SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
34
ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 16)
Estudos Disciplinares
Campus: Data: / /
Nome:
RA: Turma:
Equilíbrio de Três Cargas
A força elétrica de interação entre duas cargas puntiformes q1 e q2, distantes entre si de r, obedece à lei de
Coulomb, representada pela equação: . Na expressão, é um vetor unitário paralelo à reta que une as
duas cargas. Sendo as cargas de mesmo sinal ( ), elas se repelem. Sendo as cargas de sinais opostos
( ), elas se atraem. Como exemplo de aplicação dessa lei, a figura acima mostra três cargas elétricas
puntiformes, q1, q2 e q3, fixas, formando um triângulo com lados de comprimentos a, b e c.
Dados:
1. A intensidade da força elétrica resultante que atua na carga q3 vale
a) 6,62 N. b) 3,60 N. c) 3,37 N. d) 8,96 N. e) 1,62 N.
Resolução.
Sugestão: utilize a lei dos cossenos.
35
2. O ângulo que a força elétrica resultante atuante sobre a carga q3 faz com o lado de comprimento c do triângulo
vale aproximadamente
a) .
b) .
c) .
d) .
e) .
Resolução.
Sugestão: utilize a lei dos cossenos.
36
ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 17)
Estudos Disciplinares
Campus: Data: / /
Nome:
RA: Turma:
Dipolo Elétrico
Um dipolo elétrico de cargas –Q e +Q, separadas pela distância d, é mantido fixo, conforme mostrado na figura
abaixo. Uma partícula de massa m e carga elétrica q é posicionada em um ponto P, situado à distância x, medida a
partir do centro do dipolo, e, a seguir, é liberada. Não considerar a ação do campo de gravidade local.
Dados:
1. No instante em que é liberada, a partícula possui aceleração de
a) 2,8 m/s2
.
b) 1,2 m/s2
.
c) 0,6 m/s2
.
d) 5,4 m/s2
.
e) 7,2 m/s2
.
Resolução.
37
2. No ponto P, indicado na figura, a intensidade do campo elétrico produzido pelo dipolo vale
a) 245,2 N/C.
b) 562,5 N/C.
c) 125,3 N/C.
d) 845,4 N/C.
e) 1241,2 N/C.
Resolução.
38
ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 18)
Estudos Disciplinares
Campus: Data: / /
Nome:
RA: Turma:
Anel Eletrizado
A figura acima mostra um anel eletrizado uniformemente com carga Q. A reta Ox representa um eixo perpendicular
ao plano do anel, passando pelo seu centro O. Pode-se mostrar que, em um ponto P desse eixo, situado à distância x
de O, o valor do campo elétrico produzido pela carga Q é dado por .
Dados:
1. A distância x em que o campo elétrico produzido pelo anel é máximo vale
a) 4,0 m. b) 5,7 m. c) 2,8 m. d) 6,5 m. e) 1,3 m.
Resolução.
39
2. Em uma situação em que (x muito maior do que r) o campo elétrico no ponto P é expresso por
a) .
b) .
c) .
d) .
e) 0.
Resolução.
40
ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 19)
Estudos Disciplinares
Campus: Data: / /
Nome:
RA: Turma:
Bastão Eletrizado
O campo elétrico produzido por um corpo eletrizado de formato qualquer, em um ponto P, é dado por .
Na expressão, dQ é um elemento de carga do corpo situado em um ponto O, r é a distância desse elemento de carga
até o ponto P, ou seja , e é um vetor unitário representado por . Como exemplo, vamos supor que
esse corpo seja um bastão de comprimento L, eletrizado uniformemente com carga elétrica Q, conforme ilustrado na
figura acima. Nesse caso, , sendo a densidade linear de carga do bastão e um elemento de seu
comprimento. A densidade linear de carga é calculada por .
Dados:
1. Para o bastão eletrizado esquematizado na figura acima, o campo elétrico produzido no ponto P vale
a) . b) . c) . d) . e) .
Resolução.
41
2. O campo elétrico no ponto P, supondo que distância seja 80 m, vale
a) .
b) .
c) .
d) .
e) .
Resolução.
42
ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 20)
Estudos Disciplinares
Campus: Data: / /
Nome:
RA: Turma:
Esfera Condutora
A figura acima mostra uma esfera maciça condutora, de raio R, eletrizada com carga elétrica Q. O potencial elétrico V
produzido pela esfera em um ponto P, distante r do seu centro, é expresso pela equação . A carga
permanece na superfície da esfera, em equilíbrio eletrostático.
Dados:
1. As distâncias entre as superfícies equipotenciais de 200 V até 400 V, de 400 V até 600 V e de 600 V até 800 V
valem, respectivamente,
a) 225,0 m; 75,0 m; 57,5 m. b) 56,25m; 18,75 m; 14,37 m. c) 112,5 m; 37,5 m; 18,75 m.
d) 37,5 m; 12,5 m; 9,6 m. e) 150,0 m; 50,0 m; 38,3 m.
Resolução.
43
2. O trabalho realizado por um operador, ao transportar uma carga puntiforme da superfície
equipotencial de 200 V até a de 800 V, é igual a
a) 1,2 J.
b) 0,6 J.
c) -2,4 J.
d) -1,2 J.
e) 0,3 J.
Resolução.
44
ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 21)
Estudos Disciplinares
Campus: Data: / /
Nome:
RA: Turma:
Força de Lorentz
Uma partícula de massa e carga elétrica positiva q entra em uma região na qual existem campo elétrico e campo
magnético, ambos uniformes, constantes, perpendiculares entre si e de módulos, respectivamente, E e B. A
magnitude da força peso da partícula ( ) é desprezível se comparada à força elétrica ( ) e à
força magnética ( ). A partícula entra na região com velocidade inicial , de módulo
e direção perpendicular aos campos elétrico e magnético, e desvia-se até atingir, com velocidade nula, a distância
máxima d da reta suporte da velocidade inicial . A partícula volta a aproximar-se dessa reta, de modo que sua
trajetória é uma curva plana, conforme mostrado na figura acima. A força resultante entre a força elétrica e a força
magnética é conhecida como força de Lorentz: .
Dados:
1. A distância d vale
a) 0,05 m. b) 0,02 m. c) 0,10 m. d) 0,15 m. e) 0,04 m.
Resolução.
45
2. A força de Lorentz que atua sobre a partícula no ponto A vale
a) .
b)
c) N.
d) N.
e) .
Resolução.
*
46
ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 22)
Estudos Disciplinares
Campus: Data: / /
Nome:
RA: Turma:
Torque Magnético
A força magnética que atua em um fio reto de comprimento L, percorrido por corrente elétrica de intensidade I e
imerso em uma região onde há campo magnético uniforme , é expressa pela equação . Numa situação
em que o fio forma uma espira, ou seja, a corrente faz um percurso fechado, verifica-se que a espira sofre a ação de
torque magnético dado por . Na expressão, é o momento de dipolo magnético da espira, definido por
, A é a área de sua superfície e é um vetor unitário perpendicular ao seu plano. Como exemplo, a figura
acima mostra uma espira retangular ABCD percorrida por corrente elétrica de intensidade I. A espira está imersa em
uma região na qual atua campo magnético uniforme de intensidade . A espira pode girar em torno do lado CD e é
abandonada na posição ilustrada.
Dados:
1. As forças magnéticas e que atuam nos lados AB e BC da espira valem, respectivamente,
a) e . b) e . c) .
d) . e) .
Resolução.
47
2. O torque magnético que atua sobre a espira é
a) .
b) .
c) .
d) .
e) .
Resolução.
48
ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 23)
Estudos Disciplinares
Campus: Data: / /
Nome:
RA: Turma:
Gelo Derretido
Ao introduzirmos um pedaço de gelo em um copo contendo água, observa-se que, decorrido algum tempo, um dos
seguintes resultados se verifica: (1) nenhuma parte do gelo se funde; (2) todo gelo se funde; (3) parte do gelo se
funde; (4) parte da água se solidifica; (5) toda a água se solidifica. O resultado final vai depender das massas e das
temperaturas iniciais da água e do gelo. Para exemplificar esse fenômeno, são introduzidos 6 g de gelo a -26 ºC em
um recipiente contendo 70 g de água à temperatura de 15 ºC. O calor específico da água é e o do gelo é
. O calor latente de fusão do gelo vale . Desprezam-se a capacidade térmica do recipiente e as trocas
de calor com o ambiente externo.
1. Qual é a temperatura de equilíbrio da mistura?
a) -3,5 ºC. b) 0 c) 2,5 ºC. d) 6,5 ºC. e) 8,5 ºC.
Resolução.
49
2. Adicionando-se à mistura anterior outro pedaço de gelo de massa 15 g à temperatura de -26 ºC, qual será a
temperatura de equilíbrio térmico dessa nova mistura? E a massa restante de gelo?
a) .
b) .
c) .
d) .
e) .
Resolução.
50
ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 24)
Estudos Disciplinares
Campus: Data: / /
Nome:
RA: Turma:
Gás Perfeito
As variáveis de estado de um gás são a pressão P, o volume V e a temperatura T. Um gás é considerado perfeito se
suas variáveis de estado seguem a equação PV=nRT, sendo n seu número de moles e R, a constante universal dos
gases perfeitos. Em um processo termodinâmico no qual o gás troca calor Q e/ou trabalho com o ambiente externo,
ocorre variação de sua energia interna. Aplicando o Princípio de Conservação da Energia, conclui-se que essas
grandezas se relacionam pela equação (Primeira Lei da Termodinâmica). O calor segue a equação
e o trabalho é calculado pela equação . O calor específico do processo termodinâmico é
indicado por . Um exemplo de aplicação da Primeira Lei da Termodinâmica está representado acima, no diagrama P
versus V, em que ocorre uma transição de um gás perfeito, desde um estado inicial A até um estado final B, por meio
de três diferentes processos.
1. O calor trocado pelo gás no processo 2 vale
a) 154 atm.l.
b) 160 atm.l.
c) 176 atm.l.
d) 144 atm.l.
e) 96 atm.l.
51
Resolução.
2. A variação de energia interna que o gás sofre no processo 3 vale
a) 80 atm.l.
b) 96 atm.l.
c) 48 atm.l.
d) 64 atm.l.
e) 36 atm.l.
Resolução.
52
ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 25)
Estudos Disciplinares
Campus: Data: / /
Nome:
RA: Turma:
Ciclo Termodinâmico
Um gás perfeito executa o ciclo termodinâmico representado acima, composto pelos seguintes processos:
(adiabático), (isométrico) e (isotérmico). A tabela abaixo mostra como determinar o calor, o trabalho e a
variação de energia interna dessas transformações termodinâmicas.
Q
(calor) (trabalho) (variação de energia interna)
Isométrica
Isotérmica
Adiabática
1. O trabalho trocado pelo gás no ciclo vale
a) +400,0 J. b) +263,6 J. c) -836,7 J. d) 0. e) +1800 J
53
Resolução.
2. O calor trocado pelo gás no processo vale
a) -2637 J.
b) +8366 J
c) -1800 J
d) +6872 J
e) 0
Resolução.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Resolução do enem folia leite
Resolução do enem folia   leiteResolução do enem folia   leite
Resolução do enem folia leiteKlipton
 
1 lista de_exercicios_do_1_bim_do_3_ano_do_em_eletr_e_forca_de_coulomb
1 lista de_exercicios_do_1_bim_do_3_ano_do_em_eletr_e_forca_de_coulomb1 lista de_exercicios_do_1_bim_do_3_ano_do_em_eletr_e_forca_de_coulomb
1 lista de_exercicios_do_1_bim_do_3_ano_do_em_eletr_e_forca_de_coulombWaldir Montenegro
 
Potencial elétrico e trabalho
Potencial elétrico e trabalhoPotencial elétrico e trabalho
Potencial elétrico e trabalhoO mundo da FÍSICA
 
012 fisica eletrostatica_forca_de_coulomb
012 fisica eletrostatica_forca_de_coulomb012 fisica eletrostatica_forca_de_coulomb
012 fisica eletrostatica_forca_de_coulombJURANDIRBENTES
 
Fisica 3 exercicios gabarito 29
Fisica 3 exercicios gabarito 29Fisica 3 exercicios gabarito 29
Fisica 3 exercicios gabarito 29comentada
 
Trabalho e energia no campo elétrico
Trabalho e energia no campo elétricoTrabalho e energia no campo elétrico
Trabalho e energia no campo elétricoNadine Pacheco
 
Física 2 relatório Circuito RC
Física 2  relatório Circuito RCFísica 2  relatório Circuito RC
Física 2 relatório Circuito RCSabrina Fermano
 
Lista 01 lei-de_coulomb-111
Lista 01 lei-de_coulomb-111Lista 01 lei-de_coulomb-111
Lista 01 lei-de_coulomb-111iagolirapassos
 
Prática de Laboratório - Circuito RL
Prática de Laboratório - Circuito RL Prática de Laboratório - Circuito RL
Prática de Laboratório - Circuito RL Victor Said
 
Questao lei de_coulomb_e_potencial_el_atrico
Questao lei de_coulomb_e_potencial_el_atricoQuestao lei de_coulomb_e_potencial_el_atrico
Questao lei de_coulomb_e_potencial_el_atricoBetine Rost
 
Exercícios forca eletrica
Exercícios forca eletricaExercícios forca eletrica
Exercícios forca eletricaGabriel Valle
 
Pratica 2 - Carga específica do Elétron
Pratica 2 - Carga específica do ElétronPratica 2 - Carga específica do Elétron
Pratica 2 - Carga específica do ElétronElissandro Mendes
 
Atividades de física 3 ano prof waldir montenegro 2014
Atividades de física 3 ano prof waldir  montenegro 2014Atividades de física 3 ano prof waldir  montenegro 2014
Atividades de física 3 ano prof waldir montenegro 2014Waldir Montenegro
 
3. leya prova modelo 2021 enunciado + resolução
3. leya prova modelo 2021 enunciado + resolução3. leya prova modelo 2021 enunciado + resolução
3. leya prova modelo 2021 enunciado + resoluçãoMaria Joao Sargento
 
Exercicios potencial eletrico
Exercicios potencial eletricoExercicios potencial eletrico
Exercicios potencial eletricoAdicleison Véla
 

Mais procurados (19)

Resolução do enem folia leite
Resolução do enem folia   leiteResolução do enem folia   leite
Resolução do enem folia leite
 
301 eletrostatica
301 eletrostatica301 eletrostatica
301 eletrostatica
 
1 lista de_exercicios_do_1_bim_do_3_ano_do_em_eletr_e_forca_de_coulomb
1 lista de_exercicios_do_1_bim_do_3_ano_do_em_eletr_e_forca_de_coulomb1 lista de_exercicios_do_1_bim_do_3_ano_do_em_eletr_e_forca_de_coulomb
1 lista de_exercicios_do_1_bim_do_3_ano_do_em_eletr_e_forca_de_coulomb
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Campo elétrico
 
Potencial elétrico e trabalho
Potencial elétrico e trabalhoPotencial elétrico e trabalho
Potencial elétrico e trabalho
 
012 fisica eletrostatica_forca_de_coulomb
012 fisica eletrostatica_forca_de_coulomb012 fisica eletrostatica_forca_de_coulomb
012 fisica eletrostatica_forca_de_coulomb
 
Fisica 3 exercicios gabarito 29
Fisica 3 exercicios gabarito 29Fisica 3 exercicios gabarito 29
Fisica 3 exercicios gabarito 29
 
Trabalho e energia no campo elétrico
Trabalho e energia no campo elétricoTrabalho e energia no campo elétrico
Trabalho e energia no campo elétrico
 
Física 2 relatório Circuito RC
Física 2  relatório Circuito RCFísica 2  relatório Circuito RC
Física 2 relatório Circuito RC
 
Lista 01 lei-de_coulomb-111
Lista 01 lei-de_coulomb-111Lista 01 lei-de_coulomb-111
Lista 01 lei-de_coulomb-111
 
Circuito rc em série
Circuito rc em sérieCircuito rc em série
Circuito rc em série
 
Prática de Laboratório - Circuito RL
Prática de Laboratório - Circuito RL Prática de Laboratório - Circuito RL
Prática de Laboratório - Circuito RL
 
Questao lei de_coulomb_e_potencial_el_atrico
Questao lei de_coulomb_e_potencial_el_atricoQuestao lei de_coulomb_e_potencial_el_atrico
Questao lei de_coulomb_e_potencial_el_atrico
 
Unidade i física 13
Unidade i física 13Unidade i física 13
Unidade i física 13
 
Exercícios forca eletrica
Exercícios forca eletricaExercícios forca eletrica
Exercícios forca eletrica
 
Pratica 2 - Carga específica do Elétron
Pratica 2 - Carga específica do ElétronPratica 2 - Carga específica do Elétron
Pratica 2 - Carga específica do Elétron
 
Atividades de física 3 ano prof waldir montenegro 2014
Atividades de física 3 ano prof waldir  montenegro 2014Atividades de física 3 ano prof waldir  montenegro 2014
Atividades de física 3 ano prof waldir montenegro 2014
 
3. leya prova modelo 2021 enunciado + resolução
3. leya prova modelo 2021 enunciado + resolução3. leya prova modelo 2021 enunciado + resolução
3. leya prova modelo 2021 enunciado + resolução
 
Exercicios potencial eletrico
Exercicios potencial eletricoExercicios potencial eletrico
Exercicios potencial eletrico
 

Destaque

La innovación de la televisión wendy3 l
La innovación de la televisión wendy3 lLa innovación de la televisión wendy3 l
La innovación de la televisión wendy3 lWendy Rodríguez
 
RANKING CRITERIA OF ENTERPRISE INFORMATION SECURITY ARCHITECTURE USING FUZZY ...
RANKING CRITERIA OF ENTERPRISE INFORMATION SECURITY ARCHITECTURE USING FUZZY ...RANKING CRITERIA OF ENTERPRISE INFORMATION SECURITY ARCHITECTURE USING FUZZY ...
RANKING CRITERIA OF ENTERPRISE INFORMATION SECURITY ARCHITECTURE USING FUZZY ...ijcsit
 
Step 2: Substitute variables into formula
Step 2: Substitute variables into formulaStep 2: Substitute variables into formula
Step 2: Substitute variables into formuladmortalla
 
Optima Helse_level 2
Optima Helse_level 2Optima Helse_level 2
Optima Helse_level 2rune_bertram
 
Folha Dominical - 18.12.11 Nº 403
Folha Dominical - 18.12.11 Nº 403Folha Dominical - 18.12.11 Nº 403
Folha Dominical - 18.12.11 Nº 403Comunidades Vivas
 
Confeccion, 2009
Confeccion, 2009Confeccion, 2009
Confeccion, 2009DNEXT
 
Clipping libertá fevereiro glamour
Clipping libertá   fevereiro glamourClipping libertá   fevereiro glamour
Clipping libertá fevereiro glamourdomingosacervo
 
Folha dominical 26.05.13 nº 475
Folha dominical   26.05.13 nº 475Folha dominical   26.05.13 nº 475
Folha dominical 26.05.13 nº 475Comunidades Vivas
 
Festival 2.014 premiaciones
Festival 2.014 premiacionesFestival 2.014 premiaciones
Festival 2.014 premiacioneslucesitamomo14
 
Folha Dominical - 08.05.11 Nº 374
Folha Dominical - 08.05.11 Nº 374Folha Dominical - 08.05.11 Nº 374
Folha Dominical - 08.05.11 Nº 374Comunidades Vivas
 
Ejercicios tema 2_imagen_digital_fotografia_2_
Ejercicios tema 2_imagen_digital_fotografia_2_Ejercicios tema 2_imagen_digital_fotografia_2_
Ejercicios tema 2_imagen_digital_fotografia_2_yolypadilla
 
SDS SFT WRC-C1 Oct 16
SDS SFT WRC-C1 Oct 16SDS SFT WRC-C1 Oct 16
SDS SFT WRC-C1 Oct 16Rees Westley
 
Folha Dominical - 25.01.15 Nº 554
Folha Dominical - 25.01.15 Nº 554Folha Dominical - 25.01.15 Nº 554
Folha Dominical - 25.01.15 Nº 554Comunidades Vivas
 
Aldelo for restaurants
Aldelo for restaurantsAldelo for restaurants
Aldelo for restaurantsfreealdelopos
 
Folha Dominical - 21.02.10 Nº310
Folha Dominical - 21.02.10 Nº310Folha Dominical - 21.02.10 Nº310
Folha Dominical - 21.02.10 Nº310Comunidades Vivas
 

Destaque (20)

La innovación de la televisión wendy3 l
La innovación de la televisión wendy3 lLa innovación de la televisión wendy3 l
La innovación de la televisión wendy3 l
 
RANKING CRITERIA OF ENTERPRISE INFORMATION SECURITY ARCHITECTURE USING FUZZY ...
RANKING CRITERIA OF ENTERPRISE INFORMATION SECURITY ARCHITECTURE USING FUZZY ...RANKING CRITERIA OF ENTERPRISE INFORMATION SECURITY ARCHITECTURE USING FUZZY ...
RANKING CRITERIA OF ENTERPRISE INFORMATION SECURITY ARCHITECTURE USING FUZZY ...
 
Step 2: Substitute variables into formula
Step 2: Substitute variables into formulaStep 2: Substitute variables into formula
Step 2: Substitute variables into formula
 
Optima Helse_level 2
Optima Helse_level 2Optima Helse_level 2
Optima Helse_level 2
 
Folha Dominical - 18.12.11 Nº 403
Folha Dominical - 18.12.11 Nº 403Folha Dominical - 18.12.11 Nº 403
Folha Dominical - 18.12.11 Nº 403
 
Confeccion, 2009
Confeccion, 2009Confeccion, 2009
Confeccion, 2009
 
Rtp grupo8
Rtp grupo8Rtp grupo8
Rtp grupo8
 
RM120_e
RM120_eRM120_e
RM120_e
 
Cumpleaños marzo
Cumpleaños marzoCumpleaños marzo
Cumpleaños marzo
 
Clipping libertá fevereiro glamour
Clipping libertá   fevereiro glamourClipping libertá   fevereiro glamour
Clipping libertá fevereiro glamour
 
College essays
College essaysCollege essays
College essays
 
Folha dominical 26.05.13 nº 475
Folha dominical   26.05.13 nº 475Folha dominical   26.05.13 nº 475
Folha dominical 26.05.13 nº 475
 
Festival 2.014 premiaciones
Festival 2.014 premiacionesFestival 2.014 premiaciones
Festival 2.014 premiaciones
 
Presentac..
Presentac..Presentac..
Presentac..
 
Folha Dominical - 08.05.11 Nº 374
Folha Dominical - 08.05.11 Nº 374Folha Dominical - 08.05.11 Nº 374
Folha Dominical - 08.05.11 Nº 374
 
Ejercicios tema 2_imagen_digital_fotografia_2_
Ejercicios tema 2_imagen_digital_fotografia_2_Ejercicios tema 2_imagen_digital_fotografia_2_
Ejercicios tema 2_imagen_digital_fotografia_2_
 
SDS SFT WRC-C1 Oct 16
SDS SFT WRC-C1 Oct 16SDS SFT WRC-C1 Oct 16
SDS SFT WRC-C1 Oct 16
 
Folha Dominical - 25.01.15 Nº 554
Folha Dominical - 25.01.15 Nº 554Folha Dominical - 25.01.15 Nº 554
Folha Dominical - 25.01.15 Nº 554
 
Aldelo for restaurants
Aldelo for restaurantsAldelo for restaurants
Aldelo for restaurants
 
Folha Dominical - 21.02.10 Nº310
Folha Dominical - 21.02.10 Nº310Folha Dominical - 21.02.10 Nº310
Folha Dominical - 21.02.10 Nº310
 

Semelhante a Aps eletricidade e calor

Basica campo e potencial
Basica campo e potencialBasica campo e potencial
Basica campo e potencialrodrigoateneu
 
Aula Eletr Magn 15.pdf
Aula Eletr Magn 15.pdfAula Eletr Magn 15.pdf
Aula Eletr Magn 15.pdfPedroNkadilu
 
Lista 17 eletrostatica 2
Lista 17 eletrostatica 2Lista 17 eletrostatica 2
Lista 17 eletrostatica 2rodrigoateneu
 
Exame unificado de física 2011 2 solution
Exame unificado de física 2011 2  solutionExame unificado de física 2011 2  solution
Exame unificado de física 2011 2 solution17535069649
 
Exame unificado de física 2011 2 solution
Exame unificado de física 2011 2  solutionExame unificado de física 2011 2  solution
Exame unificado de física 2011 2 solutionMarcosPacheco65
 
Eletrostatica aula sonorizadas
Eletrostatica   aula  sonorizadasEletrostatica   aula  sonorizadas
Eletrostatica aula sonorizadasAdriano Capilupe
 
Fisica eletrostatica campo_eletrico_exercicios
Fisica eletrostatica campo_eletrico_exerciciosFisica eletrostatica campo_eletrico_exercicios
Fisica eletrostatica campo_eletrico_exerciciosJURANDIRBENTES
 
Ddp e corrente elétrica
Ddp e corrente elétrica Ddp e corrente elétrica
Ddp e corrente elétrica Paloma
 
Princípios de eletricidade estática
Princípios de eletricidade estáticaPrincípios de eletricidade estática
Princípios de eletricidade estáticaDavi Oliveira
 
Lista 2(gauss)
Lista 2(gauss)Lista 2(gauss)
Lista 2(gauss)Saci Manco
 
Exame unificado de fisica 2012 2 - solution
Exame unificado de fisica 2012 2 - solutionExame unificado de fisica 2012 2 - solution
Exame unificado de fisica 2012 2 - solutionMarcosPacheco65
 
Exame unificado de fisica 2012 2 - solution
Exame unificado de fisica 2012 2 - solutionExame unificado de fisica 2012 2 - solution
Exame unificado de fisica 2012 2 - solution17535069649
 
Exercicios de potencial eletrico e trabalho
Exercicios de potencial eletrico e trabalhoExercicios de potencial eletrico e trabalho
Exercicios de potencial eletrico e trabalhoEstude Mais
 
Ufba 2000.1 prova 1° etapa
Ufba 2000.1 prova 1° etapaUfba 2000.1 prova 1° etapa
Ufba 2000.1 prova 1° etapaMichele Castro
 
Questao energia e_trabalho
Questao energia e_trabalhoQuestao energia e_trabalho
Questao energia e_trabalhoBetine Rost
 
Questoes resolvidas exame unificado de fisica 2014 2
Questoes resolvidas exame unificado de fisica 2014 2Questoes resolvidas exame unificado de fisica 2014 2
Questoes resolvidas exame unificado de fisica 2014 217535069649
 

Semelhante a Aps eletricidade e calor (20)

Basica campo e potencial
Basica campo e potencialBasica campo e potencial
Basica campo e potencial
 
Aula Eletr Magn 15.pdf
Aula Eletr Magn 15.pdfAula Eletr Magn 15.pdf
Aula Eletr Magn 15.pdf
 
Lista 17 eletrostatica 2
Lista 17 eletrostatica 2Lista 17 eletrostatica 2
Lista 17 eletrostatica 2
 
Exame unificado de física 2011 2 solution
Exame unificado de física 2011 2  solutionExame unificado de física 2011 2  solution
Exame unificado de física 2011 2 solution
 
Exame unificado de física 2011 2 solution
Exame unificado de física 2011 2  solutionExame unificado de física 2011 2  solution
Exame unificado de física 2011 2 solution
 
Eletrostatica aula sonorizadas
Eletrostatica   aula  sonorizadasEletrostatica   aula  sonorizadas
Eletrostatica aula sonorizadas
 
Lei-de-Gauss-.pdf
Lei-de-Gauss-.pdfLei-de-Gauss-.pdf
Lei-de-Gauss-.pdf
 
Fisica eletrostatica campo_eletrico_exercicios
Fisica eletrostatica campo_eletrico_exerciciosFisica eletrostatica campo_eletrico_exercicios
Fisica eletrostatica campo_eletrico_exercicios
 
Ddp e corrente elétrica
Ddp e corrente elétrica Ddp e corrente elétrica
Ddp e corrente elétrica
 
Princípios de eletricidade estática
Princípios de eletricidade estáticaPrincípios de eletricidade estática
Princípios de eletricidade estática
 
Lista 2(gauss)
Lista 2(gauss)Lista 2(gauss)
Lista 2(gauss)
 
Ita2001 parte 001
Ita2001 parte 001Ita2001 parte 001
Ita2001 parte 001
 
Fisica 2014 tipo_a
Fisica 2014 tipo_aFisica 2014 tipo_a
Fisica 2014 tipo_a
 
Exame unificado de fisica 2012 2 - solution
Exame unificado de fisica 2012 2 - solutionExame unificado de fisica 2012 2 - solution
Exame unificado de fisica 2012 2 - solution
 
Exame unificado de fisica 2012 2 - solution
Exame unificado de fisica 2012 2 - solutionExame unificado de fisica 2012 2 - solution
Exame unificado de fisica 2012 2 - solution
 
Fisica 2014 tipo_c
Fisica 2014  tipo_cFisica 2014  tipo_c
Fisica 2014 tipo_c
 
Exercicios de potencial eletrico e trabalho
Exercicios de potencial eletrico e trabalhoExercicios de potencial eletrico e trabalho
Exercicios de potencial eletrico e trabalho
 
Ufba 2000.1 prova 1° etapa
Ufba 2000.1 prova 1° etapaUfba 2000.1 prova 1° etapa
Ufba 2000.1 prova 1° etapa
 
Questao energia e_trabalho
Questao energia e_trabalhoQuestao energia e_trabalho
Questao energia e_trabalho
 
Questoes resolvidas exame unificado de fisica 2014 2
Questoes resolvidas exame unificado de fisica 2014 2Questoes resolvidas exame unificado de fisica 2014 2
Questoes resolvidas exame unificado de fisica 2014 2
 

Último

AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024Consultoria Acadêmica
 
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdfAulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdfMateusSerraRodrigues1
 
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAMMODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAMCassio Rodrigo
 
Estatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalEstatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalleandroladesenvolvim
 
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxConsultoria Acadêmica
 
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptx
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptxResistencias dos materiais I - Tensao.pptx
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptxjuliocameloUFC
 

Último (6)

AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
 
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdfAulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
 
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAMMODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
 
Estatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalEstatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animal
 
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
 
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptx
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptxResistencias dos materiais I - Tensao.pptx
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptx
 

Aps eletricidade e calor

  • 1. 34 ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 16) Estudos Disciplinares Campus: Data: / / Nome: RA: Turma: Equilíbrio de Três Cargas A força elétrica de interação entre duas cargas puntiformes q1 e q2, distantes entre si de r, obedece à lei de Coulomb, representada pela equação: . Na expressão, é um vetor unitário paralelo à reta que une as duas cargas. Sendo as cargas de mesmo sinal ( ), elas se repelem. Sendo as cargas de sinais opostos ( ), elas se atraem. Como exemplo de aplicação dessa lei, a figura acima mostra três cargas elétricas puntiformes, q1, q2 e q3, fixas, formando um triângulo com lados de comprimentos a, b e c. Dados: 1. A intensidade da força elétrica resultante que atua na carga q3 vale a) 6,62 N. b) 3,60 N. c) 3,37 N. d) 8,96 N. e) 1,62 N. Resolução. Sugestão: utilize a lei dos cossenos.
  • 2. 35 2. O ângulo que a força elétrica resultante atuante sobre a carga q3 faz com o lado de comprimento c do triângulo vale aproximadamente a) . b) . c) . d) . e) . Resolução. Sugestão: utilize a lei dos cossenos.
  • 3. 36 ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 17) Estudos Disciplinares Campus: Data: / / Nome: RA: Turma: Dipolo Elétrico Um dipolo elétrico de cargas –Q e +Q, separadas pela distância d, é mantido fixo, conforme mostrado na figura abaixo. Uma partícula de massa m e carga elétrica q é posicionada em um ponto P, situado à distância x, medida a partir do centro do dipolo, e, a seguir, é liberada. Não considerar a ação do campo de gravidade local. Dados: 1. No instante em que é liberada, a partícula possui aceleração de a) 2,8 m/s2 . b) 1,2 m/s2 . c) 0,6 m/s2 . d) 5,4 m/s2 . e) 7,2 m/s2 . Resolução.
  • 4. 37 2. No ponto P, indicado na figura, a intensidade do campo elétrico produzido pelo dipolo vale a) 245,2 N/C. b) 562,5 N/C. c) 125,3 N/C. d) 845,4 N/C. e) 1241,2 N/C. Resolução.
  • 5. 38 ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 18) Estudos Disciplinares Campus: Data: / / Nome: RA: Turma: Anel Eletrizado A figura acima mostra um anel eletrizado uniformemente com carga Q. A reta Ox representa um eixo perpendicular ao plano do anel, passando pelo seu centro O. Pode-se mostrar que, em um ponto P desse eixo, situado à distância x de O, o valor do campo elétrico produzido pela carga Q é dado por . Dados: 1. A distância x em que o campo elétrico produzido pelo anel é máximo vale a) 4,0 m. b) 5,7 m. c) 2,8 m. d) 6,5 m. e) 1,3 m. Resolução.
  • 6. 39 2. Em uma situação em que (x muito maior do que r) o campo elétrico no ponto P é expresso por a) . b) . c) . d) . e) 0. Resolução.
  • 7. 40 ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 19) Estudos Disciplinares Campus: Data: / / Nome: RA: Turma: Bastão Eletrizado O campo elétrico produzido por um corpo eletrizado de formato qualquer, em um ponto P, é dado por . Na expressão, dQ é um elemento de carga do corpo situado em um ponto O, r é a distância desse elemento de carga até o ponto P, ou seja , e é um vetor unitário representado por . Como exemplo, vamos supor que esse corpo seja um bastão de comprimento L, eletrizado uniformemente com carga elétrica Q, conforme ilustrado na figura acima. Nesse caso, , sendo a densidade linear de carga do bastão e um elemento de seu comprimento. A densidade linear de carga é calculada por . Dados: 1. Para o bastão eletrizado esquematizado na figura acima, o campo elétrico produzido no ponto P vale a) . b) . c) . d) . e) . Resolução.
  • 8. 41 2. O campo elétrico no ponto P, supondo que distância seja 80 m, vale a) . b) . c) . d) . e) . Resolução.
  • 9. 42 ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 20) Estudos Disciplinares Campus: Data: / / Nome: RA: Turma: Esfera Condutora A figura acima mostra uma esfera maciça condutora, de raio R, eletrizada com carga elétrica Q. O potencial elétrico V produzido pela esfera em um ponto P, distante r do seu centro, é expresso pela equação . A carga permanece na superfície da esfera, em equilíbrio eletrostático. Dados: 1. As distâncias entre as superfícies equipotenciais de 200 V até 400 V, de 400 V até 600 V e de 600 V até 800 V valem, respectivamente, a) 225,0 m; 75,0 m; 57,5 m. b) 56,25m; 18,75 m; 14,37 m. c) 112,5 m; 37,5 m; 18,75 m. d) 37,5 m; 12,5 m; 9,6 m. e) 150,0 m; 50,0 m; 38,3 m. Resolução.
  • 10. 43 2. O trabalho realizado por um operador, ao transportar uma carga puntiforme da superfície equipotencial de 200 V até a de 800 V, é igual a a) 1,2 J. b) 0,6 J. c) -2,4 J. d) -1,2 J. e) 0,3 J. Resolução.
  • 11. 44 ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 21) Estudos Disciplinares Campus: Data: / / Nome: RA: Turma: Força de Lorentz Uma partícula de massa e carga elétrica positiva q entra em uma região na qual existem campo elétrico e campo magnético, ambos uniformes, constantes, perpendiculares entre si e de módulos, respectivamente, E e B. A magnitude da força peso da partícula ( ) é desprezível se comparada à força elétrica ( ) e à força magnética ( ). A partícula entra na região com velocidade inicial , de módulo e direção perpendicular aos campos elétrico e magnético, e desvia-se até atingir, com velocidade nula, a distância máxima d da reta suporte da velocidade inicial . A partícula volta a aproximar-se dessa reta, de modo que sua trajetória é uma curva plana, conforme mostrado na figura acima. A força resultante entre a força elétrica e a força magnética é conhecida como força de Lorentz: . Dados: 1. A distância d vale a) 0,05 m. b) 0,02 m. c) 0,10 m. d) 0,15 m. e) 0,04 m. Resolução.
  • 12. 45 2. A força de Lorentz que atua sobre a partícula no ponto A vale a) . b) c) N. d) N. e) . Resolução. *
  • 13. 46 ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 22) Estudos Disciplinares Campus: Data: / / Nome: RA: Turma: Torque Magnético A força magnética que atua em um fio reto de comprimento L, percorrido por corrente elétrica de intensidade I e imerso em uma região onde há campo magnético uniforme , é expressa pela equação . Numa situação em que o fio forma uma espira, ou seja, a corrente faz um percurso fechado, verifica-se que a espira sofre a ação de torque magnético dado por . Na expressão, é o momento de dipolo magnético da espira, definido por , A é a área de sua superfície e é um vetor unitário perpendicular ao seu plano. Como exemplo, a figura acima mostra uma espira retangular ABCD percorrida por corrente elétrica de intensidade I. A espira está imersa em uma região na qual atua campo magnético uniforme de intensidade . A espira pode girar em torno do lado CD e é abandonada na posição ilustrada. Dados: 1. As forças magnéticas e que atuam nos lados AB e BC da espira valem, respectivamente, a) e . b) e . c) . d) . e) . Resolução.
  • 14. 47 2. O torque magnético que atua sobre a espira é a) . b) . c) . d) . e) . Resolução.
  • 15. 48 ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 23) Estudos Disciplinares Campus: Data: / / Nome: RA: Turma: Gelo Derretido Ao introduzirmos um pedaço de gelo em um copo contendo água, observa-se que, decorrido algum tempo, um dos seguintes resultados se verifica: (1) nenhuma parte do gelo se funde; (2) todo gelo se funde; (3) parte do gelo se funde; (4) parte da água se solidifica; (5) toda a água se solidifica. O resultado final vai depender das massas e das temperaturas iniciais da água e do gelo. Para exemplificar esse fenômeno, são introduzidos 6 g de gelo a -26 ºC em um recipiente contendo 70 g de água à temperatura de 15 ºC. O calor específico da água é e o do gelo é . O calor latente de fusão do gelo vale . Desprezam-se a capacidade térmica do recipiente e as trocas de calor com o ambiente externo. 1. Qual é a temperatura de equilíbrio da mistura? a) -3,5 ºC. b) 0 c) 2,5 ºC. d) 6,5 ºC. e) 8,5 ºC. Resolução.
  • 16. 49 2. Adicionando-se à mistura anterior outro pedaço de gelo de massa 15 g à temperatura de -26 ºC, qual será a temperatura de equilíbrio térmico dessa nova mistura? E a massa restante de gelo? a) . b) . c) . d) . e) . Resolução.
  • 17. 50 ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 24) Estudos Disciplinares Campus: Data: / / Nome: RA: Turma: Gás Perfeito As variáveis de estado de um gás são a pressão P, o volume V e a temperatura T. Um gás é considerado perfeito se suas variáveis de estado seguem a equação PV=nRT, sendo n seu número de moles e R, a constante universal dos gases perfeitos. Em um processo termodinâmico no qual o gás troca calor Q e/ou trabalho com o ambiente externo, ocorre variação de sua energia interna. Aplicando o Princípio de Conservação da Energia, conclui-se que essas grandezas se relacionam pela equação (Primeira Lei da Termodinâmica). O calor segue a equação e o trabalho é calculado pela equação . O calor específico do processo termodinâmico é indicado por . Um exemplo de aplicação da Primeira Lei da Termodinâmica está representado acima, no diagrama P versus V, em que ocorre uma transição de um gás perfeito, desde um estado inicial A até um estado final B, por meio de três diferentes processos. 1. O calor trocado pelo gás no processo 2 vale a) 154 atm.l. b) 160 atm.l. c) 176 atm.l. d) 144 atm.l. e) 96 atm.l.
  • 18. 51 Resolução. 2. A variação de energia interna que o gás sofre no processo 3 vale a) 80 atm.l. b) 96 atm.l. c) 48 atm.l. d) 64 atm.l. e) 36 atm.l. Resolução.
  • 19. 52 ICET – CURSO: Engenharia Ciclo Básico (Eletricidade e Calor - Ficha 25) Estudos Disciplinares Campus: Data: / / Nome: RA: Turma: Ciclo Termodinâmico Um gás perfeito executa o ciclo termodinâmico representado acima, composto pelos seguintes processos: (adiabático), (isométrico) e (isotérmico). A tabela abaixo mostra como determinar o calor, o trabalho e a variação de energia interna dessas transformações termodinâmicas. Q (calor) (trabalho) (variação de energia interna) Isométrica Isotérmica Adiabática 1. O trabalho trocado pelo gás no ciclo vale a) +400,0 J. b) +263,6 J. c) -836,7 J. d) 0. e) +1800 J
  • 20. 53 Resolução. 2. O calor trocado pelo gás no processo vale a) -2637 J. b) +8366 J c) -1800 J d) +6872 J e) 0 Resolução.