1
Rio de Janeiro, 26/05/2014.
Programa de Engenharia Biomédica
Aluno: Wisley Donizetti Velasco
Professor: Profº Drº Alysso...
2
que permitem que o sangue flua livremente entre uma arteríola e uma vênula. Os capilares
estendem-se a partir de estrutu...
3
cavas superior e inferior. Estas duas veias, que encerram a grande circulação, confluem no átrio
direita, levando o sang...
4
Segue uma síntese dos eventos que ocorrem durante a fase de sístole: os ventrículos
contraídos → válvulas atrioventricul...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fisiologia - Sistema Cardiorrespiratório - Circulação Sanguínea

403 visualizações

Publicada em

Fisiologia humana do sistema cardiorrespiratório. Descrição da circulação sanguínea.

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
403
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fisiologia - Sistema Cardiorrespiratório - Circulação Sanguínea

  1. 1. 1 Rio de Janeiro, 26/05/2014. Programa de Engenharia Biomédica Aluno: Wisley Donizetti Velasco Professor: Profº Drº Alysson Roncally Silva Carvalho Disciplina: Fisiologia CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA A circulação pode ser retratada como a viagem que o sangue faz através do corpo por meio de vasos sanguíneos (Figura 1). Em média, cerca de 5 litros de sangue trafegam através do nosso sistema circulatório, fornecendo oxigênio e nutrientes para todas as partes do corpo. Em seu caminho de volta para o coração, o sangue capta dióxido de carbono e resíduos de produtos que devem ser excretados. As artérias levam o sangue para fora do coração em grande volume e com grande pressão. As artérias menores que se ramificam são chamadas arteríolas, vênulas e capilares. Os capilares é o menor dos nossos vasos sanguíneos. O fato de serem pequenos lhes permitem penetrar em todas as partes do corpo, levando oxigênio e nutrientes para os tecidos e células. O sangue nos capilares alimenta os tecidos antes de seguir para órgãos e tecidos mais distantes do coração, o qual flui por meio de pequenas veias chamadas vênulas e, em seguida, em veias maiores, que transportam o sangue de volta para o coração. A PEQUENA CIRCULAÇÃO é a rede vascular que encontra-se entre as arteríolas e as vênulas, incluindo os capilares, assim como o fluxo sanguíneo através desta rede. Dito de outra forma, é a ligação feita entre o sangue e uma única célula. Através desta ligação são fornecidos oxigênio e nutrientes para tecidos e células. Trata-se da circulação de sangue do coração para as arteríolas (pequenas artérias), para os capilares e para vênulas (pequenas veias), e de volta para o coração. Os vasos são canais Figura 1 – Esquema Circulação Sanguínea
  2. 2. 2 que permitem que o sangue flua livremente entre uma arteríola e uma vênula. Os capilares estendem-se a partir de estruturas chamadas esfíncteres pré-capilares que controlam o fluxo de sangue entre as arteríolas e os capilares. A troca de fluídos entre os capilares e os tecidos do corpo ocorrem no leito capilar. Os esfíncteres pré-capilares contêm fibras musculares que lhes permitem contrair. Quando os esfíncteres estão abertos, o sangue flui livremente para o leito capilar onde os fluídos, gases, nutrientes e resíduos são trocados entre as células do sangue e do corpo. Quando os esfíncteres estão fechados, o sangue não flui através do leito capilar e fluem diretamente, da arteríola à vénula, através do canal de passagem. É importante ressaltar que o sangue é fornecido para todas as partes do corpo, contudo, nem todos os leitos capilares contêm sangue o tempo todo. O sangue é desviado para as partes do corpo que necessitam de mais sangue em determinado momento, sob circunstâncias específicas, como por exemplo, quando faz-se uma refeição e o fluxo de sangue é desviado, de outras partes do corpo, para o trato digestivo com o intuito de ajudar na digestão e absorção de nutrientes. A pequena circulação tem uma grande importância, porquanto proporciona uma melhor oferta de sangue e, portanto, oxigênio e nutrientes para uma célula. Isso significa um melhor funcionamento celular → melhor funcionamento dos órgãos → todos os órgãos, em conjunto, funcionam melhor → todo o organismo funciona melhor → resultando em uma harmonia entre os vários sistemas do corpo humano, como por exemplo, neurológico e músculo esquelético, fazendo com que a pessoa se sinta melhor e mais saudável. A GRANDE CIRCULAÇÃO é responsável por transportar o oxigênio, os nutrientes e as substâncias restantes para todos tecidos periféricos, estando aqui, uma das diferenças entre a pequena, ou micro, circulação, a qual tem por função fornecer oxigênio e nutrientes para tecidos e células. Tal circulação tem seu início no ventrículo esquerdo. O sangue é bombeado por meio dos batimentos cardíaco, proveniente do átrio esquerdo até a aorta. Esta grande artéria recolhe o sangue, que é impulsionado pelo coração, transformando-o num fluxo contínuo que circula pelos seus diversos ramos e artérias, fazendo com que o sangue chegue a todos os órgãos. As ramificações destas artérias antecedem as arteríolas, e estas aos capilares, as quais permitem a troca de substâncias entre o sangue que circula no seu interior e os tecidos. Assim, pequenas vênulas sucedem os capilares, que convergem entre si para conformar as diversas veias do organismo, confluindo, por fim, nas duas principais: as veias
  3. 3. 3 cavas superior e inferior. Estas duas veias, que encerram a grande circulação, confluem no átrio direita, levando o sangue pobre em oxigênio e repleto de dióxido de carbono, para o coração. Concluindo, pode-se dizer que a pequena circulação, ou circulação pulmonar, é a circulação sanguínea entre o coração e o pulmão e do pulmão para o coração. Este é o caminho que o sangue faz para captar moléculas de oxigênio e depois transportar, junto com outras substancias, para todo o restante do corpo. Já a grande circulação, ou circulação corpórea, é a circulação sanguínea que se dá entre o coração, com sangue arterial advindo da circulação pulmonar, para todo o restante do corpo. O sangue passa pelos rins para ser filtrado e segue, então, com seu fluxo até retornar para o coração carregado com dióxido de carbono para ser excretado e reoxigenado, e assim sucessivamente. FASES DO CICLO CARDÍACO O ciclo cardíaco (Figura 2) é o ciclo de eventos que fazem com que o coração se contraia. Existem duas fases deste ciclo: diástole e sístole. Na fase de diástole, os ventrículos do coração estão relaxados e o coração se enche de sangue, enquanto que na fase de sístole, os ventrículos se contraem e o sangue é bombeado para as artérias. Durante a fase de DIÁSTOLE, os átrios e ventrículos estão relaxados. Assim, o sangue flui para os átrios direito e esquerdo. As válvulas localizadas entre os átrios e ventrículos é aberta, permitindo que o sangue flua através dos ventrículos. Segue uma síntese dos eventos que ocorrem durante a fase de diástole: as válvulas atrioventriculares estão abertas → o nodo sinoatrial, que inicia a condução cardíaca, contrai, causando a contração atrial → o átrio se esvazia de sangue nos ventrículos → as válvulas semilunares (pulmonar e aórtica) se fecham impedindo o fluxo de retorno para os átrios. Durante a fase de SÍSTOLE, os ventrículos se contraem bombeando sangue para as artérias. O ventrículo direito envia sangue para os pulmões através da artéria pulmonar. O ventrículo esquerdo bombeia o sangue para a aorta. Figura 2 – Esquema Ciclo Cardíaco
  4. 4. 4 Segue uma síntese dos eventos que ocorrem durante a fase de sístole: os ventrículos contraídos → válvulas atrioventriculares e aórtica abertas → o sangue flui ou para artéria pulmonar ou para a aorta. Um ciclo cardíaco é concluído quando o coração se enche de sangue e o sangue é, então, bombeado pelo coração. Os sons que podem ser ouvidos pelos batimentos do coração são gerados pelo fechamento das válvulas do coração. Estes sons são referidos como os sons “lub-Dupp”. O som “lub” é gerado pela contração dos ventrículos e o fechamento das válvulas atrioventriculares. O som "Dupp" é gerado pelo fechamento das válvulas aórticas.

×