Mapas de Densidade de Pontos e Mapas de Fluxos

100 visualizações

Publicada em

Aula de Informática Aplicada ao Planejamento Territorial - IPT, UFABC, 2016
Apresentação disponível em: https://youtu.be/Q_LbmK8N8X0

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
100
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mapas de Densidade de Pontos e Mapas de Fluxos

  1. 1. Cartografia Temática Mapas de Densidade de pontos Mapas de fluxos INFORMÁTICA APLICADA AO PLANEJAMENTO TERRITORIAL Vitor Vieira Vasconcelos vitor.vasconcelos@ufabc.edu.br CS3406 - Informática Aplicada ao Planejamento Territorial setembro de 2016 Aula 2
  2. 2. Mapa de densidade de pontos Tipo de dados: quantidades totais (fenômenos discretos) com conotação pontual Efeito: simula a densidade espacial e distribuição Cada ponto denota a mesma quantidade de elementos (Ex: 1000 habitantes) Thery, H. Por que e como fazer mapas. Em: http://www.geografia.fflch.usp.br/posgraduacao/apoio/apoio_herve/Cartografia3.ppt
  3. 3. Mapa de densidade de pontos Mapa ideal: • Cada ponto representa 1 elemento • Cada ponto está no local exato do elemento representado Mapa possível • Cada polígono está associado a um número de elementos • Cada ponto representa uma certa quantidade de elementos • O programa cria pontos aleatórios dentro do polígono Resultado • O leitor é “enganado” pelo efeito de densidade ou rarefação dos pontos
  4. 4. Recomendações • Usar números “redondos” Ex: 1 ponto = 1.000 pessoas • Testar escolhas de tamanho do ponto e a quantidade de elementos por ponto de forma a equilibrar • Não ter vazios muito grandes nas áreas de menor valor • Não sobrepor pontos demais nas áreas de maior valor • Escolher limite em que os pontos começam a se juntar (“coalecer”) na área de maior densidade 5.000 pessoas por ponto 50.000 pessoas por ponto 500.000 pessoas por ponto
  5. 5. Formas de diminuir a “enganação”: • Gerar o mapa em um nível de agregação, e exibir os limites em um nível de agregação maior • Exemplo: usar dados municipais e mostrar limites de estados Mapa de densidade de pontos Agregado por Estado Agregado por Município
  6. 6. Formas de diminuir a “enganação”: • Usar filtros espaciais • Inclusão • Exclusão Mapa de densidade de pontos Dent, B.D. et al. (2009) Thematic Map Design. New York: McGraw Hill.
  7. 7. Formas de diminuir a “enganação”: • Usar filtros espaciais Mapa de densidade de pontos Vegetação Nativa, Unidades de Proteção Integral, Ocupação agrícola < 10%
  8. 8. Formas de diminuir a “enganação”: • Usar filtros espaciais e dados por nível de agregação menor Mapa de densidade pontos Floresta Nativa Unidades de Proteção Integral Ocupação agrícola < 10%
  9. 9. Mapas de densidade de pontos Limitações • Imprecisão devido aos municípios com menos de 50.000 habitantes • Se o município for todo coberto por uma área de exclusão, ele não vai aparecer com nenhum ponto
  10. 10. Mapa de densidade de pontos • Leitores tendem a subestimar áreas mais povoadas • Assim como no mapa de símbolos proporcionais • Sugestão: • Fazer legenda com exemplos de densidades Dent, B.D. et al. (2009) Thematic Map Design. New York: McGraw Hill.
  11. 11. Mapa de densidade de pontos multivariado
  12. 12. Atividade Entre em: http://patadata.org/maparacial/ Quais padrões espaciais vocês visualizam?
  13. 13. Atividade Acione “Mostrar rótulos no mapa” Dê zoom (fazendo duplo clique) até chegar na Região Metropolitana de São Paulo Que padrões espaciais vocês visualizam?
  14. 14. Prática no ArcGis • Objetivo: Criar um mapa de densidade de pontos para as principais lavouras do Brasil • Abrir os arquivos shapefile no ArcMap e arranjar as camadas na seguinte ordem: ◦ producao_agricola.shp: áreas (hectares) de plantio de arroz, café, cana, milho e soja, por município em 2008 – IBGE (Pesquisa Agrícola Municipal) ◦ br_uso_MURAL6_14_02_2012.shp: Cobertura Vegetal de 2012 (IBGE) ◦ ufbr: Limites dos Estados Brasileiros
  15. 15. • Desmarque as camadas br_uso_MURAL6_14_02_2012.shp e producao_agricola.shp • Dê dois cliques sobre a camada “UFBR”.shp, e na aba “Symbology”, escolha “Features” –> “Single Symbol” • Dentro de “Symbol”, escolha “No Color” em “Fill Color” e a tonalidade de cinza “Gray 40%” para “Outline Color” Prática no ArcGis
  16. 16. • Desmarque a camada “br_uso_MURAL6_14_02_2012.shp” •Dê dois cliques sobre a camada “UFBR”.shp, e na aba “Symbology”, escolha “Features” –> “Single Symbol” • Dentro de “Symbol”, escolha “No Color” em “Fill Color” e a tonalidade de cinza “Gray 40%” para “Outline Color” • Esta será a nossa camada de fundo Prática no ArcGis
  17. 17. • Marque para visualizar a camada “producao_agricola.shp” • Dê dois cliques na camada, e na aba “Symbology”, selecione “Quantities” -> “Dot Density” • Passe para a coluna da direita as variáveis “cafe_ha”, “soja_ha”, “milho_ha”, “cana_ha”, “arroz_ha”, utilizando o botão “>” • Dê dois cliques nos pontos (coluna Symbol) e escolha as cores que você achar melhor para cada classe Prática no ArcGis
  18. 18. • Desmarque a opção “Maintain Density by” • Clique em properties e, em “Dots” selecione “Fixed Placement” Prática no ArcGis
  19. 19. • Em “Background”, selecione “No Color” nas duas caixas (linha e cor de fundo) Prática no ArcGis
  20. 20. • Teste diferentes opções de tamanho do ponto “Dot Size” e de valor de agrupamento “Dot Value”. Clique em “Apply” para ver os resultados no mapa. Prática no ArcGis
  21. 21. • Escolha um tamanho e valor dos pontos (redondo) e visualize o mapa. • Que padrões espaciais você percebe? Prática no ArcGis
  22. 22. • Marque para visualizar a camada “br_uso_MURAL6_14_02_2012.shp” • No menu “Select”, escolha “Select by attributes” Prática no ArcGis
  23. 23. • Como “Layer”, selecione “br_uso_MURAL6_14_02_2012.shp”. • Selecione a variável “Brasil” • Clique em “Get Unique Values” • Clicando nas classes e botões, monte a seguinte expressão: Prática no ArcGis "BRASIL" = 'Lavouras' OR "BRASIL" = 'Lavouras + Matas e/ou florestas' OR "BRASIL" = 'Lavouras + Outras coberturas e usos' OR "BRASIL" = 'Lavouras + Pastagens' OR "BRASIL" = 'Lavouras + Sistemas agroflorestais' OR "BRASIL" = 'Lavouras permanentes' OR "BRASIL" = 'Lavouras temporárias' OR "BRASIL" = 'Área entre 50% e 25% de ocupação por estabelecimentos agropecuários' OR "BRASIL" = 'Matas e/ou florestas + Lavouras' OR "BRASIL" = 'Pastagens + Lavouras'
  24. 24. Prática no ArcGis • Clique em “Apply” e em “Ok” • Os polígonos escolhidos devem estar selecionados • Clique com o botão direito na camada “br_uso_MURAL6_14_02_2012.shp” e selecione “Data” -> “Export Data” • Verifique se em “Export” está marcado “Selected features” e escolha uma pasta e nome de arquivo (lavouras_mascara.shp) para gravação. Aperte Ok e, na janela seguinte, “Yes”
  25. 25. Prática no ArcGis • Agora foi adicionada uma camada apenas com as possíveis áreas de lavoura • Clique com o botão direito em “producao_agricola” e selecione “Copy” • Clique com o botâo direito em “Layers” e selecione “Paste Layers”
  26. 26. Prática no ArcGis • Clique uma vez em uma das camadas “producao_agricola”, clique mais uma no texto dela para renomear par a “producao_agricola_mascara” • Dê um duplo clique na camada e, em Symbology, vá em “Properties” • Selecione “Use masking” • Em “Control Layer”, selecione “lavouras_mascara” • Selecione “Place dots only in these areas” • Clique em “Ok” e, na tela seguinte, em “Apply” e “Ok” • Visualize o novo resultado
  27. 27. Prática no ArcGis Sem Filtro Com Filtro
  28. 28. Prática no ArcGis • Na barra de menu Drawing, selecione para desenhar um retângulo próximo ao mapa • Copie e cole (ctrl+C e ctrl+v) o retângulo duas vezes, de forma a fazer a nossa legenda • Selecione os três retângulos (use shift ou ctrl para clicar nos três) • Clicando com o botâo direito do mouse na seleção, escolha “Align” – > “Align Center” e depois “Distribute”-> “Distribute Vertically”
  29. 29. Prática no ArcGis • Ainda com os três retângulos selecionados, vá na barra drawing e clique em “Drawing”-> “Convert Graphics to Features” • Selecione o local e nome para criar o shapefile (legenda_producao.shp) • Marque “Automatically delete graphics after conversion” e pressione OK
  30. 30. • Clique com o botão direito na camada “legenda_producao” e selecione “Open Attribute Table” • Entre no menu da tabela e escolha “Add field” • Escolha o nome “Legenda”, do tipo “Long Integer” e pressione OK Prática no ArcGis
  31. 31. •Clique no Ícone “Editor” e na barra de ferramentas “Editor”, escolha “Editor”-> “Start Editing” e selecione a camada “legenda_producao.shp” • Edite os valores da variável legenda, equivalentes a 1, 10 e 100 pontos no mapa de densidade • Selecione as linhas da legenda para verificar que os valores estão em ordem ascendente no mapa (valor equivalente a 1 ponto na caixa superior, 10 pontos na caixa do meio e 100 pontos na caixa inferior) Prática no ArcGis
  32. 32. • No menu “Editor” da barra de ferramentas, selecione “Save Edits” e “Stop Editing” • Dê dois clique na camada “legenda_producao” • Na Simbology, selecione “Quantities”-> “Dot Density” Prática no ArcGis
  33. 33. • Passe a variável “legenda” para a coluna esquerda e mude o símbolo de ponto para a cor negra • Desmarque “Maintain Density By” • Escolha o tamanho (“Dot Size”) e valor (“Dot Value”) igual ao selecionado para o seu mapa Prática no ArcGis
  34. 34. • Clique em “Properties” e selecione “Fixed Placement” e OK • Na janela anterior, clique em “Apply” e verifique o resultado no mapa. • Caso os pontos não estejam esteticamente bem colocados, modifique o valor de “Seed” na opção “Properties” e clique em OK e “Apply” novamente, até conseguir o resultado desejado Prática no ArcGis
  35. 35. Prática no Arcgis • No menu “View”, clique em “Layour View” • No menu “Insert”, clique em “Legend” • Deixe na coluna direita apenas a camada producao_agricola_mascara” • Clique em “Next”, “Next”, “Next”, “Next” e “Finish”
  36. 36. Prática no Arcgis • Clicando com o botão direito na legenda e selecionando “Convert to Graphics” e “Ungroup”, é possível editar os elementos. • Inserindo grade de coordenadas, escala, norte e caixas de texto, podemos fazer o mapa adequado • Se o carregamento dos pontos estiver demorando, pode-se clicar com o botão direito fora da página de layout e escolher a opção “Toggle draft mode”
  37. 37. Mapas de Fluxos Objetivo: simular o movimento linear do objeto alvo de um lugar para o outro -> deslocamento no espaço Podem indicar direção e/ou a rota do movimento. Tipos de variáveis mais comuns: ◦ Valores absolutos: migrantes, exportação ◦ Derivados: Carros por hora, velocidade de fluxo
  38. 38. Mapas de Fluxos O Desafio: • É mais fácil fazer mapas de fluxos em programas gráficos (Ilustrator, Inkscape) do que em programas de SIG • É mais fácil fazer mapas de fluxo em programas de slides (PowerPoint, Impress) do que em programas gráficos
  39. 39. Tipos de Mapas de Fluxos Mapa radial Mapa de Redes Mapa distributivo Dent, B.D. et al. (2009) Thematic Map Design. New York: McGraw Hill. • Um para muitos • Muitos para um • Muitos para muitos • Pode ser radial ou de redes
  40. 40. Tipos de Representação de Fluxo ◦ Bidirecional (Two ways) Tanto o fluxo de entrada como o de saída são gerados; ◦ Bruto (Gross)-> As interações entre um par de nós são somadas; ◦ Balanço Líquido (Net) É calculada a diferença absoluta entre as interações entre um par de nós. São Paulo 201.880 277.306 Bidirecional Two Ways 277.306 +201.880 = 479186 Bruto Gross São Paulo 479.186 Balanço Líquido Net 75.426 277.306 -201.880 = 75426 São Paulo Bahia Bahia Bahia Fluxos originais Volume total circulante entre dois nós Saldo do fluxo entre dois nós e sentido preferencial
  41. 41. Legendas de Mapas de Fluxos Dent, B.D. et al. (2009) Thematic Map Design. New York: McGraw Hill. Legendas por Símbolos Proporcionais Legenda por Símbolos Graduados
  42. 42. O mais famoso mapa de fluxos Minard, Charles. (1869) Carte figurative des pertes successives en hommes de l'Armée Française dans la campagne de Russie 1812-1813 Variáveis: tamanho da tropa, direção, distância, temperatura, latitude e longitude datas de eventos
  43. 43. Mike Stucka, English translation of Minard’s classic chart of Napoleon’s March, Analyticjournalism.com, November 4, 2006. Em: http://www.math.yorku.ca/SCS/Gallery/minard/minard-odt.jpg
  44. 44. Mapas de fluxos e símbolos proporcionais Fluxo de passageiros População O que poderia ser melhorado neste mapa? Thery, H. Por que e como fazer mapas. Em: http://www.geografia.fflch.usp.br/posgraduacao/apoio/apoio_herve/Cartografia3.ppt
  45. 45.  Seleção apenas dos maiores fluxos brutos  Uso de sombreamento na sobreposição de fluxos  Setas somente nos fluxos líquidos significativos Dent, B.D. et al. (2009) Thematic Map Design. New York: McGraw Hill.
  46. 46. • Semi-setas com larguras proporcionais TOBLER, Waldo. 2005. Tobler’s Flow Mapper. Em: http://www.csiss.org/clearinghouse/FlowMapper/FlowTutorial.pdf France
  47. 47. Mapa de Fluxos Radiais Rios, R.B. and de Mello, S.B., 2011. Porto de Salvador: organização e dinâmica no contexto urbano e metropolitano. Revista Transporte y Territorio, (5), pp.121-136. • Apenas para uma origem ou para um destino: um para muitos • Maior facilidade de pesquisa de dados Principais fluxos de importação e exportação realizados através do porto de Salvador (mil t) – 2006
  48. 48. Mapa de Fluxos Radiais, Bivariado Miro (2014) Imigrantes Brasileiros: principais fluxos atuais. Em: http://outroverde.blogspot.com.br/2014/06/imigrantes- brasileiros-principais.html
  49. 49. Fluxos Distributivos Minard, Charles. (1864) British Coal Exports. MapCarte 6/365 Exportações de Carvão da Grã-bretanha Mapa de fluxos radial e distributivo
  50. 50. Fluxos Distributivos ArcGis - Distributive Flow Lines GP Tool. http://www.arcgis.com/home/item.html?id=04fa6ed8746b451892f339011aaf989d Bgerlt (2013). Distributive Flow Maps – More Raster, More Faster. Em : https://blogs.esri.com/esri/apl/author/Bob-68/
  51. 51. Zonas de Dispersão Rekacewicz, P. 2010. Mapa dos Refugiados e Deslocados no Oriente Médio. Em: https://nuares.wordpress.com/2010/06/05/mapa-dos-refugiados-e-deslocados-no-medio-oriente/
  52. 52. Mapas de tráfego www.maps.google.com Legenda por cores
  53. 53. Mapas de tráfego Legenda por largura proporcional Buckley, A. 2013. Mapping Flow Data. Em: https://www.arcgis.com/home/item.html?id=18dcb7563fec4ed09d70532588261284
  54. 54. Censo e Fluxos de Migração Migração Total: População residente, por lugar de nascimento (UF) Migração Recente: Pessoas de 5 anos ou mais de idade que não residiam na Unidade da Federação em 31.07.2005 Migração de Retorno: Pessoas naturais da Unidade da Federação (UF) que residiam há menos de 10 anos ininterruptos na Unidade da Federação, por lugar de residência anterior http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/popul/default.asp?t=5&z=t&o=21&u1=1&u2=1&u3=1&u4=1&u6=1&u5=14 1950-1970 1970-1990 1990-2000 2000-2009
  55. 55. IBGE - Projeto Redes e Territórios Gestão do teritório http://www.ibge.gov.br/home/geociencias/geografia/redes_fluxos/gestao_do_territorio_2014/base.shtm Fluxos de Gestão Pública Fluxos de Gestão Empresarial
  56. 56. IBGE - Projeto Redes e Territórios Ligações aéreas (por município) • http://www.ibge.gov.br/home/geociencias/geografia/redes_fluxos/ligacoes_aereas_2010/base.shtm
  57. 57. IBGE – Arranjos populacionais e concentrações urbanas do Brasil Movimentos pendulares de trabalho e estudo • http://www.ibge.gov.br/home/geociencias/geografia/geografia_urbana/arranjos_populacionais/default.shtm Movimentos pendulares na região metropolitana de São Paulo
  58. 58. Origem de atendimento hospitalar OLIVEIRA, E. X. G.; CARVALHO, M.S.; TRAVASSOS, C. Territórios do Sistema Único de Saúde: mapeamento das redes de atenção hospitalar. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 20, n. 2, p. 386-402 Redes de Atenção Hospitalar Básica
  59. 59. Fluxo de Produção http://www.mma.gov.br/atlaszeeamazonia
  60. 60. Dados de Migração (global) • United Nations – International Migration http://www.un.org/en/development/desa/population/migration/data/estimates2/estimates15.shtml  World Bank Database http://databank.worldbank.org/data/reports.aspx?source=2&series=SM.POP.NETM&country=  OECD.stat https://stats.oecd.org/Index.aspx?DataSetCode=MIG#
  61. 61. Dados de Migração (global) ONU (2004). Imigration emigration world map. Em: http://www.emersonkent.com/images/global_migration_2005.jpg
  62. 62. Dados de Migração (global) ONU (2004). Imigration emigration world map. Em: http://www.emersonkent.com/images/global_migration_2005.jpg http://migrationsmap.net/
  63. 63. Dados de Comércio Internacional • United Nations - Comtrade Database http://comtrade.un.org/ • World Trade Organization - WTO http://stat.wto.org/Home/WSDBHome.aspx?Language=E • International Trade Center http://www.intracen.org/itc/market-info-tools/trade-statistics/
  64. 64. Dados de Comércio Internacional Pearse, R. (2016) Mapped: the global coal trade. Carbon Brief. Em: http://www.carbonbrief.org/mapped-the-global-coal-trade
  65. 65. Dados de Comércio Internacional Shuster, E. (2012) Energy Related Flow Diagrams. NETL. Em: http://www.netl.doe.gov/energy-analyses/pubs/EnergyRelatedFlowDiagrams.pdf Mapa de Fluxos Radiais
  66. 66. Mapas Genealógicos por DNA https://www.familytreedna.com/https://genographic.nationalgeographic.com
  67. 67. Mapas Contínuos de Fluxo  Setas indicam o fluxo  Tipo de setas indica a magnitude do fluxo http://www.eumetcal.org/euromet/english/satmet/s9320/s9320130.htm http://umich.edu/~lowbrows/links/windflags.gif
  68. 68. Mapas Contínuos de Fluxo  Setas indicam o fluxo  Densidade de setas indica a magnitude do fluxo Lavin, SJ and Cerveny, RS, 1987. Unit-vector density mapping, The Cartographic Journal, 24: 131-141.
  69. 69. Mapas Contínuos de Fluxo  Setas indicam o fluxo  Tamanho das setas indica a magnitude do fluxo Turk, G. and Banks, D., 1996, August. Image-guided streamline placement. In Proceedings of the 23rd annual conference on Computer graphics and interactive techniques (pp. 453-460). ACM.
  70. 70. Mapas de Fluxos e Animações http://maps.tnc.org/migrations-in-motion/ Outras aplicações: Fluxos de vento Ciclones Correntes marinhas
  71. 71. Mapas de Fluxos e Animações http://globeofbirdmigration.com/ Globe of Bird Migration
  72. 72. Story Maps - ESRI • Plataforma aberta: qualquer um pode fazer sua história com mapas, fotografias, textos, videos e animações https://storymaps.arcgis.com/ Menu “Gallery”
  73. 73. Story Maps - ESRI Menu “Apps” – Create a new Story
  74. 74. Story Maps - ESRI http://storymaps.esri.com/templates/development/stable/geoblog/?appid=42459c24c8a44f328e55c9043bf26208 ESRI Storymap. Napoleon's March on Moscow 1812-1813 A new look at an old classic
  75. 75. Story Maps - ESRI http://storymaps.esri.com/stories/2016/the-uprooted/ ESRI Storymap. The Uprooted
  76. 76. Story Maps - ESRI http://storymaps.esri.com/stories/2016/the-uprooted/ ESRI Storymap. The Uprooted
  77. 77. Formas de bases de dados Origem Destino Fluxo Cidade A Cidade B 10 Cidade A Cidade C 100 Cidade B Cidade A 1000 Cidade B Cidade C 10000 Cidade C Cidade A 100000 Cidade C Cidade B 1000000 Pares de Origem-Destino
  78. 78. Formas de bases de dados Cidade 1 Cidade 2 Fluxo 1-2 Fluxo 2-1 Cidade A Cidade B 10 10000 Cidade A Cidade C 100 100000 Cidade B Cidade C 1000 1000000 Pares Bidirecionais
  79. 79. Formas de bases de dados Cidade A Cidade B Cidade C Cidade A - 10 100 Cidade B 1000 - 10000 Cidade C 100000 1000000 - Matrizes de Fluxo
  80. 80. Formas de bases de dados Cenas dos próximos capítulos…. Pode-se converter entre esses formatos utilizando tabelas dinâmicas (Pivot Table) e/ou funções de procura (PROCV, PROCH) no Calc ou Excel
  81. 81. Atividade Prática!
  82. 82. Mapa de Fluxos INFORMÁTICA APLICADA AO PLANEJAMENTO TERRITORIAL Vitor Vieira Vasconcelos vitor.vasconcelos@ufabc.edu.br CS3406 - Informática Aplicada ao Planejamento Territorial outubro de 2015 Aula 3
  83. 83. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas.  OBJETIVO: Mapear os Fluxos migratórios de pessoas com 5 anos ou menos de residência em São Paulo nos anos de 2000 e 20010.  Dados:  Shapefile das UFs  Matrizes de migração para o ano de 2000 do IBGE por UF  Dados derivados -> arquivos tipo TXT com as informações: o Nome das unidades espaciais (Nós) o Coordenadas X e Y das unidades espaciais o Fluxos entre as unidades na forma de uma matriz de origem e destino  Software: o Qgis o Notepad++
  84. 84. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 1. Instale o Plug-in (Complemento) FlowMapper no QGIS;
  85. 85. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. Digite Flow no campo de busca da Caixa de Diálogos de complemento
  86. 86. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. Selecione o complemento “FlowMapper” e aperte o botão instalar complemento
  87. 87. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 2. Adicione o arquivo UF_BRAZIL_POP_EVOLUCAO.shp à área de trabalho do QGIS
  88. 88. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 2. Adicione o arquivo UF_BRAZIL_POP_EVOLUCAO.shp à área de trabalho do QGIS
  89. 89. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 3. No menu “Processar”, clique em “Caixa de Ferramentas” • Na caixa de Ferramentas, vá em “Geoalgoritmos QGIS”-> “Ferramentas de geometria vetorial”-> ”Centróides de Polígono”
  90. 90. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. • Crie uma nova camada de dados com os centroides dos polígonos das UFs (centroide_uf.shp)
  91. 91. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 4. Verifique se a nova camada de dados foi criada
  92. 92. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 5. Crie um arquivo de texto com as coordenadas X, Y dos centroides das UFs • Clique com o Botão direito sobre a camada centroide_UF e em seguida na opção “Salvar como”
  93. 93. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Mude o formato de dados para valores separados por vírgulas o Salve com o nome: coords_centroides o Marque a opção “Adicionar arquivo salvo ao mapa” o Em Opções de camada, GEOMETRY, verifique se a opção está marcada como AS_XY
  94. 94. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 6. Abra a tabela de dados que você criou. ◦ Clique com o botão direito sobre a tabela e em seguida em Abrir tabela de atributos
  95. 95. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 7. Ordene os registros da tabela segundo o cod_UF no menor para o maior. Para isso basta clicar sobre o título da coluna cod_UF. ◦ Todos os arquivos que iremos gerar serão ordenados desse jeito.
  96. 96. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 8. Preparar arquivo de coordenadas dos fluxos: ◦ Abra o arquivo coords_centroide.csv na planilha eletrônica do open office (escolha o separador como vírgula – “Comma”)
  97. 97. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 8. Preparar arquivo de coordenadas dos fluxos: ◦ Ordene os registros em função do cod_UF do menor para o maior;
  98. 98. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Apague todas as colunas com exceção das colunas X e Y o Exclua a linha que contem o título das coluna X e Y o Salve o arquivo como coords_centroide_Puro.csv o Feche o open office
  99. 99. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 9. Abra o arquivo coords_centroide_Puro.csv no Notepad++ ◦ Vá no menu Localizar, opção Substituir ◦ Substitua vírgulas por espaços, pois o complemento FlowMapper só entende Txt separado por espaços
  100. 100. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Salve como txt e feche o arquivo
  101. 101. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 10. Preparar o arquivo do nome dos nós para o mapa de fluxos: ◦ Abra novamente o arquivo “coords_centroide.csv” no Calc ◦ Ordene novamente por “cod_uf” em ordem ascendente (do menor para o maior) ◦ Apague todas as colunas com exceção da coluna UF ◦ Exclua a linha que contem o título da coluna UF ◦ Salve o arquivo como nome_nos.csv ◦ Abra o arquivo no Notepad++ e o salve como txt
  102. 102. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 11. Prepare as matrizes de migração. ◦ Abra o arquivo migracao-recente_2000.csv na planilha eletrônica do open office ◦ Use ponto e vírgula ( semicolon = “;” ) como separador de campos
  103. 103. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. oElimine a linha de Total e a Coluna Brasil
  104. 104. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Elimine a linha de Total e a Coluna Brasil
  105. 105. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Copie os valores da planilha conforme indicado abaixo. Não selecione as três últimas linhas (duas linhas com números e outra com “Nota”) pois só nos interessa os fluxos de migrantes entre as UFs.
  106. 106. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Cole os valores em um arquivo novo no Notepad++
  107. 107. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Vá no menu Visualizar, opção “Mostrar símbolo”  “Mostrar Espaços e Tabulação”.
  108. 108. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Veja que há setas laranjas separando as colunas. Esses símbolos representam tabulações. Substituiremos eles por espaços. o Selecione uma das setas, copie.
  109. 109. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. ◦ Cole a tabulação no campo Localizar ◦ No campo substituir coloque um espaço ◦ Aperte o botão Substituir todos ◦ Salve o arquivo como matriz_2000.txt
  110. 110. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 12.Criando o vetor de fluxos ◦ Complemento FlowMapper ◦ Código desenvolvido originalmente por Waldo Tobler no aplicativo Tobler's Flow Mapper ◦ Aplicativo stand alone, com formato de dados próprios (http://www.csiss.org/clearinghouse/FlowMapper/) ◦ Foi implementado no QGIS também, utilizando arquivos de texto e salvando o resultando em formatos de dados mais populares como o shapefile
  111. 111. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Vá até o menu complementos no QGIS, complemento FlowMapper, subopção-> Generate Flow lines and nodes
  112. 112. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. ◦ Em “Select file storing node coordinates”, clique em “Browse...” e selecione o arquivo “coords_centroide_puro.txt” ◦ Marque a opção Include node names in putput shapfile ◦ Selecione “Geographic” para “Node Coordinates are” ◦ E selecione o arquivo “nomes_nos.txt”, na opção “Select file storing node names”
  113. 113. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. ◦ Selecione o arquivo matriz_2000.txt para Select file storing flow matrix ◦ In “Select flow type” selecione “Two Way”
  114. 114. Relembrando... ◦ Bidirecional (Two ways) Tanto o fluxo de entrada como o de saída são gerados ◦ Bruto (Gross)-> As interações entre um par de nós são somadas ◦ Balanço Líquido (Net) É calculada a diferença absoluta entre as interações entre um par de nós São Paulo 201.880 277.306 Bidirecional Two Ways 277.306 +201.880 = 479186 Bruto Gross São Paulo 479.186 Balanço Líquido Net 75.426 277.306 -201.880 = 75426 São Paulo Bahia Bahia Bahia Fluxos originais Volume total circulante entre dois nós Saldo do fluxo entre dois nós e sentido preferencial
  115. 115. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. ◦ Em “Output shapefile to store flow lines”, clique em “Browse” e salve o arquivo com o nome “Fluxo_2000.shp” ◦ Marque a opção: “Create shapefile to store flow nodes” e clique em “Browse”, salve o arquivo com o nome “Fluxo_2000_nos.shp” ◦ Deixe todas as demais opções marcadas como indicadas na caixa de diálogos ao lado e clique em ok
  116. 116. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Dê dois cliques sobre as camadas e verifique, na aba “Geral”, se o sistema de referência é “EPSG:4326, WGS84”
  117. 117. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Serão adicionadas duas camadas novas a sua área de trabalho no QGIS Fluxo_2000_nos.ShpFluxo_2000.shp
  118. 118. ◦ Com a criação do vetor de fluxos, foram também criados registros para os fluxos intraestaduais, os quais não serão necessários a nossa análise e por isso serão eliminados ◦ Clique com o botão direito sobre a camada de fluxo e em seguida clique em Abrir tabela de atributos ◦ Na tabela de atributos clique sem Selecionar feições usando uma expressão Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas.
  119. 119. o Vamos eliminar todos os registros que tenham os nós de vértices iguais, para tanto escreva a consulta conforme especificado na caixa de diálogos abaixo o Clique em selecionar Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas.
  120. 120. o Clique em Mover seleção para o topo, e perceba que todos os registros selecionados possuem os campos ‘name_x1y1’ com valor igual a ‘name_x2y2’. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas.
  121. 121. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Clique em Mover seleção para o topo, e perceba que todos os registros selecionados possuem os campos ‘name_x1y1’ com valor igual a ‘name_x2y2’.
  122. 122. o Vamos salvar um shapefile novo, somente com os registros que possuem nós com nomes diferentes, para isso precisamos primeiro inverter a seleção. Para tanto clique em Inverter seleção. o Depois disso, feche a tabela de atributos Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas.
  123. 123. ◦ Vamos salvar o novo vetor. Clique com o botão direito sobre a camada de fluxos ◦ Clique em Salvar como Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas.
  124. 124. ◦ Salve com o nome fluxo_2000_inter.shp ◦ Verifique se o formato escolhido é “Shapefile” ◦ E marque a opção Salvar somente feições selecionadas e Adicionar arquivo salvo ao mapa ◦ Clique em ok Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas.
  125. 125. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 13. Análise dos nós e de sua tabela de atributos. Fluxo_2000_nos.shp
  126. 126. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 13. Análise dos nós e de sua tabela de atributos ◦ Abra a tabela de atributos da camada Fluxo_2000_nos ◦ Todos os campos da tabela foram calculados pelo FlowMapper com base nos volumes de fluxos entre as UF´s ◦ Cada um dos campos traz uma informação diferente que pode ser interpretada e mapeada
  127. 127. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 13. Análise dos nós e de sua tabela de atributos ◦ Incoming  Total do volume de fluxo recebido por um nó ◦ Outcoming  Total do volume de fluxo enviado por um nó ◦ Gross  Total do volume de fluxo que entrou e saiu do nó ◦ Net  Diferença entre o que entrou e saiu, noção de saldo ◦ In/out  razão incoming/outcoming ◦ Out/in  razão outcoming/incoming ◦ Indicador  Categoriza os nós segundo relação dos fluxos de entrada e saída:  Ganhadores de fluxos  Incoming > outcoming (valor +1)  Perdedores  Incoming < outcoming (Valor -1)  neutros  Incoming = outcoming
  128. 128. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 14. Exemplo de mapa das variáveis atribuídas aos nós. Faremos um mapa para o total de imigrantes. Utilizaremos a variável incoming para esta atividade. ◦ Acione a ferramenta Simbology for flow nodes...
  129. 129. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Selecione o arquivo fluxo_2000_nos.shp o Na opção Select the field to create symbology: selecione a variável incoming o Clique no botão Calculate Statistics... ◦ Na opção Select representation type, selecione Defined Interval ◦ E na opção Class Interval: 500000 (não use ponto como separador de milhar) ◦ Então clique ok.
  130. 130. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Selecione o arquivo fluxo_2000_nos.shp o Na opção Select the field to create symbology: selecione a variável incoming o Clique no botão Calculate Statistics... ◦ Na opção Select representation type, selecione Defined Interval ◦ E na opção Class Interval: 500000 (não use ponto como separador de milhar) ◦ Então clique ok.
  131. 131. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. ◦ Vamos editar a quantidade de classes, cor dos símbolos e transparência dos mesmos. Dê um clique duplo sobre a camada nova adicionada e vá na aba “Estilo” ◦ Selecione todas as classes em seguida clique com o botão direito sobre elas e depois na opção Mudar cor ◦ Escolha uma cor que contraste com o mapa de fundo e dê ok
  132. 132. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. ◦ Modifique a transparência para 50% ◦ Agora vamos editar o intervalo das classes, pois algumas não foram representadas ◦ Vamos eliminar a quinta (2.000.0000 – 2.500.000) e a sexta (2.500.000 – 3.000.0000) ◦ Clique no sinal de subtração para excluir
  133. 133. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. Mapa Resultante
  134. 134. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. ◦ Abra a tabela de atributos de fluxo_2000_inter.shp. ◦ Clique no icone “Selecionar feições usando uma expressão” ◦ Escreva a Consulta ao lado ◦ E salve um novo arquivo com o nome “2000_50.shp”, marcando “salvar somente as feições selecionadas” ◦ E adicione ele a área de trabalho 15. Vamos fazer um mapa de fluxo com magnitudes maiores que 50.000 migrantes
  135. 135. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o No menu “Complementos”, selecione “FlowMapper”-> “Symbology for flow lines”
  136. 136. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Selecione o arquivo 2000_50.shp o Na opção Select representation type, selecione defined interval o Na opção Class interval coloque o valor de 60.000 o Clique em ok
  137. 137. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. Mapa Resultante
  138. 138. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. 16. Vamos fazer um mapa final no ArcGis. o Chame o Arcmap. Na nova seção abra os seguintes shapefiles: o Vamos fazer um mapa de pontos proporcionais com o valor total de imigrantes (variável “Incoming”) com uma camada de fluxo de migrantes interestaduais acima de 50.0000 o Primeiro vamos preparar a camada de pontos. Dê um clique duplo na camada fluxo_2000_nos
  139. 139. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Vá até a aba Symbology o À direita na caixa de diálogos, na área Show, clique em Quantities, e em seguida em proportional symbols
  140. 140. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o No campo Value selecione a variável incoming o Marque a opção Appearance Compensation (Flanney) o Clique na opção Min Value. Abrirá a caixa de diálogos Symbol Selector. Lá mude o Size para 2 e o Color para o que considerar adequado o Clique em ok nesta janela, e em “apply” e ok na anterior
  141. 141. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o No campo Value selecione a variável incoming o Marque a opção Appearance Compensation (Flanney) o Clique na opção Min Value. Abrirá a caixa de diálogos Symbol Selector. Lá mude o Size para 2 e o Color para o que considerar adequado o Clique em ok nesta janela, e em “apply” e ok na anterior
  142. 142. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. ◦ Dê um clique duplo na camada 2000_50.shp ◦ Vá até a aba Symbology. À direita na caixa de diálogos, na área Show, clique em Quantities, e em seguida em Proportional Symbols ◦ Na opção Value escolha a magnitude ◦ Clique em Min Value
  143. 143. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. ◦ Na caixa Symbol Selector, escolha o símbolo Arrow at End ◦ Escolha a largura (width) 1 e a cor que achar adequada ◦ Clique em Edit Symbol para mudar o tamanho da seta 1
  144. 144. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o A caixa de diálogos Symbol Property Editor se abrirá, clique na aba Line Properties e no botão Properties...
  145. 145. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o A caixa Line Decoration Editor se abrirá. Clique no botão Symbol
  146. 146. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o A caixa de diálogos Symbol selector se abrirá, nela mude o Size para 15 e a cor igual a da linha da seta 15
  147. 147. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Na caixa de diálogos Layer Properties vá na opção Transparent: e mude para 30% o Aperte ok
  148. 148. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Clique na barra de ferramentas “Editor” -> “Start Editing” e selecione “2000_50”. o Clique em alguma das linhas para selecioná-las o Clique novamente na linha com o botão direito para selecionar “Edit Vertices”
  149. 149. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Clique novamente com o botão esquerdo sobre a linha e selecione “Change features”, para escolher “Circular Arc” o Arraste o elemento para moldar o arco
  150. 150. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. o Clique novamente com o botão esquierdo sobre a linha e selecione “Change features”, para escolher “Bezier” o Arraste os eixos para moldar o arco
  151. 151. Exercício – Migração recente interestadual 2000, fluxos maiores que 50.000 pessoas. É possível ajustar a legenda, escala, rosa dos ventos, título e informações adicionais
  152. 152. Exercício • Exercício individual • Selecione um tema à sua escolha e analise as variáveis com as técnicas de mapas de densidade de pontos e de mapas de fluxo • Caso use a matriz de migração recente de 2010, disponível no TIDIA, analise também as diferenças em relação à migração recente de 2000 trabalhada em aula • Utilize o QGIS, o ArcGis e/ou outros programas • Faça um relatório textual de no mínimo 1 página, de acordo com o modelo de trabalho e atividades explicado na primeira aula • Entrega até o início da próxima aula
  153. 153. Modelo de Trabalho e Atividades Introdução ◦ Apresentação do problema de pesquisa ◦ Artigos ou livros que já trataram sobre o assunto (método e conclusões) ◦ Objetivos ◦ Conceitos teóricos Metodologia ◦ Área de estudo ◦ Variáveis estudadas ◦ Técnicas utilizadas ◦ Produtos gerados Resultados e discussão ◦ Mapas, gráficos e tabelas ◦ Interpretação textual Conclusões Referências

×