Patrimônio líquido não é uma exigibilidade

4.366 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Patrimônio líquido não é uma exigibilidade

  1. 1. UNIVALI – UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍCECIESA- CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS – GESTÃOCURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEISDISCIPLINA: CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIAPERÍODO: 3ºPROFESSORA: FABIANA CRISTINA TAVARESDATA: 13 de Abril de 2008ACADÊMICOS: Luciane Regina Patrício Vivian Deitos Bernardo PATRIMÔMIO LÍQUIDO: É UMA EXIGIBILIDADE? Para que possamos discutir sobre o assunto, devemos primeiramente entender osconceitos. O que é exigibilidade?No dicionário, exigibilidade significa reclamar em função de direito fundado ousuposto. Para a Contabilidade, exigibilidade são obrigações assumidas por uma entidade(ou indivíduo), de entregar a terceiros, parte do seu ativo, ou lhes prestar serviços. OPatrimônio líquido representa os valores que os sócios têm na empresa, numdeterminado momento. É resultante do ativo menos o passivo e representado pelocapital social e pelos lucros acumulados. O capital social abrange os valores que os sócios investiram na empresa. Já osLucros Acumulados são lucros que foram reinvestidos pelos sócios na empresa.Deve-se ter em mente a distinção contábil entre Passivo, Patrimônio Líquido eexigibilidades. O Passivo representa as fontes dos ativos de uma entidade. Essas fontessão representadas por direitos de acionistas (Patrimônio Líquido) ou de direitos deterceiros exigíveis contra a entidade (exigibilidades). Patrimônio Líquido não é umaexigibilidade, pois ele é formado de capital próprio Enquanto as exigibilidades devem ser liquidadas, sem o risco de a entidade ter otítulo protestado ou sua falência decretada, não há obrigação previamente definida dedevolver aos investidores o Patrimônio líquido a menos que, por exemplo, a entidadeseja liquidada. Como cita o Professor Rodrigo Antônio Chaves da Silva, Contadoranalista e especialista em gestão econômica das empresas, tendo seu artigo publicado noInstituto de Contabilidade do Brasil, em 9 de Abril de 2008.
  2. 2. “Ainda, no Patrimônio Líquido temos três grupos principais: o capital social – quotasou riquezas dos sócios - as reservas – guardas ou destinações dos resultados – e osresultados – lucros ou prejuízos. Estes seriam itens que subdividem o patrimôniolíquido. Muito similares por sinal ao “Capital Próprio” no aspecto qualitativo.Portanto, no Passivo temos o “Circulante” ou “Exigível a Curto Prazo”, o “Exigível aLongo Prazo”, o “Resultado dos Exercícios Futuros”( pouquíssimo utilizado e muitocarente de interpretação),e o “Patrimônio Líquido” ou “Passivo não-exigível” pornão ser necessariamente uma dívida.”Portanto, Patrimônio Líquido não é uma exigibilidade, pois ele é formado de capitalpróprio e não de capital de terceiros.REFERÊNCIASSILVA, Rodrigo Antônio Chaves Da. O patrimônio como objeto da contabilidade.Disponível em <http://www.icbrasil.com.br/doutrina/ver.asp?art_id=1064&categoria=Contabilidade Geral > Acesso em :13 de maio de 2008IUDÍCIBUS, Sérgio de; MARTINS, Eliseu; GELBCKE, Ernesto Rubens.Manual deContabilidade das Sociedades Por Ações. Sétima edição. São Paulo: 2007. p.312.AULETE, Caldas. Dicionário contemporâneo da Língua Portuguesa. 3. ed. Rio deJaneiro: Delta, 1980. 5 v.
  3. 3. professor Rodrigo Antônio Chaves da Silva Contador-Analista e especialista em gestão econômica das empresas pelas faculdades integradas de Caratinga Membro da Escola do Neopatrimonialismo Ganhador da Menção de Honra do prêmio Internacional de História da Contabilidade, professor Martim Noel Monteiro – Edição 2007. Sobre o texto: Texto inserido no Instituto de Contabilidade do Brasil em 9 de abril de 2008. Bibliografia:Conforme a NBR 6023:2002 da Associação Brasileira de NormasTécnicas (ABNT), o texto científico publicado em periódicoeletrônico deve ser citado da seguinte forma:SILVA, Rodrigo Antônio Chaves da. O patrimônio como objeto dacontabilidade. Disponível em<http://www.icbrasil.com.br/doutrina/ver.asp?art_id=1064&categoria= Contabilidade Geral > Acesso em :13 demaio de 2008

×