DA NATUREZA DAS COMUNICAÇÕES  COMUNICAÇÕES GROSSEIRAS, FRÍVOLAS, SÉRIAS, INSTRUTIVAS    COEM – 3ª AULA TEÓRICA
•    DA NATUREZA DAS COMUNICAÇÕES: Desde o instante em que se    observou com cuidado e detalhes as manifestações objetiva...
•   ALLAN KARDEC o Codificador do Espiritismo    Homem dotado de extraordinário bom senso,    todavia, concluiu, de início...
• Segundo, em decorrência do primeiro juízo, concluiu que  há uma verdadeira hierarquia entre os Espíritos, sendo  que as ...
•   COMUNICAÇÕES GROSSEIRAS: São comunicações de termos chãos, baixos    e indecorosos, provêm de Espíritos inferiores, ig...
• São comunicações verborrágicas e que não trazem conteúdo  algum, às vezes pontilhadas de absurdos, pois são destituídas ...
• COMUNICAÇÕES SÉRIAS: São ponderadas quanto ao  assunto e elevadas, elegantes quanto à forma. "Nem  todos os Espíritos sé...
• COMUNICAÇÕES INSTRUTIVAS: São as que têm  caráter sério, são verdadeiras e induzem a algum  esclarecimento particular ou...
• 1.Bibliografia essencial:• ALLAN KARDEC - "O Livro dos Médiuns" - 2a. parte,  caps. X e XI.• ALLAN KARDEC - "Obras Póstu...
MANUTENÇÃO VIBRATÓRIA  COEM - 3ª AULA PRÁTICA
• Conseguida a concentração, após um preparo adequado por  parte de todos os componentes do grupo, é necessário manter-  s...
•   LEITURA:• Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier,• "VINHA DE LUZ", cap. 155;• "ENCONTRO MARCADO”, cap.41
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

3ª aula da natureza das comunicações - coem

3.852 visualizações

Publicada em

Natureza das comunicações mediunicas

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.852
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
207
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3ª aula da natureza das comunicações - coem

  1. 1. DA NATUREZA DAS COMUNICAÇÕES COMUNICAÇÕES GROSSEIRAS, FRÍVOLAS, SÉRIAS, INSTRUTIVAS COEM – 3ª AULA TEÓRICA
  2. 2. • DA NATUREZA DAS COMUNICAÇÕES: Desde o instante em que se observou com cuidado e detalhes as manifestações objetivas (fenômenos de efeitos físicos), e se pode concluir pela inteligência extra-física que os provocava e dirigia, e que se dizia ser a alma de uma pessoa já falecida dando provas de identificação, um mundo novo se abriu aos olhos da humanidade: O Mundo Espiritual, habitado pelos seres invisíveis, que pelo fenômeno da morte já tinham abandonado o veículo físico.• Notou-se, porém, que os Espíritos não somente se manifestavam, como, também, procuravam estabelecer um diálogo esclarecedor, estabelecendo assim, uma verdadeira comunicação. Respondiam a perguntas, esclareciam pontos obscuros, discorriam com seriedade sobre questões controvertidas, faziam revelações.
  3. 3. • ALLAN KARDEC o Codificador do Espiritismo Homem dotado de extraordinário bom senso, todavia, concluiu, de início, que nem todos os Espíritos estão aptos a responder a todas as questões, e que cada um só pode falar daquilo que sabe, não havendo impedimento porém, a que Espíritos levianos, aproveitando-se da credulidade e do excesso de fé de alguns, impingissem certas orientações e ensinos que não suportariam o mais leve raciocínio analítico e lógico.• "Um dos primeiros resultados que colhi das minhas observações, foi que os Espíritos, nada mais sendo do que as almas dos homens, não possuíam nem a plena sabedoria, nem a ciência integral. Que o saber de que dispunham se circunscrevia ao grau que haviam alcançado, de adiantamento, e que a opinião deles só tinha o valor de uma opinião pessoal. Reconhecida desde o princípio, esta verdade me preservou do grave escolho de crer na infalibilidade dos Espíritos e me impediu de formular teorias prematuras, tendo por base o que fora dito por um ou alguns deles". (Obras Póstumas, 2a. Parte, A Minha Primeira Iniciação no Espiritismo).
  4. 4. • Segundo, em decorrência do primeiro juízo, concluiu que há uma verdadeira hierarquia entre os Espíritos, sendo que as suas posições se definem graças a um desenvolvimento intelectual e moral adquirido na Terra. Em consequência, as comunicações dos Espíritos "hão de refletir a elevação ou a baixeza de suas idéias, o saber e a ignorância deles, seus vícios e suas virtudes; numa palavra, elas não se hão de assemelhar mais do que as dos homens, desde os selvagens até o mais ilustrado europeu". (O Livro dos Médiuns, 2a. parte, cap. X). Segundo suas características, as comunicações podem ser divididas em:• a) grosseiras;• b) frívolas;• c) sérias;• d) instrutivas
  5. 5. • COMUNICAÇÕES GROSSEIRAS: São comunicações de termos chãos, baixos e indecorosos, provêm de Espíritos inferiores, ignorantes e revoltados que extravasam o que lhes vai na alma. Geralmente, são entidades obsessoras que se comunicam através daqueles a que perseguem. Em trabalhos especiais essas entidades podem também se comunicar por médiuns que caridosamente lhes proporcionem tal oportunidade, porém, a comunicação não terá o caráter grosseiro graças à boa educação mediúnica, que a filtra, reprimindo o que seja indesejável.• De acordo com o caráter dos Espíritos grosseiros, elas podem ser:• a) triviais;• b) ignóbeis;• c) obscenas;• d) insolentes;• e) arrogantes;• f) malévolas;• g) ímpias;• COMUNICAÇÕES FRÍVOLAS. Emanam dos Espíritos:• a) levianos;• b) zombeteiros;• c) brincalhões;• d) maliciosos;
  6. 6. • São comunicações verborrágicas e que não trazem conteúdo algum, às vezes pontilhadas de absurdos, pois são destituídas de todo senso lógico. Nada têm de indecoroso e também nada têm de sério; são mensagens de irresponsáveis.• Às vezes são espirituosas e por trás do chiste, da graça, apresentam duras verdades, que ferem com justeza.• "A verdade é o que menos os preocupa; daí o maligno encanto diz ALLAN KARDEC - que acham em mistificar os que têm a fraqueza e mesmo a presunção de neles crer sob palavra".• "As pessoas que se comprazem nesse gênero de comunicações naturalmente dão acesso aos Espíritos levianos e falaciosos. Delas se afastam os Espíritos sérios do mesmo modo que na sociedade humana, os homens sérios evitam a companhia dos doidivanas".• Geralmente, são os Espíritos que se prestam a revelar o futuro, a fazer predições, a dar palpites no destino das criaturas humanas, que, sem firme orientação doutrinária, buscam os conselhos através das cartomantes, sortistas, etc....
  7. 7. • COMUNICAÇÕES SÉRIAS: São ponderadas quanto ao assunto e elevadas, elegantes quanto à forma. "Nem todos os Espíritos sérios são igualmente esclarecidos; há muita coisa que eles ignoram e sobre as quais podem enganar-se de boa fé. Por isso é que os Espíritos verdadeiramente superiores nos recomendam de contínuo que submetamos todas as comunicações ao crivo da razão e da mais rigorosa lógica". (O Livro dos Médiuns, 2a. parte, cap.x).• "No tocante às comunicações sérias, cumpre se distingam as verdadeiras das falsas, o que nem sempre é fácil, porquanto, exatamente à sombra da elevação da linguagem, é que certos Espíritos presunçosos ou pseudo-sábios, procuram conseguir a prevalência das mais falsas idéias e dos mais absurdos sistemas.• E para melhor acreditados se fazerem e maior importância ostentarem, não escrupulizam de se adornarem com os mais respeitáveis nomes e até com os mais venerados". (Idem, idem).
  8. 8. • COMUNICAÇÕES INSTRUTIVAS: São as que têm caráter sério, são verdadeiras e induzem a algum esclarecimento particular ou geral no campo da ciência, da filosofia e da moral. São tanto mais profundas quanto mais elevado for o Espírito que as dita. Têm como características a continuidade, a regularidade e tal esforço dos Espíritos secunda e dos encarnados interessados no estudo e no esclarecimento, ficando entregues aos Espíritos levianos e zombeteiros os que vêem nas comunicações simples diversão e entretenimento. Em uma reunião de pessoas interessadas somente em passatempo, que faria um homem de bem e de ciência? O mesmo ocorre no mundo espiritual. O meio seleciona a categoria de Espíritos que atua sobre si. "Nessa categoria, não podemos, por conseguinte incluir certos ensinos que de sério apenas têm a forma, muitas vezes empolada e enfática, com que os Espíritos que os ditam, mais presunçosos do que instruídos, contam iludir os que os recebem". (O Livro dos médiuns, 2a. parte, cap.X).
  9. 9. • 1.Bibliografia essencial:• ALLAN KARDEC - "O Livro dos Médiuns" - 2a. parte, caps. X e XI.• ALLAN KARDEC - "Obras Póstumas" - 2a. parte - A Minha Iniciação no Espiritismo.• 2.Bibliografia suplementar: LÉON DENIS - "No Invisível" - Caps. XVI e XVII
  10. 10. MANUTENÇÃO VIBRATÓRIA COEM - 3ª AULA PRÁTICA
  11. 11. • Conseguida a concentração, após um preparo adequado por parte de todos os componentes do grupo, é necessário manter- se o ambiente saturado de elementos fluídicos favorecedores do intercâmbio com o plano espiritual.• Manter-se atento às ocorrências da reunião, evitando dispersar o pensamento para objetivos que não os da mesma.• Pela vontade, exercitar-se na doação vibratória em favor de outros componentes do grupo e das entidades espirituais que por ventura estejam no recinto e precisem de vibrações de carinho, afeto, compreensão.• Mentalmente, envolver a todos em pensamentos agradáveis, desejando-lhes o melhor que se possa dar, como se a nossa mente estivesse emitindo forças e palavras de conforto e esclarecimento.• O cansaço após a concentração denota esforço em sentido contrário à boa vibração. Significa que está havendo um mau atendimento às normas de relaxamento e tranqüilidade.• A vibração feita com técnica não cansa, ao contrário , traz um bem estar profundo ao emitente, pela troca de bons fluidos que se estabelece nessas ocasiões.
  12. 12. • LEITURA:• Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier,• "VINHA DE LUZ", cap. 155;• "ENCONTRO MARCADO”, cap.41

×