A Crise de 1929

326 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
326
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Crise de 1929

  1. 1. A Crise de 1929 Ao final da I Guerra Mundial a economia dos Estados Unidos tinha se tornado a mais poderosa do mundo. Os “anos felizes”: Período de prosperidade econômica nos Estados Unidos American way of life: Caracterizado pelo consumismo de produtos que iam de eletrodomésticos a automóveis. Viver bem era sinônimo de consumir mais. Esse clima de euforia pela prosperidade econômica permaneceria durante quase toda a década de 1920. Entretanto, no ano de 1929, os Estados Unidos enfrentariam uma forte recessão econômica que afetaria vários países.
  2. 2. A Reconstrução da Europa No final da década de 1920, a Europa havia se recuperado das destruições causadas pela I Guerra Mundial. A estrutura produtiva da Europa se organiza a partir de 1925. Os governos e empresários da Inglaterra, da Alemanha e da França, procuraram modernizar rapidamente seu parque industrial. A Europa passa a se tornar menos dependente de produtos Norte-americanos. Nos Estados Unidos, porém, o ritmo da produção industrial e agrícola continuava a crescer, ultrapassando a capacidade de compra dos mercados interno e externo.
  3. 3. Os Sinais de enfraquecimento da economia Norte-americana Queda dos preços e dos lucros: Os preços baixaram drasticamente, o mesmo ocorrendo com a margem de lucro dos empresários e agricultores. Redução da atividade econômica: Os produtores foram obrigados a reduzir o ritmo de suas atividades e produzir menos. Desemprego em massa: Houve demissão de milhões de trabalhadores. O número de desempregados nos EUA chegou a mais de 15 milhões.
  4. 4. O Crash da Bolsa de Valores de Nova York A redução constante da atividade econômica nos EUA levou um número cada vez maior de acionistas e investidores a vender as ações que possuíam. A oferta de ações aumentou progressivamente. Seus preços caíram cada vez mais e o pânico tomou conta do mercado financeiro. No dia 29 de outubro de 1929, ocorreu a queda vertiginosa do valor de milhões de ações que eram negociadas na Bolsa de Valores de Nova York. O que são as ações da Bolsa de Valores?
  5. 5. Os Efeitos do Crash na Bolsa de Nova York Falência de Bancos e Fábricas (85 mil empresas). Desemprego em massa (15 milhões nos EUA). A crise se alastrou por todo o mundo. Houve diminuição do consumo no mundo inteiro. Diminuição dos salários em 50%. Os cafeicultores brasileiros perderam as vendas para os EUA. Os estoque de café se tornaram tão grandes que o governo queimou milhões de sacas do produto.
  6. 6. O New Deal Foi criado nos primeiros anos do governo do Presidente Franklin Delano Roosevelt (1933-1945), como medida para superar a crise econômica. Controle dos preços dos produtos agrícolas e industriais. Concessão de empréstimos aos fazendeiros arruinados. Realização de obras públicas. Criação de um salário-desemprego e assistência social. Fixação de salários mínimos e limitação das jornadas de trabalho. Desvalorização da moeda.
  7. 7. Organograma da Crise Prosperidade ↓ ↙ Mecanização da Produção ↘ Aumento da Produção ↓ Aumento do Crédito ↓ Superprodução + Aumento da Ações ↓ Diminuição dos Preços dos Produtos ↓ Diminuição do Consumo Diminuição da Atividade Industrial ↓ ↙ Quebra da Bolsa de Nova York ↘ Menos Produção ↓ Menos Crédito ↓ Menos Demanda ↓ Desemprego em Massa ↓ Depressão Econômica Crise Econômica
  8. 8. O Jornal da Época
  9. 9. As Consequências da Crise

×