Jardim de Infância de Cepães
Marinhas
PROJETO E REGIMENTO
DO
JARDIM DE INFÂNCIA
“A EDUCAÇÃO NÃO TRANSFORMA O MUNDO.
A EDUC...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
2
Índice
1-Introdução .......................................
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
3
1-Introdução
O Jardim de Infância situa-se no lugar de C...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
4
2-Objectivos
Este documento tem como objetivo proporcion...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
5
As inscrições no Jardim de Infância e a renovação de mat...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
6
informação do currículo, procurando dar corpo ao desejo ...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
7
4.1.6 – Reuniões de pais
A primeira reunião de pais real...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
8
O lanche é da inteira responsabilidade dos pais, embora ...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
9
 No caso de estes não serem localizados, recorrerá aos ...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
10
Todas as visitas de estudo a realizar fora desse períme...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
11
criar um acordo sobre o futuro possível e de definir um...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
12
As Educadoras em exercício elaboram uma avaliação indiv...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
13
A tutela ao nível dos edifícios e equipamentos é assegu...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
14
6.5 – Suporte documental
Deverá existir no Jardim de In...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
15
7.2 – Normas de funcionamento
Desde a hora de abertura ...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
16
Brincar é o “aparelho digestivo” do pensamento. Liga a ...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
17
8- Cuidar da sua saúde tendo em atenção a sua alimentaç...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
18
9. Os pais têm o direito a assistência material das ent...
Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância
19
educativas especiais.
8. Os pais não podem exigir aos f...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Projeto e regimento

772 visualizações

Publicada em

Projeto de trabalho do Jardim de Infância- princípios e normas de funcionamento

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
772
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
299
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto e regimento

  1. 1. Jardim de Infância de Cepães Marinhas PROJETO E REGIMENTO DO JARDIM DE INFÂNCIA “A EDUCAÇÃO NÃO TRANSFORMA O MUNDO. A EDUCAÇÃO MUDA PESSOAS. AS PESSOAS TRANSFORMAM O MUNDO” PAULO FEIRE
  2. 2. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 2 Índice 1-Introdução ......................................................................................................................................... 3 2-Objectivos ......................................................................................................................................... 4 2.1 – População Escolar ..................................................................................................................4 2.2 – Corpo docente .........................................................................................................................4 2.3 – Corpo não docente..................................................................................................................4 3 – Funcionamento do Jardim de Infância.......................................................................................... 4 3.1 – Inscrições no Jardim de Infância (período de inscrições, documentos a apresentar, prioridades de admissão) ................................................................................................................4 3.2 – Oferta Educativa.....................................................................................................................5 4- Funcionamento................................................................................................................................. 6 4.1-Calendário Escolar....................................................................................................................6 4.1.2 – Horário de funcionamento do Jardim de Infância.........................................................6 4.2 -Faltas ..........................................................................................................................................7 4.3 -Seguro escolar ...........................................................................................................................7 4.4 – Lanche ......................................................................................................................................7 4.5 – Saúde.........................................................................................................................................8 4.7. Visitas de estudo........................................................................................................................9 4.8 – Horário de entrada...............................................................................................................10 4.9-Objetos trazidos de casa ........................................................................................................10 5- Organização Pedagógica ............................................................................................................... 10 5.1- Projeto Curricular..................................................................................................................10 5.2 - Plano Anual de Atividades...................................................................................................11 5.3 – Divulgação das atividades ...................................................................................................11 5.4 – Avaliação das crianças.........................................................................................................11 5.5 -Apoio Educativo .....................................................................................................................12 5.6 – Parcerias.................................................................................................................................12 6 - Órgão de gestão ............................................................................................................................ 12 6.1- Administração.........................................................................................................................12 6.2.-Coordenadora de estabelecimento.......................................................................................13 6.3 – Representação dos Pais/encarregados de educação ........................................................13 6.4 – Financiamento do Jardim de Infância ..............................................................................13 6.5 – Suporte documental .............................................................................................................14 7 – Componente de Apoio à Família ................................................................................................ 14 7.1 – Horário de funcionamento ..................................................................................................14 7.2 – Normas de funcionamento ..................................................................................................15 7.3 – Crianças que beneficiam dos serviços ...............................................................................15 7.4 – Gestão financeira..................................................................................................................15 7.5 – Transporte .............................................................................................................................15 8- Direitos e deveres .......................................................................................................................... 15 8.1-Direitos e deveres das crianças.............................................................................................. 15 8.2 -Deveres das crianças ..............................................................................................................16 8.2- Direitos e deveres dos pais ....................................................................................................17 9 - Disposições finais......................................................................................................................... 19
  3. 3. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 3 1-Introdução O Jardim de Infância situa-se no lugar de Cepães, próximo da praia, da freguesia das Marinhas, que está integrada no perímetro urbano de Esposende, a funcionar numa antiga escola do primeiro ciclo onde existia uma sala de Jardim-de-infância. Este Estabelecimento de Educação inscreve os seus princípios a partir da Lei de Bases do Sistema Educativo e a Lei-quadro da Educação Pré-Escolar. Pela abrangência que oferece e a forma como pensa a sua actividade educativa tem como referência os seguintes princípios pedagógicos:  Promover o desenvolvimento pessoal e social da criança com base em experiências de vida democrática, numa perspectiva de educação para a cidadania;  Constituir-se como um espaço de construção e reconstrução da cultura local, numa perspectiva de educação comunitária, tendo as crianças como pivôs desse desenvolvimento.  Incentivar a participação das famílias no processo educativo e estabelecer relações de efetiva colaboração com a comunidade Assim, “a educação para e em democracia”, constitui o eixo estruturante da acção educativa, exigindo por isso um projeto curricular de escola, co construído com a comunidade, no sentido de o tornar solidário com os reais problemas da mesma. Desta forma, assumem-se como temas geradores da ação educativa, os seguintes problemas:  Saúde, Ambiente, Continuidade Educativa, Prevenção, Paz e direitos humanos, Solidariedade e respeito pela diferença. Com as crianças, com a família e com a comunidade deseja-se iniciar uma transformação das sociedades futuras de forma a que seja mais solidária, empreendedora e qualificada.
  4. 4. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 4 2-Objectivos Este documento tem como objetivo proporcionar a toda a comunidade educativa uma forma de comunicação reguladora da ação a desenvolver pelo conjunto da instituição. Nesse sentido orienta-se a partir dos princípios e objetivos do Projeto Educativo e Projeto Curricular do Agrupamento de Escola das Marinhas. Assim pressupõe uma ação educativa negociada entre o Jardim de Infância e os seus parceiros, de modo a integrar as diferentes formas de pensar e materializar a ação educativa, de maneira a reforçar o espírito democrático, eixo estruturador da vida desta Instituição. Este documento constitui um conjunto de direitos e deveres que a todos, crianças, pais, educadores e comunidade, cabe cumprir e fazer cumprir. 2.1 – População Escolar O Jardim de Infância de Cepães - Marinhas tem capacidade para receber 70 ou 75 crianças conforma a existência de crianças com NEE 2.2 – Corpo docente O corpo Docente deste Jardim de Infância, é constituído por 3 educadoras do quadro de Escola. 2.3 – Corpo não docente O corpo não docente é composto por uma Assistente Operacional pertencente ao quadro do Ministério de Educação e duas da Câmara Municipal. Uma vez que AO do ME se encontra de atestado médico, o seu lugar está a ser assegurado por uma CEI que terminará o contrato no mês de Março. 3 – Funcionamento do Jardim de Infância 3.1 – Inscrições no Jardim de Infância (período de inscrições, documentos a apresentar, prioridades de admissão)
  5. 5. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 5 As inscrições no Jardim de Infância e a renovação de matrículas, estão abertas de 1 de Janeiro a 20 de Junho do ano lectivo anterior àquele a que a matrícula respeita. São aceites inscrições de crianças que completem 3 anos de idade até 31de Dezembro. As crianças que completarem 3 anos entre 15 de Setembro e 31 de Dezembro serão consideradas condicionais e ordenadas de acordo com as prioridades definidas pelo Despacho n.º 13 170/2009, de 4 de junho e Despacho n.º 6258/2011, de 11 de Abril , sendo a respetiva frequência garantida caso exista vaga à data do início das actividades. Documentos necessários para a inscrição:  Cédula pessoal ou cartão de cidadão  Boletim de Vacinas  Fotocópia do Cartão de Utente  Cartão de Beneficiário  Declaração médica  Fotografia tipo passe  As inscrições efetuam-se na secretaria da Eb2,3 das Marinhas e as renovações efetuam- se no Jardim de Infância, de 1 a 20 de Junho. 3.2 – Oferta Educativa Existem neste Jardim de Infância 3 salas de actividades. Os grupos de alunos são distribuídos por critérios de heterogeneidade cronológica potenciadora de conflito cognitivo e ainda um trabalho cooperado entre crianças mais novas e mais velhas. Sempre que possível, dá-se importância à continuidade pedagógica. A ação pedagógica deste Jardim de Infância inscreve-se no quadro das Orientações curriculares, definidas pelo ministério da Educação, despacho nº 5220/97, de 10 de Julho, D.R. nº178, II série, de 4 de Agosto e nas Metas Curriculares do Ministério de Educação como documento de referência de gestão curricular para todos os intervenientes no processo. Para além destes documentos orientadores, a primeira preocupação do Corpo Docente é fazer com que as crianças se sintam felizes e com vontade de aprender, proporcionando-lhes condições de bem-estar e de segurança, sendo eles os grandes impulsionadores de toda a ação. No sentido de procurar ser coerente com os princípios definidos pelo conjunto de documentos legais que lhe dão suporte, este Projeto cria estratégicas a partir das quais se deseja dar um contributo para a transformação da realidade local. Logo a dinâmica da ação educativa desenha- se tendo como pressuposto uma intervenção a diferentes níveis, socorrendo-se, por isso, de uma abordagem de carácter ecológico. Em congruência com o que se tem vindo a definir, as famílias e as instituições da comunidade são chamadas a constituíram-se como fonte de
  6. 6. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 6 informação do currículo, procurando dar corpo ao desejo de, em conjunto, construir e reconstruir o projecto de vida desta Instituição de forma contextualizada à comunidade local. As atividades de Animação de Apoio à Família constituem ainda uma oferta de apoio social às famílias e são asseguradas, em consonância com as Educadoras deste Jardim de Infância, a Junta de Freguesia e uma Instituição Particular de Segurança Social (JUM) 4- Funcionamento 4.1-Calendário Escolar O Calendário Escolar deste Jardim de Infância é definido por despacho anual do Ministério de Educação que poderá sofrer ajustamentos depois de ouvidos os pais, encarregados de educação e autarquias, na primeira reunião de pais do início do ano letivo. 4.1.2 – Horário de funcionamento do Jardim de Infância O Jardim de Infância está aberto das 7.30h às 19.30h. 4.1.3 – Horário das Educadoras O horário letivo das Educadoras de Infância é: Período da manhã -9h-12h Período da tarde-13.30h- 15.30h O horário não lectivo é distribuído por 2 horas semanais de coordenação das atividades de Animação de Apoio à Família e atendimento aos pais. As restantes 8h são distribuídas por reuniões, preparação de material, planificações, registos de observações, avaliações. 4.1.4 – Horário das Auxiliares O horário das auxiliares é definido de acordo com o horário do Jardim de Infância, de modo a que dê resposta à necessidade dos pais e ao bom funcionamento desta Instituição, não ultrapassando as 7h diárias para as da Câmara Municipal e 8h para a do ME. 4.1.5 – Atendimento aos pais O atendimento aos pais é realizado das 15.30h às 16.30 na primeira terça-feira de cada mês As Educadoras estão disponíveis para atendimento aos pais fora dos dias acordados, desde que sejam avisadas atempadamente.
  7. 7. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 7 4.1.6 – Reuniões de pais A primeira reunião de pais realiza-se nos primeiros 10 dias do mês de Setembro para informações relativas à abertura e organização do ano escolar Durante o ano realizam-se reuniões gerais, sempre que haja motivo que o justifique e /ou sempre que for do interesse dos pais e encarregados de educação. 4.2 -Faltas 4.2.1 – Faltas do Pessoal Docente Sempre que uma Educadora falte, uma Auxiliar fica com a guarda das crianças, proporcionando apenas atividades de entretenimento, com o supervisionamento duma Educadora em exercício e até que a Direção do Agrupamento disponibilize recursos ou haja substituição. Em caso excecional, quando não existir nenhuma Educadora no Jardim de Infância, as crianças ficarão nas Instituições que asseguram a Componente de Apoio à Família. As crianças não inscritas nessa instituição terão que permanecer em casa. 4.2.3 – Faltas do pessoal não docente O regime de faltas e licenças das auxiliares é o mesmo que rege a administração pública. As Auxiliares têm direito a faltar e sempre que o façam, o serviço será distribuído pelas que se encontrão em exercício. 4.2.4 – Faltas das crianças Sempre que a criança falte, o encarregado de educação deverá avisar a Educadora. 4.3 -Seguro escolar As crianças que frequentam o Jardim de Infância da rede pública estão abrangidas pelo Seguro Escolar no tempo e local da atividade escolar. Estão também abrangidas nas visitas de estudo devidamente autorizadas. No início do ano escolar são entregues aos pais, o resumo das normas do Seguro Escolar, podendo ser consultado o documento na íntegra, no Jardim de Infância. Também no início do ano os pais assinam autorização para saídas dentro do perímetro da freguesia ou cidade a que pertence o Jardim de Infância. Sempre que haja uma saída para fora do mesmo ou realização de Colónia Balnear, os encarregados de Educação tomam conhecimento e assinam a respetiva autorização. 4.4 – Lanche
  8. 8. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 8 O lanche é da inteira responsabilidade dos pais, embora as educadoras sensibilizem as crianças e a família para práticas saudáveis. 4.4.1-Leite Escolar Através do programa de leite escolar é garantida a distribuição diária e gratuita de um pacote de leite por criança que frequenta o estabelecimento público de educação pré-escolar. O leite será distribuído no lanche da manhã e o número de pacotes distribuídos diariamente será registado em mapa próprio. Uma Educadora será responsável pela gestão do stock de leite existente, pela verificação das condições de acondicionamento e armazenamento e da entrega do mapa dos registos diários, nos serviços administrativos do Agrupamento 4.5 – Saúde No caso de epidemia ou situações análogas, a Coordenadora do Jardim de Infância avisará a Direção do Agrupamento e cumprirá as ordens superiores. No caso da criança apresentar alguma necessidade de cuidados específicos, é dever dos pais/encarregados de educação dar conhecimento desse facto à Educadora no inicio da frequência no Jardim de Infância. Essa referência deverá constar na ficha de inscrição, acompanhada dos respetivos relatórios médicos. 4.6.1 – Doença das crianças Sempre que se verifique algum sinal de doença, os pais/encarregados de educação serão informados. Caso a situação seja urgente, os pais deverão tomar, de imediato, medidas com vista a retirar a criança do estabelecimento e a conduzi-la aos serviços de saúde. As crianças atingidas por doença contagiosa devem suspender a frequência no Jardim de Infância. Os pais/encarregados de educação têm obrigação de comunicar a situação à educadora ou coordenadora de estabelecimento. O reinício de frequência só deverá acontecer quando a criança estiver completamente curada 4.6.2-Casos de emergência Em caso de alguma ocorrência/acidente ou doença súbita que exija observação médica e tratamento imediato a Educadora tomará as medidas que se seguem:  Entrará em contacto com os pais/encarregados de educação;
  9. 9. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 9  No caso de estes não serem localizados, recorrerá aos serviços hospitalares, solicitando uma ambulância. Neste caso a criança será acompanhada por um adulto, conforme decisão da coordenadora de estabelecimento. Logo que possível os encarregados de educação serão informados da ocorrência e das medidas tomadas 4.6.3- Administração de medicamentos Só serão administrados medicamentos que impliquem várias tomas diárias e em que estas coincidam com horas de permanência no Jardim de Infância. Os medicamentos devem estar sempre identificados pelos pais/encarregados de educação, com letra legível, referindo a hora a que devem ser tomados e a quantidade que deve ser administrada, assim como devem ser entregues a um adulto. Se isto não acontecer o medicamento não será administrado à criança. Os medicamentos são da total responsabilidade dos pais/ encarregados de educação. Sempre que se tratar de um antibiótico, este terá de ser acompanhado com cópia da receita médica. 4.6.4 – Alergias As crianças que sofram de qualquer tipo de alergia, necessitando de algum cuidado especial, devem trazer uma declaração médica confirmando a alergia e os cuidados a ter. 4.6.5 – Surtos parasitários Caso seja detetado nas crianças a existência de parasitas (piolhos, etc.) os pais/encarregados de educação deverão ser avisados de imediato, para que procedem ao devido tratamento/desinfestação. As crianças atingidas só deverão regressar ao Jardim de Infância quando o problema ficar resolvido. 4.7. Visitas de estudo De acordo com o Plano Anual de Atividades e Projetos Curriculares, sempre que se considerar oportuno, serão efetuadas Visitas de Estudo com as crianças. Todas as visitas de estudo efetuadas dentro do perímetro da freguesia e cidade, não necessitam de autorização pontual, pois os pais/encarregados de educação assinam no início do ano, um termo de responsabilidade, autorizando essas saídas.
  10. 10. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 10 Todas as visitas de estudo a realizar fora desse perímetro e que impliquem transporte, terão de ser autorizadas e assinadas pelos pais/encarregados de educação, em impresso fornecido pelo estabelecimento. As autorizações deverão ser entregues até à data estipulada, antes da sua realização, caso contrário considera-se que a criança não tem autorização para participar nas mesmas. O Jardim de Infância não pode assegurar o acompanhamento das crianças cujos pais/encarregados de educação não autorizem a participação na visita de Estudo, desde que o número de crianças participantes seja igual ou superior a 50%. 4.8 – Horário de entrada No período da manhã a entrada deverá ser realizada até às 9.30h, para não prejudicar o normal desenvolvimento das atividades e para não dificultar a integração das crianças nas mesmas. A partir desta hora o portão será encerrado por razões de segurança, sendo necessário tocar à campainha e esperar a abertura do mesmo. 4.9-Objetos trazidos de casa As crianças devem ter na sala, uma muda de roupa para eventuais necessidades, um chapéu ou boné. Usar bata é facultativo no entanto nenhuma criança será privada de participar nas atividades da sala por falta de proteção do vestuário; cada sala possuiu aventais para este tipo de atividades. As crianças deverão vir limpas e asseadas para o Jardim de Infância, com roupa prática e com o mínimo de adereços, não se responsabilizando este estabelecimento pelos danos ou perda destes. O Jardim de Infância não se responsabiliza pelo desaparecimento ou destruição de brinquedos ou objetos de valor trazidos pelas crianças. 5- Organização Pedagógica 5.1- Projeto Curricular “ O Projeto surge da necessidade de «fazer qualquer coisa» para alterar uma situação que é considerada como não desejada (.…) Outras vezes o Projeto corresponde a uma necessidade de construir uma resposta coerente, eficaz e pragmática a uma dificuldade do presente ou a um desafio do futuro, em função de objetivos precisos. Neste caso, o projeto surge da necessidade de
  11. 11. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 11 criar um acordo sobre o futuro possível e de definir uma estratégia adequada para o atingir” – (João Barroso) Tendo como base estes princípios, o Projeto de Escola é elaborado por 4 anos, após o levantamento dos problemas e necessidades do meio, das crianças e da instituição. Este Projeto trabalho tem em conta a continuidade e articulação com o Projeto Educativo do Agrupamento de Escolas. O Projeto Curricular de grupo/turma é elaborado por cada Educadora, em cada ano letivo, tendo em conta a caracterização do seu grupo de crianças, as suas necessidades e interesses e de forma articulada com o Projeto de Escola. 5.2 - Plano Anual de Atividades O Plano Anual de Atividades deve ser um documento eficaz de gestão do Projeto Curricular de Escola, por isso é elaborado de acordo com os objetivos do projeto, tendo a colaboração dos pais e encarregados de educação e de todos os intervenientes. É afixado no Jardim de Infância para consulta. 5.3 – Divulgação das atividades Existe neste Jardim de Infância um caderno individual de correspondência, entre o Jardim de Infância e a família, onde se registam os momentos mais significativos do trabalho realizado, quer na sala quer no Jardim de Infância; o caderno serve também para enviar avisos e outro tipo de mensagens que os pais e/ou educadoras, julguem necessário. Este Jardim-de-infância tem também um blogue onde se divulga as atividades conjuntas de maior relevância 5.4 – Avaliação das crianças “ Só uma avaliação cuidada será capaz de permitir uma educação minimamente rigorosa, pois jamais seremos capazes de avaliar, se não soubermos, de antemão, o que pretendemos que as crianças atinjam, qual o processo do ato educativo que esperamos ou gizamos” (Vitorino Costa) Os encarregados de educação participam na avaliação dos seus educandos através da troca de informações, na participação das atividades, na observação dos trabalhos realizados.
  12. 12. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 12 As Educadoras em exercício elaboram uma avaliação individual, descritiva, que fica arquivada no Jardim de Infância e que é consultada pelos pais no final de cada período. Além da avaliação individual, as Educadoras fazem o registo de observações que julguem pertinente para a avaliação. Quando as crianças estão abrangidas pela modalidade de educação especial, são elaborados programas e planos individuais em conjunto com os encarregados de educação. Os critérios de avaliação são definidos pelo Conselho Pedagógico do Agrupamento, sobe proposta do Conselho de Docentes, de acordo com o Regulamento Interno do Agrupamento) 5.5 -Apoio Educativo Quando existem crianças com NEE, cabe à Direção do Agrupamento a distribuição de horas letivas à Educadora de Educação Especial, de acordo com as necessidades do estabelecimento. Quando existem crianças com apoio da ELI7, cabe a este organismo a distribuição do horário. A Educadora de Educação Especial ou outro técnico de apoio, deverá integrar-se no Projeto Curricular de Escola e no Projeto Curricular de Grupo/ Turma, desenvolvendo um trabalho de parceria com todos os intervenientes do processo. 5.6 – Parcerias A constituição de parcerias, no âmbito do Projeto Curricular deste Jardim de Infância visa desenvolver uma ação da gestão dos recursos humanos e materiais e ainda a colaboração na programação e planificação da ação educativa, como forma de contribuir para a construção de um conhecimento mutuo. O conhecimento produzido entre as diferentes instituições deseja-se devolvido à comunidade mais alargada, no sentido de, com a mesma, construir um conhecimento mais atualizado e mais consciente. Deste modo, este jardim de Infância constitui parceria com as várias instituições culturais e recreativas da comunidade e outras que por iniciativa própria ou por solicitação dos docentes, possam colaborar na concretização do projeto 6 - Órgão de gestão 6.1- Administração A tutela Pedagógica do Jardim de Infância é assegurada pelo Ministério de Educação.
  13. 13. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 13 A tutela ao nível dos edifícios e equipamentos é assegurada pela Autarquia. O Jardim-de-infância é gerido, a nível pedagógico pela Coordenadora de Estabelecimento com a orientação do Agrupamento de Escolas das Marinhas que o tutela a nível administrativo. 6.2.-Coordenadora de estabelecimento A Coordenadora de estabelecimento é nomeada pelo Diretor do Agrupamento por 4 anos e as suas competências e deveres estão estabelecidos no Regulamento Interno do Agrupamento de Escolas das Marinhas. 6.3 – Representação dos Pais/encarregados de educação De acordo com o Decreto-lei 115-A/98, é garantido o direito de participação dos pais e encarregados de educação, na vida da escola, concretizando-se essa participação através da organização e colaboração em iniciativas que visem a melhoria da qualidade das aprendizagens das crianças. Os representantes dos pais são eleitos na primeira reunião de pais, sendo um representante por cada sala e respetivo suplente. O resultado da eleição é comunicada à direção do Agrupamento juntamente com a entrega da ata dessa mesma reunião. Este Jardim de Infância tem uma Associação de Pais que foi legalmente constituída no final do ano letivo 2004/05 e reúne sempre que necessário, nas instalações deste estabelecimento de educação. 6.4 – Financiamento do Jardim de Infância O Jardim de Infância é financiado pelo Ministério de Educação com uma verba repartida por dois semestres, estabelecida de acordo com o número de crianças que frequenta o jardim de Infância, publicada em Diário da Republica anualmente. A Câmara Municipal atribui uma verba por criança que é depositada no Agrupamento e a gestão da mesma é da responsabilidade de cada educadora. A Associação de Pais recebe donativos dos pais/encarregados de educação e que parte do mesmo reverte na compra de material, organização de atividades, visitas de estudo e prendas para dias festivos.
  14. 14. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 14 6.5 – Suporte documental Deverá existir no Jardim de Infância, em suporte de papel ou digital:  Mapas de frequência (suporte digital)  Atas das reuniões de pais  Atas das reuniões da componente de Apoio á Família  Inventário atualizado (no final do ano)  Registo de mapas do leite (suporte digital)  Regulamento Interno do Agrupamento (suporte digital)  Projeto Educativo e Projeto Curricular do Agrupamento (suporte digital)  Regimento Interno do Jardim de Infância  Projetos curriculares de turma (suporte digital)  Relatório de avaliação (por sala, no final do ano)  Plano Anual de Atividades 7 – Componente de Apoio à Família Segundo a Lei-quadro nº5/97 de 10 de Fevereiro, para além dos períodos específicos para desenvolvimento das atividades pedagógicas, curriculares ou letivas, existem atividades de animação e apoio à família, de acordo com as suas necessidades (art.12º) Dada a flexibilidade do Currículo na Educação Pré-escolar, que atende aos interesses e necessidades das crianças, dever-se-á ter em atenção este facto na organização da componente de Apoio à família, devendo ser marcada por um processo educativo informal em que a criança tenha liberdade de escolher o que deseja fazer. As Educadoras deste Jardim de Infância, em conjunto com os responsáveis e educadoras da instituição que têm a seu cargo esta componente, reúnem no início do ano letivo para planificação das atividades, de modo a que haja articulação e coerência entre os diferentes tempos vividos pelas crianças. Reúnem ainda para avaliação e reformulação das atividades no final de cada período. 7.1 – Horário de funcionamento A componente de apoio à família funciona das 7.30h às 9h; das 12h às 13.30h para serviço de almoço e das 15.30h às 19.30h.
  15. 15. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 15 7.2 – Normas de funcionamento Desde a hora de abertura até às 9h, as crianças estão à responsabilidade das e nas instituições nas quais estão inscritas (Junta de Freguesia e JUM).  O almoço realiza-se na cantina do Jardim de Infância para todas as crianças;  O apoio ao almoço é prestado por duas funcionárias da Junta de Freguesia e duas funcionárias da JUM,  No final de almoço e até à hora de início das atividades letivas, a CAF é partilhada pelas duas instituições em que duas funcionárias realizam atividades com as crianças e outras procedem à limpeza da sala de refeições. 7.3 – Crianças que beneficiam dos serviços Junta de freguesia: Refeições-21 AAAF-16 JUM: Refeições - 43 AAAF-40 7.4 – Gestão financeira A gestão financeira é da responsabilidade das instituições que a promovem. 7.5 – Transporte O transporte das crianças realiza-se em parceria com a autarquia e JUM 8- Direitos e deveres 8.1-Direitos e deveres das crianças “1. As crianças têm direito a brincar todos os dias. Na escola, entre as aulas e ao longo delas (sempre que o professor for capaz de pôr brincar a rimar com aprender). Em casa e ao ar livre – no quarto como num parque – sob o olhar, discreto, dos seus pais. Brincar só ao fim de semana não é brincar: é pôr uma agenda no lugar do coração. 2. As crianças têm direito a exigir brincar como o principal de todos as deveres. As crianças têm o direito a defender a primazia do brincar sobre todas as tarefas. 3. As crianças têm direito a unir brincar com aprender.
  16. 16. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 16 Brincar é o “aparelho digestivo” do pensamento. Liga a imaginação com tudo o que se aprende. Quem não brinca imita, repete, fabula, falseia ou finge. Mas zanga-se, sem redenção, com o aprender! 4. As crianças têm direito a não saber brincar. Brincar é uma sabedoria que nunca se detém: inventa-se, descobre-se, deslinda-se, desvenda-se. Brincar é confiar: no desconhecido, no que se brinca, com quem se brinca. Crianças sossegadinhas são brinquedos à espera dos pais para brincar. 5. As crianças têm direito a descobrir que os melhores brinquedos são os pais. Apesar disso, têm direito a requisitar tudo o que entendam para brincar. Têm direito a brincar com as almofadas, com caixas de cartão, com os dedos, e com tudo mais que entendam, por mais que sejam ou não sejam objetos convencionados para brincar. Tudo aquilo que não serve para brincar não presta para descobrir e com brinquedos de mãos brinca-se de menos. 6. As crianças têm o direito a desarrumar todos os brinquedos (e a arrumá-los, de seguida, com um toque… pessoal). Têm direito a desmanchar os que forem mais misteriosos, mais rezingões ou, até, os divertidos. Quando brincam, têm direito a ter a vista na ponta dos dedos, a cheirar, a sentir, a falar, a rir ou a chorar. Não há, por isso, brinquedos maus! A não ser aqueles que servem para afastar as pessoas com quem se pode brincar. 7. As crianças têm direito a brincar para sempre A Infância nunca morre: apenas adormece. E quem, crescimento fora, se desencontra do brincar, não perceberá, jamais, que não há crianças se não houver brincar.” Eduardo Sá 8.2 -Deveres das crianças 1- Respeitar os pais, familiares, educadores e todo o pessoal do Jardim de Infância 2- Cumprir as regras que, juntos com as educadoras, elaboram 3- Participar da convivência familiar e escolar 4- Respeitar todas as pessoas independentemente da raça, cor, sexo ou religião 5- Preservar o material e todo o espaço do Jardim de Infância 6- Ser solidário 7- Partilhar os brinquedos e o lanche com quem não tem
  17. 17. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 17 8- Cuidar da sua saúde tendo em atenção a sua alimentação e tratar da higiene pessoal 8.2- Direitos e deveres dos pais 1. Os pais têm o direito de criar os filhos sem discriminação de cor da pele, origem étnica, nacionalidade, credo, sexo ou extrato económico. Os pais têm o dever de incutir nos filhos o sentido da responsabilidade, de modo a permitir a construção de uma sociedade mais humana. 2. Os pais têm o direito ao reconhecimento da sua primazia como educadores dos filhos. Os pais têm o dever de educar os filhos de modo responsável e de não os negligenciar. 3. Os pais têm o direito de proporcionar aos filhos o pleno acesso ao sistema educativo, com base nas suas necessidades, capacidades e méritos. Os pais têm o dever de se envolver pessoalmente na educação escolar dos filhos. 4. Os pais têm o direito de acesso a toda a informação que as escolas possuam relativamente aos seus filhos. Os pais têm o dever de prestar às escolas frequentadas pelos seus filhos toda a informação necessária para que se atinjam os objetivos educativos comuns. 5. Os pais têm o direito de escolher a educação mais adequada às suas convicções e valores que considerem importantes para a educação dos seus filhos. Os pais têm o dever de fazer uma escolha bem informada e consciente da educação que desejam dar aos seus filhos. 6. Os pais têm o direito de ver respeitados pelo sistema educativo formal o conteúdo espiritual e cultural da educação que dão aos seus filhos. Os pais têm o dever de ensinar os seus filhos a respeitar e a aceitar os outros e as suas convicções. 7. Os pais têm o direito de exercer influência na política implementada pela escola dos seus filhos. Os pais têm o dever de se envolverem pessoalmente na vida das escolas frequentadas pelos seus filhos, dado que aqueles constituem um elemento vital da comunidade local 8. Os pais e as suas associações têm o direito de ser consultados ativamente sobre a política das autoridades públicas em matéria de educação, a todos os níveis. Os pais têm o dever de ter organizações representativas e democráticas para defesa dos seus interesses
  18. 18. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 18 9. Os pais têm o direito a assistência material das entidades públicas, quando motivos de ordem financeira impedir o acesso dos seus filhos ao ensino. Os pais têm o dever de consagrar tempo e de se envolverem pessoalmente na educação dos seus filhos, bem como de apoiar as suas escolas para que os seus objetivos educativos sejam atingidos 10. Os pais têm o direito de exigir às autoridades públicas responsáveis um ensino de alta qualidade. Os pais têm o dever de se apoiar entre si, no sentido de melhorarem as suas capacidades como primeiros educadores e parceiros na relação família/escola - EPA (European Parents Association – Associação Europeia de Pais) “1. É proibido insultar o jardim-de-infância chamando-lhe “escolinha”. Em primeiro lugar, porque é uma escola. Em segundo, porque todas as escolas ganhavam se ligassem brincar com aprender. 2. É proibido que os pais imaginem que o jardim de infância serve para aprender a ler e a contar. Ele é útil para aprender a descobrir os sentimentos. Para aprender a imaginar e a fantasiar. Para aprender com o corpo, com a música e com a pintura. E para brincar. Uma criança que não brinque deve preocupar mais os pais do que se ela fizer uma ou outra birra, pela manhã, ao chegar. 3. O jardim-de-infância assusta as crianças sempre que os pais – como quem sossega nelas os medos deles por mais um dia de jardim de infância – lhes repetem: “hoje vai tudo correr bem!” 4. Os pais estão proibidos de despedir-se muitas vezes das crianças, ao chegarem todos os dias. E é bom que se decidam: ou ficam contentes por elas correrem para os amigos ou ficam contentes por elas se agarrarem ao pescoço deles, como se estivessem prestes a ser abandonadas para sempre. Já os pais que, secretamente, gostam das duas coisas são bons amigos dos maus pais… 5. É proibido que as crianças vão dia sim dia não ao jardim de infância. E que vão, simplesmente quando os seus caprichos infantis vão de férias. E que não vão “só porque sim”. O jardim-de- infância não é um trabalho para os mais pequenos. É uma bela oportunidade para os pais não se esquecerem que se pode amar o conhecimento, namorar com a vida, nunca ser feliz sozinho e brincar, ao mesmo tempo. 6. No jardim-de-infância não tem de ser obrigatório comer até à última colher; nem dormir todos os dias. E não é nada mau que uma criança se baralhe e chame mãe à educadora (ou vice-versa). Só é mau que sofra todos os dias, meses a fio, sempre que se trata de lá ficar. 7. Os pais estão obrigados a chegar a horas quando se trata de uma criança regressar a casa. Prometer e faltar devia dar direito a que os pais fossem classificados como tendo necessidades
  19. 19. Projeto Curricular de Escola/ Regulamento do Jardim de Infância 19 educativas especiais. 8. Os pais não podem exigir aos filhos relatórios de cada dia de jardim de infância. Mas estão autorizados a ficar preocupados se as crianças forem ficando mais resmungonas, mais tristonhas ou, até, mais aflitas, sempre que regressam de lá. E estão, ainda, autorizados a proibir que o jardim-de-infância só se abra para eles durante as festas ou sempre que uma criança esteja doente. 9. O jardim-de-infância é uma escola de pais. E um lugar onde os educadores são educados pelas crianças. Um lugar onde todos se educam uns aos outros não é uma escola como as outras. É um jardim-de-infância.” - Eduardo Sá 9 - Disposições finais 1- Este regulamento interno é parte integrante do Regulamento interno do Agrupamento Vertical de Escolas das Marinhas; 2- Deve ser do conhecimento de todos os pais e encarregados de educação, de todo o pessoal docente e não docente deste Jardim de Infância podendo ser consultado sempre que seja solicitado ao órgão de gestão; 3- Estará afixado no Jardim de Infância, em local de fácil consulta e será divulgado no blogue; 4- Todos os casos omissos devem ser decididos pelos órgãos de administração e gestão do Agrupamento de Escolas, respeitando os normativos legais.

×