Enfermeiras 
Objetivos: 
1. Conhecer as estratégias desenvolvidas no PN que preparam as gestantes para o momento 
do parto...
- E o que você acha assim, do grupo de gestante? As atividades? Existe assim, um grupo de gestantes a favor das 
atividade...
E1 [...] no segundo trimestre né, é... final da gestação, aí a gente começa a orientar os cuidados né, essa preparação 
el...
- Queria registrar então, porque, ou pode ser em qualquer idade gestacional, então você realmente faz um... 
E4: Geralment...
você vai orientar quanto a alimentação, isso você já perdeu esse momento, que é quando o bebê está se formando e 
precisan...
seis, [...] acredito e prezo pelo planejamento da família, ela vai vim antes e a gente já pode começar, ela com 
orientaçõ...
Objetivo: 
3. Elencar as atividades realizadas pelos enfermeiros no PN para orientar às gestantes quanto 
aos cuidados pré...
E3: Colhe, aqui mesmo, eu deixo cinco vagas é... Reservadas só pras gestantes, a coleta é realizada aqui na 
Unidade, entr...
E2: Individuais, geralmente como é, é consulta no Pré-Natal a gente não faz orientações coletivas, porque eu não 
tenho gr...
(Falou apenas sobre as orientações que são feitas, falando sobre as contrações, as dores). Relatou que são 
feitas das dua...
- E como foram realizadas essas, esse preparo assim, você teve esse preparo? 
P1: Não. 
- E você queria ter assim, no caso...
- Então essa orientação, como que, é... Como foi orientada é... A enfermeira que lhe orientou todas as informações e 
você...
P6: Primeiro ela pediu pra ter calma, tranquilidade, que vai dar tudo certo e depois que... Depois do corte não 
levantar ...
P7: Senti falta, porque ao invés de me dar seguranças me colocaram medo, aí eu não... Não gostei. 
(Comenta que não recebe...
P10: Não, não. 
- Quem realizou também, então não teve? 
P10: Não (risos) 
- Não. 
P10: Não, porque quando eu cheguei lá n...
(Argumenta que não foram realizadas as orientações, mas a enfermeira tinha lhe dito que seria um parto 
normal e acabou se...
P10: Nada, nada, nada, se eu disser pra você que me deram orientação, tá mentindo, quem me expricou foi uma 
agente de saú...
-É mesmo? 
P6: Eu não podia tirar, toda anestesiada, aí foi horrível. Tinha uma que ia assim e olhava a gente, mas num... ...
P2: Tudo tranquilo 
P3: Não, não, não, foi fácil, pra mim foi fácil, todas as consultas foram marcadas tudo no dia certo, ...
P10: Foi a enfermeira e eu não fiquei pra ir pro... Vinha uma consulta, só uma consulta porque eu não tava mais 
aguentand...
- Deu, não teve assim, diferença nenhuma. E como é que você acha assim, que contemplou como, é... Essas 
orientações. 
P6:...
Analisando o que foi dito 
Primeira categoria 
Questão 1: 
a) P2, P3, P4, P5, P6, P8 foram convergentes. P1, P7, P9, P10 a...
http://www.ufpel.edu.br/cic/2011/anais/pdf/CS/CS_00478.pdf 
http://www.unicruz.edu.br/seminario/artigos/saude/A%20ADES%C3%...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Categorias maria

0 visualizações

Publicada em

atitudies

Publicada em: Alimentos
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
0
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Categorias maria

  1. 1. Enfermeiras Objetivos: 1. Conhecer as estratégias desenvolvidas no PN que preparam as gestantes para o momento do parto. 2. Identificar em que momento do PN as gestantes são preparadas para o parto; Categoria 1: Preparo das gestantes para o momento do parto: estratégias desenvolvidas no Pré-Natal. Questões: 1. Exemplifique as estratégias realizadas no PN, falando sobre cada uma delas. São efetivadas visitas domiciliares, consultas, ou formação de grupos das gestantes? E1: Olha, a gente tem formado grupos aqui de gestantes no dia do próprio Pré-Natal, porque a demanda é grande, então a gente consegue, é... Reunir essas gestantes pra uma sala de espera, então nessa sala de espera a gente consegue, estamos conseguindo realizar palestras educativas né, com temas voltados dentro, dentro da, da gestação, o que, aleitamento, cuidados com, é... A gente fala dos cuidados no pós-parto, no pré-parto, é... Durante a internação, encaminhamento hospitalar, tudo isso é falado na verdade durante todo o acompanhamento né, então ela já sai daqui sabendo tudo. (Salienta sobre o elevado número de gestantes e além das consultas individuais, realiza salas de espera com a demanda do dia). Ela não organiza grupos de gestantes. E2: É devido a demanda que eu tenho na unidade, é como eu expliquei para ela a gente não tem grupo de gestantes aqui, pelo menos a gente não teria devido a quantidade de gestante, você fazer um grupo de gestante com 40, 35 gestantes é impossível porque, ou você atende Pré-Natal ou você faz um grupo. A questão de visitas domiciliares de gestante a gente não costuma fazer porque não tem necessidades, sempre tem um contato com essas gestantes no Pré-Natal na própria unidade. (Enfermeira que salienta a demanda elevada de gestantes e, por conta disso, ela prioriza o atendimento individual no PN). E3: Formação de grupos, eu ainda não tenho implantada aqui na Unidade, até porque, eu to, só tenho quatro meses aqui na Unidade. - Mas ai, você já trabalha no Pré-Natal há mais tempo né? E3: Trabalho no Pré-Natal há mais tempo, porque eu trabalhava lá no ambulatório, então fazia só Pré-Natal, no PACS, tinha dia que eu fazia oito consultas de manhã, oito consultas de tarde. - Só em gestantes? E3: Só gestantes. - E você já tem quanto tempo trabalhando com acompanhamento Pré-Natal? E3: Acompanhando Pré-Natal, cinco anos. Porque eu tenho cinco anos no município, tenho cinco anos acompanhando Pré-Natal também né, porque eu...E3: Não, eu tenho menos de um ano aqui nessa Unidade, agora com... No PSF, na estratégia de Saúde da Família, já tenho cinco anos. - Ah tá, aí, então... E visitas domiciliares você realiza? Visitas domiciliares pras gestantes? E3: Realizo, acompanhando todo o Pré-Natal, se por um acaso, a gestante é... Não puder por algum motivo, por exemplo... Descolamento de placenta, algum motivo delicado, a visita, eu realizo em domicilio e depois que a gestante parir, eu realizo a primeira visita domiciliar com sete dias, às vezes não dá pra ser com sete dias, porque, o carro, eu, eu não tenho disponibilidade, se for longe não tenho como ir a pé, se for perto eu até vou a pé, mas, no mais tardar, com quinze dias, no caso né, na outra semana eu, vou na casa da gestante. - No caso, uma gestante que precisar de uma visita domiciliar dar um jeito aí, e você vai logo, porque já sabe que é um caso que não pode esperar. Enfermeira realiza consultas individuais e VD, se necessário. Não tem grupos de gestante organizado e atribui isso ao pouco tempo que a mesma possui na USF. E4: Bem, a formação de grupos a gente tem, a gente procura fazer as atividades no dia da consulta porque já aproveita as que estão aí né, e aí convida as outras, as consultas, deixa eu ver se entendi a sua pergunta, acontecem mensalmente, é o foco pra a gestante, é a orientação tá, a gente faz a consulta de exame físico e avaliação da mulher. Mas o foco é a orientação né, pensando sempre na prevenção, tanto é uma consulta relativamente demorada, é uma consulta que a mulher tá muito interessada, nas consultas então, tem muitas perguntas, então assim, a gente procura não lotar o dia com mulher, que a gente não vai ter condição de fazer uma escuta terapêutica tá, escutar a mulher, realizar as atividades que elas precisa. Aqui as consultas acontecem comigo e com a médica da Unidade, passa pela médica da Unidade no inicio e no final da gestação, se houver necessidades no meio do caminho a gente encaminha também. Respondeu a pergunta? - Respondeu, agora... É realizada as visitas domiciliares as gestantes? E4: Bom, as visitas domiciliares para as gestantes só se houver a necessidade tá, só se ela tiver impossibilitada de vim, aí a gente faz a visita, não é uma rotina. Então a gente em 3 ou 4 vezes que fez em uma na aldeia, ela tava o que, distante, ela não tinha transporte, ela tinha tido um sangramento importante, aí a gente foi fazer, mais não é uma rotina.
  2. 2. - E o que você acha assim, do grupo de gestante? As atividades? Existe assim, um grupo de gestantes a favor das atividades? E4: Existe no grupo de gestantes a gente procura fazer às orientações e, assim, tentar separar por idade gestacional, que cada idade gestacional é uma dúvida tá, então, a gente tem o apoio do NASF e a fisioterapeuta sempre vem pra fazer uma orientação de postura, alongamento, pra dar conforto, como levantar da cama, que elas sofrem câimbra de nó, que ela sempre reclama que a coluna tá doendo, então a fisioterapeuta vem, a nutricionista vem, já veio a psicóloga, mas assim, não é tão frequente, e a gente vai dando orientações de enfermagem, mudanças no corpo, quais são os sintomas mais frequentes, o que fazer pra resolver, porque isso é uma das queixas durante as consultas, é as vezes quando a gente tem um grupo de gestante que essas dúvidas a gente já resolve lá, e agente otimiza o tempo da consulta aqui. Então, ajuda a gente também o grupo de gestante, mas, contando, é mais ou menos assim, e também a gente costuma perguntar. Ai meu Deus, a gente vai falar o que? Na próxima atividade a gente pergunta e aí, na próxima, ai eu quero saber do banho do bebê, trás a bonequinha, trás a bacia. Elas simulam como é que faz o banho. É mais ou menos assim. Prioriza consultas individuais e desenvolve atividades educativas no dia da consulta (sala de espera). Realiza VD se houver necessidade. Conta, eventualmente, com o apoio dos profissionais do NASF nas atividades educativas e, portanto, foca as discussões mais na área de enfermagem, otimizando o tempo gasto nas consultas. E5: Olha, a Unidade fica em média durante todo ano entre 11 a 13 gestantes/mês, sendo que essas consultas hoje é realizada através da enfermeira, da médica e também com a odontologa da Unidade e temos também o apoio do NASF, a questão do grupo de gestante, nós tentamos até realizar com o apoio do NASF né, algumas palestras, consultas onde as consultas tiveram grande êxito e as palestras não, então nós preferimos inserir as gestantes nas palestras, juntas com as demais pessoas da comunidade, devido ser um grupo pequeno, certo, então a gente realizou rodas de conversas, temas específicos e não específicos onde é esclarecido é... Dúvidas sobre é... Os cuidados com a saúde, em relação ao Pré-Natal nós anualmente realizamos com as gestantes, é... Palestras de valorização a vida, cuidados com o recém-nascido certo, através de palestras e aproveitamentos essa oportunidade, já é o quarto ano que realizamos isso para fazermos distribuições de kits de gestantes né, isso som o apoio intersetorial do Centro Espírita Jesus Verdade e Vida, que nos apoia na coesão desse programa que essas palestras são realizadas por mim e por outra profissional que faz a parte da valorização da vida, eu geralmente fico com o tema específico que é o cuidado com recém-nascido e o Planejamento Familiar o que é muito importante no Pré-Natal, a gente foi divulgar a importância do Planejamento Familiar e esclarecer os métodos que nós dispomos na Unidade de Saúde. - E são efetivadas visita domiciliar a... Essas gestantes? E5: A questão da visita domiciliar à gestante é realizada caso haja necessidade, mas a visita, ela fica mais no período do puerpério, quando a gestante ela tem alguma, uma baixa adesão ao Pré-Natal é, que a equipe busca a realização dessa visita, mas essa visita mensalmente é realizada pelo Agente Comunitário de Saúde. Realiza consultas individuais do PN, assim como o médico e dentista da USF, além de contar com o apoio do NASF em consultas, visto que a realização de grupos não teve êxito, devido ao pequeno número de gestantes. Assim, as atividades educativas se resumem à rodas de conversa juntos com outros usuários da unidade. Realiza atividade educativa com o apoio de um Centro Espírita situado na comunidade. Questão 1: a) E1, E4 apresentaram convergências nas respostas. E2, E3, E5 também convergentes em suas respostas. b) E1 não respondeu. E2 foi divergente. E3, E4, E5 foram convergentes. 2. Acha necessária a existência de um momento específico do PN em que as gestantes deverão ser preparadas para o parto? Ou pode ser em qualquer idade gestacional? E1: A gente deixa mais assim, pro segundo trimestre né, é... Pra o final da gestação, aí a gente começa a orientar os cuidados né... A preparação que elas devem ter, isso do segundo trimestre pra o final. - É que elas também... Recebeu muitas informações... E1: Muitas informações no primeiro né... E assim, já vêm à fase de adaptação né, os três primeiros meses são complicados, elas, algumas já vêm assim, não aceitando muito bem a gestação então a gente tem que preparar psicologicamente ela pra esse momento, as adaptações do corpo, então quando elas aceitam, começam né, a abraçar essa questão é que elas vão começar a se preocupar com o parto né, já começa a relatar essa preocupação com o parto, os cuidados, as modificações com o corpo. - Elas recebendo essa orientação aí vai receber uma orientação mais para o parto? E1: Isso. E1 (Relata que esse momento deixa para o segundo trimestre, no final da gestação, até porque as gestantes recebem muitas informações é a fase da adaptação, tornando os três primeiros meses da gravidez muito complicados algumas não aceitando bem a gestação necessitando ser preparada psicologicamente para esse momento).
  3. 3. E1 [...] no segundo trimestre né, é... final da gestação, aí a gente começa a orientar os cuidados né, essa preparação elas devem ter do segundo trimestre pra o final [...] . Muitas informações no primeiro né, à fase da adaptação né, os três primeiros meses são complicados, [...] algumas não aceitando muito bem a gestação então a gente tem que preparar psicologicamente ela pra esse momento [....] quando elas aceitam, começam né, se a preocupar com o parto. E2: A partir do 5º mês a gente já orienta ela quanto ao parto... E2: Aí já está mais próximo, não adianta na 1ª semana você ficar orientando quanto ao parto que é coisa que vai acontecer muito depois né... E2: A partir do 5º mês a gente orienta quanto ao trabalho de parto porque, porque tem muitas pessoas que pode ter um parto pré-maturo e não sabe os sintomas, a partir do momento que ela começa ter esses sintomas. E2 (Menciona que orienta as gestantes quanto ao trabalho de parto a partir do 5º mês de gestação, devido está mais próximo e poderá ocorrer um parto prematuro e as mesmas não saber os sintomas). E2 [...] do 5º mês a gente orienta ela quanto ao parto. [...] já está mais próximo, não adianta você ficar orientando quanto ao parto que é coisa que vai acontecer muito depois né, [...] tem muitas pessoas que pode ter um parto prematuro e não sabe os sintomas. E3: Em qualquer idade gestacional, porque todo mês a gestante chega aqui com uma dúvida do parto, todo mês ela tem a mesma dúvida: Ô doutora, eu vou ter parto normal? Principalmente aquela que já colocou na cabeça, já senta aqui na primeira consulta, eu vou parir normal, eu vou parir cesariana. Sim, porque você vai parir cesariana? Mas, é com medo de sentir dor, porque fulana de tal pariu normal e não teve tal complicação, então elas já vão com o estigma da dor na cabeça, não tem nem preocupação com o bebê, as vezes tem horas que parece num ter nem preocupação com o bebê que há ali não sabe? Mas a preocupação é que vai doer, que ela não vai suportar a dor, já chega aqui com essa coisa na cabeça. - E é o que mais acontece lá na sala de pré-parto é isso mesmo, que ela já chega assim sabendo que não vai é... Suportar essa dor. E3: Tanto que depois, as vezes muito, eu e aí? Como foi? Doeu muito, mas outras, eu tive uma recentemente que, sapateou na maternidade, veio aqui me contar, no dia do teste do pezinho, ela veio aqui me contar que ela sapateou na maternidade, que foi uma dor insuportável, mas ela já dizia isso na consulta e por mais que dizia a ela, fulana tem calma, deixa a hora chegar, num é assim, num fica pensando, achando que vai ser assim, ela já colocou na cabeça dela que ia ser insuportável, traumatizou aquilo e... E3: Foi, não... É muito difícil tirar, por mais que a gente oriente, é muito difícil tirar, tirar esse pensamento da gestante. E3 (Afirma que essas orientações podem ser realizadas em qualquer idade gestacional, pois a cada consulta do PN a gestante chega com dúvida relacionado ao parto, esquecendo do bebê para se preocupar com a dor, procuraram saber de alguém como foi e é muito difícil mudar esse estigma, algumas retorna relatando seu comportamento na maternidade). E3 [...] qualquer idade gestacional, porque todo mês a gestante chega aqui com uma dúvida do parto, [...] já questiona na primeira consulta, eu vou parir normal, eu vou parir cesariana, [...] é com medo de sentir dor, porque fulana de tal pariu normal e não teve complicação, então elas já vão com o estigma da dor na cabeça, [...] nem se preocupa com o bebê que há ali, [...] a preocupação é que vai doer que ela não vai suportar a dor, [...] é muito difícil tirar esse pensamento da gestante. E4: Eu acho, isso não, assim... Isso não acontece durante todo Pré-Natal, mas em especial no final a gente procura tirar as dúvidas quanto ao parto tá, então assim, é... Pergunta pra ela, orienta ela né, enfim, quando surge, inicio de sinais que podem sugerir, porque tem muita coisa no trabalho, ao trabalho de parto, elas acha que não parir acaba ou não parindo, a gente procura fazer essa orientação no finalzinho né, não vou dizer que é uma coisa que a gente faz desde o inicio, mas no finalzinho do parto a gente procura fazer essa orientação...
  4. 4. - Queria registrar então, porque, ou pode ser em qualquer idade gestacional, então você realmente faz um... E4: Geralmente a gente faz a não ser que seja uma dúvida precoce, a não ser que ela pergunte antes do final, porque é como eu falei, a gestante tem muitas dúvidas, se a gente for dar todas as orientações, essas orientações vão se perder pelo caminho né, é a dúvida da mama, é a dúvida do bebê, é muita dúvida, então a gente procura né, separar por período gestacional se não a gente fala muito e tem poucas novidades que elas não associam. E4 (Ressalta que não acontece durante todo o Pré-Natal, apenas no finalzinho, e quando as gestantes querem tirar as dúvidas, a não ser que seja uma dúvida precoce). E4 [...] não acontece durante todo PN, mas em especial no final a gente procura tirar as dúvidas quanto ao parto, [...]quando surge, início de sinais que podem sugerir, porque tem muita coisa no trabalho de parto. E5: É... - Como se comportar na sala de parto, então do, pré-parto. E5: É... Elas devem ser preparadas sim e orientada e também existe a questão do apoio familiar porque eu vejo que a gestante e puérpera, onde ela teve um apoio familiar do esposo ou companheiro e também da família, ela busca essa dor de forma mais harmoniosa, mais tranquila, mas a falta de apoio, a falta de, de estrutura, não só familiar como também, muitas vezes financeira acaba aglomerando nessa gestante um estado psicológico que essa dor que ela manifesta no momento do parto, é uma dor não só pelo parto, como uma, uma responsabilidade porque sabemos que filho... Não existe ex-filho, filho é para sempre, então a responsabilidade, é um momento de transformação na vida dessa mulher, então muita coisa tá passando no psicológico dela e ela acaba é... Manifestando uma forma de dor muitas vezes, fora do normal, fora do que o profissional de saúde espera, mas muitas vezes é uma forma de externar o sofrimento psicológico o qual ela vem enfrentando, devido esse apoio, essa estrutura não só psicológica como também financeira. E5 (Salienta que devem ser preparadas, orientadas, ressalta também a questão do apoio familiar que em sua opinião, faz com que as gestantes busquem a dor do parto de uma forma mais harmoniosa, sendo um momento de transformação na vida da mulher, muita coisa tá passando no psicológico dela, por isso acaba manifestando uma dor fora do que o profissional de saúde espera). E5 [...] devem ser preparadas sim e orientada e também existe a questão do apoio familiar porque eu vejo que a gestante onde ela teve o apoio familiar, [...] ela busca essa dor de forma mais harmoniosa, mais tranquila, [...] é um momento de transformação na vida dessa mulher, então muita coisa tá passando no psicológico dela e ela acaba é... [...]. Manifestando uma forma de dor muitas vezes, fora do normal, [...] de externar o sofrimento psicológico o qual ela vem enfrentando. 3. O Ministério da Saúde preconiza seis consultas durante o PN, em sua opinião esse número é satisfatório? Deveria ser um número maior ou dá para contemplar um bom acompanhamento? E1: Eu acho que assim, deveria ser maior, se elas começassem o Pré-Natal, logo assim que descubram né, que estão grávidas, normalmente ela tem chegado aqui com três meses já, quatro meses, então acaba né, sendo um número pequeno, a gente acaba fazendo até menos né, então assim é... A partir de trinta e oito semanas elas começaram a fazer de quinze em quinze, acaba sendo uma quantidade satisfatória. E1 (Defende que deveria ser maior, até porque as grávidas não estão começando o PN assim que descobrem a gravidez, normalmente chegam para essas consultas no primeiro trimestre ou até mais ficando assim um tempo muito curto, com isso quando está no terceiro trimestre as consultas são realizadas no intervalo menor para que se obtenha um bom acompanhamento). E1 [...] deveria ser maior, se elas começassem o PN, logo assim que descubram né, que estão grávidas, [...] chegam aqui com três meses já, quatro meses, [...] fazendo até menos né, [...]. A partir de trinta e oito semanas elas começaram a fazer de quinze em quinze, acaba sendo uma quantidade satisfatória. E2: É suficiente e satisfatório, embora tem muita gestante que ela só vem fazer o Pré-Natal depois de dez, eu tenho gestante com vinte semanas, ela chega pra mim então é impossível você querer recuperar aquele tempo perdido, que é aquele momento importante do primeiro semestre, que é quando você orienta a questão do ácido fólico, que
  5. 5. você vai orientar quanto a alimentação, isso você já perdeu esse momento, que é quando o bebê está se formando e precisando de uma assistência né, unicamente, mais aí quando vem no inicio é suficiente. E2 (Enfatiza que é suficiente e satisfatório, apesar das gestantes chegarem para esse acompanhamento após o primeiro trimestre, impossibilitando a recuperação do tempo perdido, momento único onde são realizadas as orientações sobre a questão dos medicamentos e alimentações, porém quando inicia essas consultas assim que descobre a gravidez o tempo é suficiente). E2 [...] suficiente e satisfatório, embora tenha gestante que ela só vem fazer o PN depois de dez, eu tenho gestante com vinte semanas, [...] impossível você querer recuperar aquele tempo perdido, [...] você orienta a questão do ácido fólico, que você vai orientar quanto a alimentação, isso você já perdeu esse momento, [...] mais aí quando vem no inicio é suficiente. E3: Eu não acho bom para acompanhamento, só seis consultas de Pré-Natal, até porque as gestantes, elas não, não, elas não... Mas se quando você parar de vim, você tiver uma complicação? E a enfermeira que tava acompanhando aquele, aquele Pré-Natal? Que responsabilidade ela tem uma daqui, uma Dalí? E3: Quem foi a enfermeira que fez o Pré-Natal, porque que ela lhe liberou? Então as minhas gestantes eu só libero depois que pare. E3: Antes disso, tá lá e quando elas não vêm, eu coloco no cartão do Pré-Natal, paciente faltou a consulta, pra não pensar que, porque quando a paciente chega na Unidade, ela fala o que quer, de qualquer profissional, então pra isso não acontecer, eu coloco lá, a paciente não compareceu a consulta, solicitado exame tal data, paciente não trouxe até a presente data. Os nove meses de gestação, até porque tem gestante que não chega, tem gestante que chega aqui com cinco meses. E3: É um Pré-Natal tardio, um Pré-Natal que você não faz com tanta segurança, porque, é, é... Ela já ficou é, é... O primeiro trimestre todo né. E3: Sem o acompanhamento, você não sabe, você vai descobrir a partir daquela gestante, então como é que só são seis consultas de Pré-Natal preconizadas pelo Ministério. Independente de qualquer coisa, tem que ter uma consulta por mês. E3 (Argumenta que esse número de consultas não é satisfatório, até porque quando essa gestante completar as consultas preconizadas sendo liberada do PN, e a mesma desencadear uma complicação a profissional poderá ser responsabilizado essa liberação deverá ocorrer no período do puerpério, além disso, muita gestante só começa a fazer essas consultas já no segundo trimestre ficando tardio e não é realizado com tanta segurança independente da situação é sugestiva uma consulta mensal durante os nove meses). E3 [...] não acho bom para acompanhamento, só seis consultas de PN, [...] quando você parar de vim,você tiver uma complicação? [...] a enfermeira que fez seu PN,porque ela lhe liberou? Então as minhas gestantes eu só libero depois que pare. [...] elas não vem, eu coloco no cartão do PN, paciente faltou a consulta, pra não pensar que, porque a paciente chega na Unidade, ela fala o que quer , de qualquer profissional, [...] tem gestante que chega aqui com cinco meses. [...] tardio, um PN que você não faz com tanta segurança, [...] tem que ter uma consulta por mês. E4 (Enfatiza que a realização das consultas preconizadas tem condições sim de atender bem essa gestante mas para que isso aconteça, essa gravidez precisa ser planejada começando um acompanhamento no PN logo no inicio da gestação acreditando sempre no planejamento familiar). E4 [...] seis consultas, a gente consegue fazer uma boa orientação, [...] a gestação ela tem que ser planejada se ela for planejada a mulher vai vim antes até de engravidar, então, vai começar o PN bem cedinho e vai fazer mais de
  6. 6. seis, [...] acredito e prezo pelo planejamento da família, ela vai vim antes e a gente já pode começar, ela com orientações antes mesmos de engravidar. E4: Eu acho que seis consultas, a gente consegue fazer uma boa orientação, com a gestante, eu acho né, acontece que eu acho que a gestação ela tem que ser planejada e se ela for planejada se a mulher vai vim antes até de engravidar, então, vai começar o Pré-Natal bem cedinho e vai fazer mais de seis, entendeu? Então assim, é... Eu acho que seis consultas se a gente tiver assim, condição de atender bem essa gestante, consegue orientar ela direitinho, mas como eu acredito e prezo pelo planejamento da família, ela vai vim antes e a gente já pode começar, ela com orientações antes mesmo de engravidar, pelo planejamento familiar. Todo mundo só vem para evitar (risos) num é?! (É um número satisfatório, consegue fazer uma boa orientação com a gestante, acontece que a gestação tem que ser planejada, com isso a mulher vai vim antes até de engravidar, então vai começar o Pré-Natal bem cedinho, para a enfermeira, seis consultas se houver condição de atender bem essa gestante, consegue orientar direitinho, contando sempre com o planejamento familiar). E5: Ah, essa, esse número, ele é satisfatório, haja visto que existe mulheres que nós realizamos nove, dez, doze consultas de Pré-Natal, porque existe a gestação onde a mulher devido a fatores externos, ela tem um... Uma necessidade das consultas de Pré-Natal, não só pra fazer o acompanhamento à gestação como também para receber um apoio psicológico pra que esta gestação tenha a termo e não seja interrompida, porque hoje a gente sabe que a falta de preparação, a falta muitas vezes do apoio familiar, de uma religião, leva a uma gestante a não deixar que sua gestação venha a termo por causa de... Desses fatores que muitas vezes, vem fazer com que venha a risca e pause negativa no que diz respeito a uma gravidez, então existe mulheres que no primeiro trimestre necessita de um número maior de consultas, muitas vezes pra apoiar a aceitação da gestação e outra que no final da gestação, que já é um período mais delicado principalmente no terceiro trimestre, onde vem despertar um desconforto maior, por conta da gravidez. Há uma necessidade de apoio e um acompanhamento não só em relação a gravidez, a gestação, como também, no estado dessa mulher, no estado emocional, no estado da, da, da questão que alguma apresenta, é raro, muitas vezes acontece a questão nutricional, onde vai acarretar hipertensão, as vezes uma diabetes gestacional e outras coisas então é de fundamental importância que o profissional de saúde saiba detectar quando a gestante, ela necessita de seis consultas e quando a gestante necessita de mais consultas e assim, o Ministério preconiza um intervalo entre essas consultas, mas aqui nós trabalhamos com acolhimento e se a gestante necessitar de duas consultas na semana, três consultas na semana, nós realizamos, porque é um momento especial, nós não estamos atendendo apenas uma pessoa, e sim a uma mãe e um filho, mesmo estando em vida uterina, já é um ser né, que vem ao mundo, requer uma atenção especial, não devemos rotular, você tem direito a X consulta e sim que a... A mulher tenha a abertura com o profissional de saber que ela é acolhida, no momento que ela achar que necessita de um atendimento. E5 (Destaca que é satisfatório, tendo em vista que há mulheres que realizam nove, dez, doze consultas de PN, alguma gestante devido a fatores externos necessita não só do acompanhamento da gestação mas também para receber um apoio psicológico, algumas precisam de um número maior de consultas para que aceite bem essa gestação já outras é mais no terceiro trimestre período delicado existindo uma necessidade de apoio não só em relação a gravidez mas também no emocional, fundamenta a importância do profissional de saúde detectar se essa gestante necessita de seis ou mais consultas e não sendo rotuladas). E5 [...] é satisfatório, haja vista que existe mulheres que nós realizamos nove, dez, doze consultas de PN, porque existe a gestação onde a mulher devido a fatores externos, [...] receber um apoio psicológico,[...]existe mulheres que no primeiro trimestre necessita de um número maior de consultas, muitas vezes pra apoiar a aceitação de gestação e outra no final da gestação. [...] uma necessidade de apoio e um acompanhamento não só em relação a gravidez, gestação, como também, no estado dessa mulher, no estado emocional, [...] é de fundamental importância que o profissional de saúde saiba detectar quando a gestante, ela necessita de seis consultas e quando a gestante necessita de mais consultas e assim, [...] não devemos rotular, você tem direito a X consulta e sim que a... A mulher tenha abertura com o profissional de saber que ela é acolhida, no momento que necessita de um atendimento.
  7. 7. Objetivo: 3. Elencar as atividades realizadas pelos enfermeiros no PN para orientar às gestantes quanto aos cuidados pré-parto e para o parto. Categoria 2: Cuidados no pré-parto e para o parto: atividades realizadas pelos enfermeiros para a orientação das gestantes. Questões: 4. Como é realizada a organização das primeiras consultas ao PN? E as subsequentes? E1: É... Porque assim, uma vez ela já tendo feito o teste né, de gravidez, confirmada, trazendo até nós, a gente agenda essa primeira consulta, onde será dada toda orientação, iniciais à gestação, que elas precisam saber de inicio né, solicitado exames de rotina, sorologias, é... prescrita medicação estabelecidas dentro do protocolo né, do Ministério da Saúde e agendado, verificar também cartão de vacinas e agendado as próximas consultas para acompanhamento, é feito na verdade um cadastro dela... - Dessa paciente, dessa gestante? E1: Isso... - E as subsequentes, aí você já deixa agendada, ou os ACS... E1: Não, isso aí são feitos agendamentos que à medida que ela faz a primeira consulta, ela já faz aqui com as subsequentes agendadas no cartão da gestante. (A organização das primeiras consultas é feita por meio de agendamento, onde serão dadas todas as orientações iniciais, solicitados exames, sorologias, prescrita medicações estabelecidas dentro do protocolo e verificar o cartão de vacinas). As subsequentes são agendadas nas consultas anteriores. E2: É agendamento e a consulta agendada é uma consulta que demora em média quarenta minutos, a gente não pode simplesmente esperar a gestante chegar e querer marcar naquele dia, de acordo a minha agenda eu agendo a 1ª consulta. - Certo, e as subsequentes? E2: Aí eu programo de acordo com geralmente 30 dias. - E é você que agenda ou é os ACS? E2: Até trinta e cinco semanas a gente coloca mensalmente a partir daí a gente coloca quinzenalmente, a depender da situação ou da necessidade até semanalmente no final da gestação. (Diz que as consultas vão de acordo à agenda da enfermeira e demoram uma média de quarenta minutos). A subsequente é programada com geralmente trinta dias, até trinta e cinco semanas são colocadas mensalmente, depois quinzenalmente e a depender da situação ou necessidade pode ser fe ita até semanalmente no final da gestação. E3: A primeira consulta de Pré-Natal é marcada na Unidade, toda segunda-feira né, se ela chegar um outro dia da semana que eu não esteja tão cheia de paciente, eu já agilizo logo a consulta, na primeira consulta s ão solicitados todos os exames laboratoriais, as sorologias necessárias, quando a paciente chega no primeiro trimestre é introduzido logo o ácido fólico e já chegado o segundo semestre em diante é introduzido o sulfato ferroso, caso ela não tenha nenhum tipo de alergia né, a medicação e ela já sai de cada consulta com a subsequente agendada para aquela data, sempre dia de segunda-feira ou de manhã ou de tarde, dependendo do tempo da gestante e aí os exames solicitados, ela trazer sempre, numa consulta, os laboratoriais são realizados aqui na Unidade... - Colhe aqui mesmo?
  8. 8. E3: Colhe, aqui mesmo, eu deixo cinco vagas é... Reservadas só pras gestantes, a coleta é realizada aqui na Unidade, entrega o resultado com oito dias e... É... Os exames, as sorologias, é encaminhada pro LACEN. - Então, aí quando ela vem fazer a primeira consulta, ela já colhe os exames aqui... E3: Ultrassom é... A marcação é realizada aqui na Unidade, eu disponibilizo duas vagas, é pouco, mas... Eu tenho que dá prioridade também aqui na Unidade. - Então, as subsequentes, você já deixa agendado... E3: Já deixo agendado, ela já sai daqui com a consulta subsequente marcada, não precisa nem voltar, não tem o desconforto de... (Salienta que a primeira consulta é marcada na Unidade, toda segunda -feira, nela são solicitados todos os exames laboratoriais, as sorologias necessárias, no primeiro trimestre é introduzido o acido fólico e no segundo semestre o sulfato ferroso). As gestantes saem de uma consulta com a subsequente agendada, não tendo o desconforto de voltar outro dia apenas para marcar. E4: O agendamento é feito na recepção é... Qual é a preocupação que a gente tem quanto a 1ª consulta?! Quanto tempo essa mulher tem de gestação né, então se ela já tá um pouco mais adiantada tem que encaixar ou até fazer no mesmo dia dependendo da disponibilidade, do contrário a gente agenda em tempo hábil né, em média de 15 dias a 3 semanas ela pode tá esperando o tratamento da 1ª consulta do Pré-Natal, dependendo do período de gestação que ela tem. - E as subsequentes? Realiza como assim? E4: Mensalmente, e quando vai chegando no final da gestação, a gente faz a cada 15 dias e dependendo da gravidez, mulher pode ser toda semana, apesar de que o sistema não aceita consulta semanal, aí consta como a mínima entre as consultas, mais ainda assim, mesmo que o sistema não mande, se essa mulher precisar a gente faz outra semana. (Diz que o agendamento é feito na recepção, tendo sempre a preocupação com o tempo de gestação de cada mulher, se ela tá um pouco mais adiantada tem que encaixar ou até fazer no mesmo dia, do contrário, agenda em tempo hábil, média de quinze dias a três semanas ela pode tá esperando o tratamento da primeira consulta do Pré-Natal). As subsequentes são realizadas mensalmente, e quando vai chegando no final da gestação feita a cada quinze dias e dependendo da gravidez pode ser toda semana. E5: A organização da 1ª consulta do Pré-Natal, é organizada a partir do Agente Comunitário de Saúde que identifica na área a gestante, encaminha para a Unidade, é feito um agendamento da consulta de Pré-Natal, onde tem um atendimento na 1ª consulta tanto por parte da enfermeira quanto da médica da Unidade, nessas consultas é... Existe a questão de quando a gestante chega a Unidade, ela é acolhida, é feito logo um agendamento ou a realização da consulta, nós idealizamos fazer uma semana típica. Porém, não ingressada, porém não onde as consultas de Pré- Natal por parte da enfermeira ou da médica é realizada na sexta-feira, mas caso a gestante compareça a unidade em outro dia ela também é atendida. - E as subsequentes, é o ACS que agenda? Ela vem aqui para agendar ou é você que deixa agendada? E5: A segunda consulta na realização da 1ª consulta já fica agendada no cartão da gestante a consulta subsequente. (Argumenta que a primeira consulta é organizada pelo Agente Comunitário de Saúde que identifica na área a gestante, encaminha para a Unidade, é feito um atendimento tanto da enfermeira quanto da médica da Unidade). As subsequentes são agendadas no cartão da gestante nas consultas anteriores. 5. Descreva as atividades que são realizadas no PN para orientar as gestantes quanto aos cuidados para o pré-parto e o parto? Essas orientações são individuais ou coletivas? E1: Olha só, eu tenho até pedido aos agentes, a gente tem colocado eles pra fazer sala de espera e eu também faço, dô orientação individual e eles fazem demonstrações na prática mesmo né, o que é que tem que ser feito, quando tem que ser feito, como, né, demonstrações, agora é... Não é um... Sempre assim, toda semana porque a gente não tem como tá fazendo isso. Eu faço toda segunda-feira Pré-Natal, mas nem sempre a gente consegue organizar, uma semana, um pós-semana, pra tá fazendo né, mas a medida do possível, a gente faz essa sala de espera, com demonstrações práticas né, e orientação. - E essas orientações são individuais ou em grupo? E1: Em grupo e individual também, feita por mim durante a consulta. (Afirma que as atividades são realizadas pelos Agentes Comunitários de Saúde, sendo sala de espera, orientações e demonstrações práticas que não são rotineiras e sim quando possível ). São realizadas as orientações individuais e as demonstrações em grupo.
  9. 9. E2: Individuais, geralmente como é, é consulta no Pré-Natal a gente não faz orientações coletivas, porque eu não tenho grupo de gestantes. - Ah tá. E2: Quando a gente tem grupo de gestante a gente foca a questões do coletivo... - Unhum. E2: Mas como é a consulta do Pré-Natal individual aí as informações são feitas individualmente. - Certo. E2: O pré-parto a gente orienta sempre nas últimas semanas, a gente orienta no pré-parto quanto à mama, a questão da amamentação, certo... - É como assim, como ela se comportar na sala do pré-parto e na sala de parto em si. E2: Não, a gente orienta quanto a questão do trabalho de parto, quais são os sintomas, sangramento, perdas de líquidos, as cólicas, as dores, as contrações, a gente orienta né, chegando este momento procurar a maternidade. Agora quanto aos cuidados lá no parto, eu não posso dizer por que eu não estou presente nesse momento... (A enfermeira não descreveu as atividades realizadas, apenas disse que orienta no pré-parto quanto à mama, a alimentação, fala sobre os sintomas, sangramento, a perda de líquido, cólicas, dores e contrações). As orientações são feitas individuais, até porque ela ainda não possui grupos de gestantes. E3: É... Como eu não tenho nenhum grupo de gestantes ainda na Unidade, as orientações são individuais, aqui na sala de parto mesmo. Normalmente as dúvidas das gestantes começam a surgir logo na primeira consulta, ela já chega cheia de dúvida, tem mais dúvida de como é o parto, de como o parto vai acontecer, do que, da gestação em si, dos nove meses que ela vai levar, mas eu sempre oriento, é... Como começa, como evolui a c ontração, como vai, como é que se diz, como ela vai evoluir, de quanto em quanto tempo tem que tá olhando no relógio, contando a contração, pra gestante não precisar ir logo pro hospital, aí essa orientação eu dou no consultório mesmo, durante a consulta. - Porque uma das principais dificuldades hoje, do pessoal dos profissionais de, da maternidade é essa aí, o acompanhamento dessa paciente, dessa gestante, no, na sala do pré-parto. Porque umas querem se jogar da cama, do, do leito, outras querem... Até falam em se matar, outras querem fugir, então aí a gente fica pensando assim, quais as estratégias desenvolvidas no, se tem alguma orientação no pré-parto, no Pré-Natal, pra essas gestantes. E3: Tem assim, orientação, às vezes, é muito complicado, porque assim a gente faz parte de uma rede de enfermeiros, então,o que acontece com uma gestante, ela acha que vai, a outra quando passa, uma quando vai passando pra outra e principalmente aí na sala do, de espera do Pré-Natal, fica uma achando que vai acontecer, porque fulana de tal foi e não teve médico, porque fulana de tal foi e não tinha anestesista e isso vai gerando uma série de complicações na cabeça da própria gestante. Quando ela chega na maternidade, ela já chega cheia de ansiedade, cheia de medo e ainda tem a dor do parto que não é, é... como é que se diz, insuportável, principalmente pra quem tem um linear de dor baixo né, então por mais que a gente oriente no Pré-Natal, que não precisa, que ela tem que ficar tranquila, se sentir segura, que tá tudo direit inho durante o Pré-Natal. Eu acho importante mostrar pra ela que o exame não deu nada, é importante tá afirmando que ela tá bem, que a pressão tá legal, pra ver se ela sente mais segura, mas os medos da própria gestante e os anseios são tão grandes que por mais que a gente oriente, ela não chega na maternidade preparada. (A enfermeira não falou sobre as atividades realizadas, apenas relatou às orientações que são feitas). E sustentou que as mesmas são feitas de forma individual, pois ela ainda não tem grupo de gestantes. E4: Qual a orientação que a gente dá... - Sim, na sala de pré-parto, como ela tem que se comportar na sala de pré-parto, e na hora do parto em si. E4: A postura? Olha só, quanto à postura não vou dizer pra você que fala: Olha se comporte as sim, se comporte assado... Não, o que a gente diz é que as contrações são intensas, que vai sentir muita dor né, no abdômen, na barriga, que pode haver o rompimento de bolsa, antes de entrar no centro obstétrico, agora assim, como ela deve se comportar, nunca fiz essa orientação. Oh, se comporte assim, fique desse jeito, tenha calma, porque assim, tenha calma, a gente até diz, oh, tenha paciência, tenha calma, vai ser uma dor muito intensa, mas como ela deve se postar, na postura dela não é uma coisa que eu costumo fazer. - E essas orientações que você dá, no caso, são individuais ou coletivas? E4: Assim, as duas, se tiver um grupo a gente faz de forma coletiva né, se for só as gestantes, a gente faz de forma individual né, tem uma que diz que, eu sou muito escandalosa, que eu tenho medo, que esse pessoal reclama quando grita muito (risos)... Aí a gente procura de forma específica a ela, olha, vai doer muito, assim, o grito não vai resolver tá, não vai fazer com que aquilo aconteça mais ligeiro, tem paciência, tenha calma, mas não é uma regra né, aí se eu disser, ah que eu faço isso com todas. Depende muito da queixa específica de cada uma delas.
  10. 10. (Falou apenas sobre as orientações que são feitas, falando sobre as contrações, as dores). Relatou que são feitas das duas formas, se houver um grupo, faz-se de forma coletiva, se for só a gestante, de forma individual. E5: As orientações são individuais, primeiro que como foi dito anteriormente, nós ficamos em média de 11 a 13 gestantes/anos né, então assim, na consulta que é realizada é... Existe um período maior na realização das consultas do Pré-Natal onde é feito toda a parte da consulta a mensuração, ausculta, exames físicos e também a parte das orientações como é que desencadeia o trabalho de parto né, o pós parto, o cuidado que a puérpera deve ter não só com ela, mas com o Recém-nascido e também com a questão do cuidados com o Planejamento Familiar, haja visto que existe grande números de mulheres que o descuido no período puerpério acaba acarretando outra gravidez as vezes não planejada e que aí acaba causando em grande transtorno na vida da mulher. (Na consulta é feita a mensuração, ausculta, exames físicos e a parte das orientações). Tudo isso de forma individual, por causa da média de gestantes. Puerperas Categorias: 4. Averiguar se as estratégias utilizadas pelo enfermeiro durante o período do PN supriram as necessidades das gestantes no momento do parto, na perspectiva das puérperas. Objetivo: Estratégias utilizadas pelo enfermeiro no Pré-natal: avaliação das puérperas. Questões: 1. Recebeu orientações sobre os cuidados para o pré-parto e para o parto? Como foram realizadas? Quem as realizou? Foi satisfatório? P1: Não fala nada sobre isso não... - A enfermeira não te prepara assim, de como aguentar aquela dor, se vai ser um parto normal... P1: Vem aquela dor e... É uma loucura num é... Só a parte mesmo de levar os exames né, ver como tá. - Então não lhe prepara assim de como você aceitar aquela dor, o dom de ser mãe nada? P1 Nem fala em dor
  11. 11. - E como foram realizadas essas, esse preparo assim, você teve esse preparo? P1: Não. - E você queria ter assim, no caso, queria ter esse preparo pra aguentar essa dor ou... O tipo de parto, como era assim? P1: É, seria bom. - E quem realizou o seu Pré-Natal? P1: Quem realizou o Pré-Natal foi Dr. Orlando, que era o médico, o obstetra e Aline. - Aline, é quem? P1: A enfermeira do posto. - Ela não te orientou nada assim sobre... P1: Sobre a dor não, só a parte de saúde mesmo. - E o seu Pré-Natal foi satisfatório, faltou alguma coisa, quer acrescentar alguma coisa? P1: Acrescentar pra que, foi isso ai né, seria bom que tivesse realmente né, o preparo, pra né... eu nem sabia que existia isso, de preparo pra dor, porque na verdade mesmo era só os exames, mede a barriga, faz a pesagem né, a previsão - Mas não fala nada sobre a dor do parto, como se comportar na sala de parto? P1: Não. (Afirma que não recebeu orientação sobre o momento do parto, foi realizado pela enfermeira Aline e Dr. Orlando, que orientaram mais sobre a parte da saúde da gestante, sobre a questão de ser satisfatório, a puérpera se contentou com as orientações que recebeu e preferiu não acrescentar mais nada). P2: Recebi. -Recebeu? E quem te deu essa informação, assim, foi a enfermeira, Foi alguém... P2: A enfermeira. - Foi a enfermeira do, onde você fez o Pré-Natal? P2: Unhum. - É... quem, e quem, e foi satisfatório pra você assim, o que você recebeu, as orientações, foi satisfatório, no, no seu parto? P2: Foi. - Foi? P2: Foi - E você sabia se era normal, ou se era cesária? P2: Não, é... o doutor falou que provavelmente seria normal, mas como, até os nove meses eu não senti nada aí, teve que ser cesária. - Unhum. É... e foram realizados orientações sobre os cuidados do pré-parto e no momento do parto em si? P2: Sim. - Recebeu? P2: Anham - E ela disse como, assim? Que você ia sentir dor, como era essa dor, alguma coisa assim? P2: É, ela falou que sentiria dor, e tal, mas eu não senti nada mesmo. - Não sentiu dor nenhuma? P2: Nenhuma, nada. - E já pariu com os nove meses? P2: Eu passei até, um pouco, dos nove meses. - E sem sentir nada? P2: Sem sentir nada. - Tu ficou na maternidade sem sentir dor nenhuma, sem sinal nenhum do parto? P2: Unhum. (Argumenta que recebeu a orientação necessária realizada pela enfermeira e que foi satisfatória porque tirou todas as suas dúvidas e foi igual ao que aconteceu na hora do parto). P3: Recebi. -Recebeu? Qual foi essa orientação? P3: Foi, minhas orientações foi, ela me disse como é que ia ser, tudo certinho, que eu não ia sentir tanta dor assim como os outros falam, entendeu? E, ia correr tudo bem e, ela me disse também que, que assim, me falou como ia ser e me falou das contrações, isso tudo certinho, como é que ia acontecer, explicou sobre a... deixa eu ver o que mais, deixa eu lembrar... -Pode lembrar, tem pressa não. P3: Assim, que os outros mesmos me falavam que ia ser de tal maneira, entendeu? Que ia doer, e que todo mundo ia largar jogada, entendeu? Ia me largar lá jogada, que ia me pirraçar, porque era o primeiro filho, ai quando cheguei lá, não foi isso, já foi ao contrário, já foi ao contrário, todo mundo ali, me orientando, me falando, pra mim foi beleza. - Então, essa orientação, informações, tu já recebeu de outras pessoas. Que pariram. P3: Recebi de outras pessoas, foi, que pariram, que eu ia passar por isso e aquilo, que quando eu chegasse lá ia sofrer tal, e não foi isso que, o povo tava me dizendo.
  12. 12. - Então essa orientação, como que, é... Como foi orientada é... A enfermeira que lhe orientou todas as informações e você gostou? P3: Foi, foi, foi, gostei porque como eu disse, fui recebida bem, entendeu? Chegou lá, todo mundo me orientou bem, conversou comigo. -Então quem realizou foi a enfermeira do seu PSF? P3: Foi. -E foi satisfatório pra você essa... Essas orientações? P3: Foi, foi, pra mim foi. (Relata que recebeu a orientação necessária da enfermeira do PSF e também contou com a experiência de mulheres que já passaram pela mesma situação, sendo satisfatório, porque foi recebida e tratada de forma educada). P4: Sim. -Recebeu? Como foi esses cuidados, como foi essas orientações? E quem fez? P4: Eu fiz num PSF aqui do bairro com Dan núbia e as meninas da, da Faculdade Maria Milza também, tinha umas cinco. -É fazendo estágio. P4: Fazendo estágio, fazendo pergunta, cada semana,cada mês, não, cada semana não, cada mês era uma que fazia. Ela passava pras meninas fazer. - E fazia as orientações direitinho? P4: É, fazia, perguntava tudo certinho. -É, e você achou satisfatório, esse, essa orientação? P4: Achei, achei porque, depois de dezessete anos, muita coisa estava esquecida já. - É tu pariu depois de dezessete anos? P4: Foi dezessete anos. - E foram é... Essas orientações foram dadas assim para o momento do parto em si, do pré-parto, como você deveria se comportar na sala do pré-parto e na sala do parto. P4: Foi, tudo isso. -Foi, as contrações, o sangramento, alguma coisa assim, ela orientou tudo direitinho. A respeito da mama, como amamentar. P4: Como amamentar, pra não deixar de amamentar, pra não dar comida cedo, não dar a mamadeira, mas não tem jeito, tem que dar, pra voltar a trabalhar tem que dar. (risos). (Afirma que recebeu as orientações tanto da enfermeira Dan núbia do PSF do seu bairro quanto de algumas estudantes da Faculdade Maria Milza, que estavam em período de estágio, foi satisfatório porque depois de dezessete anos que havia engravidado, muita coisa estava esquecida, tendo a oportunidade de relembra-las). P5: Recebi -Recebeu, e quem te deu essas orientações? P5: Lá no hospital mesmo? - Não, no seu Pré-Natal. P5: No meu Pré-Natal, foi Dan núbia, Dan núbia e algumas enfermeiras que estavam fazendo curso também. -E quem, e como foi essas orientações, ela te falou sobre o que nessas orientações? P5: Ah, ai meu Deus, falaram o que? -Assim, como se comportar, como a dor, o sangramento... P5: E, elas fizeram uma palestra com a gente lá, sobre tudo isso, como, como nasce o bebê, como, de que maneira a gente,como é que diz, é feito o parto, Cesário, tanto normal, quanto Cesáreo. - O teu parto foi normal ou foi Cesáreo? P5: Foi Cesáreo. -Foi cesáreo, mas porque, eu não senti dor nenhuma. -Não? P5:Não, tanto que eu só fui mesmo pro hospital, porque eu sangrei um pouquinho. -Mas aí, tu já tinha essas orientações e quando recebesse... P5:Foi, aí quando eu sangrei um pouquinho, aí eu fui, chegou lá, o médico já me deixou em observação, fiquei a tarde toda lá, em observação, toda hora ele ia lá e me perguntava se eu tava sentindo dor, eu dizia que não, aí tanto que ele optou por fazer a cesárea, porque já tava nas últimas semanas já. (Comenta que recebeu as orientações vindas da enfermeira Dan núbia e de algumas e nfermeiras que estavam fazendo curso, ela não diz se foi satisfatório). P6: Sim. -Recebeu? Quem te deu essas orientações? P6: A enfermeira de lá da, da maternidade. -E ela disse o que assim? O que ela te orientou assim, mais ou menos?
  13. 13. P6: Primeiro ela pediu pra ter calma, tranquilidade, que vai dar tudo certo e depois que... Depois do corte não levantar a cabeça, não, não fazer, não querer levantar sozinha. -Unhum, aí ela te orientou? P6: Foi. - E tu achou assim, foi satisfatório? As orientações... P6: Foi, agora eu não queria cesárea. - Foi? P6: Foi, queria normal. (Relata que recebeu as orientações através da enfermeira da maternidade, pedindo calma pois ia dar tudo certo, sendo satisfatório, mesmo não querendo cesáreo). P7: Não. - Nenhum? P7: Nenhum. - Ninguém lhe acompanhou no Pré-Natal, não lhe disse como se comportar na sala de pré-parto, na sala de parto, nada? P7: Nada, nada. -E o que você achou do seu Pré-Natal? P7: Achei... Vou ser sincera... - Pode ser sincera... P7: Achei horrível. - Porque achou horrível? P7: Uma, queria fazer a minha ligadura e não deu certo, entendeu? Tive planejamento de, de, como é que se diz, é... Planejamento assim de me ligar e na hora deu tudo errado. - Sim, mas porque deu tudo errado? Porque foi assim? P7: Deu tudo errado porque... O doutor não quis me ligar. - Mas porque ele não quis ligar? Pela sua idade, porque vocêtinha... Quantos filhos você tem? P7: Não, eu fui a ele, ele me garantiu, fiz tudo certinho, quando chegou na hora ele disse que não ia me ligar, por motivo de, eu ter 36 anos e de eu ter dois filhos. -Aí ele não quis ligar? P7: Não quis ligar. - E você passou isso ai pra sua enfermeira, que lhe acompanhou no Pré-Natal? P7: Não, porque depois do meu Pré-Natal, nunca mais eu a vi. -Mas ninguém do seu acompanhamento do Pré-Natal? P7: Não, não, nunca mais. - E ai ela não lhe passou nenhuma assim, orientação. Como se comportar na sala de parto, na sala de pré-parto, nada? Você já sabia se era normal ou cesárea? P7: Sabia que ia ser cesárea. - Mas porque era cesárea? P7: Por motivo da primeira não ser cesárea e, por motivo que eu queria ligar. - Aí, você já foi planejada que iria ser cesárea, pra ligar? P7: É. - Então você não recebeu nenhuma orientação, eu ia lhe perguntar aqui como foi realizada, então, c omo foi realizada, essas orientações... P7: Não recebi nenhuma... - Não foi recebida nenhuma orientação... P7: Não, não, só no dia do Pré-Natal que só tomava vacina, normal, básico. Só... -Porque essa aqui até vem perguntando aqui, como foram realizadas e quem realizou e... quem realizou então, não... teve essa orientação? P7: Não. Não tive não. Tive um pequeno acompanhamento por Aline, porque eu que quis, entendeu? Fui a ela e... pedi pra ela me acompanhar porque eu queria ligar. -E ela fazia como, o que, ela fazia o que nas, nas, nessas consultas do... Fez quantas consultas do Pré-Natal? P7: Fiz... Quatro. Quatro?! E orientava o que assim? Só sobre o que? P7: Normal, nada, só olhava e dizia que tava tudo bem, tanto é que eu tirei duas ultrassom, que ela me pediu. Deu errada, me passou coisas que eu não... Quando fui ao médico, que é especialista, o obstetra, tava totalmente errada as ultrassons e a base dela,enfim, era a ultrassom. -E aí foi satisfatório o seu Pré-Natal? P7: Não. -Não? P7: Não. - Mas porque não, o que foi assim? Além de você não ter feito a ligadura das trompas. P7: Porque eu achei que... Como é que se diz... Eu achei que... No meu Pré-Natal não me passaram assim uma boa... Como é que se diz... Umas boas informações, aí eu num gostei não... -Sentiu falta de que assim no pré-Natal?
  14. 14. P7: Senti falta, porque ao invés de me dar seguranças me colocaram medo, aí eu não... Não gostei. (Comenta que não recebeu nenhum tipo de orientação de ninguém e que foi horrível). P8: Recebi. - Recebeu? Quais foram as orientações que você recebeu? Como se comportar, é... A dor, falou alguma coisa assim? P8: Não falou... Ela falou mais como eu já tinha tido três filhos, ou dois filhos né. - Sim... P8: Pra mim já era mais fácil saber, a dor, as contrações, quais eram ficou tudo mais fácil, foi, foi normal assim, o que não podia fazer que era abaixar muito, pegar peso né, montar de moto. - Falou assim, na sala de pré-parto? P8: Ah... Na sala de pré-parto... - As cólicas, as contrações, sangramento, ela falou alguma coisa? P8: Não, assim, ela me falou de quantas em quantas horas vinha as contrações, que eu ia ter, que eu me lembre é isso. - Como foi realizada? Quem realizou essas orientações pra você? P8: É Juce no Pré-Natal. - A enfermeira do Pré-Natal... P8: A enfermeira do Pré-Natal. - Foi satisfatório pra você ou ficou faltando alguma coisa? P8: Não, não ficou faltando não. - Não? P8: Não. - Não, deu pra... P8: Deu. - Também porque você já tinha outro filho aí já sabia. P8: Já tinha, já sabia como era. (Afirma que recebeu as orientações, apesar de ela já ter outros filhos, portanto já sabia mais ou menos, mesmo assim o que lhe foi dito no Pré-Natal pela enfermeira Juce foi importante). P9: Não. - Não, não recebeu orientação nenhuma. P9: Não, lá o que ia acontecer no hospital, essas coisas não... - Sim... P9: Não. - Assim, sobre a dor, as contrações, sobre sangramento, alguma coisa assim, ela não orientou alguma coisa? P9: Não. - Não, nenhum momento da gestação não, nada? P9: (risos) Não... - Não... P9: Foi tudo uma caixinha de surpresa... - Que você passou, sem ter orientação nenhuma. P9: Foi. Lá no hospital, durante no, não sabia nada que iria acontecer assim, como seria, o Pré-Natal, não explicou nada. - No pré-parto e na sala de parto você não sabia nada? P9: Não... (Comenta que não recebeu orientação nenhuma durante o Pré-Natal, sobre o que iria acontecer no resto da gravidez ou no momento do parto). P10: Não. - Não? Não foi realizada orientações nenhuma? P10: Não, nada - No seu Pré-Natal, ninguém lhe orientou nada assim de... P10: Não, só foi, a única coisa que foi realizado no Pré-Natal foi que, que as coisa que era pra comer e as que não podia comer, a única coisa, não teve negócio de dizer as dor, as coisa do seio que tinha que sempre tinha que fazer exercícios que era para o bico não ficar encolhido né, por causa disso. - Hum... P10: Só foi essas, não teve assim de a... tô sintindo aqui, tô sintindo dor essas coisa não, não falou nada. - Não teve orientação assim nenhuma? P10: Não - É, é ,é que eu já ia perguntar quem assim, quem foram, como foi realizadas essas orientações? P10: Não teve. - Então não teve orientação?
  15. 15. P10: Não, não. - Quem realizou também, então não teve? P10: Não (risos) - Não. P10: Não, porque quando eu cheguei lá na, na, quando eu fui ganhar neném, que eu chego lá, eu cheguei sentindo dor... - Sim... P10: Aí o médico, o médico foi da emergência... - Hum... P10: Dr. Edmilson, quando eu chego lá, ela falou assim, vou lhe dá um, um... Um medicamento, você vai ficar um pouquinho deitada, daqui a pouco você vai embora que não tá na hora de você ter, porque você está com oito mês, aí eu disse assim tá certo, aí ele me deu a, o medicamento, me deixou deitada, só quando eu deitei que ele saiu dizendo daqui a cinco a dez minutos você sai, pode ir embora, eu digo, tá certo, então aí as contrações aumentou, aí quando ele veio, ele chegou cá e disse assim, as contrações aumentou, num foi? Eu digo, aumentou doutor, aí ele veio apalpar a minha barriga toda e disse assim, oh, fique aí dez minutos daqui a pouco eu venho lhe ver pra lhe auscultar, quando ele veio chegou cá e tudo, veio tirar uma... - Ultrassom... P10: Passou o aparelho aí disse, oh, seu bebê não tá... Tá parecendo que alguma coisa tá incomodando ele lá dentro, aí ele disse assim, fique aí daqui a pouco eu volto, que tava atendendo outra pessoa, aí ele disse, parece que seu bebê vai ter um ataque cardíaco, você vai para a sala de cirurgia agora, aí pronto, já foi só mandando as enfermeiras botar o soro e me levar. Aí a enfermeira furou meu braço todo, meu braço ficou todo roxo, porque bateu e botaram aquele negocio... - Gelco... P10: Não, do soro que coloca... - É, gelco. P10: Aí colocava, quando andava, que eu fiquei logo nervosa, que colocava, o soro soltava o sangue espirrava. Aí quando eu cheguei na sala de cirurgia o meu braço já tava todo furado. Aí a esposa de Dr. Edmilson falou, ê mãe furaram você toda não foi? Eu digo, foi... (Afirma que não foi realizada as orientações necessárias, apenas foi dito sobre a alimentação). 2. Foram realizadas orientações sobre os cuidados no pré-parto e no momento do parto em si? Descreva-as P1: Não. - Não quer descrever como foi, nada? P1: Não. - Então nada pra descrever, as orientações, nada? P1: É que não teve orientação sobre isso... (Relata que não houve nenhum tipo de orientação sobre os cuidados no pré-parto e momento do parto). P2: Sim. - Recebeu? P2: Anham - E ela disse como, assim? Que você ia sentir dor, como era essa dor, alguma coisa assim? P2: É, ela falou que sentiria dor, e tal, mas eu não senti nada mesmo. - Não sentiu dor nenhuma? P2: Nenhuma, nada. - E já pariu com os nove meses? P2: Eu passei até, um pouco, dos nove meses. - E sem sentir nada? P2: Sem sentir nada. - Tu ficou na maternidade sem sentir dor nenhuma, sem sinal nenhum do parto? P2: Unhum. (Afirma que recebeu as orientações sobre as dores que iriam sentir). P3:Não, ela me explicou que ia ser um parto normal, eu não esperava uma cesariana, ela me explicou que ia ser normal... -Seu parto foi cesária? P3: Foi cesária, ela me explicou que ia ser normal, só que aconteceu antes né, não foi, era pra ser um dia, foi outro, entendeu? Aí, ela, era pra ser dia, ia acontecer no mês de agosto, aconteceu no mês de julho, então pra mim foi um parto ótimo. -Normal, o Cesário também? P3: O Cesário, o Cesário pra mim foi ótimo.
  16. 16. (Argumenta que não foram realizadas as orientações, mas a enfermeira tinha lhe dito que seria um parto normal e acabou sendo uma cesariana). P4: Foi, tudo isso. -Foi, as contrações, o sangramento, alguma coisa assim, ela orientou tudo direitinho. A respeito da mama, como amamentar. P4: Como amamentar, pra não deixar de amamentar, pra não dar comida cedo, não dar a mamadeira, mas não tem jeito, tem que dar, pra voltar a trabalhar tem que dar. (risos). (Afirma que houve as orientações sobre como amamentar, pra não dar comida cedo, não dar a mamadeira). P5:Não,não,não senti nada, na hora do, de fazer as contrações. (Comenta que não houve as orientações sobre o pré-parto e momento do parto). P6:Sim. -Recebeu? Tanucha também, essa Dan núbia né que te... P6:É Dan núbia também. -Te orientou direitinho? P6: Orientou. - E ela te orientou assim, a hora de ir pra maternidade, alguma coisa assim? O sinal que você tinha que... P6: Falou. -Falou? E como se comportar, como... P6: Falou, falou das cólicas, que vem de... -As contrações... P6:As contrações vem de dez em dez minutos. -Dez minutos. P6: Dez minutos, depois vai pra cinco e aí... (Argumenta que houve a orientação sobre a hora de ir pra maternidade, das cólicas, as contrações). P7: Não. - Não? P7: Não. -Aí você já, num, num, é... Me explicou assim como foi, porque não foi, ela não realizou essa orientação, não lhe preparou assim para o parto, nem para o pré-parto nada? P7: Não. -Aí eu queria assim que tu descrevesse assim, se tu recebeu alguma orientação, de... P7: Não,não, nenhuma. Como agir, como lhe dar com aquela situação na hora, nada, nada. (Afirma que não houve as orientações necessárias, não foi realizada a preparação para o parto e nem o pré-parto). P8: Foi normal. - Normal? E ela te orientou assim, alguma coisa, como você tinha que se comportar na sala de pré-parto e na sala do parto. P8: A mim orientou como fazer força, pra ter neném, me orientou, sempre que a força vim fazer força pra baixo né, eu tava enjoando muito... - Foi... P8: Aí ficou sempre me orientando isso, e foi só... (Comenta que houve a orientação de como fazer força pra ter neném e foi só). P9: Assim... - De quanto em quanto tempo as contrações. P9: Não, a única coisa assim que, ela me falou só era para não ir no banheiro. - Sim, no banheiro aqui ou na maternidade? P9: Na maternidade, não era para ir no banheiro, se fosse no banheiro era para pode chamar... Só isso... Foi tudo uma surpresa... - Sobre dores nada ela falou? P9: Não, só me disseram que era normal, eu perguntava era, é normal, é normal mãezinha, é normal só isso. (Relata que a única coisa que lhe foi dita é de que não podia ir ao banheiro na maternidade e sobre as dores apenas diziam que era normal).
  17. 17. P10: Nada, nada, nada, se eu disser pra você que me deram orientação, tá mentindo, quem me expricou foi uma agente de saúde que é muito minha colega, trabalha até aqui, quer dizer, trabalha aqui mas não é agente social não, aí ela falou lá quando chegar vai ter que se comportar, não fique gritando, tudo, porque quanto mais grita, mais é ruim... - Justamente é isso, minha pesquisa é em cima disso aí... P10: Aí eu disse tá certo, só que... Vai ter bastante gases depois (risos). - Eu ia te perguntar também se foi satisfatório, então aí você não teve? P10: Não, não tive nada, se eu disser, estou mentindo. - Isso também, eu ia perguntar também se foram realizadas orientações sobre os cuidados do pré-parto e na hora do parto em si. P10: Não. - Então você não tinha orientação de nada. P10: Nada, nada... - Porque era para você descrever isso aí. P10: Eu não sabia... É não tenho não. (Relata que não foi realizada as orientações necessárias, apenas recebeu uma explicação de uma amiga que devia se comportar quando chegasse e não era pra ficar gritando). 3. Que relação pode ser feita entre as estratégias desenvolvidas no PN e o atendimento às gestantes quanto aos cuidados pré-parto e no parto em si? P1: Não, agora pode se dizer assim a mãe que fala né, fica gritando muito, porque na hora né, fica sem força, na hora de fazer a força, eu entendi assim, com experiência de minha mãe... - Então foi mais de sua mãe... Do que da enfermeira do PSF? P1: É, disse que vai ficar gritando, doe muito, mas tem que ter paciência né, e se poupar na hora de fazer esforço. - E essa orientação você recebeu no posto? P1: Não, minha mãe né. P2: Não, foi igual realmente, ao que ela falou. P3: Não, porque tudo que ela me falou, porque eu, ela me falou assim, era como ela me disse, que ia correr t udo bem, que não era pra eu ter medo e realmente foi o que eu vi, não foi o que me disseram, entendeu? Que ia ter medo, que ia acontecer, que eu ficar... P4: Cesariana. -Cesário, e sentiu dor? P4: Eu senti porque me encheu de gases -É,não, eu falo assim, antes de parir, você sentiu... P4:Não, tudo bom... -Tudo normal... P4: Nada, não senti nada... -Nem as complicações, não sentiu nada? P4: Nada -Tava programada já, a cesárea foi? P4: Já, 16 de Julho. P5:Foi, foi como ela falou mesmo. -Foi, não teve alguma diferença de nada assim. P5:Não, não, teve nada de diferente não. -E seu acesso, no acompanhamento Pré-Natal, foi fácil, na hora de marcar as consultas, os exames? P5: Foi, foi, foi muito fácil. -Não teve dificuldade nenhuma, de marcar os exames? P5:Graças a Deus foi muito fácil, as meninas facilitaram bastante mesmo, em relação a marcar consulta, fazer o acompanhamento, não teve nada... foi tudo legal mesmo. P6: É, FOI IGUAL. -Só não gostou de que? P6:Só não gostei do atendimento das enfermeiras do turno da noite. -De lá da maternidade? P6: Elas são muito pirracentas. -É? O que foi assim? P6: Porque, eu é... quando eu tava toda anestesiada, malmente podia mexer, as pernas ou coisa assim, ai só tinha isso pra urinar, aí chamava a enfermeira, sem poder gritar, quando gritava, os cortes, da cirurgia, doíam mais ainda, aí fiquei com a aparadeira de onze da noite até seis horas da manhã, debaixo de mim.
  18. 18. -É mesmo? P6: Eu não podia tirar, toda anestesiada, aí foi horrível. Tinha uma que ia assim e olhava a gente, mas num... Toda hora que me levava pra fazer xixi, ela dizia assim: tem que ficar com a aparadeira aí, aí foi e não entrou mais no meu quarto, quando apareceu era seis e meia da manhã mais ou menos. -E não conseguiu urinar, ou conseguiu? P6: Eu, ficava urinando dentro da aparadeira, mas, eu precisava que alguém tirasse debaixo de mim, porque tava me machucando toda né, agora no turno da manhã, as enfermeiras são excelentes, são ótimas. - E na hora, na sala do pré-parto, o seu parto foi cesáreo, foi programada essa cirurgia não? P6: Não. - E porque foi cesárea? P6: Eu já tava com quarenta semanas e sete dias, e três dias, é... aí tinha ido pra ver se, porque tava sentindo umas cólicas aí quando operei, botou no aparelho da ultrassom, aí eu tava sem líquido. -Foi? Aí fez a cesárea, mas ai você nem chegou a sentir dor nem nada? P6: Nada. P7: Foi, eu achei, muito diferente. - E esse acesso no acompanhamento ao Pré-Natal, tu achou foi difícil, ou foi fácil, tu chegar assim até o Pré-Natal, para a realização desse acompanhamento? P7: Era difícil. - Mas porque assim? A marcação de consultas? P7: A marcação de consulta, se eu fosse depender pela marcação de consultas, pelo, é... Pré-Natal, não fazia. P8: Não. - Não, foi igual, foi orientações diferentes, como foi assim? P8: A mesma coisa que ela me falou lá foi o que aconteceu no pré-parto, as dores que eu ia sentir de quantas e quantas horas, eu ia sentir as contrações, e como era e tinha que fazer força, tudo, mas como eu já sabia... - Aí foi mais fácil... P8: Foi mais fácil. P9: Tudo foi surpresa... - Você não tinha orientação nenhuma? P9: Não tive orientação nenhuma. - De nada, de como se comportar, de nada... P9: Se iria ter, se o sangramento era normal porque quando eu tive a do parto normal eu fui para a maternidade porque eu tava com sangramento, aí eu fiquei preocupada, achando que tava acontecendo alguma coisa grave aí quando eu cheguei lá na maternidade, aí a médica chegou, fez assim, não é normal, você já está em trabalho de parto. - Você não tinha noção de nada... P9: Não tinha noção de nada, se o sangramento era normal, era um aviso, pra mim um aviso, porque a coisa que a gente vê, era a bolsa pocar e sentir muita dor, mas sobre sangramento essas coisas, não tinha noção nenhuma. P10: Sim, não teve não, explicou praticamente nada, quando eu saí da sala de parto as enfermeira que chegou cá, que falou assim, me botou lá na cama, me deixou lá , aí quando foi de manhã me lavou, higienizou, pronto. Também não expricou mais nada, ainda teve uma enfermeira que botou um curativo bem apertado, que eu disse assim, ô enfermeira tá doendo, ela disse, folgue, aí eu fui e folguei, aí quando Chica chegou lá, que Chi ca é minha cun-cunhada, chegou lá e já falou assim, ô Toinha, tu já teve, eu disse já, aí ela foi procurar saber, o médico espricou tudo o que tinha acontecido, que a pracenta tava discolocano que tudo, aí tudo isso também só foi lá depois que já tinha parido... 4. Houve acesso no acompanhamento do PN? Quem a acompanhou? Foi permitido facilmente ou teve alguma objeção? P1: Foi. - Foi, e tu teve alguma dificuldade pra marcar algum exame, alguma coisa assim de outros tipos de exame? P1: Não, primeiro eu fiz particular, agora no finalzinho precisou de uns, aí Aline marcou, fui lá, ela pediu ultrassom. - E como você avalia o trabalho do profissional enfermeiro, como você avalia a sua enfermeira nesse Pré-Natal? P2: Tudo, tudo - Tudo fácil, foi? P2: Unhum -Não teve assim, dificuldade nenhuma em marcar exame nenhum, de marcar consulta nada? P2: Não. -Foi tudo tranquilo né?
  19. 19. P2: Tudo tranquilo P3: Não, não, não, foi fácil, pra mim foi fácil, todas as consultas foram marcadas tudo no dia certo, no horário certo, ela me atendia tudo bem, nos exames foi tudo certinho, marquei tudo certinho com ela, não teve dor de cabeça não. P4: Foi fácil, porque na primeira que eu fui, as demais ela já marcava já. Deixava tudo arrumado. -Já deixava tudo arrumado, e quem mais assim, que te acompanhou no Pré-Natal, foi os enfermeiros, foi o médico? P4: Foi Dan núbia, a enfermeira e as meninas da FAMAM. -Que sempre tava... P4: Sempre,até terminar os estágios delas, tanto é que no último, na última consulta do Pré-Natal, não tinha mais nenhuma lá, só tinha mesmo Dan núbia, elas já tinham ido embora. -Já tinha terminado o estágio... P4:Já tinha terminado o estágio... - E aí, você recebeu as orientações direitinho? P4: Recebeu. P5: Foi, foi, foi muito fácil. -Não teve dificuldade nenhuma, de marcar os exames? P5:Graças a Deus foi muito fácil, as meninas facilitaram bastante mesmo, em relação a marcar consulta, fazer o acompanhamento, não teve nada... foi tudo legal mesmo. -É, e quem te acompanhou no Pré-Natal, foi só a enfermeira, ou teve consulta médica? P5: Teve consulta médica. -E como você avalia essa assistência que a enfermeira lhe deu durante o Pré-Natal, com a sua expectativa, deu pra contemplar essas expectativas assim no, do parto em si? P6: Foi fácil, foi. -Não teve dificuldade nenhuma? P6: Não, no posto foi bem, coisa, porque as meninas são bem... Toda vez que eu ia pra marcar alguma coisa, sempre tinha. -Não teve dificuldade nenhuma né? Então, não teve nenhuma objeção assim de, de marcação, de consulta, de, com a enfermeira, com o médico, nada. E quem acompanhou no Pré-Natal, foi só a enfermeira, ou o médico também? P6: Foi, doutor Ivan. Aqui no posto e lá, particular também. P7: Não. - Quem acompanhou mais assim, no Pré-Natal, foi a enfermeira, o médico, quem mais... P7: O médico. - Foi transmitido facilmente, teve alguma dificuldade assim na... Marcar, então você teve dificuldade de marcar consulta? P7: Foi, marcar consulta, marcar exames, muita dificuldade, tanto é que eu, nem esperava, porque eu sabia que não ia dar tempo chegar, eu poderia até ganhar neném e não fazer esse exame. - É mesmo? P7: Foi, teve exames que eu preferir, correr atrás de outros médicos, outro jeito, do que ficar esperando. - A avaliação das puérperas sobre a assistência prestada pelo profissional enfermeiro, o que você acha então do seu acompanhamento, da enfermeira no seu Pré-Natal, como foi? P8: Tive, foi fácil... - Não teve nenhuma dificuldade? P8: Nenhuma dificuldade. - Marcar consultas... P8: Saindo de um Pré-Natal já deixava marcado. - Era? P8: Então foi fácil. - E quem lhe acompanhou mais no Pré-Natal, foi o enfermeiro ou o médico? P8: O enfermeiro. - Foi permitido facilmente ou teve alguma objeção, digo assim, uma consulta para marcar um exame pra fazer, era fácil de marcar... P8: Era fácil, tudo fácil. - Então quem marcava era você ou ela? P8: Eu mesma que marcava. - Lá mesmo... ou tinha que ir em outro lugar? P8: Lá mesmo. P9: Foi - As ultrassons tudo, não teve dificuldade nenhuma? P9: Não.
  20. 20. P10: Foi a enfermeira e eu não fiquei pra ir pro... Vinha uma consulta, só uma consulta porque eu não tava mais aguentando enjoar, tendo que... Eu comia, vomitava então eu fiz um dia aqui com Dr. Fabrício que ele passasse um remédio e o resto foi com ela e na emergência aqui no hospital. - E as consultas, fácil, para você ter acesso fácil teve alguma objeção para marcar os exames? P10: Não, as consultas foi fácil que foi com a enfermeira, foi fácil, marcava e vinha, mas os exames foi mais complicado... - Complicado como assim? P10: Porque quando a gente chegava aqui se tivesse dez vagas, que era pra gestante e pra idoso, aí quando chegava aqui a preferência era pra gestante que já estava preste pra ganhar neném né... - Sim... P10: Quem chegava na frente pegava, não era, não era assim, dizer assim, oh como pra pessoa não, teve uma ultrassom que eu vim marcar quando chegou aqui só tinha uma vaga, aí uma senhora chegou na minha frente foi... - E você gestante, aí a prioridade ficou pra senhora. P10: Foi ficou pra senhora, eu não, eu tive que desenbolsar oitenta reais pra... - Pra fazer os exames? P10: Pra fazer os exames. - Então teve muita objeção na hora dos exames? P10: Teve. - Pra consulta foi mais fácil? P10: Pra consulta foi mais fácil, mas pra os exames foi difícil. 5. Como avalia a assistência prestada pelo profissional enfermeiro durante o seu PN? Contemplou suas expectativas? P1: Não, normal. - Só pra completar, como você avalia a assistência prestada pelo profissional, contemplou suas expectat ivas? E a realização desse Pré-Natal, veio lhe preparar para a dor do parto? P1: Oh, preparação não teve, o que a gente tá acostumado a achar é isso ai mesmo, o básico... - Qual é o básico? P1: O básico né, é a parte mais de saúde, fica preocupado assim né, se a pessoa tem diabete ou uma hipertensão né, com a alimentação mesmo né, falou bastante. Sobre o dia do parto né, a hora do parto. - A dor do parto não né? P1: Não, a dor, ainda bem que não fala, ainda bem né?! P2: Não, foi muito satisfatório... -Foi, deu pra contemplar tudo direitinho? P2: Unhum. Com certeza -Ah, que bom. P3: A mim contemplou, porque tudo que ela falou pra mim, foi o que aconteceu lá, entendeu? Foi o que aconteceu lá, ela nunca meteu medo, ela nunca, disse coisas assim que pudesse, assim sabe, foi sempre assim, orientando, o que a gente deveria fazer, o que a gente não devia, ela sempre orientou a gente em tudo. P4: Boa. -Boa, foi satisfatória? P4: Foi, porque era um posto perto de nossa casa, não teve dificuldade nenhuma. -Aí contemplou bem, suas expectativas... P4: Tudo normal. P5:Deu. -Não teve assim, nenhuma diferença de, de... P5:Não,não, porque eu também já tinha uma, já tenho uma aí eu já sabia mais ou menos. -Esse aí já é o segundo filho? P5:É o segundo é, só que a minha primeira foi normal e esse cesárea, por sinal, horrível, porque eu não gostei da experiência e jamais eu quero passar de novo. - Do cesáreo? Porque assim? P5: Deus é mais, é muito ruim, me fez sofrer muito, em dor, tanto que depois, depois de um mês,ainda inf lamou, inflamou aqui, inchou do lado, tive que ir pro hospital e tudo, ainda tem um ponto que ficou inflamado, e aí a médica passou e tirou o ponto, mesmo assim ainda continuou, tomei remédio, tomei remédio. -Mas aí, tu não tinha essas orientações nada, não recebeu essas orientações... P5: Não, não, só depois que eu fui assim que eu senti que o ponto tava inflamado, que eu fui, tava saindo um pouquinho de secreção, aí eu fui, aí que a doutora me explicou que era normal, que era pra eu lavar com álcool 70, usar o remédio direitinho que melhorava. P6: Deu.
  21. 21. - Deu, não teve assim, diferença nenhuma. E como é que você acha assim, que contemplou como, é... Essas orientações. P6: Do inicio da gravidez até o final foi tranquilo. P7: Achei péssimo. -Contemplou suas expectativas, que você imaginava? P7: Não. -Pode descrever como não, como assim não? P7: Como não, por que... É como eu já lhe disse, porque ela me passou coisas que... Coisas assim que não tinha nada... Que não era entendeu, verdade entendeu? Como mesmo, ela pediu um ultrassom, eu tava com... Eu já tava com seis, com cinco meses. Não, com seis meses, ela me disse que eu tava com barriga de três meses, me transmitiu medo, entendeu? Disse que eu tava com pouco líquido, quando eu chegava cá no médico, tava tudo ok. Tudo normal, ótimo, a barriga... O médico disse que tava tudo normal, pelo tempo entendeu? E lá não, lá, ela transmitia medo. P8; Orientou deu... - Deu pra contemplar direitinho? P8: Juce fez muito bem, gostei mesmo do acompanhamento dela. - Foi? P8: Foi. - Ah, então tá bom. P9: No Pré-Natal? - Sim. P9: Não, no Pré-Natal foi tranquilo, agora faltou a questão de orientar porque eu ia lá, o que era normal, o que não seria mal, só isso, mas tudo isso direitinho, ela não foi ruim não. - Mas essa preparação assim, para o momento do parto e da sala do pré-parto não tinha? P9: Não, não tinha. P10: Agora que vem ela... (risos) - Pode falar. P10: Não. - Minha pesquisa é justamente, e isso aí para saber as opiniões de vocês. P10: Olha... Eu... Ela é muito ignorante. - Pode falar. P10: Ela é muito ignorante, ela não chega assim, tem dia que ela tá numa boa maré, você chega, conversa, ela atende tudo, mas tem dia que ela tá atacada que você fala um ai já tá... Mesmo... - Já tá ofendendo ela... P10: Aí pronto, aí a gente tem que engolir seco, porque a gente precisa né... - Precisa né? - É, fico quieta, aí eu vim aqui quando é... Tanto mesmo que... Ela sempre diz querer sempre assim, me orientou e tudo, só, aí eu cheguei aqui, um dia ela tava ali, em vez de ela me atender, colocou uma estagiaria. - Pra te atender? Sem ela pra acompanhar? P10: ela não estava, chegava e saía, chegava e saía, aí quando foi uma hora a menina foi e botou errado, enquanto você tira a ultrassom, você acompanha pela sua última menstruação, mas depois que você tira a ultrassom, você acompanha pela ultrassom. - E, pela primeira ultrassom. P10: E, então que quando eu fiz a ultrassom pelos médicos aqui, pela minha última menstruação, eu ia fazer três meses, quer dizer ia fazer ainda três meses, quando eu tirei a primeira ultrassom lá em Dr. Suzy, eu já ia fazer sete meses. - Então, tá uma coisa assim totalmente controversa né? P10: Foi, quando eu cheguei aqui que eu mostrei que eu já estava marcada que eu vim, ela disse assim, ela explicou pra menina que a menina foi botar, botou pela última menstruação aí eu cheguei pra menina e disse, ah fia tá errado, aí ela pegou e chamou a menina atenção, disse assim, eu detesto quando vocês, quando rascunha o cartão da paciente, porque fica uma coisa borrado, aí chamou mesmo a menina atenção demais, a menina séria aí, ela veio e corrigiu assim, eu achei que ela ia chamar a menina fora né. - Fora, chamar lá fora e dizer... P10: Chegar assim e dizer faça favor, chamar e não na minha vista, a menina ficou toda escabriada e eu mais escabriada ainda. - Então não contemplou suas expectativas? P10: Não. - Não?. P10: Não.
  22. 22. Analisando o que foi dito Primeira categoria Questão 1: a) P2, P3, P4, P5, P6, P8 foram convergentes. P1, P7, P9, P10 ambas convergentes. b) P3, P4, P6, P8 foram convergentes. P5 foi diferente. P1, P7, P9, P10 foram convergentes. P2 não houve resposta. c) P2, P3, P6, P8 foram convergentes. P4, P5 foram complementares. P1, P7, P9, P10 foram convergentes. d) P2, P3, P4, P5, P6 foram convergentes. P1, P7, P8, P9, P10 foram convergentes. Questão 2: a) P1, P3, P5, P7, P9, P10 são convergentes. P2, P4, P6 são convergentes. P8 foi diferente. b) P1, P3, P5, P7, P9, P10 são convergentes. P2, P4, P6, P8 foram convergentes. Questão 3: a) P2, P3, P5, P6, P8 foram convergentes. P1, P4 foram convergentes. P7, P9, P10 foram diferente. Questão 4: a) P2, P3, P4, P5, P6, P8, P10 são convergentes. P1, P7 são convergentes. P9 foi diferente. b) P3, P8 foram convergente. P5, P6, P10 convergentes. P2, P9 não responderam. P4 foi complementar. P1 foi divergente. P7 foi diferente. c) P2, P4, P5, P6, P7, P8, P9, P10 foram convergentes. P1, P3 foram convergentes. Questão 5: a) P2, P3, P4, P5, P6, P8 foram convergentes. P7 diferente. P10 foi divergente. P1, P9 foram convergentes. b) P2, P3, P4, P5, P6, P8 foram convergentes. P1, P7, P9, P10 foram convergentes.
  23. 23. http://www.ufpel.edu.br/cic/2011/anais/pdf/CS/CS_00478.pdf http://www.unicruz.edu.br/seminario/artigos/saude/A%20ADES%C3%83O%20DAS%20MULHERES%20A%20R EALIZA%C3%87%C3%83O%20DO%20PR%C3%89- NATAL%20NO%20MUNIC%C3%8DPIO%20DE%20CRUZ%20ALTA%20%E2%80%93%20RS.pdf http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/49604/000827221.pdf?sequence=1 http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/viewFile/13826/7193 http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/12357/000480821.pdf?sequence=1 http://educacao.fau.com.br/site/arquivos/arquivo_20120918112935.pdf

×