Hipotálamo estrutura e função

5.517 visualizações

Publicada em

Hipotálamo - estrutura e função

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.517
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
66
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
49
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Hipotálamo estrutura e função

  1. 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO CENTRO DE ENSINOS SUPERIORES DE CAXIAS LIGA ACADÊMICA DE NEUROANATOMIA DE CAXIAS MEDICINA - BACHARELADO Álisson dos Anjos Bruno Iezzi
  2. 2. HIPOTÁLAMO • É parte integrante do diencéfalo. • Localiza-se nas paredes laterais do III Ventrículo, abaixo do sulco hipotalâmico.
  3. 3. Estruturas visíveis • Quiasma óptico • Túber cinéreo • Infundíbulo • Corpos mamilares
  4. 4. Núcleos e divisão • O Hipotálamo constitui-se principalmente de substância cinzenta. • Contudo, recebe fibras de variadas localidades, dentre as quais as do fórnix aos corpos mamilares.
  5. 5. • O fórnix divide o hipotálamo em duas regiões: – Hipotálamo lateral: contêm a maior parte das fibras. As mais importantes são do feixe prosencefálico medial, que fazem conexão com a área septal.
  6. 6. • O fórnix divide o hipotálamo em duas regiões: – Hipotálamo lateral: contêm a maior parte das fibras. As mais importantes são do feixe prosencefálico medial, que fazem conexão com a área septal. – Hipotálamo medial: estão os núcleos principais
  7. 7. Divisões e planos frontais Hipotálamo supra-óptico Hipotálamo mamilar Hipotálamo mamilar OBS: Área pré-óptica (origem diencefálica).
  8. 8. Divisões e planos frontais N. Ventro medial N. Dorso-medial N. Arqueado (Infundibular)
  9. 9. Conexões • 1. Sistema Límbico a. Hipocampo b. Corpo amigdalóide c. Área pré-septal
  10. 10. • 2. Conexões com a área pré-frontal • 3. Conexões viscerais a. Viscerais Aferente Recebe informações sobre as vísceras pelas conexões com o tracto solitário: recebe todas as informações de sensibilidade viscera proveniente dos nervos Facial (VII par), Glossofaríngeo (IX par) e Vago(X par). b. Viscerais Eferentes Controla o Sistema Nervoso Autônomo: age direta ou indiretamente nas fibras pré-ganglionares simpáticos e parassimpáticos. DIRETA: fibras para a coluna eferente visceral do tronco encefálico e fibras para a coluna lateral da medula espinal (hipotálamo-espinhais). INDIRETA: Formação reticular
  11. 11. • OBS: As variações cíclicas no metabolismo do núcleo supraquiasmática (NSQ) atuam como marcapasso e permitem ao hipotálamo manter um ritmo circadiano como os ciclos de sono-vigília, levando a modificações preditivas do meio interno a partir de referências externas associadas com disfunções fisiológicas e reprodutivas.
  12. 12. • 4. Conexões com a Hipófise – Apenas eferente a. Tracto hipotálamo-hipofisário Núcleo supra-óptico Núcleo Paraventricular Núcleos Grandes PARTICIPAM BASTANTE DA NEUROSSECREÇÃO b. Tracto túbero-infundibular Núcleo arqueado Área vizinha do hipotálamo tuberal Haste infundibular Núcleos Pequenos TAMBÉM PARTICIPAM DA NEUROSSECREÇÃO
  13. 13. • Os principais hormônios liberados pelo hipotálamo que interferem na secreção hipofisária são: • Hormônio liberador de tireotrofina (TRH); • Hormônio liberador de gonadotrofina (GnRH); • Somatostatina ou hormônio inibidor do hormônio do crescimento (GHIRH); • Hormônio liberador de hormônio do crescimento (GHRH); • Hormônio liberador de corticotrofina (CRH); • Hormônio liberador de prolactina (PrlRH). • O hipotálamo também libera a ocitocina (OC) e a arginina-vasopressina (AVP) na neuro-hipófise.
  14. 14. • 5. Conexões sensoriais – Recebe fibras das áreas eretogênicas. – Recebe fibras co córtex olfatório e retina Tracto retino-hipotalâmico que termina no núcleo supraquiasmático
  15. 15. • 6. Conexões monoaminérgicas a. Noradrenérgicas: Formação reticular do tronco encefálico. b. Serotoninérgicas: Núcleos da Rafe
  16. 16. Sistema porta-hipofisário
  17. 17. • Então o hormônio liberador de gonadotrofina (GnRH) que é produzido no hipotálamo é liberado e entra em contato com o plexo capilar primário dentro deste é transportado para as veias portais hipofisárias (curtas e longas), em seguida para o plexo secundário onde entra em contato com as células endócrinas da hipófise anterior que armazenam os hormônios gonadotróficos (FSH – Hormônio folículo estimulante e o LH – hormônio luteinizante) e posteriormente é transportado através das veias hipofisárias eferentes.
  18. 18. • O sistema circulatório local descrito não é absolutamente unidirecional; as veias portais curtas permitem reversão do fluxo sanguíneo, deixando que as hormônios gonadotróficos da hipófise anterior ascendam até ao hipotálamo fazendo um feedback negativo. • Parte do retorno venoso da hipófise anterior é pelo caminho retrógrado e expõe o hipotálamo a altas concentrações dos hormônios da hipófise anterior, o que faz com que ocorra feedback negativo.
  19. 19. FUNÇÕES DO HIPOTÁLAMO • Apesar do tamanho diminuto, exerce uma gama de funções, quase todas relacionadas com a homeostase (manutenção do meio interno dentro dos limites compatíveis com a vida e com o pleno funcionamento do organismo. • Centraliza o controle da homeostase, através da regulação do sistema nervoso autônomo, sistema endócrino e sistema limbíco
  20. 20. • CONTROLE DO SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO • REGULAÇÃO DA TEMPERATURA CORPORAL • REGULAÇÃO DO COMPORTAMENTO EMOCIONAL • REGULAÇÃO DO EQUILÍBRIO HIDROSSALINO E PRESSÃO ARTERIAL • REGULAÇÃO DA INGESTÃO DE ALIMENTOS • REGULAÇÃO DO SISTEMA ENDÓCRINO • REGULAÇÃO E GERAÇÃO DOS RITMOS CIRCADIANOS • REGULAÇÃO DO SONO – VIGÍLIA • INTEGRAÇÃO DO COMPORTAMENTO SEXUAL
  21. 21. CONTROLE DO SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO • Centro suprassegmentar mais importante do sistema nervoso autônomo. • Estimulação do hipotálamo anterior = Parassimpático • Estimulação do hipotálamo posterior = Simpático
  22. 22. Regulação da Temperatura • Termorreceptores periféricos e neurônios que que funcionam como termorreceptores. O hipotálamo como termostato. • Centro da perda de calor – Hipotálamo anterior – Vasodilatação e sudorese • Centro da conservação de calor – Hipotálamo posterior – Vasoconstricção, tremores musculares, liberação de hormônios tireioideanos O hipotálamo também promove alterações comportamentais em resposta à alterações de temperatura
  23. 23. Regulação do Equilíbrio Hidrossalino e da Pressão Arterial
  24. 24. • Orgão vascular da lâmina terminal detecta a osmolaridade do sangue • Orgão subfornical detecta os niveis de angiotensina II. • Hipovolemia = Aumenta o ADH e sensação de sede • Hiponatremia = Liberação de ACTH
  25. 25. • Barroreceptores localizados no arco aórtico e seio carotídeo, transmitem aos núcleos do trato solitário, do nervo vago. • Este núcleo conecta com os núcleos paraventricular e supraóptico e com neurônios receptores na área pré-óptica.
  26. 26. Regulação da Ingestão de Alimentos • Centro da Fome – Hipotálamo Lateral – Lesão nessa área causa anorexia e morte por inanição em animais – ● Centro da Saciedade – Hipotálamo ventromedial – Lesão nessa área leva à hiperfagia , obesidade mórbida. Isso ocorre em tumores suprasselares
  27. 27. Regulação do Sistema Endócrino • Relações com a neuro-hipófise Evidenciadas pela diabetes insipidus, que é relaciona com diminuição do nível de ADH. O ADH é produzido pelos núcleos supraóptico e paraventricular. NEUROSSECREÇÃO Ocitocina
  28. 28. Relação com a adeno-hipófise • Conexão nervosa e vascular • Substâncias ativas descem por fluxo axoplásmatico nas fibras do trato túbero-infundibular. Na iminência mediana e haste infundibular , começa o sistema porta . • Hormônios da adeno – hipófise : adrenocorticotrópico ( ACTH), tireotrópico ( TSH), folículo estimulante, luteinizante, hôrmonio do crescimento, melanócito – estimulante e prolactina • Prolactina e hôrmonio do crescimento também tem hormônios inibidores
  29. 29. Regulação e Geração dos ritmos circadianos • Temperatura corporal , eosinófilos, hormônios , glicose e outras substâncias alteram sua concentração em um ciclo de 24 hrs. • O principal marca-passo situa-se no núcleo supraquiasmático. • NO SNC também existem relógios biológicos independentes do supraquiasmático • O supraquiasmático recebe informações do trato retino-hipotálamo
  30. 30. Regulação do sono- vigília • Supraquiasmático → núcleo pré- óptico ventrolateral e neurônios do hipotálamo lateral ( hipocretina). • O núcleo pré-óptico ventrolateral inibem os neurônios monoaminérgicos do sistema ativador ascendente ,que resulta em sono. • Quando o estímulo é cessado é atividado o neurônio orexinérgico, caracterizando a vigília.
  31. 31. Comportamento Sexual • Sinais químicos e neurais provenientes de todo corpo são integrados no hipotálamo e outras regiões do sistema límbico. Nestas regiões a excitação está relacionada com os dois núcleos pré-ópticos. • A ereção e ejaculação está relaciona com o sistema nervoso autônomo. • O prazer está relacionado com o sistema dopaminérgico mesolímbico

×