarefas,circuitosde informação, horários,formaçãode pessoal). Estes domínios são os mais conhecidos do grande público e os resultados são ainda correntemente integrados na concepção de equipamento profissional (equipamento e material de escritório, computador,etc.). Fase 2) de seguida, a Ergonomia interessou-se:  pela disposiçãoespacial de toda a informaçãono écran;  pelas cores;  pela suafixação;  pela análise de melhores condiçõesde iluminação e de contraste,etc. Esta segunda fase não é, no fundo, mais do que a aplicação particular da investigação aos écrans dos computadores,para ummelhor confortofisiológico. A passagem do equipamento para o software, isto é da 1ª para a 2ª fase, carrega, nada mais, do que a semente do fundamento da Ergonomia moderna. Pois esta mudança coloca o problema da qualidade da interacção Homem-Computador, um termo cuja origem remonta somente a duas décadas atrás. A imagem da Ergonomia, para os informáticos, está ainda ligada a essa época, mas o problema da apresentação da informaçãono écrannão é mais a questãoessencial. Fase 3) a terceira fase da Ergonomia resulta da experiência adquirida através dos estudos da interacção Homem-Computador,quefizeramsurgirdois pontos fundamentais:  a aparência dos écrans modifica pouco a natureza dos problemas, pois as principais dificuldades doutilizador têm origem na estrutura interna do software;  a efectiva melhoria das qualidades ergonómicas do software, requer uma tomada de consciência, desde as primeiras fases de concepção do equipamento, do funcionamento intelectual das pessoas e doshábitos de trabalho. Assim, a melhoria da interacção do "diálogo" entre o Homem e a máquina (o computador) impõe um melhor conhecimento dos processos cognitivos do trabalhador e dos seus modos operatórios aquandona realização do trabalho, ouseja, a sua actividade propriamente dita. Entretanto a Ergonomia conserva uma abordagem global e pluridisciplinar, que se debruça no estudo dos mais variados aspectos, relativos à introdução da informática no mundo laboral, tais como:  elaboração da organizaçãodos processosdetrabalho;  adaptação das funcionalidadesda ferramenta às necessidades reais do utilizador;  adaptação dodiálogo Homem-Computadoràs característicasindividuais dosutilizadores;  concepção,especificaçãoerealização dosoftware;  redacção de documentos e de manuais destinados ao utilizador ou às equipas de manutenção;  organização dos diferentes postos de trabalho adaptado às tarefas específicas de cada utilizador. Uma intervenção ergonómica, seja ela ou não, numa situação de trabalho informatizado, permite evidenciar e considerar as dificuldades ouexigências dos utilizadores.
  13. 13. 13 As proposições são formuladas e as soluções aplicadas. Os resultados práticos de tal procedimento são a melhoria das condições de trabalho e, simultaneamente, o ganho de qualidade e eficácia, reduzindoos custosdofuncionamento. A Ergonomia é uma resposta adaptada aos problemas específicos do terreno e não, a aplicação estandardizadade receitaspré-estabelecidas. Consequentemente, dizer que determinado utensílio ou processo é ergonómico, não é suficiente. Para avaliar tal qualidade, é necessário avaliar esse utensílio / processo, em função de quem o vai utilizarecomque objectivo. É de salientar que adaptar o trabalho ao homem, representa uma outra forma de conceber / corrigiruma determinada situação de trabalho. Ao servir-se do conhecimento sobre o funcionamento humano e dos métodosque melhor permitem aprender a realidade das situações de trabalho, a Ergonomia pode contribuir para a evolução dos métodosde análise de todo o processo de informatização. As principais componentes a serem analisadas num sistema caracterizado por um processo de informatização ou pelo estudo de determinada situação individual de trabalho informatizado, deve incluirsempre os subsistemas: O estudo da interacção entre as várias componentes ou subsistemas de uma situação de trabalho, mostra uma abordagem global dos problemas. Assim, cada situação de trabalho representa uma união às múltiplas dimensões de uma empresa. Os domínios de aplicação da Ergonomia dividem-se em áreas, nos diferentes contextos do trabalho informatizado. Podem-se, então, classificar em quatro, as grandes áreas de aplicação da Ergonomia informática ou Ergonomia do trabalho informatizado, de acordo com o âmbito de estudo específico de cada uma. Sãoelas:  a Ergonomiados materiaise dos postos de trabalho;  a Ergonomiada programação;  a Ergonomiados processos de informatização;  a Ergonomiado software. Passemos,de seguida,a caracterizarcada umadestas áreas.  ERGONOMIADOS MATERIAIS E DOS POSTOS DE TRABALHO Está centrada, essencialmente, nos equipamentos que constituem o posto de trabalho informatizado e áreasquelhe são adjacentes,nomeadamente,aonível:  dos periféricos(monitor, teclado,écran, rato, impressora, etc.);  de todo omeio de trabalho (iluminação, ruído,temperatura, etc.);  do layout (disposiçãofísica de todoo equipamento de trabalho). Foi, e ainda é, a este nível que se situam os estudos mais vastos e em maior número, assim como, a maioria dos pedidos de intervenção ergonómica, dado que é também a este nível que surgem as queixas mais facilmente perceptíveis.  ERGONOMIADAPROGRAMAÇÃO Esta área da Ergonomia centra-se ao nível da construção de novos programas e da manutenção informática, no que diz respeito às linguagens de programação e à sua inteligibilidade, ou seja, propõe a facilitação da escrita e da leitura de programas, conduzindo a uma utilização posterior, igualmente facilitada.  ERGONOMIADOS PROCESSOS DE INFORMATIZAÇÃO Está centrada no processo de informatização de serviços, cujo objectivo principal consiste, não apenas em informatizar mas, em distinguir o que deve efectivamente ser informatizado, visando
  14. 14. 14 uma melhor eficácia das futuras instalações. Tenta salvaguardar, na medida do possível, todos os aspectospositivos dos hábitos dos trabalhadores queestes desejem conservar.  ERGONOMIADOSOFTWARE Está centrada nos utilizadores dos sistemas informáticos e na adequação do software às necessidades das tarefas e simultaneamente, às capacidades do utilizador. Os problemas são inúmeros e crescentes, dada a especificidade das tarefas. Estes colocam-se, essencialmente, a dois níveis:  visualização do écran, no que se refere à formatação da imagem, à codificação, à estruturaçãodos campos,à escolha dovocabulário e às abreviações mais significativas;  linguagensde comando,relativamente à estruturados diálogos e à sintaxe da linguagem. A linguagem de software tem por objectivo, facilitar os processos cognitivos de percepção e tratamento de informaçãopormeio de um diálogo mais intuitivo, entre o Homem e o computador. O diálogo entre o Homem e o computador, tem o objectivo de mascarar o funcionamento técnico do softwarepara libertar o trabalhador dosproblemas ligados à manipulação do utensílio. O seu papel é de facilitar a comunicação entre os dois sistemas que assentam em modelos diferentes:  O Homem é vivo, criativo, "adaptável", raciocina por analogia em associação de ideias e constróios seusmodelos mentais, no decursoda suaactividade.  O computadoré algorítmico, sequencial e a sua programaçãoé fixa. Estes dois mundos são estranhos um ao outro e o interface deve servir de intérprete para facilitar as trocasde informaçãoentre doissistemas. Do ponto de vista ergonómico, a vocação principal do diálogo é, portanto, a adaptação a todos os casos,para tornar simples omanuseamento doutensílio informático. Muitos conceptores de sistemas de software, acabam por perceber que o sistema que estão a criar é algo mais do que apenas o software, e que o âmbito e o objectivo do sistema é mais vasto do que a funcionalidade proporcionadapelosoftware. Esta é, apenas, uma componente de um amplo sistema e fornece uma parte da funcionalidade pretendida. Este amplo sistema inclui, pelo menos, outros utilizadores e outros sistemas de software.5 5 In, www.ruijose.com

×