NAMORO E SEXO NA TERCEIRA IDADEIdosos conseguem ter uma vida sexual ativa? Por que existe o estereótipo de que essaspessoa...
Sim, claro. Um médico de confiança poderá indicar os melhores cuidados a serem tomados.Diabetes, por exemplo, é uma doença...
atenção e companhia, fazem com que algumas pessoas vão em busca de um novo amor. Onamoro na terceira idade proporciona bem...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Namoro e sexo na terceira idade

4.530 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.530
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Namoro e sexo na terceira idade

  1. 1. NAMORO E SEXO NA TERCEIRA IDADEIdosos conseguem ter uma vida sexual ativa? Por que existe o estereótipo de que essaspessoas possam estar possivelmente “velhas” para suas vivências sexuais? Quando falamos em idoso, a imagem que vem à cabeça é de um velhinho sentado emuma cadeira de balanço ou de uma velhinha fazendo tricô. Essa representação está ultrapassada,entrando assim em choque com a realidade. Claro que há uma característica do envelhecimento,não quero e não poderia negar esse fato, mas tal característica não se encaixa nesse estereótipodito anteriormente. Não muito antigamente, quando tínhamos outra expectativa de vida, a saúdeem tal idade podia ser considerada precária, a questão sexual era bem diferente por conta detudo isso também. Não podemos esquecer que vivemos numa sociedade que exalta a juventudee a beleza como fontes primárias de prazer e sexualidade. Quem está fora de tais critérios estariafora também de qualquer possibilidade de vivência sexual, seria tarado, depravado, pervertido.Hoje se sabe que tais afirmações são preconceituosas e de uma ignorância absurda. Inventamoso uso de um medicamento à base de citrato de sidenafil e, ao mesmo tempo, reprovamos o seuuso. Ainda atrelamos a sexualidade à reprodução. E, principalmente a mulher, que sempre foieducada para conter seus desejos, nessa idade seria uma ninfomaníaca (uma mulherinsaciável,)se procurasse exercer a sua sexualidade (de forma saudável). Assim, por serespaldarem numa construção social, muitas pessoas nessa idade acabam se confortando com apossibilidade de suspender a sexualidade por uma referência socialmente construída. Nãopodemos esquecer que pessoas de mais idade cresceram em um ambiente de puritanismovitoriano (rigidez, dureza), onde não havia informações, mas a culpa pela excitação sexual aosmontes. Pessoas idosas, que estejam com a saúde em dia, são capazes de aproveitar asexualidade de maneira plena. Não se perde o interesse sexual com o passar da idade. Ou seja,ela não “some” quando o indivíduo entra na 3a idade. O que acontece é que a quantidade mudaem detrimento de uma melhor qualidade das relações. Devemos lembrar que sexualidade não seresume à penetração. É o toque, a carícia... o sexo ganha novos significados. Mas o próprioidoso, muitas das vezes, é o primeiro a acreditar que a sua sexualidade está com os diascontados. As mudanças fisiológicas normais podem assustá-lo, fazendo com que ocorra umadificuldade de adaptação e esse medo acaba por levar a um distanciamento da prática socialcomo forma de defesa.Viúvos ou idosos que sejam separados são vistos com certo tipo de preconceito, tanto pelafamília, como pela população quando afirmam que possuem namorados?Sim. E ainda podemos incluir aqui a família que tem medo (por vezes fundado) de que a pessoaque está se relacionando com o viúvo ou o idoso é um aproveitador, só pensa no dinheiro ou navida que estaria usufruindo ao seu lado. Ainda que estejamos em transformação, a sexualidade éum assunto que contém seus conservadorismos. Temos dificuldade em acreditar na sexualidadedos nossos pais ou avós. Assim, o fato de uma pessoa de mais idade querer se relacionar é vistocomo libertinagem. Mas é preciso ressaltar que em qualquer fase da vida é possível termos umavivência sexual satisfatória e prazerosa.Se o idoso sofre de alguma doença, como, por exemplo, doença cardíaca, hérnia de disco oudiabetes, é necessário tomar algum tipo de cuidado?
  2. 2. Sim, claro. Um médico de confiança poderá indicar os melhores cuidados a serem tomados.Diabetes, por exemplo, é uma doença que pode abrir um quadro de disfunção erétil. É precisoconversar com o médico e afastar possíveis fantasmas.A vida sexual pode sofrer reflexos por conta da idade? A menopausa e problemas depotencialidade masculina também podem interferir? Há uma mudança na atividade sexual nessa fase da vida. O corpo dos homens e dasmulheres se transforma. A menopausa modifica não só a pele, como a mucosa genital e asmamas. A lubrificação vaginal é mais lenta e a vagina pode se tornar mais estreita e curta, aindaque com tamanho suficiente para a penetração. Além disso, o revestimento vaginal torna-se finoe facilmente irritável, o que pode acarretar em rachaduras ou mesmo sangramento, levando àdor, que, por sua vez, pode provocar uma ansiedade antecipatória, aumentando o aparecimentodessa dor pelo medo do desconforto e consequente não relaxamento.Com os homens ocorre uma diminuição de espermatozoide e de testosterona e um aumento daprolactina, hormônio responsável pela redução do desejo sexual. A ereção, por sua vez, torna-semais lenta e menos rígida, com menor urgência em ejacular e um maior controle da mesma.Ocorrem casos de disfunção sexual na terceira idade?Casos de disfunção sexual acontecem em todas as idades.Quais dicas básicas você poderia dar para o sexo na terceira idade ser apreciado?A vivência da sexualidade nessa época da vida é nada mais do que a continuação de umprocesso que começou lá na infância. Aprendizagens, alterações anatômicas e fisiológicas,traumas e experiências vão formando o comportamento sexual.É preciso perceber que sexualidade e reprodução são eventos separados. E nesse momento davida, muitas vezes, as pessoas têm mais tempo para usufruir de uma sexualidade mais prazerosa.Basta para isso se informar e ver que o caminho não é tão difícil como, às vezes, por anos, ofizeram acreditar.A idade não dessexualiza o ser humano. Ainda que existam as mudanças fisiológicas, não hálimite de idade para se conservar uma atividade sexual. Sexualidade é expressão de carinho eafeto, sentimentos sem idade. Ainda que os desejos se modifiquem, eles não terminam, bastandopara isso que o corpo seja respeitado.O aparecimento de disfunções sexuais em tal idade ocorre muito mais por questões de saúde doque pela própria idade. Mas nem mesmo a idade ou a maioria das doenças implicam no fim dosexo. É claro que a doença suga a energia para se defender de uma ameaça física, diminuindo aatenção que poderiam ser voltada para as sensações sexuais. É preciso ter em mente que odesejosexual, motor da sexualidade, está presente em toda a vida, ainda que em menorintensidade ou frequência.Sexo e amor fazem bem em qualquer idade É certo que com o passar do tempo o corpo sofremudanças, mas não o suficiente para calar os desejos e guardá-los em uma gaveta. Entregar-se ao prazer traz um colorido a mais na vida. O namoro na terceira idade para algumas pessoas pode parecer absurdo, mas para outraspode significar o começo de uma nova vida. A busca pela felicidade, carinho, amor, sexo,
  3. 3. atenção e companhia, fazem com que algumas pessoas vão em busca de um novo amor. Onamoro na terceira idade proporciona bem estar gerais, as dores somem, o estado físico,psicológico e emocional melhora muito. O namoro, para os idosos revela-se como um tempo decuidado, lazer e dedicação. Ao encontrarem pessoas com quem se entende, não apenas poratração física demonstram sua afetividade por meio de cuidado. Visto assim, cuidar docompanheiro e manter uma atitude zelosa faz parte do relacionamento afetivo; A afetividademanifesta-se por pequenos gestos. A sexualidade, nesta fase, é vivida mais pela ternura e amordo que pelas relações sexuais. Apesar do envelhecimento fisiológico, pode-se manter jovempsicologicamente, expandindo vínculos, participando de grupos de convivência e mostrando-sereceptivo a novos relacionamentos, uma vez que amar faz parte da vida do ser humano.Osmédicos devem ter conhecimento de todo o processo de envelhecimento de suas relações com omeio, atuando em todos os setores, inclusive trabalhar sobre as doenças sexualmentetransmissíveis. Devido ao uso de remédios contra a impotência sexual, existe um aumento naatividade sexual e principalmente troca de parceiros e como não há riscos de gravidez, não usampreservativos e acabam contraindo doenças, dentre elas a AIDS. É alarmante o aumento doscasos de AIDS na terceira idade.Também há evidências de que doenças como: artrite, diabetes,cardíacas, incontinência, acidente vascular cerebral e depressão não impedem, mas afetam odesejo sexual na terceira idade. Sexo é uma atividade física, emocional e mental. Então aatividade sexual não mata, mas nesta fase da vida esforços físicos em exagero, sim. A família pode apoiar ou não o namoro, mas não sendoresponsável por manter “o idoso” economicamente, este tem o livre arbítrio para passear, parase comunicar, propiciando novos e duradouros relacionamentos amorosos. Devemos nosdesvencilhar de certos conceitos de que quando se chega na terceira idade a vida acaba, e o queresta é sentar e esperar as horas passarem a espera da morte. Não existem normas, nem regraspara o amor. Não importa a idade, todos buscam amar e ser amado. “É próprio do ser humanoviver em busca da felicidade”. Reflexões...Concluí que as pessoas buscam através do namoro na terceira idade, o amor, sexo, carinho,fidelidade, lealdade, companheirismo uma oportunidade para um relacionamento duradouro quelhes proporcione estabilidade emocional dando fim a solidão. O amor na terceira idade é umamor mais maduro, mais sólido, que podem ser vivenciados com os pés no chão. A solidão emmuitos casos adoece o físico e o espírito do adulto nesta etapa. Preconceitos ainda existem hojeno mundo, não somente em relação ao namoro na terceira idade, mas em relação aos velhos,negros, índios, pobres e homossexuais. Este é vivenciado, podendo ser trabalhado e superadopela humanidade. O idoso deve ser respeitado em todos os âmbitos, pois este contribuiu naconstrução política, social, econômica e cultural da sociedade através dos tempos.

×