Brasil Colonial, Imperial E Republicano

67.513 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
0 comentários
11 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
67.513
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
288
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.315
Comentários
0
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Brasil Colonial, Imperial E Republicano

  1. 1. Brasil : Colonial , Imperial e Republicano
  2. 2. Tópicos: <ul><li>Introdução </li></ul><ul><li>Brasil Colonial </li></ul><ul><li>Brasil Imperial </li></ul><ul><li>Brasil Republicano </li></ul><ul><li>Conclusão </li></ul>
  3. 3. Introdução <ul><ul><li>A estrutura política e administrativa da colonização seguiu o modelo português: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Patrimonialismo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Prática de distribuição de cargos baseada na troca de favores e na afeição </li></ul></ul></ul></ul>
  4. 4. BRASIL COLONIAL <ul><li>Principais marcos do período colonial: </li></ul><ul><ul><li>A Carta, de Pero Vaz de Caminha </li></ul></ul><ul><ul><li>Expedições de Martim Afonso – 1530 </li></ul></ul><ul><ul><li>Colonização </li></ul></ul><ul><ul><li>Capitanias Hereditárias – 1534/1759 </li></ul></ul><ul><ul><li>Economia </li></ul></ul><ul><ul><li>Governo Geral – 1548/1759 </li></ul></ul><ul><ul><li>Vice-reinado </li></ul></ul><ul><ul><li>Brasil - Reino </li></ul></ul>
  5. 5. BRASIL COLONIAL <ul><li>Principais marcos do período colonial: </li></ul><ul><ul><li>A Carta </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Pero Vaz de Caminha: primeiro documento oficial sobre o Brasil </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Expedições de Martim Afonso – 1530 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>expedições exploradoras </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>poderes para nomear funcionários e doar terras de sesmaria </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Colonização </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>interesse de franceses, holandeses e ingleses leva Portugal a iniciar a colonização </li></ul></ul></ul>
  6. 6. BRASIL COLONIAL <ul><li>Principais marcos do período colonial: </li></ul><ul><ul><li>Capitanias Hereditárias – 1534/1759 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>primeiro sistema administrativo implantado no Brasil </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>regime baseado no patrimonialismo da Coroa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>estrutura política e administrativa era permeada por distribuição de cargos devido a critérios de afeição e troca de favores </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>era uma concessão de exploração de serviços concedida a particulares </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>direitos régios, justiça, distribuição de terras, arrecadação de dízimos e fundação de povoações </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>o regime fracassou </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>apenas Pernambuco e São Vicente prosperaram </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>MAS, dificultou o estabelecimento de estrangeiros na colônia </li></ul></ul></ul></ul>
  7. 7. BRASIL COLONIAL Capitanias Hereditárias
  8. 8. BRASIL COLONIAL - ECONOMIA
  9. 9. BRASIL COLONIAL <ul><li>Principais marcos do período colonial: </li></ul><ul><ul><li>Governo Geral 1548/1759 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>objetivos: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>apoiar melhor e com mais segurança as capitanias </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>centralizou o poder, mas não terminou com as capitanias </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>criados os cargos de ouvidor geral, provedor mor da fazenda e capitão mor da costa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>regime patrimonialista e com centro decisório em Portugal </li></ul></ul></ul>
  10. 10. BRASIL COLONIAL <ul><li>Principais marcos do período colonial: </li></ul><ul><ul><li>Governo Geral 1548/1759 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>traços da época até hoje existentes na AP brasileira: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>presença dominante do Estado </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>elite econômica associada e dependente do Estado </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>proteção contra concorrência </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>controle administrativo dos preços </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>limite artificial da oferta </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>vantagens e subsídios na compra de matéria prima </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>estes aspectos geraram um “capitalismo protegido”: privatista na propriedade e semi-estatal na gestão </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  11. 11. BRASIL COLONIAL <ul><li>Principais marcos do período colonial: </li></ul><ul><ul><li>Vice-reinado </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>em 1574 o Brasil foi dividido em 2 vice-reinos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>1580 – União Ibérica </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>não havia preocupação em divisa de terras </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>1581 – governo do Brasil unificado em Salvador </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>1640 – fim da União Ibérica </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>1640 a 1718 – título de vice-rei usado apenas por governadores de alta fidalguia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>após 1720 passou a ser utilizado por todos </li></ul></ul></ul></ul>
  12. 12. BRASIL COLONIAL <ul><li>Principais marcos do período colonial: </li></ul><ul><ul><li>Vice-reinado </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Administração do Marquês de Pombal _ secretário de estado do rei D. José I, de Portugal </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>novo impulso administrativo e comercial à colônia: </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>transferência da capital para o Rio de Janeiro (proximidade das minas e dos conflitos de fronteira do sul) </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>criação do subsídio literário (imposto para as aulas régias) </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>autorização do casamento com indígenas </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>favorecimento das indústrias de origem agrícola (anil, cochonilha e laticínios) </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>impulso á construção naval </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>expulsão dos jesuítas de Portugal e províncias </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>extinção das Capitanias Hereditárias (transformadas em capitanias gerais) </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>criação das Juntas de Justiça nas comarcas (sede das capitanias), impulsionando o crescimento de vilas </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  13. 13. Sebastião José de Carvalho e Melo, Conde de Oeiras e Marquês de Pombal
  14. 14. BRASIL COLONIAL <ul><ul><li>Transferência da Família Real Portuguesa – 1808 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>fugindo das tropas de Napoleão </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>1808 a 1821- heranças deixadas: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>burocracia, patrimonialismo, distribuição de cargos e centralização do poder </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Política Interna </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>elevação do Brasil a Reino Unido e sede da Coroa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>abertura dos portos brasileiros </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>aumento de arrecadação, revogação do monopólio, desenvolvimento da agricultura e comércio, acordos comerciais internacionais </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>instalação de serviços públicos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>criação do Banco do Brasil e de ministérios </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>remuneração dos servidores públicos (diferenciada dos portugueses) </li></ul></ul></ul>
  15. 15. BRASIL COLONIAL <ul><ul><li>Política Externa </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>declaração de guerra à França </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>anexação da Guiana Francesa (restituída em 1817) </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>subordinação às orientações administrativas e econômicas inglesas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>recebimento de diplomatas estrangeiros no Brasil </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>assinatura de tratados de paz </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>restituição da Guiana Francesa </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>assinatura de tratados de navegação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>fim do tráfico de escravos </li></ul></ul></ul></ul>
  16. 16. BRASIL COLONIAL <ul><ul><li>Retorno da Família Real para Portugal - 1821 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>derrota de Napoleão em 1817 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>volta da estabilidade política na Europa </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>D. Pedro permanece como regente </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Brasil mantém sua estrutura política </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>passa a ter deputados na Corte de Lisboa </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>portugueses tentam retomar o pacto colonial </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>o Brasil declara-se independente em 1822 </li></ul></ul></ul>
  17. 17. BRASIL IMPERIAL <ul><li>Principais marcos do Brasil Império: </li></ul><ul><ul><li>Primeiro reinado – 1822/1831 </li></ul></ul><ul><ul><li>Segundo reinado – 1831/1889 </li></ul></ul>
  18. 18. BRASIL IMPERIAL <ul><li>Principais marcos do Brasil Império: </li></ul><ul><ul><li>Primeiro reinado – 1822/1831 </li></ul></ul><ul><ul><li>Dom Pedro I </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>monarquia com aspecto democrata </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>apesar do patrimonialismo, alguns anseios populares eram acatados </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>vilas são promovidas a cidades </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>maior importância política e administrativa </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>1824 – primeira Constituição </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>inspirada nas constituições francesa e estadunidense </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Poder Executivo fortemente centralizado </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>fiscalização permanente do Imperador – Poder Moderador </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>devia velar pela harmonia entre os poderes </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Senado vitalício – indicado pelo Imperador </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Câmara de Deputados eleita a cada 4 anos </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>podia ser dissolvida pelo imperador </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  19. 19. BRASIL IMPERIAL
  20. 20. BRASIL IMPERIAL <ul><li>Principais marcos do Brasil Império: </li></ul><ul><ul><li>Primeiro reinado – 1822/1831 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>período marcado por: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>guerras internas e externas </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>insolvência do Banco do Brasil </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>crescimento da dívida pública </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>tratados de comércio com França e Inglaterra </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>criação dos Conselhos Gerais das Províncias </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>criação do Supremo Tribunal de Justiça </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>necessidade de assumir o trono português, pacificar revolução em Portugal e os conflitos internos no Brasil: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>levaram à abdicação em favor de Pedro II, que no tempo não tinha a maoridade </li></ul></ul></ul></ul>
  21. 21. BRASIL IMPERIAL <ul><li>Principais marcos do Brasil Império: </li></ul><ul><ul><li>Segundo reinado – 1831/1889 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Fase das Regências – 1831/1840 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Regência Trina Provisória </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Regência Trina Permanente 1831/1835 </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Ato Adicional à Constituição – 1834 </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>experiência de república e de sistema parlamentarista </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Assembléias Legislativas Provinciais </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>regência una, eleita pelo voto popular </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>limitação do Poder Moderador para o regente </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Fase da Antecipação da Maioridade – 1840/1850 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>decretada em 1840 </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>visou combater as revoltas </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>enfatizou o parlamentarismo com forma de governo </li></ul></ul></ul></ul>
  22. 22. Dom Pedro II
  23. 23. BRASIL IMPERIAL <ul><li>Principais marcos do Brasil Império: </li></ul><ul><ul><li>Segundo reinado – 1831/1889 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Fase da Prosperidade – 1871/1889 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>o Grande Gabinete - Visconde do Rio Branco </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Lei do Ventre Livre </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>reforma de pessoal e serviço dos Correios </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>normas para promoção dos militares </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>novo quadro de pessoal dos empregados do Tesouro e da Fazenda </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>primeiro recenseamento geral da população </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>escolas públicas primárias na Corte </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>tratados com o Paraguai </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>imigração de estrangeiros </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>naturalização de estrangeiros </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  24. 24. BRASIL REPUBLICANO <ul><li>Principais marcos do Brasil República: </li></ul><ul><ul><li>Primeira República – 1889/1930 </li></ul></ul><ul><ul><li>Segunda República (Era Vargas) – 1930/1945 </li></ul></ul><ul><ul><li>Terceira República – 1945/1964 </li></ul></ul><ul><ul><li>Quarta República – 1964/1985 </li></ul></ul><ul><ul><li>Nova República – 1985/.... </li></ul></ul>
  25. 25. BRASIL REPUBLICANO <ul><li>Principais marcos do Brasil República: </li></ul><ul><ul><li>Primeira República – 1889/1930 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Constituição de 1891 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>República representativa federativa </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>retorno aos três poderes </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>reorganização dos serviços da administração federal </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Segunda República (Era Vargas) – 1930/1945 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>período do Estado Burocrático </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Carta de 1934 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Estado Novo – 1937 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>consolidação de normas trabalhistas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>reforma do ensino médio e superior </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>criação de novos territórios </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>reforma jurídica </li></ul></ul></ul>
  26. 26. Getúlio Vargas
  27. 27. BRASIL REPUBLICANO <ul><li>Principais marcos do Brasil República: </li></ul><ul><ul><li>Terceira República – 1945/1964 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>grande impulso econômico </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>plano rodoviário </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>redemocratização dos três poderes </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>construção da Usina Siderúrgica Nacional </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>aproveitamento hidrelétrico </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>lei de financiamento de serviços públicos municipais </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Governo JK </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>plano de metas para energia, transporte, educação, indústria, etc </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>crescimento da produção industrial </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>construção de Brasília </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>normas e contratação do servidor público, contagem de tempo de serviço, plano de assistência e plano de classificação de cargos </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>imposto único de combustíveis e lubrificantes líquidos </li></ul></ul></ul></ul>
  28. 28. Juscelino Kubitsheck
  29. 29. BRASIL REPUBLICANO <ul><li>Principais marcos do Brasil República: </li></ul><ul><ul><li>Quarta República – 1964/1985 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Estado autoritário-burocrático </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>eleição indireta e 5 presidentes militares </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>criação do Banco Central </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>correção monetária </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>normas sobre participação dos municípios nas cotas dos tributos da União </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>criação do Conselho Interministerial de Preços </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>criação das empresas Nacionais de Turismo, Telecomunicações e Aeronáutica </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>programa estratégico de desenvolvimento – orçamento plurianual de investimentos </li></ul></ul></ul>
  30. 30. BRASIL REPUBLICANO <ul><li>Principais marcos do Brasil República: </li></ul><ul><ul><li>Quinta República – 1985/..... </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Estado gerencial </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>retorno às eleições diretas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>administrações com foco neoliberal </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>privatizações </li></ul></ul></ul>
  31. 31. BRASIL REPUBLICANO <ul><li>José Sarney tornou-se presidente após o adoecimento e posterior morte de Tancredo Neves , entre março e abril de 1985. Sarney foi eleito vice-presidente da República na chapa de Tancredo Neves por eleição indireta, superando o candidato Paulo Maluf . </li></ul><ul><li>Seu mandato se caracterizou pela consolidação da democracia brasileira, mas também por uma grave crise econômica, que evoluiu para um quadro de hiperinflação histórica e moratória . </li></ul><ul><li>O Plano Cruzado </li></ul><ul><li>Na área econômica, o governo Sarney adotou uma política considerada bastante heterodoxa. Entre as medidas de maior destaque estão o Plano Cruzado , em 1986 : congelamento geral de preços por 12 meses, e a adoção do &quot;gatilho salarial&quot; (reajuste automático de salários sempre que a inflação atingia ou ultrapassava os 20%). </li></ul><ul><li>O Plano Cruzado a princípio teve efeito na contenção dos preços e no aumento do poder aquisitivo da população. Milhares de consumidores passaram a fiscalizar os preços no comércio e a denunciar as remarcações, ficando conhecidos como &quot;fiscais do Sarney&quot;. </li></ul><ul><li>No decorrer do ano o Cruzado foi perdendo sua eficiência, com uma grave crise de abastecimento, a cobrança de ágio disseminada entre fornecedores e a volta da inflação. O governo manteve o congelamento até as eleições estaduais de 1986, tentando obter os maiores dividendos políticos possíveis do plano. </li></ul>
  32. 32. José Sarney
  33. 33. BRASIL REPUBLICANO <ul><li>Fernando Affonso Collor de Mello , conhecido simplesmente como Fernando Collor , ( Rio de Janeiro , 12 de agosto de 1949 ) é um empresário e político brasileiro , atualmente filiado ao Partido Trabalhista Brasileiro . Foi o primeiro presidente da República eleito pelo voto direto após o Regime Militar , em 1989 , pelo período de 1990 e 1992 . </li></ul><ul><li>O governo foi marcado pela implementação do Plano Collor , pela abertura do mercado nacional às importações e pelo início do Programa Nacional de Desestatização . Renunciou ao cargo em razão de um processo de impeachment fundamentado em acusações de corrupção . </li></ul><ul><li>Teve seus direitos cassados por oito anos, e só seria eleito para cargo público novamente em 2006 , tomando posse como senador por Alagoas em 2007 . </li></ul>
  34. 34. Fernando Collor
  35. 35. BRASIL REPUBLICANO <ul><li>Itamar Franco </li></ul><ul><li>Em 1992 , Collor foi acusado de corrupção e sofreu um processo de impeachment pelo Congresso Nacional e se licencia do governo. </li></ul><ul><li>Itamar assume, interinamente a presidência em 2 de outubro de 1992, sendo formalmente aclamado presidente em 27 de dezembro de 1992, quando Collor renunciou à presidência. </li></ul><ul><li>O Brasil estava no meio de uma grave crise econômica, tendo a inflação chegado a 1100% em 1992, e alcançado quase 6000% no ano seguinte. Itamar trocou de ministros da economia várias vezes, até que Fernando Henrique Cardoso assumisse o Ministério da Fazenda . </li></ul><ul><li>Em fevereiro de 1994 , o governo Itamar lançou o Plano Real , elaborado pelo Ministério da Fazenda a partir de idealização do economista Edmar Bacha , que estabilizou a economia e acabou com a crise hiperinflacionária . Beneficiado pelo sucesso do plano, Fernando Henrique Cardoso passou a ser o candidato oficial à sucessão de Itamar, e foi eleito presidente em outubro de 1994 , assumindo a presidência em 1 de janeiro de 1995 . </li></ul>
  36. 36. Itamar Franco
  37. 37. BRASIL REPUBLICANO <ul><li>Fernando Henrique Cardoso ( Rio de Janeiro , 18 de junho de 1931 ) é um sociólogo , professor universitário e político brasileiro . Foi presidente do Brasil por dois mandatos consecutivos, de 1° de janeiro de 1995 a 31 de dezembro de 2002 . É co-fundador e, desde 2001 , presidente de honra do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira). </li></ul><ul><li>No primeiro mandato FHC conseguiu a aprovação de uma emenda constitucional que criou a reeleição para os cargos eletivos do Executivo, sendo o primeiro presidente brasileiro a ser reeleito. Em seu governo houve diversas denúncias de corrupção , dentre as quais merecem destaque as acusações de compra de parlamentares para aprovação da reeleição e de favorecimento de alguns grupos financeiros no processo de privatização de empresas estatais . </li></ul>
  38. 38. Fernando Henrique Cardoso
  39. 39. BRASIL REPUBLICANO <ul><li>Luiz Inácio Lula da Silva é um político brasileiro e atual presidente da República Federativa do Brasil , desde 1º de janeiro de 2003 </li></ul><ul><li>A gestão é caracterizada por um governo de continuidade da estabilidade econômica da administração de Fernando Henrique, e uma balança comercial crescentemente superavitária. Em seu governo, a dívida interna passou de 731 bilhões de reais (em 2002) para um trilhão e cem bilhões de reais em dezembro de 2006, diminuindo, todavia a proporção da dívida sobre Produto Interno Bruto com relação à década de 1990 . Concomitantemente, a dívida externa teve uma queda de 168 bilhões de reais, fruto principalmente da valorização do Real frente ao dólar e das volumosas compras de dólares realizadas pelo Banco Central, utilizadas em parte para recomprar a dívida (a exemplo do que foi feito com o C-Bond ). Também é marcada por manter o corte de investimentos públicos, a exemplo da gestão anterior. </li></ul><ul><li>Durante o governo Lula houve incremento na geração de empregos. Segundo o IBGE, de 2003 a 2006 a taxa de desemprego caiu e o número de pessoas contratadas com carteira assinada (mais 985 mil) cresceu, enquanto o total de empregos sem carteira assinada diminuiu 3,1%. Já o total de pessoas ocupadas cresceu 8,6% no período de 2003 a 2006. </li></ul>
  40. 40. Luiz Inácio Lula da Silva (Lula)
  41. 41. CONCLUSÃO <ul><ul><li>Questão para reflexão: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Qual a correspondência entre o regime de Capitanias Hereditárias e a Administração municipal do Brasil de hoje? </li></ul></ul></ul>

×