9 02 a viragem para uma nova era

6.673 visualizações

Publicada em

a viragem para uma nova era

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.673
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5.972
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

9 02 a viragem para uma nova era

  1. 1. História A - Módulo 9 Alterações geoestratégicas, tensões políticas e transformações socioculturais no mundo atual Unidade 2 A viragem para uma nova era http://divulgacaohistoria.wordpress.com/
  2. 2. Módulo 9, Hiistória A 2 2.1 Mutações sociopolíticas e novo modelo económico 2.1.1 O debate do Estado-nação O conceito de Estado provêm do filósofo grego Aristóteles, que no século IV a.c., afirma ser necessário para existir uma Polis que existam leis, um território e um corpo cívico; O Estado-Nação surge no século XIX como um dos principais legados do liberalismo; Traduz-se pela seguinte frase: “A cada povo corresponde uma Nação, a cada Nação deve corresponder um Estado”;
  3. 3. Módulo 9, Hiistória A 3 Hoje em dia o conceito de Estado corresponde ao aparelho burocrático (funcionalismo público), ao governo, ao exercício da ordem pública e da administração do território, bem como a garantia da independência nacional; O conceito de Nação abrange a população que apresentam determinadas características comuns; No século XX, os Estados Nação, dominam a organização mundial, tornando-se no elemento estruturador da ordem política internacional; São Estados mononacionais;
  4. 4. Módulo 9, Hiistória A 4 O fim dos Impérios no pós Primeira Guerra Mundial, a descolonização no pós Segunda Guerra Mundial e o fim da URSS fizeram proliferar os Estados-Nação; Membros da ONU em: 1945 – 51 países; 2012 – 193 países;
  5. 5. Módulo 9, Hiistória A 5
  6. 6. Módulo 9, Hiistória A 6 A globalização veio colocar em causa o Estado-Nação; As fronteiras dos Estados não garantem a inexistência de ingerências externas; Os Estados fazem parte de organizações supra nacionais que os “obrigam a abrir as fronteiras”; As empresas multinacionais ultrapassam as fronteiras dos países; As migrações populacionais; A ONG’s, por vezes, assumem um papel que caberia aos estados;
  7. 7. Módulo 9, Hiistória A 7 Nos finais do século XX há uma evolução em dois sentidos aparentemente contraditórios: Surgiram novos nacionalismos separatistas em vários estados em virtude da afirmação de novas realidades étnicas; Desenvolvem-se novas unidades políticas e territoriais onde os sentimentos nacionalistas são mais estreitos, grupos e entidades étnicas reivindicam o direito à sua autodeterminação; Por outro lado, o papel do Estado-Nação parece esgotado face aos problemas da globalização e de outros fenómenos transnacionais (migrações, segurança e ambiente); 2.1.2 A explosão das realidades étnicas
  8. 8. Módulo 9, Hiistória A 8 Questões étnicas e religiosas: Espanha: País Basco e Catalunha; Bélgica: Valões e Flamengos; França: Córsega; Irlanda do Norte: Católicos e Protestantes; Península Balcânica: explosão de nacionalismos que levou ao fim da Jugoslávia; Cáucaso: múltiplas questões nacionalistas;
  9. 9. Módulo 9, Hiistória A 9 China: separatismo tibetano; Norte de África e Médio Oriente: eclosão dos movimentos radicais islâmicos; África subsaariana: Ruanda, Sudão, Chade, Nígéria (Boko Haram), etc.; Índia: hindus contra sikhs; Sri Lanka: conflito entre a minoria tamil com a maioria cingalesa; Afeganistão: guerra civil Ucrânia: separatismo da população de origem russa;
  10. 10. Módulo 9, Hiistória A 10
  11. 11. Módulo 9, Hiistória A 11
  12. 12. Módulo 9, Hiistória A 12 E muitos outros… Estes conflitos muitas vezes dão azo a genocídios e à proliferação de refugiados que fogem desses conflitos;
  13. 13. Módulo 9, Hiistória A 13 2.1.3 As questões transnacionais: migrações, segurança e ambiente As causas que levaram ao crescimento das migrações humanas no final do século XX e princípio do XXI são inúmeras: Deslocalização da empresa; Questões ambientais; Escassez de recursos naturais, fuga à pobreza; Excesso de população; Problemas e guerras étnicas, políticas e religiosas; Ao contrário das grandes migrações do século XIX que foram, no essencial, pacíficas, as migrações atuais apresentam problemas dramáticos e complexos;
  14. 14. Módulo 9, Hiistória A 14 Consequências das migrações: Drama dos refugiados, muitas vezes sem o mínimo de condições de vida; Provocam problemas nos países de acolhimento, muitas vezes eles próprios com problemas económicos e demográficos; Questões raciais e de xenofobia que por vezes se levantam entre as populações que chegam e as populações que residentes que por vezes são de raça, religião e costumes diferentes; Étnicos quando as populações residentes temem ser ultrapassadas em número pelos recém-chegados, e coloca em causa os fundamentos do Estado-Nação;
  15. 15. Módulo 9, Hiistória A 15 Nos países de acolhimento provoca reações de rejeição e, por vezes, leva ao crescimento dos partidos de extrema-direita; Perante estes problemas na Comunidade Europeia procura-se promover a interculturalidade, nomeadamente através de intercâmbios escolares como o projeto Erasmus; Surgem também os Observatórios Culturais que procuram recolher informação sobre os imigrantes;
  16. 16. Módulo 9, Hiistória A 16
  17. 17. Módulo 9, Hiistória A 17 Em termos globais, estas migrações partem, em geral, do Sul e dirigem-se para o Norte; Outra característica é a composição destes imigrantes, existe uma maior número de mulheres e mais pessoas com formação académica elevada;
  18. 18. Módulo 9, Hiistória A 18 Apesar do fim da Guerra Fria nos anos 90, as questões de segurança continuam a ser prementes com o desencadear do fenómeno do terrorismo; O terrorismo é potenciado pelos múltiplos conflitos religiosos, políticos e étnicos à escala global; Um dos marcos do terrorismo foi ao ataque do dia 11 de setembro de 2001 a vários alvos nos EUA, nomeadamente às torres do World Trade Center;
  19. 19. Módulo 9, Hiistória A 19 O terrorismo caracteriza-se pelo recurso à violência sistemática e indiscriminada; Utiliza os meios de comunicação para amplificar a sua mensagem e propagar o medo; No século XXI transformou-se numa ameaça à escala global; O terrorismo é difícil de combater pois não é um exército convencional e na maior parte das vezes nem tem uma pátria;
  20. 20. Módulo 9, Hiistória A 20 O fenómeno do terrorismo atua praticamente em todos os continentes e ameaça todos; A proliferação de armas, nomeadamente de armas nucleares, biológicas e químicas aumenta a insegurança à escala global;
  21. 21. Módulo 9, Hiistória A 21 O movimento ecológico nasceu na década de 60 do século XX; Surgem organizações não governamentais ambientais e “partidos verdes”; Como resposta à degradação do ambiente à escala planetária: Aquecimento global; Destruição da camada protetora de ozono; Intensificação da desertificação e degradação dos solos; Chuvas ácidas; Deterioração dos oceanos;
  22. 22. Módulo 9, Hiistória A 22 A degradação ambiental acelerou com a intensificação do crescimento demográfico, da globalização, da exploração intensiva dos solos, floresta tropical e oceanos; Surgem campanhas de denúncia da poluição e dos atentados à Natureza;
  23. 23. Módulo 9, Hiistória A 23 Em 1992, Rio de Janeiro, realizou-se a Conferência das Nações Unidas para o Ambiente e o Desenvolvimento, designada por “Cimeira da Terra” foram aprovadas propostas tendentes a uma gestão cuidada dos recursos do planeta, “desenvolvimento sustentável”; Em 1997, na cidade japonesa de Quioto, 175 países comprometeram-se a baixar as emissões de gases causadores do efeito de estufa; Ficou conhecido como “Protocolo de Quioto”, os EUA não assinaram o documento;
  24. 24. Módulo 9, Hiistória A 24 Apesar dos progressos realizados nos últimos anos ainda existem muitos problemas por resolver; Ainda se está muito longe de se conseguir um desenvolvimento sustentável a nível global;
  25. 25. Módulo 9, Hiistória A 25
  26. 26. Módulo 9, Hiistória A 26 2.1.4 Afirmação do neoliberalismo e globalização da economia No início dos anos 80, o choque petrolífero, a inflação, o aumento do desemprego, deixou para trás os “Trinta Gloriosos”, e a estagflação tinha-se enraizado; As dificuldades financeiras põem em causa o caráter social do Estado e resultam políticas neoliberais caracterizadas por um maior pragmatismo político;
  27. 27. Módulo 9, Hiistória A 27
  28. 28. Módulo 9, Hiistória A 28 Causas da crise do Estado Providência: Aumento das despesas públicas e a diminuição das receitas dos sistemas de segurança social provocados pela diminuição da natalidade e aumento da longevidade dos reformados, que agrava os custos sociais com a terceira idade; Crescente modernização tecnológica dos serviços que provoca o agravamento do desemprego e consequente redução da mão de obra contribuinte; Degradação das condições de vida das populações, que, na situação de desemprego, se veem obrigadas a recorrer aos financiamentos do Estado; Crescimento da inflação que impõe aumentos de salários dos servidores do Estado.
  29. 29. Módulo 9, Hiistória A 29 Os governos conservadores do Ocidente: Margaret Thatcher (lnglaterra); Ronald Reagan (EUA), e Helmut Kohl (Alemanha); Abandonam as teses keynesianas e adotam medidas neoliberais: Diminuição da intervenção do Estado na economia; Valorização da iniciativa privada, a livre concorrência e a cultura de empresa; Liberalização dos preços;
  30. 30. Módulo 9, Hiistória A 30 Política de privatização de serviços públicos; Controlo das despesas públicas (redução do número de funcionários públicos, diminuição dos salários reais e limitação das despesas sociais); Políticas tendentes a reduzir a inflação (limitação das emissões monetárias e limitações salariais); Aplicação da ideia do “Estado mínimo” (enfraquecimento do Estado do bem-estar social dos países ricos, empobrecimento das populações enquanto o rendimento dos mais ricos aumenta em proporção inversa, alargando-se o fosso que separa pobres e ricos, sejam indivíduos, regiões ou nações).
  31. 31. Módulo 9, Hiistória A 31 Implementação de legislação laboral favorecendo o despedimento dos trabalhadores; Diminuição dos impostos e do seu carácter progressivo; Aprovação de legislação favorável às multinacionais; Liberalização dos mercados com abolição das taxas alfandegárias; Acordos comerciais favorecendo a circulação de bens e capitais;
  32. 32. Módulo 9, Hiistória A 32 Os anos 80 aceleraram a globalização da economia apoiada no desenvolvimento das Tecnologias da Informação e da Comunicação; Os Estados diminuem as suas leis protecionistas e encaminha-se no sentido do livre-cambismo; O comércio internacional cresce; Surgem vários “mercados comuns”: União Europeia, NAFTA (Canadá, EUA, México), MERCOSUL (América do Sul), ASEAN (Sudeste Asiático), COMESA (Sul e Oriente de África);
  33. 33. Módulo 9, Hiistória A 33 1994, o GATT evoluiu para formar a Organização Mundial do Comércio, (OMC); Objetivo de integrar economicamente os próprios blocos regionais e disciplinar o comércio mundial Implementa a constituição de um mercado à escala global;
  34. 34. Módulo 9, Hiistória A 34 Desenvolvem-se grandes conglomerados empresariais que dominam a produção e a oferta; Estas são uniformizadas para um consumo igualmente uniformizado, graças à publicidade e ao desenvolvimento dos media;
  35. 35. Módulo 9, Hiistória A 35 Nesta conjuntura o capitalismo expande-se a um ritmo prodigioso; Muitos designam o atual período da economia por Terceira Revolução Industrial por se basear na utilização das tecnologias;
  36. 36. Módulo 9, Hiistória A 36
  37. 37. Módulo 9, Hiistória A 37 As TIC possibilitaram às grandes empresas ultrapassarem as fronteiras continentais e dispersaram-se por todo o Globo (aproveitando as potencialidades de cada região, a rentabilidade, facilidade de transportes, etc.; As empresas transnacionais (multinacionais) transformam o mundo num mercado único; É o capitalismo na sua máxima expressão;
  38. 38. Módulo 9, Hiistória A 38 Os capitais movimentam-se livremente entre as maiores Bolsas de Valores do Mundo (Nova Iorque, Londres, Tóquio, Singapura); As grandes empresas adotam estratégias a nível mundial; As empresas procuram os locais com maiores potencialidades para os seus lucros mudando de regiões e de países; É o fenómeno da deslocalização provocando desemprego;
  39. 39. Módulo 9, Hiistória A 39
  40. 40. Módulo 9, Hiistória A 40 Os prós e os contras da globalização Os prós A instalação de unidades industriais e comerciais em locais de grande pobreza permitiu que algumas populações condenadas à extrema pobreza tivessem alguns benefícios monetários (Sudeste Asiático);
  41. 41. Módulo 9, Hiistória A 41 O mercado livre beneficia os consumidores; Mais bens e serviços disponíveis a preços mais baixos; Criação de postos de trabalho em zonas periféricas; A economia global desenvolveu os países produtores de matérias- primas; A globalização tornou possível a mobilização da opinião pública mundial para causas humanitárias e ambientais;
  42. 42. Módulo 9, Hiistória A 42 Os contras Acentuou as desigualdades entre o hemisfério norte desenvolvido e o hemisfério sul subdesenvolvido; Os interesses capitalistas sobrepõem-se aos interesses das populações; A deslocalização das empresas está sempre presente e ameaça as populações; As multinacionais não hesitam em encerrar as unidades industriais ou comerciais nos locais onde os lucros diminuíram e deslocalizá-las para outras regiões onde vislumbrem potencialidades de rendimentos mais prósperos;
  43. 43. Módulo 9, Hiistória A 43 Veio provocar a desregulação das economias nacionais (os mercados locais são incapazes de concorrerem com as economias transnacionais); Uniformização do mercado mundial não tem em conta as especificidades regionais, tanto económicas como culturais e mesmo políticas, contribuindo, cada vez mais, para a crise da ideia de Estado Nação; O desenvolvimento desenfreado do capitalismo é umas das principais causas da degradação do ambiente, pela universalização do terrorismo e a generalização de pandemias; O crescimento global tem sido pontuado por recessões económicas (1987, 1997,2008);
  44. 44. Módulo 9, Hiistória A 44 A globalização gera desemprego e contribui para os salários baixos; Contribui para a degradação do meio ambiente; A uniformização e americanização dos costumes está desenvolver uma cultura uniforme colocando em causas as diferenças culturais;
  45. 45. Módulo 9, Hiistória A 45 Os opositores à globalização criaram, em 2001, o Fórum Social Mundial, que condena o neoliberalismo, o lucro excessivo, a falta de ética do capitalismo; Contrapõem a construção de um outro mundo (altermundus ou alterglobalização) socialmente mais equilibrado, as diferenças entre ricos e pobres sejam atenuadas, a paz seja promovida, o ambiente preservado e procurando desenvolver um comércio justo;
  46. 46. Módulo 9, Hiistória A 46 2.1.5 Rarefação a classe operária; Declínio do sindicalismo e da militância política Devido à diminuição do setor industrial e à consequente redução da classe operária, fala-se na era pós-industrial;
  47. 47. Módulo 9, Hiistória A 47 Fatores que contribuem para a diminuição da classe operária: Modernização do setor produtivo. As máquinas fazem uma grande parte do trabalho; Declínio dos tradicionais setores empregadores. A atividade mineira, a siderurgia, o têxtil desaparecem ou aderiram às tecnologias ou deslocalizaram-se para os novos países em vias de desenvolvimento; As velhas zonas industriais transformam-se em locais de interesse turístico ou deram lugar a novas zonas habitacionais em torno de um novo centro comercial;
  48. 48. Módulo 9, Hiistória A 48 As políticas neoliberais levaram à adoção de medidas favoráveis flexibilização de salários e dos vínculos laborais; O empresário capitalista passa a ter mais facilidade em proceder a despedimentos quando as necessidades da produção os tornam dispensáveis; A terciarização" da indústria. A modernização da produção industrial implicou a transformação do operário em “colarinho branco”;
  49. 49. Módulo 9, Hiistória A 49
  50. 50. Módulo 9, Hiistória A 50 Nas economias ocidentais o setor dos serviços ganha cada vez mais importância; O desemprego aumenta nas sociedades capitalistas provocando o aumento da exclusão social e da delinquência; Outro fenómeno associado a esta situação é a progressiva importância de partidos políticos não democráticos;
  51. 51. Módulo 9, Hiistória A 51 2.1.6 Declínio da militância política e do sindicalismo Nos finais do século XX, o setor primários quase desaparece, o secundário ocupa cada vez menos operários e o terciário aumenta desenfreadamente; Há mais mulheres a trabalhar mas não há mais trabalhadores; O trabalho precário e o desemprego são uma presença constante nas sociedades desenvolvidas; As greves diminuem, os sindicatos perdem força e aderentes;
  52. 52. Módulo 9, Hiistória A 52 Declínio da consciência de classe. A unidade que caracterizou o movimento operário do século XIX, deu lugar à dispersão de interesses; Precariedade das condições de trabalho. Aqueles que têm emprego receiam o despedimento; Alto nível de desemprego; Concorrência dos novos países industrializados; Ascensão ao poder de governos de direita conservadora determinados em limitar a influência dos sindicatos;
  53. 53. Módulo 9, Hiistória A 53 O declínio da militância política O declínio do sindicalismo está também estreitamente ligado ao declínio da militância política: Crise de ideologia. A crise dos modelos marxistas deixou na arena política partidos reformistas que não divergem profundamente nas suas propostas políticas; Afirmação de novas formas de associativismo concorrentes com a militância política; Os interesses materiais e o individualismo levam os cidadãos e fecharem-se nos seus núcleos sociais, cada vez mais restritos, e a abandonar ideais e convicções que antes movimentavam massas;
  54. 54. Módulo 9, Hiistória A 54 Crescente descrença nos políticos e nas suas propostas. Cresce a convicção que a militância política é cada vez mais motivada por interesses de uma minoria de privilegiados do que pela realização do bem público; Os media trazem os políticos e a política para dentro da casa do cidadão; Subordinação das políticas nacionais a organizações supranacionais que limitam o poder decisório dos governantes (União Europeia);
  55. 55. Módulo 9, Hiistória A 55 2.2 Dimensões da ciência e da cultura no contexto da globalização (não é de aprofundamento) 2.2.1 Primado da ciência e da inovação tecnológica A racionalização do processo produtivo estimula o desenvolvimento científico e a inovação tecnológica; Privados e o Estado investem na ciência, investigação e tecnologia;
  56. 56. Módulo 9, Hiistória A 56 A capacidade de gerir grandes fluxos de informação é a condição essencial para o sucesso empresarial; A revolução das tecnologias da informação e da comunicação e no campo da eletrónica tornam-se fundamentais na economia globalizada; O mundo transformou-se na aldeia planetária preconizada por McLuhan, afirmando-se como o mais poderoso instrumento da globalização e da uniformização cultural no século XXI; A revolução nas TIC é assimétrica à escala planetária; As TIC e os media contribuem para a uniformização cultural do mundo;
  57. 57. Módulo 9, Hiistória A 57 Os desenvolvimentos científicos e tecnológicos originaram novos problemas: “Até onde podem ir os avanços da ciência quando é a vida humana que constitui o objeto da investigação é o novo desafio que se coloca Humanidade?”; A polémica reside na contradição entre o aproveitamento científico da manipulação do material genético e os limites impostos ao conhecimento científico que advêm das convicções espirituais de cada ser humano; Antão, António, Preparação para o Exame Nacional 2014, História A, 2013 (adaptado)
  58. 58. Módulo 9, Hiistória A 58 2.2.2 Declínio das vanguardas e pós-modernismo O pós-modernismo, afasta-se da modernidade racionalista e propõem uma produção intelectual: Aproveitamento intencional de técnicas e de recursos variados que vão desde as paredes até às novas tecnologias; Apagamento da fronteira entre alta cultura e a cultura de massa. A produção artística concebida como um produto facilmente percetível pelos sentidos e de fácil aceitação e consumo;
  59. 59. Módulo 9, Hiistória A 59 Prática da apropriação e da citação de obras do passado, o que leva os criadores pós-modernistas a produzirem uma obra caracterizada pelo anarquismo estético, tão variados são os estilos praticados pelos artistas, tão ausentes estão as regras e tão ténue , por vezes, a separação entre o bom e o mau gosto; Culto das minorias, como a ecologia, as mulheres, os negros, os homossexuais, entre outros; Humor e a ironia – tentativa de desdramatizar o social, evitando que o indivíduo se preocupe, fique tenso ou deprimido; Antão, António, Preparação para o Exame Nacional 2014, História A, 2013 (adaptado)
  60. 60. Módulo 9, Hiistória A 60 Neoexpressionismo e transvanguarda Na arquitetura a contestação do funcionalismo racionalista assumiu várias formas nomeadamente o aspeto inacabado de alguns edifícios, arquitetura high-tech, o desconstrutivismo, etc.; Armazéns Best, Richmond, EUA Takamasu, Casa, Tóquio
  61. 61. Módulo 9, Hiistória A 61 Na pintura desenvolveram-se importantes movimentos em Itália e na Alemanha; Na Alemanha aprecem como os sucessores dos movimentos expressionistas do início do século XX, e por isso designam-se por neoexpressionismo; Em Itália surge o movimento designado por Transvanguarda; Surgem ainda outras formas de arte, como a arte vídeo ou computorizada, o grafito, etc.,
  62. 62. Módulo 9, Hiistória A 62 Baselitz, Clown Sandro Chia, Spare a Dime
  63. 63. Módulo 9, Hiistória A 63 2.2.3 Dinamismos socioculturais Desde o século XIX até às últimas décadas dos século XX assistiu-se a uma progressiva laicização da sociedade; Mas ultimamente o fervor religioso tem aumentado sobretudo nas áreas mais fundamentalistas defendem o regresso das religiões às suas práticas originais;
  64. 64. Módulo 9, Hiistória A 64 O desenvolvimento destas religiões aparece como uma resposta à crise de valores e aos excessos do materialismo consumista; Reação à uniformidade da globalização; Crise das ideologias que levaram muitos a procurarem novos valores;
  65. 65. Módulo 9, Hiistória A 65 Individualismo moral e novas formas de associativismo Os novos ritmos de trabalho e de vida que caracterizam a vida urbana: A competitividade por que se pautam todas as manifestações da vida; O desenvolvimento do conforto doméstico, em consequência do desenvolvimento tecnológico e da maior capacidade das populações acederem aos bens de consumo favoreceram a desagregação das antigas solidariedades e a crescente afirmação do individualismo moral.
  66. 66. Módulo 9, Hiistória A 66 Nas últimas décadas do século XX, assistimos proliferação de novas formas de associativismo motivadas pelas conturbações do mundo contemporâneo; Assistimos também à proliferação do associativismo em apoio de emigrantes, refugiados, excluídos por questões de racismo e de xenofobia, marginalizados por motivos de opção sexual, idosos, toxicodependentes, vítimas de agressões, etc.; Antão, António, Preparação para o Exame Nacional 2014, História A, 2013 (adaptado)
  67. 67. Módulo 9, Hiistória A 67 Hegemonia da cultura urbana Com a globalização da informação, a facilidade de acesso aos bens materiais no quadro da sociedade de consumo, a fluidez dos transportes e das comunicações, a cultura urbana que outrora caracterizava de uma forma particular a vida nas grandes cidades tende a alargar-se a outros âmbitos geográficos e impor-se de forma hegemónica a toda a população, revolucionando hábitos e costumes tradicionais; É a absoluta massificação da cultura que põe fim definitivo diferença pela imposição de novos padrões comportamentais ditos civilizados. Mas
  68. 68. Módulo 9, Hiistória A 68 A cultura urbana passou por profundas alterações: As cidades sofreram novos alargamentos, que passaram pela integração de aglomerações vizinhas onde as novas populações maioritariamente se fixaram; As áreas periféricas, suburbanas, desenvolvem novas práticas culturais, caracterizadas pela multiculturalidade étnica das populações que as praticam, influenciando as gerações nacionais que aderem facilmente às novidades introduzidas;
  69. 69. Módulo 9, Hiistória A 69 Em particular, o hip hop dinamizado pelos negros que ganha grande número de simpatizantes entre a juventude branca; As modernas tecnologias influenciam novas opções culturais. A tecnologia multimédia, cada vez mais aperfeiçoada e acessível, motiva novos gostos e novas práticas. E o tempo da geração que presta culto à eletrónica e à realidade virtual. Antão, António, Preparação para o Exame Nacional 2014, História A, 2013 (adaptado)
  70. 70. Módulo 9, Hiistória A 70 Esta apresentação foi construída tendo por base a seguinte bibliografia: FORTES, Alexandra; Freitas Gomes, Fátima e Fortes, José, Linhas da História 12, Areal Editores, 2015 COUTO, Célia Pinto, ROSAS, Maria Antónia Monterroso, O tempo da História 12, Porto Editora, 2013 Antão, António, Preparação para o Exame Nacional 2014, História A, 2013 2015/2016

×