Revista canal systemcenter_07

157 visualizações

Publicada em

Edição da Revista Canal System Center.

Para maiores informações: canalsystem

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
157
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista canal systemcenter_07

  1. 1. A primeira revista sobre System Center no mundo é brasileira! JUL ● AGO 2012 CanalSystemCenter.com.br Uma revista TechEd independente feita pela comunidade Europa 2012 Saiba como foi a edição europeia do evento, com Canal System Center Revista detalhes e fotos Instalando o App-V 5.0 Beta Passo a passo de instalação da versão beta 07 Distribuição Gratuita Revista Bimestral IMPERDÍVEL Entrevista com Aylton de Souza FREE Responsável por Virtualização e System Center na Microsoft LATAMCase Service Manager 2012: SCSM na Sociedade de Educação Tiradentes -SET
  2. 2. Canal System Center AVISO Todo o conteúdo desta revista é meramente informativo, sendo as opiniões compartilhadas aqui de responsabilidadeRevista dos seus autores, e os procedimentos e dicas sugeridas são de responsabilidade de quem executar, não havendo qualquer possibilidade de garantia de funcionamento ou suporte por problemas causados devido a alguma configuração. Esta é uma publicação independente, logo, se algum conteúdo infringir a sua política de direitos autorais, contate a equipe responsável o quanto antes. Nenhuma opinião de autor nesta publicação reflete a opinião da Microsoft ou alguma outra empresa. 2
  3. 3. Editorial JULHO-AGOSTO de 2012 Nº 07A Revista Canal System Center é umapublicação independente, bimestral egratuita, feita pela comunidade para acomunidade, sem fins lucrativos. Ointuito da revista é compartilhar co- Caro leitor,nhecimento e apresentar as novidadesna área de gerenciamento com tecno- Esta é uma edição de transição, estamos passando por mui-logias Microsoft. As edições anterioresestão disponíveis no site: tas novidades no mundo de gerenciamento com as tecnologi- as Microsoft, primeiro foi o lançamento do System Center 2012, em seguida o lançamento do Windows Server 2012 e www.canalsystemcenter.com.br em breve o lançamento do Service Pack 1 para o System Center 2012, é novidade que não acaba mais.EQUIPE Com todas estas novidades temos eventos surgindo por ai, Editor infelizmente este ano não teremos o TechEd no Brasil, mas Cleber Marques para compensar o Raphael Perez fez um cobertura rápida e prática do TechEd Europa 2012, as novidades estão bem ba- Coordenador Raphael Perez canas e vale muito e pena a leitura. Falando em System Cen- ter 2012, temos nesta edição uma grande novidade na revis- Articulista ta, a apresentação de um case sobre a implementação do Alexandre Perazza System Center 2012 Service Manager na Universidade Tira- dentes no Sergipe (SET – Sociedade de Educação Tiradentes) Articulista com detalhes curiosíssimos trazidos por Jordano Mazzoni, se Alexandro Prado você está implementando o SCSM ou sua empresa estuda a utilização esta é uma matéria obrigatória. Articulista Canal System Center Revista Jordano Mazzoni Na sequência temos um foco no lado técnico com os artigo Articulista escrito pelo colaborador Vinícius Perrott sobre os passos ne- Igor Humberto cessários para a implementação do APP-V 5.0 (Application Virtualization) que está em sua versão beta, e entre suas principais novidades traz um portal de gerenciamento em Sil-COLABORADORES verlight, é incrível. E pra fechar esta edição com chave de ou- ro temos uma fantástica entrevista com Aylton de Souza, fun-  Vinícius Perrott cionário da Microsoft com o cargo de LATAM Virtualization & Private Cloud lead, responsável pelas tecnologias de Virtuali- zação e também de Gerenciamento em toda a América Lati- na. Senhores e senhores, aproveitem esta edição repleta de novidades. A foto da capa é de Raphael Perez, no TechEd Europa 2012 Obrigado por acompanhar a revista e boa leitura! Participe Também Quer publicar um artigo na revista? Então envie um e-mail para: contato@canalsystemcenter.com.br Ainda, se quiser colaborar com a capa da próxima edição, envie uma foto, de sua autoria, com resolução Cleber Marques, Editor de no mínimo 1600 x 1200. @CleberFMarques 3
  4. 4. Collection Nesta Edição ADVERTISEMENT CAPA TechEd Europa 2012 ..................................05 Saiba como foi a edição europeia do evento MANAGEMENT PACK MATÉRIAS Case Service Manager 2012: SET .......08 SCSM na Sociedade de Educação Tiradentes Canal System Center KNOWLEDGE BASE ARTIGOS Instalando o App-V 5.0 Beta .................15 Passo a passo de instalação da versão betaRevista RUN AS ACCOUNT ENTREVISTA Entrevista com Aylton de Souza .........18 Responsável por System Center na Microsoft LATAM 4
  5. 5. ADVERTISEMENT CAPATechEd Europa 2012 Saiba como foi o maior evento de gerenciamento da Microsoft, MMS 2012, com o lançamento do System Center 2012 e muito mais. Por Raphael PerezO TechEd Europa é o principal evento Micro-soft Europeu, além de ser a segunda maioredição do TechEd (perdendo apenas para oTechEd Americano). Este ano, ele foi realiza-do em Amsterdã na Holanda no Centro deExposição Amsterdam Rai. Diferente dosanos anteriores, o evento foi realizado ape-nas duas semanas após o evento americano(durante os dias 26 e 29 de Junho), com is-so, o conteúdo foi praticamente o mesmo.No evento deste ano, tivemos um púbico demais de 7000 participantes, um total de 425seções em 12 trilhas e com 287 palestrantes. Canal System Center RevistaVocê pode imaginar como o evento é grande.Este ano também foi à primeira fez em queas Keynotes foram transmitidas ao vivo atra-vés do site do evento. Além disso, o conteú-do do evento está disponível online atravésdo Channel 9. Brasileiros não parou ai, encontrei o Caio Proiete (MVP hoje morando em Portugal), David Nudelman (MVP hoje morando em Londres) e também o Fabio Hara e outros in- trigantes da Microsoft Brasil (quem sabe a Microsoft Brasil não esteja planejando um evento assim pra esse ano hein?!) Como você pode imaginar, não foi possível fazer uma cobertura jornalística de todo oEste ano também foi a minha estreia no evento, pois o mesmo abrange diversas tri-evento europeu, mas ainda não como pales- lhas, como desenvolvimento, segurança,trante. Eu estive ajudando na parte de Hands Windows Azure, Windows Phone, entre ou--on Lab e Workshops, mas a participação de tras. O foco foi dado apenas para trilhas que 5
  6. 6. envolvem a família System Center, isto é, também foi possível fazer as provas betas de Gerenciamento, Windows Client, Windows Windows Server 2012 e Windows 8, pois foi Server e Virtualização. No total, tivemos 135 criado um complexo da Prometric lá, e o me- seções das trilhas citadas, sendo elas: lhor de tudo. As provas eram gratuitas. Infe- lizmente eu não tive tempo de fazer, mas 33 de gerenciamento - Acesse Aqui não faltarão oportunidades. 18 de virtualização - Acesse Aqui 44 de Windows Client - Acesse Aqui Como o evento é para pessoas que adoram 40 Windows Server - Acesse Aqui tecnologias (os chamados Geeks), os stands que mais chamavam a atenção sempre ti- Como sempre, diversos nomes conhecidos de nham mulheres bonitas, com exceção de um, quem trabalha com System Center e OS De- onde a Microsoft colocou dois robôs, para fa- ployment. Eu tive o prazer de estar ajudando zer uma demonstração do uso do sensor de Johan Arwidmark e Mikael Nystrom no movimentos Kinect. workshop “Deploying Windows 7 and Win- dows 8 with MDT 2012”. As duas vezes o Até o próximo ano mesmo workshop foi apresentado, a sala es- tava lotada e tinha fila de espera. Entre os E assim foi o TechEd Europa 2012, um even- outros nomes conhecidos, posso citar: Mark to grandioso cheio de profissionais e pales- Russinovich, Wally Mead, John Vintzel, trantes compartilhando experiências e, como Stephen Rose. eu disse lá no início da matéria, a intenção aqui não era fazer uma cobertura completa do evento, e sim apenas mostrar um pouco do que aconteceu no evento, focando o que é importante para nós profissionais de Gerenci- amento e Virtualização. E agora, só nos resta ficarmos de olho no que está por vir, Windows Server 2012, Win- Canal System Center dows 8 e, é claro, o System Center 2012 que será certamente o foco do TechEd Brasil 2012, assim como o foco de todos os eventos Microsoft internacionais também.Revista Como todos sabem, o TechEd é um evento misto, onde Dev e Infra se encontram, mas o foco maios é sempre para o Dev. Esse ano foi diferente e também evento especial, pois as- sim como no evento da América no Norte, o foco principal foi o System Center 2012, Win- dows 8 e Windows Server 2012. No evento 6
  7. 7. Siga a comunidadeCanal System Center Canal System Center Revista 7
  8. 8. MANAGEMENT PACK MATÉRIAS Case Service Manager 2012: Sociedade de Educação Tiradentes - SET Finalmente temos a versão final do System Center 2012 disponível para implementação, conheça seus componentes e detalhes. Por Jordano Mazzoni Como já anunciado anteriormente aqui na O Projeto revista iremos sempre publicar um caso de sucesso com implementações de System Tudo começou com uma grande surpresa: O Center, havendo autorização da empresa que Departamento de Infra Estrutura requisitou recebeu a implementação e dos consultores um projeto para a área de TI que fosse capaz envolvido, claro. Então, acompanhe este pri- de mapear todas as solicitações dos usuá- meiro caso, que se trata de uma ótima im- rios. A proposta ainda deveria ser capaz de plementação de SCSM 2012. rastrear o processo de solução das solicita- ções e os administradores conseguissem vi- sualizar as FILAS de demandas para cada de- A Instituição partamento sendo possível elencar as tarefas entre os membros da equipe mediante um tempo de atendimento pré-acordado por ca- A Universidade Tiradentes (SET – Sociedade tegoria e tipo de solicitação. Só para contex- Canal System Center de Educação Tiradentes - www.unit.br) é tualizarmos, o Departamento de Infra Estru- uma Instituição de Ensino Superior com sua tura é responsável por alguns serviços como sede situada em Aracaju – Sergipe. Quando troca de lâmpadas, reparo em aparelhos de falamos de Sociedade de Educação Tiraden- ar condicionado, troca de pisos e reparo de tes resumimos em: aproximadamente 35 mil paredes, eventos na rede elétrica entre ou- alunos, 06 Campus distribuídos em 2 Estados tros. (Sergipe e Alagoas), cerca de 30 Polos deRevista Ensino a Distância. Encontramos em plena A área de T.I. já possuía um projeto embrio- expansão e o mercado de educação perma- nário para "abertura de chamados", mas ain- nece aquecido e cheio de oportunidades tan- da restava romper as fronteiras do departa- to para Graduação, Pós Graduação, Mestra- mento de T.I. e ser experimentado por outros do, Doutorado e Cursos de Extensão obvia- usuários/departamentos. O segmento de mente. Desktops (de responsabilidade de uma em- presa terceirizada) também possuía seu pró- Todas as áreas que sustentam o negócio são prio mecanismo para abertura de chamados muito exigidas para continuar dando excelên- e endereçamento de demandas. cia às operações que se estendem por 50 anos de história da SET. O mercado de edu- O cenário era bastante hostil e pulverizado. cação atualmente está muito acirrado e con- Em algumas ilhas de atendimento as equipes tando com a atuação muito agressiva de mascaravam a abertura do chamado, em ou- grandes grupos internacionais. A SET consi- tras o próprio Analista/Técnico realizava o fe- dera indispensável as inovações oriundas da chamento do chamado ignorando a interven- área de T.I. sendo um diferencial competitivo ção do usuário, muitos chamados eram re- para todo o grupo. solvidos sem nenhum registo ou mapeamen- to de solução. 8
  9. 9. Canal System Center RevistaEnvolvi-me no Projeto com o objetivo de de-  Embutir de forma simples o Portfolio desenhar uma solução única (sendo atendida Serviços pertinente a cada departamentopor um único produto) para atender todas as com as métricas de tempo de atendi-áreas que atualmente estavam em funciona- mento necessárias para satisfazer o ne-mento e criar possibilidade para: gócio. Integrar facilmente outros departamen-  Desenhar o Portfolio de Serviços inicial tos (e outras empresas do grupo) sendo (aproximadamente 607 Serviços) e tra- eles Marketing, Recursos Humanos, Pa- zer para dentro do produto escolhido o trimônio, Contabilidade, Manutenção Elé- mapeamento dos Analistas e/ou Aten- trica, Financeiro, e porque não Tecnologia dentes para cada Serviço e criar todo o da Informação considerando todas as mecanismo automatizado de envio de e- áreas e empresas do Grupo. mails para os envolvidos incluindo Usuá- rios, Atendentes e Analistas no momento Inserir um produto aderente ao modelo da abertura dos chamados, encaminha- ITIL permitindo a implementação gradual mento e atualização dos chamados e fi- de Incidentes, Problemas, Mudanças, Ba- nalização diferenciando encerramento e se de Conhecimento entre outros. fechamento do mesmo.  Propor uma interface simples permitindo Desejável a integração com outros pro- que o usuário abrisse seus próprios cha- dutos capazes de interagir com o proces- mados na intranet da empresa. Esta in- so de abertura de chamados e tratamen- terface na Intranet deveria também pro- to de incidentes sendo capaz de transfor- por o acompanhamento dos chamados mar não somente o relato dos usuários ao longo do processo de solução do mes- em incidentes. mo. 9
  10. 10.  O produto deveria permitir a autentica- A primeira fase foi pura e simplesmente uma ção integrada ao Active Directory de for- prova de fogo comparando funcionalidades ma a não gerar impacto aos demais do- do que já possuímos com o que o SCSM po- mínios que comportam o cenário. dia oferecer num primeiro momento. Minha missão era propor toda essa mudança Felizmente consegui extrair o que de melhor (considerando processos e tecnologia) e mi- atenderia para aquele momento e à medida grar as soluções já em produção para uma que o projeto ganhava volume e outros usu- solução única e definitiva para toda a organi- ários requisitavam mais funcionalidades per- zação. cebemos que tínhamos muito mais que um simples recurso para “abertura chamados”. A escolha da Solução Já tinha contato com o SCSM e à medida que Desafios da Implementação o projeto foi tomando volume demonstrou ser o que precisávamos a curto, médio e lon- Os desafios iniciais de implementação posso go prazo juntamente com a implementação dividir em 2 segmentos: Processos e Pesso- de toda a família System Center. O que bali- as. Os aspectos tecnológicos fomos ajustan- zou definitivamente para o SCSM foram os do ao longo do Projeto (que ao meu ver ain- pré requisitos exigidos na etapa inicial do da não terminou pois a ideia é mapear todos projeto e o conhecimento que tinha que num os Serviços para todos os Departamentos do futuro próximo a família System Center iria Grupo dentro do SCSM e ainda não chega- crescer e ser totalmente integrada entre os mos a 30% deste possível Universo). A etapa elementos que precisaríamos num segundo de definição do Portfolio de Serviços e Pro- momento tal como SCOM, SCCM, SCVMM, cessos internos de cada departamento tam- SCDPM, ForeFront EndPoint Protection e Or- bém representou uma etapa que consumiu chestrator. muito de nosso cronograma. Começamos de- finindo uma simples tabela com as colunas: Canal System Center Informações Técnicas Falando um pouco sobre números e aspectos técnicos. Atualmente estamos com uma base em torno de 40 mil incidentes e crescendo com o acréscimo de novos setores e Serviços ao SCSM. A topologia começou bem simples sendo:Revista (A) 01 Servidor WEB (compartilhado com outras aplicações). (B) 01 Servidor SQL Server (compartilhado com outras Bases de Dados). (C) 01 Servidor SQL Server Data WareHouse (Dedicado para o SCSM e Relatórios). (D) 01 Servidor SCSM (Dedicado – Servidor de Gerenciamento e Console do Service Manager). À medida que o volume de Consoles do SCSM foi aumentando percebemos a necessidade de incrementar mais Servidores do tipo D com um mecanismo de NLB (Network Load Balance) para equilibrar a carga e dar a performance necessária aos usuários (atualmente algo em torno de 50 Consoles geograficamente dispersas). Neste momento estamos trabalhando com 2 frentes para este Projeto:  Migrar o SCSM 2010 SP1 (versão atual implementada) para a versão SCSM 2012 e possibilitar a inte- gração com os produtos já em produção: SCOM 2012 e SCCM 2012 + ForeFront EndPoint Protection.  Estudo e avaliação frequente das necessidades do negócio para ajustar o tratamento de Problemas e Mudanças. Com a finalização de nosso Projeto de Nuvem Privada o próximo passo é refinar o proces- so de tratamento de Problemas e Mudanças dando mais robustez ao cenário que ainda se mostra em desenvolvimento e implementação. 10
  11. 11. Estas são imagens do ambiente de procução,com o portal do SCSM incorporado à Intranet  Responsável pelo Serviçoda empresa em SharePoint. Exemplo da aber- (Departamento, Colaborador ou Equipe).tura de um Incidente:  Descrição do Serviço.  Tempo de Atendimento proposto. Desta forma consegui de forma simples e di- reta criar um modelo para conversar com os mais diversos colaboradores nos mais diver- sos níveis do organograma empresarial. Nes- te primeiro momento o Portfolio de Serviços tinha o seu desenho iniciado que foi sendo incrementado à medida que os usuários fica- ram mais à vontade com as mudanças. O fator Pessoas também foi bastante deter- minante e incialmente os colaboradores esta- vam com receio de terem suas demandas medidas. Pensava-se que um determinado setor que tivesse poucas demandas estaria correndo riscos de demissão de pessoal. Su- preendentemente após algumas semanas o SCSM revelou um número muito elevado de solicitações justificando contratações e ajus- tes de pessoal em alguns setores. Consegui- mos ajustar tecnologia e processos provando efetivamente uma sensação que ilustrava a carga de trabalho da equipe em números ba- lizando relatórios gerenciais. Canal System Center Revista Ainda frisando o fator Pessoas, a facilidade que o SCSM possui de ter sua interface web customizável foi um diferencial para o Proje- to, pois precisávamos integrar à intranet da empresa o processo para abertura de solici- tações. Aproveitando-se deste ponto (e ajus- tando alguns velhos hábitos que cercavam o processo de atendimento ao usuário) conse- guimos um grande percentual de usuários que pela primeira vez começaram a abrir os seus próprios chamados. Os usuários ficaram ainda mais confiantes ao entender que durante a abertura do chamado ele receberia um e-mail e neste momento em diante seria informado de toda e qual- quer atualização registrada em seu chamado. O processo de encerramento também é infor- mado por e-mail com a solução adotada e os Analistas que interferiram no tratamento de seu incidente aberto. Com este mecanismo implementado no SCSM os usuários estariam seguros e informados que o seu incidente não foi encerrado sem um tratamento e po- 11
  12. 12. deriam através da interface Web visualizar Planos Futuros sua própria fila de chamados bem como o es- tado atual para a solução do mesmo. O futuro do SCSM na SET é muito importante e agora fundamental para o funcionamento Resultado do Projeto dos setores nele apoiados. Em breve migra- remos para a versão SCSM 2012 e a integra- Após a implementação do SCSM a camada ção com os produtos já implementados Gerencial e Executiva começou a prestar SCOM 2012 e SCCM 2012 irá ocorrer de ma- mais atenção pois o volume de trabalho foi neira facilitada. traduzido primeiramente em números e pos- teriormente (com as informações extraídas Com a finalização do Projeto de Nuvem Pri- do SCSM) traduzido em ações para melhorar vada e Site de Backup também vimos o Or- o atendimento ao usuário. Equalizar as ações chestrator e a integração entre SCOM 2012 e para entender exatamente onde atacar os SCSM 2012 vitais para envio de alertas e au- problemas só foi possível após este projeto tomatização dos processos dentro do Data- permitindo mapear os gargalos por todos os center juntamente com o SCVMM 2012 após Departamentos. a versão final do Windows Server 2012 jun- tamente com Hyper-V 3.0 finalizando o en- caixe de todas as peças necessárias para completarmos nossa camada de gerencia- mento. Estamos criando estudos para entender algu- Canal System Center mas variáveis desconhecidas como: custo médio de um incidente, custo médio de um colaborador aguardando solução de inciden- te, custo agregado por incidente para cada setor/usuário/software entre outros. Gerencialmente os relatórios permitem ma-Revista pear a necessidade de: Treinamento para al- guma ferramenta específica ou publicação de algum conteúdo na intranet para auxiliar em uma determinada tarefa (podendo ser uma ação via Sistema ou não), reavaliar a usabili- dade de algum módulo ou sistema interno mediante o elevado número de incidentes vinculados a este elemento entre muitos ou- tros estratégicos para o negócio. 12
  13. 13. RevistaCanal System Center 13
  14. 14. Leia as edições anteriores 1 2 Canal System CenterRevista 3 4 14
  15. 15. KNOWLEDGE BASE ARTIGOSInstalando o App-V 5.0 Beta Entenda todos os passos iniciais necessários para instalação e configuração do App-V Server 5.0 Beta. Por Vinícius PerrottAos interessados na tecnologia da Virtualiza- Instalando oção de Aplicações da Microsoft, este é um ar- App-V Server 5.0 Betatigo dedicado à nova versão do APP-V, aversão 5 que ainda está em beta.O App-V Server 5.0 Beta é responsável porcentralizar todos os servidores de App-V,aplicações e grupos de usuários do App-V emuma só tela. O App-V Server 5.0 é compostopor três partes, sendo elas: Management Server: P ublicação dos servidores, aplicações, gerenciamento dos componentes do App-V. Canal System Center Revista Publishing Server: P rover configura- ções de streaming das aplicações. 01. Após o download App-V 5.0 Beta execute Management Server DB: Cria o banco o arquivo appv_server_setup.exe que abrirá do App-V em um servidor SQL Server. o assistente de instalação. Como o produto ainda está em beta os links - Release Note,Nesse passo a passo será contemplada a in- Installation Guide, Read the Documentation,stalação do Management Server e Manage- Browser the CD e App-V Online – não estãoment Server DB no mesmo servidor. Para in- funcionando ainda. Clique em Install.stalar o App-V Server 5.0 Beta temos queatender aos seguintes requisitos:Para poder estudar o App-V 5.0 Beta, bastaacessar o site Microsoft Connect, cadastre-se, faça o download, e bons estudos.  Windows Server 2008 R2  SQL Server 2008 SP2 ou 2008 R2 OBS.: Não suporta SQL Express  .Net 3.5 (com suporte PowerShell)  .Net 4.0 FULL  Microsoft C++ 2008 Runtime x64  Update de Segurança KB2533623  Silvelight 15
  16. 16. 02. Nos termos de licença do produto marque a opção I accept the license terms e clique em Next. 07. Em Management Server Configuration in- forme utilizando o formato de domíniogrupo ou usuário quem deve ter acesso administra- 03. Em Select App-V Server Feactures to be tivo ao App-V Server. Na parte de Website Installed marque as opções Management name eu deixei padrão, mas pode ser altera- Server e Management Server DB e clique em do posteriormente. Clique em Next. Next. 08. Verifique o resumo e clique em Install. 04. Aqui podemos ver onde está sendo in- stalado o App-V 5.0 Beta, nesse passo a pas- 09. Após instalação o assistente informa que so mantenha o caminho padrão de instalação o próximo passo é acessar o Management e clique em Next. Server Web Console. Acessando a Console Web Canal System Center A grande mudança que a Microsoft está pro- pondo falando do aspecto gerenciamento do App-V 5.0 Beta é a sua nova interface de ad- ministração via Web, possibilitando acesso usando um navegador Web. Então acesse http://localhost:8080/Console.html (Em meuRevista lab utilizei o IE 9 e o Chome e não tive prob- lemas). Espero que tenham gostado, até a próxima publicação. 05. Em Create New Management Server Da- tabase utilizei as configurações padrões e nesse caso o nome da database que será cri- ado no servidor de SQL Server para o nosso App-V Server 5.0 Beta ficará com o nome AppVManagement. Clique em Next. 06. Como definimos as configurações como padrão as opções aqui já vem selecionadas. Clique em Next. 16
  17. 17. Seja fã da comunidade Canal System Center Canal System Center Revista 17
  18. 18. RUN AS ACCOUNT ENTREVISTA Entrevista com Aylton de Souza Conheça um pouco mais sobre o Gerente de Produto responsável por Windows Server, Hyper-V e System Center no Brasil. Por Cleber Marques Nesta edição o entrevistado foi o Aylton de Souza, funcionário da Microsoft com o cargo de LATAM Virtualization & Private Cloud lead, responsável pelas tecnologias de Virtualização e também de Gerenciamento em toda a América Latina, ela já atuou na Microsoft Brasil, agora atende os países em LATAM, e nos contou um pouco sobre a sua trajetória até aqui, como começou sua carreiras e as dificuldades que encontrou. Esta é uma entrevista imperdível para os profissionais de System Center! Quem é Aylton de Souza? que respira alta tecnologia. E como bom bra- sileiro, Aylton Souza não desiste nunca. E de- Canal System Center Pergunta existencial.... É difícil falar na ter- pois de um dia discutindo sobre como utilizar ceira pessoa sem lembrar do Rei Pelé... Ayl- a nuvem para ajudar os clientes em seu ton Souza é inquieto e um grande entusiasta crescimento, nada melhor do que ir de bici- da tecnologia e em como a inovação pode cleta a praia ou ouvir uma edição original em mudar o ambiente de negócio e a vida das vinil dos anos 60 e 70, bootlegs de Leslie pessoas. Um profissional e uma pessoa com West & Mountain, Beatles e bandas de rock uma sede incansável de aprendizado e que desconhecidas dos anos 60 e 70, como Pelo-Revista luta pelo que acredita e vê que o impossível ma Bokiou (Grega), além dos nossos bem é apenas uma definição de algo que ninguém conhecidos Mutantes e os Titãs. teve coragem de enfrentar ou tentar com trabalho duro. Como começou sua carreira profis- sional? Conte um pouco até os dias Seja usando Orchestrator para automatizar de hoje. minhas câmeras de vigilância ou o Opera- tions Manager para monitorar meu storage Meu primeiro emprego foi em uma loja de com uma enorme biblioteca de musicas, sou enfeites de Natal, não se espante (risos). um grande apaixonado por tecnologia e gos- Com esse salário e trabalhos “avulsos” com- to de estar perto dos clientes. E é engraçado prei um PC-XT (sem hard disk) de onde pro- liderar uma área de vendas e marketing com gramei algumas milhares de linhas de código um background técnico e gosto pela coisa. em C, C++ e Assembly e dissequei muitos Tenho como hobbies várias atividades ligadas vírus de 1ª e 2ª geração, ainda no tempo da a música (como multi-instrumentista e cole- reserva de mercado. Vim de uma família com cionador de edições raras de discos de vinil) recursos apertados mas que sempre acredi- e ao ar livre (como bicicleta e passeios pelo tou no estudo como fator de mudança, então mundo antigo), um paradoxo para o alguém tive muito apoio pra perseguir meus sonhos. 18
  19. 19. Comecei minha carreira em TI como instrutor usar muito do meu background em seguran-em uma escola de informática no inicio dos ça. Foi um trabalho incrível e tive a oportuni-anos 90 e tive a oportunidade de desenvolver dade de ter o reconhecimento como dois prê-software de segurança para ambientes DOS e mios SecMaster (por um trabalho na área dedepois Novell e Windows NT numa empresa malware e outro de conformidade com a nor-no Brasil (SCUA) que trazia para esse ambi- ma ISO 27001). Em 2006 surgiu a oportuni-ente facilidades similares ao que é hoje o dade de desenvolver um trabalho novo paracontrole de acesso embutido no Windows, atender aos hosters, service providers e tel-assim como BitLocker e outras coisas. cos para a região. Lançamos o Windows Ser- ver 2008 e o IIS, e fui uma incrível oportuni-As bases dessa plataforma foram usadas pelo dade de trazer ideias novas e aprender muitoDoD Americano e pelo Exercito, num sistema sobre a dinâmica do mercado e necessidadesoperacional chamado VirtuOS C2. Participei de datacenter. A maturidade e diferenciaçãodo início da internet comercial no Brasil tra- do mercado brasileiro começavam a pedirbalhando para um grande provedor com am- atenção mais dedicada, então tive a oportu-bientes Windows e vários nidade de ficar dedicadosabores de Unix e ele- ao Brasil para atender aosmentos de conectividade, hosters para todos osonde era responsável pe- produtos Microsoft masla infra estrutura e segu- Costumo fazer piada também o mercado cor-rança e fui o 4º CISSP na que minha base é a porativo para tecnologiasAmérica Latina. Tive ex- de infra estrutura, incluin-periência na área de con- poltrona 10A de do o Microsoft Windowssultoria (como na Modulo qualquer voo regional, Server, Hyper-V e Systeme a Etek) e em especial Center.projetos de infra estrutu- pois atendo LATAMra, gerenciamento e se- Um desafio enorme masgurança, onde fui o pri- muito importante e quemeiro funcionário de uma multinacional do me permitiu ampliar os horizontes, até que Canal System Center Revistaescritório no Brasil (Check Point) que desen- surgiu a oportunidade de gerir a estratégiavolve Firewalls, e tive a oportunidade de par- para Nuvem Privada (incluindo System Cen-ticipar dos grandes projetos dos primeiros ter, Windows Server e Hyper-V) para a Amé-datacenters no Brasil e na America Latina, rica Latina, baseado nos EUA, onde minhaquando surgiu a oportunidade de vir para a principal responsabilidade é conduzir o lança-Microsoft. Passei pela faculdade de Ciência mento, adoção, vendas e questões mercado-da Computação (Que naquele tempo tinha 2 lógicas para a região.anos em comum com a faculdade de Mate-mática), mas sou um jornalista de formaçãoe além das certificações da nossa área (Além Como e onde a Microsoft é repre-do CISSP, BS7799 ISO Auditor, ITIL), fiz MBA sentada em LATAM?com ênfase em Tecnologia da Informação. Temos hoje 9 subsidiárias na América Latina,Qual é ao seu papel na Microsoft? incluindo o Brasil. É uma estrutura bastanteConte um pouco de sua história na ampla para atender a diferentes necessida-empresa. des dos países e o escritório regional está em Fort Lauderdale, na Flórida. Visito cada umaCheguei na Microsoft em 2004 com o desafio das subsidiárias constantemente, então cos-de uma área de novos negócios que estava tumo fazer piada que minha base é a poltro-surgindo, com a responsabilidade sobre o na 10A de qualquer voo regional.que seriam os produtos de segurança da Mi-crosoft, o lançamento do ISA 2004 e como Qual é o papel de LATAM na estra-desenvolver o mercado na América Latina tégia de Nuvem Privada para a Mi-para o que depois viria a ser a família Fore- crosoft?Front. Foi uma grande experiência onde pude 19
  20. 20. A América Latina é um mercado onde esta- excitante. O respeito as diferentes culturas, mos crescendo rapidamente por diversos fa- necessidades e dinâmicas do mercado requer tores. Os clientes tem um volume legado di- um jogo de cintura e uma capacidade de pla- ferente de outros países e tem usado a ino- nejamento muito diferente de gerenciar um vação em tecnologia como fator de desenvol- único pais ou parte desse país. vimento. De acordo com estudos recentes, a América Latina tem o maior mercado de E sem duvida é uma experiência enriquece- Hyper-V hoje no mundo e a necessidade de dora e diversa, que dá uma visão muito dife- combinar o poder da nuvem com o uso da in- rente do mundo. Viajar pela região com tan- fra estrutura existente e questões regulató-tos países também é parte do desafio. Já fi- rias faz com que a Nuvem Privada tenha um quei quase 90 dias fora de casa só nesse rápido crescimento como evolução natural ano, trabalhando de maneira próxima com dos ambientes altamente virtualizados e cada diferente mercado. Ao mesmo tempo, também o caminho para um ambiente de TI certificar-se de que a mensagem e o formato Hibrido, combinando o me- da entrega é relevante lhor da nuvem publica e em cada mercado é privada. uma forma muito inte- ressante de entender Como está o mercado A América Latina como ajudar empresas em LATAM com rela- e governos a terem ção ao System Center tem o maior mercado uma infraestrutura que 2012? de Hyper-V hoje no atenda as suas necessi- dades atuais e futuras mundo. de crescimento. A resposta do mercado tem sido bastante positiva. Com Como você vê a o alinhamento do lança- mento do System Center importância do 2012 e o Windows Server 2012, os clientes mercado brasileiro em LATAM? Canal System Center tem a disposição uma estrutura ao mesmo tempo robusta e simples de operar , combi- O Brasil sem dúvida tem um peso chave para nando características para clientes em vários a região. Nesse momento de crescimento da estágios diferentes de adoção de tecnologias economia e grandes eventos como a Copa do como virtualização e nuvem. Com as capaci- Mundo e a Olimpíada são momentos que o dades ampliadas da solução Microsoft para Brasil tem a oportunidade de aproveitar co- Nuvem Privada (com Windows Server, Hyper- mo parte de seu crescimento. Ao passo queRevista V e System Center), clientes tem visto uma temos um crescimento consistente para a re- oportunidade de ampliar o escopo do geren- gião, o Brasil sem duvida é um mercado em ciamento sem pagar vtax e optarem por um franca expansão e com necessidades muito licenciamento justo e escalável, alinhado com particulares. Os investimentos feitos pela Mi- a economia da nuvem. Com tantos desafios crosoft nos últimos anos no Brasil se desta- diferentes pela região, sem dúvida a amplitu- cam e certamente ajudam o país a utilizar de da solução ajuda os clientes em suas me- todo seu potencial. O Brasil tem mudado rá- tas de crescimento de negócios. pido e a inovação sem dúvida é um fator que pode diferenciar o Brasil de todos os seus Quais são os principais desafios de concorrentes. responder por LATAM? Qual a sua visão para o futuro da Um dos grandes desafios da região são as di- Nuvem Privada da Microsoft? ferentes necessidades e dinâmica de cada um dos países da nossa região. O Brasil tem Hoje em dia, se alguém nos perguntar quan- uma importância extraordinária mas cada um tas vezes utilizamos eletricidade no dia a dia, dos países tem seus próprios desafios. Fazer vai ser difícil contabilizar. Eu acredito pesso- um trabalho que tem um impacto por toda a almente que as possibilidades abertas pela região é muito desafiador e ao mesmo tempo nuvem vão além de formas diferentes de fa- 20
  21. 21. zer coisas que fazemos hoje. Acredito que os transformações, não apenas do ponto de vis-clientes mais e mais poderão se beneficiar do ta dos clientes mas da nossa própria estraté-uso da nuvem para fazer coisas que antes gia. Muito feedback e um trabalho muito pró-não poderiam ser feitas e ao fim do dia ou de ximo a comunidade sem duvida tem um pesoum projeto vai ficar cada vez mais difícil pre- muito grande nesse momento de transforma-cisar quantas coisas estão na nuvem publica ção. Uma comunidade atuante permite cris-ou privada da mesma forma que a eletricida- talizar as ideias e ajudar no desenvolvimentode. E mesmo clientes que já se beneficiam do mercado, sem contar um trabalho de ca-de virtualização, poderão continuar sua jor- pacitação especializada, uma vez que em es-nada de evolução multiplataforma utilizando pecial no Brasil há uma carência conhecidauma solução completa como a solução de em áreas especializadas de TI e com isso aNuvem Privada Microsoft. crescente e atuante comunidade faz toda a diferença como elemento catalisador.Como você vê a atuação dos parcei-ros Microsoft em LA- Eu lembro do lança-TAM atuando com mento da revista Sys- tem Center e tenhoSystem Center? acompanhado todo o O básico já não é crescimento e caprichoEsta ocorrendo uma grandetransformação no mercado suficiente e quem com as edições e vejo que as redes sociaise a Microsoft tem trabalha- investiu no tem uma importânciado de forma muito próxima conhecimento está em única para que essedos parceiros para ajudar trabalho se multipliquenessa transição. Não ape- vantagem. e possa tocar um publi-nas o mercado esta em co crescente e ansiosomudança mas as soluções por saber o que aconte-tem se adequado a essa ce no mundo do gerenciamento!transição. Um parceiro que toma proveito de Canal System Center Revistatodos os novos recursos da solução e capaci-tação que temos trabalhado tem maiores Na sua opinião, qual é o carro chefechances de êxito. entre os componentes do SystemMais do que produtos de gerenciamento, in- Center 2012?cluindo monitoração e patch management,parceiros que tem incorporado as práticas de Nossa essa é uma pergunta difícil, cada ca-nuvem e sabem explorar novos recursos que pacidade é como um filho! A possibilidade dea plataforma System Center oferece (como clientes que já usam virtualização, mesmoautomatização através do Orchestrator, Com- que com outro fabricante, possam agregarpliance Management com o Configuration capacidades como gestão unificada de físico,Manager, Monitoração de aplicações e gestão virtual e nuvem publica/privada sem dúvidade nuvens hibridas como muitas outras) tem merece destaque.crescido de forma exponencial e aproveitadoum grande momento. Os clientes não podem ser limitados pelo li- cenciamento voraz como outras soluções ouO básico já não é suficiente e quem mais in- ainda ir contra os princípios econômicos davestiu no conhecimento de novas capacida- nuvem como ocorre em outras soluções. Odes avançadas está em vantagem. E a evolu- fato de contarem com o System Center 2012ção constante é fundamental. e sua amplitude de capacidades aliado a um licenciamento simplificado tem feito muitosQual é a sua visão sobre a impor- clientes usuários de outras soluções a conti-tância da comunidade na divulga- nuarem sua evolução usando a solução Mi- crosoft para nuvem privadação de Nuvem Privada?A comunidade é o motor de muitas dessas 21
  22. 22. O que você mais gostou no Hyper-V de explosão de dados. O Windows Server 3.0 (Windows Server 2012)? 2012 para mim é revolucionário e vai ampliar as possibilidades dos clientes de formas im- O Hyper-V vem agregando uma série de no- pensáveis há poucos anos. vas capacidades, não apenas ficando par a par com outras soluções existentes, mas ofe- Deixe um recado para os leitores, recendo capacidades que não tem similar no que já atuam e/ou que estão inici- mercado. A possibilidade de se utilizar virtua- ando suas carreiras em Nuvem Pri- lização de storage e rede com uma ampla vada. gama de compatibilidade de hardware torna- rá facilidades de alta performance e Disaster Falei mais de uma vez sobre o momento de Recovery em cenários onde hoje o cliente re- transformação do ambiente de TI. Os recur- quer uma solução engessada, cara e comple- sos de auto treinamento, webcasts, docu- xa vinda de outros fabricantes. Além disso, a mentação online tem resposta do mercado a crescido em velocidade constante evolução da pla- espantosa. Os clientes taforma tem sido super po- não estão mais casados sitiva. Virtualização é uma com uma tecnologia ou peça fundamental para a Virtualização é uma outra. Me lembro no evolução da infra estrutura, mas o nível de integração peça fundamental para começo da minha car- reira onde uma plata- entre System Center e a evolução da infra forma de rede domina- Windows Server, incluindo estrutura. va o mercado de forma o Hyper-V sem dúvida me- indiscutível e hoje é le- rece destaque pela quanti- gado, então a capacida- dade de cenários que per- de de reinvenção que mite habilitar. Anote essas nós temos como profis- palavras: Antes de 01 ano depois do lança- sionais e a percepção dessas mudanças é mento do Windows Server 2012, teremos Canal System Center muito importante, até pela velocidade com muitos mercados na America Latina onde o que as coisas tem mudado. O estudo é um Hyper-V terá mais participação de mercado fator transformador e a experiência nos dá que qualquer outro hypervisor. perspectivas muito amplas no mercado. O in- glês é fundamental, mas com todos os vizi- Para o Windows Server 2012, qual nhos do Brasil que falam espanhol, existem a sua nova funcionalidade favorita? oportunidades infinitas quando se vai alémRevista Por qual motivo? do portunhol e do inglês the book is on the table. E nunca se conformem com coisas que Essa me pegou. Eu acho que Hyper-V replica sempre funcionaram assim e ninguém ques- e o novo server manager são fatores de mu- tiona. Pensemos em fazer melhor a cada dia dança muito importantes. No caso de Hyper- e realizar todo o potencial e como podemos V replica, clientes que antes precisariam ad- evoluir como pessoas e não apenas como quirir SANs ou tecnologias de replicação no profissionais. A tecnologia tem um potencial nível do host vão contar com um recurso imenso de mudar as coisas e nosso papel co- avançado para por exemplo ter estratégias mo profissional vai muito além de bits e de disaster recovery. O novo server manager bytes. Nunca aceite que alguém se conforme simplifica o gerenciamento de muitos servi- de que algo não pode ser feito. O amanhã é dores para operações do dia a dia, o que é feito de um monte de hojes. ideal não apenas para pequenas empresas, mas para virtualmente qualquer cliente. Aylton, obrigado por sua participação e até E o ReFS (resilient file server) eu não poderia uma próxima oportunidade. deixar de citar, um passo para mim super im- portante para escalar armazenamento no ní- vel necessário para um ambiente crescente 22
  23. 23. CanalSystemCenter.com.br Canal System Center Revista Nos encontramos na próxima edição! 23

×