Griot - UNIAFRO

301 visualizações

Publicada em

Portfólio Griot UNIAFRO - UFRGS

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
301
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Griot - UNIAFRO

  1. 1. PORTFÓLIO GRIÔT - INTERVENÇÃO EM SALA DE AULA - ATIVIDADE PRÁTICA Aluna: Vanessa Macedo dos Santos Pólo: Caxias do Sul Este trabalho foi realizado na Escola Municipal de Ensino Fundamental Érico Veríssimo de Caxias do Sul no dia 17/09/2014.
  2. 2. Mestre Brasil: Um Griot em Caxias do Sul
  3. 3. No dia 17/09/14 foram reunidas na sala de vídeo da escola, as turmas do 7º, 8º e 9º anos do Ensino Fundamental do turno da manhã, para ouvir as histórias do Mestre Brasil, (Diogenes Antonio de Oliveira Brazil), mestre de capoeira e membro da Coordenadoria da Promoção da Igualdade Racial.
  4. 4. Para recepcionar e homenagear Mestre Brasil, os alunos fizeram um lindo cartaz de boas vindas.
  5. 5. Execução do trabalho
  6. 6. Execução do trabalho
  7. 7. Execução do trabalho
  8. 8. Detalhes do cartaz:
  9. 9. Detalhes do cartaz:
  10. 10. Detalhes do cartaz:
  11. 11. Detalhes do cartaz:
  12. 12. Sobre a fala do Griot: A história que Mestre Brasil veio nos contar é uma história muito importante para todos nós moradores de Caxias do Sul. De uma maneira bem didática, dinâmica, divertida, Mestre Brasil nos contou como chegaram os primeiros negros a Caxias do Sul.
  13. 13. Sobre a fala do Griot: Ele nos contou que os primeiros negros chegaram à região de Caxias do Sul por intermédio de Feijó Júnior, que foi responsável pela construção do Barracão que serviria de primeira morada aos imigrantes chegados da Itália.
  14. 14. Sobre a fala do Griot: Uma segunda história contada foi a do primeiro intendente de Caxias do Sul, José Cândido de Campos Júnior que era negro e foi eleito pelos imigrantes italianos que aqui chegaram a partir de 1875.
  15. 15. Sobre a fala do Griot: Uma terceira história (todas estavam amarradas), foi a do primeiro reduto negro de Caxias do Sul: O Burgo (Bairro Jardelino Ramos), que já consta de estudos para se tornar Quilombo Urbano.
  16. 16. Sobre a fala do Griot: Mestre Brasil terminou sua exposição falando do Clube das Margaridas, que foi fundado em 1933 por mulheres negras descontentes de não poderem dançar nos bailes do Clube Juvenil e foi o primeiro Clube negro de Caxias.
  17. 17. Foto com o Griot
  18. 18. Em sala de aula os alunos reproduziram os principais momentos da fala do Griot através de cartazes.
  19. 19. Barracão dos Imigrantes
  20. 20. Barracão dos imigrantes: detalhe do Barracão e do primeiro Intendente de Caxias do Sul que era negro.
  21. 21. Detalhe da Igreja Católica e sua importância na política nos primeiros tempos de Caxias do Sul.
  22. 22. Burgo (Bairro Jardelino Ramos) – Primeiro Território Negro de Caxias do Sul
  23. 23. Representação do Clube das Margaridas – Primeiro grupo do Movimento Negro de Caxias
  24. 24. Alunos trabalhando
  25. 25. Alunos trabalhando
  26. 26. Alunos trabalhando
  27. 27. Alunos trabalhando
  28. 28. Para finalizar, gostaria de salientar que este trabalho foi de grande importância para a escola, uma vez que trouxe novas formas de vermos a história de Caxias do Sul, de uma perspectiva até agora desconhecida para os alunos e também para os professores: a perspectiva do negro. Mestre Brasil nos colocou que o negro quando chegou a Caxias, não sofreu preconceito por parte do imigrante italiano, pois ambos, negros e italianos faziam parte de uma população discriminada pelos luso-brasileiros. O motivo desta discriminação é o trabalho, a mão de obra braçal, mal vista neste período, no Brasil. Foi mais tarde, com as ideias fascistas se espalhando pelo mundo, e por óbvio, chegando a essa cidade, que continuava mantendo intercâmbio com a Itália, que o racismo chega, infelizmente. E, por ironia do destino, a colônia formada com intuito do branqueamento pelas autoridades brasileiras, conviveu pacificamente com os negros durante muitos anos, inclusive elegendo um negro como intendente, através do voto. Não fossem pelas ideias fascistas, talvez essa convivência tivesse permanecido e vencido o preconceito que já era grande nos arredores, como o município de São Francisco de Paula, de população luso-brasileira.

×