ARTIGO DE DIVULGAÇÃO - MGME - OUT/2013

414 visualizações

Publicada em

Esse artigo representa uma pequena parcela sobre o desperdício dos nossos alimentos e nossa água, no processo da cadeia produtiva.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
414
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ARTIGO DE DIVULGAÇÃO - MGME - OUT/2013

  1. 1. Comida e água não faltam: o que falta é ação! Autor: Valter de Almeida Gomes Objetivo: Observar a porcentagem, proporcionalidade e regra de três no contexto de problemas cotidianos e realizar cálculos a fim de resolvê-los. Competências e habilidades a serem desenvolvidas: selecionar, organizar, relacionar, interpretar dados e informações de diferentes formas, para solucionar situações problema envolvendo grandezas proporcionais, utilizar informações expressas em forma de porcentagem como recurso para construção de argumentação. A porcentagem é um conteúdo matemático que facilmente se encontra nos mais diversos meios de comunicação com que nos deparamos, sejam jornais, revistas, rádio, tv, anúncios, etc. É uma ferramenta muito importante para ser utilizada na solução de problemas desde os cotidianos até os técnicoprofissionais, como prestações, contas bancárias, em empresas, repartições, mercados, colunas de economia, ou seja, possivelmente onde tiver valores, números, encontraremos a porcentagem. O texto a seguir nos mostrará a preocupante realidade sobre o desperdício de alimentos e água dentro do processo produtivo na agricultura e o impacto que isso causa em nossa economia. Algumas ações poderiam ser tomadas para que muitos pudessem se beneficiar, o país diminuísse seus custos, o alimento chegasse em nossas mesas bem mais baratos e em maior variedade. Em nosso pais há cerca de 23 milhões de miseráveis, pessoas cuja renda não consegue satisfazer 75% de suas necessidades calóricas. Em contraste a isso, cerca de 39.000 toneladas de comida vão direto para a lata do lixo dos mercados, feiras, fábricas, restaurantes, quitandas, açougues, fazendas, nossas casas... Compõeessas 39.000 toneladas iogurtes perto do vencimento, tomates manchados, pães amanhecidos, carnes, legumes, verduras e vários outros itens que por algum motivo estético, acabam sendo desperdiçados e que poderiam alimentar 19 milhões de brasileiros com café, almoço e jantar. Surpreso? Pois não fique! Ainda que sem perceber, participamos de toda essa tristeza nacional.
  2. 2. Uma iniciativa dos nossos irmãos mineirinhos em 1992 sinalizou um grande passo no sentido contrário ao desperdício: o Ceasa comprou máquinas que processavam as sobras e começou a enlatar uma sopa, distribuída em regiões carentes do Estado. O que iria para o lixo em pouco tempo, passou a ter uma durabilidade de um ano, transformando produtos perecíveis em alimentos duráveis. Com essa ação, os produtores rurais foram incentivados a doar alimentos que, por algum motivo, seriam descartados por imperfeições, aparência, tamanho, forma, e que agora vão parar no sopão. Os resultados foram tão positivos que os Ceasas de outros estados como Pernambuco, Ceará, Distrito Federal, Paraná e algumas cidades paulistas adotaram a ideia. Temos por volta de 5.000 municípios em nosso país aptos a realizar as mesmas ações, mas isso não acontece. Porque? Cerca de 30 instituições, umas governamentais e outras não, são responsáveis por distribuir aproximadamente 150 toneladas de comida por dia pelo país, algo que não alcança a 0,5% do volume que poderia ser aproveitado. Pense em algumas questões e responda Quanto cada pessoa receberia diariamente se fosse distribuído o alimento que é jogado fora. Lembre que temos cerca de 39 milhões de miseráveis! As instituições governamentais ou não distribuem cerca de 0,5% do volume que poderia ser aproveitado, o que equivale a 150 toneladas. Se conseguíssemos chegar a um aproveitamento de 80% desse alimento, quanto isso representaria? Nossa produção anual de alimentos chega a números fantásticos: 350 mil toneladas de alface, 3 milhões de toneladas de tomate, 7,19 milhões de
  3. 3. toneladas de bananas, 1,87 milhões de toneladas de melancia. Em média, 43,75% dessa produção é lançada no lixo. Veja a ilustração acima, “pense e repense” Quando pensamos nos alimentos da ilustração, qual o total, em toneladas, que são lançados no lixo, anualmente? Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2012 tivemos um PIB (Produto Interno Bruto), que é o total de riqueza produzida pelo Brasil durante esse ano, na ordem de R$ 4,403 trilhões de reais. É doloroso sabermos que 1,4% desse valor se perde na cadeia produtiva. Estimativas do Banco Central projetam um crescimento do PIB na ordem de 2,5% para 2013. Diante desses números é possível meditarmos um pouco!
  4. 4. Se esses valores se confirmarem e caso as perdas em alimentos na cadeia produtiva não sejam reduzidas, qual será o valor do desperdício em 2013? São Paulo atualmente gasta cerca de R$ 3,318 bilhões com lixo. Estimativas preocupantes indicam que 60% desse lixo representa resto de comida. Se houvesse a conscientização da população, restaurantes, empresas e demais segmentos, o Estado poderia economizar R$ 22,12 bilhões anuais, valores que superariam os benefícios do bolsa família. Os absurdos em desperdício não param por aí. Sabemos que a água não é uma fonte natural renovável e que se o descaso continuar, as gerações futuras estarão comprometidas com o abastecimento, algo já acontecendo em algumas regiões do país e do mundo, divulgado frequentemente nos meios de comunicação. Um fenômeno desesperador tem ocorrido em nossa agricultura: 72% de toda a água disponível no Brasil é utilizada na irrigação. Acredite você ou não, 46% dessa mesma água se perde pelos ralos, equivalendo a quase 6 bilhões de m³ por ano. Uso da água no Brasil IRRIGAÇÃ O URBANO ANIMAL 1% 7% RURAL 11% 9% 72% Mais um momento para você pensar:
  5. 5. Os dados apresentados no texto e salientados no gráfico mostram um grande consumo dos nossos recursos hídricos destinados à irrigação. Se 46% da água direcionada à agricultura representam 6 bilhões m³, qual o total de água é destinado à irrigação? Thomas Malthus (17/2/1766-23/12/1834), economista e religioso inglês, relata em sua teoria sobre o crescimento populacional: “a população cresce em progressão geométrica enquanto sua fonte alimentar cresce em progressão aritmética”. Isso significa dizer que: População Alimentos 1 1 2 2 4 3 8 4 16 5 32 6 64 7 128 8 Como podemos observar tem ocorrido um distanciamento entre a fonte alimentar e o crescimentopopulacional. A sustentabilidade de diversas gerações tem sido comprometida, enquanto ocorre insensatos desperdício de alimentos, pouca preocupação em sanar o problema e a fome e sede se espalhando em nosso território. Todos os anos, cerca de um terço de todos os alimentos para consumo humano, aproximadamente 1,3 bilhão de toneladas, é desperdiçado, juntamente com toda a energia, água e produtos químicos necessários para produzi-la e descartá-la. Quase 30% das terras agrícolas do mundo, e um volume de água equivalente à vazão anual do rio Volga, são usadas em vão. No seu relatório intitulado "A Pegada do Desperdício Alimentar", a Organização das Nações Unidas para Agricultura e a Alimentação (FAO) estima que a emissão de carbono dos alimentos desperdiçados equivale a 3,3 bilhões de toneladas de dióxido de carbono por ano. Se fosse um país, seria o terceiro maior emissor do mundo, depois da China e dos Estados Unidos, sugerindo que um uso mais eficiente dos alimentos poderia contribuir substancialmente para os esforços globais para reduzir as emissões de gases do efeito estufa e diminuir o aquecimento global. Pense nisso! A próxima geração é a sua!

×