RIU!!                                                                                                                     ...
02                                                                        “ABERTURA                                       ...
PRÓXI                                                   MA E DIÇÃO                                                        ...
04                                                                                                                 “  TODO...
05                                                                        A maioria dos leitores do blog do Voz Ribatejana...
06                                                                             “                                          ...
“A Festa Brava                  é para quem gosta,                 não é só para os Vila-                                 ...
13                                                                                                            OLHO VIVO   ...
Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011
Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011
Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011
Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011
Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011
Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011
Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011
Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011
Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011
Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011
Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011
Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011
Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011
Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011
Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011
Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011

1.231 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.231
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Voz ribatejana ediçâo 20 julho 2011

  1. 1. RIU!! JÁ AB Região perde maisEm frente aos correios de Alvercatel: 21 958 45 37 Web: www.audiovital.pt 10 escolas primárias pag.: 4 e 5 VAMOS ONDE PRECISAR! NÓS RESOLVEMOS! “ FINANCIAMENTOS | POUPANÇAS | SEGUROS GESTÃO DE CONDOMÍNIOS | ADMINISTRAÇÃO, MANUTENÇÃO E LIMPEZA R. Dr Miguel Bombarda, Loja 26 Alhandra Tlf: 218 081 171 - alhandra@conta-vencedora.pt“ Voz Ribatejana:: número 17 :: ano 1 :: 20 de Julho de 2011 :: quinzenário regional :: director Jorge Talixa :: preço 0,50 cêntimos :: Alverca – Transportadora TNC pode fechar se não aparecer comprador Alhandra tem campeões de natação e canoagem pag.: 17 e 18 Desenhador O administrador judicial mandou suspender a actividade da TNC e regressar os motoristas que condenado a estavam no estrangeiro. Prometeu, entretanto, encontrar um comprador, mas sindicato e trabal- pena máxima hadores temem que seja o fim da empresa trans- portadora de Alverca e dos seus 126 postos de tra- por matar o pai balho. pag.: 2 e 3 pag.: 7 Desemprego 300 kenpokas invadem Arruda pag.: 19 ameaça 126 Acordos com: ADSE | ARS | ACS PT | ADM | Multicare | Zurich | AXA | Fidelidade Mundial | Acidentes de Trabalho (Acordo com várias companhias de seguros) Edifício Planície - Rua do Curado Lojas 101 e 115 Vila Franca de Agora com mais um novo Xira Tel: 263 270 272 - 912 247 171 espaço de saúde e bem-estar recuperaxira.be@gmail.com recuperaxira@gmail.com
  2. 2. 02 “ABERTURA voz ribatejana #17AlvercaRisco de fecho da TNC ameaça126 postos de trabalho Transportadora de Alverca é uma das maiores do País mas o plano de recuperação foi rejeita- do pela banca. A ameaça de fecho da TNC levou ontem a um protesto com 28 camiões a desfilarem em Lisboa. Hoje, trabalhadores, sindicato, administrador PCP questiona judicial e presidente da Câmara reunem em Vila Franca. Governo e Câmara Os vereadores da CDU já apresentaram um requerimento à Câmara de Vila Franca de Xira onde questionam se a autar- quia tinha conhecimento destes desenvolvimentos na TNC e se sabe de algum interesse imobiliário ou de algum pedido de viabilidade de empresas interessadas em dar outro destino ao extenso espaço onde funciona a TNC. Em comunicado, a Concelhia do PCP estranha os últimos desenvolvimentos do caso da TNC, garante que está ao lado da luta dos trabalhadores e que “tudo fará para impedir mais um encerramento de uma empresa viável no concelho de Vila Franca de Xira”. No plenário de sexta-feira esteve também presente o deputa- do comunista Miguel Tiago, que resumiu o requerimento entretanto remetido pelo seu grupo par- lamentar ao Ministério da Economia, questionando que medidas tomou ou vai tomar o Governo em defesa da TNC e da manutenção destes postos de trabalho. O eleito do PCP frisou que “a força e a resistência” que os trabalhadores ence- da empresa vierem a manifestar dores, rramento da TNC. Na serão decisivos nesta luta pela con- mas os quarta-feira ao fim do dia, tinuidade da empresa e aconselhou-os a unirem-se. “Há f u n - o administrador judicial tradições forças políticas como o PCP que estão convosco, mas parte cionários man- deu instruções a alguns tra- ao administrador judicial, da responsabilidade está nas vossas mãos ao fazerem frente a têm muitas dúvidas e decidi- balhadores que ainda se encon- estranha a antecipação da esta linha de desmantelamento do nosso País e de destruiçãoJorge Talixa ram continuar na empresa, de travam no complexo sede da assembleia (onde os traba- das empresas, que deixa sempre incólumes e intocáveis os modo a exigirem os seus di- TNC para mandar regressar os lhadores não participaram interesses daqueles que gerem as empresas”, sustentou reitos e a impedirem a saída de motoristas que estavam no porque ainda não eram cre- Miguel Tiago, incentivando os trabalhadores presentes a nãoA paragem da laboração da quaisquer materiais. Ontem estrangeiro e para que os que dores) e a atitude dos bancos, permitirem que os bens existentes sejam retirados da empre-TNC (Transportadora Nacional protestaram em Lisboa. estavam na base não saíssem, sobretudo do Santander. É que, sa. “O País não aguenta mais empresas a fechar, a prolifer-de Camionagem) ordenada, na A TNC está envolvida num porque a empresa ia parar. A segundo os trabalhadores, a ação do desemprego, não aguenta mais esta conversa de quequarta-feira, pelo admi- complexo imbróglio judicial notícia chegou à maioria dos empresa mantém 105 camiões, o trabalho é um privilégio. O trabalho é um direito”, con-nistrador de insolvência, faz que, segundo a comissão de funcionários por telefone e cerca de 70 dos quais compra- cluiu.temer o próximo encerramento trabalhadores, terá origem nos SMS. dos em Leasing através do Também o Bloco de Esquerda já se pronunciou, mostrando-de uma empresa com 53 anos desentendimentos entre os dois Anabela Carvalheira, dirigente Santander, mas cujos paga- se preocupado com toda esta situação dos 126 trabalhadoresde existência que, com os seus herdeiros do fundador. A irmã do STRUP, reuniu, na sexta- mentos estarão totalmente em da TNC e das suas famílias. Em requerimento dirigido ao105 camiões e 126 fun- ficou com a TNC (transportes feira de manhã, com o admi- dia. Anabela Carvalheira diz Governo, o grupo parlamentar bloquista quer que secionários, ainda é uma das internacionais) e o irmão com a nistrador judicial, que lhe disse não entender a atitude do “explique como é que, no espaço de 3 semanas, uma empre-maiores do sector. Reunidos, TNC 2 (transportes nacionais). que estaria a tentar promover a Santander, que “não tem crédi- sa que estava em recuperação é agora liquidada”. O docu-sexta-feira à tarde, em Segundo José Martins, presi- venda da TNC a outra grande tos vencidos” e sabe que, para mento sublinha que “é ainda necessário compreender se oplenário, os trabalhadores dente da comissão de traba- empresa do sector para evitar o além dos bancos, a TNC só tem Estado ofereceu ajuda para a viabilização desta empresa” edecidiram organizar piquetes lhadores, há ano e meio, o encerramento definitivo. O dívidas relevantes a uma gaso- questiona o Ministério da Economia e do Emprego sobre apara evitar a retirada de materi- irmão pediu a penhora das con- gestor nomeado pelo Tribunal lineira (1 milhão de euros) e ao forma como irá procurar garantir os direitos dos seus traba-ais da empresa de Alverca, já tas da TNC para tentar recupe- do Comércio aponta “falta de irmão da dona (cerca de 2, 4 lhadores.depois de, na véspera, terem rar valores alegadamente devi- liquidez” à empresa e alguma milhões de euros). “O admi-impedido alegados represen- dos. A irmã requereu, então, quebra de credibilidade pela nistrador diz que a assembleiatantes do administrador judi- um processo de insolvência, venda de 76 camiões no início decidiu que a empresa é paracial de mudarem as fechaduras com o objectivo de promover deste ano. encerrar, mas a juíza tem que DR. JOSÉ BRANCOdas instalações. um plano reestruturação. O Já cerca das 19h00, o admi- publicar a acta e isso ainda nãoAo fim da tarde dessa mesma processo evoluiu, a empresa nistrador judicial esteve na foi feito. Parece-me que se está PSICÓLOGO CLÍNICOsexta-feira, o administrador sede da TNC para anunciar que a tentar acelerar o processo ORDEM DOS PSICÓLOGOS tem salários e pagamentos àjudicial garantiu aos traba- já encontrara um interessado sem percebermos porquê. A CÉDULA PROFISSIONAL Nº8881 Segurança Social e ao Fiscolhadores que conseguiu arran- em dia e bastante trabalho. em adquirir a empresa e que vida de centenas de pessoas PSICOTERAPIA DE ADULTOS E ADOLESCENTESjar um comprador para a Para surpresa de muitos, iria submeter a proposta aos não pode ser jogada de forma Terapia de casal – Baixa auto-estima - Depressão –empresa cuja identidade segundo o Sindicato dos credores na próxima segunda- verbal, tem que haver docu- Ansiedade – Fobias – Pânico - Insónia – Disfunçãopreferiu não revelar, mas que Trabalhadores Rodoviários e feira. Não quis revelar quem é mentos”, sublinha a sindica- sexual – Stress Pós-traumáticoestará disposto a assumir o pas- Urbanos de Portugal (STRUP), o “comprador”, o que adensou lista, frisando que é preciso Consultórios: Alverca - R.Cidade de Dévnia, 21, 2º,sivo da empresa (próximo dos a assembleia de credores agen- as dúvidas, mas garantiu que esclarecer se a empresa tem Dto - Lisboa - Clínica Movimento e Saúde/ R. José6 milhões de euros) e a manter dada para Setembro foi anteci- estará disponível para garantir viabilidade ou se há outros Falcão, 52, 2º F - Santarém – Pharma 8 / R. Cidadeos postos de trabalho. O gestor pada para Junho e, aí, o Banco todos os direitos dos trabal- interesses relacionados com os de Lisboa Nº7, Loja Bnomeado pelo tribunal prome- Espírito Santo e o Santander hadores. terrenos que possui em Alvercateu submeter essa proposta Anabela Carvalheira, dirigente avaliados em 6 milhões de Informações e marcações: Totta terão rejeitado um planodurante esta semana aos cre- de reestruturação, votando pelo do STRUP, aponta con- euros. 961 285 155
  3. 3. PRÓXI MA E DIÇÃO JANA DO 03 IBATE RCA! V OZ R N ÃO PE20 de Julho de 2011 A GOSTO A 3 DEDois casosem 126Carina Belga e Carlos fechar assim não tínhamosRodrigues são dos mais conhecimento. Isto foi tudojovens funcionários da de um dia para outro”,TNC e enfrentam, agora, o lamenta.risco de perderem repenti- A informação do admi-namente o emprego. nistrador judicial de queSabiam das dificuldades da haverá um compradorTNC e do processo de interessado na TNC veioinsolvência, mas o muito abrir uma réstea de espe- José da Silva Martins (à direita),trabalho que existia e os rança, mas os trabal- presidente da comissão de trabal-salários e contribuições em hadores mantêm muitas hadores está há 34 anos na TNC,dia não faziam esperar dúvidas. Carina sabe que, aqui acompanhado com outro com-qualquer desenlace deste no actual quadro económi- panheiro da Comissão de trabalhorestipo. Estavam já em casa co, encontrar um novoquando, ao fim da tarde de emprego é muito complica-diaalguns cole-gasc o m u - 13, lhes d o Felizmente a situação do seu . “Foi das melhoresnicaram queo admin-istradorjudicial man- compa- nheiro estável, mas a pre- é empresas portuguesas”dara parar ocupação José da Silva Martins tem 34 anos e trabalho na TNC e vive com muita tristeza estes momentos de extrema dificuldade da quetoda a activi- da família já foi uma das melhores transportadoras europeias.dade da é grande.empresa. C a r l o s Jorge Talixa explica, afirmando que os 76 camiões no início deste ano, em TNC 2 (dirigida pelo filho eE m b o r a Rodrigues, problemas começaram com os a TNC ainda mantinha 105 vocacionada para os trans-deixasse no de 28 anos, José da Silva Martins trabalha desentendimentos entre os dois veículos em laboração e nunca portes nacionais. O presidentear a expecta- trabalha na na TNC há 34 anos e dedicou irmãos que herdaram a empre- lhe faltou serviço. Os 126 fun- da comissão de trabalhadorestiva de que TNC na grande parte da vida à empresa. sa. “Houve vários problemas cionários distribuem-se por conta que, há cerca de ano ese procurava área de Preside, agora, à comissão de motoristas, mecânicos e pes- meio, o irmão penhorou asuma solução,os traba- informática e também trabalhadores e é com muita tristeza que vê os últimos desenvolvimentos de uma casa Reunião soal de escritório. José Martins critica também muito a postura do Estado nes- contas da TNC por alegadas dívidas da irmã e esta terá resolvido meter o processo delhadores foi comple-perceberamque havia tamente surpreendi- que se habituou a respeitar, sobretudo quando o fundador hoje na tas questões. “Se devêssemos ao fisco se calhar o Estado não insolvência para assegurar a continuidade da empresa e a da TNC ainda era vivo (faleceu deixava fechar, como não aprovação de um plano desérios riscosde um ence-rramento do com esta situação. “Não tenho em 2000). Um homem que também era criticado mas que Câmara devemos, quem cumpre com o estado é prejudicado. Há aí fir- recuperação. O processo arras- tou-se e, nos últimos meses, adefinitivo. filhos, vivo José Martins acha que era a mas que devem milhões ao assembleia de credores pre-Já na sexta- com os grande alma da empresa. Não Trabalhadores da TNC Estado e, quando metem vista para Setembro foi anteci-feira, antes do plenário, meus pais. Só soube no fim se cansa por isso de repetir que foram anteontem rece- planos de insolvência, o Estado pada para Junho e terá sidoCarina Belga explicou que do dia de trabalho que, afi- a TNC “foi uma das melhores bidos pela presidente da ajuda, para ver se recuperam o nessa altura que os dois bancostrabalha há 9 anos na nal, ia tudo parar. Trabalho empresas portuguesas e ga- Câmara de Vila Franca de deles. Nós, como a firma não votaram contra o projecto deempresa, com a tarefa de aqui faz 5 anos. É sempre nhou, na década de 90, o Óscar Xira. Hoje, nos Paços do deve nada, deixaram-nos ao viabilização.receber os serviços dos complicado conseguir uma da melhor transportadora Concelho, realiza-se uma abandono e mandaram parar a “No dia 13, o senhor Brunomotoristas e de os encami- nova colocação, só se con- europeia. Foi considerada a reunião entre represen- frota”, lamenta. Vicente (administrador judi-nhar para a facturação. segue coisas temporárias e melhor pela União Europeia”, tantes dos trabalhadores , Segundo José Martins, na cial) deu ordem para todos osReside em Alhandra, tem a recibo verde”, reconhece, sublinha, frisando que “teve sindicato, administrador sequência da morte do fun- motoristas regressarem e para27 anos e duas filhas conhecedor das dificul- muitos bons momentos até o judicial e presidente da dador a antiga empresa – fun- que os outros não saíssem,pequenas, uma com 6 e dades de muitos dos seus fundador disto tudo ter morri- autarquia. dada há 53 anos e desde 1996 dizendo que a empresa estavaoutra com 2 anos. “Isto é colegas de curso. “Uma do”. sedeada em Alverca – foi divi- parada. Ninguém nos disse setudo muito complicado. É empresa tão grande e com Agora, com 59 anos, José entre eles, de dívidas, que dida em TNC (dirigida pela estávamos despedidos. Elecom tristeza que vejo isto tantos anos, é triste parar Martins está, sobretudo, pre- acabaram nesta transformação filha e vocacionada para os prometeu que, em princípio,acabar assim. Já sabíamos assim. Acabamos por não ocupado com o futuro dos toda que está a acontecer. transportes internacionais) e não seria para fechar”, conclui.que a empresa não estava acreditar muito bem no colegas mais novos. “Por mim Serviço há muito, nunca pará-bem, por causa da que se está a passar”, con- tenho a vida organizada, estou mos. Temos salários em dia,insolvência, mas que ia clui. a dar a cara pelos meus colegas temos tudo em dia, feliz- SANCHO PANÇA e porque dediquei boa parte da mente”, confessa, acrescentan- RESTAURANTE minha vida a esta empresa”, do que, depois de ter vendido CAFÉFORMIGUINHA DO ASSEIO Lda. ANA RODRIGUES SNACK- BAR Reabriu EMPRESA DE LIMPEZAS 961 863 946 om nov c a CERVEJARIA ia - Manutenção e pinturas - - Almoços gerênc ACEITAMOS: - Lavandaria - R. Bento Jesus - Jantares Reservas para grupos Limpezas gerais e - Engomadoria - domésticas | Escritórios, Caraça - Diversos petiscos Encomendas de bolos, - (recolhas e entregas grátis ao domicílo) - condomínios | Limpezas Lt. 48 - 4ºDto doces, salgados e comida Rua José Ferreira Tarré nº 7 Loja 1 Visite-nos! ALVERCA industriais e comerciais | Vila F. de Xira para fora Tel: 219 577 809 - 916 438 041 Gestão de condomínios Tel.: 263 290 051 formiguinhadoasseio@hotmail.com brunovieira-bv@live.com.pt Rua Luís de Camões nº 60 Vila Franca de Xira
  4. 4. 04 “ TODOS COM VOZ voz ribatejana #17Editorial InquéritoO sacrifíciodos pequenos Cachoeiras perde escolaCinco dos concelhos acompanhadospelo Voz Ribatejana defrontam-se, no e pode perder freguesiainício do próximo ano lectivo, com ofecho de mais 10 escolas primárias. Ao A escola primária das Cachoeiras já não reabre no próximo ano lecti- Bernardino Pinto,mesmo tempo, a reforma administrativa vo. Tinha 12 alunos inscritos, mas não resiste ao plano de encerramen-de que tanto se fala parece ameaçar to da maioria dos estabelecimentos com menos de 21 alunos. Na aldeia, 43 anos,muitas das pequenas freguesias e até, que é também sede da freguesia menos populosa do concelho de Vila economistapossivelmente, alguns dos pequenos Franca de Xira, com cerca de 700 habitantes, a decisão não suscitamunicípios da região. A presidente da grandes protestos, mas motiva sobretudo tristeza por mais um passo Penso que na educação a concen-Câmara de Vila Franca de Xira já disse, num caminho de perda que vai afectando os pequenos lugares da tração dos alunos nas escolas éna quarta-feira, que nos seus 136 mil região e do país. A extinção da freguesia é uma possibilidade que tam- inimiga da qualidade de ensino.habitantes o Município está perfeita- bém já se começa a desenhar e que leva os cachoeirenses inquiridos Embora se perceba que, no enquadramen-mente salvaguardado, mas outros não pelo Voz Ribatejana a sublinharem que tem que haver bom senso e que to orçamental actual, seja necessário cortarpoderão dizer o mesmo. os números não se podem sobrepor sempre às pessoas. despesas, as pessoas têm que estar conscientes que o preço disso é a diminuiçãoEm tudo isto ressalta uma ideia: da qualidade do ensino.números. Como se cada cidadão ou Viemos residir recentemente para as Cachoeiras, mas somos do concelho de Vila Franca. Temos duas filhas em idade escolar, que ainda não entraram no ensinocada comunidade não passassem cada Jaime Rocha, 58 primário. Poder-se-ia equacionar a questão desta escola, mas encerrando já nãovez mais de meros números para asestatísticas. Como se cada um não anos se coloca. É mais uma perda. Medidas dessas só contribuem para uma certativesse o direito a poder optar entre o Nem sei quantos miúdos desertificação, embora normalmente haja também um sentido inverso das pe-stress da vida urbana ou a pacatez das andavam na escola. O ssoas fugirem aos grandes centros. Agora, o saldo não sei dizer qual é.pequenas comunidades. Que essa é, pessoal aqui também é Mas acho que não há nenhum critério pedagógico que justifique o encerramen-infelizmente, a tendência cada vez mais pouco, é tudo quase só to, é uma medida exclusivamente economicista. Se disserem que é económica,prevalecente na chamada sociedade pessoas de idade, percebo. Penso que seria possível um professor para todos os 12 alunos, man-moderna já todos percebemos. Os poucos rapazes tendo a escola. Qualquer pessoa que tenha feito o percurso escolar e que tenhagrandes “núcleos” urbanos vão pequenos há aí. Mas estado em turmas de 30 alunos sabe que isso não é a solução ideal.crescendo desmesuradamente “sacrifi- diziam que a escola não No âmbito da redução das freguesias, é natural que as Cachoeiras também sejamcando” os pequenos, os grandes grupos fechava e, agora, já afectadas. Uma vez mais é uma questão de qualidade de serviços versus despe-económicos não hesitam em “destruir” dizem que fecha. Vivo aqui sa. No caso da junta de freguesia, pessoalmente acho que nos faz serviços queas pequenas empresas que ainda lhes há 30 anos, mas não andei não será possível substituir com a extinção da freguesia. Somos pessoas que nosvão “roubando” pequenas migalhas do nesta escola. O movimento das podemos mover, a questão, melhor ou pior, será ultrapassada. Para as pessoasmercado, a grande distribuição explora crianças dá vida à terra. Mas eles mais idosas, com pouca mobilidade, antevejo que aquilo que o Estado poupa, aos pequenos fornecedores que sabe que é que sabem, da maneira como isto está. sociedade vai gastar em dobro. Mas como estamos a falar de equilíbrio orça-tem nas mãos, a banca vai deixando as Não sei por que é que há pouca construção aqui, os transportes mental e não das pessoas!micro e pequenas empresas cada vez também são poucos e a malta foge. Não há nada aqui que fazer, não Penso que as pessoas, nas Cachoeiras, ainda não estão despertas para essa rea-mais entregues a si próprias, etc., etc. O há empregos. Em relação à freguesia não sei como é que vai ser. lidade. Ou não ouviram falar ou não se aperceberam que as Cachoeiras, sendo apróprio Estado, no meio de tudo isto, Acho que não se devia acabar com ela, criaram para aí tantas freguesia mais pequena do concelho, serão, naturalmente, a primeira a ser extin-parece ainda mais apostado em sacri- cidades, tanta coisa nova e, afinal de contas, querem dar a volta a ta. E mesmo que fosse a única, para mostrar que Vila Franca teria aderido aoficar os parcos rendimentos da maioria isso tudo. movimento de extinção das freguesias, inevitavelmente seria a primeira. Nesseda sua população, mantendo benesses âmbito, a freguesia das Cachoeiras é quase uma inevitabilidade desaparecer.para grupos restritos.Esta política ou esta orientação, maisou menos organizada, não tem futuro.Os centros das grandes cidades perdemcada vez mais qualidade de vida, aconstrução está em grande crise, os O Melhor e o Pior da Quinzenacentros comerciais da moda já tiveram O Melhor e Pior da Quinzena é desta vez assegurado pelo nosso amigo leitor Semílio Torres, que de Vialonga nos envia dois exemplos opostos. Amelhores dias e o “castelo de cartas” belíssima ideia de dar outra cor e outro aspecto à emblemática antiga Adega do Brioso e o desleixo dos que nem se preocupam em deitar o lixo naem que tudo isto assenta já abana por ilha ecológica instalada para o efeito. Envie-nos também os seus alertas e a sua crítica, para que todos possamos contribuir para melhorar o ambi-todos lados. O pior é que, entretanto, o ente que nos rodeia.estrago maior já está feito, muitas daspequenas empresas já ficaram pelocaminho, o desemprego cresce todos os Numa altura em que muitadias, as terras abandonadas multipli- gente se preocupa com o ambi-cam-se, as casas por vender ou alugar e ente, foi criada uma nova ilhaos estabelecimentos em trespasse são ecológica. Mas, incompreen-mais que muitos nas principais locali- sivelmente, alguém resolveudades da região. O próprio País procura deixar um saco de lixo,um caminho que lhe permita sobreviver durante mais de 24 horas, àenquanto tal porque, pequeno, foi das porta do prédio.primeiras vítimas do sistema.Assim saibamos perceber ainda atempo que só com muita solidariedadee espírito aberto à parceria e à ajudamútua poderemos travar este caminho eencontrar alternativas que sirvam paratodos e não levem a que muitas escolas, Um edifício em ruína, a antiga Adegafreguesias, municípios, empresas, paí- Regional Brioso, foi transformado num beloses e pessoas fiquem definitivamente bilhete postal da vila de Vialonga. Graças aoperdidos. apoio da Junta de Freguesia e ao espírito inovador do senhor Francisco Bordalo, foi Jorge Talixa criado um painel agradável de se ver.Ficha técnica: Voz Ribatejana Quinzenário regional Sede da Redacção e Administração – Centro Comercial da Mina, Loja 3 Apartado 10040, 2600-126 Vila Franca de Xira Telefone geral – 263 281 329Correio Electrónico – vozribatejana@gmail.com director.vozribatejana@gmail.com redaccao.vozribatejana@gmail.com comercial.vozribatejana@gmail.com Proprietário e editor – Jorge Humberto PerdigotoTalixa - Director – Jorge Talixa (carteira prof. 2126) Redacção – Miguel António Rodrigues (carteira prof. 3351), Carla Ferreira (carteira prof. 2127), Paula Gadelha (carteira prof. 9865) e Vasco Antão (carteirade colaborador 895) Paginação - António Dias Colaboradores: Adriano Pires, Hipólito Cabeça, Paulo Beja Concessionário de Publicidade – PFM – Radiodifusão Lda. Área Administrativa e Comercial –Júlio Pereira (93 88 50 664) e Afonso Braz (936645773)Registo de Imprensa na ERC: 125978 Depósito Legal nº: 320246/10 Impressão CIC – Centro de Impressão Coraze Tiragem – 5000 exemplares
  5. 5. 05 A maioria dos leitores do blog do Voz Ribatejana 21% sim está contra o fecho de estabelecimentos com R menos de 21 alunos. Sessenta por cento dos 23 NS/N 17% votantes não concorda com esta política de fecho de escolas. Outros 21% concordam com 60% não as decisões já tomadas nesse sentido por Ministério da Educação e câmaras municipais e20 de Julho de 2011 17% não tem opinião formada sobre o assunto.Cachoeiras e Quintas Quatro fechos em Alenquerficam sem escolas O concelho de Alenquer vai ter menos quatro escolas, já no próximo ano lectivo. Segundo Pedro Folgado, responsável pela área da educação do Município alenquerense, que cita Segundo o responsável, estas mudanças terão um acréscimo nos custos da Câmara, nomeadamente ao nível dos trans- portes. Aautarquia deverá assegurar, assim, o transporte das uma informação da Direcção Regional de Educação de crianças entre os locais de residência e as novas escolas de Como se previa, as escolas primárias de Cachoeiras e das Quintas Lisboa e Vale do Tejo, irão encerrar as escolas básicas do 1º. acolhimento. vão mesmo fechar. Na região são mais 10 escolas que vã encerrar, nos ciclo do Bairro, Azedia, Lapaduços e Camarnal . Quanto ao encerramento destes estabelecimentos com concelhos de Vila Franca, Alenquer e Azambuja. Ao todo serão deslocados 52 alunos, sendo que 17 chegam da poucos alunos, “o executivo considera que, pedagogica- escola do Bairro, 9 da Azedia, 9 de Lapaduços e 17 da escola mente, é preferível que estes alunos sejam integrados em tur- do Camarnal. Todavia, a autarquia espera que as escolas da mas do mesmo ano escolarem escolas com dimensão superi- Paúla e do Pereiro de Palhacana permaneçam abertas mais or àquelas em que estão actualmente”, frisando que terão este ano lectivo. acesso simultâneo a outras mais-valias, “nomeadamente, Segundo Pedro Folgado, a edilidade pediu, a título excep- refeições, tecnologias da informação e comunicação e pos- cional, que ambas as escolas permanecessem em funciona- sam, ainda, diversificar a sua socialização com meninos da mento, o que “se encontra em análise por parte da mesma idade”. Quanto ao novo Centro Escolar do DRELVT”. Em causa está o facto de não haver lugar nas Carregado, este será inaugurado em Setembro e vai acolher futuras escolas de acolhimento, que serão “em Cabanas de no máximo 584 alunos. O novo edifício terá a valência de Torres e Ribafria, respectivamente”. Jardim-de-Infância e Escola Básica de 1º Ciclo. Quanto aos Todavia, nem todos os pedidos da autarquia foram atendi- edifícios que ficarão desocupados, Pedro Folgado refere que dos, Pedro Folgado destaca que a câmara terá pedido em “existem vários pedidos para esses edifícios”, mas adianta igualdade de circunstâncias a permanência da escola do que “a Câmara Municipal ainda não deliberou sobre esta Camarnal, mas esta “não foi aceite por haver lugar na esco- matéria”. la de acolhimento”. Miguel António RodriguesJorge Talixa observou que são casos que estão con- cluídos e que estas duas escolas vãoO novo ministro da Educação anun- mesmo encerrar. “São processos artic-ciou uma reavaliação dos processos deencerramento de escolas primárias ulados com os professores, com os agrupamentos e com as famílias. A Em Azambuja também fecham 4com menos de 21 alunos. De acordo Escola das Quintas tinha 6 alunoscom as previsões da anterior equipa do inscritos e a das Cachoeiras 12. Este Mesmo com reavaliação do governo em cima da mesa, reclamavam aquilo que diziam ser uma promessa do PS emMinistério da Educação deveriam assunto está terminado da nossa parte sobre o encerramento das escolas com menos de 21 alunos, campanha eleitoral, só que o impasse criado, segundo ofechar cerca de 660 escolas no início e os alunos serão encaminhados para as quatro escolas do concelho de Azambuja com encerra- presidente da câmara, veio atrasar o processo. Nesse meiodo próximo ano lectivo. Para já, a outras escolas e envolvidos em função mento previsto vão mesmo fechar, conforme já tinha sido tempo entrou em vigor numa nova legislação que impossi-tutela confirma o fecho de 266 escolas das pretensões dos pais”, afiançou a noticiado pelo Voz Ribatejana. bilitou o avanço dos centros escolares de Aveiras de Baixo ee a reavaliação de outras 400 situ- presidente da Câmara. Estão em causa as escolas dos casais de Baixo e dos Britos, Vale do Paraíso.ações. Entre os casos de encerramento A autarca do PS referiu que, num na freguesia de Azambuja, e as de Casais da Lagoa e Aveiras Recentemente ficaram também comprometidos os centrosjá confirmado estão os das primárias primeiro momento, foi anunciado que de Baixo, esta última na sede de freguesia. Pese embora o escolares de Aveiras de Cima e Vila Nova da Rainha. Estasdas Cachoeiras e de Quintas e de mais o ministro tinha suspendido os proces- facto de ter existido alguma esperança dos autarcas em que duas obras vão ter de esperar devido à recusa do visto por8 escolas nos concelhos de Alenquer e sos de encerramento e, mais tarde, que o processo fosse suspenso, o que é certo é que as ordens parte do Tribunal de Contas. O parecer desta entidade éde Azambuja. seriam reavaliados. Ao mesmo tempo, dadas pelo anterior governo foram seguidas pelo Ministério, necessário para as obras avançarem.A questão voltou a ser abordada na a Associação Nacional de Municípios agora na esfera de Nuno Crato. Joaquim Ramos, presidente da câmara de Azambuja, pre-última reunião camarária, com a esclareceu que será favorável ao A freguesia de Aveiras de Baixo vai ficar agora sem nenhu- cisou que nenhuma autarquia conseguiu o visto do Tribunalvereadora da CDU Ana Lídia Cardoso encerramento de escolas com menos ma escola e os alunos serão transferidos para o novo Centro de Contas nestes processos, incluindo Azambuja, embora osa questionar se a posição do novo de 20 alunos, mas que isso só deverá Escolar de Azambuja, com abertura prevista para Setembro projectos apresentados fossem dados como urgentes, oGoverno sobre o assunto vai alterar a acontecer com parecer favorável das próximo. Para trás fica a polémica levantada pelos encar- Tribunal de Contas assim não entendeu e, por isso, asituação das escolas de Cachoeiras e autarquias e com alternativas ade- regados de educação dos Casais da Lagoa que discordavam Associação Nacional de Municípios já contestou estesdas Quintas. Maria da Luz Rosinha quadas para a colocação dos alunos. da intenção da câmara de construir o novo centro escolar na "chumbos". Em Assembleia Municipal, o edil esclareceu sede de freguesia, ou seja Aveiras de Baixo. Os populares que o processo vai voltar agora à estaca zero. Rota dos Avieiros VENDA AN DARES junto ao Parque Urbano de Vila F. Xira T2 T3 T4 (Sta Sofia) | cozinhas equipadas | acabamentos de luxo | pré-instalação de energia solar e ar condicionado | aspiração central | parqueamento | terraços | arrecadação | tels.: 917 271 425 - 967 088 269 TRATA O IO PRÓPR ou visite-nos no local
  6. 6. 06 “ Eis alguns dos comentários de leitores do Voz Ribatejana na nossa página de Facebook, em SOCIEDADE www.facebookcom/vozribateana Participe também!Homicídio do Sobralinhodá versões desencontradasO Ministério Publico pede a condenação de Luís Espalha pelohomicídio do seu filho Luís Manuel. O advogado de defesagarante que tudo não passou de um acidente.Jorge Talixa companhias com que o filho Luís andava.O julgamento de um idoso de Nas alegações finais, o procu-75 anos acusado de ter dispara- rador da república lembrou odo um tiro de caçadeira que, trajecto do tiro no corpo daem Agosto do ano passado, no vítima, considerando que nãoSobralinho, vitimou um seu poderá ser explicado por umfilho de 41 anos, prosseguiu, disparo acidental. “Nada estána quinta-feira, com a audição de acordo com o esforço que adas últimas testemunhas e as defesa tem feito para demon-alegações finais. A leitura do strar que foi um acidente.acórdão ficou marcada para a Todas as provas apontam parapróxima sexta-feira. um homicídio voluntário”,Sandra Pinto, psicóloga clíni- vincou o magistrado doca, admitiu que o arguido, Luís Ministério Público, con-Espalha, sofre de depressão siderando que foram reunidassevera e que lhe contou que provas suficientes para quetinha sido agredido pelo filho Luís Espalha seja condenadomomentos antes do disparo. por homicídio qualificado“Diz que vinha a descer as (moldura penal de 12 a 25 anosescadas, tropeçou e deu-se o de cadeia).disparo”, contou a psicóloga, Os advogados que representamfrisando que Luís Espalha a filha e a mãe da vítima sub-manifesta um desgosto grande screveram a posição dopor ter perdido o filho e que, Ministério Público e pediram ados 4 filhos que teve, 3 já fale- condenação de Luís Espalhaceram. A vizinha Elisabete também de indemnizações aRamalhete garante que nunca estes familiares. Já o advogadoviu o idoso tratar mal ninguém de defesa do idoso realçou ose que não o considera alcoóli- problemas cognitivos de Luísco. Já Maria, irmã do arguido, Espalha e frisou que a princi-explicou que Luís Espalha pal testemunha também reco- num clima de exaltação e arguido. O relatório da autó- plena. Era uma questão de um co, considerando que, na dúvi-sempre ajudou muito os filhos nheceu que pai e filho naquele ritmo pode muito bem psia não demonstra que o tiro pai que quer o melhor para o da, o arguido deve beneficiare tinha algum desgosto pelas brigaram. “Tudo isto entrou ter havido um desequilíbrio do foi disparado com consciência seu filho”, salientou o causídi- de todas as atenuantes. Antigos gerentes de lar Mulher de 85 condenados por burlar idoso anos morre Antigos gerentes de um lar de doações que Abílio Antunes teria plano com vista a apoderarem-se tadas dizem respeito a essas despe- carbonizada idosos que funcionou no Casal da feito ao lar, mas o colectivo não das quantias que Abílio mantinha na sas e a doações do idoso. “Há uma Tapadinha, arredores de Arruda dos aceitou esta versão e condenou os Caixa Geral de Depósitos, aprovei- diferença de 24 659 euros que aqui Vinhos, foram condenados, na quin- antigos gerentes, uma técnica de tando o estado de debilidade e foi justificada pela arguida com a Maria de Carvalho, idosa de 85 anos ta-feira, a 4 anos e seis meses de serviço social e o homem com quem doença do mesmo”. doação que o arguido fez”. Mas a que vivia no Casal Ventoso de Cima, prisão pela prática de um crime de estava então casada. Segundo o acórdão, o idoso passou advogada de Abílio sublinhou que próximo de A-dos-Melros, no interi- burla qualificada. O colectivo de Segundo o acórdão, Abílio Antunes a ser abordado periodicamente para “um lar não é um resort” e que os 14 or da freguesia de Alverca, morreu juízes decidiu suspender a execução sofreu um AVC em Novembro de assinar cheques, argumentando os levantamentos foram indevidos. na quinta-feira, vítima de um incên- da pena por igual período, con- 2003. Vivia só e sem contactos arguidos que seriam para pagar ou- “Acharam que era uma pessoa só, dio que consumiu parte da siderando que os arguidos não têm próximos com familiares. Como tras despesas médicas. Só que uma como há muitas nos nossos lares e habitação isolada em que residia. O antecedentes criminais e possuem necessitava de cuidados de terceiros sobrinha de Abílio soube, entretan- abusaram”, rematou. fogo terá ocorrido na noite de quar- uma boa inserção social, mas vão procurou, em Março de 2004, o to, da situação do tio, visitou-o Já o acórdão sublinha que os argui- ta para quinta-feira e foi já na ficar obrigados a devolver 57 235 internamento neste lar, onde per- várias vezes e resolveram que deve- dos “quiseram e conseguiram con- manhã seguinte que um filho encon- euros a um idoso que ali esteve maneceu até Junho de 2007. “Ficou ria sair do lar. Gracinda Antunes vencer Abílio a entregar-lhes já trou a casa incendiada e o corpo da internado, porque o tribunal julgou acordado entre Abílio e os arguidos explicou, em tribunal, que nunca assinados um conjunto de cheques mãe carbonizado. provado que se apropriaram indevi- que pagaria uma mensalidade de viu a caderneta da CGD, mas que da sua conta, entregas feitas no O incêndio parece ter tido início na damente desta quantia entre 2004 e 870 euros, incluindo todos os cuida- foi com o tio ao banco, pediram falso convencimento de que se des- sala, mas o corpo da idosa foi encon- 2006. dos e tratamentos que lhe fossem extractos e verificaram levantamen- tinavam ao pagamento dos trata- trado na cozinha, para onde se terá Depois de algumas queixas de ministrados”, prosseguem os juízes, tos invulgares. “Ele nunca deu din- mentos de que beneficiava, bem arrastado. A casa, situada no alto da maus-tratos feitas pelo idoso, uma frisando que tal mensalidade seria heiro a ninguém”, observou, con- sabendo os arguidos que tais paga- serra e sem vizinhos próximos, ficou sobrinha retirou-o da instituição em suportada com o valor da reforma siderando pouco provável que o tio mentos eram injustos e indevidos”. parcialmente destruída e parte do 2007 e apresentaram queixa dos do idoso (354 euros) e com uma tivesse doado dinheiro ao lar. E acrescenta que sabiam, assim, que telhado ruiu. A habitação não tinha responsáveis do lar. Estes alegaram comparticipação da Segurança Nas alegações finais, a advogada de “deixavam Abílio espoliado das electricidade, nem abastecimento de sempre que os valores de 14 Social. O colectivo considerou, defesa observou que os lares não suas poupanças”. Foram, por isso, água e as autoridades inclinam-se cheques assinados pelo idoso também, provado que os arguidos podem suportar despesas extra e condenados pela prática, em co- para a possibilidade de o incêndio estavam relacionados com despesas souberam que Abílio tinha uma relacionadas com medicamentos, autoria, de um crime de burla quali- ter sido motivado por algum can- complementares de saúde e com conta bancária e “engendraram um considerando que as verbas levan- ficada. deeiro a petróleo ou vela acesa.
  7. 7. “A Festa Brava é para quem gosta, não é só para os Vila- “Para mim o auge da festa são os campinos, adoro vê-los, não perco a cerimónia da deposição da coroa de flores no monumento ao campino, “Gostei imenso de ver o referido campino, também o “É sempre muito bom ver os nossos campinos imponentes em cima do cavalo, melhor 07 franquenses” nem a entrega do Pampilho” fotografei. Só não sabia que muitos cavaleiros nas que era brasileiro” corridas”BenaventePena máxima para desenhador quematou o pai e agrediu a mãeO Tribunal de Benavente condenou um desenhador proje-ctista a 25 anos de cadeia, considerando provado que espan-cou o pai até à morte e que também agrediu a sua mãe. Oarguido alegou que o pai e os tios também o agrediam e quenaquela noite o pai teria batido com a cabeça numa pedra,mas a mãe diz que o filho se tornou violento a partir dos 17anos e que naquele dia saltou sucessivamente a pés juntossobre o corpo do pai.Jorge Talixa Certo é que ao princípio da noite de 20 de Outubro passa-Um desenhador projectista de do, pai e filho voltaram a39 anos foi condenado, na desentender-se, segundo o tri-quinta-feira, no Tribunal de bunal porque Arsénio, suposta-Benavente, à pena máxima pre- mente alcoolizado, terávista na Lei portuguesa de 25 ameaçado que cortava oanos de cadeia, pela prática de pescoço ao pai enquanto esteum crime de homicídio qualifi- jantava. Saíram de casa ecado sobre o seu próprio pai e envolveram-se em luta.de um crime de tentativa de Arsénio disse, em tribunal, quehomicídio da mãe. O colectivo fora o pai que iniciara a dis-de juízas que julgou o caso cussão depois de o obrigar aocorrido na Rua Quebrada de desligar o computador. OÁgua, em Glória do Ribatejo, colectivo presidido por Raquelno concelho de Salvaterra de Costa deu mais credibilidadeMagos, realçou “a forma vio- ao relato da mãe, Quitérialentíssima” como o arguido Coutinho, que garantiu que aagrediu os seus pais e o facto zanga começou pelas ameaçasde não ter manifestado qual- do filho. Já no exterior, o paiquer arrependimento. acabou por cair na sequênciaArsénio Dias vivia com os pais de um soco do filho e, segundoe não contribuía para as despe- a autópsia, morreu por asfixiasas da casa, mas eram conheci- originada por compressão do vezes com ambos os pés em voltando a agredir a mãe. considerou não provado que, denou Arsénio Dias a 22 anosdos os problemas de relaciona- pescoço, apresentava o crânio cima do tronco e da cabeça do Entretanto aproximaram-se naquele dia, Arsénio tenha de prisão pelo homicídio do paimento no seio da família, por parcialmente esmagado, três pai” e ter-lhe-á dado vários vizinhos e Arsénio afastou-se, encostado a lâmina da navalha e a mais 5 anos pela tentativavezes motivados pelo consumo costelas fracturadas e sangue pontapés, originando lesões entregando-se mais tarde à ao pescoço do pai. Baseou a de homicídio da mãe. Contra ode álcool. O arguido disse, na nos pulmões, entre outras que causaram a morte. GNR. Quitéria disse, na sua decisão no relato de arguido, o acórdão apontaprimeira sessão do julgamento, lesões. O arguido garantiu que Entretanto, a mãe gritava por primeira audiência, que até aos Quitéria e nas lesões detec- ainda a “inexistência total deque apresentara várias queixas depois do pai ter caído não socorro e foi empurrada por 17 anos Arsénio foi um bom tadas no pai e na mãe motivações” para o que fez e “acontra o pai, João, de 59 anos, voltou a tocar-lhe e sugeriu que Arsénio para dentro de uma filho, mas depois começou a Tendo em conta o comporta- crueldade demonstrada nostrabalhador da fábrica de ele- João poderia ter batido com a vala, perdendo momentanea- ser de tal modo violento que os mento “particularmente cen- seus actos”.vadores Fortis (Alverca), por cabeça numa pedra. mente a consciência. Quando pais admitiam que tivesse surável” do arguido e a violên- Aplicadas as regras do cúmuloalegadas agressões que este lhe O acórdão, baseando-se na recuperou os sentidos dirigiu- algum problema cerebral. cia que utilizou para com os jurídico foi-lhe fixada umainfligia. Mas o procurador autópsia e no relato da mãe, se ao filho e disse-lhe: “Já Alertaram sucessivas vezes a seus progenitores, quando pena única de 25 anos deresponsável pelo caso salientou considera provado que, depois mataste o teu pai!”. Relatou a GNR e a Delegação de Saúde, “apesar de ser homem já com cadeia. O arguido foi, ainda,que o registo que há é de 14 de João ter tomado no chão, mãe e o tribunal considerou mas disseram-lhes sempre que idade para se autonomizar condenado a pagar uma inde-queixas dos pais contra o filho Arsénio “saltou um número provado que Arsénio reagiu, não os podiam ajudar. vivia em casa destes e por estes mnização de 120 mil euros àpor agressões deste. não concretamente apurado de dizendo ”agora vais tu” e O colectivo que julgou o caso era sustentado”, o tribunal con- mãe.Detidos suspeitos de Idoso de Alvercadezenas de roubos a condenado por Nove detidosadolescentes abuso de menorTrês jovens, com idades entre os 17 e os 19 anos, suspeitos Um idoso residente em Alverca foi, na semana na A 1de envolvimento em mais de 50 roubos a adolescentes, passada, condenado a 1 ano e seis meses de prisão O Destacamento de Trânsito do Carregado deteve, na madrugada doforam detidos, na quarta-feira, pela Divisão de Policial de com pena declarada suspensa por igual período. O dia 14, nove indivíduos no âmbito de uma operãção de fiscalizaçãoVila Franca de Xira e vão aguardar julgamento em prisão tribunal julgou provado que em Maio de 2010, o rodoviária na auto-estrada do Norte.preventiva, por decisão tomada do tribunal local. Segundo homem pegou numa menor ao colo, deu-lhe um Desta operação, segundo uma nota da GNR, que levou ao corte totala PSP, os roubos eram efectuados sob ameaça de armas beijo na boca e acariciou-a na zona da vagina. da circulação, resultou a detenção de nove indivíduos, "quatro porbrancas e, por vezes, com agressões. As vítimas, adoles- Segundo o acórdão, os factos deram-se frente à residência da avó da menor, que pediu ao homem posse de estupefacientes, quatro por furto de viatura e uma por falsifi-centes que se deslocavam sozinhos em várias localidadesdo concelho de Vila Franca de Xira, ficavam sem artigos para não praticar aqueles actos. cação de notação técnica".pessoais como telemóveis, fios e pulseiras em ouro e ou- O crime de abuso sexual de menor tem uma A acção da GNR levou ainda à apreensão de diverso material "nor-tros objectos. moldura penal de 1 a 8 anos de cadeia e o idoso malmente utilizado em acções criminosas". Levou, ainda, à descobertaA investigação decorria já há dois meses, depois de diver- foi, assim, condenado a 1 ano e seis meses. O tri- e aprensão de vários estupefacientes, nomeadamente "haxixe, cocaína,sas denúncias de casos de roubo deste género e, de acordo bunal teve em conta que o arguido não tem pólen de haxixe, anfetaminas e liamba" e ainda diverso material con-com a Divisão Policial, estes três detidos estão “conotados antecedentes criminais e, se não praticar qualquer trafeito, "vestuário e calçado no valor de 2900 euros", segundo acom várias dezenas de roubos” e já foram reconhecidos outro crime nos próximos 18 meses, não chegará a mesma nota.presencialmente por algumas das vítimas. cumprir pena de prisão.
  8. 8. 13 OLHO VIVO Parquímetros “disfarçados” em Arruda “ O largo situado junto ao jardim de Arruda dos Vinhos, mesmo em frente da Farmácia da Misericórdia, dispõe, desde o início de Julho, de um sistema de parquímetros. Para satisfação de uns e desagrado de outros, um espaço nor- malmente cheio de viaturas cumpre, agora, a sua função de rotatividade, permitindo o estacionamento tem- porário dos que frequentam o comércio e os serviços da zona. Curioso foi veri- ficar a forma como a Câmara arrudense Benavente “disfarçou”, durante alguns dias, a colocação dos parquímetros, até que entrassem efectivamente em funciona- consegue mento. Para tudo é preciso engenho. juntar CDS e Bloco de Esquerda Estas coisas da política por vezes fornecem surpresas. Noutros pata- mares da política à portuguesa, esta proximidade seria quase impossív- el, mas, na Assembleia Municipal de Benavente, CDS-PP e Bloco de O mistério Esquerda partilham pacificamente a primeira fila da bancada. Margarida Netto, pelos centristas, e Helder Agapito, pelo Bloco, lá vão desempenhando a sua tarefa sem desavenças que se vejam.da “Cavalo”do Carregado Acordo ortográficoA Vala do Carregado é uma terra antiga e commarcos importantes na história da região asso- introduzido à forçaciados à introdução dos comboios, mas tam-bém à vivência ligada ao Tejo. Tradiçõesequestres na Vala do Carregado é que ainda não O famoso acordo ortográfico que progressivamente nos vaiconhecíamos, mas alguém com um sentido de “obrigando” a alterar a grafia do português de Portugal éhumor algo misterioso resolveu rebaptizar a terra contestado por muitos e ainda vai continuar a dar muito quee, para surpresa de muitos, lá aparece a placa que falar. Mas como País cosmopolita que se preza, Portugal acolhe daencaminha para “Cavalo do Carregado”. Será melhor maneira comunidades com as mais variadas origens. É o caso algum novo centro equestre ou algum estabeleci- dos nossos amigos brasileiros que, mal ou bem, lá vão adaptando o mento comercial a precisar de publicidade!? português, como aconteceu no caso deste estabelecimento vila-fran- quense. Assim, com criatividade e compreensão, “esta-mos” todos bem. Desafios à presidente Com criatividade, tam- bém todas as formas cor- rectas são possíveis e aceitáveis para passar men- sagens políticas. É o caso do PCP de Vialonga, que mantém a pressão sobre a presidente da Câmara de Vila Franca, exigindo obras na urbanização da Flamenga. Um caso “bicudo” que, devagar, lá vai ganhando forma, com os arranjos exteriores de uma das maiores urbanizações do conce- lho.

×