A historia da moda

8.681 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.681
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
243
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A historia da moda

  1. 1. Introdução : <br />As últimas culturas paleolíticas da Europa viveram no final da última Era Glacial. Alguns detalhes das vestimentas tinham seu fundo psicológico e social mas a grande necessidade era a proteção contra o frio. O homem primitivo passou a caçar não só para comer mas também para utilizar suas peles. Descobriu-se que só a pele sobre o corpo era algo desconfortável pois os movimentos eram restringidos e parte do corpo ficava exposta, um outro problema era o ressecamento da pele que as deixavam duras. Um meio descoberto posteriormente para deixar as peles maleáveis era a mastigação, tarefa destinada às mulheres. Uma outra técnica mais apurada era molhar a pele e sová-la com um malho após a retirada de todos os fragmentos de carne.<br />Desenvolvimento: <br /> <br />A Belle Époque é sem dúvida um dos períodos mais marcantes do século passado. A tradução do francês que a intitula “A Bela época", resume um período próspero, muito celebrado em vários países no mundo. Era um momento de bastante euforia, devido aos avanços da Revolução Industrial, que fez surgir, na sociedade, uma representativa classe emergente.<br />A frança ditava as tendências e no Brasil seguia-se a moda européia, ainda que nosso clima não comportasse tais padrões. Mesmo assim homens e mulheres insistiam em reproduzir os hábitos franceses. <br />Era comum ouvir as pessoas conversando em francês nas ruas. Algumas chegavam ao ponto de enviar suas roupas, de navio, para serem lavadas em Paris, pois acreditavam que aqui ainda não se sabia lidar com tecidos nobres. Influências artísticas do Art Noveau e do Impressionismo também foram bastante difundidas por aqui.<br />O estado do amazonas destacou-se pelo boom do extrativismo. Seus seringais chegaram a ser responsáveis por cerca de quase cem por cento da produção mundial. Manaus era uma das cidades mais promiss<br />oras neste princípio de século XX no mundo, e se tornou um grande pólo cultural. O período áureo da borracha fez com que os lucros obtidos com a venda do látex fossem investidos na cidade. Datam desse período, construções monumentais e sofisticadas como o Teatro Amazonas, o Palácio da Justiça e o prédio da Alfândega. Além disso, a cidade, que antes tinha ares de aldeia, ganhou uma estrutura impressionante com passeios públicos, praças eboulevards, chegando a ser chamada de a "Paris dos Trópicos".<br />Anos 20 :<br />Livre dos espartilhos, usados até o final do século 19, a mulher começava a ter mais liberdade e já se permitia mostrar as pernas, o colo e usar maquilagem. A boca era carmim, pintada para parecer um arco de cupido ou um coração; os olhos eram bem marcados, as sobrancelhas tiradas e delineadas a lápis; a pele era branca, o que acentuava os tons escuros da maquilagem. A silhueta dos anos 20 era tubular, com os vestidos mais curtos, leves e elegantes, geralmente em seda, deixando braços e costas à mostra. s meias eram em tons de bege, sugerindo pernas nuas. O chapéu, até então acessório obrigatório, ficou restrito ao uso diurno. O modelo mais popular era o "cloche", enterrado até os olhos, que só podia ser usado com os cabelos curtíssimos. <br />Anos 30:<br />As saias ficaram longas e os cabelos começaram a crescer. Os vestidos eram justos e retos, além de possuírem uma pequena capa ou um bolero, também bastante usado na época. Em tempos de crise, materiais mais baratos passaram a ser usados em vestidos de noite, como o algodão e a casimira. O corte enviesado e os decotes profundos nas costas dos vestidos de noite marcaram os anos 30, que elegeram as costas femininas como o novo foco de atenção. Alguns pesquisadores acreditam que foi a evolução dos trajes de banho a grande inspiração para tais roupas decotadas.<br />Anos 40:<br />Em 1940, a Segunda Guerra Mundial já havia começado na Europa. A silhueta do final dos anos 30, em estilo militar, perdurou até o final dos conflitos. A mulher francesa era magra e as suas roupas e sapatos ficaram mais pesados e sérios. A escassez de tecidos fez com que as mulheres tivessem de reformar suas roupas e utilizar materiais alternativos na época, como a viscose, o raiom e as fibras sintéticas. Mesmo depois da guerra, essas habilidades continuaram sendo muito importantes para a consumidora média que queria estar na moda, mas não tinha recursos para isso. <br /> <br />Anos 50 :<br />Com o fim dos anos de guerra e do racionamento de tecidos, a mulher dos anos 50 se tornou mais feminina e glamourosa. Metros e metros de tecido eram gastos para confeccionar um vestido, bem amplo e na altura dos tornozelos. A cintura era bem marcada e os sapatos eram de saltos altos, além das luvas e outros acessórios luxuosos, como peles e jóias.Essa silhueta extremamente feminina e jovial atravessou toda a década de 50 e se manteve como base para a maioria das criações desse período.<br />Anos 60: <br />Os anos 60, acima de tudo, viveram uma explosão de juventude em todos os aspectos. A imagem do jovem de blusão de couro, topete e jeans, em motos ou lambretas, mostrava uma rebeldia ingênua sintonizada com ídolos do cinema como James Dean e Marlon Brando. As moças bem comportadas já começavam a abandonar as saias rodadas de Dior e atacavam de calças cigarette, num prenúncio de liberdade.<br />Anos 70:<br />Os anos 60 ficaram na memória como a grande época da revolução da juventude, enquanto os anos 70 se destacaram pela sua irregularidade, não tendo um perfil definido. Antimoda era palavra-chave. Desde as calças boca de sino, os trajes de algodão barato, tudo era permitido, até os trajes de alta costura, tudo era permitido, desde que não tivesse um aspecto normal. O que tornava difícil alguém se vestir. Em caso de dúvida, as pessoas decidiram-se pelo Jeans, que havia se transformado no uniforme dos não conformistas<br />Anos 80 :<br />Contrariando a moda dos anos 60 e 70, onde em um vestuário da moda prevalecia roupas largas, artesanais e de inspiração indiana, nos anos 80 o uso de roupas de ginástica (lycra, sapatilha, polaina) no cotidiano, combinadas a roupas excêntricas e exageradas, com cores cítricas, estampas de animais e sobretudo muito alegres, foi sem dúvida o grande marco na moda da época.<br />Moda Atual:<br />O ano 2000 protagoniza a era da globalização, e a moda adere aos tecidos de alta performance, que absorvem suor, mudam de cor e as refletem. As possibilidades da moda tornam-se infinitas. O jovem consolida-se como o grande formador de novos conceitos de moda e a todo momento passa a buscar novidades.Para os estilistas, é a grande chance de mostrar sua capacidade de criação. O consumidor está sedento por novidades. No âmbito internacional, isso gerou um estilo brasileiro de produzir moda que cada vez mais conquista espaço no exterior. Piercings e tatuagens se tornam cada vez mais comum entre as adolescentes.<br />

×