PETI - Fase de Execução

361 visualizações

Publicada em

Entender a fase de execução do Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação a partir de suas principais características, desafios e barreiras - Slides referentes à participação em Estágio Docência no Mestrado em Administração da UFS na disciplina 'Gestão de TI'

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
361
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

PETI - Fase de Execução

  1. 1. PETI Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação Wagner Silva Gestão de Tecnologia da Informação
  2. 2. ! GARTNER Apenas 30% dos projetos de TI atingem seus objetivos com sucesso CHAOS • Perto de 50% dos projetos de TI são cancelados antes do tempo • Cerca de 82% são entregues com atraso
  3. 3. Cenário • Pressões dos negócios • Riscos • Competências • Preço/Performance • Vantagens competitivas • Processos • Estrutura • Relacionamentos TI Com isto, está se tornando difícil separar os aspectos de planejamento de TI dos de negócio (BRODBECK, 2001)
  4. 4. Objetivos Entender a fase de execução do PETI a partir de suas principais características, desafios e barreiras.
  5. 5. SOFTWARE PETI HARDWARE PESSOAS TELECOMU DADOS NICAÇÃO
  6. 6. Execução • Organizar e executar mudanças planejadas • Etapa mais crítica do processo de planejamento – Constitui-se na principal limitação das estratégias da tecnologia da informação (REICH; BENBASAT, 1996) • A maioria das causas do insucesso é de natureza social • Gerenciamento: envolve criteriosa análise, avaliação e planejamento
  7. 7. Principais Desafios (GOTTSCHALK; LEDERER, 1997; GOTTSCHALK; HOGSKOLEN, 1997) Alinhar a TI com as metas dos negócios organizacionais Explorar e direcionar a TI para vantagem competitiva Direcionar recursos para uma gestão efetiva Gerar um ambiente que favoreça a geração de estratégias organizacionais
  8. 8. Principais Barreiras (REZENDE, 2007) Suporte gerencial Envolvimento dos usuários Disponibilidade de recursos Documentação do plano gerado Compromisso da alta gestão Competência dos envolvidos Apoio, monitoramento e competência;
  9. 9. TEMPO • Reavaliação: – Trimestral – Semestral – Anual – Condições situacionais ou especiais • Abrangência: não pode ser muito longo (mudanças tecnológicas)
  10. 10. Dinâmica Dados Banco de Dados, Backup, Redundância, Data Warehouse, Segurança etc Hardware Desktops, Notebooks, No-breaks, Suporte etc Pessoas Contratação, Treinamentos, Salários, Ergonomia, Estrutura e Cargos etc Software Sistemas Operacionais, Desenvolvimento, Aquisição, Métodos de Acesso etc Telecomunicação VoIP, Pontos de Acesso, Arquitetura e Segurança da Rede etc
  11. 11. TCU Missão Controlar a administração pública para contribuir com seu aperfeiçoamento em benefício da sociedade Visão Ser reconhecido como instituição de excelência no controle e no aperfeiçoamento da Administração Pública Objetivo Estratégico Induzir a Administração Pública a divulgar informações de sua gestão
  12. 12. Anac Missão Promover a segurança e a excelência do sistema de aviação civil, de forma a contribuir para o desenvolvimento do País e bem- estar da sociedade brasileira. Visão Ser uma autoridade modelo da Aviação Civil Internacional, atingindo um dos cinco menores índices de acidentes do mundo até 2014. Objetivo Estratégico Redução do nível de acidentes aéreos;
  13. 13. IBGE Missão Retratar o Brasil com informações necessárias ao conhecimento de sua realidade e ao exercício da cidadania Visão Ser reconhecido e valorizado, no país e internacionalmente, pela integridade, relevância, consistência e excelência de todas as informações estatísticas e geocientíficas que produz e dissemina em tempo útil Objetivo Estratégico Implementar uma política de comunicação integrada, voltada para os públicos interno e externo de forma a manter transparente o relacionamento com os servidores e a sociedade e contribuir decisivamente para a manutenção da imagem pública de qualidade e credibilidade do IBGE.
  14. 14. Hospital Geral de São Mateus Missão Prestar atendimento de saúde com qualidade e humanização à população da região de São Mateus nas áreas de urgência, emergência, maternidade, pediatria, clinica geral, clínica cirúrgica e queimados. Visão Tornar-se um hospital de referência em qualidade entre os hospitais públicos do Estado de São Paulo Objetivo Estratégico Fomentar a política de gestão de pessoas orientada para o desenvolvimento profissional e pessoal na busca do aprendizado individual e de excelência institucional
  15. 15. UFS Missão Contribuir para o progresso da sociedade por meio da geração de conhecimento e da formação Visão Ser uma instituição pública e gratuita que se destaq Objetivo Estratégico Estender à comunidade, com a qual deverá manter permanente intercâmbio, os programas de ensino e pesquisa, através de cursos ou atividades similares, e da prestação de serviços especiais
  16. 16. Críticas • Há autores que contestam a necessidade de um PETI – Intenso dinamismo das mudanças tecnológicas e dos padrões de concorrência dos mercados • Ciborra (1998) considera que o sucesso de aplicações de TI pode ser atingido através de um processo gradual e por tentativas • As críticas residem muito mais no processo moroso e centralizado de planejamento • Um dos elementos-chave da estratégia da TI é a integração e o alinhamento com as estratégias de negócio da organização
  17. 17. silvawbr Objetivos Entender a fase de execução do PETI a partir de suas principais características, desafios e barreiras.

×