Revisão de Química - enem 2009

6.092 visualizações

Publicada em

Prof. Albérico Lincoln

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.092
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revisão de Química - enem 2009

  1. 1. Química – Prof. Albérico Lincoln  4ª Revisão  Química  ENEM - 2009
  2. 2. QUESTÕES01) A tabela a seguir registra a pressão atmosférica em diferentes altitudes, e o gráfico relaciona a pressão de vapor da água em função da temperatura 800 re s o e a o a g a m m g P s ã d v p rd á u e m H 700 600 500 400 300 200 100 0 0 20 40 60 80 100 120 Temperatura
  3. 3. Altitude (km) Pressão atmosférica (mm Hg) 0 760 1 600 2 480 4 300 6 170 8 120 10 100
  4. 4. Um líquido, num frasco aberto, entra emebulição a partir do momento em que asua pressão de vapor se iguala à pressãoatmosférica. Assinale a opção correta,considerando a tabela, o gráfico e osdados apresentados, sobre as seguintescidades:
  5. 5. Natal (RN) nível do mar.Campos do Jordão (SP) altitude 1628m. Pico da Neblina (RR) altitude 3014 m.
  6. 6. A temperatura de ebulição será:a) maior em Campos do Jordão.b) menor em Natal.c) menor no Pico da Neblina.d) igual em Campos do Jordão e Natal.e) não dependerá da altitude.
  7. 7.  Quanto mais altitude, menor a temperatura de ebulição no local. A maior altitude é a do Pico da Neblina, o que implica em menor temperatura de ebulição. Pressão atmosférica serra Nível do mar
  8. 8. 02) Um dos índices de qualidade do ar diz respeito àconcentração de monóxido de carbono (CO), pois esse gáspode causar vários danos à saúde. A tabela abaixo mostra arelação entre a qualidade do ar e a concentração de CO. Qualidade do ar Concentração de CO – ppm* (média de 8h) Inadequada 15 a 30 Péssima 30 a 40 Crítica Acima de 40 * ppm (parte por milhão) = 1 micrograma de CO por grama de ar 10 –6 g
  9. 9. Para analisar os efeitos do CO sobre os seres humanos, dispõe-se dos seguintes dados: Concentração de CO Sintomas em seres (ppm) humanos 10 Nenhum 15 Diminuição da capacidade visual 60 Dores de cabeça 100 Tonturas, fraqueza muscular 270 Inconsciência 800 Morte
  10. 10. Suponha que você tenha lido em um jornal que nacidade de São Paulo foi atingido um péssimo nívelde qualidade do ar. Uma pessoa que estivesse nessaárea poderia:a) não apresentar nenhum sintoma.b) ter sua capacidade visual alterada.c) apresentar fraqueza muscular e tontura.d) ficar inconsciente.e) morrer.
  11. 11. Qualidade do ar péssima representa de 30 a 40 ppm deCO (primeira tabela).Uma pessoa nessas condições só poderia sentir ossintomas para as faixas de concentração de CO abaixo de40 ppm.Consultando a tabela de concentração x sintomas,verificamos que o único sintoma seria a diminuição dacapacidade visual.
  12. 12. 03) O gráfico abaixo refere-se às variações das concentraçõesde poluentes na atmosfera, no decorrer de um dia útil, em umgrande centro urbano. (Adaptado de NOVAIS, Vera. Ozônio: aliado ou inimigo. São Paulo: Scipione,1998)
  13. 13. As seguintes explicações foram dadas para essas variações:I - A concentração de NO diminui, e a de NO2 aumenta em razão daconversão de NO em NO2. II - A concentração de monóxido de carbono no ar está ligada àmaior ou à menor intensidade de tráfego.III - Os veículos emitem óxidos de nitrogênio apenas nos horáriosde pico de tráfego do período da manhã.IV - Nos horários de maior insolação, parte do ozônio daestratosfera difunde-se para camadas mais baixas da atmosfera. neparana@ig.com.br
  14. 14. Dessas explicações, são plausíveis somente:a) I e II.b) I e III.c) II e III.d) II e IV.e) III e IV.
  15. 15. ResoluçãoI – V Conversão do NO em NO2 NO + ½ O2  NO2 (diminui) (aumenta)II – V Aumenta o CO(monóxido de carbono) por causa dacombustão incompleta dos combustíveis.III – F Emitem óxidos de nitrogênio por causa da reação entre N2 + O2 a alta temperatura.IV – F O ozônio se forma devido: NO2 luz NO + [O] O2 + [O] O3Decomposição do ozônio: NO + O3 NO2 + O2
  16. 16. 04) Pelas normas vigentes, o litro do álcool hidratado queabastece os veículos deve ser constituído de 96% de álcoolpuro e 4% de água (em volume). As densidades dessescomponentes são dadas na tabela. SUBSTÂNCIA DENSIDADE(g/L) Água 1000 Álcool 800 neparana@bol.com.br
  17. 17. Um técnico de um órgão de defesa do consumidor inspecionoucinco postos suspeitos de venderem álcool hidratado fora dasnormas. Colheu uma amostra do produto em cada posto,mediu a densidade de cada uma, obtendo: Posto Densidade (g/l) I 822 II 820 III 815 IV 808 V 805
  18. 18. A partir desses dados, o técnico pôde concluir queestavam com o combustível adequado somente ospostosa) l e ll.b) I e III.c) II e IV.d) lII e V.e) IV e V.
  19. 19. 1L(álcool hidratado): 0,96L de álcool (96%) e 0,04L de água (4%). Cálculo da massa de álcool: d = m/V d(álcool) = 800g/L 800 = m(álcool)  m(álcool) = 768g 0,96 d(água) = 1000g/L mágua = 1000 . 0,040  m(água) = 40 g Então: massa(solução)  40g + 768g = 808g
  20. 20. Solução = Álcool hidratadoO cálculo da densidade da solução seria dado por:d(solução) = massa volumed = 808  d(solução) = 808g/L 1
  21. 21. CONCLUSÃOA mistura de água e etanol que respeita a especificaçãocorreta deverá apresentar densidade igual a 808g/L.Como a água é mais densa que o etanol, uma mistura queapresente quantidade de água acima do especificadoapresentará densidade mais alta que 808 g/L.Como o etanol é menos denso que a água, uma mistura queapresente quantidade de etanol acima do especificadoapresentará densidade mais baixa que 808 g/L.No entanto, deve-se considerar como adulterado somente ocombustível com teor de água mais alto, pois somente estegera vantagem econômica adicional ao revendedor desonesto.
  22. 22. 05) Algumas atividades humanas interferiram significativamente nociclo natural do enxofre, alterando as quantidades das substânciasindicadas no esquema. Ainda hoje isso ocorre, apesar do grandecontrole por legislação. Pode-se afirmar que duas dessasinterferências são resultantes da: a) queima de combustíveis em veículos pesados e da produção de metaisa partir de sulfetos metálicos.b) produção de metais a partir de óxidos metálicos e da vulcanização daborracha.c) queima de combustíveis em veículos leves e da produção de metais apartir de óxidos metálicos.d) queima de combustíveis em indústria e da obtenção de matérias-primasa partir da água do mar.e) vulcanização da borracha e da obtenção de matériasprimas a partir daágua do mar.
  23. 23. Resolução Os combustíveis fósseis, carvão e derivados dopetróleo, apresentam enxofre como impureza.Quando o enxofre é queimado, SO2(dióxido deenxofre), é lançado na atmosfera.A ustulação de minérios contendo enxofre(sulfetos metálicos), como por exemplo a pirita(FeS2), também produz SO2.
  24. 24. 06) Atualmente, sistemas de purificação de emissões poluidorasestão sendo exigidos por lei em um número cada vez maior depaíses. O controle das emissões de dióxido de enxofre gasoso,provenientes da queima de carvão que contém enxofre, pode serfeito pela reação desse gás com uma suspensão de hidróxido decálcio em água, sendo formado um produto não poluidor do ar. Aqueima do enxofre e a reação do dióxido de enxofre com ohidróxido de cálcio, bem como as massas de algumas dassubstâncias envolvidas nessas reações, podem ser assimrepresentadas: neparana@ig.com.br
  25. 25. enxofre (32 g) + oxigênio (32 g) dióxido de enxofre (64 g)dióxido de enxofre (64 g) + hidróxido de cálcio (74 g) produto não poluidorDessa forma, para absorver todo o dióxido de enxofreproduzido pela queima de uma tonelada de carvão(contendo 1% de enxofre), é suficiente a utilização deuma massa de hidróxido de cálcio de, aproximadamente,a) 23 kg. b) 43 kg. c) 64 kg. d) 74kg. e) 138 kg.
  26. 26. Cálculo da massa de enxofre presente em umatonelada de carvão (1000Kg): (1Ton)106 g ––––––––––– 100% xg ––––––––––– 1% x = 104g(10Kg) de enxofreCálculo da massa de hidróxido de cálcio necessário: S Ca(OH) 32 –––––––– 74 104g ––––––––– y g Y  2,3 . 104g = 23 kg de hidróxido de cálcio
  27. 27. 07) Para testar o uso do algicida sulfato de cobre em tanquespara criação de camarões, estudou-se, em aquário, aresistência desses organismos a diferentes concentrações deíons cobre (representados por Cu+2). Os gráficos relacionam amortandade de camarões com a concentração de Cu2+ e com otempo de exposição a esses íons.
  28. 28. neparana@bol.com.br
  29. 29. Se os camarões utilizados na experiência fossem introduzidos num tanque de criação contendo 20.000 L de água tratada com sulfato de cobre, em quantidade suficiente para fornecer 50 g de íons cobre, estariam vivos, após 24 horas, cerca de:a) 1/5.b) 1/4.c) 1/2.d) 2/3.e) 3/4.
  30. 30. Cálculo da concentração de íons cobre em mg/L 50.000mg ———— 20.000L x mg ———— 1L x = 2,5mg/L Uma exposição de 24 horas, a concentração de íons Cu2+, que causa a mortandade de 50% dos camarões, é de aproximadamente 2,5mg/L. CONCLUSÃO a metade (1/2) dos camarões ainda estará viva.
  31. 31. 08) Os acidentes de trânsito, no Brasil, em sua maior parte sãocausados por erro do motorista. Em boa parte deles, o motivo éo fato de dirigir após o consumo de bebida alcoólica. Aingestão de uma lata de cerveja provoca uma concentração deaproximadamente 0,3 g/L de álcool no sangue.A tabela abaixo mostra os efeitos sobre o corpo humanoprovocados por bebidas alcoólicas em função de níveis deconcentração de álcool no sangue:
  32. 32. Concentração de Efeitosálcool no sangue (g/L) 0,1 – 0,5 Sem influência aparente, ainda que com alterações clínicas 0,3 – 1,2 Euforia suave, sociabilidade acentuada e queda da atenção 0,9 – 2,5 Excitação, perda de julgamento crítico, queda da sensibilidade e das reações motoras 1,8 – 3,0 Confusão mental e perda da coordenação motora 2,7 – 4,0 Estupor, apatia, vômitos e desequilíbrio ao andar 3,5 – 5,0 Coma e morte possível
  33. 33. Uma pessoa que tenha tomado três latas de cervejaprovavelmente apresenta:a) queda de atenção, de sensibilidade e das reaçõesmotoras.b) aparente normalidade, mas com alterações clínicas.c) confusão mental e falta de coordenação motora.d) disfunção digestiva e desequilíbrio ao andar.e) estupor e risco de parada respiratória.
  34. 34. Concentração aproximada de álcool no sanguepela ingestão de três latas de cerveja: 1 lata de cerveja –––––––– 0,3g/L 3 latas de cerveja ––––––– x g/L x = 0,9g/LEssa concentração está nos intervalos de0,3g/L a 1,2g/L e 0,9g/L a 2,5g/L. Portanto, essa pessoa apresenta queda de atenção, de sensibilidade e das reações motoras.
  35. 35. 09) As “margarinas” e os chamados “cremes vegetais” sãoprodutos diferentes, comercializados em embalagens quaseidênticas. O consumidor, para diferenciar um produto do outro,deve ler com atenção os dizeres do rótulo, geralmente em letrasmuito pequenas. As figuras que seguem representam rótulosdesses dois produtos.
  36. 36. neparana@bol.com.br
  37. 37. Uma função dos lipídios no preparo das massas alimentícias étorná-las mais macias. Uma pessoa que, por desatenção, use200 g de creme vegetal para preparar uma massa cuja receitapede 200 g de margarina, não obterá a consistência desejada,pois estará utilizando uma quantidade de lipídios que é, emrelação à recomendada, aproximadamente:a) o triplo.b) o dobro.c) a metade.d) um terço.e) um quarto.
  38. 38. (Quantidades de lipídios):35% . 200 g = 70 g(creme vegetal)65% . 200 g = 130 g(margarina) 70  0,54 ou 54% 130 Uma pessoa que, inadvertidamente, utiliza creme vegetal ao invés de margarina estará usando: da quantidade necessária de lipídios. A melhor aproximação desse resultado é “a metade”.
  39. 39. * Texto para as questões 10 e 11.Na investigação forense, utiliza-se luminol, umasubstância que reage com o ferro presente nahemoglobina do sangue, produzindo luz que permitevisualizar locais contaminados com pequenasquantidades de sangue, mesmo em superfícies lavadas.É proposto que, na reação do luminol (I) em meioalcalino, na presença de peróxido de hidrogênio (II) e deum metal de transição (Mn+), forma-se o composto 3-amino ftalato (III) que sofre uma relaxação dando origemao produto final da reação (IV), com liberação de energia(hν) e de gás nitrogênio (N2).(Adaptado. Química Nova, 25, no 6, 2002. pp. 1003-1011.)
  40. 40. I II III IV + + H2O2 + Mn+  + + N2 + hνDados: Massa molar: Luminol = 177g/mol e 3-amino ftalato = 164g/mol.
  41. 41. 10) Na reação do luminol, está ocorrendo o fenômeno de:(A) fluorescência, quando espécies excitadas por absorção de uma radiação eletromagnética relaxam liberando luz.(B) incandescência, um processo físico de emissão de luz que transforma energia elétrica em energia luminosa.(C) quimiluminescência, uma reação química que ocorre com liberação de energia eletromagnética na forma de luz.(D) fosforescência, em que átomos excitados pela radiação visível sofrem decaimento, emitindo fótons.(E) fusão nuclear a frio, através de reação química de hidrólise com liberação de energia.
  42. 42. Na reação do luminol, está ocorrendo ofenômeno de quimioluminescência, umareação química que ocorre com liberaçãode energia eletromagnética na forma deluz (hv), de acordo com a equaçãoquímica fornecida.
  43. 43. 11) Na análise de uma amostra biológica para análise forense, utilizou-se 54 g de luminol e peróxido de hidrogênio em excesso, obtendo-se um rendimento final de 70%. Sendo assim, a quantidade do produto final (IV) formada na reação foi de:(A) 123,9.(B) 114,8.(C) 86,0.(D) 35,0.(E) 16,2.
  44. 44. 1 mol de luminol produz 1 mol de 3-aminoftalato luminol 3-aminoftalato 177g –––––––––––– 164g 54g –––––––––––– x g X = 50g Como o rendimento é de 70%, 50g –––––––– 100% yg –––––––– 70% Y = 35g

×