Medula Espinhal - Macroscopia

3.502 visualizações

Publicada em

Macroscopia da Medula Espinhal

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.502
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
32
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
80
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Medula Espinhal - Macroscopia

  1. 1. Macroanatomia da medula espinhal e seus envoltórios Bento Berilo II Renata Silva
  2. 2. GENERALIDADES • Medula espinhal = massa cilíndrica de tecido nervoso que esta dentro do canal vertebral. • Limites: – Extremidade superior: forame magno do osso occipital – Extremidade inferior: L2
  3. 3. • Dimensões: Diâmetro: 1 cm Comprimento: 42 a 45 cm • Peso: 30 g • Cone medular: porção final e afunilada da medula • Filamento terminal: delgado filamento meníngeo • Cauda equina: meninges e raízes nervosas do nervos espinhais
  4. 4. FORMA E ESTRUTURA GERAL Intumescência cervical (C4 a T1) : plexo braquial Dilatações: Intumescência lombar (T11 a S1): plexo lombossacral
  5. 5. Intumescência cervical Intumescência lombar Cone medular (terminação da medula espinhal) Cauda equina Filamento terminal
  6. 6. SULCOS LONGITUDINAIS – Sulco mediano posterior – Fissura mediana anterior – Sulco lateral posterior (raízes dorsais) – Sulco lateral anterior (raízes ventrais)
  7. 7. • CANAL CENTRAL DA MEDULA (Canal do epêndima) Sulco intermédio posterior Canal central da medula • SULCO INTERMÉDIO POSTERIOR
  8. 8. • SUBSTÂNCIA CINZENTA -Forma de borboleta ou H -3 colunas ou cornos: Anterior Posterior Lateral (só aparece na medula torácica ou lombar)
  9. 9. • SUBSTÂNCIA BRANCA - Divide-se em 3 funículos ou cordões: Somente na parte cervical Sulco lateral anterior Fissura mediana anterior Sulco lateral posterior Sulco mediano posterior
  10. 10. CONEXÕES COM OS NERVOS ESPINHAIS Sulco lateral anterior Sulco lateral posterior Filamentos radiculares Filamentos radiculares Raiz ventral ou anterior Raiz dorsal ou posterior Nervo espinhal
  11. 11. Nervo espinhal
  12. 12. • A parte da medula que vai se conectar com os filamento é denominada de segmento da medula espinhal ou neurômero • Identificação do segmento= identificação dos nervos espinhais que se originam dele
  13. 13.  31 PARES DE NERVOS ESPINHAIS • 8 cervicais • 12 torácicos • 5 lombares • 5 sacrais • 1 coccígeo
  14. 14. - Nervos C1 a C7 vértebra que forma a margem inferior do forame - Nervos T1 a Co1 vértebra que forma a margem superior do forame Nervo C8 entre C7 e T1
  15. 15. TOPOGRAFIA GENERALIDADES •Adulto: Forame Magno ao nivel de L2 •Cauda Equina : L2- L5 Vida intra-ulterina : –Ate o 4 mês a coluna e medula crescem juntas –Medula ocupa todo o canal –Nervos passam pelos respectivos forames
  16. 16. • conseqüência da diferença de ritmos de crescimento entre coluna e medula: 1. Afastamento dos segmentos medulares das vertebras correspondentes. - Vértebras T11 e T12 relacionadas com segmentos lombares. - Vértebra L3 afetará apenas as raízes da cauda eqüina. 2. Redução do ângulo entre o nervo espinhal e a medula.
  17. 17. REGRA PRÁTICA • Entre os níveis das vertebras C2 e T10, adiciona-se 2 ao número do processo espinhoso da vertebra e tem-se o número do segmento medular subjacente. – O processo espinhoso de C6 está sobre o segmento medular C8 – T10 sobre o segmento T12 • Aos processos espinhosos das vertebras T 11 e TI2 correspondem os cinco segmentos lombares. • Processo espinhoso de L1 correspondem os cinco segmentos sacrais •Vértebras de L2 a L5: cauda equina
  18. 18. Regiões da medula • Nível cervical: - Substância branca é mais escura que a dos demais níveis - Corno anterior e posterior é mais proeminente que o das outras regiões(exceto a lombar) • Nível lombar: - Características semelhantes a do nível cervical, mas a substancia branca aparece em menor quantidade
  19. 19. • Nível torácico: - Afinamento do corno posterior e do anterior - Aparecimento marcante do corno lateral (sistema nervoso autônomo simpático: inervação das vísceras torácicas e abdominais) • Há um aumento gradativo da substância branca em níveis mais cranias.
  20. 20. Regiões da medula
  21. 21. Regiões da medula
  22. 22. ENVOLTÓRIOS DA MEDULA • Membranas fibrosas : MENINGES São elas : 1.Dura- mater 2.Aracnoide 3.Pia mater
  23. 23. Dura- máter • Formada por abundantes fibras colágenas, que a tornam espessa e resistente. (paquimeninge) • Envolve toda a medula, como se fosse um dedo de luva, o saco dural. • Cranialmente, a dura-máter espinhal continua com a dura-máter craniana, caudalmente termina em um fundo de saco ao nível da vertebra S2. • Prolongamentos laterais da dura-máter embainham as raízes, dos nervos espinhais, continuando com o tecido conjuntivo (epineuro), que envolve estes nervos. • Está unida a circunferência do forame magno, 2° e 3° vertebras cervicais e por tiras fibrosa ao ligamento longitudinal posterior
  24. 24. Aracnoide • A aracnóide espinhal se dispõe entre a dura-máter e a pia-máter. Compreende um folheto justaposto à dura-máter e um emaranhado de trabéculas, as trabéculas aracnóideas, que une este folheto à pia-máter. • A aracnoide e a pia-máter são leptomeninges
  25. 25. Pia máter • É a meninge mais delicada ,mais interna(a pia máter espinhal é mais espessa que a cerebral). Ela adere intimamente ao tecido nervoso da superfície da medula e penetra na fissura mediana anterior. • Continua caudalmente, formando um filamento esbranquiçado denominado filamento terminal • O filamento terminal recebe vários prolongamentos da dura-máter e o conjunto passa a ser denominado filamento da dura-máter espinhal • Este, ao inserir-se no periósteo da superfície dorsal do cóccix constitui o ligamento coccígeo.
  26. 26. • Forma de cada lado da medula uma prega longitudinal, apresentando em sua margem lateral processos triangulares que se inserem nas outras meninges – ligamento denticulado são elementos de fixação da medula e pontos de referencia em cirurgias desse órgão. • o ligamento coccígeo e o ligamento denticulado,fixam a medula e limitam o seu deslocamento no repouso subaracnoideo.
  27. 27. ESPAÇOS DURAIS O ESPAÇO EPIDURAL, OU EXTRADURAL • Situa-se entre a dura-máter e o periósteo do canal vertebral. Contém tecido adiposo e um grande número de veias que constituem o plexo venoso vertebral interno* * Veias desprovidas de válvulas
  28. 28. O ESPAÇO SUBDURAL • Situado entre a dura-máter e a aracnóide, é uma fenda estreita contendo uma pequena quantidade de líquido, suficiente apenas para evitar a aderência das paredes.
  29. 29. ANESTESIAS NOS ESPAÇOS MENINGEOS • Bloqueio das raízes nervosas • Cirurgias das extremidades inferiores, do períneo, da cavidade pélvica e de algumas abdominais
  30. 30. ANESTESIAS NOS ESPAÇOS MENINGEOS ANESTESIAS RAQUIDIANAS • Espaço subaracnoideo • Entre as vértebras:  L2 –L3  L3 – L4  L4 – L5 • Sinal: gotejamento do líquor
  31. 31. ANESTESIAS NOS ESPAÇOS MENINGEOS ANESTESIAS RAQUIDIANAS • TECIDOS PERFURADOS – Pele e tecido subcutâneo – Ligamento interespinhoso – Ligamento amarelo – Dura-máter – Aracnóide • PROBLEMAS – Dores de cabeça – Causa: a perfuração da dura mater e vazamento de líquor
  32. 32. ANESTESIAS NOS ESPAÇOS MENINGEOS ANESTESIAS EPIDURAIS (PERIDURAIS) • Região lombar • Espaço epidural  Forames intervertebrais  raízes dos nervos espinhais • Sinal: súbita baixa resistencia da agulha • Maior habilidade do profissional • Não possui os efeitos colaterais das anestesias raquidianas
  33. 33. Mielomeningocele • Lesão congênita • É o tipo mais comum de espinha bífida • CAUSA: Fechamento incompleto do canal vertebral Forma uma protuberância mole com exposição da medula espinhal e meninges • É mais comum na região lombossacral
  34. 34. • ETIOLOGIA: -Fatores Genéticos-> esta patologia é mais frequente em indivíduos de raça branca -Fatores Nutricionais-> mulheres que recebem complementação vitamínica com ácido fólico tendem a ter menor incidência de filhos portadores dessa patologia • SINTOMAS: -Deficiências neurológicas com distúrbios sensitivos e ortopédicos, geralmente dos membros inferiores. -Falta de controle das funções urinárias e intestinal -Hidrocefalia (acomete 100% das crianças com mielomeningocele torácica; 90% das lombotorácicas; 78% das lombares; 60% das lombossacras e 50% das sacrais, segundo Diament, 1996).
  35. 35. DIAGNOSTICO: -Pode ser feito por ultrassonografia. De uma maneira geral, o defeito pode ser identificado a partir da 17ª semana de gestação
  36. 36. • TRATAMENTO: -Conduta inicial: fechamento cirúrgico da lesão com pele. -Assistência precoce em reabilitação para prevenir deformidades. -Podem ser usados antibióticos para tratar ou prevenir infecções no trato urinário ou meningite.
  37. 37. Mini Teste
  38. 38. 1º) A respeito da medula espinhal, julgue os itens a seguir: ( ) O filamento terminal é um delgado e formado apenas por nervos espinhais ( ) Na parte lombar da medula, o funículo posterior é dividido em fascículo grácil e fascículo cuneiforme ( ) Os filamentos radiculares fazem conexão com o sulco lateral superior e o sulco lateral inferior a) V-V-V b) F-V-V c) F-F-F d) F-V-F e) F-F-V
  39. 39. 2º) A respeito da anatomia macroscópica da medula espinhal, marque a alternativa correta: I- Existem duas intumescências na medula espinhal: intumescência cervical e intumescência lombar II- Os nervos de C1 a C7 recebem a mesma designação alfanumérica que as vértebras formadoras da margem superior do forame através do qual o nervo sai do canal vertebral. III- Os 31 pares de nervos espinhais são: 8 cervicais, 12 torácicos, 6 lombares, 4 sacrais e 1 coccígeo, sendo que este ultimo pode estar ausente. a) Somente a alternativa II está falsa b) Todas as alternativas estão falsas c) Somente as alternativas I e II são verdadeiras d) Somente a alternativa I é verdadeira e) Somente a alternativas III é verdadeira
  40. 40. 3º) A mielomeningocele é o tipo mais comum de espinha bífida. É um defeito do tubo neural em que os ossos da coluna não se formam completamente, resultando em um canal da espinha dorsal incompleto. Sobre essa patologia, marque a alternativa ERRADA: a) Mulheres que receberam complementação vitamínica com ácido fólico tendem a ter menor incidência de filhos portadores de mielomeningocele. b) Falta de controle das funções urinárias e intestinal são sintomas da mielomeningocele. c) Embora possa ocorrer em qualquer nível da coluna vertebral, é mais comum na região lombotorácica. d) É importante a assistência precoce em reabilitação para prevenir deformidades ortopédicas na criança.
  41. 41. 4°) Sobre a topografia da medula é correto: I- Até o 4 mês da vida intrauterina a coluna e medula crescem juntas. II- Ao nível do processo espinhoso de C1 encontra-se o segmento C3 III- Na região cervical corno anterior e posterior é mais proeminente que o de todas as outras regiões A) Todas as afirmativas estao corretas B) Apenas I e III estão corretas C) Apenas II e III estão corretas D) Apenas I está correta E) Apenas III está correta
  42. 42. 5°) Sobre os envoltórios da é correto: I- A pia-máter é a única leptomeninge II- Na medula o líquor está presente apenas o espaço subaracnóideo III- Na anestesia epidural a agulha perfura: pele, tecido subcutâneo, ligamento interespinhoso, ligamento amarelo, dura-máter A) Todas as afirmativas estão corretas B) Apenas I e III estão corretas C) Apenas II e III estão corretas D) Apenas I e III estão corretas E) Todas as afirmativas estão incorretas
  43. 43. GABARITO 1º) C 2º) D 3º) C 4°) D 5°) E

×