Ferimentos nos ossos

1.246 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.246
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
55
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ferimentos nos ossos

  1. 1. Vários tipos de ferimento nos ossos• ESCOLA SECUNDÁRIA DE SAMPAIO• ANO LECTIVO 2010/2011• CURSO EFA/ FORMAÇÃO DE BASE NÍVEL 3• FORMAÇÃO TECNOLÓGICA• FORMADOR: GRAÇA PÓLVORA• TURMA TAE/1• FORMANDA: VANESSA GOMES, LARA MARCELINO
  2. 2. Introdução
  3. 3. Vários tipos de ferimento nos ossos As roturas de um osso são outras formas de ferimentos nos ossos. Os ferimentos nos ossos são graves devido muitas das vezes terem lesões dos tecidos moles por exemplo: • Os nervos, tendões, os ligamentos. Há diferentes causas correntes das fracturas como por exemplo: • As pancadas indirectas que podem causar ferimentos nos ossos e nas articulações, por uma entorse de um membro e de contracções musculares violentas.
  4. 4. Vários tipos de fracturas• Fractura sem deslocamento (fechada) Trata-se de uma fractura incompleta, em que o osso fica rachado ou completamente partido.
  5. 5. Fractura com deslocamento• O membro fica mais ou menos deformado.• Tudo depende se o deslocamento é mínimo ou importante. O membro pode mesmo ficar mais curto se os fragmentos facturados ficarem deslocados e as suas extremidades ficarem colocadas uma sobre a outra.
  6. 6. Fractura exposta• Fragmento de osso perfurou a pele ao deslocar-se. O osso nem sempre é visível na ferida. Todavia, a fractura desse é muitas vezes grave, pois pode ser acompanhada de hemorragia e de infecção possível do osso.
  7. 7. Fracturas múltiplas• O osso fica fracturado em vários lugares.• Alguns fragmentos do osso podem mesmo ficar esmagados, reduzidos a bocadinhos
  8. 8. Sinais e sintomas das fracturas• Sensação de rangido dos ossos ou de estalo no momento do ferimento;• Uma dor intensa e persistente no membro ferido, que aumenta se houver movimento;• Sensibilidade muito progressivamente por um derramamento de líquido nos tecidos envolventes da fractura, esse inchaço é muitas vezes importante o que se faz acompanhar de uma negra da pele;• Incapacidade em mexer o membro ferido. – Nesse caso, deveremos levar a pessoa a imobiliza-lo a fim de diminuir a dor. Todavia, algumas fracturas sem deslocamento são muito menos dolorosas e alguns movimentos não se sente a dor.• Uma deformação e um encurtamento mais ou menos importantes quando se compara o membro fracturado com o são.• Uma palidez e uma frieza do membro ferido.
  9. 9. Primeiros socorros• Prevenir a conversão de uma fractura fechada numa fractura exposta;• Diminuir qualquer danos nos nervos , nos ligamentos, nos tendões, nos músculos e nas hemorragias;• Atenuar a dor no sitio;• Instalar a vitima numa posição do membro afectado, se os serviços de urgência estiverem rapidamente acessíveis, quer através da imobilização do membro, se nós próprios tivermos de deslocar a vítima;• Quem estiver a socorrer pode tentar puxar minimamente o membro facturado. – Porem esta acção deverá só ser executada por pessoas especialistas para o efeito, pois mal executada, pode trazer graves consequências para a vítima e causar mais danos.• Sentar a vítima, espontaneamente tomará a posição que lhe causa menos dor na fractura;
  10. 10. Primeiros socorros• Evitar que a vítima faça qualquer movimento, para não agravar;• Cortar as peças de roupa que façam uma compressão sobre o membro afectado;• Se for uma fractura de um membro inferior colocar almofadas ou roupas dobradas para servir de apoio;• Se houver inchaço ou dor no lugar da fractura, aplicar gelo ou compressas frias durante 15 minutos de hora a hora, pois o frio irá reduzir o inchaço da dor ao contrair os vasos sanguíneos.
  11. 11. Se a ferida for exposta• Cortar as peças da roupa que tocam na ferida, evitar tocar na ferida;• Tapar a ferida com uma compressa esterilizada para prevenir contaminação;• Não aplicar gelo;• Imobilizar o membro afectado, de acordo com a situação;
  12. 12. Talas• As talas são suportes, sustentáculos que servem para manter em boa posição um membro ferido, reduzindo, desta forma, a mobilidade dos ossos partidos e das articulações situados de um lado e do outro do ferimento e protegem igualmente os tecidos adjacentes ( vasos sanguíneos, nervos, músculos e pele).• As talas têm como função imobilizar a parte atingida, a fim de permitir a imobilização.
  13. 13. As luxações• Uma luxação é um deslocamento parcial ou total de um osso para fora da sua posição normal numa articulação.• No caso das luxações, a cápsula fibrosa e os ligamentos que envolvem a articulação são esticados e por vezes rasgados.
  14. 14. Sintomas das luxações• Uma dor viva e persistente quando tenta movimentar ;• Incapacidade de mexer o membro atingido;• Um inchaço na região da articulação;
  15. 15. Primeiros socorros Primeiros socorros• No caso da articulação pode-se voltar a posição normal por ela própria, se for necessário uma intervenção terapêutica para ser recolocada;• Imobilizar o membro afectado na posição encontrada;• Meter o pulso na sua extremidade, verificar a temperatura e a coloração desse mesmo membro;
  16. 16. Como Imobilizar um membro com uma luxação• No caso se houver um espaço entre o braço e a caixa torácica, nesse espaço terá de ser cheio por chumaço improvisado, com peça de roupa ou tecido, de seguida colocar uma ligadura de suspensão oblíqua. De seguida colocar uma contra ligadura no cotovelo e atar ao lado oposto ao do tórax, para manter bem imobilizado o membro.
  17. 17. Entorses• Um entorse é uma lesão dos ligamentos que envolvem e estabilizam uma articulação. O entorse produz-se devido a um movimento desajeitado ou exagerado que arrasta consigo uma distensão ou uma contusão de ligamentos, lesando um certo número das fibras elásticas e vasos sanguíneos dos ligamentos. A gravidade do ferimento depende da intensidade do stress sofrido, podendo ir de um ligeiro alongamento dos ligamentos a um rasgão completo destes últimos, os entorses produzem- se mais frequentemente nas articulações do tornozelo, do joelho, do pulso, nos dedos, na região cervical e na região dorso lombar.
  18. 18. Sintomas dos entorses• O processo inflamatório gera uma dor que aumenta durante o movimento do membro ou muito simplesmente ao ser tocado.• A parte afectada já não fica, ou quase não fica, em estado de funcionar. Esse sintoma revela um rasgão completo do ligamento e é semelhante a uma fractura.• O inchaço, acompanhado de uma cor azulada da pele, é a consequência de um fornecimento líquido acrescido ao lugar ferido e da rotura dos vasos sanguíneos.• O calor local é a consequência da reacção inflamatória.
  19. 19. Primeiros socorros Primeiros socorros• Aliviar a dor;• Diminuir o inchaço local;• Diminuir a hemorragia local;• Com uma ligadura compressiva, com um levantamento e uma mobilização do membro, diminui a quantidade de sangue no ferimento fazendo assim com que vá diminuir as dores e o inchaço.
  20. 20. Como Intervir• Fazendo pouca pressão com uma ligadura elástica para diminuir o inchaço, se acontecer o entorse for no pé não se deve de descalçar o sapato, mas sim desapertar, põem-se uma ligadura elástica por cima do sapato e manter o pé em ângulo recto;• Imobilizar o membro;• Aplicar saco de plástico com gelo;
  21. 21. Conclusão

×