SlideShare uma empresa Scribd logo

Introdução ao estudo da teoria musical

Partitura de Banda
Partitura de Banda
Partitura de BandaCABO em Partitura de Banda

Publicado - Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus Assunto - Apostila Página - 22

Introdução ao estudo da teoria musical

1 de 22
Baixar para ler offline
Elaborado para
Orquestra Filarmônica
lewi Pethrus
Prof. Dalmir de Veras
Introdução ao Estudo da
Teoria Elementar da Música
Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 2
Propriedades musicais do som
Pautado Musical
Pentagrama Linhas e espaços suplementares
Pautado musical onde se escreve
música, palavra grega: penta = cinco,
grama = linha. Daí derivam-se as cinco
linhas e por conseqüência quatro
espaços.
São linhas que servem para representar
os sons mais graves e mais agudos que a
pentagrama não permite. Estas linhas ou
espaços suplementares chamam-se:
Superiores - quando acima
Inferiores - quando abaixo
Música
É a arte de manifestar os diversos afetos
de nossa alma mediante o som.
Som
É tudo que impressiona o órgão auditivo,
resulta do choque de dois ou mais corpos.
Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 3
Valores indicadores da altura do som
Os valores indicadores da altura do som são sete:
DO, RÉ, MI, FÁ, SOL, LÁ, SI
Valores indicadores da duração do som
São sinais que indicam a duração dos sons. Os valores mais usados na
escrita musical moderna são sete:
Semibreve: é o maior valor de duração.
Mínima: indica duração igual a 1/2 da semibreve;
Semínima: indica duração igual a 1/4 da semibreve;
Colcheia: indica duração igual a 1/8 da semibreve;
Semicolcheia: indica duração igual a 1/16 da semibreve;
Fusa: indica duração igual a 1/32 da semibreve;
Semifusa: indica duração igual a 1/64 da semibreve.
Pausas
São sinais que indicam a duração do silêncio. As pausas mais usadas na
escrita musical moderna são sete também, correspondentes aos seus
valores:
Valor
Pausa
Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 4
Claves
São sinais que dão nome as notas indicando o seu exato grau de
entonação. São oito, representando-se com três figuras:
Sol Fá Do
aparece na 2ª linha pode aparecer nas 3ª, 4ª
e 5ª linhas
pode aparecer na 1ª, 2ª,
3ª e 4ª linhas
Vejamos alguns exemplos de utilização das claves:
Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 5
Compasso
É a divisão da música em séries regulares de tempos. Compasso é pois
uma reunião de tempos.
Fórmula do compasso
São dois números, que indicam: a unidade de tempo e o número de
tempos do compasso.
Tempos
São movimentos que fixam a duração absoluta dos valores
Modo de indicação da fórmula do compasso
Os compassos são formulados com números sobrepostos ou com letras.
O numero superior da formula do compasso indica a quantidade e o
inferior qualidade dos valores
Quantidade
Nos compassos simples, indica-se a quantidade com os números:
2 binário
3 ternário
4 quaternário
5 quinário
7 setenário
Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 6
Qualidade
Tanto no compasso simples como no composto
1 2 4 8 16 32 64
Compasso simples Compasso composto
Quando cada tempo é indicado por um
valor simples, dando uma subdivisão
binária em seus tempos.
É uma reunião de tempos ternários, isto
é, aquele que tem como unidade de
tempo um valor composto.
Tempos binários ou simples Tempos ternários ou compostos
Quando são indicados por um valor
simples, resultando uma subdivisão
binária.
Quando são indicados por um valor
composto, resultando uma subdivisão
ternária.
Unidade de tempo
No compasso simples é o valor que indica a qualidade.
Tempos fortes Tempos fracos
São os mais acentuados São os que recebem menor acentuação
Acentuação dos Compassos
Compasso 1º Tempo 2º Tempo 3º Tempo 4º Tempo
Binário Forte Fraco
Ternário Forte Fraco Fraco
Quaternário Forte Fraco Meio Forte Fraco
Anúncio

Recomendados

Apostila Teoria Musical
Apostila Teoria MusicalApostila Teoria Musical
Apostila Teoria Musicalroseandreia
 
Teoria musical
Teoria musicalTeoria musical
Teoria musicalOMAESTRO
 
Teoria musical
Teoria musicalTeoria musical
Teoria musicalssstela
 
Evangelização - Apostila de Música - Teoria Musical Infantil
Evangelização - Apostila de Música - Teoria Musical InfantilEvangelização - Apostila de Música - Teoria Musical Infantil
Evangelização - Apostila de Música - Teoria Musical InfantilAntonino Silva
 
Apostila de teoria musical - Princípios básicos da música - Jorge Nobre
Apostila  de teoria musical - Princípios básicos da música - Jorge NobreApostila  de teoria musical - Princípios básicos da música - Jorge Nobre
Apostila de teoria musical - Princípios básicos da música - Jorge NobrePartitura de Banda
 
Caderno de exercicios_mts_-_respondido
Caderno de exercicios_mts_-_respondidoCaderno de exercicios_mts_-_respondido
Caderno de exercicios_mts_-_respondidojoilsonmaciel
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila teoria musical - Conhecimento Básico - Clailton França
Apostila teoria musical - Conhecimento Básico - Clailton FrançaApostila teoria musical - Conhecimento Básico - Clailton França
Apostila teoria musical - Conhecimento Básico - Clailton FrançaPartitura de Banda
 
Apostila de violao
Apostila de violaoApostila de violao
Apostila de violaoJúlio Rocha
 
Gramatica Teoria Musical
Gramatica Teoria MusicalGramatica Teoria Musical
Gramatica Teoria MusicalHOME
 
Teoria musical para crianças
Teoria musical para criançasTeoria musical para crianças
Teoria musical para criançasneilcraveiro
 
Apostila-2012-aprenda-ler-uma-partitura-pdf
 Apostila-2012-aprenda-ler-uma-partitura-pdf Apostila-2012-aprenda-ler-uma-partitura-pdf
Apostila-2012-aprenda-ler-uma-partitura-pdfGuilherme Pereira
 
Apostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musicalApostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musicaljaconiasmusical
 
Instrumentação - seção ritmica (base) - Disc. Arranjos e Transcrições
Instrumentação - seção ritmica (base) - Disc. Arranjos e TranscriçõesInstrumentação - seção ritmica (base) - Disc. Arranjos e Transcrições
Instrumentação - seção ritmica (base) - Disc. Arranjos e TranscriçõesMarcos Filho
 
Apostila de Teoria Musical
Apostila de Teoria MusicalApostila de Teoria Musical
Apostila de Teoria MusicalMarcelo Mello
 
apostila-de-musicalizacao-infantil
 apostila-de-musicalizacao-infantil apostila-de-musicalizacao-infantil
apostila-de-musicalizacao-infantilAlexandre Araujo
 
Caderno de exercicios mts adulto (1)
Caderno de exercicios mts adulto (1)Caderno de exercicios mts adulto (1)
Caderno de exercicios mts adulto (1)Carlos Silva
 
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2Henrique Antunes
 

Mais procurados (20)

Intervalos
IntervalosIntervalos
Intervalos
 
Apostila teoria musical - Conhecimento Básico - Clailton França
Apostila teoria musical - Conhecimento Básico - Clailton FrançaApostila teoria musical - Conhecimento Básico - Clailton França
Apostila teoria musical - Conhecimento Básico - Clailton França
 
Apostila de violao
Apostila de violaoApostila de violao
Apostila de violao
 
Apostila de violão - Módulo Iniciante
Apostila de violão - Módulo InicianteApostila de violão - Módulo Iniciante
Apostila de violão - Módulo Iniciante
 
Gramatica Teoria Musical
Gramatica Teoria MusicalGramatica Teoria Musical
Gramatica Teoria Musical
 
Teoria musical
Teoria musicalTeoria musical
Teoria musical
 
Escalas maiores e menores
Escalas maiores e menoresEscalas maiores e menores
Escalas maiores e menores
 
Teoria musical para crianças
Teoria musical para criançasTeoria musical para crianças
Teoria musical para crianças
 
Apostila-2012-aprenda-ler-uma-partitura-pdf
 Apostila-2012-aprenda-ler-uma-partitura-pdf Apostila-2012-aprenda-ler-uma-partitura-pdf
Apostila-2012-aprenda-ler-uma-partitura-pdf
 
Curso de violao
Curso de violaoCurso de violao
Curso de violao
 
Apostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musicalApostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musical
 
Apostila de Violão - Grupo SIM
Apostila de Violão - Grupo SIMApostila de Violão - Grupo SIM
Apostila de Violão - Grupo SIM
 
Lenguaje Musical
Lenguaje MusicalLenguaje Musical
Lenguaje Musical
 
Instrumentação - seção ritmica (base) - Disc. Arranjos e Transcrições
Instrumentação - seção ritmica (base) - Disc. Arranjos e TranscriçõesInstrumentação - seção ritmica (base) - Disc. Arranjos e Transcrições
Instrumentação - seção ritmica (base) - Disc. Arranjos e Transcrições
 
Apostila de Teoria Musical
Apostila de Teoria MusicalApostila de Teoria Musical
Apostila de Teoria Musical
 
apostila-de-musicalizacao-infantil
 apostila-de-musicalizacao-infantil apostila-de-musicalizacao-infantil
apostila-de-musicalizacao-infantil
 
Caderno de exercicios mts adulto (1)
Caderno de exercicios mts adulto (1)Caderno de exercicios mts adulto (1)
Caderno de exercicios mts adulto (1)
 
Abc musical
Abc musicalAbc musical
Abc musical
 
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
 
Modos Gregos
Modos GregosModos Gregos
Modos Gregos
 

Destaque

Apostila Curso de Harmonia - Moisés Brasil Maciel
Apostila Curso de Harmonia - Moisés Brasil MacielApostila Curso de Harmonia - Moisés Brasil Maciel
Apostila Curso de Harmonia - Moisés Brasil MacielPartitura de Banda
 
Apostila de teoria musical básica - Miguel Urtado
Apostila de teoria musical básica - Miguel UrtadoApostila de teoria musical básica - Miguel Urtado
Apostila de teoria musical básica - Miguel UrtadoPartitura de Banda
 
Apostila teoria musical fundamental i - Alberto Damián
Apostila teoria musical fundamental i - Alberto DamiánApostila teoria musical fundamental i - Alberto Damián
Apostila teoria musical fundamental i - Alberto DamiánPartitura de Banda
 
Apostila de educação musical - 6º ano ensino fundamentl
Apostila de educação musical - 6º ano ensino fundamentlApostila de educação musical - 6º ano ensino fundamentl
Apostila de educação musical - 6º ano ensino fundamentlPartitura de Banda
 
A embocadura eficiente para o músico trompetista
A embocadura eficiente para o músico trompetistaA embocadura eficiente para o músico trompetista
A embocadura eficiente para o músico trompetistaPartitura de Banda
 
A improvisação no choro processos harmônicos e suas influências.pdf
A improvisação no choro   processos harmônicos e suas influências.pdfA improvisação no choro   processos harmônicos e suas influências.pdf
A improvisação no choro processos harmônicos e suas influências.pdfPartitura de Banda
 
A salsa como ferramenta pedagógica para o estudo do ritmo no contexto da per...
A salsa como ferramenta pedagógica para o estudo do ritmo no contexto da per...A salsa como ferramenta pedagógica para o estudo do ritmo no contexto da per...
A salsa como ferramenta pedagógica para o estudo do ritmo no contexto da per...Partitura de Banda
 
Exercícios de respiração para instrumentistas de metal
Exercícios de respiração para instrumentistas de metalExercícios de respiração para instrumentistas de metal
Exercícios de respiração para instrumentistas de metalPartitura de Banda
 
Campo harmonico da escala maior natural
Campo harmonico da escala maior naturalCampo harmonico da escala maior natural
Campo harmonico da escala maior naturalPartitura de Banda
 
Formas Musicais - José Siqueira
Formas Musicais - José SiqueiraFormas Musicais - José Siqueira
Formas Musicais - José SiqueiraPartitura de Banda
 
Como tirar uma música de ouvido?
Como tirar uma música de ouvido?Como tirar uma música de ouvido?
Como tirar uma música de ouvido?Partitura de Banda
 
Apostila parte II - Teoria Musical Estruturação e Linguagem MusicaLl
Apostila parte II - Teoria Musical Estruturação e Linguagem MusicaLlApostila parte II - Teoria Musical Estruturação e Linguagem MusicaLl
Apostila parte II - Teoria Musical Estruturação e Linguagem MusicaLlPartitura de Banda
 
Da capo por uma abordagem integral no ensino de instrumentos de banda - artigo
Da capo   por uma abordagem integral no ensino de instrumentos de banda - artigoDa capo   por uma abordagem integral no ensino de instrumentos de banda - artigo
Da capo por uma abordagem integral no ensino de instrumentos de banda - artigoPartitura de Banda
 
Pequeno guia prático para o regente de banda
Pequeno guia prático para o regente de bandaPequeno guia prático para o regente de banda
Pequeno guia prático para o regente de bandaPartitura de Banda
 

Destaque (20)

Apostila modos gregos
Apostila modos gregosApostila modos gregos
Apostila modos gregos
 
Apostila de teoria musical
Apostila de teoria musicalApostila de teoria musical
Apostila de teoria musical
 
Apostila Curso de Harmonia - Moisés Brasil Maciel
Apostila Curso de Harmonia - Moisés Brasil MacielApostila Curso de Harmonia - Moisés Brasil Maciel
Apostila Curso de Harmonia - Moisés Brasil Maciel
 
Apostila de teoria musical básica - Miguel Urtado
Apostila de teoria musical básica - Miguel UrtadoApostila de teoria musical básica - Miguel Urtado
Apostila de teoria musical básica - Miguel Urtado
 
Apostila teoria musical fundamental i - Alberto Damián
Apostila teoria musical fundamental i - Alberto DamiánApostila teoria musical fundamental i - Alberto Damián
Apostila teoria musical fundamental i - Alberto Damián
 
Apostila de educação musical - 6º ano ensino fundamentl
Apostila de educação musical - 6º ano ensino fundamentlApostila de educação musical - 6º ano ensino fundamentl
Apostila de educação musical - 6º ano ensino fundamentl
 
A embocadura eficiente para o músico trompetista
A embocadura eficiente para o músico trompetistaA embocadura eficiente para o músico trompetista
A embocadura eficiente para o músico trompetista
 
A improvisação no choro processos harmônicos e suas influências.pdf
A improvisação no choro   processos harmônicos e suas influências.pdfA improvisação no choro   processos harmônicos e suas influências.pdf
A improvisação no choro processos harmônicos e suas influências.pdf
 
A salsa como ferramenta pedagógica para o estudo do ritmo no contexto da per...
A salsa como ferramenta pedagógica para o estudo do ritmo no contexto da per...A salsa como ferramenta pedagógica para o estudo do ritmo no contexto da per...
A salsa como ferramenta pedagógica para o estudo do ritmo no contexto da per...
 
Exercícios de respiração para instrumentistas de metal
Exercícios de respiração para instrumentistas de metalExercícios de respiração para instrumentistas de metal
Exercícios de respiração para instrumentistas de metal
 
Campo harmonico da escala maior natural
Campo harmonico da escala maior naturalCampo harmonico da escala maior natural
Campo harmonico da escala maior natural
 
Bíblia para afinar bateria
Bíblia para afinar bateriaBíblia para afinar bateria
Bíblia para afinar bateria
 
Formas Musicais - José Siqueira
Formas Musicais - José SiqueiraFormas Musicais - José Siqueira
Formas Musicais - José Siqueira
 
Como tirar uma música de ouvido?
Como tirar uma música de ouvido?Como tirar uma música de ouvido?
Como tirar uma música de ouvido?
 
Apostila parte II - Teoria Musical Estruturação e Linguagem MusicaLl
Apostila parte II - Teoria Musical Estruturação e Linguagem MusicaLlApostila parte II - Teoria Musical Estruturação e Linguagem MusicaLl
Apostila parte II - Teoria Musical Estruturação e Linguagem MusicaLl
 
Da capo por uma abordagem integral no ensino de instrumentos de banda - artigo
Da capo   por uma abordagem integral no ensino de instrumentos de banda - artigoDa capo   por uma abordagem integral no ensino de instrumentos de banda - artigo
Da capo por uma abordagem integral no ensino de instrumentos de banda - artigo
 
Book do Carnaval Piston
Book do Carnaval PistonBook do Carnaval Piston
Book do Carnaval Piston
 
Book do Carnaval Vocal
Book do Carnaval VocalBook do Carnaval Vocal
Book do Carnaval Vocal
 
150 american jazz standarts
150 american jazz standarts150 american jazz standarts
150 american jazz standarts
 
Pequeno guia prático para o regente de banda
Pequeno guia prático para o regente de bandaPequeno guia prático para o regente de banda
Pequeno guia prático para o regente de banda
 

Semelhante a Introdução ao estudo da teoria musical

Livro digital paulo zuben
Livro digital paulo zubenLivro digital paulo zuben
Livro digital paulo zubenRogerio Lima
 
metodo Teoria musical
metodo Teoria musicalmetodo Teoria musical
metodo Teoria musicalSaulo Gomes
 
2 aula notao_musical_e_digitao
2 aula notao_musical_e_digitao2 aula notao_musical_e_digitao
2 aula notao_musical_e_digitaoSaulo Gomes
 
Apostila Iniciação Musical.pdf
Apostila Iniciação Musical.pdfApostila Iniciação Musical.pdf
Apostila Iniciação Musical.pdfRenato Monteiro
 
Introdução à Música
Introdução à MúsicaIntrodução à Música
Introdução à MúsicaIvanilson Lima
 
Em guia de estudo de Educação Musical
Em guia de estudo de Educação MusicalEm guia de estudo de Educação Musical
Em guia de estudo de Educação MusicalFátima Rocha
 
Apostila de teoria musical [2[1].0]
Apostila de teoria musical [2[1].0]Apostila de teoria musical [2[1].0]
Apostila de teoria musical [2[1].0]Jorge Oliveira
 
Apostila de teoria musical [2[1].0]
Apostila de teoria musical [2[1].0]Apostila de teoria musical [2[1].0]
Apostila de teoria musical [2[1].0]vanalenne
 
Como ler as partituras
Como ler as partiturasComo ler as partituras
Como ler as partiturasMeg Lucy
 
Ler partitura
Ler partituraLer partitura
Ler partitura08012001
 
Apostila partituras-iii_armadura_de_clave_final
 Apostila partituras-iii_armadura_de_clave_final Apostila partituras-iii_armadura_de_clave_final
Apostila partituras-iii_armadura_de_clave_finalJosé Claudemiro Oliveira
 

Semelhante a Introdução ao estudo da teoria musical (20)

Teoria Cintra
Teoria CintraTeoria Cintra
Teoria Cintra
 
Teoriamusical
TeoriamusicalTeoriamusical
Teoriamusical
 
Livro digital paulo zuben
Livro digital paulo zubenLivro digital paulo zuben
Livro digital paulo zuben
 
metodo Teoria musical
metodo Teoria musicalmetodo Teoria musical
metodo Teoria musical
 
Sebenta EM
Sebenta EMSebenta EM
Sebenta EM
 
2 aula notao_musical_e_digitao
2 aula notao_musical_e_digitao2 aula notao_musical_e_digitao
2 aula notao_musical_e_digitao
 
Apostila Iniciação Musical.pdf
Apostila Iniciação Musical.pdfApostila Iniciação Musical.pdf
Apostila Iniciação Musical.pdf
 
teoria musical
teoria musical teoria musical
teoria musical
 
Apostila teoria musical - Rose Andréia.pdf
Apostila teoria musical - Rose Andréia.pdfApostila teoria musical - Rose Andréia.pdf
Apostila teoria musical - Rose Andréia.pdf
 
Introdução à Música
Introdução à MúsicaIntrodução à Música
Introdução à Música
 
Teoria I.pptx
Teoria I.pptxTeoria I.pptx
Teoria I.pptx
 
teoriamusical-160407030341.pdf
teoriamusical-160407030341.pdfteoriamusical-160407030341.pdf
teoriamusical-160407030341.pdf
 
Em guia de estudo
Em guia de estudoEm guia de estudo
Em guia de estudo
 
Em guia de estudo de Educação Musical
Em guia de estudo de Educação MusicalEm guia de estudo de Educação Musical
Em guia de estudo de Educação Musical
 
Apostila de teoria musical [2[1].0]
Apostila de teoria musical [2[1].0]Apostila de teoria musical [2[1].0]
Apostila de teoria musical [2[1].0]
 
Apostila de teoria musical [2[1].0]
Apostila de teoria musical [2[1].0]Apostila de teoria musical [2[1].0]
Apostila de teoria musical [2[1].0]
 
Como ler as partituras
Como ler as partiturasComo ler as partituras
Como ler as partituras
 
Ler partitura
Ler partituraLer partitura
Ler partitura
 
Apostila partituras-iii_armadura_de_clave_final
 Apostila partituras-iii_armadura_de_clave_final Apostila partituras-iii_armadura_de_clave_final
Apostila partituras-iii_armadura_de_clave_final
 
Teoria musical2009
Teoria musical2009Teoria musical2009
Teoria musical2009
 

Mais de Partitura de Banda (20)

Jubileu
JubileuJubileu
Jubileu
 
59 Mobral
59 Mobral59 Mobral
59 Mobral
 
4 Tenentes
4 Tenentes4 Tenentes
4 Tenentes
 
4 Dias de Viagem
4 Dias de Viagem4 Dias de Viagem
4 Dias de Viagem
 
Batista de Melo
Batista de MeloBatista de Melo
Batista de Melo
 
Hino do soldado do fogo
Hino do soldado do fogoHino do soldado do fogo
Hino do soldado do fogo
 
Fotos Variadas
Fotos VariadasFotos Variadas
Fotos Variadas
 
Fotos antigas(5)
Fotos antigas(5)Fotos antigas(5)
Fotos antigas(5)
 
El Plebeyo
El PlebeyoEl Plebeyo
El Plebeyo
 
La Saeta
La SaetaLa Saeta
La Saeta
 
A mi Madre Celestial
A mi Madre CelestialA mi Madre Celestial
A mi Madre Celestial
 
Malagueña Salerosa
Malagueña SalerosaMalagueña Salerosa
Malagueña Salerosa
 
Gonna fly now
Gonna fly nowGonna fly now
Gonna fly now
 
Bayerische Polka
Bayerische PolkaBayerische Polka
Bayerische Polka
 
Pavane pour une infante défunte
Pavane pour une infante défuntePavane pour une infante défunte
Pavane pour une infante défunte
 
Prelude in D minor
Prelude in D minorPrelude in D minor
Prelude in D minor
 
Aragonaíse - From the Suite Carmen
Aragonaíse - From the Suite CarmenAragonaíse - From the Suite Carmen
Aragonaíse - From the Suite Carmen
 
Amorpheus
AmorpheusAmorpheus
Amorpheus
 
A Conquista do Paraíso
A Conquista do ParaísoA Conquista do Paraíso
A Conquista do Paraíso
 
Jauja
JaujaJauja
Jauja
 

Introdução ao estudo da teoria musical

  • 1. Elaborado para Orquestra Filarmônica lewi Pethrus Prof. Dalmir de Veras Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música
  • 2. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 2 Propriedades musicais do som Pautado Musical Pentagrama Linhas e espaços suplementares Pautado musical onde se escreve música, palavra grega: penta = cinco, grama = linha. Daí derivam-se as cinco linhas e por conseqüência quatro espaços. São linhas que servem para representar os sons mais graves e mais agudos que a pentagrama não permite. Estas linhas ou espaços suplementares chamam-se: Superiores - quando acima Inferiores - quando abaixo Música É a arte de manifestar os diversos afetos de nossa alma mediante o som. Som É tudo que impressiona o órgão auditivo, resulta do choque de dois ou mais corpos.
  • 3. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 3 Valores indicadores da altura do som Os valores indicadores da altura do som são sete: DO, RÉ, MI, FÁ, SOL, LÁ, SI Valores indicadores da duração do som São sinais que indicam a duração dos sons. Os valores mais usados na escrita musical moderna são sete: Semibreve: é o maior valor de duração. Mínima: indica duração igual a 1/2 da semibreve; Semínima: indica duração igual a 1/4 da semibreve; Colcheia: indica duração igual a 1/8 da semibreve; Semicolcheia: indica duração igual a 1/16 da semibreve; Fusa: indica duração igual a 1/32 da semibreve; Semifusa: indica duração igual a 1/64 da semibreve. Pausas São sinais que indicam a duração do silêncio. As pausas mais usadas na escrita musical moderna são sete também, correspondentes aos seus valores: Valor Pausa
  • 4. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 4 Claves São sinais que dão nome as notas indicando o seu exato grau de entonação. São oito, representando-se com três figuras: Sol Fá Do aparece na 2ª linha pode aparecer nas 3ª, 4ª e 5ª linhas pode aparecer na 1ª, 2ª, 3ª e 4ª linhas Vejamos alguns exemplos de utilização das claves:
  • 5. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 5 Compasso É a divisão da música em séries regulares de tempos. Compasso é pois uma reunião de tempos. Fórmula do compasso São dois números, que indicam: a unidade de tempo e o número de tempos do compasso. Tempos São movimentos que fixam a duração absoluta dos valores Modo de indicação da fórmula do compasso Os compassos são formulados com números sobrepostos ou com letras. O numero superior da formula do compasso indica a quantidade e o inferior qualidade dos valores Quantidade Nos compassos simples, indica-se a quantidade com os números: 2 binário 3 ternário 4 quaternário 5 quinário 7 setenário
  • 6. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 6 Qualidade Tanto no compasso simples como no composto 1 2 4 8 16 32 64 Compasso simples Compasso composto Quando cada tempo é indicado por um valor simples, dando uma subdivisão binária em seus tempos. É uma reunião de tempos ternários, isto é, aquele que tem como unidade de tempo um valor composto. Tempos binários ou simples Tempos ternários ou compostos Quando são indicados por um valor simples, resultando uma subdivisão binária. Quando são indicados por um valor composto, resultando uma subdivisão ternária. Unidade de tempo No compasso simples é o valor que indica a qualidade. Tempos fortes Tempos fracos São os mais acentuados São os que recebem menor acentuação Acentuação dos Compassos Compasso 1º Tempo 2º Tempo 3º Tempo 4º Tempo Binário Forte Fraco Ternário Forte Fraco Fraco Quaternário Forte Fraco Meio Forte Fraco
  • 7. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 7 Barras de compasso São barras verticais inseridas na pentagrama para identificação do compasso. Podendo ser: SSIIMMPPLLEESS É uma barra fina que serve apenas para identificar o compasso DDUUPPLLAASS São duas barras finas que servem para identificar alguma mudança na partitura RRIITTOORRNNEELLLLOO É uma barra fina e uma espessa com dois pontos que servem para repetir um ou mais compassos FFIINNAALLIIZZAAÇÇÃÃOO É uma barra fina e uma barra espessa, usado para finalizar uma partitura.
  • 8. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 8 Ponto de aumento É o sinal colocado ao lado de um valor para indicar o aumento de metade de sua duração. Duplo ponto de aumento Um segundo ponto indica aumento igual a metade do valor do primeiro ponto. Obs.: o ponto de aumento e o duplo ponto de aumento também é acrescentado às pausas. Ponto de diminuição Um ponto acima ou abaixo de um valor indica subtração de metade, na duração desse valor na sua execução Obs.: o ponto de diminuição é usado somente para as figuras de notas. Grupos alterados ou quiálteras São grupos de figuras que se apresentam modificando as proporções estabelecidas pela subdivisão dos valores
  • 9. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 9 Síncope É a articulação de um som num movimento fraco do compasso, prolongando-se para o movimento forte seguinte. Contra tempo É a articulação de um som num movimento fraco do compasso, antecedido de pausas. Ligação ou ligadura É um sinal de forma semicircular, que se coloca acima ou abaixo das figuras de notas. Ligadura de valor Ligadura de portamento Ligadura de frase Indica a união de dois ou mais valores da mesma altura Entre duas ou mais notas de diferente altura, indica a execução muito unida, acentuando a primeira nota e destacando a segunda. Indica o fraseado, ligando dois ou mais compassos Fermata ou Coroa É um sinal de forma semicircular, que se coloca acima ou abaixo das figuras de notas, e indica a duração indeterminada de um valor ou de uma pausa
  • 10. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 10 Escala É uma sucessão de sons em graus conjuntos Escala Diatônica É uma sucessão de oito sons, separados em tonos e semitonos. Contém cinco tonos e 2 semitonos. Tono É a unidade de medida que serve para calcular o espaço existente entre dois ou mais sons. Semitono É a metade de um tono. Função dos graus da Escala Diatônica I Grau chama-se Tônica II Grau chama-se Supertônica III Grau chama-se Mediante IV Grau chama-se Subdominante V Grau chama-se Dominante VI Grau chama-se Superdominante VII Grau chama-se Sensível VIII Grau volta da Tônica
  • 11. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 11 Separação em Tonos e Semitonos da Escala Diatônica Vejamos a grafia musical para separação de tonos e semitonos: Vejamos num teclado de piano como se aplicariam os tonos e semitonos: Entendendo graficamente como se distribui os tonos e semitonos: Sinais de Alteração ou acidentes São sinais que indicam alteração na entonação. = sustenido que eleva 1 semitono = dobrado sustenido que eleva 1 tono = bemol que abaixa 1 semitono = dobrado bemol que abaixa 1 tono = bequadro que anula 1 sustenido ou 1 bemol
  • 12. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 12 Os sinais de alteração denominam-se: Fixos Ocorrentes De Precaução Quando fazem parte da armação da clave, durando o seu efeito em todo o trecho Quando aparecem no decorrer de um trecho dominando somente no compasso em que se acharem. Obs.: A alteração de uma nota final de compasso ligada à inicial do compasso seguinte, afeta também essa nota. Quando aparecem a fim de evitar erros na leitura rápida. É usado entre parênteses Escala cromática É uma sucessão de doze sons, eqüidistantes em semitonos. Semitonos Diatônico Cromático Quando separa duas notas de nomes diferentes Quando separa notas de nomes iguais Ex.: Mi e Fá Ex.: Fá e Fá#
  • 13. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 13 Tetracorde É uma sucessão de quatro notas: A escala diatônica compõe-se de dois tetracordes, com intervalos de: tono, tono e semitono, separados entre si pelo intervalo de tono. Escalas constituídas com sustenidos Tomando como Tônica de uma nova escala, a primeira nota do segundo tetracorde da escala de Dó. Mediante a alteração ascendente de meio tono no sétimo grau dessa nova escala, teremos a escala de Sol, constituída com 1 sustenido. Com a constituição desta operação, isto é, principiando-se a nova escala com a primeira nota do segundo tetracorde da escala precedentemente constituída, teremos sucessivamente as escala de: Ré constituída com 2 sustenidos (Fá e Dó)
  • 14. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 14 Lá constituída com 3 sustenidos (Fá, Dó e Sol) Mi constituída com 4 sustenidos (Fá, Dó, Sol e Ré) Si constituída com 5 sustenidos (Fá, Dó, Sol, Ré e Lá) Fá constituída com 6 sustenidos (Fá, Dó, Sol, Ré, Lá e Mi) Dó constituída com 7 sustenidos (Fá, Dó, Sol, Ré, Lá, Mi e Si)
  • 15. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 15 Escalas constituídas de bemóis Tomando o tetracorde inferior da escala de Dó, em sucessão descendente, como tetracorde superior de uma nova escala, teremos: a escala de Fá, constituída com 1 bemol. Assim procedendo-se sucessivamente, isto é, principiando-se a nova escala com a primeira nota do tetracorde inferior, na sucessão descendente da escala precedentemente construída, teremos: Si constituída com 2 bemóis (Si e Mi)
  • 16. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 16 Mi constituída com 3 bemóis (Si, Mi e Lá) La constituída com 4 bemóis (Si, Mi, Lá e Ré) Ré constituída com 5 bemóis (Si, Mi, Lá, Ré e Sol) Sol constituída com 6 bemóis (Si, Mi, Lá, Ré, Sol e Dó) Do constituída com 7 bemóis (Si, Mi, Lá, Ré, Sol, Dó e Fá)
  • 17. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 17 Circulo das Quintas O círculo de quintas é um espaço geométrico circular que descreve as relações entre as doze notas da escala cromática. O Circulo das Quintas ou Ciclo das Quintas é a progressão das notas separadas pelo intervalo de uma quinta justa ascendente e o Circulo das Quartas ou Ciclo das Quartas é a progressão de uma quarta justa ascendente. No entanto o Circulo das Quartas é visto como círculo de quintas também, pois é a progressão da quinta justa descendente. Sustenidos Bemóis 1º Está na nota Fá 1º Está na nota Si 2º Está na nota Dó 2º Está na nota Mi 3º Está na nota Sol 3º Está na nota Lá 4º Está na nota Ré 4º Está na nota Ré 5º Está na nota Lá 5º Está na nota Sol 6º Está na nota Mi 6º Está na nota Dó 7º Está na nota Si 7º Está na nota Fá
  • 18. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 18 Escala maior e a sua relativa Cada escala maior tem a sua relativa menor. Denomina-se relativa, a escala de um modo constituída com os graus de uma escala de um outro modo. A relativa de uma escala maior tem a sua tônica no sexto grau dessa escala Escala menor natural Tem os semitonos entre o segundo e terceiros graus, e entre o quinto e o sexto graus. Escala menor harmônica Tem os semitonos entre o segundo e o terceiros graus, entre o quinto e sextos graus, e entre o sétimo e oitavo graus. Escala menor melódica Tem os semitonos entre o segundo e terceiros graus, entre o sétimo e oitavo graus na sucessão ascendente, tem os semitonos entre o sexto e quinto graus, e entre o terceiro e segundo graus, na sucessão descendente. Escalas homônimas São as escalas que têm o nome semelhante, só diferindo na modalidade Escalas Enharmônicas São escalas que diferem na grafia sem diferir na entonação.
  • 19. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 19 Intervalo Denomina-se intervalo a diferença de altura entre dois sons. Simples Composto Quando se acha compreendido dentro de uma oitava Quando ultrapassa a oitava Podendo ser classificado também em: Melódico Composto Quando as notas são ouvidas sucessivamente. Quando as notas são ouvidas simultaneamente. Quadro de Intervalos
  • 20. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 20
  • 21. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 21 Os intervalos aumentados acrescidos de ½ tono são chamados super- aumentados; e, se subtrairmos ½ tono dos intervalos diminutos, serão chamados de subdiminutos. Estes intervalos, porém, na prática não são usados, são simplesmente teóricos. Nos instrumentos temperados o intervalo de segunda diminuta é nulo, ou seja, as duas notas que o formam têm o mesmo som, não havendo por conseguinte intervalo, pois não se teria diferença de altura entre os dois sons.
  • 22. Introdução ao Estudo da Teoria Elementar da Música – Orquestra Filarmônica Lewi Pethrus – pg 22 Bibliografia ARCHANJO, Samuel Lições Elementares de Teoria Musical Ricordi Brasileira LACERDA, Osvaldo Compêndio de Teoria Elementar de Música Ricordi Brasileira PRIOLLI, Maria Luisa de Mattos Teoria Musical: Princípios Básicos da Música Rixordi Brasileira