EDIÇÃO 4 JULHO

491 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
491
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

EDIÇÃO 4 JULHO

  1. 1. 02 “ DESTAQUE voz ribatejana # 41Vila Franca contra esvaziamentodos serviços de justiçaA chamada reforma do mapa judiciário que o Governo querimplementar está a gerar polémica acesa em vários pontosdo país, sobretudo pela intenção de fechar 54! tribunais. EmVila Franca de Xira, o problema não será tão complicado,mas há também muitas vozes que contestam algum “esvazi-amento” dos serviços existentes.Jorge Talixa de desligar Azambuja da comarca do Cartaxo e de ligarDepois do “ensaio” para a o município azambujense areforma do mapa judiciário e Alenquer e a Loures tem sidode ter recolhido várias criticada, inclusivamente pelaopiniões sobre a matéria, o Câmara de Azambuja. Certo éMinistério da Justiça divul- que a última proposta dogou, nas últimas semanas, um Ministério da Justiça já con-documento mais avançado, templa cerca de 4000 proce-que designa por Linhas ssos de movimento médioEstratégicas para a Reforma anual na Comarca de Vilada Administração Judiciária. Franca que tinham ficadoA “filosofia” preconizada “esquecidos” no documentoaponta para uma centralização anterior. E acrescenta a possi-de serviços e das principais bilidade de instalação em Vilasecções nas sedes de distrito. Franca de uma secção centralNo caso de Lisboa, pela sua do Tribunal do Comércio.dimensão geográfica, a pro- Mas reduz significativamenteposta prevê três grandes em termos práticos o númerodivisões: Grande Lisboa (sede de juízes (17 para 12) e retirana capital), Sintra e Grande a Vila Franca serviços como aLisboa-Norte (sede Loures). instrução criminal e o círculoNesta última integram-se os judicial (julgamentos de casosmunicípios da região normal- mais complexos com tribunalmente acompanhada pelo Voz colectivo).Ribatejana de Alenquer, Maria da Luz Rosinha, presi-Arruda, Azambuja e Vila dente da Câmara de VilaFranca. Franca de Xira, disse, emAs mudanças previstas para a Fevereiro, ao Voz Ribatejana,região são múltiplas, sobretu- que a autarquia estava atenta edo na comarca (abrange os que ia expor as suas preocu-concelhos de Vila Franca e de pações à ministra da Justiça.Arruda) e no círculo de Vila Já na reunião camarária deFranca (abrange as comarcas quarta-feira, a edil vila-fran-de Alenquer, Benavente e Vila quense apresentou uma pro- “manutenção da área jurisdi- médias instâncias relativas nível dos recursos humanos, Comércio que deveráFranca). Também a intenção posta de moção em defesa da cional e das competências do aos concelhos de Vila Franca Vila Franca ficaria, assim, abranger os concelhos de Tribunal de Vila Franca de e de Arruda). com menos 5 juízes (de 17 Alenquer, Arruda, Azambuja, Xira”. O documento não “Com esta proposta, a para 12) e menos três Cadaval, Lourinhã, Loures, chegou a ser votado (devido instrução criminal e as escrivães (de 8 para 5). Ao Odivelas, Sobral, Torres ao arrastar do período antes da Vedras e Vila Franca. ordem do dia com a discussão Por isso, a presidente da Período aberto à intervenção do público a partir das 18h00 de outras matérias) e será Câmara acha que estas Linhas apreciado na reunião do pró- Requalificação da Praceta Estratégicas para a Reforma ximo dia 11. da Administração da Justiça Explica, no entanto, que, actualmente, Vila Franca é da Justiça já prevê menos “penalizam e retiram importância ao Tribunal de juízes !? www.cm-vfxira.pt | Tel.: 263 285 600 sede de comarca e de círculo Vila Franca de Xira, nas suas judicial e possui, ainda, competências recursos 11 de Julho ’12 Tribunal de Família e Menores e Tribunal de humanos, o que causará impactos negativos na estrutu- Trabalho. A moção lida por ra social e económica do con- Maria da Luz Rosinha celho (em particular na cidade esclarece que a última propos- A dúvida foi colocada por Bernardino Lima também com de Vila Franca), para além do ta do Governo prevê que Vila alguma ironia. O vereador da CDU quis saber se, tendo prejuízo evidente para os Franca passasse a ter 5 em conta a moção apresentada por Maria da Luz Rosinha cidadãos do concelho que 15h00 secções judiciais. A 3ª. Secção do Tribunal de família e Menores (abarcando Alenquer, Arruda, Azambuja e a redução dos lugares de estacionamento destinados a magistrados previstos na requalificação (em obra) da Praceta da Justiça, a Câmara, quando projectou esta terão de deslocar-se a Loures para tratar de assuntos e matérias que até aqui resolvi- am em Vila Franca”. e Vila Franca), a 3ª Secção de obra, já sabia que o tribunal poderia ficar com menos Por isso, Maria da luz Trabalho (Vila Franca e juízes. Rosinha propõe que a Câmara Arruda) e uma Secção de “Não tem nada a ver. Fez uma extrapolação que não tem solicite à ministra Paula Junta de Freguesia Comércio (destinada questões que envolvam pes- a nada a ver”, afiançou a presidente Maria da Luz Rosinha, garantindo que os lugares definidos para magistrados na Teixeira da Cruz que o Tribunal de Vila Franca possa soas colectivas, mas ainda zona envolvente do tribunal “são exactamente os mes- “ser considerado um distrito da Calhandriz sem a certeza de vir a ter com- mos” e que só há a redução de um lugar para carros celu- judicial, mantendo a sua área petência também para casos lares, em acordo com o tribunal. de jurisdição correspondente de insolvência de pessoas sin- ao Círculo e as competências gulares). A proposta governa- actuais, nomeadamente a rea- tiva aponta, ainda, para a lização de execuções, instalação em Vila Franca de grandes instâncias transitam mesmo tempo, a proposta do instrução criminal e julga- uma Secção Cível e de uma para o Tribunal de Loures”, Ministério da Justiça prevê a mentos de grandes instâncias, Secção Criminal (compe- prosseguiu Maria da Luz criação em Vila Franca de no sentido de melhor servir as tentes para julgar pequenas e Rosinha, frisando que, ao uma Secção do Tribunal do populações”.
  2. 2. Clube Taurino também assinala 30 anos do monumento ao campino O Clube Taurino Vilafranquense organiza, no dia 10, um conjun- to de iniciativas alusivo aos 30 anos do monumento ao campino instalado no centro da cidade. Paras 19h45 está marcada uma 03 homenagem aos membros da comissão promotora do monumen- to, seguida do lançamento de um vinho evocativo. Às 21h30 haverá um debate, nas instalações do clube, sobre o processo que 4 de Julho de 2012 levou à construção deste monumento emblemático da cidade.Nacional Deputado do CDS-PP reconhece falta de condições da esquadraQuadro de Nuno Magalhães, líder do grupo parlamentar do CDS-referência para PP, visitou, na tarde de segun- da-feira, a esquadra da PSP de Vila Franca de Xira. O de- putado centrista reconheceu aos tribunais evidente falta de condições da unidade policial onde traba- lham actualmente cerca de 40 efectivos e prometeu ques- tionar o Ministério da Administração Interna (MAI) sobre eventuais medidas para melhorar a situação da políciaO novo estudo de reorganização do mapa judiciário divul- vila-franquense. Também pre-gado pelo Ministério da justiça ainda vai dar muita dis- sente na visita, o presidentecussão, mas apresenta já algumas linhas mais precisas do Sindicato dos Profissionaissobre o que poderá ser o futuro da justiça na região. O de Polícia, António Ramos,documento salienta que na Comarca de Vila Franca sustentou que esta esquadra não tem as mínimasentram, em média, por ano, 6765 novos processos e que condições e lamentou algumaestão colocados nos diferentes serviços 17 juízes, 13 ma- “falta de vontade” dosgistrados do Ministério Público e 83 oficiais de justiça. poderes políticos centrais eEntre os processos destacam-se as execuções com uma locais para resolver o proble-média de 2761 por ano, as médias instâncias criminais ma. A convite da Concelhia decom 726 e os casos de competência do Tribunal de Vila Franca de Xira do CDS-Família e Menores (966). Para o futuro, o Ministério PP que, desta forma, procurouprevê que Vila Franca passe a dispor de instâncias cen- também assinalar os 145 anostrais de Trabalho, de Família e Menores e de Comércio e da PASP e alertar para as más A delegação do CDS-PP com Nuno condições da esquadra da sede Magalhães e Filomena Rodriguescom instâncias locais cível e criminal. Se assim for pa- de concelho, Nuno Magalhãesssarão a trabalhar nos serviços de justiça de Vila Franca inteirou-se da situação e con-12 juízes (menos 5), 18 magistrados do Ministério Público vincou, frisando que todo este do Sindicato dos cubículos. Já se justifica que versou durante largos minutos conjunto de situações será de Profissionais de Polícia, que(mais 5) e 80 oficiais de justiça (menos 3). Vila Franca tenha instalações com os responsáveis da “resolução necessariamente trabalhou durante muitos anos condignas para a polícia. Mas,Já em Alenquer entram anualmente 3019 processos e tra- esquadra. Para Filomena lenta”. Nuno Magalhães na esquadra de Vila Franca, se calhar, não tem havido von-balham actualmente dois juízes, dois magistrados do Rodrigues, presidente da realçou o apreço que lhe sublinha que este rés-do-chão tade política no Ministério e,Ministério Público e 18 oficiais de justiça. O estudo do estrutura local do CDS-PP, merecem os homens e mu- foi adaptado, há cerca de 40 se calhar, também um bocadoGoverno prevê que o município de Azambuja deixe a esta é uma forma de levar lheres que continuam a dar o anos, para trabalharem ali 17 autárquica”, sustenta o diri-Comarca do Cartaxo e passe para a de Alenquer e que mais longe o alerta para a seu melhor ao serviço da agentes da polícia municipal. gente sindical, lembrando que necessidade de dotar a PSP de esquadra de Vila Franca. Mas na década de 80este tribunal passe a contar com instâncias locais cível e ao longo dos últimos 20/30 Vila Franca de melhores “Vamos inteirar-nos junto do chegaram a estar ali colocadoscrime, com 3 juízes (mais 1), 3 magistrados do Ministério anos já se falou em vários te- condições de trabalho. MAI para ver o que se pode cerca de 85 efectivos, o quePúblico (mais 1) e 15 oficiais de justiça (menos 3). rrenos para uma nova “Não é uma esquadra exem- fazer. Foi-nos dito que haverá fazia com que trabalhassem esquadra e já se realizaram plar em termos de condições espaços alternativos que com menos de 1 metro várias cerimónias de apresen- Conselho de magistratura contesta falta de juízes de trabalho e, infelizmente, podem servir para instalar a quadrado para cada um. Com tação e lançamento de obras não é caso único no País”, esquadra. Vou junto do senhor a criação da Divisão de Vila que nunca se fizeram.O Conselho Superior de Magistratura (CSM), órgão que reconheceu Nuno Magalhães, ministro procurar saber o que Franca, sedeada em Alverca, Também por isso, Antóniotutela os juízes, já se pronunciou sobre o primeiro ensaio salientando que sobretudo na é que pode ser feito”, afi- alguns serviços policiais pa- Ramos defende que, nestade reforma do mapa judiciário divulgado pelo Governo e Área Metropolitana de Lisboa ançou, salientando, contudo, ssaram para as instalações da altura, a melhor solução seria e especialmente entre Vila que não quer criar falsas cidade alverquense e outrosconsidera que as secções centrais previstas para Loures adaptar o antigo quartel dos Franca e Almada há vários expectativas porque sabe que, para a Póvoa. De qualquertêm manifesta falta de meios. “Estas duas secções corre- bombeiros ou as antigas insta- casos de esquadras instaladas num altura “em que o país tem forma, a velha esquadra con-spondem à fusão das Varas Mistas de Loures com o lações da GNR. “Nós como nos centros das cidades que como prioridade sair da ban- tinua a ser manifestamente sindicato vamos também,Círculo de hoje não têm condições ade- carrota” pensar em “construir insuficiente para os 40 efe- junto do MAI, pôr estaVila Franca de Xira, uma vez que terão competência terri- quadas de funcionamento. algo novo de raiz é muito difí- ctivos que ali trabalham. questão, mas a autarquiatorial nos concelhos actualmente abrangidos por estes “Foram criadas no centro das cil”. Por isso, Nuno “Continuamos a ter aqui umas devia ter também aqui umTribunais. Mas, somando os juízes que, neste momento, cidades porque, na altura, o Magalhães acha que a melhor instalações sem condições papel mais importante aexercem funções nesses tribunais, alcançamos o total de tipo de criminalidade exigia alternativa será tentar encon- mínimas, nem para o atendi- desempenhar”, concluiu. uma maior visibilidade e uma trar espaços que possam ser mento público, nem para os12 juízes (os auxiliares de Vila Franca de Xira desti- maior proximidade. Foram bem aproveitados e dotar a profissionais. As secções sãonavam-se à substituição de titulares ausentes em comissão Jorge Talixa esquadras construídas sob PSP vila-franquense de me-de serviço). Não se compreende como podem os sete juízes esse conceito de centro daspropostos assegurar o serviço actualmente a cargo de doze lhores condições. Nesse caso, cidades. Mas hoje, tendo emjuízes”, sustenta o CSM, que também não entende “a atenção a sofisticação de estão as antigas instalações da GNR na cidade, que VENDE-SEcomposição de 5 juízes na jurisdição criminal pois que meios e das formas de crimi- chegaram a ser equacionadas NO CENTRO COMERCIAL DA MINAestes julgam sempre em colectivo (3) e, desta forma, dois nalidade, estas esquadras re- para esse fim. (Vila F. Xira)dos juízes estariam sempre impossibilitados de julgar velam, para além do enve- Espaço Comercial com 24 m2enquanto os outros estivessem na sala”. lhecimento notório, sobretudo Sindicato aponta “falta para qualquer actividade dificuldades operacionais. de vontade” (escritórios/loja/agência/etc) Acontece em Vila Franca e J.T. em muitos pontos do país”, Valor: 17.500 euros 963 555 213 Já António Ramos, presidenteFORMIGUINHA DO ASSEIO Lda. ANA RODRIGUES CRÉDITOS EMPRESA DE LIMPEZAS 961 863 946 - Manutenção e pinturas - - Lavandaria - SEGUROS - Engomadoria - R. Bento Jesus IMOBILIÁRIA - (recolhas e entregas grátis ao domicílo) - Limpezas gerais e domésticas | Escritórios, Caraça Centro C. Scala Loja 15 - rés-do-chão Lt. 48 - 4ºDto CENTRO DE condomínios | Limpezas Rua Dr. Miguel Bombarda, 44 V.F.Xira A LV E R C A industriais e comerciais | Vila F. de Xira NEGÓCIOS (50 metros do Largo da Câmara) Tel: 963 664 913 - 916 438 041 Gestão de condomínios Telfs: 218 081 171 - 962 357 230 Antes de decidir formiguinhadoasseio@hotmail.com vilafranca@servifinanca.com brunovieira-bv@live.com.pt consulte-nos! www.servifinanca.com
  3. 3. Programa do Colete Encarnado gera alguma divisão A maioria dos leitores do blog do Voz Ribatejana está sa- tisfeito com o programa do Colete Encarnado, mas nota-se alguma divisão de opiniões. De facto, 66 por cento dos que se pronunciaram non inquérito que pro- 66% sim 05 movemos acham que o programa da grande festa vila- 33% franquense está bem assim e não precisa de ser alte- não rado ou modernizado. Mas outros 33% têm opinião 4 de Julho de 2012 contrária e defendem alterações no programa do Colete.Porto fluvial na Castanheira vai relançartransporte de mercadorias no tejoA Castanheira vai ter um porto fluvial capaz de dinamizar o transporte de mercadorias noTejo. O projecto tem o apoio da Câmara de Vila Franca e da Administração do Porto deLisboa e as obras poderão arrancar já em 2013.Jorge Talixa Castanheira e do novo nó de Abertis surgiu, desde logo, a acesso à Auto-Estrada do ideia de alargar a intermoda-O projecto de construção de Norte (A 1) que a Brisa lidade do projecto às vias flu-um porto fluvial vocacionado acabou de construir, num vial e ferroviária. O entãopara o tráfego de mercadorias investimento próximo dos 19 ministro Mário Lino apoiouem Castanheira do Ribatejo milhões de euros. Segundo publicamente a ideia e avai avançar e deverá estar em Maria da Luz Rosinha, o Abertis suportou osobras já no próximo ano, Porto da Castanheira, “terá primeiros estudos, feitos emgarantiu a presidente da um ponto de apoio para trans- articulação com aCâmara de Vila Franca de bordo de mercadorias que, Administração do Porto deXira em declarações ao Voz depois, seguem por trans- Lisboa (APL) e com a Refer.Ribatejana. O empreendi- porte ferroviário ou As conclusões foram muitomento, liderado pela rodoviário. O que se vai aqui favoráveis e a APL afirmouCompanhia do Porto da ganhar é realmente retirar que era viável este transporteCastanheira, Lda, aposta na milhares de camiões das de mercadorias em barcaçasligação à vizinha Plataforma estradas. As estradas ao longo dos 40 quilómetrosLogística de Lisboa-Norte nacionais 1 e 10 e a A1 são de estuário do Tejo que sepa-(PLLN) e na possibilidade de hoje ponto de passagem de ram Lisboa da Castanheira. Adescarregar na Castanheira viaturas pesadas de trans- ideia será, sobretudo, desca- porte de mercadorias para rregar mercadorias para bar- diversos pontos do País, o caças em alto mar e transferi- Estudo da que significa que este projec- to vai aliviar o concelho las directamente para meios rodoviários e ferroviários na APL realça dessa sobrecarga”, salienta a Castanheira, sem passar pelo edil. A autarca socialista pref- Porto de Lisboa. No sentido vantagens ere não adiantar quem são os inverso, poderá haver algum A declaração de interesse municipal foi discutida na última reunião camarária accionistas da Companhia do carregamento de mercadorias Já em 2010, a APL divul- Porto da Castanheira, mas na Castanheira. gou um estudo sobre a sublinha que é uma empresa multifuncionalidade do Porto de Lisboa, onde realçava a virtudes do de capitais portugueses já li- gada aos transportes fluviais Desassoreamento Placa “bloqueada” dá polémica na área de Lisboa. O investi- O projecto da PLLN não cor- A conclusão da primeira fase das obras de apanha horas e horas de filas para chegar transporte fluvial de mer- mento, de acordo com os reu bem, sobretudo devido ao cadorias entre Lisboa e a construção do novo acesso à Auto-estrada ao nó de Santa Iria”, criticou o autarca do estudos efectuados, envolve impacto da crise económica do Norte (A 1) que vai servir a Castanheira PSD, lamentando a forma como foram Castanheira do Ribatejo. “bastantes milhões de euros” (ver caixa) e passou da Um projecto que “repre- e a PLLN veio suscitar uma nova contro- sucessivamente avançados argumentos pela e as obras, segundo Maria da Abertis para outra companhia senta um investimento Luz Rosinha, deverão espanhola, a Saba, mas Maria vérsia. É que em plena A 1 são visíveis pla- Brisa para não construir os nós dos pouco significativo, em avançar já em 2013. da Luz Rosinha garante que cas indicativas da plataforma logística pin- Caniços e do Sobralinho e lembrando que termos relativos, mas cujo Certo é que, em 2007, com o não é a Saba que está a tadas com dois na A 1 não foi resultado pode ter um lançamento das obras da desenvolver o projecto do traços vermelhos colocada uma grande impacto, ao nível PLLN pelo grupo espanhol porto fluvial. “Desde que a que denotam que placa indicativa da sustentabilidade a PLLN, na práti- da Castanheira. económica e ambiental e ca, ainda não Maria da Luz da competitividade do porto”, refere o estudo, Plataforma logística existe. Rosinha adiantou O vereador social- que a sinalização considerando que o pro- jecto “não está condi- continua parada democrata Rui Rei da A 1 é da com- reparou nesta situ- petência da cionado por grandes ação e na enorme Brisa, as prome- investimentos” e que já O projecto da Plataforma Logística de Lisboa Norte, proximidade entre teu colocar o há privados com pedidos apoiado pelo primeiro governo de José Sócrates e classifi- os nós da problema à con- de licenciamento para cado como PIN (Potencial Interesse Nacional), correu Castanheira e do cessionária de operar nesta área. mal. A Abertis investiu mais de 50 milhões de euros (o Carregado. “Para auto-estradas. Já plano inicial previa um investimento global de 265 mil- quem foi ouvindo Nuno Libório, hões e mais de 5000 postos de trabalho directos) nasmercadorias transportadas ao longo dos anos vereador da movimentações de terras e nas infra-estruturas. MasTejo acima em barcaças, que que as entidades CDU, observousejam a partir dali distribuí- ainda não avançou a construção de nenhuma nave, não autorizavam a que o processo dadas para o resto do País por porque ainda não haverá nenhum contrato firmado, devi- abertura de um nó PLLN é maisvia ferroviária ou rodoviária. do à retracção originada pela crise. A oposição camarária de acesso nos Caniços ou no Sobralinho uma prova da forma como o poderA Câmara de Vila Franca de vila-franquense aponta regularmente o problema, com a porque estariam demasiado perto do de económico se sobrepõe ao poder político.Xira aprovou, na sua reunião CDU a criticar a forma como o Município empenhou Alverca, quero-vos dizer que, se se colo- “Foi muito mais simples licenciar os aces-de quarta-feira, uma declar- alguns milhões de euros na aquisição de terrenos e con- carem no carro, vão ver que entre o nó de sos à plataforma do que resolver o proble-ação de interesse público strução de acessos à PLLN e o PSD a criticar a formamunicipal do projecto do acesso à plataforma e a saída do Carregado ma de nós que já têm décadas”, referiu, como os socialistas desbloquearam a aprovação de todosPorto Fluvial da Castanheira. não distam 50 metros. Isto é brincar com aludindo também aos reclamados nós dos estes acessos e não resolveram os problemas de acessibili-O processo segue, agora, para toda a população do sul do concelho, que Caniços e do Sobralinho. dades no sul do concelho.apreciação da Assembleia “A Abertis, quando investiu mais de 50 milhões naMunicipal e, uma vez plataforma logística esteja a associadas, porque hoje um desenvolver trabalhos de plataforma, não o fez certamente para perder. Nesteaprovado, permitirá instruir o funcionar, terá forçosamente dos problemas que afecta o desassoreamento mais para momento em que quase tudo está paralisado, o que espe-pedido de desafectação das uma grande articulação com nosso rio é o do assoreamen- sul, na zona da Ponte Vascoreservas Ecológica e Agrícola ramos é que seja ainda dada continuidade àquele investi- a plataforma”, prossegue a to”, admite a presidente da da Gama e das calas Norte enacionais dos terrenos mento, obviamente que num outro quadro”, defendeu a edil, frisando que o projecto Câmara de Vila Franca que, das Barcas e a empresa priva-necessários. Trata-se de uma presidente Maria da Luz Rosinha, que diz que continua a do cais fluvial estará mais disse ao Voz Ribatejana, que da a intervir mais para Norte,parcela situada entre os 100 acreditar que a PLLN “será uma boa aposta para o desen- vocacionado para as mer- sabe que este projecto do no concelho de Vila Franca.hectares da PLLN e a volvimento económico do concelho”. cadorias, mas poderá servir porto fluvial contempla tam- “Criam-se condições para omargem do Tejo, que benefi- “A última informação que temos é que só avançarão no também o turismo. “Quando bém uma articulação de transporte de mercadorias eciária também da proximi- momento em que tiverem clientes para os espaços. Mas o criamos para as mercado- esforços entre a APL e a haverá também melhoresdade da Linha do Norte e da acredito que isso um dia será verdade”, disse a autarca ao rias, criamos condições para Companhia do Porto da condições para o turismo flu-estação terminal da PÚBLICO. as questões do turismo virem Castanheira, com a APL a vial”, conclui.
  4. 4. ESPECIAL COLETE ENCARNADO Programa 2012Quinta -feira | 5 de julho20h00 – Jantar de Tertúlias *Mercado Municipal22h30 – Inauguração da Exposição “Glórias em Vila Franca Festa faz 80 anos e tem” - Celeiro da Patriarcal– Fado com “António Pinto Basto”*Reservado a tertúlias convidadasSexta -feira | 6 de julho programa reforçado Apesar da crise financeira que afecta o País, o Município de Vila Franca de Xira garante que procurou assinalar da me-11h00 – Animação itinerante com Bandinha Amigos daMúsica (Mercado Municipal e Praça Afonso de lhor forma os 80 anos do Colete Encarnado, optando por não reduzir os custos da maior festa da cidade sede de concelho.Albuquerque/Largo da Câmara) Para além do programa habitual, o Colete integra, este ano, algumas novidades como a participação de toiros não seleciona-18h00 – Espera de Toiros seguida de largada dos para corridas nas largadas de sábado, a inauguração da Rua dos Varinos e a comemoração dos 30 anos do monumen-20h00 – Animação Musical no Palco de Sevilhanas.com - to ao Campino.Rua Dr. Manuel de Arriaga20h15 – Concentração na Praça Afonso de Jorge TalixaAlbuquerque/Largo da Câmara- Desfile de Tertúlias e Coletividades até ao Largo Conde O Colete Encarnado vai ter,Ferreira, para a Missa Rociera este ano, um programa20h30 – Missa Rociera na Igreja Matriz (Rua Gomes Freire), reforçado, apesar da crise quecom o Coro Rociero “Cortijo Alto”, seguida dos fadistas de afecta o País e a maior parteVila Franca de Xira22h00 – Animação itinerante nas ruas da cidade, Praça das suas instituições. AAfonso de Albuquerque (Largo da Câmara), Largo Telmo Câmara de Vila Franca dePerdigão e Bica do Chinelo e outras ruas da cidade Xira entende que, ao celebrar23h00 – Concerto no Palco da AV Pedro Victor com Paulo 80 anos de existência, a prin-Brissos- Sevilhanas.com, cipal festa da cidade e doMúsica popular e Fado com os fadistas de Vila Franca de concelho deve manter toda aXira - Largo da Misericórdia sua dinâmica, esperando a habitual visita de mais de 100Sábado | 7 de julho mil pessoas nos três dias do00h15 -Animação no Palco da AV Pedro Victor com a Banda“Ensemble Song” evento. O programa segue o02h00 - Animação no Palco da AV Pedro Victor com o DJ modelo já tradicional, mas“Diego Miranda” destacam-se algumas novi-9h00 – Feira de Velharias, Colecionismo e Artesanato dades, como os directos paraUrbano no Jardim Municipal – Organização da Junta de um programa da TVI na tardeFreguesia de Vila Franca de Xira de domingo, a inauguração10h00 – Concentração de Campinos e Deposição de uma da Rua dos Varinos, acoroa de flores no Monumento ao Campino | Comemoração comemoração do 30º. aniver- de de passar por Vila Francado 30.º Aniversário do Monumento ao Campino - Av. Pedro durante a próxima semana”,Victor sário do monumento ao campino e a participação de disse Maria da Luz Rosinha, Monumento ao campino10h20 - Inauguração da Rua dos Varinos (antiga Travessa do presidente da edilidade vila- toiros de meio encasteMercado)10h30 – Corridas de Campinos na Praça de Toiros Palha (preparados mas não sele- franquense, na conferência faz 30 anosBlanco cionados para corridas) nas de imprensa de apresentação- Concerto na Praça Afonso de Albuquerque (Largo da espera e largadas de sábado. do Colete Encarnado e da O Monumento ao Campino colocado no centro de VilaCâmara) com a Banda do Ateneu Artístico Vilafranquense A animação está, desta vez, Semana da Cultura Franca, junto à estação dos Correios, foi inaugurado em- Animação itinerante, no Mercado Municipal e Largo da mais baseada na prata da Tauromáquica, realizada no Julho de 1982. Os seus 30 anos vão ser celebrados nesteCâmara casa, com realce para o con- dia 22. Ladeada por represen-11h00 – Ranchos Folclóricos Jardim Municipal tantes dos diversos parceiros Colete Encarnado, com uma cerimónia prevista para a certo de Paulo Brissos na16h00 - HOMENAGEM AO CAMPINO na Praça Afonso de noite de sexta-feira. (Grupo de Forcados, empresa manhã de sábado, logo após a concentração de campinos.Albuquerque (Largo da Câmara) “O meu sentimento é que, de Tauroleve, Casa Mário A escultura de Soares …. foi selecionada e instalada- Chegada do X Cruzeiro da Moita / Vila Franca de Xira / naquele local na sequência de uma iniciativa e de umaMoita - Concentração de barcos tradicionais no Cais de Vila subscrição pública organizada por um grupo de vila-fran-Franca de Xira quenses que incluiu Saavedra Valente16h30 - Desfile de campinos, cavaleiros e amazonas pelasruas da cidade Missa Rociera na sexta17h30 – Animação Musical no palco Sevilhanas.com (Rua também integrar homenagens que participaram no primeiroDr. Manuel de Arriaga) A Missa Rociera (com influência flamenca) transformou- a duas grandes figuras da Colete Encarnado, também18h30 – Espera de Toiros seguida de largada se, nos últimos anos, numa tradição do Colete Encarnado.22h00 – Animação itinerante nas ruas da cidade - Animação campinagem que faleceram vai ser homenageado. Àno Palco do Mercado Municipal com Música Popular Na noite de sexta-feira (20h15) dá-se a concentração de nos últimos meses: José família será entregue umaPortuguesa e no Palco dos Bombeiros Voluntários com a representantes das tertúlias e colectividades no largo da “Canário” e José Laureano. distinção em memória do“Banda Tirikeda” 22h30 – Animação no Palco do Mártir Câmara, que desfilam, depois, até ao Largo Conde “O Zé Canário já tinha sido primeiro Colete Encarnado eSanto (R Dr. Miguel Bombarda) e no Palco da Misericórdia Ferreira. Ali, na Igreja Matriz, a Missa Rociera tem início22h30 – Noite da Sardinha Assada (nos postos públicos, R. previsto para as 20h30, com a participação do coro1º de Dezembro, R. Almirante Cândido dos Reis, R. SerpaPinto e Bombeiros Voluntários V.F.Xira ) rociero espanhol “Cortijo Alto” e de fadistas de Vila Franca. Toiros de meio encaste23h30 – Animação no Palco da AV Pedro Victor com aBanda “Con Sabor”- Animação no Palco da Misericórdiacom Música Popular e Fado Marialva nas largadas de sábado ano para ano, temos vindo aDomingo | 8 de julho melhorar aquilo que são as Coelho e Clube de Outra das novidades desta edição do Colete Encarnado01h15 – Zumba Fitness no Palco da AV Pedro Victor nossas diversas parcerias, o Campismo “As Sentinelas”) será a apresentação de quatro toiros de meio encaste01h45 - Animação no Palco da AV Pedro Victor com a e pelo campino homenageadoBanda “Sonido Andaluz” que permite harmonizar a (toiros criados para corridas mas que não chegam a ser02h00 – Garraiada da Sardinha Assada na Praça de Toiros festa e criar motivos de ani- Vítor Guerreiro da Silva, a selecionados e lidados em praça) nas esperas e largadasPalha Blanco mação e de diversão para os autarca salientou que, este de sábado. “Fizemos reuniões com as tertúlias acerca da03h30 – Distribuição de Caldo Verde (R 1º Dezembro)03h45 milhares de pessoas que hão- ano, o Colete Encarnado vai forma como devíamos construir a Festa e, nessas conver-- Zumba Fitness no Palco da AV Pedro Victor sas, surgiu a possibilidade de se recuperar uma coisa04h00 – Atuação de “ Tirititran by Sevilhanas.com” no Palco muito antiga e que se perdeu, que tinha a ver com toirosda AV Pedro Victor10h00 – Demonstrações de Atividades Desportivas – Aula de Espectáculos na Pedro de meio encaste. Por isso, vamos ter de novo esperas eCombat / Jam com os professores Patricia Henriques e largadas, no sábado, com quatro toiros de meio encaste daAndré Silva Victor Ganadaria Vaz Monteiro. Esperamos que seja um suce-10h30 – Espera de Toiros seguida de Largada sso”, vincou Maria da Luz Rosinha.14h00 – Transmissão, em directo, do programa televisivo daTVI “Somos Portugal” A música tem sempre um lugar muito especial no Colete15h00 – Ranchos Folclóricos, no Largo da Câmara Encarnado. Pelo palco principal da festa, instalado na também homenageado na dos 80 anos deste grande16h30 – Animação itinerante no Largo da Câmara e ruas da Avenida Pedro Victor, vão passar figuras como o vila- década de 80. Sendo uma acontecimento”, explicou.cidade – Animação Infantil no Jardim Municipal franquense Paulo Brissos e o DJ Diego Miranda (noite de figura marcante das festas de “Praticamente não cortámos18h00 – CORRIDA DE TOIROS Praça de Toiros Palha dia 6), as bandas Con Sabor e Sonido Andaluz (dia 7) e o Vila Franca também foi dis- nenhuma despesa e o ColeteBlanco fadista Rodrigo (dia 8). Haverá também fado na noite de18h00 - Animação Musical no palco de Sevilhanas.com (Rua tinguido no Colete Encarnado vai ter o mesmo dia 6 na Patriarcal (António Pinto Basto) e no Largo da Encarnado. Ao mesmo brilho. Sendo a nossa festaDr. Manuel de Arriaga)22h00 – Fado no Palco da AV Pedro Vitor com “Rodrigo” Misericórdia na noite de sábado com fadistas de Vila tempo, o campino José maior, merece o investimen-24h00 – Fogo-de-artifício no Tejo Franca. Não faltarão igualmente os grupos de sevilhanas Laureano, que era o único to. Seguramente, vai ser uma Encerramento e os ranchos folclóricos ribatejanos. campino ainda vivo dos 50 grande festa”, rematou.
  5. 5. 11 voz ribatejana # 41 4 de Julho de 2012Campino Vítor “Japão”homenageadoVítor Guerreiro da Silva é mais conhecido entre os seus colegas campinos por Vítor “Japão”. No sábado à tarde vai ser hom-enageado no Colete Encarnado. O campino, natural de Benavente, mostra-se preocupado com o futuro da campinagemporque, diz, são já poucos os que trabalham no campo a cavalo.Jorge Talixa do Colete Encarnado. Mostra-se, contudo, preocu-Vítor Manuel Guerreiro da pado com o futuro da camp- Rosinha confia naSilva sempre gostou de inagem e receia que, depoisguardar gado. Não tinha do desaparecimento das manutenção da Companhiacampinos na família, mas o dezenas de campinos da suasonho começou a ganhar geração, muitos poucos das Lezírias na alçada doforma com apenas 7 anos, restem na Lezíria ainda aquando foi trabalhar com as tomar conta de gado a cavalo. Estadovacas na Herdade do Monte “Os campinos que temosGato, em Benavente, sua agora aí, a maior parte já nãoterra natal. Ganhava apenas são campinos. A andar no Vítor “Japão” disse, ao Voz Ribatejana, que não temsete escudos e cinquenta, por dia-a-dia a cavalo como eu já opinião sobre o futuro da Companhia das Lezírias e sobreesses anos da década de 50, são poucos. Acabando esta a forma como a empresa em que trabalha tem tratado asmas tomou-lhe o gosto e geração de campinos mais questões da criação de gado. Já Maria da Luz Rosinhaagarrou o sonho de ser ve-lhos, isto é capaz de mor- pronunciou-se sobre a grande empresa agrícola sedeadacampino logo que regressou rer um bocado. A vida vai ser em Samora Correia, que tem a maior parte dos seus 20da tropa. Hoje, à beira dos 65 diferente”, admite o campino mil hectares nos concelhos de Benavente e de Vilaanos e da reforma, ainda homenageado no Colete Franca. A edil reuniu, recentemente, com a nova adminis-guarda 210 cabeças de gado Encarnado de 2012, que tração da Companhia. “É uma entidade de particularna Companhia das Lezírias. reconhece, todavia, que importância não só no contexto local, como no nacional.Vítor “Japão”, como é con- “agora há melhores É uma riqueza de grade dimensão”, salientou, frisandohecido, vai ser o campino condições, temos horário dehomenageado nestes 80 anos trabalho, entramos às 8 e saí- que nos últimos anos, a Companhia das Lezírias “tem vindo a registar exercícios com resultados positivos”. “A sua propriedade não pode, nem deve, ter qualquer alteração em relação aos seus objectivos. Em altura nen- Chikigentil apoia famílias huma tivemos preocupações quanto ao futuro da Companhia quando se agitava o fantasma da privatização. carenciadas Hoje, estamos bastante mais tranquilos, tanto mais que começa a ser bem realçada a necessidade do próprio país Um grupo de voluntárias empenhadas em ajudar famílias voltar a aproveitar mais a agricultura”, concluiu a presi- carenciadas decidiu constituir a “Chikigentil, coração dente da Câmara de Vila Franca. com pernas”, com o objectivo de dinamizar mais as suas actividades solidárias. Vão estar presentes nas Feiras de mos às 5 da tarde”, explica ensinamentos dos mais vel- Artesanato e Velharias que se realizam, no primeiro sába- Vítor “Japão” que vai entrar hos o ajudaram a fazer do de cada mês, em Vila Franca de Xira, a próxima já no no final deste ano na reforma. respeitar o ferro das casas por dia 7. Esta banca solidária vai ter bijutarias, alfazema, Depois de passar por várias onde passou. bibelots, caixas de flores secas, quadros, casas ao longo de quase 50 A homenagem ao campino, livros e compotas. E as receitas des- anos de campinagem voltou, na tarde de sábado (16h00), é mais recentemente à sempre um dos pontos altos tinam-se a ajudar famílias caren- Companhia das Lezírias, do Colete Encarnado, com a ciadas com roupas, calçado, onde toma conta de 148 entrega do pampilho de brinquedos, alimentos e bens cabeças de raça preta, de 29 honra, que, este ano, terá o materiais. Os interessados de raça Charolesa e de 34 nome de José da Costa podem contactar este grupo vol- Limousines. Considera-se Laureano. Segue-se o desfile untário através do endereço um “campino à moda antiga” de campinos, cavaleiros e chikigentil-lisboa@hotmail.com. e gosta de fazer tudo a pre- amazonas pelas ruas da ceito, salientando que os cidade.
  6. 6. 14 voz ribatejana # 41Exposições marcantesO Colete Encarnado 2012 e a Semana da CulturaTauromáquica que o antecede ficam, também, marcadospor um conjunto de exposições. O destaque principal vai Arte equestre de Edificado no início da década de 80, o Centro Equestre Lezíria Grande tem sido um verdadeiro embaixador da cultura epara a mostra “Glórias em Vila Franca – Momentos da do Cavalo Lusitano em Portugal e no Mundo. Com 32 anos de actividades ininterruptas, a instituição que nasceu do sonhoFesta”, que será inaugurada na noite de quinta-feira de Luís Valença, já ensinou centenas de pessoas, e levou muitas mais a apaixonarem-se não só pela arte equestre, como tam-(22h30) dia 5 de Julho, no Celeiro da Patriarcal, numa bém pela inteligência, personalidade e lealdade do Cavalo Lusitano.cerimónia que inclui momentos de fado com António Foto Ana SerraPinto Basto. “Pretendemos homenagear figuras de VilaFranca e figuras que, não tendo nascido em Vila Franca,têm com a nossa terra uma fortíssima relação. Vai seruma excelente forma de honrar Vila Franca e as figurasque na Palha Blanco tiveram um protagonismo especial”,explicou Maria da Luz Rosinha.Esta é uma grande exposição que vai ficar patente naPatriarcal até 14 de Outubro, permanecendo aindadurante a Feira de Outubro e na data do aniversário dosForcados de Vila Franca. Já no Museu Municipal vila-franquense vai estar patente uma exposição sobre os 80anos dos Forcados de Vila Franca.Até 15 de Julho ficam patentes exposições inauguradasdurante a Semana da Cultura Tauromáquica. No salãonobre dos Paços do Concelho pode visitar uma mostra depintura de Humberto Parra e na escadaria da autarquiavila-franquense estão expostos fatos de tourear. Já noespaço da Rua Miguel Bombarda, nºs 155 a 161 estãopatentes uma exposição de leques e esculturas da festa dosséculos XVII a XIX e uma mostra comemorativa dos 80anos do Grupo Tauromáquico Sector 1. Já no NúcleoMuseológico do Mártir santo pode ser vista uma A equipa do Centro Equestre daexposição de pequenas capillas (oratórios que acompa- Lezíria na recente gala apresentadanham os toureiros) intitulada “Fé e Devoção”. na Palha Blanco“Fizemos o possível para manter o mesmo nível que tive-mos em anos anteriores”, afiançou o matador de toiros Miguel António Rodrigues ainda em Lisboa. Desse “negó- esquecido as palavras de umMário Coelho na conferência de imprensa de apresen- mrodrigues.vr@gmail.com cio” veio a cimentar-se uma dos homens mais importantes amizade. “O cavalo veio a re- do mundo dos toiros e cavalostação do Colete Encarnado e da XXIII Semana da Já lá vão mais de 30 anos, mas velar-se uma estrela na nossa do país.Cultura Tauromáquica, considerando que “são exposições os primeiros dias que levaram vida, porque abriu-nos várias O mentor do Centro Equestrede muito interesse. Há peças que nunca se viram em Vila à edificação deste sonho estão portas”. da Lezíria Grande (CELG)Franca, como os leques e abanicos pintados à mão por bem presentes na memória do Na altura, Luís Valença traba- diz-se um homem orgulhosograndes pintores da época”. homem que é o rosto da casa lhava num picadeiro pequeno da sua obra. Uma obra fami- que, a poucos dias da festa do em Lisboa e o homem que liar, onde as filhas o genro e os Colete Encarnado, recebeu o Voz Ribatejana. Luís Valença Luís Valença mais tarde viria a ser seu sócio ofereceu-se para financiar a netos partilham das mesmas paixões. Este é “o jardim mais Política e toiros hoje em debate psicólogo de lembra-se dos amigos que o “A Política e os Touros” é o tema do colóquio que se ajudaram neste sonho. Um sócio espanhol e Fernando cavalos realiza na noite de dia 4 de Julho no salão nobre da Câmara de Vila Franca e que encerra o programa da Palha. O Sultão Recorda que tudo começou Há décadas a treinar ca- XXIII Semana da Cultura Tauromáquica. A sessão, com um cavalo, o “Sultão”. O moderada por Enrique Piriz, conta entre os oradores valos, Luís Valença O actor Americano de vários filmes westerns Kirk animal, que em 2004 viria a ser com Demetrio Perez (ex-delegado da Junta da lamenta o facto de muitos Douglas foi um apaixonado pelo cavalo Sultão. Luís condecorado pelo Município Andalucia), Francisco Moita Flores (presidente da animais chegarem à insti- Valença não menospreza as várias homenagens de que o de Vila Franca de Xira, foi o Câmara de Santarém) e Maria Gabriela Canavilhas tuição com vários trau- cavalo foi alvo em todo o mundo, mas destaca o facto do (deputada e ex-ministra da Cultura). “É um tema motor de tudo. Lembra o responsável que um antigo mas. Refere ao Voz actor se ter afeiçoado ao Sultão de tal forma que escreveu importantíssimo. A Festa tem sido seguida em muitas Ribatejana que não costu- estudante lhe quis comprar um um romance, tendo o cavalo assumido a personagem prin- críticas ultimamente. Enquanto não dermos as mãos ma falar com os cavalos, para vencer esses obstáculos, estaremos a ser ultra- cavalo, “tinha de ser ensinado cipal. por mim que era o professor antes pelo contrário “são Corria o ano de 1989 quando o actor visitou o Centro passados”, avisou Mário Coelho. mais as vezes que os cava- dele”. Nos primeiros anos o Equestre da Lezíria Grande. Na altura, Luís Valença con- cavalo ficou em sua casa, los desabafam comigo, do vidou-o a montar o Sultão “e o homem até chorou. Eu até que desabafo eu com pensei que era fácil ele chorar porque era actor de cine- eles”. Destaca que há ani- ma, mas ele disse-me que não. Que estava comovido”. ANA SERRA mais que chegam em stress físico vindos de ca- Um mês depois de ter passado por Vila Franca, Kirk valeiros “que têm pouca Douglas telefonou a Valença onde o informou que estava consciência do que a escrever o tal romance sobre o cavalo. Entretanto, o fazem”. Quando chegam, actor mandou a Portugal a sua secretária para tomar (Antropóloga) “os cavalos estranham o tratamento diferente que alguns apontamentos e, um ano depois, saiu um romance com o titulo “The Gift”. Valença recorda com emoção o mail:ana_mmserra@hotmail.com têm aqui”. Por isso rejeita com humor que se diga momento e destaca o facto de na primeira página estar escrito que é “um romance inspirado nos momentos queFotografia que é o psicólogo de passei no centro equestre e que montei o cavalo Sultão”. serviço aos equinos, “é “Esse para mim foi o momento mais alto do que um cava-Profissional por isso que digo que lo pode provocar numa pessoa. Porque esse homem tinhaDigital estranham o tratamento e que desabafam o mau na altura 77 ou 78 anos e uma vivência no mundo inigualável, e a vivência aqui no centro equestre levou-o aVídeo tratamento que tiveram”. escrever um romance”. “O cavalo é como um bebé que não tem con-R. Manuel Afonso sciência do que faz. O de Carvalho 19 cavalo a mesma coisa. construção de um centro bonito de Vila Franca de Xira”, equestre. Depois de alguma sublinha, lembrando que antes Tem sentimentos, mas nãoVILA FRANCA DE sabe explicar”. Luís procura, Luís Valença decidiu- “o terreno não tinha uma flor, se pelo concelho de Vila uma pedra, não tinha nada”. A XIRA Valença destaca que mais Franca de Xira, após uma con- instituição que já tem nas suas do que uma vez já com- T: 263 281 128 prou cavalos com proble- versa com Fernando Palha que boxes mais de 60 cavalos, é lhe disse: “Eu tenho um sítio uma montra aberta para o 967 664 811 mas psíquicos e depois que parece feito por deus para mundo. Valença salienta que o temos de transformar o fazer um centro equestre”. CELG tem cerca de dez a doze negativo no positivo”. Valença diz nunca mais ter cavalos que utiliza nos espec-
  7. 7. 4 de Julho de 2012 15Vila Franca corre Mundo Foto Ana Serra A fama dos Cavalos Lusitanos na Ásia O Centro Equestre Lezíria Grande bem se pode gabar de ser o embaixador da cultura equestre na Ásia. O centro que não dá mostras de abrandar, embora a crise também lhe tenha batido à porta, está agora noutro patamar. Luís Valença disse, ao Voz Ribatejana, que os países asiáticos, têm um interesse muito grande em tudo o que envolve a arte equestre portuguesa. Países como a Indonésia ou a Tailândia, são para já os dois locais onde o Centro Equestre Lezíria Grande já abriu sucursais. Luís Valença lembra que os “orientais são apaixonados pela arte”. Há uns anos um grupo de pessoas oriundas da Tailândia esteve a fazer um estágio de equitação no centro “ficaram apaixonados por isto e quiseram construir algo idêntico”. O proprietário destaca que foi então construído um centro “super luxuoso” ao estilo oriental. Na mesma altura, o centro vila-franquense enviou também pessoal qualificado para a nova estrutura, “primeiro foi uma das filhas, depois a outra”. Porém a visibilidade da arte equestre viria, mais tarde, a alastrar.se à Indonésia. Luís Valença salienta que depois de um espectáculo para o aniversário do Rei da Tailândia, surgiu a vontade de alguém fazer algo semelhante nessetáculos “e depois mais dez que Há ainda a escola de equitação, outro país.se estão a preparar para osespectáculos”, o que demora à qual está afecto um grande grupo de cavalos e depois há “Tenho um grande desgosto Na indonésia está agora a filha do meio de Luís Valença, com o marido que foi cavaleiro e matador de toiros, o Ruipelo menos dois anos.Espectáculos que são a base de um outro local, onde estão os cavalos mais velhos que por ter acabado o Salão do Miguel “tem feito um trabalho extraordinário, porque já conseguiram meter o cavalo lusitano nos concursos desubsistência da instituição. gozam ali a sua “reforma” Cavalo” dressage”. E no ano passado, nos jogos orientais, “classi- ficaram os cavaleiros nos primeiros lugares”. Vinca, por isso, que “as coisa singram quando há perfeição amor e Luís Valença lamenta o fim do Salão do Cavalo. “A seguir profissionalismo”, algo que tem passado aos filhos e aos ao Colete Encarnado, o Salão do Cavalo era das festas netos que já vão dando os primeiros passos na arte mais bonitas de Vila Franca de Xira”, refere, em decla- equestre. rações ao Voz Ribatejana. O proprietário do Centro Equestre lamenta, sobretudo, a forma de como o certame, uma morte digna, deixando a fama do Centro Equestre da que era uma das principais montras do país, acabou natureza seguir o seu curso. É Lezíria Grande precede a “doente, moribundo, moribundo até que acabou por mo- com orgulho que o responsá- própria instituição. Basta rrer”. Por isso defende que “mais-valia ter acabado de vel afirma que tem fun- pesquisar no “Google” para forma abrupta”. cionários desde o primeiro dia aceder aos elogios e aos “Houve uma altura em que eu tinha afirmado que a trabalhar na casa. Já lá vão 32 inúmeros testemunhos posi- devíamos acabar com o salão, mas prolongaram-no por anos, mas a “família” mantêm- tivos em todo o mundo. Esta é, uma agonia. Ele devia ter acabado de cabeça erguida”, se unida. Destaca que não há de certa forma, uma das mon- defende. Foram, ainda assim, “anos extraordinários para salários em atraso e diz ainda tras para o Cavalo Lusitano, o Obras condicionam entrada a divulgação não só do cavalo, como da cultura equestre, que isso só é possível com muito trabalho e com os espe- preferido de muitos em todo o mundo, mas também uma como o movimento que trouxe pessoas a Vila Franca de do Centro Equestre todo o lado”, sustenta Luís Valença. ctáculos que o Centro Equestre realiza em vários pontos do forma de dar a conhecer a potencialidade dos técnicos, Mundo, o que ajuda à sua cavaleiros e toda a arte que depois de anos dedicados à Centro Equestre, os animais sobrevivência, sobretudo nos envolve o Cavalo Lusitano nas arte. Diz Luís Valença que, no têm uma vida, mas também dias que correm. Todavia, a suas várias vertentes. Luís Valença aceita as obras à entrada do Centro Foto Ana Serra Equestre com alguma resignação. S trabalhos dizem respeito à construção do Novo Hospital de Vila Franca de Xira e estão a dificultar o acesso dos funcionários e visi- tantes ao centro. Contudo, o pó e os camões que cruzam as estradas de acesso ao novo local também não são bené- ficos para os animais que têm de viver diariamente com o stressante barulho das obras. Ao Voz Ribatejana, Luís Valença destaca que “não nos devemos opor ao progresso”. É por isso que aceita com alguma resignação os dias mais empoeirados e barulhentos junto ao seu Centro Equestre. O local está completamente desvirtuado. A habitual estra- da de acesso está condicionada e apenas duas bandeiras de Portugal denunciam a entrada do Centro Equestre da Lezíria Grande, tal é a barafunda envolvente. Luís Valença admite que “temos de nos esquecer destas dores de cabaça. Pois são obras para o progresso. Este hospital é algo de extraordinário aqui para Vila Franca”. Para o responsável “alguém tem de se sacrificar. Infelizmente o centro equestre e os cavalos foram os que levaram 90 por cento desse sacrifício”, lamenta. Com o novo edifício do hospital a escassos meses de ser aberto ao público paredes meias com o Centro Equestre, Luís Valença acredita numa boa convivência entre o hos- pital e o centro no futuro. Diz o responsável que o seu jardim está aberto aos novos vizinhos, pois mais uma vez acrescenta que “é o jardim mais bonito de Vila Franca”.

×