Cadeira de
PATRIMÓNIO CULTURAL PORTUGUÊS
Artur Filipe dos Santos
ossinaisdedeus.blogspot.com
98 Anos das Aparições de Fátima
PATRIMÓNIO CULTURAL DA FÉ
2
Aula 1
Artur Filipe dos Santos
artursantosdocente@gmail.com
artursantos.no.sapo.pt
http://omeucaminhodesantiago.wordpress.com
• A...
A Universidade Sénior
Contemporânea
Web: www.usc.no.sapo.pt
Email: usc@sapo.pt
Edições online: www.edicoesuscontemporanea....
Artur Filipe dos Santos – As Aparições
de Fátima
• “Se perguntarmos qual é o caminho
central e direto nesse mundo que nos
...
• “No dia 13 de Maio de 1917,
três crianças, Lúcia de Jesus
Rosa dos Santos (10 anos),
Francisco Marto (9 anos) e
Jacinta ...
• Lúcia via, ouvia e falava
com a aparição, Jacinta
via e ouvia e Francisco
apenas via, mas não a
ouvia.
7
Património Cult...
• As aparições repetiram-
se nos cinco meses
seguintes e seriam
portadoras de uma
mensagem ao mundo.
A 13 de Outubro de
19...
• Nossa Senhora do
Rosário (ou Nossa
Senhora do Santo Rosário
ou Nossa Senhora do
Santíssimo Rosário) é o
título recebido ...
• Os relatos destes
acontecimentos foram
redigidos pela Irmã
Lúcia a partir de 1935,
em quatro manuscritos,
habitualmente
...
• “A 13 de Maio de 1917,
três crianças
apascentavam um
pequeno rebanho na
Cova da Iria, freguesia de
Fátima, concelho de V...
• Por volta do meio dia,
depois de rezarem o
terço, como
habitualmente faziam,
entretinham-se a
construir uma pequena
casa...
• De repente, viram uma luz
brilhante; julgando ser um
relâmpago, decidiram ir-se
embora, mas, logo abaixo,
outro clarão i...
• A Senhora disse aos três
pastorinhos que era
necessário rezar muito
e convidou-os a
voltarem à Cova da Iria
durante mais...
• As crianças assim
fizeram, e nos dias 13
de Junho, Julho,
Setembro e Outubro, a
Senhora voltou a
aparecer-lhes e a falar...
• A 19 de Agosto, a
aparição deu-se no sítio
dos Valinhos, a uns 500
metros do lugar de
Aljustrel, porque, no dia
13, as c...
• Na última aparição, a 13
de Outubro, estando
presentes cerca de
70.000 pessoas, a
Senhora disse-lhes que
era a "Senhora ...
• Depois da aparição,
todos os presentes
observaram o milagre
prometido às três
crianças em Julho e
Setembro:
18
Patrimóni...
• O sol, assemelhando-se
a um disco de prata,
podia fitar-se sem
dificuldade e girava
sobre si mesmo como
uma roda de fogo...
• Posteriormente, sendo Lúcia religiosa
de Santa Doroteia, Nossa Senhora
apareceu-lhe novamente em Espanha
(10 de Dezembro...
• Este pedido já Nossa
Senhora o anunciara em
13 de Julho de 1917.
21
Património Cultural – As Aparições de Fátima
emanoel...
• Anos mais tarde, a Ir.
Lúcia conta ainda que,
entre Abril e Outubro
de 1916, tinha
aparecido um Anjo aos
três videntes, ...
• Desde 1917, não mais
cessaram de ir à Cova da
Iria milhares e milhares
de peregrinos de todo o
mundo, primeiro nos dias
...
• Aparições do Anjo
Antes das aparições de Nossa
Senhora na Cova da Iria em 1917,
Lúcia, Francisco e Jacinta tiveram
no an...
• Estas visões
permaneceram inéditas
até 1937, até Lúcia as
divulgar, pela primeira
vez, no designado texto
Memória II.
25...
• A narração é mais
completa e o texto
definitivo das orações
do anjo é publicado na
Memória IV, escrito em
1941.
26
Patri...
• As aparições do Anjo em 1916,
foram precedidas por três
outras visões, de Abril a
Outubro de 1915, nas quais
Lúcia e out...
• Era uma figura, como se
fosse uma estátua de
neve, que os raios do
sol tornavam algo
transparente". A
descrição é da pró...
• Primeira aparição
O relato da mais velha
dos videntes, Lúcia,
descreve assim os
acontecimentos: "Andava
eu com os meus p...
• Depois de aí merendar
e rezar, alguns
momentos havia que
jogávamos e eis que um
vento sacode as árvores
e faz-nos levant...
• Então começámos a ver,
a alguma distância,
sobre as árvores que se
estendiam em direcção
ao nascente, uma luz
mais branc...
• À medida que se
aproximava, íamos-lhe
distinguindo as feições.
Estávamos
surpreendidos e meios
absortos. Não dizíamos
pa...
• E ajoelhando em terra,
curvou a fronte até ao
chão. Levados por um
movimento
sobrenatural, imitámo-
lo e repetimos as
pa...
• – Meu Deus, eu creio,
adoro, espero e amo-
Vos. Peço-Vos perdão
para os que não crêem,
não adoram, não
esperam e não Vos...
• Depois de repetir isto
três vezes, ergueu-se e
disse: – Orai assim. Os
Corações de Jesus e
Maria estão atentos à
voz das...
• A atmosfera do
sobrenatural que nos
envolveu era tão intensa,
que quase não nos
dávamos conta da própria
existência, por...
• A presença de Deus
sentia-se tão intensa e
íntima que nem mesmo
entre nós nos
atrevíamos a falar. No
dia seguinte, sentí...
• Nesta aparição, nenhum
pensou em falar nem em
recomendar o segredo.
Ela de si o impôs. Era tão
íntima que não era fácil
...
• Segunda aparição
A segunda aparição deu-se no
Verão de 1916, sobre o poço
da casa dos pais de Lúcia,
junto ao qual as cr...
• - Que fazeis? Orai! Orai
muito! Os Corações de
Jesus e Maria têm sobre
vós desígnios de
misericórdia. Oferecei
constante...
• – De tudo que
puderdes, oferecei um
sacrifício em acto de
reparação pelos
pecados com que Ele é
ofendido e de súplica
pe...
• Atraí, assim, sobre a
vossa Pátria, a paz. Eu
sou o Anjo da sua
guarda, o Anjo de
Portugal. Sobretudo,
aceitai e suporta...
• E desapareceu. Estas
palavras do Anjo
gravaram-se em nosso
espírito, como uma luz
que nos fazia
compreender quem era
Deu...
• Por isso, desde esse
momento, começamos a
oferecer ao Senhor tudo
que nos mortificava, mas
sem discorrermos a
procurar o...
• Terceira aparição
A terceira aparição ocorreu no
fim do Verão ou princípio de
Outono de 1916, novamente
na "Loca do Cabe...
• Deixando o cálice e a Hóstia
suspensos no ar, prostrou-
se em terra e repetiu três
vezes a oração: – Santíssima
Trindade...
• Aparições de Nossa Senhora
• 13 de Maio de 1917
Brincavam os três pastorinhos
na Cova da Iria, uma pequena
propriedade p...
• Com receio de começar a chover,
reuniram o rebanho e decidiram
ir-se embora, mas no caminho e
logo abaixo, outro clarão ...
• "A sua face,
indescritivelmente bela
não era nem triste, nem
alegre, mas séria, com
ar de suave censura. As
mãos juntas,...
• As vestes pareciam
feitas só de luz. A túnica
era branca e branco o
manto, orlado de ouro
que cobria a cabeça da
Virgem ...
• Os traços da fisionomia
Lúcia nunca pôde
descrevê-los, pois a sua
formosura não cabe em
palavras humanas. Os
videntes es...
• 13 de Junho de 1917
Neste dia compareceram no
local cerca de 50 pessoas
curiosas pelos factos
entretanto revelados pelos...
• Alguns dos espectadores
notaram que a luz do sol
se obscureceu durante os
minutos que se seguiram
ao início do colóquio,...
• Durante a troca de
palavras entre Lúcia e a
aparição alguns
ouviram um sussurro
como se fosse o
zumbido de uma
abelha.
5...
• 13 de Julho de 1917
Ao dar-se a terceira aparição,
uma nuvenzinha acizentada
pairou sobre a azinheira, o sol
ofuscou-se,...
• Os videntes viram o reflexo da
costumada luz e, em seguida,
Nossa Senhora sobre a
carrasqueira.
56
Património Cultural –...
• 19 de Agosto de 1917
No dia 13 de Agosto,
quando deveria dar-se a
quarta aparição, os videntes
não puderam ir à Cova da
...
• Nesse dia, juntou-se uma
grande multidão que
aguardava pela aparição.
Por volta do meio-dia,
ouviu-se um trovão, ao
qual...
• Observaram-se também
fenómenos de coloração,
de diversas cores, nos
rostos das pessoas, das
roupas, das árvores e do
chã...
• Na manhã do dia 15 de
Agosto e a seguir a um
interrogatório final,
foram então libertadas
e regressaram a Fátima.
60
Pat...
• 13 de Setembro de 1917
Como das outras vezes, uma
série de fenómenos
atmosféricos foram
observados pelos
circunstantes, ...
• Em particular, foi notado
desta vez um globo
luminoso que se movia
lenta e majestosamente
pelo céu, do nascente
para o p...
• 13 de Outubro de 1917
Devido ao facto de os
pastorinhos terem
revelado que a Virgem
Maria iria fazer um
milagre neste di...
• Chovia com abundância
e a multidão aguardava
as três crianças nos
terrenos enlameados da
serra. Lúcia assim
descreve est...
• O povo era em massa. A
chuva, torrencial.
Minha mãe, temendo
que fosse aquele o
último dia da minha
vida, com o coração
...
• Pelo caminho, as cenas do mês
passado, mais numerosas e
comovedoras. Nem a
lamaceira dos caminhos
impedia essa gente de ...
• Enquanto os três
pastorinhos eram
agraciados com estas
visões (apenas Lúcia viu
os três quadros, Jacinta
e Francisco vir...
• A chuva que caía cessou,
as nuvens entreabriram-
se deixando ver o Sol,
assemelhando-se a um
disco de prata fosca,
podia...
• Depois, os seus bordos
tornaram-se escarlates e
deslizou no céu, como um
redemoinho, espargindo
chamas vermelhas de
fogo...
• Animado três vezes por
um movimento louco, o
globo de fogo pareceu
tremer, sacudir-se e
precipitar-se em
ziguezague sobr...
• Finalmente, o Sol voltou
em ziguezague para o
seu lugar e ficou
novamente tranquilo e
brilhante. Muitas
pessoas notaram ...
• Tal fenómeno foi
testemunhado por milhares
de pessoas, até mesmo por
outras que estavam a
quilómetros do lugar das
apari...
Bibliografia
– http://www.zenit.org/pt/articles/papa-paulo-vi-a-casula-
da-sua-primeira-missa-foi-tirada-do-vestido-de-
ca...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Património cultural 98 Anos das Aparições de Fátima aula 1 - Artur Filipe dos Santos - Universidade Sénior Contemporânea

425 visualizações

Publicada em

“Se perguntarmos qual é o caminho central e direto nesse mundo que nos leva à Cristo, a resposta é rápida e belíssima: este caminho é Maria... temos que aproximar-nos de Maria, a cristífera, a portadora de Cristo no mundo” (Audiência Geral, 21 de dezembro de 1966).

Foi Paulo VI que no discurso de encerramento da terceira sessão do Concílio, diante dos Bispos do mundo disse: “Portanto, para a glória da Bem-Aventurada Virgem Maria, declaramos Maria Santíssima Mãe da Igreja" (21 de novembro de 1964).”

artursantosdocente@gmail.com
artursantos.no.sapo.pt
http://omeucaminhodesantiago.wordpress.com
 
Artur Filipe dos Santos, Doutorado em Comunicação, Publicidade Relações Públicas e Protocolo, pela Universidade de Vigo, Galiza, Espanha, Professor Universitário, consultor e investigador em Comunicação Institucional e Património, Protocolista, Sociólogo.
Director Académico e Professor Titular na Universidade Sénior Contemporânea, membro da Direção do OIDECOM-Observatório Iberoamericano de Investigação e Desenvolvimento em Comunicação, membro da APEP-Associacao Portuguesa de Estudos de Protocolo. Membro do ICOMOS (International Counsil on Monuments and Sites), consultor da UNESCO para o Património Mundial, membro do Grupo de Investigação em Comunicação (ICOM-X1) da Faculdade de Ciências Sociais e da Comunicação da Universidade de Vigo, membro do Grupo de Investigação em Turismo e Comunicação da Universidade de Westminster. Professor convidado da Escola Superior de Saúde do Instituto Piaget. Estudioso do Mito Compostelano e dos Caminhos de Santiago, é orador e palestrante convidado em várias instituições de ensino superior.

Web: www.usc.no.sapo.pt
Email: usc@sapo.pt
Edições online: www.edicoesuscontemporanea.webnode.com

A Universidade Sénior Contemporânea é uma instituição vocacionada para a ocupação de tempos livres dos indivíduos que se sintam motivados para a aprendizagem constante de diversas matérias teóricas e práticas,adquirindo conhecimentos em múltiplas áreas, como línguas, ciências sociais, saúde, informática, internet, dança, teatro, entre outras, tendo ainda a oportunidade de participação em actividades como o Grupo de Teatro, Coro da USC, USC Web TV, conferências, colóquios, visitas de estudo. Desenvolve manuais didáticos das próprias cadeiras lecionadas(23), acessivéis a séniores, estudantes e profissionais através de livraria online.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
425
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Património cultural 98 Anos das Aparições de Fátima aula 1 - Artur Filipe dos Santos - Universidade Sénior Contemporânea

  1. 1. Cadeira de PATRIMÓNIO CULTURAL PORTUGUÊS Artur Filipe dos Santos ossinaisdedeus.blogspot.com
  2. 2. 98 Anos das Aparições de Fátima PATRIMÓNIO CULTURAL DA FÉ 2 Aula 1
  3. 3. Artur Filipe dos Santos artursantosdocente@gmail.com artursantos.no.sapo.pt http://omeucaminhodesantiago.wordpress.com • Artur Filipe dos Santos, Doutorado em Comunicação, Publicidade Relações Públicas e Protocolo, pela Universidade de Vigo, Galiza, Espanha, Professor Universitário, consultor e investigador em Comunicação Institucional e Património, Protocolista, Sociólogo. • Director Académico e Professor Titular na Universidade Sénior Contemporânea, membro da Direção do OIDECOM-Observatório Iberoamericano de Investigação e Desenvolvimento em Comunicação, membro da APEP-Associacao Portuguesa de Estudos de Protocolo. Membro do ICOMOS (International Counsil on Monuments and Sites), consultor da UNESCO para o Património Mundial, membro do Grupo de Investigação em Comunicação (ICOM-X1) da Faculdade de Ciências Sociais e da Comunicação da Universidade de Vigo, membro do Grupo de Investigação em Turismo e Comunicação da Universidade de Westminster. Professor convidado da Escola Superior de Saúde do Instituto Piaget. Estudioso do Mito Compostelano e dos Caminhos de Santiago, é orador e palestrante convidado em várias instituições de ensino superior. Artur Filipe dos Santos - artursantos.no.sapo.pt 3
  4. 4. A Universidade Sénior Contemporânea Web: www.usc.no.sapo.pt Email: usc@sapo.pt Edições online: www.edicoesuscontemporanea.webnode.com • A Universidade Sénior Contemporânea é uma instituição vocacionada para a ocupação de tempos livres dos indivíduos que se sintam motivados para a aprendizagem constante de diversas matérias teóricas e práticas,adquirindo conhecimentos em múltiplas áreas, como línguas, ciências sociais, saúde, informática, internet, dança, teatro, entre outras, tendo ainda a oportunidade de participação em actividades como o Grupo de Teatro, Coro da USC, USC Web TV, conferências, colóquios, visitas de estudo. Desenvolve manuais didáticos das próprias cadeiras lecionadas(23), acessivéis a séniores, estudantes e profissionais através de livraria online. 4
  5. 5. Artur Filipe dos Santos – As Aparições de Fátima • “Se perguntarmos qual é o caminho central e direto nesse mundo que nos leva à Cristo, a resposta é rápida e belíssima: este caminho é Maria... temos que aproximar-nos de Maria, a cristífera, a portadora de Cristo no mundo” (Audiência Geral, 21 de dezembro de 1966). Foi Paulo VI que no discurso de encerramento da terceira sessão do Concílio, diante dos Bispos do mundo disse: “Portanto, para a glória da Bem- Aventurada Virgem Maria, declaramos Maria Santíssima Mãe da Igreja" (21 de novembro de 1964).” 5 Património Cultural – As Aparições de Fátima www.ateneulivros.com
  6. 6. • “No dia 13 de Maio de 1917, três crianças, Lúcia de Jesus Rosa dos Santos (10 anos), Francisco Marto (9 anos) e Jacinta Marto (7 anos), afirmaram ter visto "...uma senhora mais branca que o Sol" sobre uma azinheira de um metro ou pouco mais de altura, quando apascentavam um pequeno rebanho na Cova da Iria, lugar de Aljustrel, pertencente ao concelho de Ourém, distrito de Santarém, Portugal. 6 Património Cultural – As Aparições de Fátima Wikipedia
  7. 7. • Lúcia via, ouvia e falava com a aparição, Jacinta via e ouvia e Francisco apenas via, mas não a ouvia. 7 Património Cultural – As Aparições de Fátima Wikipedia
  8. 8. • As aparições repetiram- se nos cinco meses seguintes e seriam portadoras de uma mensagem ao mundo. A 13 de Outubro de 1917 a aparição disse- lhes ser a Nossa Senhora do Rosário. 8 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  9. 9. • Nossa Senhora do Rosário (ou Nossa Senhora do Santo Rosário ou Nossa Senhora do Santíssimo Rosário) é o título recebido pela aparição mariana a São Domingos de Gusmão em 1208 na igreja de Prouille, em que Maria lhe dá o rosário. 9 historiadenossasenhora.wordpress.com
  10. 10. • Os relatos destes acontecimentos foram redigidos pela Irmã Lúcia a partir de 1935, em quatro manuscritos, habitualmente designados por Memórias I, II, III e IV2.” Wikipedia 10 Património Cultural – As Aparições de Fátima livraria.apostoladodaoracao.pt
  11. 11. • “A 13 de Maio de 1917, três crianças apascentavam um pequeno rebanho na Cova da Iria, freguesia de Fátima, concelho de Vila Nova de Ourém, hoje diocese de Leiria-Fátima. Chamavam-se Lúcia de Jesus, de 10 anos, e Francisco e Jacinta Marto, seus primos, de 9 e 7 anos. 11 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  12. 12. • Por volta do meio dia, depois de rezarem o terço, como habitualmente faziam, entretinham-se a construir uma pequena casa de pedras soltas, no local onde hoje se encontra a Basílica. 12 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  13. 13. • De repente, viram uma luz brilhante; julgando ser um relâmpago, decidiram ir-se embora, mas, logo abaixo, outro clarão iluminou o espaço, e viram em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra a Capelinha das Aparições), uma "Senhora mais brilhante que o sol", de cujas mãos pendia um terço branco. 13 Património Cultural – As Aparições de Fátima www.msm-portugal.org
  14. 14. • A Senhora disse aos três pastorinhos que era necessário rezar muito e convidou-os a voltarem à Cova da Iria durante mais cinco meses consecutivos, no dia 13 e àquela hora. 14 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  15. 15. • As crianças assim fizeram, e nos dias 13 de Junho, Julho, Setembro e Outubro, a Senhora voltou a aparecer-lhes e a falar- lhes, na Cova da Iria. 15 Património Cultural – As Aparições de Fátima pt.wikipedia.org
  16. 16. • A 19 de Agosto, a aparição deu-se no sítio dos Valinhos, a uns 500 metros do lugar de Aljustrel, porque, no dia 13, as crianças tinham sido levadas pelo Administrador do Concelho, para Vila Nova de Ourém. 16 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  17. 17. • Na última aparição, a 13 de Outubro, estando presentes cerca de 70.000 pessoas, a Senhora disse-lhes que era a "Senhora do Rosário" e que fizessem ali uma capela em Sua honra. 17 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  18. 18. • Depois da aparição, todos os presentes observaram o milagre prometido às três crianças em Julho e Setembro: 18 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  19. 19. • O sol, assemelhando-se a um disco de prata, podia fitar-se sem dificuldade e girava sobre si mesmo como uma roda de fogo, parecendo precipitar-se na terra. 19 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  20. 20. • Posteriormente, sendo Lúcia religiosa de Santa Doroteia, Nossa Senhora apareceu-lhe novamente em Espanha (10 de Dezembro de 1925 e 15 de Fevereiro de 1926, no Convento de Pontevedra, e na noite de 13/14 de Junho de 1929, no Convento de Tuy), pedindo a devoção dos cinco primeiros sábados (rezar o terço, meditar nos mistérios do Rosário, confessar-se e receber a Sagrada Comunhão, em reparação dos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria) e a Consagração da Rússia ao mesmo Imaculado Coração. 20 Património Cultural – As Aparições de Fátima www.igrejacatolica.pt
  21. 21. • Este pedido já Nossa Senhora o anunciara em 13 de Julho de 1917. 21 Património Cultural – As Aparições de Fátima emanoelcrangel.blogspot.com
  22. 22. • Anos mais tarde, a Ir. Lúcia conta ainda que, entre Abril e Outubro de 1916, tinha aparecido um Anjo aos três videntes, por três vezes, duas na Loca do Cabeço e outra junto ao poço do quintal da casa de Lúcia, convidando-os à oração e penitência. 22 Património Cultural – As Aparições de Fátima Memórias da Irmã Lúcia Autor: Padre Krom
  23. 23. • Desde 1917, não mais cessaram de ir à Cova da Iria milhares e milhares de peregrinos de todo o mundo, primeiro nos dias 13 de cada mês, depois nos meses de férias de Verão e Inverno, e agora cada vez mais nos fins de semana e no dia-a-dia, num montante anual de cinco milhões.” 23 Património Cultural – As Aparições de Fátima http://www.fatima.pt/
  24. 24. • Aparições do Anjo Antes das aparições de Nossa Senhora na Cova da Iria em 1917, Lúcia, Francisco e Jacinta tiveram no ano anterior três visões do Anjo de Portugal ou Anjo da Paz. 24 Património Cultural – As Aparições de Fátima http://www.fatima.pt/
  25. 25. • Estas visões permaneceram inéditas até 1937, até Lúcia as divulgar, pela primeira vez, no designado texto Memória II. 25 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  26. 26. • A narração é mais completa e o texto definitivo das orações do anjo é publicado na Memória IV, escrito em 1941. 26 Património Cultural – As Aparições de Fátima blog.cancaonova.com
  27. 27. • As aparições do Anjo em 1916, foram precedidas por três outras visões, de Abril a Outubro de 1915, nas quais Lúcia e outras três pastorinhas, Maria Rosa Matias, Teresa Matias e Maria Justino viram, também no outeiro do Cabeço, e noutros locais, suspensa no ar sobre o arvoredo do vale "uma como que nuvem mais branca que a neve, algo transparente, com forma humana. 27 Património Cultural – As Aparições de Fátima fatimacidade.blogs.sapo.pt
  28. 28. • Era uma figura, como se fosse uma estátua de neve, que os raios do sol tornavam algo transparente". A descrição é da própria irmã Lúcia. 28 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  29. 29. • Primeira aparição O relato da mais velha dos videntes, Lúcia, descreve assim os acontecimentos: "Andava eu com os meus primos Francisco e Jacinta a cuidar do rebanho e subimos a encosta em procura dum abrigo a que chamávamos a "Loca do Cabeço". 29 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  30. 30. • Depois de aí merendar e rezar, alguns momentos havia que jogávamos e eis que um vento sacode as árvores e faz-nos levantar a vista para ver o que se passava, pois o dia estava sereno. 30 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  31. 31. • Então começámos a ver, a alguma distância, sobre as árvores que se estendiam em direcção ao nascente, uma luz mais branca que a neve, com a forma dum jovem, transparente, mais brilhante que um cristal atravessado pelos raios do Sol. 31 Património Cultural – As Aparições de Fátima pastorinhos.no.sapo.pt
  32. 32. • À medida que se aproximava, íamos-lhe distinguindo as feições. Estávamos surpreendidos e meios absortos. Não dizíamos palavra. Ao chegar junto de nós, disse: – Não temais. Sou o Anjo da Paz. Orai comigo. 32 Património Cultural – As Aparições de Fátima mae-de-jesus.blogspot.com
  33. 33. • E ajoelhando em terra, curvou a fronte até ao chão. Levados por um movimento sobrenatural, imitámo- lo e repetimos as palavras que lhe ouvimos pronunciar: 33 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  34. 34. • – Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo- Vos. Peço-Vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam. 34 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  35. 35. • Depois de repetir isto três vezes, ergueu-se e disse: – Orai assim. Os Corações de Jesus e Maria estão atentos à voz das vossas súplicas. E desapareceu. 35 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  36. 36. • A atmosfera do sobrenatural que nos envolveu era tão intensa, que quase não nos dávamos conta da própria existência, por um grande espaço de tempo, permanecendo na posição em que nos tinha deixado, repetindo sempre a mesma oração. 36 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  37. 37. • A presença de Deus sentia-se tão intensa e íntima que nem mesmo entre nós nos atrevíamos a falar. No dia seguinte, sentíamos o espírito ainda envolvido por essa atmosfera que só muito lentamente foi desaparecendo. 37 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  38. 38. • Nesta aparição, nenhum pensou em falar nem em recomendar o segredo. Ela de si o impôs. Era tão íntima que não era fácil pronunciar sobre ela a menor palavra. Fez-nos, talvez, também maior impressão, por ser a primeira assim manifesta." 38 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  39. 39. • Segunda aparição A segunda aparição deu-se no Verão de 1916, sobre o poço da casa dos pais de Lúcia, junto ao qual as crianças costumavam brincar. Assim narra a Irmã Lúcia: "Fomos, pois passar as horas da sesta à sombra das árvores que cercavam o poço já várias vezes mencionado. De repente, vimos o mesmo Anjo junto de nós. 39 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  40. 40. • - Que fazeis? Orai! Orai muito! Os Corações de Jesus e Maria têm sobre vós desígnios de misericórdia. Oferecei constantemente ao Altíssimo orações e sacrifícios. – Como nos havemos de sacrificar? – perguntei. 40 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  41. 41. • – De tudo que puderdes, oferecei um sacrifício em acto de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido e de súplica pela conversão dos pecadores. 41 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  42. 42. • Atraí, assim, sobre a vossa Pátria, a paz. Eu sou o Anjo da sua guarda, o Anjo de Portugal. Sobretudo, aceitai e suportai com submissão o sofrimento que o Senhor vos enviar. 42 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  43. 43. • E desapareceu. Estas palavras do Anjo gravaram-se em nosso espírito, como uma luz que nos fazia compreender quem era Deus, como nos amava e queria ser amado, o valor do sacrifício e como ele Lhe era agradável, como, por atenção a ele, convertia os pecadores. 43 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  44. 44. • Por isso, desde esse momento, começamos a oferecer ao Senhor tudo que nos mortificava, mas sem discorrermos a procurar outras mortificações ou penitências, excepto a de passarmos horas seguidas prostrados por terra, repetindo a oração que o Anjo nos tinha ensinado." 44 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  45. 45. • Terceira aparição A terceira aparição ocorreu no fim do Verão ou princípio de Outono de 1916, novamente na "Loca do Cabeço", como descreve Lúcia: "Rezámos aí o terço e (a) oração que na primeira aparição nos tinha ensinado. Estando, pois, aí, apareceu-nos pela terceira vez, trazendo na mão um cálice e sobre ele uma Hóstia, da qual caíam, dentro do cálix, algumas gotas de sangue. 45 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  46. 46. • Deixando o cálice e a Hóstia suspensos no ar, prostrou- se em terra e repetiu três vezes a oração: – Santíssima Trindade, Padre, Filho, Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço- Vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. 46 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  47. 47. • Aparições de Nossa Senhora • 13 de Maio de 1917 Brincavam os três pastorinhos na Cova da Iria, uma pequena propriedade pertencente aos pais de Lúcia, localizada a 2,5 km de Fátima, quando por volta do meio-dia e depois de rezarem o terço, observaram dois clarões como se fossem relâmpagos. 47 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  48. 48. • Com receio de começar a chover, reuniram o rebanho e decidiram ir-se embora, mas no caminho e logo abaixo, outro clarão teria iluminado o espaço. Nesse instante, teriam visto em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra a Capelinha das Aparições), "era uma Senhora vestida de branco e mais brilhante que o Sol, espargindo luz mais clara e intensa que um copo de cristal cheio de água cristalina, atravessado pelos raios do sol mais ardente", descreve Lúcia. 48 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  49. 49. • "A sua face, indescritivelmente bela não era nem triste, nem alegre, mas séria, com ar de suave censura. As mãos juntas, como a rezar, apoiadas no peito e voltadas para cima. Da mão direita pendia um rosário. 49 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  50. 50. • As vestes pareciam feitas só de luz. A túnica era branca e branco o manto, orlado de ouro que cobria a cabeça da Virgem e lhe descia até aos pés. Não se Lhe viam os cabelos nem as orelhas." 50 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  51. 51. • Os traços da fisionomia Lúcia nunca pôde descrevê-los, pois a sua formosura não cabe em palavras humanas. Os videntes estavam tão pertos de Nossa Senhora - a um metro de distância, mais ou menos - que ficavam dentro da luz que A cercava, ou que Ela espargia. 51 Património Cultural – As Aparições de Fátima https://marinbodrug.wordpress.com
  52. 52. • 13 de Junho de 1917 Neste dia compareceram no local cerca de 50 pessoas curiosas pelos factos entretanto revelados pelos pastorinhos. Por volta do meio-dia, os videntes notaram novamente um clarão, a que chamavam relâmpago, mas que não era propriamente tal, mas sim o reflexo de uma luz que se aproximava. 52 Património Cultural – As Aparições de Fátima www.portugaltours.com.pt
  53. 53. • Alguns dos espectadores notaram que a luz do sol se obscureceu durante os minutos que se seguiram ao início do colóquio, outros afirmaram que o topo da azinheira, coberto de rebentos, pareceu curvar-se como sob um peso, um momento antes da Lúcia falar. 53 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  54. 54. • Durante a troca de palavras entre Lúcia e a aparição alguns ouviram um sussurro como se fosse o zumbido de uma abelha. 54 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  55. 55. • 13 de Julho de 1917 Ao dar-se a terceira aparição, uma nuvenzinha acizentada pairou sobre a azinheira, o sol ofuscou-se, uma aragem fresca soprou sobre a serra, embora se estivesse em pleno Verão. O Sr. Manuel Marto, pai da Jacinta e do Francisco, diz que também ouviu um sussurro, como o de moscas num cântaro vazio. 55 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  56. 56. • Os videntes viram o reflexo da costumada luz e, em seguida, Nossa Senhora sobre a carrasqueira. 56 Património Cultural – As Aparições de Fátima www.xuadoagreste.com.br
  57. 57. • 19 de Agosto de 1917 No dia 13 de Agosto, quando deveria dar-se a quarta aparição, os videntes não puderam ir à Cova da Iria, pois foram raptados pelo então administrador do concelho de Vila Nova de Ourém, Artur de Oliveira Santos, um republicano anticlerical e maçon ,que à força quis arrancar-lhes o segredo. 57 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  58. 58. • Nesse dia, juntou-se uma grande multidão que aguardava pela aparição. Por volta do meio-dia, ouviu-se um trovão, ao qual se seguiu o relâmpago, tendo os espectadores notado uma pequena nuvem branca que pairou alguns minutos sobre a azinheira. 58 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  59. 59. • Observaram-se também fenómenos de coloração, de diversas cores, nos rostos das pessoas, das roupas, das árvores e do chão. As crianças continuaram em cativeiro e apesar das várias ameaças físicas de que foram alvo, permaneceram inabaláveis e nada revelaram. 59 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  60. 60. • Na manhã do dia 15 de Agosto e a seguir a um interrogatório final, foram então libertadas e regressaram a Fátima. 60 Património Cultural – As Aparições de Fátima setimoportal.wordpress.com
  61. 61. • 13 de Setembro de 1917 Como das outras vezes, uma série de fenómenos atmosféricos foram observados pelos circunstantes, cujo número foi calculado entre 15 e 20 000 pessoas: o súbito refrescar da atmosfera, o empalidecer do Sol até ao ponto de se verem as estrelas, uma espécie de chuva como que de pétalas irisadas ou flocos de neve que desapareciam antes de pousarem na terra. 61 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  62. 62. • Em particular, foi notado desta vez um globo luminoso que se movia lenta e majestosamente pelo céu, do nascente para o poente e, no fim da aparição, em sentido contrário. Os videntes notaram, como de costume, o reflexo de uma luz e, a seguir, Nossa Senhora sobre a azinheira 62 Património Cultural – As Aparições de Fátima blog.cancaonova.com
  63. 63. • 13 de Outubro de 1917 Devido ao facto de os pastorinhos terem revelado que a Virgem Maria iria fazer um milagre neste dia para que todos acreditassem, estavam presentes na Cova da Iria cerca de 50 mil pessoas, segundo os relatos da época. 63 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  64. 64. • Chovia com abundância e a multidão aguardava as três crianças nos terrenos enlameados da serra. Lúcia assim descreve estes acontecimentos na Memória IV: "Saímos de casa bastante cedo, contando com as demoras do caminho. 64 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  65. 65. • O povo era em massa. A chuva, torrencial. Minha mãe, temendo que fosse aquele o último dia da minha vida, com o coração retalhado pela incerteza do que iria acontecer, quis acompanhar-me. 65 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  66. 66. • Pelo caminho, as cenas do mês passado, mais numerosas e comovedoras. Nem a lamaceira dos caminhos impedia essa gente de se ajoelhar na atitude mais humilde e suplicante. Chegados à Cova de Iria, junto da carrasqueira, levada por um movimento interior, pedi ao povo que fechasse os guarda- chuvas para rezarmos o terço. Pouco depois, vimos o reflexo da luz e, em seguida, Nossa Senhora sobre a carrasqueira. 66 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  67. 67. • Enquanto os três pastorinhos eram agraciados com estas visões (apenas Lúcia viu os três quadros, Jacinta e Francisco viram somente o primeiro), a maior parte da multidão presente observou o chamado O Milagre do Sol. 67 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  68. 68. • A chuva que caía cessou, as nuvens entreabriram- se deixando ver o Sol, assemelhando-se a um disco de prata fosca, podia fitar-se sem dificuldade sem cegar. A imensa bola começou a girar vertiginosamente sobre si mesma como uma roda de fogo. 68 Património Cultural – As Aparições de Fátima www.dicionariodafe.com
  69. 69. • Depois, os seus bordos tornaram-se escarlates e deslizou no céu, como um redemoinho, espargindo chamas vermelhas de fogo. Essa luz refletia-se no solo, nas árvores, nas próprias faces das pessoas e nas roupas, tomando tonalidades brilhantes e diferentes cores. 69 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  70. 70. • Animado três vezes por um movimento louco, o globo de fogo pareceu tremer, sacudir-se e precipitar-se em ziguezague sobre a multidão aterrorizada. Tudo durou uns dez minutos. 70 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  71. 71. • Finalmente, o Sol voltou em ziguezague para o seu lugar e ficou novamente tranquilo e brilhante. Muitas pessoas notaram que as suas roupas, ensopadas pela chuva, tinham secado súbitamente. 71 Património Cultural – As Aparições de Fátima
  72. 72. • Tal fenómeno foi testemunhado por milhares de pessoas, até mesmo por outras que estavam a quilómetros do lugar das aparições. O relato foi publicado na imprensa por diversos jornalistas que ali se deslocaram e que foram também eles, testemunhas do milagre. O ciclo das aparições em Fátima tinha terminado.” 72 Património Cultural – As Aparições de Fátima Fonte: Wikipedia Página da edição de 29 de Outubro de 1917 da Ilustração Portuguesa com uma reportagem sobre o milagre
  73. 73. Bibliografia – http://www.zenit.org/pt/articles/papa-paulo-vi-a-casula- da-sua-primeira-missa-foi-tirada-do-vestido-de- casamento-da-sua-mae – http://www.fatima.pt/portal/index.php?id=2634 – http://pt.wikipedia.org/wiki/Milagre_do_Sol – http://www.portal.ecclesia.pt/cv/arquivo/25376 73 Património Cultural – O Caminho de Santiago

×