Politraumas

4.604 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.604
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
93
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Politraumas

  1. 1. Enfermagem em Politrauma. Professor André Assis
  2. 2. Epidemiologia. O trauma representa, atualmente, a terceira causa morte mundial. Segundo as estatísticas, em um dia médio,170.000 homens, mulheres e crianças sofrem traumatismos, e aproximadamente 400 morrem como resultados de suas lesões. Lesão acidental é o maior assassino de pessoas entre as idades de 1 a 44 anos. Esses dados estão diretamente ligados a explosão demográfica juntamente com os altos índices de violência e a imprudência dos dias atuais.
  3. 3. Nos politraumatismos a mortalidade é classificada em três níveis subseqüentes: imediata, precoce e tardia. Imediata: as mortes são relativas às que acontecem logo após o acidente devido a Lesões cerebrais graves, traumatismos cervicais e Lesões em grandes vasos ou coração. Precoce: refere as mortes ocorridas dentro de duas horas após o trauma, causadas por traumatismos cranioencefálico, torácico, abdominal e hemorragia; Tardia: relacionam àocorrência de septicemia e falência múltiplas dos órgãos, podendo também estar ligada ao traumatismo cranioenfálico.
  4. 4. CONCEITO: São lesões múltiplas de diversas naturezas, determinadas por agentes mecânicos, podendo comprometer diversos sistemas ou até mesmo a vida. Uma vítima é considerada politraumatizada, sempre que apresenta lesões em dois ou mais sistemas. O TRAUMA: É uma lesão caracterizada por alterações estruturais ou desequilíbrio fisiológico, decorrente de exposição aguda a várias formas de energia: Mecânica, Térmica, Elétrica, Química, Irradiações.
  5. 5. Tem por objetivo identificar graves lesões e instituir medidas terapêuticas e emergenciais que controlem e restabeleçam a vida. Consiste em: Preparação Triagem Avaliação primária Reanimação Avaliação secundária Monitorização e reavaliação contínua Tratamento definitivo
  6. 6. Pré-hospitalar: Onde a equipe é preparada para atuar no local da ocorrência, estabilizando o paciente. Intra-hospitalar: Onde a equipe que recebe o caso esta ciente, preparada e de acordo com o que será encaminhado para atendimento. Regulação médica: serviço cuja função é equivalente à ponte entre as equipes do pré-hospitalar e do intra-hospitalar que despacha as viaturas para atendimento da ocorrência e de acordo com os informes da equipe pré-hospitalar verifica local para continuidade do atendimento emergencial e comunica ao intra-hospitalar o caso que será encaminhado.
  7. 7. É utilizado para classificar a gravidade dos problemas ou tipo de ocorrência. Existe um método de cores para definir: . VERMELHO (0 min) . LARANJA (10 min) . AMARELO ( 1h) . VERDE (2h) . AZUL (4h)
  8. 8. Tem por finalidade verificar o estado da vitima e suas condições físicas /emocionais/ neurológicas. Verifica-se: Obstrução das vias aéreas Insuficiência Respiratória Alterações Hemodinâmicas Déficit Neurológico Usam-se os métodos das seguintes formas: A, B, C, D e E (casos sem comprometimento circulatório). C, A, B, D e E (casos com comprometimentos circulatórios). Significados: A- Vias aéreas e proteção da coluna cervical B- Respiração e ventilação C- Circulação D- Incapacidade neurológica E- Exposição e controle da temperatura
  9. 9. Reanimação Ações para restabelecer as condições vitais do paciente. Avaliação secundária Exploração detalhada da cabeça aos pés, antecedentes pessoais se possível. Esta deverá ser completada no hospital com reavaliação e exames radiológicos pertinentes. Muito importante: Pesquisar e presumir lesão associada em função do mecanismo da lesão, ex. queda sobre calcâneo com fratura da coluna vertebral.
  10. 10. Tipos de trauma O trauma pode ser classificado de acordo com seu mecanismo, este pode ser contuso ou penetrante, mas a transferência de energia e a lesão produzida são semelhantes em ambos os tipos de trauma. A única diferença é a perfuração da pele. Trauma contuso (fechado): O trauma contuso ocorre quando há transferência de energia em uma superfície corporal extensa, não penetrando a pele.
  11. 11. Trauma penetrante (aberto): O trauma penetrante tem como característica a transferência de energia em uma área concentrada, com isso há pouca dispersão de energia provocando laceração da pele. Podemos encontrar objetos fixados no trauma penetrante, as lesões não incluem apenas os tecidos na trajetória do objeto, deve-se suspeitar de movimentos circulares do objeto penetrante. As lesões provocadas por transferência de alta energia, por exemplo, arma de fogo. Traumatismo craniano: É um tipo de contusão ou ainda lesão na cabeça, pode ocorrer imediatamente ou se desenvolver lentamente no decorrer de várias horas, podendo ainda constituir-se num traumatismo cranioencefálico.
  12. 12. Traumatismo Torácico São lesões torácicas decorrentes da ação de um agente traumático. Pode acometer órgãos vitais como o coração e pulmões, além de estruturas como traquéia, brônquios e grandes vasos (artéria aorta, veia cava ) . Dessa forma, os traumatismos que a atingem podem comprometer seriamente funções como a respiração e a circulação.
  13. 13. Traumatismo Abdominal Lesões abdominais resultantes da ação de um agente traumático. O trauma abdominal leva ás vitimas a óbito na fase inicial do atendimento devido hemorragias não controladas. Geralmente ocorre em associação com outras lesões, principalmente torácicas.
  14. 14. Atuação da enfermagem Fazer uma avaliação rápida do estado geral do paciente, estabelecendo prioridade e dando atenção imediata àquele traumatismo que interfere nas funções vitais. Permeabilidade das vias aéreas (retirada de prótese); Aspiração das secreções orofaríngeas; Avaliação das possíveis lesões intratorácicas; Colocação da cânula de guedell; Entubação e uso de respirador; Avaliação da função respiratória (ritmo, frequência e movimento torácico); Avaliação das funções cardio-circulatórias usando manobras de ressuscitação quando houver parada cardio-respiratória; Controle da hemorragia. Se for detectada hemorragia interna, preparar o paciente para cirurgia; Punção de veia para reposição das perdas sanguíneas e administração de medicamentos; Preparação do material para flebotomia e PVC; Sondagem vesical, se prescrita, para avaliação do débito urinário; Controle rigoroso da administração e perda de líquidos, PVC e sinais vitais; Avaliação de trauma crânio encefálico e outras lesões; Imobilização das fraturas, observando as extremidades (coloração, temperatura e pulso); Avaliação da ansiedade do paciente, orientando e esclarecendo sobre o seu estado, procedimentos e dúvidas.

×