Variações Espaciais de Temperatura eVariações Espaciais de Temperatura e
Densidade Eletrônica de Regiões HIIDensidade Elet...
Apresentação
Introdução
 alvos na Grande Nuvem de Magalhães
 alvos na Pequena Nuvem de Magalhães
 objetivos
Observação,...
Introdução
NGC 346
Introdução
NGC 346
− Região HII na Pequena Nuvem
de Magalhães.
− N66 ou DEM S 103.
− Aglomerado aberto e compacto
composto...
Introdução
30 Doradus
Introdução
30 Doradus
− Região HII na Grande Nuvem de
Magalhães.
− A maior, em extensão, nas duas
Nuvens de Magalhães.
− N...
Introdução
Complexo GNM: N 11
Introdução
Complexo GNM: N 11
− Conjunto de regiões HII na Grande
Nuvem de Magalhães.
− Foram observadas N11 B (NGC 1763),...
Introdução
GNM: N 44 D
Introdução
GNM: N 44 D
− Complexo de região HII na
Grande Nuvem de Magalhães
− Foi observado uma pequena
nebulosa brilhant...
Introdução
GNM: N 160 A
Introdução
− Região HII na Grande Nuvem de
Magalhães.
− NGC 2080 ou DEM L 284.
GNM: N 160 A
Introdução
PNM: N 81
Introdução
PNM: N 81
− Região HII na Pequena Nuvem
de Magalhães.
− IC 1644 ou DEM S 138.
Introdução
Objetivos
 estimar a temperatura eletrônica via razão de linhas
do [OIII] (λ4959+λ5007)/λ4363;
 construir os ...
Observação, Redução e Medidas
NGC
346
Observação, Redução e Medidas
α = 0h
59m
06s
δ = - 72º10’34”
NGC 346
Observação, Redução e Medidas
Observação, Redução e Medidas
α = 5h
38m
38s
δ = - 69º05’43”
30 Doradus
Observação, Redução e Medidas
N11 B
N11 C/D
N11 E
N11 F
Observação, Redução e Medidas
N11 G N11 I
N11 K
Observação, Redução e Medidas
N 4 A N 44 D
N 160 A
Observação, Redução e Medidas
Observação, Redução e Medidas
N 13 N 63
N 77 A N 81
Observação, Redução e Medidas
N 83 A/C
N 88
Observação, Redução e Medidas
Fenda sobre a estrela de referência de NGC 346, na posição 0″.
Observação, Redução e Medidas
Fenda sobre a estrela de referência de NGC 346, na posição 0″.
Temperatura Eletrônica
4363
50074959
])OIII([
λ
λλ +
=R
Temperatura Eletrônica
Temperatura Eletrônica
Temperatura Eletrônica
Temperatura Eletrônica
y = a + bx
a = 12695 ± 79
b = - 5,66 ± 1,34
R2
= 0,240
a = 12129 ± 86
b = - 5,61 ± 1,05
R2
= 0,318
...
Temperatura Eletrônica
Temperatura Eletrônica
Temperatura Eletrônica
Temperatura Eletrônica
Flutuações de Temperatura Eletrônica
∫
∫=
dVNN
dVNNT
T
ei
eie
o
∫
∫ −
=
dVNNT
dVNNTT
t
i
i
e
2
o
e
2
oe2
)(
Flutuações de Temperatura Eletrônica
 ts
2
(obs) = 0,00375 (6,1% de dispersão)
222
)( errss tobstt −=
∑
∑
=
=
−
= N
i io
...
Flutuações de Temperatura Eletrônica
 ts
2
= 0,0021 (4,1% de dispersão)
 Peimbert et al. (2000): ts
2
= 0,00062
 t2
([O...
Densidade Eletrônica
NGC 346
30 Doradus
30 Doradus
30 Doradus
30 Doradus
30 Doradus
30 Doradus
30 Doradus
30 Doradus
30 Doradus
GNM: N 4 A
Complexo N11
GNM: N 44 D
GNM: N 160 A
GNM: N 160 A
PNM: N 13
PNM: N 77 A
PNM: N 81
PNM: N 83 A/C
PNM: N 83 A/C
PNM: N 88
PNM: N 88
Ne recalculados da literatura
Considerações finais
A temperatura eletrônica foi estimada em 179 pontos
 média ponderada de 12.269 K e uma dispersão de ...
Tese: Variações Espaciais de Temperatura e Densidade Eletrônica de Regiões HII nas Nuvens de Magalhães
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tese: Variações Espaciais de Temperatura e Densidade Eletrônica de Regiões HII nas Nuvens de Magalhães

341 visualizações

Publicada em

Tese defendida por mim em 2009 com o título "Variações Espaciais de Temperatura e Densidade Eletrônica de Regiões HII nas Nuvens de Magalhães".

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
341
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tese: Variações Espaciais de Temperatura e Densidade Eletrônica de Regiões HII nas Nuvens de Magalhães

  1. 1. Variações Espaciais de Temperatura eVariações Espaciais de Temperatura e Densidade Eletrônica de Regiões HIIDensidade Eletrônica de Regiões HII nas Nuvens de Magalhãesnas Nuvens de Magalhães Universidade Federal de Santa Maria - UFSMUniversidade Federal de Santa Maria - UFSM Programa de Pós-Graduação em FísicaPrograma de Pós-Graduação em Física Vinicius de Abreu Oliveira Orientador: Marcus Vinicius Fontana Copetti
  2. 2. Apresentação Introdução  alvos na Grande Nuvem de Magalhães  alvos na Pequena Nuvem de Magalhães  objetivos Observação, redução e medidas Temperatura eletrônica  perfis de brilho (Hβ, razão do [O III], de temperatura eletrônica)  análise estatística dos resultados  flutuações de temperatura eletrônica Densidade eletrônica  mapa de densidade eletrônica  perfis de brilho (Hα, razão do [S II], de densidade eletrônica)  análise estatística dos resultados Considerações finais
  3. 3. Introdução NGC 346
  4. 4. Introdução NGC 346 − Região HII na Pequena Nuvem de Magalhães. − N66 ou DEM S 103. − Aglomerado aberto e compacto composto por dezenas de estrelas ionizantes. − Presença de um remanescente de supernova (SNR 0057-7226).
  5. 5. Introdução 30 Doradus
  6. 6. Introdução 30 Doradus − Região HII na Grande Nuvem de Magalhães. − A maior, em extensão, nas duas Nuvens de Magalhães. − Nebulosa da Tarântula, NGC 2070, N157 A ou DEM L 263. − Apresenta uma grande quantidade de estruturas internas.
  7. 7. Introdução Complexo GNM: N 11
  8. 8. Introdução Complexo GNM: N 11 − Conjunto de regiões HII na Grande Nuvem de Magalhães. − Foram observadas N11 B (NGC 1763), C/D (NGC 1769), E (NGC 1773 ou DEM L 41), F, G, I e K. − Segunda maior região HII das Nuvens de Magalhães.
  9. 9. Introdução GNM: N 44 D
  10. 10. Introdução GNM: N 44 D − Complexo de região HII na Grande Nuvem de Magalhães − Foi observado uma pequena nebulosa brilhante à Oeste, também conhecida como IC 2128
  11. 11. Introdução GNM: N 160 A
  12. 12. Introdução − Região HII na Grande Nuvem de Magalhães. − NGC 2080 ou DEM L 284. GNM: N 160 A
  13. 13. Introdução PNM: N 81
  14. 14. Introdução PNM: N 81 − Região HII na Pequena Nuvem de Magalhães. − IC 1644 ou DEM S 138.
  15. 15. Introdução Objetivos  estimar a temperatura eletrônica via razão de linhas do [OIII] (λ4959+λ5007)/λ4363;  construir os perfis de brilho (Hβ, razão do [OIII] e Te);  analisar as flutuações de temperatura eletrônica;  estimar a densidade eletrônica via razão de linhas do [SII] λ6717/λ6731;  construir o mapa de superfície em Ne;  construir os perfis de brilho (Hα, razão do [SII] e Ne);  analisar as possíveis estruturas internas das nebulosas.
  16. 16. Observação, Redução e Medidas NGC 346
  17. 17. Observação, Redução e Medidas α = 0h 59m 06s δ = - 72º10’34” NGC 346
  18. 18. Observação, Redução e Medidas
  19. 19. Observação, Redução e Medidas α = 5h 38m 38s δ = - 69º05’43” 30 Doradus
  20. 20. Observação, Redução e Medidas N11 B N11 C/D N11 E N11 F
  21. 21. Observação, Redução e Medidas N11 G N11 I N11 K
  22. 22. Observação, Redução e Medidas N 4 A N 44 D N 160 A
  23. 23. Observação, Redução e Medidas
  24. 24. Observação, Redução e Medidas N 13 N 63 N 77 A N 81
  25. 25. Observação, Redução e Medidas N 83 A/C N 88
  26. 26. Observação, Redução e Medidas Fenda sobre a estrela de referência de NGC 346, na posição 0″.
  27. 27. Observação, Redução e Medidas Fenda sobre a estrela de referência de NGC 346, na posição 0″.
  28. 28. Temperatura Eletrônica 4363 50074959 ])OIII([ λ λλ + =R
  29. 29. Temperatura Eletrônica
  30. 30. Temperatura Eletrônica
  31. 31. Temperatura Eletrônica
  32. 32. Temperatura Eletrônica y = a + bx a = 12695 ± 79 b = - 5,66 ± 1,34 R2 = 0,240 a = 12129 ± 86 b = - 5,61 ± 1,05 R2 = 0,318 a = 11717 ± 76 b = - 1,52 ± 1,27 R2 = 0,025 y = a + bx y = a + bx
  33. 33. Temperatura Eletrônica
  34. 34. Temperatura Eletrônica
  35. 35. Temperatura Eletrônica
  36. 36. Temperatura Eletrônica
  37. 37. Flutuações de Temperatura Eletrônica ∫ ∫= dVNN dVNNT T ei eie o ∫ ∫ − = dVNNT dVNNTT t i i e 2 o e 2 oe2 )(
  38. 38. Flutuações de Temperatura Eletrônica  ts 2 (obs) = 0,00375 (6,1% de dispersão) 222 )( errss tobstt −= ∑ ∑ = = − = N i io N i io i e s HFT HFTT t 1 2 1 2 2 )( )()( β β
  39. 39. Flutuações de Temperatura Eletrônica  ts 2 = 0,0021 (4,1% de dispersão)  Peimbert et al. (2000): ts 2 = 0,00062  t2 ([OIII]) = 0,0082 (9,2% de dispersão)  Peimbert et al. (2000): t2 = 0,022  Tsamis et al. (2003): t2 = 0,09 Copetti (2006): ts 2 /t2 ≈ 0,25
  40. 40. Densidade Eletrônica
  41. 41. NGC 346
  42. 42. 30 Doradus
  43. 43. 30 Doradus
  44. 44. 30 Doradus
  45. 45. 30 Doradus
  46. 46. 30 Doradus
  47. 47. 30 Doradus
  48. 48. 30 Doradus
  49. 49. 30 Doradus
  50. 50. 30 Doradus
  51. 51. GNM: N 4 A
  52. 52. Complexo N11
  53. 53. GNM: N 44 D
  54. 54. GNM: N 160 A
  55. 55. GNM: N 160 A
  56. 56. PNM: N 13
  57. 57. PNM: N 77 A
  58. 58. PNM: N 81
  59. 59. PNM: N 83 A/C
  60. 60. PNM: N 83 A/C
  61. 61. PNM: N 88
  62. 62. PNM: N 88
  63. 63. Ne recalculados da literatura
  64. 64. Considerações finais A temperatura eletrônica foi estimada em 179 pontos  média ponderada de 12.269 K e uma dispersão de 6,1%;  nas posições 0″ e 30″ N foi observado um leve gradiente na direção Leste-Oeste;  foram estimados flutuações superficiais de temperatura eletrônica na ordem de 0,0021. Todas as regiões HII estudadas apresentam valores de densidade eletrônica baixa  a maioria menor do que 100 cm-3 . Os objetos 30 Doradus (PA = 10 e 26), GNM: N 4 A, GNM: N 11 B, PNM: N 81, PNM: N 83 A/C (ambas posições) e PNM: N 88 (PA = 106) apresentaram uma queda abrupta de densidade eletrônica em uma direção específica. Os perfis de GNM: N 160 A (ambas as posições) e PNM: N 88 (PA = 90) apresentaram um perfil gaussiano de distribuição de densidade.

×