03 Gestão em Design - Valor

3.091 visualizações

Publicada em

Material de apoio didático para Gestão em Design / Design Management (3/10)

Publicada em: Negócios
0 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.091
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
50
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
506
Comentários
0
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • 03 Gestão em Design - Valor

    1. 1. Design Management Prof. Valdir Soares / Designer / Dr.Eng Gestão em Design . 03 Diferenciação & Valor
    2. 2. <ul><li>Apresentação: Introdução & Conceitos </li></ul><ul><li>Design e o Ambiente Organizacional </li></ul><ul><li>Design: Diferenciação e Valor </li></ul><ul><li>Seminário de Gestão em Design </li></ul><ul><li>Design: o Profissional e a Organização </li></ul><ul><li>Design e Identidade Corporativa </li></ul><ul><li>Design: Demanda e Consultoria </li></ul><ul><li>Design como Processo </li></ul><ul><li>Design Management - Futuro </li></ul>Design Management Gestão em Design Prof. Valdir Soares / Designer – Dsc.Eng.Produção 03
    3. 3. O valor do Design... PARA A EMPRESA . ..Competitividade PARA A ECONOMIA . ..Exportação PÓS-FORDISMO . ..Flexibilidade na produção VISIBILIDADE . ..Valor simbólico VALOR SOCIAL . ..Meio Ambiente CONCLUSÕES... Social X Comercial ?
    4. 4. Design : o valor ...para um empreendimento <ul><li>Contribuição com a competitividade </li></ul><ul><li>redução de custos industriais , </li></ul><ul><li>melhoria da qualidade e </li></ul><ul><li>valorização de imagem da empresa, </li></ul><ul><li>melhoria no desempenho financeiro , </li></ul><ul><li>aumento na participação de mercado e </li></ul><ul><li>aumentos nas exportações . </li></ul>
    5. 5. Design : o valor ...para um empreendimento
    6. 6. Design : o valor ...para um empreendimento <ul><li>o Design ...de informação e ambiental , no setor de serviços, contribuem e aumentam: </li></ul><ul><ul><li>A promoção da identidade corporativa, </li></ul></ul><ul><ul><li>a eficiência e diferenciação das empresas no mercado. </li></ul></ul>
    7. 7. Design : o valor ...para um empreendimento <ul><li>evidências, nos exemplos da indústria britânica (segundo COOPER...) </li></ul><ul><ul><li>uma menor atividade de design que muitos de seus competidores. </li></ul></ul><ul><ul><li>é um fator de reflexo do declínio das indústrias manufatureiras da Inglaterra e... </li></ul></ul><ul><ul><li>conseqüência de vários fatores culturais e econômicos. </li></ul></ul>
    8. 8. Design : o valor ...para um empreendimento <ul><li>“ ...o Design inglês tende a um domínio de conceitos formais antiquados”. </li></ul><ul><ul><li>Confrontando-o às principais transformações industriais, econômicas e culturais... </li></ul></ul>
    9. 9. Design : o valor ...para um empreendimento <ul><li>evidências, nos exemplos da indústria brasileira </li></ul><ul><ul><li>Ver material do BNDES </li></ul></ul>http://www.bndes.gov.br/conhecimento/seminario/esdi_cyntia.pdf
    10. 10. Design : o valor ...para a economia nacional <ul><li>O Design desempenha um papel crítico na aplicação: </li></ul><ul><ul><li>da inovação e... </li></ul></ul><ul><ul><li>contribuição ao crescimento econômico nacional. </li></ul></ul>
    11. 11. Design : o valor ...para a economia nacional <ul><li>Comparando... </li></ul><ul><li>Inglaterra ...há uma ênfase na pesquisa básica ,(segundo COOPER) </li></ul><ul><li>Japão ...a experiência demonstra que a economia nacional pode ser mais próspera com a inovação em Design de produtos e o Marketing do que só em P&D fundamental </li></ul>
    12. 12. Design : o valor ...para a economia nacional
    13. 13. Design : o valor ...para a economia nacional
    14. 14. Design : o valor ...para a economia nacional
    15. 15. Design : ...seu valor no pós-Fordismo <ul><li>novo paradigma técnico-econômico </li></ul><ul><li>pós-Fordismo </li></ul><ul><ul><li>maior flexibilidade na fabricação, </li></ul></ul><ul><ul><li>nova oportunidade para variações de Design </li></ul></ul><ul><ul><li>criação de novos padrões de consumo. </li></ul></ul>
    16. 16. Design : ...seu valor no pós-Fordismo
    17. 17. Design : ...seu valor no pós-Fordismo <ul><li>é referencia na economia voltada a inovação, </li></ul><ul><li>é aumentado </li></ul><ul><li>é ponte entre: </li></ul><ul><ul><li>as novas oportunidades de produção e... </li></ul></ul><ul><ul><li>novas necessidades do consumidor. </li></ul></ul>
    18. 18. Design: ...tornando os Valores visíveis <ul><li>nova cultura de consumo </li></ul><ul><li>novos sistemas de produção </li></ul><ul><li>Aumento do valor simbólico de produtos relativos aos seus valores funcionais ou de preço. </li></ul>
    19. 19. Design: ...tornando os Valores visíveis
    20. 20. Design: ...os Valores visíveis
    21. 21. Design: ... os Valores visíveis
    22. 22. Design: ...tornando os Valores visíveis <ul><li>O Design como processo... </li></ul><ul><ul><li>adapta produtos e serviços, </li></ul></ul><ul><ul><li>...às exigências de estilo de vida dos consumidores. </li></ul></ul><ul><ul><li>manifesta, assim, o seu valor simbólico, </li></ul></ul><ul><ul><li>...a emoção ...o Design Emocional ! </li></ul></ul><ul><ul><li>“ Design não se trata de gostar ou não gostar.Trata –se de paixão. Emoção. Apego” (Tom Peters – Reimagine !) </li></ul></ul>
    23. 23. Valor Emocional do Design ...projetando a emoção... pesquisa experimental pesquisa com o design design de produto avaliação/comparação do impacto emocional no projeto de produto: tendências no design que emoções são, mais freqüentemente, afloradas no projeto de um produto? como podem as melhores emoções serem medidas? ProEmo experience centred design Pieter Desmet
    24. 24. Design:projetando a emoção... Experiência Tokyo-Delft Quais são as diferenças entre os modelos de carros em respostas emocionais? Quais são as diferenças entre culturas nas respostas emocionais? 32 Participantes Japoneses 28 Participantes Holandeses Quatro grupos de idade: 21-30; 31-40; 41-50; 51-60
    25. 25. Design:projetando a emoção... [ product & emotion] space Experiência Tokyo-Delft muito surpreso, indignado, descontente, surpreso, desejado, inspirado, desapontado, “ furado”, contente, repugnado, muitíssimo surpreso, divertido, admirando
    26. 26. Design:projetando a emoção... Experiência Tokyo-Delft ----- Japão Holanda
    27. 27. Design:projetando a emoção... Pieter Desmet experience centred design pesquisa experimental pesquisa com o design design de produto interesse, emoção, produto, apreciação
    28. 28. Design:personalidade do produto… hipótese de congruência: os consumidores preferem produtos com uma personalidade que combine com seus próprios valores Desenvolvimento de uma escala de personalidade Pascalle Govers experience centred design pesquisa experimental pesquisa com o design design de produto ? sociável infantil quente
    29. 29. Valor Emocional do Design
    30. 30. Valor Emocional do Design Design Viceral > aparência Design Conductual > o prazer e a efetividade do uso Design Reflexivo > imagem de si mesmo, pessoal, recordações ...segundo Donald A.Norman
    31. 31. Valor Emocional do Design Design Viceral , é o que a natureza nos apresenta, ...a aparência, os traços, as características físicas (o tato, o som)...requer as habilidades próprias do designer. ...segundo Donald A.Norman O Jaguar tipo E / 1961 , exemplo clássico da força do Design Viceral – brilhante, elegante, excitante, ...parte do acervo do MOMA-Nova York (D.A.Norman, 2005)
    32. 32. Valor Emocional do Design Design Conductual , o prazer e a efetividade do uso, ...o rendimento das ações proporcionadas pelo objeto, pela informação – importa a função, a compreensão, a usabilidade e a sensação física. ...segundo Donald A.Norman Diseñada para inspirar... ... Y construida para durar. Así es la nueva línea de duchas WaterHaven , de Kohler , ...la cual le brindará una experiencia única y diferente. Será un refugio en su hogar, un destino en su mente. ¡Una vez que la pruebe, no podrá dejar de usarla!
    33. 33. Valor Emocional do Design Design Reflexivo , imagem de si mesmo, evoca as recordações pessoais, volta-se a mensagem, na cultura e no significado de um produto. ...segundo Donald A.Norman
    34. 34. Design e valores sociais <ul><li>O Design reflete... </li></ul><ul><li>os valores sociais dominantes </li></ul><ul><ul><li>os designers ...atuam com algum grau de autonomia na busca dos seus próprios interesses culturais, motivados por sua bagagem cultural e pelo contexto criado no interior da corporação. </li></ul></ul>Gestão em Design
    35. 35. Design e valores sociais <ul><li>Da história do Design observa-se: </li></ul><ul><ul><li>como a comunidade de Design se alia aos movimentos que buscam mudanças progressivas. </li></ul></ul><ul><ul><li>Arts&Crafts / ArtNouveau / DeutscheWerkbund / Bauhaus... </li></ul></ul>
    36. 36. Design e valores sociais <ul><li>Design & melhoria do impacto ambiental de umas poucas indústrias, </li></ul><ul><li>novas iniciativas de respostas às </li></ul><ul><li>... mudanças demográficas e ao </li></ul><ul><li>... pluralismo cultural . </li></ul><ul><li>Participação no desenvolvimento econômico, </li></ul><ul><ul><li>na renovação urbana , </li></ul></ul><ul><ul><li>contribuição aos objetivos democráticos de uma Nação, Estado e/ou Município. </li></ul></ul>
    37. 37. Design e valores sociais EcoDesign
    38. 38. Design e valores sociais, ...minorias e públicos especiais !
    39. 39. Design e valores sociais, ...minorias e públicos especiais !
    40. 40. Design : <ul><li>Os valores... comercial e social </li></ul><ul><li>são igualmente Importantes, </li></ul><ul><ul><li>para as mudanças de contexto </li></ul></ul><ul><ul><li>para a atuação dos empregadores e empreendedores </li></ul></ul>O Design...diferencia, agrega valor e cria condições de competitividade !
    41. 42. Bibliografia BAXTER M. ; Projeto de Produto , São Paulo. 1998, HANKS, K. e outros; Design Yourself , Los Altos-EUA, 1992. GRUENWALD. G. New Product Development , Illinois, NTC, 1992. URBAN, G.L. & HAUSER, J.R. Design and Marketing of New Products , N.York, Prentice Hall, 1980. ASIMOW, M. ; Introdução ao Projeto de Engenharia , São Paulo, M.Jou, 1968 BONSIEPE, G. Teoria y Práctica del Diseño Industrial, Barcelona, G.Gilli, 1978. HALKES, B. e ABINETT, R. The Engineering Design Process . London, Pitman, 1984. TJALVE, E. A Schort Course in Industrial Design . London, Newnes,1979. POWELL, D. ; Presentation Techniques , Londres, Mcdonald&Co, 1990. UNGAR, J. ; Rendering in mixed Media , Singapure, Phaidon Press, 1985. SHIMIZU, Y. e outros; Models & Prototypes , Tokyo, Graphic-sha, 1991. LUCCI, R. e ORLANDINI, P.; Product Design Models , N.Yoork, Van Nostarnd Reinhold, 1990. PORTER, T. e GREENSTREET, B.; Handbuch der Graphischen Techniken , Koln, R.Muller, 1983. KRISZTIAN, G.; Handbuch Layout-Schule , Koln, DuMont, 1986. VERZUH, E.; MBA compacto - Gestão de Projetos , Rio de Janeiro, Campus, 2000. KELLEY, T.; A Arte da Inovação , São Paulo, Futura, 2001. MUKAROVSKY, J. ; Kapitel aus der Ästhetik , Frankfurt a.m.,Suhrkamp, 1982 LŐBACH, Bernd. Design Industrial - Bases para a configuração dos produtos industriais . São Paulo, E.Blucher, 2001. CLEALAND, D.I. e IRELAND, L.R.; Gerência de Projetos , Rio de Janeiro, Reichmann & Affonso Ed., 2002. SCHMITTEL, W. Design, Concept, Realisation . Zurich, ABC, 1975. www.ideo.com www.affinnova.com http://www.jnd.org/dn.pubs.html

    ×