EBD 1º Tri 2010 Lição 11 - 14032010 - Subsídio

1.992 visualizações

Publicada em

Este subsídio procurará abordar exaustivamente, sem querer ser a última palavra no assunto, mas com o objetivo de auxiliar, o tema Liderança Cristã. Assim, a finalidade deste subsídio é “compreender que o líder cristão autêntico é aquele que não perde o senso de dependência de Deus; distinguir as características de um verdadeiro líder e descrever os tipos de lideranças encontradas no seio da igreja”. Bom estudo!!!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.992
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

EBD 1º Tri 2010 Lição 11 - 14032010 - Subsídio

  1. 1. Subsídios para Escola Bíblica Dominical Igreja Evangélica Assembléia de Deus - Ministério de SBCampo CARACTERÍSTICAS DE UM AUTÊNTICO LÍDER Resumo O subsídio desta semana (Lição 11 – 1º Trimestre de 2010 - de 14/03/2010) da Revista “Lições Bíblicas” de Jovens e Adultos, que está abordando o tema “Eu, de muito boa vontade, gastarei e me deixarei gastar pelas vossas almas”, (um estudo na 2ª epístola de Paulo aos Coríntios), traz o assunto da Autenticidade do Líder Cristão, com o título “Características de um Autêntico Líder”. O texto áureo desta lição está registrado em 2ª Co 11.2, que diz “Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo”. O comentarista, Pr. Elienai Cabral, extraiu do texto base (2 Co 10. 12-16; 11. 2,3,5,6), a seguinte verdade prática “Um líder cristão autêntico é aquele que tem por objetivo maior servir a Deus e à sua igreja”. Com isto, este subsídio procurará abordar exaustivamente, sem querer ser a última palavra no assunto, mas com o objetivo de auxiliar, o tema Liderança Cristã. Assim, a finalidade deste subsídio é “compreender que o líder cristão autêntico é aquele que não perde o senso de dependência de Deus; distinguir as características de um verdadeiro líder e descrever os tipos de lideranças encontradas no seio da igreja”.1 Bom estudo!!! Palavras-Chaves: líder; liderança cristã Introdução Nesta seqüência de aula encontramos Paulo demonstrando mais uma vez que vivia uma vida segundo a vontade de Deus. Que cumpria seu chamado seguindo o maior exemplo de todos os tempos: Jesus, o Mestre dos mestres. Desta forma ele demonstra que pode sim ser imitado e seguido conforme escreveu em algumas de suas cartas (1 Co 11.1). No entanto, em momento algum vemos em Paulo o autoelogio, o autoreconhecimento, como faziam seus oponentes. De forma nenhuma se coloca acima de alguém, mas podemos observar um Paulo humilde que reconhece que depende do Senhor Deus para absolutamente tudo. E é exatamente sobre isto que falaremos nesta lição. O exemplo de liderança deixado para a igreja de Cristo pelo apóstolo Paulo, ainda uma vez defendendo seu ministério de pseudo mestres. 1 LIÇÕES BÍBLICAS. Jovens e Adultos. 1º Trimestre de 2010. CPAD, 2010. 78 p. www.iead-msbc.com.br - 1
  2. 2. Subsídios para Escola Bíblica Dominical Igreja Evangélica Assembléia de Deus - Ministério de SBCampo Características de Paulo como líder No versículo 12 do texto base para esta aula, encontramos o apóstolo dizendo: “pois não ousamos contar-nos, ou comparar-nos com alguns, que se louvam a si mesmos; mas estes, medindo-se consigo mesmos e comparando-se consigo mesmos, estão sem entendimento”. Paulo aqui demonstra alguma ironia, segundo alguns estudiosos, ao mencionar seus oponentes fazendo autojulgamento. O que acontece aqui parece ser o seguinte, Paulo, parece estar querendo dizer que como eles (seus opositores) não têm uma forma digna e verdadeira de comparação, então precisam fazer julgamentos deles mesmos. O que segundo os padrões de Cristo não é recomendável, pois se há alguma medida ou parâmetro para o cristão, este deve ser tão somente Cristo. Aliás, se formos aprovados pelos homens e reprovados por Deus, de que adianta esta aprovação se o Mestre dos mestres não aprovar? Vejamos uma afirmação muito apropriada de CHAMPLIN, 1995, a este respeito: “O verdadeiro ideal na direção do qual nos devemos esforçar por avançar é o próprio Cristo, o que torna inútil qualquer confronto entre nós e os outros homens. Estamos sendo transformados segundo a sua imagem, e nosso progresso espiritual deve ser medido pela extensão em que já tivermos assumido a expressão do seu ser, e não pelo modo como já estamos adiante dos outros2”. Precisamos nos preocupar com nossa aprovação diante do Rei, não se somos melhores que este ou aquele. É do conhecimento de todo cristão que no Reino de Deus os padrões não são semelhantes aos padrões do mundo, ou seja, o líder deve servir e não ser servido. E, infelizmente, em algumas situações há pessoas que se esquecem disto e assim como os oponentes de Paulo julgam a si mesmos superiores aos outros, trazendo muitas vezes prejuízos enormes à igreja de Cristo. Na seqüência, Paulo continua discorrendo sobre sua postura, falando a respeito dos limites colocados pelo Senhor Deus ao trabalho designado a ele e também o espaço geográfico delimitado, e que procurava obedecer estes limites, não seguindo a mesma direção de seus oponentes que além de ocupar um lugar que provavelmente não lhes foi designado, louvam-se a si mesmos por um trabalho não realizado por eles. “Nós, porém, não nos gloriamos além da medida, mas conforme o padrão de medida que Deus nos designou para chegarmos mesmo até vós;” Ao empregar o pronome nós Paulo, deixa claro que ele e seus companheiros não ultrapassavam “as medidas” a eles impostas, como analisa CHAPLIN “...sem medida...”, no original grego, é <ametros>, <incomensuravelmente>, <além dos limites>, isto é, <excessivamente>. “...respeitamos o limite da esfera...”, isto é, <...segundo a medida do cânon>, o que indica a medida, a regra, o limite determinado por Deus. O vocábulo grego <kanon> significa, literalmente, <vara>; e antigamente referia-se a instrumentos de medir. Pode significar, por conseguinte, <regra>, <padrão>, <limite>, <província>, <região determinada>. 2 Grifo e destaque da autora www.iead-msbc.com.br - 2
  3. 3. Subsídios para Escola Bíblica Dominical Igreja Evangélica Assembléia de Deus - Ministério de SBCampo Paulo aguardava sempre pela vontade de Deus para agir em qualquer situação. Paulo sempre permaneceu no lugar que foi designado a ele segundo a vontade divina, colhendo os frutos de seu próprio trabalho e gloriando-se de seus trabalhos de forma comedida sem exageros, sem ultrapassar qualquer limite. Ainda no versículo 17 encontramos a orientação de Paulo: “Aquele, porém, que se gloria, glorie-se no Senhor”. Quando o apóstolo escreve estas palavras nos mostra que reconhece totalmente a soberania de Deus, pois tudo pertence a Ele e vem dele, as bênçãos espirituais e materiais, “que os homens possuem por ser ele a origem de todo o dom perfeito e celeste”. Só o nosso Senhor pode fazer um julgamento verdadeiro a respeito de alguém, pois só ele conhece o interior de alguém, seus pensamentos e intenções. Que haja em nós a preocupação de sermos aprovados por Deus que é o único que “pode derrubar todas as decisões tomadas pelos homens”. Apenas pelos olhos de Cristo que é verdadeira luz e mostra toda realidade como realmente é. Nos versículos seguintes do texto base para este estudo (2 Co 11. 2,3,5,6), o apóstolo mostra um zelo muito grande pela “noiva de Cristo”, sente-se enciumado por conta do assédio dos falsos mestres e o perigo que eles representam podendo, inclusive, corromper a noiva do Cordeiro. Ainda nestes versículos encontramos Paulo se defendendo ainda de seus opositores, afirmando que todo o conhecimento que tinha de Cristo havia-o transmitido a igreja de Corinto. Segundo, ainda, ele mesmo, poderia não ser um exímio orador, porém, sabia muito bem a respeito do que falava. Que tipo de líder Deus quer usar Segundo o minidicionário Houaiss da língua portuguesa a definição das palavras líder e liderança são respectivamente: Líder: chefe;guia / quem atrai seguidores. Liderança: espírito de chefia; posição ou característica de líder; pessoa que possui esse espírito ou pessoa(s) que exerce(m) essa chefia. Quando pensamos em um líder, logo pensamos em alguém que convence seguidores de que pode resolver seus problemas da melhor e mais eficaz maneira. Um bom líder tem sempre respostas e soluções para os seus seguidores. Ele sabe o caminho a seguir, ou pelo menos convence seus seguidores de que tem competência. Para um líder guiar, precisa ter autoridade. Se o líder é escolhido desconsiderando-se os critérios de Deus e os valores bíblicos, o grupo e seus propósitos serão postos em perigo. Temos um grande exemplo desse, quando Israel escolheu Abilmeleque para reinar sobre eles (Jz. 9). É de grande importância o momento em que vamos escolher um líder. www.iead-msbc.com.br - 3
  4. 4. Subsídios para Escola Bíblica Dominical Igreja Evangélica Assembléia de Deus - Ministério de SBCampo Exemplos bíblicos de homens escolhidos por Deus José: Um líder ideal moldado em uma prova severa de rejeição. A história de José apresenta-nos um homem humilde de princípios. Era na verdade, o filho favorito de seu pai Jacó, mas nem por isso é orgulhoso ou soberbo, mas sim seu desejo era de sempre ajudar seu pai e obedecê-lo. Os sonhos que Deus deu a José convenceram não do fato de que ele era muito bom para servir outras pessoas, mas pelo contrário, de que Deus o tinha escolhido para uma tarefa especial. José foi tentado de várias formas, mas ele não vacilou, pois havia nele um caráter bem desenvolvido. Com todas as provações nunca encontramos ele murmurando ou querendo se vingar de seus inimigos. Mas onde quer que ele fosse sua vida era próspera e todos eram abençoados e o Senhor estava com ele. José foi um líder bem sucedido porque tinha completa confiança em Deus. Moisés: um homem preparado e usado por Deus. O potencial da liderança de Moisés teve origem na criatividade de sua família (Hb. 11.23). Quando recusou ser neto de Faraó, demonstrou convicção e firmeza. Escolheu ser maltratado e viver fora do palácio. Expressou segurança pessoal sabendo que Deus o tinha separado para uma sublime missão. Demonstrou fé nas promessas de Deus e se submeteu a Deus e a seus propósitos por 40 anos no deserto. Moisés demonstrou incríveis qualidades de liderança durante os 40 anos de jornada pelo deserto. A paciência e a perseverança pela glória de Deus são as qualidades que sobressaem. Moisés foi um líder corajoso diante do perigo, criativo diante da rebeldia, e manso diante das circunstâncias difíceis e impossíveis. Exemplo: Enfrenta o Mar Vermelho. A sua confiança estava intimamente em Deus. As qualidades de um líder: A) Desempenho atual: é a habilidade de desempenhar bem as funções na posição atual que uma pessoa se encontra. B) Iniciativa: é a habilidade de ser um auto-indicador. Moisés tomou sua posição ao lado dos escravos hebreus rejeitados quando matou o mestre de obras egípcio que batia no hebreu. Como líder mostrou a sua compaixão pelos oprimidos. C) Aceitação: É a habilidade de ganhar respeito e a confiança de outras pessoas. Moisés ganhou desde o princípio a confiança do povo hebreu. D) Comunicação: É a habilidade de articular claramente o propósito e os alvos do grupo. Embora Moisés acreditasse que não tinha eloqüência (boca pesada), durante o curso de sua vida, ele exibiu uma habilidade de comunicação com vários níveis de pessoas. E ainda mais, teve o privilégio de falar face a face com Deus (Deut. 34.10). E) Análise e discernimento: É a habilidade de alcançar conclusões idôneas baseadas na evidência. Moisés julgou corretamente ao reprovar a criação do bezerro de ouro e sua consequente adoração como repúdio diante de Deus (EX. 32.1-6). www.iead-msbc.com.br - 4
  5. 5. Subsídios para Escola Bíblica Dominical Igreja Evangélica Assembléia de Deus - Ministério de SBCampo F) Realização: É a quantidade e a qualidade de trabalho produzido através do uso efetivo do tempo. Moisés mais uma vez se sobressai nessa categoria. Tirando o povo do Egito, dando a Lei, construindo o Tabernáculo e as cerimônias pelas quais Israel tinha como se aproximar de Deus e conhecer a sua vontade. G) Flexibilidade: É a habilidade de adaptar-se a mudanças e de se ajustar ao inesperado. De príncipe para pastor de ovelhas e até um porta-voz de Deus e um líder da nação de Israel, Moisés demonstrou tremenda adaptabilidade. H) Afetividade: É a habilidade para controlar sentimentos pessoais, uma mente aberta. A reação de Moisés a sugestão de Deus de que iria destruir Israel da face da terra e fazer de Moisés uma grande nação, demonstra como este era desprendido de sentimentos pessoais e de ambição e orgulho (Ex. 32.11-13). Moisés como líder tinha essas oito características importantes para um líder. Moisés além dessas características importantes para um líder, em seu viver demonstrava um grande relacionamento com Deus e obediência e comunhão com Ele e uma vida de constante oração. Temos ainda um exemplo de um filho que teve uma boa educação e foi um grande líder: Suzana Wesley, impactou o mundo por meio da influência que exerceu na educação de seus filhos John e Charles Wesley, os quais fundaram o metodismo do século XVIII na Inglaterra. Ela ensinou a seus filhos a ter autoridade, domínio, sucesso, sofrer, responsabilidade, disciplina, liberdade, planejamento, iniciativa, vitória, propósito, liderança, amor, segurança, alegria, firmeza, determinação, lealdade. Essas qualidades são fundamentais para um líder. Davi: um homem de coragem e determinação. O rei Davi segundo nos mostra as Escrituras Sagradas, foi um modelo de liderança hábil. Antes mesmo de alcançar a maturidade, enfrentou bravamente animais ferozes como o urso e o leão, defendendo assim suas ovelhas (ISm 17.35). Com coragem inspirada pela fé no Deus Todo poderoso, enfrentou Golias, o gigante. Sem ter experiência de batalha, nem treinamento especial, a sua confiança estava somente em Deus e não temeu nem a morte, e foi vencedor. Podemos encontrar em Davi um homem que elevou sua lealdade de rei ungido de Deus para um nível raramente visto. Saul, pelo contrário, era tão instável quanto a água, mentindo constantemente por causa de sua inveja e medo, conspirando contra Davi para derrubá-lo. Mesmo sabendo que Deus o havia escolhido para substituir Saul como rei, Davi, ainda assim, apoiou o líder constituído da nação. Várias vezes o mesmo Deus entregou Saul nas mãos de Davi e ele o poupou, sendo admirado pelo próprio Saul. Quando pecou e foi repreendido pelo profeta Natã, se humilhou e arrependeu-se profundamente, o Salmo 51 diz como Davi sentiu as feridas de sua consciência. Qualquer líder que é inclinado a arrepender-se superficialmente não é digno de sua posição com um modelo exemplar. Davi amou intensamente seu filho Absalão, mesmo sendo o seu inimigo cruel, rebelde e traiçoeiro. Chorou amargamente sua morte. O poder e a fama não fizeram Davi insensível às outras pessoas. Deu valor a justiça, quando saiu a batalha, trouxe o despojo e repartiu igualmente para todos, mesmo aqueles que www.iead-msbc.com.br - 5
  6. 6. Subsídios para Escola Bíblica Dominical Igreja Evangélica Assembléia de Deus - Ministério de SBCampo não foram receberam igualmente. Davi demonstra um padrão de vida em seus salmos: “Oh, Deus tu és o meu Deus forte; eu te busco ansiosamente; a minha alma tem sede de ti; meu corpo te almeja, como terra árida, exausta, sem água. Assim eu te contemplo no santuário, para ter a tua força e a tua glória (Sl 63.1,2). A inclinação de seu coração repousava em Deus. Esta foi a sua disposição, um ardente almejo da intimidade com Deus que é refletida em muitos salmos compostos por Davi. A biografia bíblica de Davi revela o processo pelo qual Deus elevou esse jovem a uma estatura mundial. Aos olhos de seu pai era improvável que Davi se tornasse um líder da nação de Israel, tanto que Samuel teve que perguntar a Jessé, se ele não tinha outro filho que Deus pudesse indicar como sua escolha (ISm 16.11-13). O desempenho de Davi sobre a nação foi um modelo criado pela sabedoria e poder aplicado ao governo. Entre os princípios predominantes exemplificados por Davi, o primeiro que podemos fazer menção é integridade, incluindo as virtudes de honestidade e de veracidade. Davi, desde a sua mocidade, buscava vencer a tentação da hipocrisia e duplicidade. O segundo princípio foi de confiabilidade cumpriu a promessa feita a seu amigo Jônatas, por meio de seu filho Mefibosete. E, o terceiro princípio foi o da justiça, o insensato Nabal quase perdeu a sua cabeça por não reconhecer que a liderança de Davi baseava-se em total justiça (ISm 25), em vez de subornos, favoritismos e “panelinhas”. O general Joabe que servia a Davi tão habilmente nas batalhas, mas pecava na falta deste princípio crucial de orientar sua vida pela justiça, como conseqüência perdeu a sua vida. Quarto princípio que fez Davi segundo o coração de Deus. Quando três de seus valentes romperam o arraial dos filisteus para tirar água da cisterna que estava junto a porta de Belém, para que Davi bebesse, Davi não bebeu (IISm 23.15-17). Como um grande líder como foi Davi não se considerava digno de beber da água que foi tirada com o risco de vida para satisfazer seu desejo. Muitos outros exemplos de princípios de liderança poderiam ser extraídos das histórias da vida de homens proeminentes do Antigo Testamento, porém, esses exemplos apresentados devem ser suficientes para destacar o significado do caráter e da maturidade espiritual na vida daqueles que Deus escolheu para servi-lo como líderes. As circunstâncias de hoje são radicalmente diferentes daquelas que envolveram a vida de José, Moisés e Davi, mas, os princípios e verdades que governavam suas ações e atitudes, ainda podem ser mantidos como verdadeiros para os dias de hoje. Observando e refletindo a Palavra de Deus, na vida destes líderes cristãos: como José, Moisés e Davi, temos grandes lições para serem refletidas e praticadas em nossos dias, ainda que o contexto seja diferente, os princípios não mudam, e são indispensáveis para nós que somos chamados por Deus para essa tão importante missão de liderança cristã. Que a coragem, a confiança, a integridade, a humildade, a responsabilidade, a paciência, a fé e o amor de Deus estejam constantemente em nosso viver. Que o caráter de Cristo esteja firmado em nós (Fp. 2.1-9). www.iead-msbc.com.br - 6
  7. 7. Subsídios para Escola Bíblica Dominical Igreja Evangélica Assembléia de Deus - Ministério de SBCampo A seleção dos líderes que Deus quer usar Em nossos dias vemos líderes separando pessoas para a liderança sem estas verdadeiramente, estarem preparadas para assumirem determinadas funções. Muitas vezes somos iludidos a olhar para a postura, eloqüência, inteligência e tantas outras qualidades em pessoas, e, infelizmente, nos esquecemos de orar e esperar a resposta de Deus que conhece a intenção do coração de cada um. Esquecemo-nos de analisar as experiências passadas dos futuros líderes como critério para a liderança; nem analisamos o tempo disponível para saber se realmente o obreiro estará disposto a dedicar na obra. Em nossos dias muitos estão dispostos a ensinar e não mais em aprender, e isto está causando problemas seríssimos na igreja, onde as constantes transformações na sociedade exigem mais dedicação à meditação e ao estudo sério das Escrituras. Por falta desse tempo muitos não se adéquam às novas realidades e, na administração eclesiástica, acabam por perpetuar certos status culturais (costumes) diferentes da realidade atual, causando conflitos de gerações e esquecendo-se de aplicar a essência da Palavra de Deus, e, até mesmo distorcendo-a. E por fim, há muitos líderes com sérios problemas acerca da convicção de suas chamadas. Ao se confrontar com a primeira dificuldade o líder, não perseverante, deixa de lado toda a obra, desistindo sem nenhum temor, como se tudo o que ele conquistara fosse propriedade dele e não do Senhor que o permitiu chegar àquela posição. Nos tempos bíblicos percebemos que os líderes mais bem sucedidos foram àqueles colocados por Deus e segundo o Seu coração. Portanto é viável aguardar a resposta do Espírito de Deus na separação de pessoas maduras para obra dEle (At 13.2-3). Não confundindo a maturidade com a idade. Maturidade tem está relacionado com as grandezas das experiências que passamos na vida e a capacidade de absorvê-las, já idade está relacionada com a quantidade de aniversários que realizamos. Nos dias atuais precisamos de homens dispostos, perseverante e aprovados para a obra de Deus. Para isso, os atuais líderes da igreja precisam, mais do que nunca, rever seus conceitos e critérios a fim de enquadrar-se nas orientações bíblicas. Notemos os critérios de Paulo para o ministério: não pode ser um novo convertido e precisa ter boa reputação (1Tm 3.6-7; Cl 1.28). Tiago escreveu: "Meus irmãos, não vos torneis, muitos de vós, mestres, sabendo que havemos de receber maior juízo" (Tg 3.1). Pedro escreveu para os anciãos na Ásia Menor, indicando que ele tinha em mente os homens mais experientes e aprovados nas igrejas (1Pe 5.1; At 14.23). Hebreus sugere que a função de liderança dos mestres deve ser reservada àqueles que tem estado na igreja por tempo suficiente para serem provados (Hb 5.11-14). A sabedoria ensina que o líder seja maduro, e não infantil. Isso significa que a elasticidade emocional substitui a infantilidade emocional de altos e baixos. A igreja em corinto sofreu da praga de líderes imaturos e infantis que dividiam o corpo de Cristo em facções e criavam tensão através de inveja e de discórdia (1Co 3.1-3). Quando jovens são entregues a posição de liderança eclesiástica gradativamente, e sendo avaliados a cada novo estágio da carreira, com certeza haverá boa qualidade na liderança. www.iead-msbc.com.br - 7
  8. 8. Subsídios para Escola Bíblica Dominical Igreja Evangélica Assembléia de Deus - Ministério de SBCampo Conclusão Ao estudarmos o exemplo de Paulo e de outros grandes homens que Deus escolheu e usou de forma espetacular para a realização de sua obra podemos desejar aquilo que só o próprio Deus nos pode dar, “o desejo de uma bondade que é acesa e alimentada pelo amor de Cristo”. Se... (Douglas Malloch) Se você não puder se um pinheiro no topo da colina, seja um arbusto no vale – mas seja O melhor arbusto à margem do regato. Seja um ramo, se não puder ser uma árvore. Se não puder ser um ramo, seja um pouco de relva, E dê alegria a algum caminho. Se não puder se almíscar, seja então, apenas uma tília – Mas a tília mais viva do lago! Não podemos ser todos capitães, temos de ser tripulação. Há alguma coisa para todos nós aqui. Há grandes obras e outras menores a realizar. E é a próxima a tarefa que devemos empreender. Se você não puder ser uma estrada, seja apenas uma senda, Se não puder se Sol, seja um satélite; Não é pelo tamanho que terá êxito ou fracasso – Mas seja o melhor do que quer que você seja! www.iead-msbc.com.br - 8
  9. 9. Subsídios para Escola Bíblica Dominical Igreja Evangélica Assembléia de Deus - Ministério de SBCampo Referências BÍBLIA. Português. Bíblia de Estudo Pentecostal. Almeida Revista e Corrigida.CPAD, 1995. CARVALHO. Ailton Muniz. Os dez Mandamentos de líder idôneo para o século XXI. São Paulo: Novo Século, 1996. CHAMPLIN, Russell Norman. O Novo Testamento Interpretado versículo por versículo, 1995. GABY. Wagner. Relações públicas para líderes cristãos. Rio de Janeiro: CPAD, 1990. HENRY. Matthew. Comentário Bíblico Novo Testamento Atos a Apocalipse. Tradução: Luis Aron, Valdemar Kroker e Haroldo Janzen. Rio de Janeiro: CPAD, 2008. SHEDD. Russell P. O líder que Deus usa. São Bernardo do Campo, 09 de março de 2010. Carolina Souza da Silva3 Revisão Teológica: Valter Borges dos Santos4 3 Superintendente da EBD – AD Thelma. E-mail: carolinaslv@ig.com.br 4 Evangelista, pastor AD Thelma. E-mail: valtergislene@uol.com.br www.iead-msbc.com.br - 9

×