Sobre Sunamita
As duas pronunciam são possíveis, Sunamita ou Sulamita. Porque podemos pronunciar
Sunem ou Sulen. A cidade ...
Sunem em 1914
A Sunamita neste momento do cântico não evoca tantas realidades. Ainda. Mas é importante
ver o futuro para c...
"Façamos-lhe, pois, um pequeno quarto junto ao muro, e ali lhe ponhamos uma cama, uma
mesa, uma cadeira e um candeeiro; e ...
Isso coloca o tempo da Autoria de Cantares em sua Juventude, nos primeiros anos de seu
reinado. Porque ao fim de seu reina...
comunicar-nos a sua Palavra. O Espírito de Deus capturou um momento especial na
vida de Salomão, um momento único, ainda q...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sunamita

523 visualizações

Publicada em

Maravilhoso estudo de Cantares de Salomão

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
523
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sunamita

  1. 1. Sobre Sunamita As duas pronunciam são possíveis, Sunamita ou Sulamita. Porque podemos pronunciar Sunem ou Sulen. A cidade atualmente é chamada de Sulan. Sulamita é mais próxima a pronuncia do nome do rei Salomão. Neste estudo optou-se por chamála a maior parte do tempo de Sunamita. Importante observar que Jerusalém possui “salém” muito próxima a “sulem/sunem” escreve-se do mesmo modo. Yerou – Cidade – Salém – da paz. Salém é um modo carinhoso de chamar Jerusalém. Sulan/Sunem fazia parte da porção de terra dada aos descendentes de Issacar, de frente ao monte Gilboa onde o rei Saul realizou sua última batalha e onde morreram também seus filhos. Era Rodeada por cactos e pomares, logo a sua frente estava o monte Carmelo, onde um dia o profeta Elias lutaria com quatrocentos profetas de Baal. É parte da região que será chamada um dia de Galiléia. Sunem é a cidade onde, quatrocentos anos após a composição de Cantares, uma moça infértil terá um filho que morrerá e ressuscitará pelo ministério do profeta Eliseu. Bem próximo ao sul, podia se ver o caminho inclinado que levava ao monte Gilboa. A Sunamita vem de uma cidade que ao norte possui o vale de Jezreel, ao sul ao monte Gilboa. Cada pedaço da geografia da terra santa é coberto de significados. Um dia esse vale, o qual era uma propriedade agrícola na época de Salomão, será o palco da maior batalha feita pelo ser humano, profetizada por João em Apocalipse, a batalha de Ar-magedom. Ou Batalha do monte Megido, em referencia ao monte que fica no meio do vale de Jezrel. Nesse vale Jesus caminhará um dia e enfrentará os exércitos do mundo que se reunirão para destruir a Israel, segundo a profecia dada em Apocalipse.
  2. 2. Sunem em 1914 A Sunamita neste momento do cântico não evoca tantas realidades. Ainda. Mas é importante ver o futuro para compreender o caráter profético do Cântico. 400 anos após: A cena da ressurreição do filho da Sunamita do futuro: "Sucedeu também um dia que, indo Eliseu a Suném, havia ali uma mulher importante, a qual o reteve para comer pão; e sucedeu que todas as vezes que passava por ali entrava para comer pão." 2 Reis 4:8 "E ela disse a seu marido: Eis que tenho observado que este que sempre passa por nós é um santo homem de Deus." 2 Reis 4:9
  3. 3. "Façamos-lhe, pois, um pequeno quarto junto ao muro, e ali lhe ponhamos uma cama, uma mesa, uma cadeira e um candeeiro; e há de ser que, vindo ele a nós, para ali se recolherá." 2 Reis 4:10 "Haverá alguma coisa de que se fale por ti ao rei, ou ao capitão do exército? E disse ela: Eu habito no meio do meu povo." 2 Reis 4:13 "E concebeu a mulher, e deu à luz um filho, no tempo determinado, no ano seguinte, segundo Eliseu lhe dissera." 2 Reis 4:17 "E, crescendo o filho, sucedeu que um dia saiu para ter com seu pai, que estava com os segadores, E disse a seu pai: Ai, a minha cabeça! Ai, a minha cabeça! Então disse a um moço: Leva-o à sua mãe." 2 Reis 4:18-19 "Chegando ela, pois, ao homem de Deus, ao monte, pegou nos seus pés; mas chegou Geazi para retirá-la; disse porém o homem de Deus: Deixa-a, porque a sua alma está triste de amargura, e o SENHOR me encobriu, e não me manifestou." 2 Reis 4:27 Retornado a época do Cântico: A beleza dessa moradora de Sunem devia ser impressionante. A moça passa a habitar o palácio agora pertencente a Salomão. Tão impactante é sua formosura ou talvez por motivos políticos, um dos irmãos de Salomão, Adonias, que havia pretendido ser o rei após a morte de Davi, solicita a Salomão que lhe envie a moça. Salomão Já tinha recebido ordens expressas de Davi para lidar com as artimanhas de Adonias. E por considerar a moça quase como “esposa” de seu pai, Salomão ultrajado nega-se a envia-la e ainda o condena com dura punição. Talvez Adonias quisesse maltratar da moça, e Salomão interpretou que ao envia-la estaria na verdade condenando-a a prisão, desterro ou mesmo a morte. Salomão praticaria durante sua vida a prática de unirem-se as famílias dos reis através de casamentos. Tornando-se parente dos soberanos, evitaria a guerra. Mas essa união se dava através de seu casamento com as filhas dos vizires, dos nobres e governantes de diversos povos. Quando Salomão escreve os Cânticos numa de suas linhas ele diz: “Sessenta são as rainhas, e oitenta as concubinas, e as virgens sem número”
  4. 4. Isso coloca o tempo da Autoria de Cantares em sua Juventude, nos primeiros anos de seu reinado. Porque ao fim de seu reinado de mais de quarenta anos, Salomão terá acumulado cerca de 1000 mulheres! I Reis 11 O rei Salomão casou com muitas mulheres estrangeiras, além da princesa egípcia. Muitas delas vieram de nações onde se adoravam ídolos — Moabe, Amom, Edom, Sidom e dos heteus — 2 apesar do Senhor ter dado instruções expressas ao seu povo para que não casasse com pessoas dessas nações, porque as mulheres com quem eles casassem haviam de os levar adorar os seus deuses. Apesar disso, Salomão deixou-se levar pelo amor por essas mulheres. 3/4 Teve setecentas mulheres e trezentas concubinas; elas foram, sem dúvida, responsáveis por ele ter desviado o seu coração do Senhor, especialmente no tempo já da sua velhice. Encorajaram-no a adorar os seus deuses em lugar de confiar inteiramente no Senhor, como fazia seu pai David. 5 Salomão prestou culto a Asterote, deusa dos sidónios, e a Milcom, o abominável deus dos amonitas. E em troca do ganho politico Salomão teve que construir uma “cidadela” para abrigar suas esposas e concubinas. E de seu relacionamento com essas mulheres, podemos imaginar as intrigas palacianas, os festivais, as grandes comemorações, as danças, e a necessidade de aceitar a religiosidade, as culturas e as tradições destas mulheres. Elas não poderiam viver da “intimidade” com o rei, não poderiam desfrutar sequer de sua presença a sós, na maioria do tempo. Então elas tinham direito a tudo que pudesse tornar sua vida mais confortável. Mas ao curvar-se diante de tantos caprichos de tantas princesas Salomão praticou atos contrários a sua fé. Algumas das religiões apresentadas introduziam práticas abominadas por Deus. Incluindo sacrifícios de animais impuros, ritos de sangue, bebidas alucinógenas, cultos sexuais e até mesmo sacrifícios humanos, que se não realizados literalmente, eram no mínimo, ritualizados ou simulados. Enquanto é jovem Salomão ainda teve condição de viver, de um modo milagroso, um grande amor. Depois ele se perderá em futilidades, em atos que necessitará repensar. Esse auto- julgamento, essa reavaliação de sua vida, de seus ideais, de seus valores e do que realmente importou após uma vida plena de recursos, num nível para a maioria de nós inimaginável, nós leremos no livro de Eclesiates. Enquanto é jovem Salomão ainda teve condição de viver, de um modo milagroso, um grande amor. Depois ele se perderá em futilidades, em atos que necessitará repensar. Esse auto- julgamento, essa reavaliação de sua vida, de seus ideais, de seus valores e do que realmente importou após uma vida plena de recursos, num nível para a maioria de nós inimaginável, nós leremos no livro de Eclesiates. Como então, você perguntaria, um homem que teve 700 esposas pode ter gerado um cântico tão profundo que fala sobre uma única grande paixão? E de que adiantou narrar tamanha história de amor se diante de tão grande poligamia um sentimento como este parece perder o sentido? Ou porque Deus permitiu que o Cântico de um sujeito com tantos envolvimentos, tão “mulherengo” servisse como pano de fundo de seu amor exclusivo? As Escrituras falam-nos de seres humanos, com defeitos, vícios e falhas que receberam a graça de serem portadores de voz de Deus, de sua Palavra, de seu Amor. Foi em meio a humanidade pecadora que Deus manifestou-se maravilhosamente, não levando em conta seus pecados, mas abençoando e escolhendo momentos especiais de suas vidas para
  5. 5. comunicar-nos a sua Palavra. O Espírito de Deus capturou um momento especial na vida de Salomão, um momento único, ainda que passageiro, e dele usou para falar de seu amor que nunca cessa. O que foi vivido por algumas semanas, meses ou anos, é retratado de modo magnifico, é relembrado e preservado pelo Espírito, de mil e cinco cânticos, somente este Deus escolheu para representar seu coração. Um momento da vida de um homem que ele abençoou, que refletem do mesmo modo UM MOMENTO da VIDA DE DEUS. Deus é eterno, toda a história humana equivale a momentos desta eternidade. Da criação até a Redenção, da Ressurreição até a Nova Criação, pode ser um longo período para nós que passamos como uma sombra. Mas, não para Ele.

×