Situação de saúde em idosos acometidos pelo avc

1.870 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.870
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Situação de saúde em idosos acometidos pelo avc

  1. 1. Universidade Federal da Bahia Escola de Enfermagem <ul><li>SITUAÇÃO DE SAÚDE DE IDOSOS ACOMETIDOS PELO ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL: revisão sistemática </li></ul><ul><li>Rocha,V. P.; Mendes, A. S.; Pedreira, L. C. </li></ul>
  2. 2. INTRODUÇÃO <ul><li>No grupo das doenças cardiovasculares estão as doenças cerebrovasculares, com especial destaque para o Acidente Vascular Cerebral (AVC). </li></ul><ul><li>Tal patologia tem uma alta prevalência no Brasil e no mundo, sendo os idosos a parcela da população mais acometida. </li></ul>
  3. 3. INTRODUÇÃO <ul><li>A mortalidade dessa afecção vem diminuindo, porém as conseqüências ocasionadas são sérias, na maioria dos casos. </li></ul><ul><li>O presente estudo visa identificar, na literatura nacional e internacional, a situação de saúde de idosos acometidos pelo Acidente Vascular Cerebral. </li></ul>
  4. 4. METODOLOGIA <ul><li>Trata-se de um estudo de revisão sistemática, de caráter qualitativo e descritivo. </li></ul><ul><li>A coleta de dados foi feita mediante busca de textos na Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), entre 01 de maio a 30 de junho de 2010, através de descritores e de critérios de inclusão. </li></ul>
  5. 5. METODOLOGIA <ul><li>A partir de tais critérios, 17 artigos, de nacionalidade variada, foram selecionados. </li></ul><ul><li>Utilizaram-se passos da análise de conteúdo de Bardin para categorização dos textos. </li></ul>
  6. 6. RESULTADOS <ul><li>Mediante a leitura dos textos selecionados, formaram-se duas categorias para análise: </li></ul><ul><ul><li>Prejuízo das atividades básicas da vida diária (ABVDs) e das atividades instrumentais da vida diária (AIVDs) e suas conseqüências para a saúde; </li></ul></ul><ul><ul><li>Qualidade de vida e isolamento social. </li></ul></ul><ul><li>Houve uma relação mútua entre a situação de saúde e qualidade de vida dos idosos, expressando-se através do prejuízo na execução das ABVDs/AIVDs. </li></ul>
  7. 7. RESULTADOS <ul><li>Tal relação repercutiu em conseqüências biológicas, funcionais, sociais e emocionais; que se relacionaram ao sexo, idade, tipo do AVC, apoio dos serviços formais e informais, entre outros. </li></ul><ul><li>Além disso, percebeu-se que independente do grau de desenvolvimento socioeconômico dos países, a situação de saúde dos idosos foi muito semelhante; demonstrando ser uma condição mundial que merece atenção. </li></ul>
  8. 8. CONSIDERAÇÕES FINAIS <ul><li>Portanto, é preciso investir na prevenção do AVC, paralelo ao controle dos riscos modificáveis. </li></ul><ul><li>Além disso, prestar uma assistência de qualidade aos indivíduos acometidos pela doença, como forma de minimizar suas seqüelas e complicações. </li></ul>
  9. 9. REFERÊNCIAS <ul><li>ALVES, L.C., LEITE, I.C., MACHADO, C.J. Conceituando e mensurando a incapacidade funcional da população idosa: uma revisão de literatura. Ciênc. saúde coletiva , Rio de Janeiro, v. 13, n. 4, p. 1199-1207, ago. 2008. </li></ul><ul><li>BARDIN, L. Análise de conteúdo . Edição revista e atualizada. Lisboa: Edições 70, 2009. p.121-161. </li></ul><ul><li>FARO, A.C.M.; PERLINI N. M. O. G. Cuidar da pessoa incapacitada por acidente vascular cerebral no domicílio: o fazer do cuidador familiar. Rev Esc Enferm USP . São Paulo, v.39, n.2, p. 154-63, 2005. </li></ul><ul><li>OPAS. Doenças crônico-degenerativas e obesidade : estratégia mundial sobre alimentação saudável, atividade física. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde. 2003, p. 7-18 e 53-58. </li></ul><ul><li>SOARES et al . Biorretroalimentação para treinamento do equilíbrio em hemiparéticos por acidente vascular encefálico: estudo preliminar. Fisioterapia e Pesquisa . São Paulo, v.16, n.2, p.132-6, abr./jun. 2009. </li></ul>

×