Terciarização das economias
• Processo pelo qual os serviços centralizam a maioria
das actividades económicas, abrangendo ...
• Incremento dos serviços nas industrias informatização,
robotização etc;
• Incremento dos serviços relacionados com a com...
Desemprego Total
Desemprego Total
Taxa de Desemprego por Género
Taxa de Desemprego por Género
Taxa de Emprego por Sector de Actividade
Consequências da inovação tecnológica nos processos
produtivos
•
•

•
•

•

Reduz a necessidade de mão-de-obra pouco quali...
Investigação e desenvolvimento (I&D)
•

•

Actualmente nas sociedades mais desenvolvidas tem-se assistido à
intensificação...
Políticas de prevenção do desemprego e de criação de
emprego
• Medidas de prevenção do desemprego e activação de
emprego:
...
Importância da formação profissional inicial e ao
longo da vida no desenvolvimento económico
• Proporciona uma melhoria da...
Capital (noção e tipos)
•

Capital – Conjunto de bens produzidos que são utilizados na produção
de outros bens e serviços....
Custo médio e custo marginal
• Custo médio ou custo unitário (Cm) é o custo por
unidade produzida.
• Custo total médio (Cm...
Continuação

• O aumento da produção proporciona a redução do
custo médio até a um certo ponto ou limite (ponto
mínimo do ...
Terciarização%20das%20economias[1]
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Terciarização%20das%20economias[1]

490 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
490
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Terciarização%20das%20economias[1]

  1. 1. Terciarização das economias • Processo pelo qual os serviços centralizam a maioria das actividades económicas, abrangendo a maior parte da população activa. As funções dos serviços expandem-se, quer desenvolvidas por empresas terciárias autónomas (bancos, seguradoras escritórios de advogados, empresas de consultoria etc), quer no interior de empresas industriais e agrícolas. • Nos países desenvolvidos, a tendência actual é para o sector terciário representar dois terços da capacidade de emprego e de produção. Tal situação deve-se aos seguintes factores:
  2. 2. • Incremento dos serviços nas industrias informatização, robotização etc; • Incremento dos serviços relacionados com a comercialização dos bens, marketing e publicidade; • Incremento da subcontratação de serviços que anteriormente eram desempenhados pelas próprias empresas, serviços de limpeza, manutenção e reparação de equipamentos, segurança etc; • Incremento dos serviços de trabalhos domésticos anteriormente exercidos pelas próprias famílias, engomadorias, limpeza do lar, refeições pré-confeccionadas, centros de explicações, creches, infantários, lar de idosos etc; • Aumento do nível de vida das famílias e adopção de modos de vida urbanos e consumistas que leva ao aumento de serviços de saúde, educação , lazer, cultura, turismo, restauração etc.
  3. 3. Desemprego Total Desemprego Total
  4. 4. Taxa de Desemprego por Género Taxa de Desemprego por Género
  5. 5. Taxa de Emprego por Sector de Actividade
  6. 6. Consequências da inovação tecnológica nos processos produtivos • • • • • Reduz a necessidade de mão-de-obra pouco qualificada Gera desemprego, provocado pelos desequilíbrios entre os ramos de actividade em declínio e os novos ramos de actividade os quais necessitam de uma mão-de-obra com qualificações académicas e profissionais mais elevadas. Aumenta a produtividade e a competitividade das empresas. Gera novos postos de trabalho, contudo é necessário processos de reajustamento e adaptação dos recursos humanos às novas exigências do mercado de trabalho, nomeadamente exige maiores níveis de escolaridade e qualificações profissionais. Exige formação ao longo da vida para manter o emprego que forneça aos indivíduos novas competências necessárias, quer à utilização das tecnologias de informação e comunicação, quer à aquisição de conhecimentos científicos nas mais diversas áreas.
  7. 7. Investigação e desenvolvimento (I&D) • • Actualmente nas sociedades mais desenvolvidas tem-se assistido à intensificação dos processos de investigação e desenvolvimento (I&D), que tem possibilitado a descoberta de novas tecnologias que aplicadas aos processos produtivos aumentam a eficiência do trabalho, que se traduz num aumento da produtividade, crescimento e desenvolvimento económico. Nº de investigadores por mil activos em Portugal
  8. 8. Políticas de prevenção do desemprego e de criação de emprego • Medidas de prevenção do desemprego e activação de emprego: - fomentar a formação profissional dos jovens, através de estágios profissionais; - fomentar a formação profissional dos desempregados; - apoiar a criação do próprio emprego. • Medidas de inclusão social: - fomentar a inserção no mercado de trabalho de pessoas com deficiência. - fomentar a inserção no mercado de trabalho de pessoas com baixo nível de escolaridade e qualificação profissional, nomeadamente através da formação profissional.
  9. 9. Importância da formação profissional inicial e ao longo da vida no desenvolvimento económico • Proporciona uma melhoria das qualificações dos recursos humanos, contribuindo para o aumento da produtividade das empresas. • Proporciona uma melhor adaptação dos recursos humanos à inovação tecnológica e organizacional.
  10. 10. Capital (noção e tipos) • Capital – Conjunto de bens produzidos que são utilizados na produção de outros bens e serviços. • Tipos de capital  Capital financeiro – conjunto de elementos líquidos (dinheiro, depósitos bancários) ou quase líquidos (acções de outras empresas).  Capital técnico – conjunto de bens indirectos ou intermediários que permitem a produção de outros bens.  Capital circulante – são todos os bens utilizados no processo produtivo que se extinguem após a sua transformação, uma vez que passam a estar incorporados noutros bens (matérias-primas, combustível, matérias auxiliares).  Capital fixo – são todos os bens utilizados ao longo de vários processos produtivos. Estes bens ao longo de cada processo produtivo perdem parte das suas propriedades (máquinas, ferramentas, instalações, viaturas).  Capital humano – conjunto de capacidades produtivas do indivíduo. O capital humano inclui os conhecimentos, a experiência e o saber fazer adquiridos ao longo dos tempos pelo trabalhador.  Capital natural – são todos os recursos naturais de que a sociedade dispõe e utiliza na satisfação das necessidades. Este deve ser utilizado de forma a salvaguardar a sua utilização futura pelas sociedades, daí que os problemas de poluição e de esgotamento de recursos naturais devam ser ponderados pelas sociedades actuais.
  11. 11. Custo médio e custo marginal • Custo médio ou custo unitário (Cm) é o custo por unidade produzida. • Custo total médio (Cm) = Custo total (ct)/quant produzida (Y) • Custo variável médio (Cvm) = Custo variável (cv)/quantidade produzida (Y) • Custo fixo médio (Cfm) = Custo fixo (cf)/ quantidade produzida (Y) • Custo marginal – é o acréscimo do custo total que se verifica na produção de mais uma unidade produto. • Custo marginal (Cmg) = acréscimo nos custos totais/acréscimo da quant produzida (Y)
  12. 12. Continuação • O aumento da produção proporciona a redução do custo médio até a um certo ponto ou limite (ponto mínimo do custo médio), a partir daí o custo médio aumenta. À medida que a produção aumenta o custo médio decresce até ao ponto mínimo do custo médio, que indica o nº óptimo de unidades a produzir, a partir daí o custo médio cresce. • À medida que a produção aumenta o custo marginal decresce até ao ponto onde a curva do custo marginal intersecta a curva do custo médio, a partir daí o custo marginal cresce.

×